Você está na página 1de 14

Enterovírus

Os agentes
Enterovírus ENFERMIDADES

Poliovirus Poliomielite ou paralisia infantil


Três tipos: 1,2,3

Coxsackievirus Vários quadros


(nome de uma vila em Nova Iorque) A: tipos 1 a 24
Grupos: A e B, B: tipos 1 a 6

Enterovírus Vários quadros


não classificados

Echovirus Várias
Entérico, citopático,humano, órfão
Tipos 1 a 34
REPLICAÇÃO VÍRUS RNA FITA SIMPLES, POLARIDADE POSITIVA,
SEM ENVELOPE (NÚS)

Exocitose ou
lise celular
Adsorção

Penetração
Desencapsidamento Membrana

RNA (+) Síntese


Proteínas
Replicação
Montagem

RNA (-) (inclusão? )


Núcleo

3
Epidemiologia

- Entrada no organismo via ingestão (via fecal-oral)

- Infecções por enterovírus são comuns – a maioria assintomáticas e restritas ao TGI

- Pequena proporção induz doença febril, às vezes com eritema.


-Outros hospedeiros – não apresenta

- Sítio primário de replicação no sistema linfóide

- Disseminação a partir do intestino em duas vias:

- ao sangue (viremia) e a outros tecidos


- ao exterior via fezes

- Imunidade intestinal: produção de IgA vírus específica no intestino torna o hospedeiro imune

- Distribuição sazonal: maior incidência no verão

- Condições sanitárias ruins – infecções mais cedo

- Adultos: maiso chande de desenvover paralisia do que crianças


SÍNDROMES NEUROLÓGICAS POR ENTEROVÍRUS

Intestino delgado
Circulação
Dia 2

Invasão
Multiplicação
(Excreção em fezes

SNC PARALISIA

Invasão Viremia primária


Dia 6
Multiplicação Multiplicação viral
Disseminação intraneural
Síndromes neurológicas

- São as mais importantes manifestações das infecções por


enterovírus;

Usualmente bifásicas:

1- inicialmente febre devido à viremia;


(um ou dois dias de bem estar)

2- sinais neurológicos (vírus cruza a barreira hemato-cefálica)


Síndromes neurológicas

- Dois tipos principais de doença neurológica:

1- Paralisia ou poliomielite:
- doença aguda com dor e paralisia flácida
- principalmente nos membros inferiores
- pode haver paralisia bulbar- (músculos da respiração e deglutição envolvidos)
- pode requerer traqueotomia / respiração forçada

2- Meningite asséptica: sinais neurológicos presentes, mas danos menores


-Não há paralisia
Principais sinais: febre,
dor de cabeça com rigidez da nuca (devido à irritação meningeal)
Prognóstico bom e a maioria recupera-se completamente

OBs: Epidemias de meningite asséptica são comuns: seguidamente causadas por


Echo 4,6, 9,30, e Coxsackie A7, A9 e B5.
Doenças associadas aos enterovírus (M. Timbury, 1978)

Polio Coxsackie Coxsackie Echovírus Enterovírus


A B 68,70,71
Paralisia +(1) ± ± ± -
Meningite asséptica + + + + ±
Doença febril + + + + -
Herpangina - + - - -
Doença (vesicular) dos - + - - ±
pés, boca e mãos
Doença de Bornholm* - - + - -
Miocardite e - - + - -
Pericardite
Conjuntivite aguda - - - - +
hemorrágica
Infeccões respiratórias - - ± ± ±

*= ou pleurodinia = infecção com Cox que causa espasmos nos musculos da caixa toráxica e abdomen superior
± reportado, mas raro

(1) Os poliovírus, especialmente do tipo 1, são os enterovírus mais paralitogênicos

(2) Algumas vezes associados a eritema


SÍNDROMES NÃO-NEUROLÓGICAS POR ENTEROVÍRUS

DOENÇA Sinais Prognóstico Vírus

Herpangina Erupção dolorosa de Bom Coxsackie A


vesículas na boca e
garganta; parte da Entero 71
“HFMD”

Doença de Miosite envolvendo Bom Coxsackie B


principalmente os
Bornholm músculos intercostais.
(Pleurodinia ou
mialgia epidêmica)
Miocardite Pulso rápido, aumento Bom Coxsackie B5
cardíaco, às vezes
Pericardite anormalidades no ECG epidemias em
e pericardite com neonatos
fricção ou efusão hospitalizados
pericardial

Conjuntivite Incubação rápida Bom Entero 70


(24 horas); curso 10
hemorrágica dias. (Vírus não
aguda encontrado nas fezes)
Diagnóstico – pólio e enterovírus

- Isolamento viral

- Inoculação em camundongos

- Fixação de complemento

- PCR
Inoculação em cultivos celulares (BHK-21)
Diagnóstico – picornavírus (menos Hepatite A !!!!)
Inoculação intra-cerebral: encefalite em camundongos inoculados com enterovírus

Miocardite
em camundongos
inoculados
SALK VACINAS PóLIO SABIN
Vírus Inativado TIPO Vírus Atenuado
(vivo)
Intramuscular Oral
ADMINISTRAÇÃO

Mais Alto CUSTO Baixo

Lifelong IMUNIDADE Perene


IgG ANTICORPOS IgG, IgA
Pequeno número de
Não causa infecção SEGURANÇA infecções
1x 10-6 a -7
“HAND FOOT AND MOUTH DISEASE” EM HUMANOS
Mais comum: Coxsackievirus A16, mas outros coxsackievírus
podem estar associados; ou ainda,
Enterovirus 71