Você está na página 1de 44

Ciclo celular

Como explicar o crescimento dos seres


vivos ?

Os seres vivos crescem. O


crescimento pode ocorrer de
duas formas: pelo aumento do
volume da célula, ou pelo
aumento da quantidade de
células.
A informação genética contida nos ácidos
nucleicos encontra-se, nos seres
eucariontes, no núcleo da célula.

Quando uma célula se divide, é


necessário que a molécula de DNA se
replique, permitindo que cada célula-
filha herde uma cópia de toda a
informação genética que a célula-mãe
possuía.
Divisão celular

Duplicação dos
cromossomas

Divisão dos cromossomas


pelas células-filhas
A capacidade de duplicar-se é a característica mais extraordinária dos
organismos vivos. Para fazê-lo, multiplicam o material interno das suas células
que, depois, se dividem em duas – processo designado Divisão celular.

Os seres vivos multiplicam as suas células com a finalidade de reproduzir-se, crescer e


repor células perdidas .

Para o organismo crescer ou repor células que se perderam, faz Mitose.


Todavia, quando é necessário gerar gâmetas com a finalidade de reproduzir-se
sexuadamente, faz Meiose.
Divisão celular em células
procarióticas

Neste caso, a divisão celular é um processo


simples, que pode ocorrer logo que a
molécula de DNA se tenha replicado .

Sendo organismos unicelulares, cada vez que


ocorre a divisão celular , verifica-se a produção
de dois novos indivíduos idênticos entre si e
idênticos à célula-mãe.
As bactérias
dividem-se por
divisão binária ou
bipartição.
Nos organismos eucariontes a divisão
celular é um processo mais complexo e
demorado.

A informação genética encontra-se


distribuída por várias moléculas de
DNA, as quais estão associadas a
proteínas designadas histonas.

Diferentes níveis de organização do cromossoma


nos eucariontes.
Cada porção do DNA, associado
às histonas, constituí um
filamento de cromatina.

Estes filamentos encontram-se, na


maior parte do tempo, dispersos no
núcleo da célula .

Contudo, quando a célula está em


divisão, estes filamentos sofrem um
processo progressivo de condensação,
originando filamentos curtos e
espessos designados cromossomas.
Níveis de organização no cromossoma
de eucariontes
Na fase de condensação, cada cromossoma é constituído por dois cromatídios, que
resultaram de uma duplicação do filamento inicial de cromatina.

Assim, cada um dos cromatídios é formado por uma molécula de DNA e por histonas que lhe
estão associadas .

Os dois cromatídios
encontram-se unidos por
uma estrutura sólida e
resistente chamada
centrómero.
Condensação da cromatina
Esquema que mostra o complexo processo de condensação da cromatina para formar
um cromossoma.
 O número e o tipo de cromossomas, presentes no núcleo das células, varia de espécie
para espécie, mas é constante e característico de cada espécie.

 Quando uma célula se divide, cada célula-filha recebe uma cópia de cada um dos seus
cromossomas, assegurando, desta forma, que recebem toda a informação genética que a
célula-mãe possuía.

O processo que permite que um núcleo se divida originando dois


núcleos-filhos, cada um contendo uma cópia de todos os cromossomas do
núcleo original e, consequentemente, de toda a informação genética,
designa-se mitose.
 A divisão nuclear é, geralmente, seguida de uma divisão do citoplasma, designada
citocinese.
 Assim, a partir de uma célula-mãe formam-se duas células-filhas, idênticas entre si e
idênticas à célula-mãe que lhes deu origem .

O conjunto das divisões celulares permite que, a partir de uma célula inicial, se origine um
organismo constituído por vários milhões de células.
 depois de uma célula se dividir é necessário algum tempo para que essa célula esteja
pronta par uma nova divisão, reiniciando-se todo o processo.

 A esta alternância de períodos de divisão e períodos de não divisão chama-se ciclo


celular.
O ciclo celular corresponde ao período que se inicia com a origem da célula, a partir da
divisão de uma célula pré-existente, e termina quando a mesma se divide em duas células-filhas.

 Pode dizer-se que o ciclo celular é a alternância da interfase com a divisão


mitótica , pois compreende esta e o tempo que decorre entre duas divisões mitóticas,
que toma a designação de interfase.
Ciclo celular
Processo dinâmico e contínuo constituído por um conjunto de transformações que decorre
desde a formação de uma célula até que, por divisão, origina duas células-filhas.
Através do ciclo
celular é possível
repor células
mortas, regenerar
partes de tecidos
danificados e
órgãos.
Ciclo celular
da célula da
raiz de uma
ervilheira
Interfase
 a interfase é um período relativamente longo quando comparado com a mitose,
podendo demorar horas, semanas, anos ou mesmo perpetuar-se até à morte da célula,
sem que nova divisão ocorra.

