O Culto do Evangelho no Lar

artigo publicado na revista “Reformador”, Ed. FEB

JAQUELINE S.

LEAL FONSECA

“Orar em família é ver derramar-se sobre ela o cálice aurífico dos céus, acondicionando-nos nesse imenso bojo de ventura que o Cristo traz a visitar-nos.” – Tereza de Brito (1) Conta-nos o Espírito Neio Lúcio (2), pela psicografia de Francisco C. Xavier, que Jesus, quando se asilava provisoriamente na casa de Simão Pedro, percebendo que o teor das conversações já descambava para a improdutividade, tomou das Sagradas Escrituras e, após colocações simples, por meio das quais trouxe à realidade daqueles Espíritos a importância do instituto doméstico, desenrolou os Escritos Divinos e convidou os familiares de Simão à palestra edificante e à meditação.

Iniciava-se o primeiro culto cristão no lar. Mas, o que é o Culto do Evangelho no Lar?
Segundo André Luiz, na obra Desobsessão (3), trata--se de “estudo da Doutrina Espírita, à luz do Evangelho do Cristo e sob a cobertura moral da oração”. O Culto do Evangelho no Lar (CEL) é o momento semanal em que, beneficiando-nos da companhia dos nossos familiares que comungam dos mesmos princípios religiosos que nós, podemos elevar o nosso pensamento ao Mais Alto através da prece reconfortante e do estudo e debate de problemas corriqueiros, do âmbito familiar ou social, à luz do Evangelho de Jesus decodificado pelo Espiritismo. É “a festiva oportunidade de conviver algumas horas com os Espíritos de Luz que virão ajudar-te nas provações purificadoras, em nome daquele que é o Benfeitor vigilante e Amigo de todos nós ”. (4)

Bom, mas para que serve o CEL?
André Luiz, no livro Conduta Espírita (5), diz que “quem cultiva o Evangelho em casa, faz da própria casa um templo do Cristo.” Em primeiro lugar, podemos colocar o que os Espíritos nos dizem com relação às bênçãos familiares que podem ser recolhidas desta prática cultivada em várias religiões, que é a da leitura e interpretação dos textos do Evangelho. Os momentos de culto são dedicados exclusivamente ao reduto doméstico. Portanto, ali os seus componentes estão à vontade para discutir suas dores e seus problemas, as dificuldades vividas no dia-adia e interpretá-las à luz da Doutrina Espírita. É um momento de intimidade, de troca de boas vibrações e de bons sentimentos, é um momento em que a Espiritualidade Amiga se destaca para acompanhar aqueles Espíritos que estão em luta juntos, na romagem carnal, a fim de que eles possam recolher os melhores benefícios daqueles minutos. Orando juntos, segundo a nossa querida Tereza de Brito, no livro Vereda Familiar (6), nós nos utilizamos “das formidáveis bênçãos que movimentamos para o equilíbrio e para a presença da luz em nosso cenário doméstico”. Então, podemos concluir que o CEL contribui para a manutenção do equilíbrio e da paz doméstica. Joanna de Ângelis, no livro Florações Evangélicas (7), coloca que, mesmo num ambiente familiar conturbado, em que existe a evidente reunião de Espíritos não afinados, quando se institui a presença de Jesus naquele lar, esta “(...) produz sinais evidentes de paz, e aqueles que antes experimentavam repulsa

pelo ajuntamento doméstico descobrem sintomas de identificação, necessidade de auxílio mútuo.” Durante o CEL, a família restaura suas forças despendidas ao longo da semana, enquanto eleva o padrão vibratório da casa, unificando os laços familiares por terem a oportunidade de partilhar conhecimentos e dores.

E no Âmbito Espiritual, qual a repercussão do CEL?
André Luiz, no livro Os Mensageiros (8), cap. 37, conta-nos que, após presenciar o CEL de D. Isabel, uma devotada companheira de Nosso Lar que ainda estava encarnada, cuidando de três filhos, e cujo marido a amparava e guardava o seu lar do Plano Espiritual, foi para o jardim de sua casa e observou curiosa cena. Ameaçava tempestade e, naquele momento, entidades de aspecto desagradável, algumas com formas até um tanto quanto aterradoras, arrastavam-se para sua direção, mas quando se aproximavam, recuavam, amedrontadas. Intrigado, perguntou ao seu Mentor, Aniceto, a razão daquela fuga repentina, como se tivessem aquelas entidades se encontrado com algo aterrorizante. Aniceto, com toda a sua paciência e amor, disse a André Luiz que aqueles irmãos eram os “seres vagabundos da sombra”, que procuravam asilo nos dias de tormenta, porque ainda muito ligados às sensações grosseiras da carne, e por isso, os aguaceiros os incomodavam tanto quanto a nós encarnados. Disse que eles buscavam preferencialmente as casas de diversão noturna, sendo que as residências abertas também eram por eles penetradas, porque as viam como que da mesma matéria que lhes constituía o perispírito. Aumentando, ainda, os conhecimentos de André Luiz, complementou Aniceto: “Toda vez que se ora num lar, prepara-se a melhoria do ambiente doméstico. Cada prece do coração constitui emissão eletromagnética de relativo poder. Por isso mesmo, o culto familiar do Evangelho não é tão-só um curso de iluminação interior, mas também processo avançado de defesa exterior, pelas claridades espirituais que acende em torno. O homem que ora traz consigo inalienável couraça. O lar que cultiva a prece transforma-se em fortaleza, compreenderam? As entidades da sombra experimentam choques de vulto, em contato com as vibrações luminosas deste santuário doméstico, e é por isso que se mantêm a distância, procurando outros rumos...” (Destaque nosso.) Joanna de Ângelis diz, em seu livro Messe de Amor (9), página “Jesus Contigo”, que nós distendemos da nossa casa a luz do Evangelho para o “mundo atormentado”. E diz, ainda mais, que a casa que ora beneficia a rua inteira, e que num prédio, um único apartamento em que haja CEL é capaz de iluminar todo o edifício. Portanto, para que resguardemos o nosso lar dos Espíritos salteadores e vagabundos das Trevas, formando barreiras vibratórias capazes de os isolar, e para que possamos distender aos nossos irmãos que sofrem os benefícios que colhemos com a prece, mantenhamos o Culto do Evangelho.

E como podemos fazê-lo?
Joanna de Ângelis, na mesma página (10), fala-nos: “Prepara a mesa, coloca água pura, abre o Evangelho, distende a mensagem da fé, enlaça a família e ora.” Todavia, indispensável que tomemos das palavras de Jesus como base para os comentários principais da noite. André Luiz, no livro Os Mensageiros (11), cap. 35, conta--nos o que assistiu no Culto do Evangelho em casa de D. Isabel. Disse o nosso Benfeitor Amigo que, primeiramente, a filha mais jovem proferiu a prece, ao que se seguiu que a filha mais velha leu uma página instrutiva consoladora e, logo após, uma nota triste do noticiário comum. Quando a leitura acabou, D. Isabel abriu o Novo Testamento, como se estivesse procedendo ao acaso, mas, em verdade, André Luiz viu que o marido de Isabel, do Plano Espiritual, intervinha

diretamente na abertura do Livro Sagrado, ajudando a focalizar o assunto da noite. E D. Isabel leu um versículo do Evangelho e o comentou, com o amparo de um Benfeitor Espiritual que a inspirava, fazendo alusão ao que a filha mais velha lera como página inicial e ao episódio triste do jornal leigo. No livro Renúncia (12), romance mediúnico ditado por Emmanuel ao nosso querido Chico Xavier, Alcíone, protagonista da citada obra, em Culto do Evangelho na casa de seu pai, contara que quando vivia sob tutela do Padre Damiano e de sua mãe, na Espanha, “nunca nos reunimos no culto doméstico sem suplicar o socorro da inspiração divina” e que liam “apenas um versículo de cada vez e esse mesmo, não raro, fornecia cabedal de exame e iluminação para outras noites de estudo.” Dá agora para perceber por que Emmanuel escreveu quatro livros* comentando apenas um versículo de cada vez, em cada leitura edificante que fazemos... Podemos, assim, concluir que, ao colocarmo-nos confortavelmente em torno da mesa com copos de água pura, a fim de que seja devidamente fluidificada, podemos proferir uma prece simples, e proceder à leitura de página edificante, de um recorte de jornal ou alguma reportagem de revista, além do versículo do Novo Testamento para que possamos, através dele, elucidar o que lemos previamente. Contudo, podemos utilizar-nos dos recursos literários disponíveis na Doutrina Espírita, quais sejam: livros cujas páginas ou mensagens são lidas antes da prece inicial; leitura e comentários de O Evangelho segundo o Espiritismo ou do Novo Testamento; livros infantis que poderão ser utilizados por aqueles que têm filhos pequenos, dando-lhes, assim, o ensejo de participação ativa no CEL, lendo eles próprios alguma passagem de um livro infantil edificante, que conte alguma história do seu dia-a-dia na escola e que tenha a ver com o tema da noite, além do contato com o conhecimento espírita e a moral cristã contida no Evangelho de Jesus. Ao final, que seja proferida a prece de agradecimento. E não podemos esquecer de fixar um horário e um dia da semana específicos para o mister, o qual não deverá ser burlado nem relegado ao esquecimento. Joanna de Ângelis, na já citada página do livro Messe de Amor (13), é clara ao nos informar: “Não demandes a rua, nessa noite, senão para os inevitáveis deveres que não possas adiar. Demora-te no Lar para que o Divino Hóspede aí também se possa demorar.” (Destaque nosso.) É importante frisar que o CEL não é um momento para manifestações mediúnicas, salvo em situações extremas, em que se faça necessário a um Mentor Espiritual dar algum recado mais importante. Apesar de o CEL beneficiar alguns companheiros desencarnados que, porventura, estejam em nossa casa ou sejam trazidos até ela para se beneficiarem dos ensinamentos da noite, como exemplifica André Luiz no livro Entre a Terra e o Céu14, é muito importante que nos abstenhamos de dar passividade a Espíritos sofredores no âmbito doméstico, por ser medida de resguardo do lar, que não possui os aparatos devidos para as medidas de socorro necessárias a esses irmãos. Que os nossos companheiros desencarnados em sofrimento se manifestem na reunião mediúnica do Centro Espírita, que é a sua clínica de psicoterapia em grupo, sob a égide dos ensinamentos de Jesus.

Mas, e se só eu em casa sou espírita? Então não há CEL na minha casa?
Tereza de Brito, por intermédio de José Raul Teixeira, no livro Vereda Familiar (15), fala que “caso os seus familiares não concordem, por serem adultos e pensarem de maneira diferente, não se iniba. Ore e vibre com Jesus você sozinho, seja nos seus aposentos de dormir ou em alguma parte da casa onde você possa recolher-se por alguns momentos.” E se nos lembrarmos de que Joanna de Ângelis disse que podemos beneficiar um prédio inteiro, uma rua toda, o que não faremos àqueles que não participam do CEL mas vivem sob o mesmo teto que nós! “Se os teus se negarem compartir o ministério a que te propões, a sós, reservadamente na limitação de tua peça de dormir, instala a primeira lâmpada do estudo evangélico e porfia...” 16

Nós somos responsáveis pelos nossos tutelados e responderemos se.. S. Pelo Espírito Neio Lúcio. cit. 23.. 1993. sob a tua tutela. 7 FRANCO. 15. Vereda Familiar.. preferencialmente desde bem pequenos. quando já comecem a ensaiar o entendimento das coisas. p. Estudo Evangélico. 37. VI. p. III.. p.. é a verdadeira ligação com os Mentores Espirituais. 166 p. ed. 6 Op. 37. basta que esteja cumprindo sua “escala” semanal no Centro Espírita e que. Os Mensageiros.. 1997. 3 _______. a força necessária para resolver os problemas familiares de difícil solução. ed.. Salvador: LEAL. todavia. os teus filhos estiverem. para que seu lar esteja devidamente protegido dos ataques dos Espíritos levianos e zombeteiros. Divaldo Pereira. é importante. ed. cap. José Raul. 22. Rio de Janeiro: FEB. o espírita desavisado. cap.. Pelo Espírito André Luiz. porque a sua prática significa a proteção que o lar necessita contra as investidas das trevas. Salvador: LEAL. 96. 37 de Os Mensageiros 17. sem Deus. 163. 62. Pelo Espírito Tereza de Brito. 1987. para que se habituem à rotina semanal e para que incorporem tal hábito. 8 XAVIER. imprescindível mesmo. 14 XAVIER. Pelo Espírito André Luiz. ed. Messe de Amor. independentemente do número de vezes que compareça ao Centro Espírita. citadas anteriormente. o aumento da cordialidade entre os que vivem sob o mesmo teto. Vale ressaltar que. cap. 37. Os Mensageiros. assim.. Messe de Amor. 1995. 2a parte. p. 13 FRANCO. cap. Vereda Familiar. 3. p. Francisco Cândido. 19. ou basta só freqüentar o Centro e ler os livros doutrinários? Por vezes. 213 p. cap. que é a Lei de Deus. 24. não creias na validade do conceito de deixá-los ir. 63. 248 p. Divaldo Pereira. Francisco Cândido. Pelo Espírito Joanna de Ângelis. 2001. É nosso dever levar a eles uma educação moral com base na Lei Natural. independentemente do número de membros da família que ora unida. Instituamos o Culto do Evangelho em nossos lares. 1996. 99. Salvador: LEAL. cap. Fráter. p. o importante. diz que não devemos assim proceder quando temos filhos sob nossa tutela: “Se. cap. Os Mensageiros. por acaso. 11 XAVIER. 5. ed. Rio de Janeiro: FEB. cap. 37. 25. Francisco Cândido. Desobsessão. que muito contribuirão para que se mantenha o clima de paz e harmonia que se segue aos minutos de leitura do Evangelho. o “pão da vida” de que Jesus nos falou. ibidem. 33. contida no Evangelho de Amor que o Cristo nos legou. levando-o. 158 p. Rio de Janeiro: FEB. 2001. para que. 2001. 99. Rio de Janeiro: FEB.. 5 XAVIER. 4 FRANCO. p. 155 p. cap. p. 134 p. vestuário e moedas. ed. E levemos aos irmãos que ainda não o cultivam a informação dos benefícios que ele proporciona. cit.. 239. 464p. 6. ensinando-os. ed. Divaldo Pereira. 1998. antes de dormir. 1995. 70. 9 FRANCO. Estudo Evangélico no Lar.Em contrapartida. é importante mesmo que o espírita faça o CEL todas as semanas. o alimento espiritual (. 19. eles têm que participar do CEL.. oferta-lhes. Rio de Janeiro: FEB. 15 Teixeira. É através do CEL que colhemos os benefícios de apaziguamento das animosidades no lar. 162. 8. José Raul. ed. 17 XAVIER. aquele que realmente nos sacia a fome de luz. Entre a Terra e o Céu. Rio de Janeiro: FEB. Portanto. é a boa intenção na sua prática. ed. em especial quando pouco estuda as obras da Codificação e complementares. 35. mais famílias possam recolher as luzes que nós já começamos a receber. 59.S. Entretanto. 37. Jesus no Lar. 37. Rio de Janeiro: FEB. medicamento e instrução. cuidando de nossos filhos para que lhes seja dado o devido encaminhamento religioso. igualmente. 1. 16 Op. Divaldo Pereira. que todo espírita faça o CEL. p. ed. Referências Bibliográficas: 1 TEIXEIRA. ao íntimo de seus futuros lares. cap. 3. Conduta Espírita. cap. cap. Rio de Janeiro: FEB. E afinal. 192 p.. Pelo Espírito Emmanuel. 268 p. ed.)”. acha que. 25. cap. 59. Família. Florações Evangélicas. o estreitamento dos laços de consangüinidade. p. a posteriori. 12 ________. ainda. 2001. Francisco Cândido. eles falharem por omissão nossa. é a freqüência na sua realização e a mudança de atitude dentro de casa. Como lhes dás agasalho e pão. cap. cap. .. É mediante o CEL que o nosso lar adquire aquelas barreiras magnéticas mencionadas por André Luiz no cap. 333. 1994. 2 XAVIER. Francisco Cândido. p. sem religião. 3..O. ajudando-os nos dois ou três primeiros cultos. faça a sua prece. e que realmente dá valia às potencialidades magnéticas e vibratórias do Culto do Evangelho no Lar. Renúncia. p. cap. Pelo Espírito Joanna de Ângelis. Niterói: Ed. Francisco Cândido. ed. 20. 10 Idem. Pelo Espírito Joanna de Ângelis.

de Emmanuel. Luz no Lar. Sinal Verde. o Livro dos Espíritos. etc. de C. de Emmanuel. de diversos autores. o grupo familiar deve apoiar-se em obras de conteúdo edificante. Palavras de Vida Eterna. Minutos de Sabedoria. como. de Batuíra. de Emmanuel. por exemplo. servindo principalmente à ampliação do conhecimento da Doutrina. Para leitura complementar. comentados à luz da Doutrina Espírita. de Allan Kardec. de diversos autores. Torres Pastorino. Estude e Viva. isto é. Nele encontramos as leis morais. ROTEIRO Iniciar a reunião com uma prece simples e espontânea. de Emmanuel. norteando nosso viver de acordo com as leis do Criador. como. São os textos do Evangelho de Jesus. de religião e de época. de André Luiz. de Emmanuel.BIBLIOGRAFIA DE APOIO AO EVANGELHO NO LAR Na realização do Evangelho no Lar. por exemplo: Fonte Viva. Para alcançar o objetivo da reunião. visando à reflexão recomendam-se os livros de mensagens e outros. universais e eternas. Coragem. Mais Luz. que optará por aquele com que mais se afinize e que provoque nos participantes maior interesse em ler e estudar. de raça. Minutos de Luz. que funcionam como bússola. Além deste. Torres Pastorino. tem sido o grande eleito. que serão comentadas à luz do conhecimento e da moral cristã. "O Evangelho Segundo o Espiritismo". A escolha do livro fica a critério do grupo. Encontro Marcado. Roteiro. de C. os demais livros da Codificação podem ser utilizados. independentes de cultura. Calma. de Emmanuel e André Luiz. .

buscando sempre a essência dos ensinamentos de Jesus e aplicação na vida diária. Encerrar com uma prece. conforme os objetivos do Evangelho no Lar. Quando houver crianças. "O Evangelho da Meninada". na casa. revistas. pelos presentes. amigos e necessitados. "Alvorada Cristã". OBSERVAÇÕES. Cuidados: Uma vez escolhidos. Assiduidade e pontualidade são importantes para o bom contato com o Plano Espiritual. familiares. Grupo Espírita Batuíra – São Paulo . acusações ou desvio para outros assuntos. CUIDADOS E SUGESTÕES Observações: A escolha do local. tranqüilidade e equilíbrio. no transcorrer da reunião. hóspedes (podendo-se convidá-los a participar da reunião). compromissos de última hora. O tempo de duração é flexível. Música suave pode contribuir para melhor ambientação. Tomar todo o cuidado para não criar polêmicas. Não transformar a reunião em trabalho mediúnico.Proceder à leitura de um tema edificante. podendo variar à vontade. O dia da semana e o horário mais adequados a todos os participantes devem ser escolhidos livremente. auxiliando as vibrações e preces. no sentido de harmonia. deve atender exclusivamente à conveniência do grupo familiar. o dia da semana e o horário de realização do Evangelho no Lar devem ser respeitados. é recomendável que se escolham livros apropriados com "Jesus no Lar". etc. Podem ser feitas leituras complementares alternativas (jornais. paz. Não transferir ou suspender a reunião em virtude de visita inesperada. Fazer comentários ao tema lido. Fazer vibração pelo lar onde realizada a reunião. Sugestões: Pode-se colocar água para ser fluidificada pelos Espíritos presentes. atualidades) que ofereçam conteúdo adequado à reflexão.

gravidez na adolescência. essa influência é na maioria das vezes prejudicial. negativa. influenciando-lhes direta ou indiretamente o comportamento e como em regra geral somos devedores da Lei maior. do que em sala de aula ou com atividades úteis à formação de seu caráter como membro ativo da nossa sociedade. investindo tudo na formação intelectual dos nossos filhos e esquecendo-nos de que eles são antes de tudo filhos de Deus. chegaremos à triste conclusão de que nós pais somos os grandes responsáveis pelo comportamento equivocado de nossas crianças e jovens. a televisão assumiu na atualidade o papel de companheira e educadora de muitas de nossas crianças e jovens. entre outros tantos exemplos que podem ser citados. rico. Infelizmente. sexo feminino ou masculino. como se a escola tivesse a capacidade de substituir o papel de nós pais. professores e. não podemos esquecer também que eles são Espíritos reencarnados. e que por razões diversas nem sempre conseguem atender convenientemente as carências das crianças. atitudes tais que nada de positivo acrescentam na formação de um comportamento educado. que caracterizam esse comportamento inadequado que infesta nossa sociedade em todas as suas camadas. ódios. que passam mais tempo assistindo a programas sem nenhum conteúdo moral e quase sempre recheados de pornografia e violências. Há. bebida.. a situação das crianças filhas de pais separados. para que cresçam e se desenvolvam de forma . desleixo. para que tivéssemos mais tempo para a busca desenfreada de aquisições da posse de bens materiais para nosso deleite. como deveria ser. e ainda colaboram para esse comportamento rebelde.Disciplinar educando Texto de José Francisco Costa Rebouças É bastante comum nos dias de hoje. teimosia. que devem ser lapidadas por todos nós responsáveis perante Deus pela sua educação e aprimoramento. indiferença. pois se tratam em muitos casos de forma desrespeitosa na frete dos próprios filhos. pichações. perniciosa. palavrões. não sendo privilégio de negro. é normalmente relegada a segundo plano ou transferida para a escola. entregou-nos esses espíritos em forma de criancinhas indefesas. disputas judiciais. trazendo tendências e aptidões desenvolvidas em vidas passadas e que os mesmos possuem afetos e desafetos no mundo espiritual. desejo de vingança. Foi por essa razão que Deus. com brigas infindáveis. Por conta dessa atitude irresponsável. etc. ainda. da sociedade em geral sobre o comportamento indisciplinado de crianças e jovens de todas as faixas etárias. fumo. pobre. iniciação sexual precoce. que até certo ponto explicam os problemas apresentados por nossas crianças e jovens. trazendo consigo tendências e aptidões. olhando o problema de forma neutra e raciocinada. na formação moral de nossos filhos. preguiça. A formação moral. seres eternos. branco. Considerando essa variedade de fatores. pois eles são tão somente o reflexo de uma sociedade desordeira que ajudamos a construir. brigas. a Inteligência Suprema. prontas para que pudéssemos amoldá-las sob nossos cuidados desde cedo. que empurram um para o outro a responsabilidade da educação dos filhos. o comentário de pais. desrespeito aos mais velhos.

os continentes gelados se derreteriam. o que não é recomendado. consertar o que quebrou. precisamos partir do seguinte princípio: o crime não é o criminoso. É com a disciplina reparadora que a criança conseguirá ser um adulto realizado. Por isso é que se faz imprescindível procurarmos desenvolver a disciplina no aspecto Preventivo. O homem deve se espelhar no exemplo que nos dá a mãe natureza que possui uma disciplina sem a qual os mares invadiriam as regiões continentais. diz que residem no instinto de conservação exagerado e no desconhecimento do passado e do futuro do Espírito. só esse conhecimento pode minimizar a crença na superioridade individual. e que. etc. nos lares onde os pais corrigem com violência seus filhos. estendendo-se por todas as fases do desenvolvimento biopsicossocial da criança.equilibrada. Como bem descreveu a respeito dessa forma de disciplinar Pedro de Camargo no livro O Mestre na Educação. inevitavelmente não promove. libertando-se de sentimentos de culpa. de regras a serem respeitadas. que é na verdade do que mais carece. que é aquela trabalhada pelos pais desde a gestação. A verdadeira disciplina a ser desenvolvida por nós pais há de ser um dia aquela que leve com amor e carinho os nossos rebentos a Reparar. faz-se mister que os pais comecem a estimular em seu filho a disciplina externa que é necessária para estruturar a interna pois que a criança entregue a sí mesma dificilmente se disciplina. envolvendo-o em vibrações de amor e paz. nos leva a incorrer num grave erro de associar disciplina a surras e agressões. e o pecado. nos países onde o crime é punido com outro crime (pena de morte. Assim como se combatem as enfermidades e não os enfermos. que é aquela aplicada nos presídios. À medida em que o pequenino ser vai crescendo. fazendo sempre a ação contrária e correta a que foi considerada uma indisciplina. desculpar-se com quem ofendeu. as cadeias alimentares entrariam em desequilíbrio. acariciando-o desde sua concepção quando ainda na barriga de sua futura mãe. o mal que hajam praticados de maneira a corrigir o que errou. que conduzimos em nosso cerne. conscientizado do seu erro. que se localizam no Espírito Imortal que Allan Kardec. não somente no aspecto físico do pequenino ser. o vício. o doente não é a doença. da censura . pois esse tipo de postura já é violência e não disciplina. o pecado não é o pecador. os planetas colidiriam uns com os outros e que o não seguimento das lições que recebemos por obra da vida incessante. afirma: "os castigos ministrados com raiva até acentuam a revolta da criança. "Para bem agirmos em prol do saneamento. Esta é a única forma que entendemos como capaz de ir até as causas reais da indisciplina.. É necessário que ela perceba na correção de que é objeto o propósito de seu aperfeiçoamento”. a presença e o exercício da autoridade paterna e materna é indispensável na construção da sua autonomia. É agindo desde cedo no cuidado com a educação de nossos filhos. motivo pelo qual aqui está de volta.. manifestando o sincero desejo de receber o futuro filho. o vício não é o viciado. destacando-se nessa fase a colocação de limites.). nem remove as causas da indisciplina. assim também se deve combater o crime. e buscando de maneira adequada a extinção da ação negativa. o orgulho e o egoísmo. que evitaremos mais tarde o recurso duro da disciplina no seu sentido Punitivo. e não o criminoso. nas palavras de Joanna de Angelis. espiritual. o viciado e o pecador". mais e principalmente no aspecto moral. repor o que retirou. Theobaldo Miranda Santos no livro Noções de filosofia da Educação.

. os seus amigos. do trabalho e da justiça. abrindo pela esperança o caminho da reabilitação. desde o berço. as vezes dizendo por dizer: você é má. vindo a sofrer de depressão. Agindo assim. pode anular o efeito destruindo-lhe a causa". Elas . mas só a reparação.. o ser. Com que carinho ela mostrava o desenvolvimento da criança. por se julgarem mal amadas. usando palavras duras. o ventre. porque também são doentes. sendo tratados com tranqüilizantes São muitos os exemplos de mães que. para o positivo. igualzinho ao seu pai! Muitas vezes essas crianças tornam-se neuróticas. estruturando sua disciplina interna e utilizando seu livre-arbítrio sempre para o bem. os seus professores! Hoje os pais julgam estranho o comportamento dos filhos. habitado por homens inteligentes e bons regidos pela disciplina da paz e do amor. adoram gritar com as crianças. ou melhor. você não presta! E se estão-se separando dos maridos. Finalizando. Portanto. também receberam educação errada. (. do jovem e do adolescente: Muitos pais. se pretendemos fazer da terra um mundo feliz. Muitos pais não gostam de dar uma palmada no seu filho. O suicídio entre adolescentes tem aumentado e os jovens estão sofrendo distúrbios emocionais. que começa a construir sua própria identidade: se os pais o consideram um débil mental. mas estes não são os únicos culpados. O arrependimento suaviza os travos da expiação. As mães não querem assumir a maternidade. as três condições necessárias para apagar os traços de uma falta e suas conseqüências. Estas crianças sentem o abandono dos pais e vão ficando agressivas nos colégios. a família deve urgentemente voltar a viver como família: pais respeitando filhos e filhos respeitando pais. pois vivem se embelezando e raras noites ficam em casa. solidificada nas ações nobres do respeito.) Uma jovem psicóloga iniciou uma palestra sobre educação da criança. Todos os pais devem tomar cuidado especial com as palavras usadas para qualificar os filhos. são crianças que mordem. não estão preparados para educar. por Luiz Sérgio. por efeito da baixa estima. essa agressão surte um efeito dramático na criança ou no jovem. diz-nos em O Céu e o Inferno. Allan Kardec. estejamos certos de que contribuiremos de maneira positiva para uma sociedade mais justa e equilibrada.social. batem e falam palavrões. há o desabafo infeliz: você é mau. expiação e reparação constituem. mas abusam do chicote verbal. ou a maioria deles. Vindo dos pais. "Arrependimento. Psicologia Infantil Texto extraído do Capítulo 14 do livro Mais Além de Meu Olhar. junto aos coleguinhas. portanto. Muitas crianças hoje quase não conversam com os pais. contribuindo para a saúde psíquica da nossa juventude e por conseqüência da nossa sociedade e por fim do nosso planeta. contudo. Existem pais que adoram chamar o filho de débil mental. isto é. imagine os outros. queremos enfatizar a necessidade urgente de investirmos cada vez mais na educação do espírito imortal. que a criança jamais esquecerá.

A busca de conforto está levando a família a uma falta de amor. como se estes não soubessem falar a sua língua. no seu grupo de colegas e no seu lar. E os jovens estão cada vez mais distantes dos mais velhos. Quando a criança é pequena. uma coitada. não têm o direito de tratar os filhos com violência. a Casa Espírita não conseguirá trazê-los para suas fileiras. Muitos pais estão distantes dos filhos. Os instrutores devem estar cientes da influência que suas palavras podem ter no discernimento de seus educandos. pois se julgam agredidas. mostrando-lhes que a Casa Espírita está ciente do que a vida está-lhe passando. sem exemplos. que a Casa Espírita conhece o mundo lá fora. enfim. porque não está certo'. mas eles. que reage com indiferença ou críticas. sem crendices. se abrirem. este faz de conta que é surdo. Os meninos na deles indo à Mocidade apenas para se divertir. fazer a criança. Hoje culpa-se muito o adolescente. A mãe que a todo momento grita o nome do filho. não faça isso. existem pais que levam os filhos à insegurança. provocam em qualquer ouvinte impaciência. A finalidade das nossas aulas é a de que. A família tem de respeitar a criança. o que está ocorrendo com eles. quem respeita é respeitado. o jovem parece ter aversão aos mais idosos. não ter vergonha de pedir desculpas e dizer o quanto o filho é amado e importante na sua vida. entristece os Espíritos que trabalham nas Casas Espíritas o comportamento de muitas juventudes ditas espíritas: as meninas quase nuas. quando os pais têm educação e não são neuróticos. Está na hora de se debater a relação entre pais e filhos e os especialistas alertam para a violência verbal. é educá-la. ignora os seus amigos. o jovem. sem o mínimo respeito a uma Casa de Oração. enfim. Falar a verdade. Existe hoje uma separação. fazem tudo para aparecer. pois o excesso de conselhos às vezes causa revolta na juventude. Ele tem razão. contar o que se passa na sua escola. o adolescente. É. Os ocupantes de um lar quase não se encontram e quando isso ocorre não sabem dialogar.querem agredir o mundo. A mãe que fala ininterruptamente serve de deboche aos filhos. Porém. O professor é . o jovem. gritos e gestos tende a aumentar o trauma nas discussões. Não que devam dar conselhos. que riem dela. e a comunicação entre pais e filhos se perde. os seus sonhos. De quem é a culpa? Da família. Eles têm de amar a Doutrina. para que escutar o que nada de bom lhe traz? Por isso as mães têm de tomar cuidado para não ficar gritando: 'Fulano! Fulano! Fulano. Explicar por que ele não deve fazer aquilo. as crianças. O trabalho da Doutrina é com a família. cansaço e revolta. ditas sem parar e com pouco conteúdo. principalmente os espíritas. Educar um filho não é difícil. por sentirem-se abandonadas. para eles. encontrar Jesus e respeitar as leis de amor a Deus. o adolescente e o jovem estão sem orientação. A finalidade é tornar a criança de hoje o grande Espírita de amanhã. duros e mal educados. ignorando mesmo se eles existem. na sociedade. porque vão provocar graves danos psicológicos. são agressivos. eles não devem se descontrolar diante dos filhos. o maior mal que a mãe lhe causa é a verborragia não só as palavras agressivas ferem a criança. em todos os grupos de evangelização infanto-juvenil os educadores passem aos educandos confiança. Hoje. o adolescente. E eles. mas também o excesso de palavras. Os pais têm de ensinar aos filhos o que é o amor. lá fora. mãe que “ Mia” é tão agressiva como a que grita e fala palavrão. A irritação que vem acompanhada de palavras. Se não for assim. Os pais. não faça isso!' O certo é a mãe aproximar-se e dizer: 'filho. que evita participar da vida dos filhos. principalmente sem ídolos.

com o que assiste no vídeo. Elas estão em busca de apoio. Não somente as telenovelas passam ao público o adultério como um fato comum. No momento atual. Por que só os Espíritas têm dificuldade em contagiar a sua família com as verdades do Cristo?” A palestrante fez uma pequena pausa e Luiz Sérgio aproveitou para refletir sobre tudo o que escutara. portanto. ou melhor. nas capas dos principais semanários. "Aquela psicóloga alertava os encarregados da Evangelização infanto-juvenil. revistas. longe do mundo louco de hoje". pelos excessos de uma propaganda descontrolada do sexo. de obsessores. para que os espíritas se inteirem do que acontece na sociedade. se o instrutor colocar-se ao lado do educando. estuda. Crianças. de influenciação. Será que a sociedade de hoje está aceitando costumes que ontem considerava obscenos. aos adolescentes. o instrutor é um homem igual a ele. de ter de sofrer a perda de seus órgãos? Precisamos levar até o mundo físico um pouco de esperança e de fé. que levam as meninas de quatorze anos a contraírem o vírus HPV. O homem luta. que não estão atentos às informações erradas que seus filhos vêm recebendo da mídia. mesmo convivendo com os ditos “ mortos” . só falando de Umbral. Quantas meninas estão tendo os seus úteros e ovários retirados. como as revistas de homens e mulheres sem roupas fazem apologia às perversões. nas propagandas de tevê.referência. fica defronte da televisão umas dez horas. Os espíritas têm de levar para seus lares a Doutrina. como se este fizesse parte da vida do homem vinte e quatro horas por dia? Sabemos que isso não é verdade. às vezes. porque os encarregados de levar a palavra de Deus aos homens não podem se refugiar em suas Casas ou templos. perversões? Será que ninguém pára um pouco e pensa em analisar a poluição visual que vem ocorrendo. oprimidos. Porém. as transgressões atuais. As imagens claras de sexo chegam às crianças. não só mais das adolescentes. Que quer a publicidade? Vender seu produto ao público ou chocar a sociedade? Achamos que o que se vê na mídia é uma realidade cruel de falta de valores morais do homem. Se ele tem um discurso agressivo e ofensivo. outdoors nas ruas. o aluno perde a vontade de freqüentar o Centro Espírita. onde casais não têm vínculo moral um como outro. tendo o sexo como tema principal da vida. quando os valores morais da família estão sendo abafados. as doenças sexualmente transmissíveis. Dos pais. adolescentes e . ele se sentirá protegido e verá que. A publicidade hoje traduz a época atual. tem muito mais deveres a cumprir do que se perder no mundo irreal do sexo atual. Dando continuidade a sua preleção. prosseguiu: Pais e avós não podem viver culpando os companheiros dos seus filhos como responsáveis pelo que lhes acontece de errado. e quanta informação ela recebe? Será que ela deve ser educada como se inocente fosse? Claro que não. Temos de informá-la de acordo com o que vê em casa. que lesa o útero e causa o câncer. Uma criança de seis anos. trabalha. então? perguntamos. De quem é a culpa. jovens e adultos. As aulas de Evangelização devem falar do que hoje assusta os pais e educadores: a gravidez precoce. sem esperança mais de engravidar! Já imaginou a cabeça de uma adolescente nesse estado. não podemos dar uma aula de Evangelização como se estivéssemos à frente de inocentes crianças.

são minoria. para não se tornarem neuróticas. Se ontem as crianças quebravam os brinquedos. é uma profissional. brigavam entre si. aqueles que ainda possuem família. Porém. que estão preocupados com a imagem que criam. seus pais tinham de deixar as crianças destruírem seus lares. as adolescentes. que lutam com os homens no mercado de trabalho. Hoje. violentadas. Principalmente a mulher mãe de família não deve esquecer que aquela que está nua nas revistas. Por que isso vem ocorrendo? E a publicidade excessiva da sexualidade. tanto chamado para a libertinagem? Onde fica a verdade para as crianças. Esses sabem que a sociedade violenta de hoje tem por causa a liberdade excessiva dada aos filhos. as agências de publicidade acham que sexo vende. que acham tudo amoral correto. acham engraçadinho. O tempo se encarrega de provar que tudo o que não tem um freio se precipita no abismo da dor e do remorso. boas irmãs e ótimas profissionais. dando aos filhos explicações seguras do que é certo e do que é errado. eu quero “ ficar” . e mesmo os adultos. Portanto. Se ninguém faz sexo vinte e quatro horas do dia. Temos a certeza de que não. E é isso o que estamos colhendo hoje. com M maiúsculo. por que tanta propaganda. e as autoridades competentes o que fazem para defender a família? Porém. criá-las sem limites. se elas existem. amigos e familiares. Não têm tempo de se dedicar às práticas sexuais vinte e quatro horas por dia e se sentem fracassadas. porque a realidade da vida do homem não está só no sexo. mas todos os homens adoram um colo materno e sonham com uma mulher inteligente e digna. estão sendo iludidos por uma propaganda enganosa. endeusada pela mídia. as crianças. os adolescentes e os jovens e ninguém está tentando fazer algo por eles. só faltam fazer de mamadeiras. estas mulheres têm problemas sérios de estresse. assustava-se quando isso acontecia. ganha para isso. e a mulher é a maior vítima da libertinagem que atualmente assola o Planeta. os adornos dos lares. antes. as jovens ou as adultas desejar imitá-la. As mulheres de hoje. porque a mídia cobra da mulher um comportamento completamente impossível de ser real: a mulher fatal. E sabemos que. Até quando isso irá acontecer. Acreditamos que o homem logo estará saturado de todo esse lixo que hoje polui a mente de todos. agredidas por namorados. de bisnetos. tomavam os lares um inferno. são felizes. para os adolescentes e para os jovens? Os Espíritos que trabalham no plano físico sabem que há crianças de sete anos que dizem ao namoradinho do colégio que lhe dá um beijo no rosto: eu não quero só beijo. as mulheres que enfeitam as capas das revistas e dão conselhos sobre sexo. porque surgiu uma teoria de que. A sociedade. É comum encontrarmos nos lugares públicos pais e avós cuidando de netos. enfim. boas filhas. As verdadeiras mulheres. Existe algo certo e algo errado? O que pode ser considerado errado para um é certíssimo para outro. não são as preferidas dos homens? Podem até ser. E os pais riem. A cada hora dão entrada nos hospitais crianças estupradas. Não podem as donas de casa. mas agora ninguém se assusta mais. são boas mães. Sua parte intelectual é muito mais ativa do que muitos pensam. quem deve hoje defender o seu lar é a família. é o seu trabalho. que enfeitam os outdoors com poses sensuais. Mesmo sabendo que não é ético. Sabemos que existem aqueles que estão resistindo a essa poluição visual. as maiores vítimas são as crianças. mulheres em pose sensual fazem propaganda de refrigerante. O melhor é analisarmos se todos aqueles que se dizem liberados. de caramelos. a mulher desejada. porque os verdadeiros pais são . não podem deixar de lado as obrigações familiares: filhos e casa. com o passar dos anos a violência saiu dos lares e chegou às escolas e à sociedade.jovens.

através da televisão. encontrando-se bem longe de compreender a grandeza da Doutrina. O verdadeiro espírita já foi apresentado a Deus e bem conhece Suas leis: amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo. Será que elas vêm recebendo o amor que deve fluir dos corações quando nos propomos a trabalhar em prol dos nossos irmãos? Hoje. frisamos: vamos sair um pouco dos nossos gabinetes e olhar o mundo lá fora. na era moderna. mas esclarece o quanto o álcool. A Espiritualidade sempre escuta alguns Espíritas dizerem: somos liberais.. quais são os seus valores. Com pesar. comentam alguns e dizem os publicitários: a sociedade está mais sofisticada. em nossos lares. imagens de outras crenças falando horrores do Espiritismo. vestes de antigos . que não brinque com os Espíritos. sem colocar armadura de soldados romanos. como destroem a família. Como ignorar esses fatos? Por isso precisamos amar a Doutrina como ela é: pura e cristalina.. Se ele ainda não sabe amar. e não é preciso ir longe. exige mais. que busquem outra crença. champanhe e vinhos caros!. sua idade: dez anos. seus filhos e netos nada querem com Jesus. a Casa Espírita não pode ignorar a droga. E a poluição visual está na rua e nos lares. mas não possuírem valores morais. porque esses fatos estão em quase todas as famílias. Por que muitos que falam a palavra do Senhor também não encontram tempo para educar seus filhos? São espíritas nas Casas Espíritas. e eles. é o acesso às leis morais. está na hora de alertá-los de que ninguém deve viver sem Deus. enfrentando a realidade. que mostram um garoto sendo ridicularizado porque é bom aluno e não tem tempo de namorar. não obrigamos nossos filhos a nada. mostrar os caminhos por onde passaram os grandes homens e descobrir o valor dos verdadeiros espíritas que já tivemos e temos em nossas fileiras. É comum filhos de espíritas se dizerem espíritas. Vamos avaliar os atos de nossos filhos. Eis por que os irmãos aqui se encontram: para serem alertados e levarem o pedido de socorro para que os espíritas se unam. o que acham da Doutrina. Se não gostam do Espiritismo. Só que não param por aí. o adolescente. a Espiritualidade vem constatando que a família de poucos espíritas freqüenta uma Casa Espírita. é coisa de adolescente . a Doutrina nada proíbe. Que todas as Casas se levantem em prol da família.. se o filho chega “ doidão” . Devemos levar até a criança. Vamos conscientizar a família das belezas do Espiritismo.crianças ainda. Isso passa. continuarão “ ficando” . estão no mar do materialismo. E a família. basta assistir. moderninhos. que não conseguiram transformá-los em homens de fé. O Espiritismo precisa de corações que amem e que lutem para viver as lições do Mestre . O que precisamos é olhar quem busca a Doutrina e dar-lhe o muito que aprendemos. O “ nada” é a Doutrina. não pode ensinar ninguém a ser bom. Será que o jovem espírita está-se conscientizando do que a Doutrina ensina: o respeito à encarnação? Quantos espíritas ainda acham que alguns tragos de bebida nenhum mal lhes causam. sem maturidade para assumir um filho.. Sabemos que a Doutrina é uma cascata de luz... Mesmo os trabalhadores. dizendo aproveitar a vida. o jovem. o fumo e a droga fazem mal ao homem. Também nos lares chegam.. por isso não devemos esquecer as nossas Casas. porque as imagens claras do sexo provocante estão por toda parte. que qualquer espírita pode dar festas regadas pelos mais finos licores. Se eles consideram seus pais apenas espíritas. tudo está-se tornando mais que natural. o adulto. buscando as informações. Por isso. a não ser quando está precisando. passiva. que a Doutrina nada proíbe. mas ninguém da família vai ao Centro. Eles têm razão. Se a família acha que não tem condição de postular os ensinos espíritas. a grandeza dos livros doutrinários. nem mais se importa se a filha não volta para casa. às ditas novelas de televisão. não podem ficar de fora. o sexo e a gravidez na adolescência.

