Você está na página 1de 40

UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA

CAMPUS DE SÃO MIGUEL DO OESTE


CURSO DE FARMÁCIA

FISIOLOGIA DO SISTEMA
CARDIOVASCULAR

FISIOLOGIA

Prof.ª MSc. Sandra Fachineto


SISTEMA CARDIOVASCULAR

Transporte de O2 aos tecidos e remoção


dos produtos de degradação (CO2)

FUNÇÕES

Transporte de nutrientes aos tecidos

(POWERS; HOWLEY, 2005)


COMPONENTES DO SISTEMA
CARDIOVASCULAR - CORAÇÃO
COMPONENTES DO SISTEMA
CARDIOVASCULAR

O sistema circulatório humano é um circuito fechado que leva o


sangue a todos os tecidos do organismo

uma bomba
(coração);

um sistema de Arteríolas: artérias de pequeno


distribuição de alta calibre que distribuem sangue aos
pressão (artérias); capilares

vasos responsáveis
pela permuta
(capilares);

e um sistema de Vênulas: responsáveis pela coleta


coleta de retorno de de sangue dos capilares para as
baixa pressão (veias). veias.
(WILMORE; COSTILL, 2001)
VASOS SANGUÍNEOS
ESTRUTURA DO SISTEMA
CARDIOVASCULAR - VASOS SANGUÍNEOS

As paredes dos vasos O músculo liso vascular


O revestimento interno
sanguíneos são é o músculo dos vasos
de todos os vasos
compostas por camadas sanguíneos. A
sanguíneos é uma fina
de músculo liso, vasoconstrição reduz o
camada de endotélio,
tecido conectivo diâmetro do lumen do
que é um tipo de
elástico e tecido vaso e a vasodilatação
epitélio.
conectivo fibroso. o amplia.

(SILVERTHORN, 2010)
ESTRUTURA DO SISTEMA
CARDIOVASCULAR - VASOS SANGUÍNEOS
VASOS SANGUÍNEOS – ARTÉRIAS E
ARTERÍOLAS

 As fibras simpáticas do Sistema nervoso autônomo inervam o


músculo liso vascular. Um aumento na estimulação simpática
causa tipicamente a contração do músculo liso, comprimindo a
parede do vaso e estreitando o lúmen. Isso causa
vasoconstrição.

 A noradrenalina liga-se aos receptores alfa nos músculos lisos


vasculares causando vasoconstrição. A adrenalina proveniente
da medulla da suprarrenal reforça a vasoconstrição.

 Em contrapartida, quando a estimulação simpática diminui ou


na presença de certas substâncias como o óxido nítrico, as
fibras musculares relaxam e isso provoca vasodilatação.

(TORTORA; DERRICKSON, 2012)


A veia cava inferior traz o sangue proveniente das estruturas do corpo localizadas
abaixo do nível do coração (abdomen e membros inferiores) e a veia cava superior
das que se encontram acima do coração (cabeça e membros superiores)
Artéria aorta – principal artéria de onde originam-se as demais.

Carótidas

subclávias
Arco aorta
Ramo ascendente
aorta Artérias
coronárias
Coração
Ramo descendente
aorta

Artéria abdominal

Bifurcação -
femural

O coração tem seu próprio sistema de irrigação - artérias coronárias


direita e esquerda. Veia interventricular (recolhe sangue)
CIRCULAÇÃO PULMONAR E SISTÊMICA –
MECANISMO FISIOLÓGICO

Circulação sistêmica
Circulação pulmonar

É composta por estruturas que É composta por estruturas


levam o sangue rico em CO2 que são responsáveis pela
para os pulmões e que, após distribuição do sangue
as trocas gasosas, trazem-no oxigenado e com nutrients
de volta ao coração.
para todas as partes do
Ventrículo direito – artérias
corpo.
pulmonares – pulmões
(capilares pulmonares) – veias Átrio e ventrículo esquerdo –
pulmonares – átrio esquerdo… aorta e seus ramos – todos os
capilares (exceto os
pulmonares) – veias – átrio
direito…

(TORTORA; DERRICKSON, 2012)


CIRCULAÇÃO SANGUÍNEA

…Ventrículo direito – artéria pulmonar – pulmões – veias pulmonares


– átrio esquerdo - Ventrículo esquerdo – artéria aorta – sistemas
corporais – veias cavas – átrio direito...
RETORNO VENOSO
Retorno Volume de sangue que retorna das
venoso veias para o coração

Fatores que
regulam o Valvas – o sangue só pode retornar
retorno
venoso
rumo ao coração.