 Durante o período da interfase a célula está em grande atividade, procedendo à


síntese de diversos constituintes, necessários ao seu crescimento e maturação. Desta
forma, a interfase permite que a célula se prepare para uma nova divisão celular.

 a interfase compreende três períodos: G1, S e G2.


Período G1
Intervalo entre o fim da mitose e a replicação do DNA,
 intensa atividade de síntese de proteínas, enzimas e RNA,
como também de organitos celulares.
 Visível crescimento da célula.

Período S
Momento em que ocorre a replicação das moléculas do DNA.
 Síntese de histonas que se associam ao DNA.
 Cada cromossoma passa a ser constituído por dois cromatídios ligados por um
centrómero.
 Duplicação dos centríolos.

Período G2
Intervalo em que ocorrem intensas sínteses de RNA e de proteínas.
Mitose
 Período que se segue ao período G2 da interfase durante o qual o núcleo experimenta
um conjunto de transformações que culminam com a sua divisão.

 Embora seja um fenómeno contínuo, por uma questão de facilidade de estudo, é


comum distinguir-se quatro fases: prófase, metáfase, anáfase e telófase.

 Geralmente, a mitose nuclear é acompanhada pela divisão do citoplasma –


citocinese – completando-se, desta forma, a divisão celular, que origina duas células-
filhas.

 A citocinese inicia-se quando ainda está a decorrer a anáfase ou na telófase..


O DNA e o ciclo celular
Fases da mitose

 Prófase - condensação dos cromossomas, formação do áster e o início da formação do


fuso mitótico ou acromático, desintegração dos nucléolos, rompimento do invólucro nuclear.

 Metáfase - máxima condensação dos cromossomas, fuso acromático já formado e


formação da placa equatorial.

 Anáfase - separação dos cromatídios-irmãos por rutura do centrómero, migração dos


cromatídios para os polos.

 Telófase - desespiralização dos cromossomas, desaparecimento do fuso mitótico ou


acromático, reaparecimento dos nucléolos, reconstrução do invólucro nuclear.
Fases do ciclo
celular
Mitose em célula vegetal
Prófase
 Espiralização da cromatina – individualização dos cromossomas (cada
cromossoma é constituído por 2 cromatídios).
 Afastamento dos centríolos para os polos – formação do fuso
acromático.
 Desaparecimento dos nucléolos e início da rutura do invólucro
nuclear.
Metáfase
 Máximo encurtamento dos cromossomas devido à condensação.
 O fuso acromático completa o seu desenvolvimento.
 Os cromossomas e os centrómeros estão no plano equatorial, formando
a placa equatorial, prontos para se dividirem.
Anáfase
 Clivagem dos centrómeros que leva à separação dos
cromatídios constituindo-se dois cromossomas-filhos.
 As fibrilas ligadas aos cromossomas encurtam e
começam a desaparecer para os polos opostos.
 Dá-se a ascensão polar dos cromossomas-filhos.
 os dois polos da célula têm coleções equivalentes e
completas de cromossomas.
Telófase
Cromossomas-filhos atingem os polos.
Desaparecimento do fuso mitótico.
Reorganização da membrana nuclear.
Descondensação dos cromossomas.
Reaparecimento dos nucléolos.
Citocinese Divisão do citoplasma levando à individualização das
células-filhas.
Citocinese
Citocinese na célula animal
A citocinese depende da formação de um anel de contração (estrutura composta por
filamentos de actina e miosina, proteínas estruturais) ligado à face citoplasmática da
membrana plasmática e a meio da distância entre os dois centrossomas.
Citocinese na célula vegetal
Citocinese na célula vegetal

A parede celular rígida não permite a divisão por estrangulamento.


Na região equatorial da célula as vesículas derivadas do complexo de Golgi fundem-se e formam
uma estrutura plana.

As membranas das vesículas originam as membranas das células-filhas.

 O conteúdo das vesículas possui os precursores da parede celular.


Ciclo
celular
numa
célula
vegetal
Na célula animal o centro organizador de microtúbulos (MTOC) é
representado pelos centríolos que formam entre si o fuso acromático. Na célula
vegetal os centríolos estão ausentes e o fuso acromático forma-se apartir das
fibrílas do citoesqueleto.

Na célula animal a citocinese ocorre por estrangulamento do citoplasma, na


célula vegetal há formação de um septo de separação de natureza celulósica.

A mitose ocorre na generalidade dos tecidos animais, nas plantas ocorre


apenas em zonas específicas de crescimento, designadas meristemas.
Variação da quantidade de DNA no decurso do ciclo celular

Teor de DNA
mitose
G1 S G2
Tempo
Variação da quantidade de DNA no decurso do ciclo celular