a porta para a verdadeira vida. Algumas Casas Espíritas serão caluniadas. Infelizmente. Certos . que não destrói criaturas. A Doutrina cristalina esclarece quando diz ao homem que ele é eterno e o túmulo. o sexo livre. tomar-se melhor. entre treze e dezenove anos. Não é essa a tarefa da Doutrina. expondo-se a doenças sexualmente transmissíveis. as rádios. estudo. jogar fora o materialismo. estudo. Portanto. o quanto é verdadeira. Se hoje deparamos com o crescimento da gravidez na adolescência. cegos de orgulho e vaidade. alguns espíritas fazem campanhas contra os livros que tratam do assunto. é fazê-lo reencontrar-se com Deus. A pureza doutrinária está na dignidade dos homens que têm a incumbência de usar a tribuna. exército este composto de plêiades de Espíritos que têm. Por incumbência levar o homem à Terra Prometida. médiuns respeitáveis serão vítimas de obsessores encarnados. que se julga madura o suficiente para fazer sexo. muitos espíritas não conhecem a verdadeira finalidade da Doutrina. para divulgação das belezas dos ensinamentos do Cristo. roupa de Pilatos. o quanto ela elucida sobre a vida e a morte. Esses Espíritos mensageiros estarão sempre ditando mensagens para que os carteiros levem até os médiuns as orientações do mais Alto. guiados pelo Mestre verdadeiro. os jornais. para que Jesus consiga colocar as mãos sobre os seus olhos. A missão do Espiritismo é a de apresentar o homem a Deus. mesmo se dizendo modernos. é preciso levar grupos para fazer palestras. Que caminho é esse? O caminho do amor. distribuir panfletos e responder perguntas dos alunos. A Doutrina está bem longe dessas coisas. porém. O que buscam as crianças. deve-se pensar nas conseqüências. o quanto consola. Por que os Espíritos estão alertando a família e mandando às Casas Espíritas o alerta? Porque sua finalidade é salvar o homem. e sim falar da beleza da Doutrina. ainda não acreditam que seus filhos de treze. Se um Espírito levanta a bandeira contra as drogas. dizendo que não é essa a finalidade da Doutrina. da perfeição. com obsessores. Os pais. E àqueles que só desejam celeuma. pois alcançarão muitas vitórias. Também nos colégios. É isso o que o homem está buscando. os jovens e os adultos nas Casas Espíritas? o caminho. as nossas preces. Muitos momentos difíceis viverão os espíritas em terras brasileiras. Se perguntarmos aos jovens: “ seus pais lhes passam alguma informação?” Eles responderão: “ não. E todos sabem que no Brasil a Aids já afeta mais de quatro mil e quinhentos jovens. porque esperam voltar a ter esperança na salvação. na minha casa meus pais são muito fechados. antes de fazer sexo. A Doutrina Espírita não existe para que alguns julguem que apenas as suas palavras terão o poder de transformar um espírito trevoso e mau. a televisão. mas nem por isso devemos desejar “ morrer” . O certo seria a família colocar limites em seus filhos e orientá-los de que. a falta de limite nos lares. que não critica. que não mata sonhos. pois não estão usando preservativos. não possui corpo nem mente prontos para isso. não vamos fazer ameaças com umbrais. O que mais preocupa a Espiritualidade é a falta de orientação familiar. mesmo vivendo em um mundo difícil. que vem protegendo os homens desde os primórdios da Humanidade. torná-lo bom. não se contaminem e lutem pela Doutrina. ornamentos de Herodes e ficar atirando pedras nos companheiros. eles nem imaginam que há muito já tenho vida sexual ativa” . isto é. o Cristo não deixará sem amparo o exército de Deus. e muitos deles o estão encontrando nas promessas de um “ reino de Deus” e tudo fazendo por essas seitas.cardeais. significa que os jovens estão mal informados. Digamos aos jovens espíritas brasileiros que. os adolescentes. catorze anos já têm vida sexual ativa. O de que mais está precisando no Espiritismo é estudo. Ela veio à Terra com a mesma tarefa de Moisés e de Jesus: a de levar o homem à Terra Prometida. As autoridades têm de lembrar que uma menina de onze ou doze anos.

julgando-as de sua propriedade. Não queremos acreditar que falte aos espíritas estudo e trabalho. Não foram os espíritas que criaram os Espíritos. Também os que se armaram para defender a “ Igreja” que diziam ser do Cristo. sobre a imortalidade da alma. enxergá-Lo. porque só éramos simples e ignorantes quando estávamos caminhando pelos reinos da Natureza. Preciso e que aquele simpatizante.oradores dizem que os espíritas cantam e dançam de alegria quando alguns dos seus desencarnam. Se ela não adentrou nossos corações e nada aprendemos. Mesmo nos dizendo espíritas. E por que alguns oradores espíritas desejam passar para o público que a morte é natural para todos os espíritas? Não é verdade. a alma teme o momento do desencarne. mas até hoje não encontramos Jesus. trazendo as mensagens. então nada mudou em nossas vidas. As Casas espíritas precisam alertar a todos que a finalidade da Doutrina Espírita é a melhoria do homem. A Doutrina tem por finalidade nos instruir. Ao contrário. para nos tornarmos realmente Seus filhos. e que o compromisso de uma alma é intransferível. estes escreveram os seus nomes com a tinta do sangue dos inocentes. deixamos de ser ignorantes. ao nos conhecer. curioso ou espírita se conscientize de que o Espiritismo é o encontro com Deus. receberam. mas deixando cair do Alto. o Criador incriado de todos nós. A cada dia o manto da verdade se aproxima dos ombros curvados dos homens do Planeta Terra. O espírita precisa somente disso: ser bom e digno. Se Deus nos mandou Seu filho primogênito para que nEle pudéssemos mirar. como o Espírito teme a reencarnação. O Espiritismo é o encontro com Deus. Ele prometeu aos Seus apóstolos que não os deixaria sozinhos. Todos aqueles cuja vaidade. Jamais aquele que ficou parado para observar o trabalho do próximo foi o vencedor nem os que crucificaram o Cristo receberam o aplauso da Humanidade. e aqueles que ficam choram e sofrem. talvez por isso ainda não compreendemos a Doutrina Espírita. e feliz aquele que não se curvar diante das responsabilidades a que foi chamado. trazidas pelos Espíritos. pois quão dura é a jornada e quão áspero o caminho. tiveram seus nomes apagados no Plano Maior. a sua peregrinação pelas vidas sucessivas. o estão para aprender a viver as leis morais. que Jesus prometeu fazer brilhar no coração da Humanidade. e cumpriu Sua promessa. soberba e ganância fizeram com que se apossassem das revelações. e eles chegaram em época certa. Aí. envergonhados ficamos com tantos defeitos que ainda possuímos. Os homens encarnados. Aos espíritas foi dado saber de onde tirar as informações sobre o Universo de Deus. atiramos pedras na cruz e no próximo. e Ele. Por estar trancafiado em um corpo carnal. ao contrário. que o Consolador viria até o plano físico. os Seus apóstolos. sentirmos o Criador. Essa é a realidade que o verdadeiro espírita tem de passar. sim. que entregou as cartas aos Espíritos mensageiros. sobre Sua bondade. não podemos nos dizer ignorantes. as palavras divinas. que todos os que estão mergulhados em um corpo de carne. só estudando-a vamos nos conhecendo e. não conseguiram saber o que . Perguntemos a um médium sério se ele tem medo de “ morrer” e responderá que sim. por toda a Terra. assombrados. sobre a vida e a morte. Por mais espiritualizado seja o homem. em forma de estrelas cadentes. estaremos fazendo um mal imenso a esta Doutrina divina. não depositando os ensinamentos em um só homem. os Seus discípulos. Quando o Cristo voltou para o Mundo Maior. e não a fantasia da indiferença com a morte. que trazemos na consciência. foi Deus. não Se cansa de ensinar aos Seus filhos a viver as leis morais. Desde o momento em que se acendeu a luz da nossa consciência. como o grande Pai. tiramos o véu que oculta as verdades divinas. Com pesar constatamos que poucos ainda são os que a respeitam como ela merece. o desprezo. a busca da verdade. Espiritismo não é entretenimento nem busca do sobrenatural. porque a pedra que não é usada se perde nas estradas da vida. ele está no mundo físico e teme deixá-lo. Ao chegarmos à Doutrina.

Antes só existia o mediunismo. carregando uma só bandeira. Os espíritas precisam se unir para a grande jornada da renovação do Planeta. Mas ele. a do Amor. Jovens Difíceis José Argemiro da Silveira. como faz um zeloso jardineiro. Por que os espíritas não estão se unindo. Se a maior propaganda que Jesus fez foram os Seus exemplos. não importando se nossas mensagens serão guardadas no coração dos nossos irmãos. e foi então que surgiu a Doutrina Espírita. Item 9. As trevas não estão preocupadas com as outras crenças. tem um caráter ainda mais odioso. os ídolos. A história se repete e o edifício vai sendo construído. e outros encarnados. o ungido por Jesus. Que Deus nos ampare” . os espíritas precisam lutar para colocar o telhado. quando assim o deseja. o Espiritismo veio lançar luz sobre um dos problemas do coração humano”. Outros ramalhetes foram-se formando. ela chegou como fonte de luz. dos feiticeiros. E isso ele fez. Essa nossa palestra é uma súplica para que os ocupantes de um lar aprendam a dialogar para que não ocorra a separação. dos profetas. foram catalogando as estrelas cadentes repletas de luz e as levando até Allan Kardec. que com pesar estamos presenciando nos tempos modernos: os jovens julgando os pais antiquados. do Evangelho Segundo o Espiritismo) . 14. chamado carinhosamente de o Livro dos Espíritos. as estátuas. são acusações sérias. que age como se fosse uma lixa que alisa a alma do homem. sim com o Espiritismo. o misticismo. Moisés recebeu os cinco primeiros livros da Bíblia. até completar o Pentateuco Espírita. é sob esse ponto de vista especialmente que vamos encará-la para analisar-lhe as causas e os efeitos. os espíritas têm de fazer o mesmo. do mesmo modo que. O Plano Maior está envidando esforços para a unificação da palavra de Deus no coração da Humanidade. captaram as mensagens. cap. Juntou o primeiro buquê de estrelas. e ninguém está vendo o que vem acontecendo em todas as cidades brasileiras. que cada pai de família ofereça a seus filhos as verdades espíritas. Agora. mas a dos filhos com relação aos pais. A hora é agora! Os contraditores não falam mansamente. espantando as trevas da morte. tirando-lhe as imperfeições. que denigrem o Espiritismo. Mas a Doutrina surgiu. Que este não seja um telhado de vidro e sim um telhado de bons exemplos. Só esta bandeira derruba as desavenças religiosas. Allan Kardec.fazer. inebriados. Aqui. os avós decrépitos. Os homens. para que ele as juntasse. o faz-de-conta. É preciso que cada um seja um facho de luz por onde passa. como por toda a parte. enfim. na figura dos videntes. enfim. “A ingratidão é um dos frutos mais imediatos do egoísmo: revolta sempre os corações honestos. no primeiro chamado. derrubando a fantasia. não amando seu lar como deva ser amado: o único lugar onde ele é resguardado realmente. Lutemos em levar a verdade para o plano físico.

como último recurso. sem se alarmar.Há muito tempo. ainda. numa palestra. Diz Emmanuel: “Compadece-te dos filhos que pareçam diferentes de ti. exatamente para tentarem a reconciliação. Meu filho. já eram filhos de Deus. muito influirá no seu comportamento e desempenho. lhe pedir ajuda. portadores de dificuldades diversas. mas o Espírito não procede do Espírito. O que fazer? . Nesses casos. Se o “conflito de gerações” sempre existiu no mundo. não só a convivência se torna difícil. mas resolvi. Ele pode renascer numa determinada família por questões de afinidade. (1) E Herculano Pires. ou mesmo pedir como tarefa. a narração do seguinte fato. o seu grau evolutivo.Tema atual o comportamento dos jovens. Aceita-os como são e auxilia a cada um deles na integração com o trabalho em que se façam dignos da vida que vieram viver. Antes de te surgirem à frente por filhos de teu amor. antes de serem filhos dos pais terrenos. quanto possível. a educação que recebe são fatores importantes para o seu encaminhamento na vida. respondeu. contado como verídico: 'Um senhor adentra o consultório de um psiquiatra. não nos obedece. reencarnem no mesmo lar de suas vítimas.. cujo Amor Infinito vela por todos nós. ultimamente se envolveu com drogas. obedece a planejamento cuidadoso efetuado no plano espiritual. a fim de que se mantenham por esteios vivos de rendimento do bem no Bem Comum”. pois ele não dá condições de diálogo. que prejudicaram ou forma prejudicados no passado. os exemplos. e ainda conservando ódio. Muito se fala no problema da “crise da adolescência”. considera: “O amparo dos pais não pode ser dado por meio de imposição e autoritarismo. mas a bagagem que o Espírito traz. cujo Amor Infinito vela em nós e por nós. Ampara-os sem imposição e sem violência. para acabar com estas desavenças que impedem o progresso espiritual. Os pais só poderão ampará-los se tiverem amor suficiente para compreendê-los e ajudá-los sem exigências. para realização de tarefas em conjunto. ou algozes do passado. É bom refletir sobre a contribuição da Doutrina Espírita para o assunto. ou naquela família. agora se mostra mais violento porque o tempo da tirania está no fim e porque a era de transição em que vivemos acentua nos jovens os anseios do futuro. e. desejos de vingança. na atual existência. sob pena de deixar de ser amparo para se transformar em tirania. Ainda mesmo quando evidenciem características inquietantes. Pode acontecer. A carne procede da carne. se rebelou contra mim e a mãe dele. de um determinado casal aceitar. com a finalidade de auxiliá-los na evolução espiritual. Os filhos. Está vendendo utensílios de nossa casa para adquirir a droga. (1) Ouvimos. A maneira como a criança é recebida no lar. como também o trabalho da educação. Esta é também uma hora de aprendizado para os pais. mas pode ocorrer também que espíritos inimigos. estou para dar um fim em minha vida. O fato de o Espírito renascer nesta. são filhos de Deus. E só o amor verdadeiro pelos filhos pode socorrê-los”. indagou-lhe: Há quanto tempo você não conversa com seu filho? . não estuda e não trabalha. receber como filhos Espíritos menos evoluídos. jovem de 18 anos. Para desfazer a inimizade. o pior. e muito nervoso diz ao médico: Dr. sobre o assunto. abençoa-os e orienta-os. .O médico. invade sua sala de consultas. devido a bagagem que o Espírito traz do passado. Este vem ao plano físico para evoluir.

pois se nem sequer conversamos. inclusive reencarnatórios impedem que as crianças e jovens consigam o seu desenvolvimento pleno. e quer ajudá-lo. mas resolveu tentar. vai treinando. Algumas vezes os pais lutam para conseguirem a independência dos filhos mas problemas vários.Qual a última vez que você abraçou seu filho? . encontrou seu filho. em sua casa. Assim. ele pode não lhe corresponder ao abraço. É necessário tornálos independentes. (Jornal Verdade e Luz Nº 169 de Fevereiro de 2000) As crianças e o futuro Heloísa Pires.Francisco C. diga-lhe que o ama. e o companheiro deste. sem exigências”. abrace seu filho. integrados à sociedade. aproximou-se do companheiro do filho e o abraçou.Vá para sua casa. O consulente achou estranha a orientação. sua esposa adentra a sala e ele também a abraça. Era um esforço muito grande daquele homem. procurou mudar de vida. na companhia de outro jovem que lhe vendia a droga. tentando a solução de um problema que parecia insolúvel. dali por diante. a incapacidade de resolverem problemas sozinhos. (1) Na Era do Espírito . preparados para continuarem a caminhada com tranqüilidade. emocionados. que. abraçando árvores. perceberam que algo importante estava ocorrendo ali. Algum tempo depois. Aquele homem. Xavier e J. numa crise de desespero. seu filho. apesar de tudo. Herculano Pires (item 8). de sorte que sua esposa. e quando abraçar seu filho não se desapontará se ele não lhe retribuir. A situação criada acabou por sensibilizar o jovem. esforçando-se para não tomar uma atitude violenta.O médico volta a indagar: . Se você não conseguir abraçar o filho. O médico sugeriu: .Há muito tempo. que também não correspondem. . vai treinando. filho do casal. Nós só gostamos de abraçar aqueles que correspondem ao nosso afeto. Como o relacionamento com o seu filho não está bom. foi ao encontro do filho e o abraçou. E começaram a chorar. Os pais provavelmente farão a grande viagem antes dos filhos. O egoísmo faz com que muitos pais estimulem a submissão nos seus filhos. Herculano Pires tem razão quando acentua que “os pais só poderão ampará-los se tiverem amor suficiente para compreendê-los e ajudá-los. abraçando árvores.

Por causa da família Mônica vai enfrentar problemas dispensáveis que teriam sido evitados se os pais. Mônica melhorou muito mas ainda traz as seqüelas do desamor que enfrentou na infância e juventude. psiquiátrico. Uma encarnação que se tornou difícil por causa do egoísmo do grupo familiar. ser respeitada para conseguir se expressar no respeito ao próximo. A moça realizava todas as tarefas com propriedade mas sem amor. A jovem foi orientada a passar por um tratamento espiritual. melancólica e indiferente para com todos. Foi para a escola e logo criou antipatia em relação à sua pessoa. Considerava-se incapaz. Mônica começou a afastar-se da vida. queria fazer amigos mas não conseguia. tem medo de amar e ser rejeitada. bem alimentado. Conseguiu alguns amigos.Os pais precisam permanecer atentos para identificarem os processos de desequilíbrio nos filhos auxiliando-os com os recursos da "horizontal" e da "vertical" para libertá-los dos problemas. desagradável. Por sorte encontrou uma casa na qual alguns indivíduos especiais estavam aprendendo a entender Jesus. Como a vida seria mais fácil se entendêssemos que "é necessário fazer aos outros o que desejamos que os outros nos façam. Perceberam por trás da antipatia de Mônica a necessidade de ser amada. não conseguia ficar interessada nos desenhos e brincadeiras que encantavam as outras crianças. Para ilustrar melhor o que escrevemos vamos relembrar histórias reais de indivíduos que estão com dificuldades várias na possibilidade da conquista da paz interior. Com dificuldade está reconstruindo a auto imagem positiva e a certeza de que todos somos especiais. bem vestido. Aos cinco anos Mônica era uma menina antipática. psicológico. limpo. A mãe contratou uma babá e entregou a menina para a estranha. Continuou desinteressada pelas lições e pelos colegas. indesejável. A ciência oficial prova que Mônica sentiu no útero a não aceitação de sua mãe e a indiferença do seu pai. Não dispensamos o tratamento médico. Começou a participar de um grupo e pela primeira vez sentiu-se uma no meio do grupo que a amparava. Mônica luta para resolver seus conflitos e inseguranças. O pai agia da mesma forma. sobretudo o espiritual para que o indivíduo consiga a expressão necessária ao desenvolvimento das suas potencialidades. Encontrou alguns jovens que a aceitaram embora com reservas. Nasceu muito miúda e chorona.. O bebê estava sempre impecável. transformou-se em uma mocinha insuportável. dignos de amor e respeito." Apenas isso: tratar os nossos filhos com o respeito e amor que .. Tecnicamente falando a babá era ótima. pedagógico e. Não conseguia fazer amigos. Aos dezoito anos encontrou uma professora bondosa que a orientou para comparecer a uma casa espiritualista. que vieram preparados para a vitória auxiliassem Mônica em suas necessidades básicas: amar e ser amada. Desejava melhorar na escola e parecia impossível. Mônica A menina foi rejeitada pela mãe que já possuía dois filhos e não queria mais nenhum. faltava o principal: AMOR. Na adolescência continuou isolada e difícil. Uma mágoa a afasta da família que não a amou ou compreendeu. Iniciou também uma terapia com uma psicóloga e uma mudança começou a ocorrer lentamente. A mãe demonstrava claramente que amava os dois meninos e que não suportava Mônica.

Ordenava a ele que saísse do seu corpo e ele retrucava telepaticamente que não sairia. e que Mônica entenda a importância da maternidade. deformara o seu corpo e perturbava o seu sucesso profissional. Evocação.R. A mãe continuava criança mimada e incapaz de amor e dedicação. preparado para a vitória.R. como diz O Livro dos Espíritos.desejamos para nós. Sete meses se passaram e o feto não resistiu às agressões e nasceu. . O pai fora embora por não suportar o egoísmo e agressões daquela mulher estranha e Murilo ficou só. aos dezoito foi internado em uma clínica especializada e começou a desejar sarar.Evocado a pedido do senhor Jobard.. Foi uma guerra mental. um Espírito muito elevado em sua vida. Aos dezenove anos iniciou a sua dependência de drogas. um verdadeiro apóstolo espírita. A revolta criou dificuldades para o feto e os problemas aumentaram: desejava abortar e só não tentou de forma mais eficiente com medo de complicações físicas. que foi.. Mas inúmeras vezes expulsou Murilo do pensamento. A mãe continua mergulhada nela. A luta continua com períodos de internação e outros fora do hospital. infelizmente.deve estar pelo menos em Júpiter.. egoísta achava que ele viera para atrapalhar. . disse ele. O seu desenvolvimento foi realizado em creches nas quais. Os problemas continuaram. Eu estou errante. Tentou empurrar Murilo para as avós mas elas não aceitaram. Repetiu vários anos escolares o que mais enfurecia a mãe que não o amava e dizia em alto e bom som que filhos só servem para dar trabalho. (Publicado no Correio Fraterno do ABC Nº 361 de Fevereiro de 2001) O doutor Muhr Morto do Cairo. consiga atingí-la. Era.. E o pai? Ele vai ser o próprio juiz quando amadurecer mais. Agora iniciou também o tratamento espiritual. Vibramos para que Murilo. Murilo Ainda no útero Murilo começou a sentia a rejeição da mãe. 1. médico homeopata. em 4 de junho de 1857. Teríeis a bondade de nos dizer onde estais? . 2. Quantos problemas poderiam ser evitados através de atitudes maduras e realmente civilizadas. É a nossa Mônica da outra historinha. Estou aqui. . não conseguia aceitar o amor que lhe era oferecido pois estava muito magoado com o desamor que o deixara doente. Ela não o aceitava de maneira alguma.

o senhor Jobard? . Entendia por seres que podiam se materializar e tomar formas fantásticas.R. dentre vós. Prefiro acreditar não merecêlo.R. Foi no ano passado.Essa resposta é uma prova da superioridade desse Espírito. isso o fará feliz. em sua vida. que querer avançar muito depressa num mundo superior. Sim. possa servir de exemplo àqueles que. Jobard me deu uma nova prova de simpatia. seguem o rastro do progresso. somente que os designava sob o nome de gnomos.R. possam tomar formas materiais fantásticas? -R.R. 8.R. 10.R. disso tenho agora a certeza. Quais aparências podem tomar? . 7. Mais do que nunca. gosto melhor de dizer agora Espírito em vez de gnomo.Nota. Será por vossa própria escolha que ireis para um mundo inferior a Júpiter. . É uma aparência material tangível. Credes que quando reencarnardes. Lembrai-vos do vosso amigo. . ou uma pura aparência como nos sonhos ou nas visões? . Credes nisso sempre? . estou freqüentemente perto dele. O senhor Jobard nos pede vos perguntar se estais satisfeito com o artigo necrológico que escreveu sobre vós? . 6. escrevendo isso.R. Sim. e cumprir uma missão em um mundo menos avançado. que pensais agora da homeopatia? . e desse gênero. 9.Durante a sua vida. Credes ainda que esses Espíritos. 5. Um pouco mais material do que nos sonhos. 13. mas sei que isso não se faz freqüentemente.R. era dessa natureza? . sob forma de homem ou de animal. mas gnomo é uma palavra que pode parecer ter muito da magia. ireis a Júpiter? . eu lhe agradeço muito. Uma vez que. eras homeopata. esse Espírito me é dos mais simpáticos.R. Irei para um mundo que não se iguala ainda com Júpiter. Sim. 12.R. que conduzirá vosso globo à perfeição. 4. Sei que chegarei à perfeição. e desejo que o quadro.R. Que entendeis.Não sabemos se.3. Quando eu lhe transmitir essa resposta. Homeopatia é o começo das descobertas de fluidos latentes. as aparições que poderiam muito amedrontar não podem ser tangíveis. ao passo que agora ele se serve da expressão mais genérica de Espírito.R. . ele acreditava nos Espíritos e em suas manifestações. um pouco exagerado de virtudes e de talentos que ele fez. mas é evidente que agora ele entende falar da forma vaporosa e impalpável das aparições. Nota. pelos gnomos? . 11. Deus não o permite. Muitas outras descobertas tão preciosas se farão e formarão um todo harmonioso. ou por que não mereceis ainda ir para esse planeta? . que chamáveis gnomos durante vossa vida. A aparição do Espírito de Bergzabem. em vossa vida. Nota. 14. Eu o sei. Animais: diabos. . ela concorda com que nos disse o padre Ambroise: que há mais mérito em pedir uma missão num mundo inferior. ele acreditava que os Espíritos podiam tomar uma forma tangível. é o que faz com que eu goste mais de ser modesto. em vossa vida. 15. porque ele tem sempre uma grande afeição por vós? . Foi no dia 4 de junho deste ano que morrestes? . porque há pessoas que poderiam se tornar loucas se vissem as aparências que esses Espíritos podem tomar.

9. ache graça. dê esta desculpa: "Nunca consegui dominá-lo!". Nunca lhe dê qualquer orientação religiosa. quando crescer. (Publicado na Revista Espírita . Disso resulta que ha fluidos cujas propriedades nos são desconhecidas ou passam desapercebidas. E a pedra do obreiro que dei à obra. roupas. Isso o fará considerar-se interessante. Faça tudo para ele. Quando ele se meter em alguma encrenca séria. mas nem por isso menos real. Satisfaça todos os seus desejos de comida. policiais. 7. a Humanidade se enriquece de conhecimentos novos. Dê-lhe todo o dinheiro que ele quiser. Assim. 3. Comece na infância a dar ao seu filho tudo o que ele quiser. professores. . 5. porque sua ação não é ostensiva. Negar pode acarretar frustrações prejudiciais.A resposta desse Espírito sobre a homeopatia vem em apoio da idéia dos fluidos latentes que já nos foi dada pelo Espírito do senhor Badel. 8. Espere até que ele chegue aos 21 anos e "decida por si mesmo".16. para que aprenda a jogar sobre os outros a responsabilidade. 6.858 ) Como criar um Delinqüente Eurípedes Kühl Dez Regras Fáceis: 1. ele acreditará que o mundo tem obrigação de lhe dar tudo o que deseja. Que mérito dais ao vosso livro intitulado: O Médium c/o povo? . 10. com respeito à sua imagem fotografada. Apanhe tudo o que ele deixar jogado: livros. Nota. sapatos. 4. Quando ele disser nomes feios. 2. à medida que as circunstâncias lhe fazem conhecer suas propriedades. Feal . É o seu merecido destino. bebidas e conforto. Assim não ficará muito chocado quando o lar se desfizer mais tarde. Discuta com freqüência na presença dele. (Todos tem má vontade para com seu filho).Novembro de 1.R. Prepare-se para uma vida de desgosto. Tome o partido dele contra vizinhos. Ele foi criado livre e com maus costumes.Fundação Espírita André Luiz .

dão golpes sobre os barris. desses contos. vinham também roubar trigo dos celeiros para levarem à aqueles de quem gostavam. esses duendes se introduzem nas casas.Janeiro de 1. produzem suspiros lamentosos. as mais delicadas. que se gosta de contar ao lado do fogo. sem nenhuma dúvida. porque eles trazem. assoviam baixinho. Segundo a tradição popular. como os Gobelins da Normândia. ou gênios domésticos.O Gobelins . deslocam os móveis. os fenômenos. de Cluricaunes na Irlanda. e se encontrarão todos os caracteres. as cortinas de seu leito. o maravilhoso e o fantástico dos quais a superstição os vestiu ridiculamente. de Puckas na Alemanha. sem lhes injuriar. pôde e deveu se passar em outras épocas. de Bogharts na Inglaterra. É verdadeiramente curioso encontrar essa velha superstição. Que se aparte. outros mais ou menos traquinas. não faltará ter visto o pequeno demônio pendurado na campainha. da antiga Gália e entre os Borussianos do século X (os Prussianos de hoje). e causa muitos outros estragos nas casas. espertos. sem dúvida. . nessas traquinagens. teria sido. às quais parece ter aversão: "Arranca. fatos e gestos dos nossos Espíritos modernos. caber no pensamento de uma pessoa sensata tomar ao pé da letra todas as lendas. que se tem o cuidado de nutrir com iguarias. agita. que se encontra sob os nomes de Bogles na Escócia. uns bons. benevolentes. faz parte das crenças populares de todos os tempos. os Gobelins são considerados como uma espécie de fantasmas domésticos. porque o que se passa em nossos dias. sua fatia de pão com manteiga e sua tigela de leite. levado à conta do Gobelin do lugar. durante a noite. freqüentemente. como os bons Brownies'. dizemos. zombando e fazendo caretas aos tolos que iam abrir a porta. .lendas A intervenção de seres incorpóreos nas minúcias da vida privada. dessa jovem de Panoramas. dos quais somos testemunhas. sobe e desce as escadas com grande ruído." Em alguns lugares da França. do qual é provável que os autores se desculpavam em detrimento da reputação dos Espíritos . batem no teto e no assoalho. ser chamados de perturbadores? Que um fato semelhante àquele que nos reportamos. caprichosos e mesmo maus. prestativos em servir. tivesse se passado no campo. aos seus senhores. mais acima. Entretanto. todas as histórias diabólicas e todos os contos ridículos. depois de amplificado pela imaginação fecunda das comadres.à parte da indelicadeza do trigo roubado. Quem não reconhece. Seus Koltkys. etc." O Boghart dos Ingleses exerce particularmente suas malícias contra as crianças.858.quem. provam que esses próprios contos repousam sobre alguma coisa. onde procuram todas as ocasiões de brincar maldosamente: "Eles batem nas portas. não reconhecerá nossos Espíritos batedores e aqueles que podem. tiram as cobertas e as cortinas dos que estão deitados. Não pode. o trigo que furtam dos celeiros de outrem. Revista Espírita . joga sobre o assoalho as baixelas e os pratos.

