SIC NOTÍCIAS

TEXTOS PARA GEOGRAFIA

- LINKS:

http://sicnoticias.sapo.pt/programas/historiasdomundo/2010/01/21/era-uma-vez--alemanhatem-a-cidade-mais-ecologica-da-europa

http://sicnoticias.sapo.pt/programas/historiasdomundo/2010/01/07/sopa-de-plastico-3milhoes-de-toneladas-de-lixo-no-mar-mediterraneo

Pedro Miguel Ribeiro de Sousa – 23 - GEOGRAFIA – 9º D

O clube de futebol de Freiburg também aderiu a esta onda ecológica. rodeado pela floresta negra. Tinham decidido viver sem carro há 10 anos. Petra. ou produzem mais do que gastam. As casas quase não consomem energia. como o petróleo e o gás natural.Alemanha tem a cidade mais ecológica da Europa Quantas e quantas vezes ouvimos falar de alterações climáticas e aquecimento global? Ainda recentemente a Cimeira de Copenhaga reuniu na Dinamarca os principais líderes do mundo e o resultado foi basicamente um fiasco. Há ventilação mecânica: sistema de tubagens que controla naturalmente a temperatura do ar. Por isso. Aqui os painéis solares revestem todos os telhados e mesmo o campo de futebol. por isso gostam de lá viver. mais propriamente em Vauban. mas a diferença é recuperada em cerca de 6 anos.GEOGRAFIA – 9º D . através da poupança de energia. São as “Casas Passivas”. construídas a pensar no conforto e poupança de energia. Eléctricos e bicicletas dominam as ruas pois lojas e escolas ficam todas muito perto. Com estas preocupações ecológicas criaram-se novas oportunidades de negócio. É muito agradável viver num local onde não há automóveis estacionados à porta de casa. a cidade na Alemanha que a seguir se apresenta é por enquanto uma excepção à regra – é considerada a cidade mais ecológica da Europa. As janelas são de boa qualidade e com bons caixilhos. Estas casas não produzem CO2 e captam a energia solar transformando-a em aquecimento e electricidade. Andar de bicicleta é mais normal do que de carro. Os telhados são revestidos co0m painéis solares e foto voltaicos. Há uma empresa que se dedica a transformar em electricidade os resíduos biodegradáveis. O processo demora entre 3 a 4 semanas: as bactérias fermentam os Pedro Miguel Ribeiro de Sousa – 23 . produzindo mais energia do que a consumida e a que sobra é vendida ao fornecedor local. O principal é terem uma boa construção com isolamento de pelo menos 30 cm. marido e filhos escolheram vir para cá. 3 borrachas e 3 vidros. estão prestes a esgotar-se. na Alemanha. Em Vauban os carros não circulam nas zonas residenciais ou onde é permitido não podem andar mais depressa do que os peões. Transportes e casas tornam o espaço diferente. É em Freiburg. É um bairro criado de raiz há 17 anos. Claro que estas casas são mais caras do que as outras entre 10% e 20%. baseado nos parâmetros da ecologia. A opção tem que ser esta porque os recursos energéticos tradicionais. Não faltam turbinas eólicas. onde vivem 5000 pessoas. a 3 km do centro.

ou será apenas uma obsessão para alguns? Há habitantes que afirmam haver muitos preconceitos para quem vive em Vauban. Vauban em Freiburg ainda é apenas visto como um local extravagante.“Casas Passivas” obedecem a parâmetros ecológicos . mas a vida é perfeitamente normal. Será que no futuro quase todos vivem assim. não se sabe quando. Por vezes é mais difícil explicar aos outros que pensam que os moradores são “loucos” ou fanáticos” por uma ideologia ao viverem lá.Peritos garantem que poupança de energia compensa o investimento .Carros não circulam nas zonas residenciais de Vauban .Residentes de Vauban são apontados como “loucos” ou fanáticos. Pedro Miguel Ribeiro de Sousa – 23 . para já.GEOGRAFIA – 9º D .Cidade alemã de Freiburg considerada a mais ecológica da Europa . pode ser que o modelo passe de excepção a regra.Todas as casas com painéis solares e foto voltaicos .Casas construídas a pensar na poupança de energia . mas. uma espécie de parque temático de diversões ecológicas. Um dia.Preocupações ecológicas criam novas oportunidades de negócio .5000 Pessoas vivem no Bairro ecológico construído de raiz . Frases: .resíduos e assim produzem gás que é transformado em electricidade e entra na distribuição.

