Você está na página 1de 6

ELITE MIL – PRÉ-

MILITAR
Prof. MsC. Sony Ferreira
Gênero épico
• Narrativa feita em versos que exalta grandes feitos
heroicos;

• Possui elementos narrativos essenciais como: narrador (3


pessoa); personagens (deuses e divindades gregas ou
pessoas ligadas à nobreza), tempo (passado remoto em que
os homens e deuses conviviam); espaço ; argumento ou
história (o desenrolar das ações, acontecimentos).
• Estrutura-se em:
• Proposição (ou exórdio): introdução da obra com apresentação
do herói e do tema.
• Invocação: parte da epopeia em que o herói pede auxílio e
inspiração as divindades.
• Dedicatória: a epopeia sempre é dedicada a alguém.
• Narração: narração dos feitos heroicos.
• Epílogo: encerramento da obra.
Exemplos de epopeias
• A Epopeia de Gilgamesh
• A Ilíada e a Odisseia de Homero;
• Os Lusíadas de Camões;
• O uraguai de Basílio da Gama;
• Caramuru de Santa Rita Durão.
Gênero dramático
• Texto direcionado à encenação, ao teatro.
• Organizado em atos e cenas
• Presença de turnos de diálogo iniciados por travessão
(discurso direto), rubricas ou didascálias;
• Atores, plateia e palco
• Cenário, figurino e sonoplastia
• Linguagem corporal e gestual
• Ausência de narrador
Subgêneros dramáticos
• Tragédia: gênero considerado maior. Envolvia deuses e nobres.
Causava catarse. Autores: Sófocles, Ésquilo e Eurípides.
• Comédias: subgênero considerado menor. Envolvia pessoas comuns e
situações cotidianas. Causava riso.
• Tragicomédia: envolvia tanto acontecimentos tristes como alegres.
• Farsa: ridicularizam-se costumes e os personagens são
estereotipados.
• Auto: Argumento geralmente pautado na moral cristã. Autores:
Gil Vicente, Padre José de Anchieta, Ariano Suassuna.