senão a grande maioria dos menos evoluídos. Elementais são designados de Espíritos Elementares. Os outros. com formas especiais. elfos. pequena dimensão.* . que ainda não tiveram reencarnações na Terra. na condição de auxiliares daqueles que presidem aos fenômenos da Natureza.Divaldo Franco e os 'elementais' Entrevista com Divaldo Pereira Franco. deve-se ao fato de que a partir de então especificousse suas características reais e não fruto de folclore. que alguns vivem o Período Intermediários entre as formas primitivas e hominais. Allan kardec pôde assimilar muitas coisas. . como nós. . com importantes informações acerca dos chamados gnomos. por experiências mediúnicas. duendes. Allan Kardec interroga: “Formam categoria especial no mundo espírita os Espíritos que presidem os fenômenos da Natureza? Serão seres à parte ou Espíritos que foram encarnados como nós?” E os Benfeitores da Humanidade responderam: “Que foram ou que serão”. silfos. etc? DPF – Alguns deles. A razão desta re-nomeação.Existem os chamados Espíritos elementais ou Espíritos da Natureza? Divaldo P. após se desincumbirem de deveres que os credenciem moral e intelectualmente. elfos. reencarnações? DPF – A reencarnação é lei da Vida através de cujo processo o psiquismo adquire sabedoria e „desvela o seu Deus interno‟. porque a perfeição é meta que a todos os . portanto. Para a Doutrina Espírita. mais atrasados submetidos aos de grande elevação. . Vale lembrar que dentro da Codificação Espírita. apresentam-se. por ciclos evolutivos. lendas ou imaginações diversas. elaborando em favor do progresso pessoal e geral. que se faziam temer ou amar. Em todas as épocas eles foram conhecidos. etc. trasgos.Então eles são submetidos hierarquicamente a outra ordem mais elevada de Espíritos? DPF – De acordo com o papel que desempenham. gnomos. .Algum dia serão ou já foram homens terrestres? DPF – Os mais elevados já viveram na Terra. Os que se fixam nas ocorrências inferiores. Franco – Sim. Espíritos humanos.Entrevista .Estes Espíritos se apresentam com formas definidas. onde desenvolveram grandes aptidões. Diante destas pesquisas. tornam-se responsáveis por inúmeros fenômenos ou contribuem para que os mesmos aconteçam. pela própria atividade que desempenham. avançando sempre. dentre elas que nada de místico há. de maior ou menor inteligência. identificando-se através de nomenclatura variada. não raro. existem os espíritos que contribuem em favor do desenvolvimento dos recursos da Natureza. que os comandam e orientam. portanto. fruto de estudo e pesquisa realizadas por Allan kardec. 538 de O Livro dos Espíritos. duendes. mais materiais. como por exemplo fadas. . o que deu origem aos diversos nomes nas sociedades mitológicas do passado. médiuns e espíritos que o auxiliaram a 'trazer' as obras Básicas da Codificação e os números da Revista Espírita. reencarnar-se-ão na Terra ou outros mundos. estes seres são denominados como Espíritos Elementares. preparando-se para futuras reencarnações humanas.Quer dizer que já passaram ou passam. Na questão no. fazendo parte mitológica dos povos e tornando-se alguns deles „deuses‟ . menos evoluídos.Qual é o estágio evolutivo desses espíritos? DPF – Alguns são de elevada categoria e comandam os menos evoluídos. sátiros. Acreditamos pessoalmente. que se lhes submetem docilmente. são.

seres está destinada. inspiram a proteção à Natureza. . a fim de contribuírem com o progresso do nosso planeta. .Nós não os vemos normalmente.Qual é o habitat natural desses Espíritos? DPF – A erraticidade. os homens. À medida que evoluem. Os mais atrasados “oferecem utilidade ao conjunto” não suspeitando sequer que são “Instrumentos de Deus”. qual ocorre também com os Espíritos Nobres. que “não exerce ação direta sobre a matéria. Encontram-se em determinada fase de desenvolvimento. em suma. . *Nossa nota (Fiorella Romana). o mundo dos Espíritos .. a sua utilização nobre em favor da vida em geral. Transcrito da Revista Allan Kardec ano V . . A sua “invisibilidade” aos olhos humanos. . “fazem pela Natureza o que gostariam que cada qual fizesse por si mesmo”.. vivendo em regiões compatíveis ao seu grau de evolução. como responderam os Venerandos Guias a Kardec. é muito amplo.Uma das grandes preocupações da humanidade. que são perceptíveis somente aos médiuns. .Todos eles sabem manipular conscientemente os fluidos da Natureza? DPF – Nem todos. maremotos. “Misturam-se” aos homens e vivem. quando atuam nos elementos da Natureza. é a preservação do equilíbrio ecológico.Que tarefas executam? DPF – Inumeráveis. tornam-se agressivos e revoltados. que não são detectados por qualquer pessoa destituída de faculdade mediúnica. que lhes serve de espaço especial. Isto significa que não se revestem de matéria densa? DPF – O conceito de matéria na atualidade. fazem-se benignos e se apiedam dos adversários da vida em qualquer forma pela qual esta se expressa.O elementais são autóctones ou vieram de outros planetas? DPF – Pessoalmente acreditamos que um numero imenso teve sua origem na Terra e outros vieram de diferentes mundos. Assim. na própria Natureza. as pessoas de percepção especial.agosto a outubro/92 . Ele encontra agentes dedicados em todos os graus da escala dos mundos”. interferindo nos fenômenos “normais” da Natureza sob o comando dos Engenheiros Espirituais que operam em nome de Deus. pertencendo a uma classe própria e. chuvas. os animais. Somente os condutores sabem o que fazem e para o que fazem. atualmente. Contribuem para acontecimentos diversos: tempestades. demonstra que sejam constituídos de maneira equivalente aos demais espíritos da Criação. portanto. . na grande maioria. o desenvolvimento de recursos que a preservem. Qual a atitude ou providência que tomam quando a Natureza é desrespeitada pelos homens? DPF – Quando na infância do desenvolvimento. na questão 536-b de “O Livro dos Espíritos”. Protegem os vegetais. a algum indivíduo. susceptíveis às reações mais primitivas. terremotos.

Afinal. porque ele já tem outros dez ou vinte. É o equilíbrio que precisa existir: o reconhecimento realista de que. mesmo podendo comprar.. se perde. por que fazê-lo pensar nos outros? E. e não fazendo-o acreditar que alguém lhe dará tudo. o que representa um carrinho a mais. é preciso que desde logo ele aprenda a lutar pelo que deseja sim.. e de "mão beijada". qualquer "não" se nunca lhe fizeram crer que isso é possível e até normal? Não se defende a idéia de que se crie um ser acomodado sem ambições e derrotista. ele fatalmente terá que ser extremamente competitivo e provavelmente com muita "flexibilidade" ética.A difícil arte de dizer não aos filhos Você costuma dizer "não" aos seus filhos? Considera fácil negar alguma coisa a essas criaturinhas encantadoras e de rostos angelicais que pedem com tanta doçura? Uma conhecida educadora do nosso País alerta que não é fácil dizer não aos filhos. quando decidimos negar um carrinho a um filho. valorizando o ser. na vida às vezes se ganha. por que provocar lágrimas? Se lhe dá tanto prazer comer todos os bombons da caixa. principalmente quando temos os recursos para atendê-los. Mas quando atendemos a todos os pedidos. estamos dando lições de dominação. Caso contrário. Temos que convir que. De forma alguma. sempre. com nosso próprio exemplo. mas com suas próprias armas e recursos. estamos ensinando-o que existe um limite para o ter. o que queremos que ela seja na vida: uma pessoa que não aceita limites e que não respeita o outro enquanto indivíduo. . Portanto. para ter tudo na vida. nos perguntamos. como conseguir tudo? Como aceitar qualquer derrota. em outras. um brinquedo novo se temos dinheiro necessário para comprar o que querem? Por que não satisfazê-los? Se podemos sair de casa escondidos para evitar que chorem. Ser pai é ter uma função e responsabilidade sociais perante os filhos e perante a sociedade em que vivemos. além do mais. é tão fácil e mais agradável sermos "bonzinhos". Para fazer com que um indivíduo seja um lutador. quando adulto. Estamos. indiretamente. ou sofrendo por lhe dizer "não". um ganhador. O problema é que ser pai é muito mais que apenas ser "bonzinho" com os filhos. colaborando para que a criança aprenda. para não dizer desonesto. e.

principalmente quando temos os recursos para atendê-los. O esforço pela educação não pode ser desconsiderado.. nas atividades sociais. O problema é que ser pai é muito mais que apenas ser "bonzinho" com os filhos. membros que somos da família universal. um brinquedo novo se temos dinheiro necessário para comprar o que querem? Por que não satisfazê-los? Se podemos sair de casa escondidos para evitar que chorem. nas realizações humanas. é tão fácil e mais agradável sermos "bonzinhos". se você ama seu filho. mesmo que eles nunca cheguem. por que fazê-lo pensar nos outros? E. nos perguntamos. vale a pena pensar na importância de aprender a difícil arte de dizer não. Nunca se ouviu falar que crianças tenham adoecido porque lhes foi negado um brinquedo novo ou outra coisa qualquer. Todos temos responsabilidades no contexto da vida. Afinal. Mas já se teve notícias de pequenos delinqüentes que se tornaram agressivos quando ouviram o primeiro não. Educação A difícil arte de dizer não aos filhos Você costuma dizer "não" aos seus filhos? Considera fácil negar alguma coisa a essas criaturinhas encantadoras e de rostos angelicais que pedem com tanta doçura? Uma conhecida educadora do nosso País alerta que não é fácil dizer não aos filhos.Satisfazer as necessidades dos filhos é uma obrigação dos pais. por que provocar lágrimas? Se lhe dá tanto prazer comer todos os bombons da caixa. Estabelecer limites para os filhos. é necessário e saudável. Por essa razão.. Do livro "Repositório de Sabedoria" vol I. Vale a pena pensar na importância de educar e preparar os filhos para enfrentar tempos difíceis. . o que representa um carrinho a mais. mas é preciso distinguir claramente o que são necessidades do que é apenas consumismo caprichoso. além do mais. fora de casa.

para não dizer desonesto. colaborando para que a criança aprenda. com nosso próprio exemplo. Portanto. como conseguir tudo? Como aceitar qualquer derrota. ou sofrendo por lhe dizer "não". é necessário e saudável. o que queremos que ela seja na vida: uma pessoa que não aceita limites e que não respeita o outro enquanto indivíduo.Ser pai é ter uma função e responsabilidade sociais perante os filhos e perante a sociedade em que vivemos. se você ama seu filho. nas atividades sociais. Estabelecer limites para os filhos. mas é preciso distinguir claramente o que são necessidades do que é apenas consumismo caprichoso. e. O esforço pela educação não pode ser desconsiderado. Estamos. membros que somos da família universal. sempre. Nunca se ouviu falar que crianças tenham adoecido porque lhes foi negado um brinquedo novo ou outra coisa qualquer. É o equilíbrio que precisa existir: o reconhecimento realista de que. ele fatalmente terá que ser extremamente competitivo e provavelmente com muita "flexibilidade" ética. Satisfazer as necessidades dos filhos é uma obrigação dos pais. valorizando o ser. Caso contrário. Mas quando atendemos a todos os pedidos. quando adulto. quando decidimos negar um carrinho a um filho. De forma alguma. Do livro "Repositório de Sabedoria" vol I. para ter tudo na vida. Educação . e de "mão beijada". nas realizações humanas. Mas já se teve notícias de pequenos delinqüentes que se tornaram agressivos quando ouviram o primeiro não. porque ele já tem outros dez ou vinte. e não fazendo-o acreditar que alguém lhe dará tudo. é preciso que desde logo ele aprenda a lutar pelo que deseja sim. Por essa razão. mesmo podendo comprar. na vida às vezes se ganha. em outras. estamos ensinando-o que existe um limite para o ter. Todos temos responsabilidades no contexto da vida. mas com suas próprias armas e recursos. qualquer "não" se nunca lhe fizeram crer que isso é possível e até normal? Não se defende a idéia de que se crie um ser acomodado sem ambições e derrotista. vale a pena pensar na importância de aprender a difícil arte de dizer não. Para fazer com que um indivíduo seja um lutador. indiretamente. mesmo que eles nunca cheguem. um ganhador. Temos que convir que. se perde. estamos dando lições de dominação. fora de casa. Vale a pena pensar na importância de educar e preparar os filhos para enfrentar tempos difíceis.

Concebese a reserva à qual tivemos quanto aos nomes próprios. por um de nossos assinantes. Prometera-nos ele os detalhes mais circunstanciais. aos nossos olhos. X. foi uma atenção da qual lhe somos reconhecidos. Escrever-vos-ei de novo para completar a história se. e o grande hábito que temos de percorrê-lo sem luz faz com que evitemos tropeçar sobre os degraus da escada. Este último consentiu a se dar ao trabalho de transcrevê-las para nós. Nosso objetivo não é o de contar os fatos para encher nosso quadro. estaríamos de boa fé: quando. O corredor da casa que é muito comprido. a fim de que a autenticidade não pudesse ser contestada. essa circunstância. se estivéssemos enganados. e não se manifestam mais à minha irmã. e não são os menos interessantes. já nos dissera que cada vez que ela saía ouvia uma voz que lhe fazia discursos dos quais ela não compreendeu de início o sentido. dirigindo-lhe as de sua mãe. Há mais ou menos três meses que. nós a damos sob o benefício de inventário. Devo observar que muitos dos fatos nelas foram omitidos. e que longe de terem algum interesse em nos induzirem em erro. Saint-Esprit. tu o sabes. por isso vou darvos alguns detalhes sumários sobre os fatos acontecidos em minha família. e não cessou. mas que. Essas notícias nos foram dadas. Todo q mundo não se preocupa em atrair sobre si a multidão de curiosos. uma coisa não está formalmente averiguada. lembrando-vos do que vos disse de viva voz. amigo da família onde tais fatos ocorreram. Essa família mora perto de Bayonne. . e essas cartas foram escritas pela própria mãe da jovem. para lhe dar conhecimento do que se passava em sua casa. não puderes fazê-lo. 20 de novembro de 1858. e devemos à sua cortesia a comunicação das cartas que delas contém um relato mais detalhado. de viva voz e muito sucintamente. Meu caro amigo. tornaram-se inteligíveis. teve necessidade de sair para fazer uma compra.O Fantasma de Bayonne Revista Espírita. uma tarde. diremos que é preciso fazer uma diferença entre um jornal eminentemente sério e aqueles que não tem em vista senão agradar o público. A primeira carta é a do filho ao nosso assinante. cuja honorabilidade nos é conhecida. Ficaria penalizado em vos fazer passar por um contador de histórias junto ao senhor Allan Kardec. a menos que recebamos uma autorização formal. reserva que sempre para nós foi uma lei a observar. "Chamado em minha família pela morte de um de meus irmãozinhos. não está jamais iluminado. Creio já haver dito que as aparições cessaram há muito tempo. elas mesmas querem se instruir. por vós mesmo. janeiro de 1859 Em nosso último número. mas para esclarecer a ciência. criança de uma dezena de anos. durante o trajeto. que me distanciou desde algum tempo de minha casa. ao seu filho que mora em Bordeaux. de ouvir a mesma voz. é o atraso que tive em vos responder. Àqueles a quem essa reserva seria um motivo de suspeição. Eis as cartas que minha mãe escreveu a esse respeito. tua irmã X. que Deus acaba de nos levar." 23 de abril de 1855. não poderia ser assim quando ela emana de pessoas sérias. Algum tempo depois ela viu uma sombra. dissemos algumas palavras sobre essa estranha manifestação. mais tarde.