Investigador francês François Galgani afirma que este lixo irá ficar por muito tempo. pelo que poderão ficar no fundo do mar durante centenas de anos. Tal como dos mamíferos do Oceano Pacífico. no Oceano Pacífico. No Mediterrâneo. Pedro Miguel Ribeiro de Sousa – 23 . A partir daí. Ele ficou estupefacto quando pela primeira vez se apercebeu de que havia plástico no estômago de uma ave. cá em baixo há 3 milhões de toneladas de lixo à deriva e 80% é plástico. mas que se desfaz em pedaços cada vez mais pequenos. Estatísticas demonstram que nesta zona metade das espécies de focas e leõesmarinhos acaba por ser estrangulada. O plástico até já afectou o zooplâncton – o elemento mais básico da cadeia alimentar dos oceanos. o resultado de 60 anos de consumo é fruto da poluição das 3 últimas gerações. factores que ajudariam a decompor o plástico. Nos mares as Medusas já quase mal conseguem nadar. O cenário à superfície terrestre é de enormes quantidades de detritos de plástico. avaliou cerca de 3000 aves de praias de 8 países do Mar do Norte e verificou que 95% alimentavam-se de lixo: nylon. os voluntários do Centro de Mamíferos Marinhos conseguem salvar todos os dias. como na costa da Califórnia.GEOGRAFIA – 9º D . Os detritos do Continente americano são sugados em remoinho juntando-se ao lixo da Ásia e amontoam-se perto do Hawai. Neste e noutros mares. Oito espécies de baleias também sofreram acidentes provocados pelo plástico.Sopa de Plástico: 3 milhões de toneladas de lixo no Mar Mediterrâneo Estamos no Mar Mediterrâneo. dezenas de animais. incluindo sufocar. especialmente em grande profundidade porque há muito menos oxigénio e nenhuma luz. também se pode falar das aves marinhas do Atlântico. Um cientista dedica-se desde há 20 anos ao estudo dos Pombaletes – uma espécie comum no norte da Europa. Uma equipa de estudo descobriu que todo o lixo gira numa grande espiral pelo menos durante 10 anos. longe das praias paradisíacas lá em cima. mas nem todos. bocados de sacos de plástico ou mesmo plástico industrial. Há uma sopa permanente de plástico que flutua nos mares ao sabor das correntes e nunca se decompõe.

Especialistas garantem que plástico leva séculos a decompor-se no mar . Cada km2 de oceano contém dezenas de milhares de fragmentos de plástico e.Mamíferos marinhos afectados na costa da Califórnia . sobretudo na forma como afecta os seres humanos.Poluição marinha invade toda a cadeia alimentar até ao Homem. Frases: . há uma razão: cada habitante do planeta consome em média 90kg de plástico por ano.Lixo da América e da Ásia arrastado por correntes para o Pacífico . Pedro Miguel Ribeiro de Sousa – 23 . o que levantas um enorme leque de questões. Os cientistas já conseguiram demonstrar que não há uma única zona do planeta que não tenha sido afectada.Uma bióloga marinha lembra que as pessoas não comem necessariamente estes peixes. se assim é.GEOGRAFIA – 9º D .3 Milhões de toneladas de lixo no Mar Mediterrâneo .Aves marinhas do Atlântico alimentam-se de plástico . mas comem o peixe que se alimenta deles.