Fatores que Bomba muscular – quando os


regulam o músculos se contraem, comprimem as
retorno
venoso
veias e empurram o sangue em direção
ao coração

Bomba respiratória– criada pelo movimento do tórax durante a


Fatores que
regulam o
inspiração. Como o tórax se expande e o diafragma se move em
retorno direção ao abdomen, a cavidade torácia se amplia e diminui a
venoso pressão na veia cava inferior, que passa através do tórax, permitindo
que mais sangue das veias abdominais entre na veia cava.
(POWERS; HOWLEY, 2005; WILMORE; COSTILL, 2001)
ESTUDO DAS VARIÁVEIS
CARDÍACAS

Frequência cardíaca
Pressão arterial
CONTROLE DA ATIVIDADE CARDÍACA

Intrínseco Extrínseco
O próprio
coração pode É inervado pelo
regular sua sistema nervoso
atividade a cada autônomo.
momento.

Aumenta ou
Marcapasso
reduz a ativade
cardíaco.
cardíaca.

(POWERS; HOWLEY, 2005; WILMORE; COSTILL, 2001)


ATIVIDADE ELÉTRICA DO CORAÇÃO
CONTROLE INTRÍNSECO

NODO
SA NODO
FREQUÊNCIA
SA CARDÍACA
(FC)
A ritmicidade do Normalmente os
nodo SA do impulso gerados
coração humano no nodo SA, são
é de propagados por
Número de
aproximadamente todo o músculo
batimentos por
60-80 bpm cardíaco,
minuto
produzindo a
contração rítmica
de todo o coração

(POWERS; HOWLEY, 2005; WILMORE; COSTILL, 2001)


VALORES TÍPICOS DE FC EM REPOUSO
DE INDIVÍDUOS ADULTOS

FC
INDIVÍDUO
(batimentos/min)
Homem/ mulher não 70 - 80
treinados
Homem/ mulher 50 - 60
treinados

Em crianças de 2 a 6 anos é de 100 a 110 batimentos por minuto,


crianças acima de 8 anos até adolescência é de 80 a 100 batimentos
por minuto. Em recém-nascidos até 23 meses é de 120 a 140
batimentos por minutos.

(POWERS; HOWLEY, 2005)


CONTRAÇÃO DO MÚSCULO CARDÍACO –
MECANISMO DE CONDUÇÃO ELÉTRICA

O coração pode se contrair


sem uma conexão com
A maior parte do coração é
outras partes do corpo, pois
composto por células
o sinal para a contração é
musculares cardíacas ou
miogênico, ou seja, é
miocárdio.
originado dentro do próprio
músculo cardíaco.

O sinal para a contração


miocárdica não é As células autoexcitáveis
proveniente do SNC, mas são também denominadas
de células miocárdicas células marcapasso porque
especializadas conhecidas elas determinam a
como células frequência cardíaca (FC)
autoexcitáveis.

As células marcapasso cardíacas estão localizadas no átrio direito em


uma região chamada nó sinoatrial (nó SA).

(SILVERTHORN, 2010)
CONTRAÇÃO DO MÚSCULO CARDÍACO –
MECANISMO DE CONDUÇÃO ELÉTRICA

O coração contrai-se espontaneamente


(grupo de células que geram atividade Fibras de
purkinje
elétrica por conta própria).

Nó SA – marcapasso
natural do coração localizado na Nó SA
parede atrial direita
Nó AV

Fibras de purkinje: fibras especializadas


que conduzem o impulso elétrico do
marcapasso para o resto do coração.

(POWERS; HOWLEY, 2005; WILMORE; COSTILL, 2001)


CONTRAÇÃO DO MÚSCULO CARDÍACO –
MECANISMO DE CONDUÇÃO ELÉTRICA

O impulso elétrico sai do nó SA (1) e vai para o


átrio direito e esquerdo, fazendo-os contraírem
juntos

Há então um atraso natural para permitir que


os átrios contraiam e os ventrículos se encham
de sangue.

O impulso elétrico então vai para o nó


atrioventricular (nó AV) (2)

O impulso elétrico vai para o feixe de


Hiss (3) e se ramifica nos feixes direito e
esquerdo (4) onde se espalha rapidamente
usando as fibras de Purkinje (5) para os
músculos do ventrículo direito e esquerdo, que
se contraem ao mesmo tempo.

(POWERS; HOWLEY, 2005)


CONTROLE EXTRÍNSECO DA FC

FC

Uma FC de repouso
Regulação da FC
baixa tende a
Regulação da FC representar um bom
quadro de saúde,
Nervo simpático
enquanto valores
(aumento da FC) e;
mais altos
A FC pode ser
aparentemente
aumentada ou nervo
estão relacionados a
diminuída através do parassimpático
risco aumentado de
controle do sistema (diminuição da FC).
mortalidade.
nervoso autônomo.