De dia ela não vê nada. para ter relações diretas com o invisível. tem relações quase contínuas com o invisível. outras vezes nos disse que teus amigos estavam reunidos contigo. Pediste ver-me. parece-me ouvir um sopro na cabeceira de minha cama. de outras vezes não encontrava nada. segundo ela. porque não te quero senão o bem. Ensinou-lhe um lugar onde. que me fora proposta. Gostaria de te ver. X. Muito freqüentemente. porque Deus no-lo proíbe. como em todos os seres. e a impressão que isso me fez impediu-me de dormir. uma alma que não morre e que está diante de ti neste instante. estava conformada com a revelação que lhe fizera e. Inv. X. X. À noite. e se. para te convenceres.então eu te abraçarei. mas havia nele. ficou muito perturbada e. eis a conversa que tiveram em conjunto: X. Meu irmão está morto há doze anos. Agora todo o medo desapareceu nela. Abraça- . Tu não foste esquecido nas conversações desse ser falava freqüentemente de ti e nos dava de tuas novidades por intermédio de tua irmã. Mamãe gostaria de conhecer-te também. Estou diante de ti. X. deveras responder. Vá onde ele te disser para ir. entretanto. freqüentemente. queres te armar de coragem. Sou teu irmão Elisée. e também por não ter que lutar continuamente contra as dúvidas. lamento que tenha faltado coragem à mamãe. ele nos tranqüilizava sempre que a preguiça te impedia escrever-nos. alguns brinquedos que tu verás. ela encontrou algumas peças de moedas. Várias vezes nos informou do emprego de tuas noites. X. verás diante de ti pessoas. Uma boa moral era o fundo de suas palavras. Minha criança. se não peças de moedas. que não cessa de encorajá-la ao trabalho e ao amor a Deus. Tua mãe é a minha. então. enfim. Minhas cadeiras se movem sem que nenhuma mão as toque. se colocou à porta do templo. Teria antes querido manifestar-me a ela que a ti: era meu dever. Inv. Não vejo nada. sem dúvida lhe foram dados para encorajá-la. e tenho grande pesar por não haver me submetido à prova. no momento marcado. Um jovem se lhe apresentou e lhe disse: "Sou teu irmão. Convidei X. Inv. Se ele te falar. Prometo dar-te provas de minha existência e. na direção de onde parte a voz. Inv. que te ama e te protege em tudo. não tema nada. não tenhas nenhum medo. À noite. nos disse que não tinha mais força para continuar seu caminho. dizia-lhe o invisível. é um anjo quem me fala. ver-me-ás. durante a noite. diz-me ela. Esses dons. Quem és tu? Inv. X. durante vários dias. se lhe manifesto dúvidas: "Mamãe.Os discursos feitos por esse ser invisível tendiam sempre a tranqüilizá-la e dar-lhe conselhos muito sábios. a interrogar o invisível sobre a sua natureza. X. Depois do ofício religioso tu descerás. eis-te satisfeita. uma luz rosa que não ilumina mas que. durante muito tempo. ela encontrou." Não quis colocar minha coragem à prova: tive medo. Desde há algum tempo. teu irmão está morto há doze anos. ele me pede dizer-te que esta noite te fará erguer. É verdade. cada vez que ela estava perturbada. ela vê. X. poderia ser comparada ao brilho de um diamante na sombra. viu-te lendo no quarto. ouve sempre a mesma voz que lhe faz discursos sábios. Tomarei uma forma visível para ti. Meus temores desapareceram completamente desde há algum tempo. mas não posso mostrar-me a várias pessoas. ela me conhece. todas as dúvidas desaparecerão.

Pois bem! Quero te ensinar a elevar-te no ar. não é? Creio que a mão de Deus não é estranha a essas coisas inexplicáveis. ouro. logo tu desapareceste e foste substituído por mim. em sua idade. sobre a Terra satisfaz nossa imaginação. para disso assegurar-se. O invisível transformou-se sob os olhos de X. e ser-te-á possível seguir-me. Meu desejo não é ocasionar pavor. é uma merceeira. aproveitando o momento em que X. fosse possível ter respostas tão fáceis. com tão pouca timidez. por si mesmas. todos os fatos que se cumprem pela minha intervenção. ela via as penas. ele desapareceu no ar. o invisível. Então uma nova transformação ocorreu. Ela viu. É bom dizer que o irmãozinho estivera na escola desde a manhã e não deveria retornar senão à tarde. Ela aceitou a oferta apressadamente e logo se sentiu elevar como uma andorinha. ele tomou a forma do irmão morto e disse a X. e mesmo sem o sentimento de medo. e lhe proibi expressamente recomeçar semelhantes excursões. de manhã. comprá-los. e que morreram há muito tempo. quero provar minha existência. que habitaram a mesma rua nossa. Ninguém considera essas coisas mais do que fazemos quanto aos paralelepípedos sobre os quais andamos. dissenos. e. perguntar com quem te encontravas no momento em que ela te vendeu os botões. Logo que o abraçou.: Tua mãe e todos os membros de tua família não vêem sem espanto. ao ponto de impedir-lhe fazer alguma observação. pedirás a mamãe enviar à casa da senhora C. Ela chegou. se bem que tua irmã acreditou que estavas no salão. porque se poderia tomar por uma mentira de tua parte o que não seria da sua senão uma obstinação em não se render à evidência. sabes que se tem necessidade de comprar botões. diamantes." Qualquer outro senão X. Seu espanto foi grande. 26 de abril. foi uma grande mesa onde. sem dúvida. Diante de cada caderno havia um tinteiro. O invisível testemunhoulhe muito lamentar haver me descontentado. Mandei à casa da senhora C. e que além disso é muito tímido e não tem essa facilidade que se lhe queria conceder. ela disse-lhe que retomasse sua forma primitiva. umedecerem-se e traçarem caracteres. onde não havia ninguém. e te colocar ao abrigo na incredulidade de todos. Eu me transformarei em teu irmãozinho (ele tinha então 9 anos) e quando retornares à casa. a um lugar onde havia uma multidão considerável. e ele tomou tua forma. . sobretudo. No dia seguinte. A senhora C. não deixou de se conformar com essas instruções. Em seu retorno. nós iremos.. eu a recriminei por ter se ausentado sem minha autorização. ela me perguntou como eu me encontrava ali. em pouco tempo. a presença desse ser deveu espantar X. sem que nenhuma mão as movesse. havia papel." Como tu o penses bem. É muito curioso. foi obrigada a sair. doravante. apavorar-se-ia com a proposição. estando a porta do salão fechada a chave. ela me respondeu que tua irmã estava com teu irmão. se manifestou de novo a ela e disse-lhe: "Deveis estar bem surpresa com a minha desaparição. Em um apartamento ricamente decorado.me. pela sete horas. porque não posso conservar por muito tempo a forma que estou vivendo. ambos." X. entretanto. e tudo o que. Ela reconheceu várias crianças de sua idade.. o que chamou sobretudo a sua atenção. e prometeu-lhe formalmente que. não a convidaria mais a ausentar-se sem disso me prevenir. de distância em distância. do qual fez um grande elogio dizendo que não se podia figurar que.

faria bem ir procurar-me alguma coisa na farmácia . Ora. Em teu curso serás agradavelmente surpreendida pela chegada da família de teu tio. não devia esquecer de cumprir o seu dever." X. que malgrado as provas que ele havia dado de sua intervenção. que. se apressou a dizer que eu deveria ter uma prova a mais da veracidade de tudo o que ela me dizia. X. Infligi-lhe uma punição e ela foi dormir sem jantar. creio que era sangue. Não posso mais duvidar. mas figura-te que o soalho estava inundado. havia sido tirado. sua mulher e seus filhos. Disse a X. Desde há algum tempo. abusando de nossa confiança. conhece-lhes o conteúdo. em todos os fatos curiosos que contei. e tão logo sua prece terminara. eu tinha sempre dúvidas que ele queria fazer cessar completamente. X. hoje. nenhum fato muito saliente ocorreu. quando terminasse seu trabalho. Tua irmã saiu e as primeiras pessoas que ela encontrou. não mais que seu livro de preces. um minuto bastou para colocar a maior desordem nos apartamentos. não aceitou uma observação que sua irmã lhe fez. me transmitiu logo o que o invisível dissera.. Necessitaria de provas bem evidentes para não infligir. com medo de que quisesse se divertir conosco. X. malgrado a punição que ela bem merecera. vejo cumprirem-se todos esses fatos singulares sem medo. à tua irmã. 16 de maio 1855. eram cinco horas mais ou menos. depois de ter posto ordem em todos os apartamentos. mas deles não posso retirar nenhum ensinamento. Essa prova bizarra nos deu um trabalho considerável para colocar no salão seu brilho primitivo. tudo desapareceu. que vinham nos ver.. Ontem.7 de maio de 1855. 4 de junho de 1855. houvesse picado ou houvera sangrado o nariz. disse lhe que. Não sou mais crédula do que se deve ser. X. No dia seguinte. não havia mudado de lugar. No entanto. fez o que lhe foi ordenado. o invisível lhe apareceu. efetivamente. perguntou-me se o castiçal que se achava sobre a mesa no andar acima de seu quarto. Então ela se levantou. creria que X. punições que lhe apliquei algumas vezes com pesar. senão o seguinte. todas as suas irmãs estavam ocupadas. O invisível lho transmite. e mais surpresa ainda de saber por esse modo. essa tocha. foram meu irmão. Essa noite ela o esqueceu. não posso me recusar a crer em fatos que ocorrem sob meus olhos. quando o invisível disse à X.: "É provável que mamãe vá te enviar para alguma parte para fazer uma encomenda. semelhante àquela que fora apresentada na véspera. Se fossem algumas gotas somente. uma matéria vermelha fora derramada. e não me deixo dominar por idéias supersticiosas. anteontem. e tu sabes que é uma coisa à qual me prendo essencialmente. Antes de deslacrar as cartas que tu nos endereças. Eu estava resfriada estes dias. Antes de se deitar tem o hábito de orar a Deus. mas poucos instantes depois que foi ao leito. de qualquer coisa extraordinária na casa. eu estava bem longe de esperar essa chegada. Sem que nenhum ruído se fizesse ouvir. pela manhã. depois de ter me abraçado. Ontem. ela deu uma resposta tanto menos conveniente quanto a censura era fundada. não sei a propósito de quê. o invisível disse a X. 10 de maio de 1855. eu não dispunha de ninguém para mandar comprar a pasta peitoral. porque esses mistérios são inexplicáveis para mim. apresentou-lhe uma tocha e um livro de preces semelhante àquele que tinha o hábito de servir-se. Sobre o soalho.

7. seria sensível a dor se ferido? . . para responder a essa questão. Chamai-me Fantasma se quiserdes. Poderias. de aí encontrar um pacote de bala de cevada que o invisível havia depositado para poupar-lhe uma caminhada. Grande simpatia. Fui tirar na bolsa de outros.R. Ela esqueceu a minha recomendação. 5. como te mostraste à merceeira? . 9. 3. 4. bela cabeça.R.R. E verdade que foste seu irmão morto com a idade de 4 anos? .R. e eu mesma nisso não pensei mais. Fazei-as e eu responderei. cabelos negros e ondulados. aparecer aqui no meio de nós.R. que vos assistem sem que disso desconfiais. Onde pegaste o dinheiro que deste à jovem? . . boca zombadora. caráter leviano. Freqüentemente. 11. a esse respeito. tez pálida.R. é preciso que me vá. quero ir-me. Por que era visível para ela e não para sua mãe? . Sim. Sua surpresa foi grande. 2. olhos negros e vivos. (A São Luís). Não sou bastante elevado. Nosso correspondente. algumas perguntas.R. Poderias explicar-nos como te tornas visível ou invisível à vontade? . disse que são bem esses os traços sob os quais a jovem o pintou em várias circunstâncias. Ouvimos contar a história de tuas manifestações numa família de Bayonne. Nesse estado. foi por permissão especial que lhe apareci. 8. 10. e estou muito preocupado com aquilo que me atrai. Seria útil ter às suas ordens um Espírito semelhante? . Sob qual nome poderíamos designar-te quando falarmos de ti? . compreendeis bem que não vou divertir-me cunhando moeda. tirando a tampa. 6. tende-os ao vosso redor. O Espírito disse não saber muito porque foi evocado. Minha mãe deve estar privada de minha visão.R.R. Ela não feriria senão o vazio. estou com pressa. de resto. Não. Não. Considerações sobre o Fantasma de Bayonne. Tomo daqueles que podem dar. mas bom.R. e também para satisfazer um desejo meu que se havia perdido de vista.mais próxima. que estava presente à sessão. e desejamos dirigir-te. mas minha irmã não tinha necessidade de punição. Por que te ligaste a esta jovem? . Que teria acontecido se a merceeira quisesse ferir-te? . O senhor Adrien viu-o com os traços de uma criança de 10 a 12 anos.R. 1. Estava certa de que ela não saíra e não deixara seu trabalho senão para ir buscar uma sopeira de que tínhamos necessidade. se quisesses. Deixai-me. fazei-as depressa. Evocamos esse Espírito em uma das sessões da Sociedade e lhe endereçamos as perguntas seguintes.

parecia que isso não estava em seu poder e que não podia mesmo permanecer muito tempo nesse estado. não somente à sua irmã. dos quais as lendas alemãs nos cotamaltos fatos.era. sem dúvida. se não se passassem. Convir-se-á. O de Bayonne. dos quais nossos leitores. por assim dizer. para a inteligência do que se vai seguir. ainda. que esse último jamais se mostrou senão em sonho. mas a estranhos: testemunhou a compra de botões na mercearia. e com os quais é preciso guardar-se . um Espírito perturbador em toda a acepção da palavra. não perderam a lembrança. que pressionava e estreitava. e é neste momento. é eminentemente benevolente e prestativo. fevereiro de 1859 Repetimos muitas vezes a teoria das aparições. nas histórias legendárias. esta diferença entre ele e o Espírito de Bergzabem. Um dos traços mais salientes do Espírito ao qual demos o nome de fantasma de Bayonne. Sem fazer o mal. Aí está um fato positivo. são suas transformações. como uma pessoa real. de resto. da fábula de Proteu? Há. nova prova de que pode haver. era um comensal muito incômodo e muito desagradável. o maravilhoso cessa desde o instante em que se pode dele dar conta por uma explicação lógica. Por que não se mostrava a todo o mundo e a toda hora? É o que não sabemos. embora de ordem bem diferente daqueles que se produzem sob nossos olhos. entra. estava a aparição de mãos. ao contrário. na categoria dos fenômenos naturais. Por estranho e anormal que pareça. e que atestam numerosas testemunhas oculares. e a lembramos em nosso último número a propósito de fenômenos estranhos que relatamos. não ofereciam senão o vazio quando as queriam agarrar de surpresa. que cada um podia ver e apalpar. sob nossos olhos. (atualizado em 22-10-08) Os Agêneres Revista Espírita. então. depois que. é o tipo desses bons Espíritos serviçais. um poder de vontade acima de suas forças. de repente. Que se dirá. ao passo que o nosso pequeno duende se tornava visível e tangível. Todo mundo sabe que. sobre o qual voltaremos. agora. ver-se-á uma diferença capital. teremos ocasião de a eles retornar. no nosso próximo número. perfeitamente tangíveis. tendo novidades de suas recentes proezas. um fundo de verdade. que se produziu em muitas circunstâncias. Talvez fosse preciso para isso um trabalho íntimo. 3 a imaginação teria pouca coisa a fazer para colocar esses fatos à altura de uma lenda. Novos detalhes nos estão sendo prometidos sobre esses estranhos fenômenos. Ali era mais que um Espírito batedor. no número das manifestações extraordinárias produzidas pelo senhor Home.Se aproximarmos esses fatos dos de Bergzabern. e que se poderia tomá-los por um conto da Idade Média. A eles remetemos nossos leitores.

que me enviou. chamareis a senhora T. podemos dizer que. todavia. Se a duração da aparência corporal é limitada para certos Espíritos. para nós. Podem-se encontrar. respondeu que. ela depende.Ah! meu bom senhor.. que morreu há três . e pode persistir por um maior ou menor tempo. antes de tudo. que pode ser submetida às leis do cálculo. interrogados quanto a esse assunto. agindo como nós.Senhora. ao passo que isso não seria senão um vapor momentaneamente solidificado. Como para se entender é preciso um nome para cada coisa. A duração dessa aparência está submetida a condições que nos são desconhecidas. sentar-se em nosso lar como uma pessoa qualquer. mas como ainda não chamei ninguém. e pedia a Deus vir em ajuda de sua aflição.Pois bem! Ide em tal rua. mostrando sua possibilidade. não.. perguntado sobre esse ponto. foi esse senhor ali. A pobre mulher se encontrou. esses fenômenos estão submetidos a condições que saem do círculo habitual de nossas observações. que se passou recentemente em Paris. . mas não de similitudes. É preciso. é precisamente a mania de querer tudo assimilar àquilo que conhecemos. não há razão que não possa ser do mesmo modo com os outros órgãos. a aparição de mãos tangíveis. com efeito. disse: . como aquele cego que se dava conta do clarão da luz e das cores pelo toque da trombeta. pele. pois. sobretudo. Nessas mãos haviam a carne. ela vo-lo dará. é o retrato de meu filho. ela encontrou um senhor que a abordou dizendo-lhe: "Minha brava mulher. em tal número. esse agente é constantemente uma inteligência que tem sua vontade própria. que causa decepções a certas pessoas. estaríeis contente por encontrar trabalho? . percebendo um retrato pendurado na parede. mas isso não é possível. para chegarmos a uma suposição que lhe é a conseqüência lógica. . teria para nós todas as aparências de um ser humano. mas tal que produzia o efeito de realidade. parece pertencer a essa categoria: Uma pobre mulher estava na igreja de Saint-Roch. Um Espírito. como ocorre que vindes me procurar? A pobre mulher. cujo corpo todo fosse assim visível e palpável. se se quiser obter resultados. em princípio. nos fenômenos usuais. é que o agente dos fenômenos vulgares é uma força física. O fato seguinte. ao passo que nos fenômenos espíritas. na rua Saint-Honoré. Um Espírito superior. ossos." Ali continuou seu caminho. ela é variável. podem-se encontrar seres dessa natureza sem disso duvidar. Partimos de um fato patente. pedia a Deus que me fosse achá-lo.. sem tardar. e poderia falar conosco. porque. conhecê-las e com elas conformar-se. e que não podemos submeter aos nossos caprichos.para não confundi-los. disse a dama em questão. da vontade do Espírito. porque sou bem infeliz. mas em certos limites que não está sempre livre para transpor. Se um Espírito tem o poder de tornar uma parte qualquer de seu corpo etéreo visível e palpável. Suponhamos. não a teríamos insinuado se a história da criança de Bayonne não tivesse sido colocada em nosso caminho. assim também sobre todas as intermitências de quaisquer manifestações. que um Espírito estenda essa aparência a todas as partes do corpo.Esse senhor! Repetiu a dama espantada. Ora. Em sua saída da igreja. Tal é o caso do fantasma de Bayonne. a Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas chama-os agêneres para indicar que sua origem não é o produto de uma geração. aí está o erro. acrescentou que é raro. disse ela. que pode produzir-se em todos os tempos e a toda hora. creríamos ver um ser semelhante a nós. Os Espíritos. sem dúvida. é preciso. e. não eram senão uma aparência. material. verdadeira pedra principal da ciência espírita. unhas reais? Evidentemente. mas que isso se vê. no endereço indicado . seria um dos nossos semelhantes. não perder de vista esse princípio essencial. pontos de comparação. sempre disseram que agem em virtude de uma permissão superior. que pode produzila ou fazê-la cessar à sua vontade.Tenho. pensam poder operar sobre esses elementos novos como sobre o hidrogênio e o oxigênio. com efeito trabalho a fazer.

Esses seres pertencem aos Espíritos inferiores ou superiores? . ao passo que o agênere. caráter que ele jamais procurou dissimular: era seu estado permanente. . Podem eles procriar? .R.R. respondendo às nossas perguntas. 7. é que existe. Que ocorreria se fosse apresentado a uma pessoa desconhecida? . Seria tomado por uma criança comum. se for preciso. senão um homem comum. Espíritos que revestem essa aparência. Pedimos ao Espírito de São Luís consentir em nos esclarecer diferentes pontos. Compreende-se. pelo menos nas circunstâncias em que se manifestou. algumas vezes.R. elas não podem ser elididas. a menos que não tenha julgado oportuno se mostrar as outras sob a mesma aparência. aliás. Isso depende de sua vontade? . que sua visão poderia causar uma emoção perigosa à sua mãe. Mas.R. sem dúvida. Fenômeno de bi-corporeidade. não revela sua natureza. Deus não lhes permitiria. de resto. Que ocorreria. ouvido a prece. Sim. Desapareceria subitamente. sem dúvida. basta que sejam possíveis para merecerem a atenção. O Espírito do Fantasma de Bayonne poderia se mostrar corporalmente em outros lugares e a outras pessoas senão em sua família? . então. em virtude de uma permissão sem a qual eles não podem revelar sua existência de maneira material.R.) 6. e que são tomados por homens. 1. no que era antes: num Espírito. O Fantasma de Bayonne parece-nos dever ser considerado como um agênere. apareceu-lhe sob sua forma corporal para lhe indicar o endereço de sua mãe. têm as paixões de Espíritos segundo a sua inferioridade. não fazem senão o que lhes é permitido fazerem. Deles tendes exemplos na Bíblia. assim. . Essa mulher. os motivos determinantes dos Espíritos nos são completamente desconhecidos. é para gozarem as paixões humanas. por que não se apresentou à sua mãe? Nessas circunstâncias. seria contrário às leis que estabeleceu para a Terra. para prestar serviço a essa pobre mulher. eles agem como melhor lhes parece.anos. Podem pertencer aos dois. ele me abordou. como Espíritos. do filho dessa dama. aos nossos olhos. teria encontrado um agênere. 4. como disseram. 2. como o jovem de Londres. Se tomam um corpo aparente. 3. continuando seu passeio. e as aparências corporais que tomou não foram senão acidentais. Raros ou não. mas vos asseguro que foi esse senhor. ou melhor. sua aparição corporal pode. seja durante o sono. algumas vezes. e não é. e quem sabe se não se apresentou a ela. se são elevados.R.R. que acabo de encontrar saindo da igreja onde fui pedir a Deus para me assistir. Em que se tornou depois? Sem dúvida. (Ver o número de dezembro de 1858. No que acabamos de ver. seja de outro modo? E.Não sei como isso ocorre. não haveria nada de surpreendente em que esse Espírito. na Terra. ter longa duração para poder estabelecer relações sociais com um ou com vários indivíduos. Não precisamente. propriamente dito. esses são fatos raros. com o qual conversou. é para um fim útil. da qual havia. dir-se-á. porque para a família sempre teve o caráter de um Espírito. Mas vos direi uma coisa. 5. esse não era o meio de revelar-lhe sua existência? É mais que provável que foi testemunha invisível da entrevista. Têm eles paixões? . o poder dos Espíritos é limitado. se lhe fizesse um ferimento mortal? Seria morto? . tomando semelhante ser por um homem comum. Sim. e foi muito bem ele quem me enviou aqui.

Vós o sabeis. outras vezes com paletó. era um hábil mistificador. o são muito menos. 16. pois. 11. não se podem adquirir muitos conhecimentos com esses seres. Para fazer uma experiência.R. O agênere não tem corpo vivo na Terra. uma aparência. superior ao dos outros homens? . uma vez que poderão desaparecer quando o quiserem. Transcreveu nossa conversa. o jovem de Londres não tinha um corpo real. 10. Uma vez nos viu com roupão. o corpo não é um corpo real. Um Espírito familiar protetor. é antes para o mal que para o bem? . Em que se tornou a alimentação ingerida? . toma essa forma? . sentado ao seu lado e conversando com ele como de hábito. Entretanto. os bons Espíritos dispõem da inspiração. somente seu perispírito toma forma palpável. Não têm senão o poder que lhes dá sua posição como Espíritos. Não podemos dizer-vos muito. não tem ele as cordas interiores? Toca-as mais facilmente do que o faria sob forma visível.R. haveria um meio para reconhecêlo? . uma vez que estava em Boulogne. ocorria o mesmo com o alimento que parecia ingerir. Alusão a um fato dessa natureza reportado no começo da sessão.R. agem sobre a alma e pelo coração. e todavia almoçou com os amigos. Freqüentemente para o mal. de dupla presença. Não. algumas vezes. 9. Um fato quase análogo nos é pessoal. era. relativa aos nossos trabalhos prediletos. como as de Bayonne. um dos nossos amigos viu-nos várias vezes em sua casa. ofereceu-nos refrescos. 13.R. Seria antes um mal. Não. apenas pela sua desaparição. seria um bem ou um mal? . A história do jovem de Londres. ou melhor. é um fato de bicorporeidade. narrada em nosso número de dezembro. Entretanto. Suas desaparições corpóreas instantâneas. Tendo-se um semelhante ser em casa. embora sob uma aparência não tangível. 12. seu espírito. Sim. O jovem de Londres estava perfeitamente vivo. Ela era. Qual é a finalidade que pode levar certos Espíritos a tomarem esse estado corporal.R. Se um semelhante ser a nós se apresentasse. fato que já lestes.8. Não. enquanto seu corpo dormia em Boulogne.R.R. ou se o tomássemos como um dos nossos semelhantes. envolvido pelo perispírito. jamais. um caráter de permanência.R. que difere essencialmente daquele em questão. as manifestações físicas são produzidas por Espíritos inferiores. que se faz de modo inesperado. que nos comunicou no dia seguinte.R. Têm eles uma necessidade real de se alimentarem? . falei de modo geral. e estas são desse número. esses fatos são excessivamente raros e não têm. Antes de apertar a mão. de resto. Não. onde tomou uma aparência tangível. onde estavam os dedos que pressionam? Por que não quereis compreender que a matéria desaparece também? O corpo do jovem de Londres não era uma realidade. como já disse. podem tomar-se visíveis ou invisíveis à vontade? . foi a Londres. Perguntou-se se o conde de Saint-German não pertencia à categoria dos agêneres. 15. 14. Têm um poder oculto. pensando bem. . uma vez que não é meu corpo que aqui . e eis nossa resposta: "Deles não necessito. os bons Espíritos também podem tomar essa aparência corpórea com um fim útil. Enquanto estávamos pacificamente em nossa cama. Nota. e lhes apertou a mão. Nesse estado. É o mesmo fato do transporte de móveis de um térreo ao sótão.

cursos de . se apresentou na ocasião. “Minha mãe achou maravilhoso eu voltar a estudar. Ora. O rapaz se matriculou no Programa Nacional de Inclusão de Jovens e Adultos (ProJovem). véspera de Natal. isso sim é uma ajuda”. vós o sabeis. invista em educação. recorda-se. Era a oportunidade que ele precisava.Fator de resgate (fato verídico) Liana Aguiar Estudo para resgatar dignidade Wallison Ricardo dos Santos. excessivamente frio mesmo. mais comunicativo. uma creche. Morou em um barracão nos fundos do depósito de material reciclável. saiu de casa e passou a trabalhar como catador de papel. mesmo na idade em que não se pensa mais do que no prazer. Os jovens recebem.está. Morria de vergonha de ver o filho dela em cima de uma carroça. Numa madrugada. 25. Com as constantes brigas familiares por causa do ritmo de vida que levava. Hoje. Recebeu aulas de informática e. Essa preocupação constante nos dá um encontro muito frio. parou uma mulher em um Honda Civic e o perguntou: “Você tem família?” “Respondi que sim e ela me deu 50 reais para passar o Natal. Gastei tudo com drogas”. em nós. o fundo do nosso caráter sempre teve uma extrema gravidade. aos 16 anos. Não está aí um efeito do Espírito desligado da matéria? Dignidade . abandonou a escola ainda cedo. ao menos é pelo que somos freqüentemente censurados. O vício nas drogas o fez parar na 7ª série. não há nenhuma necessidade de vos produzir uma ilusão. Naquela época. tornou-se instrutor de informática e hoje trabalha como auxiliar administrativo em um escritório que presta serviços de manutenção a usinas. mas. a satisfação e a calma do bem-estar. Dos tempos de catador de papel. o Espírito sente.” O Projovem Urbano atende pessoas de 18 a 29 anos que não concluíram o ensino fundamental. “Se você quer ajudar. orienta. bastante bizarra. lembra-se de um episódio que o marcou. Já fez a matrícula no ensino médio. Em uma noite. Seja predisposição natural. seja resultado de nossos trabalhos intelectuais. assistiu a um programa evangélico na TV e decidiu mudar: entrou para a igreja e voltou à sala de aula. Além de aprender uma profissão. em nossas visitas noturnas ao nosso amigo. Com o aprendizado. éramos mais aberto. como se tivesse mais expansão exterior. sérios desde nossa juventude. este ficou surpreso por nos achar diferente. o curso foi um incentivo para buscar um emprego melhor. em uma escola estadual que oferece Educação de Jovens e Adultos (EJA) e planeja fazer faculdade de Teologia. sob essa falsa aparência glacial. Tudo respirando. Wallison conta que deixa orgulhosa a família. poderíamos dizê-lo desde a infância. talvez mais vivamente. Wallison não para os estudos por aí. além das aulas de ensino regular. pagou mais um curso na área. Mas tudo o que ganhava era gasto com o vício. pegava a carroça às 4 horas da manhã e só parava às 10 da noite. Foi a primeira vez que teve contato com computador. quase alegre. com o auxílio de 100 reais que recebia no programa." Uma circunstância. ajude uma instituição.

há o Projovem Adolescente (15 a 17 anos). seguir com uma carreira. As inscrições estão abertas até 31 de janeiro. O Projovem Urbano é uma reformulação do programa: passou a ter uma duração de 18 meses. explica que o programa visa a inclusão. Rodrigo Melo e Cunha Santos. Os participantes têm um benefício de 100 reais mensais. o Projovem Trabalhador (para quem já completou o ensino fundamental) e o Projovem Campo (para zonas rurais). que este ano oferece 2. . o resgate do jovem que teve de parar de estudar. ampliou as séries (de 1ª a 8ª) e a faixa etária assistida. Além do Urbano. coordenador geral do Projovem em Goiânia. Ele se orgulha de ver que grande parte já conseguiu ir para o ensino médio.400 vagas. O programa é uma iniciativa do governo federal em parceria com a prefeitura de Goiânia. saúde e vestuário. pelo Telematrícula. O telefone é 0800-646-0156. entrar no mercado de trabalho. informática.línguas. ação comunitária e qualificação profissional nas áreas de administração.