esta cidade ajuda a preservar o equilíbrio dos ecossistemas e a pensar no nosso futuro. através dum processo natural de fermentação por bactérias que liberta gás o qual é utilizado para a produção de energia eléctrica. Desde logo a sua localização a 3km do centro da cidade Freiburg e rodeada pela Floresta Negra: há equilíbrio entre o homem e a natureza. apenas eléctricos e bicicletas. estes investimentos tornam-se rentáveis em cerca de 6 anos e são geradores de novas oportunidades de negócio – é o desenvolvimento sustentável. mas concretamente pouco se tem feito para reduzir essas situações.GEOGRAFIA – 9º D . Economicamente. Para isso os telhados foram revestidos com painéis solares e foto voltaicos que captam a energia solar e a transformam em aquecimento e electricidade. A Pedro Miguel Ribeiro de Sousa – 23 . é um bairro que começou a ser construído de raiz há dezassete anos. do efeito de estufa. Esta é mais uma preocupação ecológica de não poluição dos solos ou das águas e do aproveitamento dos resíduos. Desta forma a população evita o efeito de estufa (aumento da temperatura na baixa atmosfera) provocado pelo dióxido de carbono que retém radiações de grande comprimento de onda. na Alemanha. O excedente de electricidade é vendido ao fornecedor local. e esse futuro deve ser iniciado já hoje. Resumindo. com base em parâmetros ecológicos. Há ainda muitas turbinas eólicas para a produção de mais electricidade. do aquecimento global. Muito se fala acerca das alterações climáticas. Os resíduos biodegradáveis gerados na cidade são transformados em electricidade numa empresa criada para o efeito. As casas também não lançam CO2 para a atmosfera. Assim. Os carros não circulam nas zonas residenciais e onde podem não é permitido andar mais depressa do que os peões. Não há viaturas no bairro.Comentário a “Alemanha tem a cidade mais ecológica da Europa” Este é um bom exemplo de como deverão ser pensadas as cidades para o futuro. os habitantes não estão a contribuir para o esgotamento dos recursos fósseis como o petróleo e o gás natural. Vauban. uma vez que produzem mais energia do que consomem. para que a actividade humana tenha o menor impacto ambiental. e ao mesmo tempo não estão a libertar produtos nocivos para a atmosfera que iriam contribuir para as chuvas ácidas que destroem florestas.

por minimizar a produção de lixos e resíduos e por tratá-los adequadamente e não os libertar para o meio ambiente .caso contrário toda a Terra será posta em causa. não há luz. O zooplâncton – elemento mais básico da cadeia alimentar dos oceanos também já foi afectado. como elo final da cadeia alimentar.GEOGRAFIA – 9º D . Neste momento cabenos a nós proteger os espaços naturais e procurar um desenvolvimento sustentável. Este género de poluição acontece aqui e noutros mares. no Oceano Pacífico. como os da costa da Califórnia. pedaços de sacos de plástico e até plástico industrial. a grandes profundidades. Uma equipa de estudo descobriu que todo o lixo gira numa grande espiral pelo menos durante 10 anos. Há uma sopa permanente de plástico que flutua nos mares ao sabor das correntes e se vai desfazendo em pedaços cada vez mais pequenos. na medida em que se alimentam de peixes. Os impactos ambientais aqui referidos são fruto da actividade humana durante apenas 3 gerações que não tiveram preocupações ecológicas. levanta-se a questão de que forma os seres humanos. que passa. Isto é a evidência de que todos os Mares e Oceanos estão interligados.Comentário a “Sopa de Plástico: 3 Milhões de toneladas de lixo no Mar Mediterrâneo” No Mar Mediterrâneo há 3 milhões de toneladas de lixo à deriva e 80% é plástico. Pedro Miguel Ribeiro de Sousa – 23 . desde logo. O problema dos plásticos nos mares e oceanos é que acabam por provocar acidentes na fauna marinha. Os detritos do Continente americano são sugados em remoinho juntando-se ao lixo da Ásia e amontoando-se perto do Havai. poderão ser afectados. Assim. pelo que a poluição das águas numa região irá afectar toda a Hidrosfera. São números surpreendentes e assustadores. Estes plásticos demorarão centenas de anos a ser decompostos porque no fundo do mar há muito menos oxigénio e. Este exemplo demonstra que a poluição das águas degrada o ambiente marinho. tais como estrangulamento de focas e leões-marinhos e mesmo sufocar baleias. afecta as cadeias alimentares com o consequente desequilíbrio dos ecossistemas. As aves marinhas também são afectadas uma vez que no estômago de muitas aves têm sido encontrados bocados de lixo como nylon.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful