SISTEMÁTICA 2 – AULA 3

PROF. MARCOS BATISTA

SBSM

INTRODUÇÃO
Recapitulação da aula 2
Propriedades do corpo humano
A diferenciação – enquanto nos outros animais o corpo já nasce
completo no homem não tem autonomia, ou seja, não é senhor
de si mesmo (dependente).
Outro aspecto de diferenciação é sua posição vertical, essa
construção corpórea é aprendida (função mundanizante).

eles fazem nascer a lei que credibiliza esses dados como fatos racionais. Autenticada pelos dados éticos. A ação resultante dessa lei (agir pela consciência moral). Essa razão é: Proveniente de dados éticos (interior).Os princípios fundamentais da moral para Kant (função mundanizante) 1 – enfoca que a ética (ethos) tem como finalidade descobrir e revelar a razão do homem prático (virtude). .

Ela dá origem a consciência moral (capacidade da razão para julgar os próprios atos: certo ou errado). Só é moral a ação que resulta do dever ou do respeito a lei moral (o não ceder aos preceitos dogmáticos. a consciência moral para Kant depende da vontade interior. .2 – logo. mas reconhecer que a ética é o habito de obedecer pela autonomia).

. Metafísica – teorias sobre a verdadeira natureza da existência.A ÉTICA. A ética é um dos seis ramos tradicionais da filosofia. Gnosiologia – a teoria do conhecimento. Ética – a conduta ideal do indivíduo. Política – a conduta ideal do estado. Lógica – o raciocínio ideal. Estética – a teoria das belas-artes.

DEFINIÇÃO DA PALAVRA Vem da palavra grega ethos que significa costume. disposição. . ou seja. Necessidade teleológica – finalidade. hábito. Logo. O VALOR DA ÉTICA. ética é a teoria da natureza do bem e como ele pode ser alcançado. atitudes praticadas pelas pessoas que a identificam com o seu hábito. Necessidade da sociedade – virtude. Necessidade individual – avaliação.

USO ÉTICO Quando se estuda a ética temos que entender que ela está centrada na: 1 – liberdade – ideais congênitos e direitos garantidos. 2 – consciência – julgar os atos. A ética promove o conhecimento de si mesmo. A dividimos em três partes: teleológica. 3 – igualdade – o bem para o próximo. deontológica e situacional. .

Por ser a motivação determinante do que fazemos.18 aparece tal ensino. Para eles (epicureus) a felicidade é não sentir dor. Em At. lógos = razão) As éticas teleológicas: 1 – Hedonismo – o critério da moralidade é o prazer.TELEOLÓGICA – finalidade (grego télos = fim. 17. .

visão beatificada da divindade.2 – Utilitarismo – o critério é o que é útil e que traz vantagem . Para Aristóteles seria a contemplação da verdade absoluta (física. Para Tomás de Aquino é a contemplação de Deus. Nascido na filosofia inglesa. 3 – Eudemonísmo – o critério da felicidade é a contemplação. matemática e metafísica). .

A prática da virtude está na repressão das paixões. Virtude disposição interna da alma pela qual ela se acha em harmonia consigo mesma. É necessário libertar-se das paixões que prendem o corpo.DEONTOLÓGICA – obrigação (grego deon = deveres/necessidade) As éticas deontológicas: 1 – Estoicismo – o critério é a prática da virtude. .

mas por uma lei a priori. Elementos desse imperativo: Agir de modo que a ação seja um princípio universal de conduta.2 – Formalismo ético – teoria elaborada por Kant. Agir de forma que a sua vontade faça parte de uma legislação universal.Para ele o dever não vinha pela experiência.Trata-se da obediência a lei pela lei. . que definiu como imperativo categórico. Tratar qualquer pessoa como fim.

então. Logo. é impossível qualquer procedimento ético absoluto. O discurso ético. . e sem sentido torna-se um absurdo (relativo).SITUACIONAL – mutável (que pode ser mudado) A ética situacional: relativismo ético – o critério está fixado na mutabilidade das coisas e nas experiências humanas que são diversificadas.

. Essa vida mostra: a miséria humana. a brevidade dos dias e a vivência ética onde os hábitos qualificam para a valorização da comunidade. mesmo sendo patriarcal.A compreensão biológico/somática oriente e ocidente. a dificuldade de lazer (descanso). a dificuldade de sobrevivência (trabalho). Oriente – destacamos que tem um sentido temporal. duração da vida.

Ocidente – tem sua aplicação no sentido externo (o concreto). A duração da vida está no ter. No ocidente o modo de vida desafia a ética da igualdade o que prevalece é a ética da individualidade. Com isso adota-se uma política de escravização humana. assim para se ter vida busca-se na riqueza material (fortuna). . onde poucos tem muito e muitos nada tem.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful