Você está na página 1de 13

A Assembléia Legislativa do

Estado do Rio de Janeiro ou


simplesmente ALERJ ,
é o órgão de representação
popular do Poder
Legislativo através dos
deputados estaduais do
estado do Rio de janeiro.
Será?
ALERJ

Convocada a Assembléia Geral Legislativa, em 1824, a


primeira sessão preparatória da Câmara dos Deputados
vem a ocorrer somente em 29 de abril de 1826, e a
sessão de abertura da primeira legislatura da
Assembléia Geral Legislativa (reunião conjunta da
Câmara dos Deputados e da Câmara dos Senadores),
no dia 6 de maio do mesmo ano, quando enfim os
deputados e senadores puderam participar do processo
legislativo brasileiro, regulamentando os dispositivos
constitucionais e criando as instituições previstas na
Carta outorgada, três anos e meio após a proclamação
da Independência. Durante o período imperial, as
legislaturas eram de quatro anos, mas as sessões
legislativas duravam apenas quatro meses.
• Decreto imperial de 26 de março de 1824
estipula o quantitativo de 102 deputados para
compor a Câmara dos Deputados e vigora até a
6ª Legislatura
• Os constantes desmandos do Imperador, o
avanço do liberalismo político, assim como a
concessão de independência à Província
Cisplatina, concorreram para desgastar ainda
mais a imagem de D. Pedro I
• Em 7 de abril de 1831 uma revolta de iniciativa
da Câmara dos Deputados, com apoio da
imprensa e do Comandante das Armas da Corte
e da Província do Rio de Janeiro, força D. Pedro
I a abdicar em favor do seu filho, D. Pedro de
Alcântara.
• o segundo período imperial (Regências) é
marcado por inúmeras revoltas e conflitos, que
se alastravam pelo país, e pelo enfrentamento
político entre liberais e conservadores, disputa
que se estenderia por grande parte desse
período.
• Descontentes com conservadorismo da
Regência, deputados e assessores palacianos
precipitam a maioridade do herdeiro
adolescente.
• O embate entre liberais e conservadores foi
uma constante na política do terceiro
período imperial, e as disputas e
enfrentamentos entre os dois grupos
determinaram em vários momentos a
dissolução da Câmara dos Deputados pelo
Imperador
• A representação popular, iniciada no Brasil
por força da Constituição Política de 1824,
foi dissolvida 11 vezes no 2º império, por D.
Pedro II no exercício do Poder Moderador.
• Ato Adicional de 1834: descentralização
política; a supressão do Poder Moderador
e do caráter vitalício do Senado.
• Os liberais não conseguiram, todavia,
inscrever na legislação imperial todas as
suas aspirações.
• Conquistaram, descentralização política ,
mediante a criação do Poder Legislativo
provincial
• A partir da 8ª legislatura (1850-1852),
participação mais efetiva de deputados
abolicionistas
• A Guerra do Paraguai, conflitos do Estado
com Igreja e Exército, mobilização social
pelo fim da escravidão e expansão dos
ideais republicanos contribuíram para o
fim do regime monárquico, que perdurou
no Brasil de 1822 a 1889.
A Primeira República
(1ª fase – 15 de novembro de 1889 a 24 de
outubro de 1930).
• Em 15 de novembro de 1889 foi
proclamada a República pelo marechal
Manoel Deodoro da Fonseca com o apoio
de grande parte da oficialidade do
Exército e ausência do povo nas
primeiras decisões republicanas,
instaurando-se no País um novo regime
de governo, que pôs término ao período
do Brasil Imperial.
• São tomadas as primeiras medidas para a
laicização do Estado, como a instituição
do casamento civil e a secularização dos
cemitérios.
• É instalado um Governo Provisório,
presidido pelo marechal Manoel Deodoro
da Fonseca, com três funções básicas:
• consolidar o novo regime;
• institucionalizá-lo com aprovação de uma
Constituição republicana;
• e executar as reformas administrativas do
Estado que se faziam necessárias.
• Acaba o voto censitário, que restringia o
sufrágio a quem detinha propriedades e
rendas e adota o voto direto e universal
para todos os maiores de 21 anos,
excluídos os mendigos, os analfabetos, os
praças de pré, os religiosos de ordens
monásticas e, implicitamente, as
mulheres. O presidente da República
deverá ser eleito, pelo voto direto, para
um mandato de quatro anos, e a eleição
realizada no primeiro dia de março do
último ano do período presidencial.
• “Excepcionalmente”, o primeiro presidente
e seu vice serão eleitos indiretamente
pelo Congresso Constituinte.
• temendo um golpe militar caso não o
elegesse.
• O presidente da República, marechal
Manoel Deodoro da Fonseca, decreta o
estado de sítio e dissolve o Congresso
Nacional no dia 3 de novembro de 1891,
direcionando o governo rumo a um regime
ditatorial.
• De acordo com depoimentos da época e
pela análise dos discursos parlamentares,
"o Congresso Constituinte foi dividido em
quatro grupos: o dos descontentes, o dos
irriquietos e revolucionários, o dos
ordeiros, que queriam conservar
melhorando, e o dos desiludidos".