(ALMEIDA; ARAÚJO, 2003; POWERS; HOWLEY, 2005)


CICLO CARDÍACO

CICLO CARDÍACO
SÍSTOLE= contração,
Eventos relacionados quando o ventrículo
ao fluxo e pressão esquerdo ejeta o sangue
sanguíneos que ocorrem para as artérias.
desde o início de
um batimento cardíaco DIÁSTOLE= relaxamento,
até o próximo batimento. quando o coração (átrios)
recebem o sangue
SÍSTOLE proveniente das veias.
DIÁSTOLE

(POWERS; HOWLEY, 2005)


PRESSÃO ARTERIAL

É a força exercida pelo


sangue contra as
artérias

PRESSÃO PRESSÃO
ARTERIAL ARTERIAL
SISTÓLICA DIASTÓLICA
(PAS) (PAD)
O principal centro
É a pressão gerada regulador da PA é Durante o relaxamento
quando o sangue é o bulbo ventricular (diástole), a
ejetado do coração pressão arterial
durante a sístole diminui.
ventricular
A PAD indica a resistência periférica, ou
a facilidade com que o sangue flui das
arteríolas para dentro dos capilares.

(POWERS; HOWLEY, 2005)


DÉBITO CARDÍACO
O débito cardíaco (DC) é o produto da frequência cardíaca (FC) e
o volume sistólico (VS) (quantidade de sangue, em mL, bombeado
por batimento cardíaco ou por contração – única ejeção ventricular)

DC = FC x VS

Utilizando os valores médios da FC em


repouso de 72 bpm e do volume sistólico de
70 mL por batimento, temos:

DC=72 bpm x 70 mL/batimento


DC=5.040 mL/min (aproximadamente 5 L/min)

Durante o exercício físico, o débito cardíaco pode chegar a 30-35 L/min.

(SILVERTHORN, 2010)
REGULAÇÃO DA PRESSÃO SANGUÍNEA

O SNC coordena o controle reflexo da


pressão sanguínea. O principal centro
integrador situa-se no bulbo.

Mecanorreceptores sensíveis ao
estiramento conhecidos como
barorreceptores estão localizados nas
paredes das artérias carótidas e da aorta…

…aonde eles podem monitorar a pressão


do sangue que está fluindo para o encéfalo
(barorreceptores carotídeos) e para o
resto do corpo (barorreceptores aórticos)

(SILVERTHORN, 2010)
REGULAÇÃO DA PRESSÃO SANGUÍNEA –
REFLEXO BARORRECEPTOR

O centro de controle
cardiovascular integra o
Quando a pressão sanguínea estímulo sensorial e desencadeia
nas artérias aumenta, a uma resposta adequada.
membrana dos barroreceptores
captam a informação e A resposta do reflexo
encaminham para o centro de barroreceptor é muito rápida:
controle cardiovascular bulbar mudanças no débito cardíaco e
via nervos aferentes. na resistência periférica ocorrem
dentro de dois batimentos
cardíacos após o estímulo.

(SILVERTHORN, 2010)
REGULAÇÃO DA PRESSÃO SANGUÍNEA –
REFLEXO BARORRECEPTOR

Os sinais de saída do centro Quando a FC cai, o débito


de controle cardiovascular cardíaco também cai.
são conduzidos via nervos
autonômicos simpáticos e Na circulação, a diminuição
parassimpáticos. da atividade simpática causa
dilatação das arteríolas.
Em resposta o centro
integrador aumenta a A combinação da redução do
atividade parassimpática e débito cardíaco e da
diminui a atividade simpática diminuição da resistência
para retardar o coração. periférica reduz a pressão.

(SILVERTHORN, 2010)
FISIOLOGIA DO
SANGUE
SANGUE

PLASMA CÉLULAS

Porção líquida do  Eritrócitos ou


sangue glóbulos vermelhos
Plaquetas
Contém água, íons, Leucócitos ou
proteínas, glóbulos brancos
hormônios…

(POWERS; HOWLEY, 2005)


ELEMENTOS CELULARES

1 2 3
ERITRÓCITOS PLAQUETAS LEUCÓCITOS

Contém Fazem a Fundamentais na


hemoglobina coagulação prevenção de
que é utilizada sanguínea infecções
para transporte
de oxigênio

(POWERS; HOWLEY, 2005)


REFERÊNCIAS
 ALMEIDA, M. B.; ARAÚJO, C. G. S. Efeitos do treinamento aeróbico
sobre a frequência cardíaca. Revista Brasileira de Medicina do
Esporte, v. 9. n. 2. p. 104 – 112, mar./abr., 2003.

 MONTEIRO, M. F.; SOBRAL FILHO, D. C. Exercício físico e controle


da pressão arterial. Revista Brasileira de Medicina do Esporte,
v. 10. n. 6. p. 513– 516, nov./dez., 2004.

 POWERS, S. K.; HOWLEY, E. T. Fisiologia do exercício: teoria e


aplicação ao condicionamento e ao desempenho. 5. ed. São Paulo:
Manole, 2005

 WILMORE, J. H.; COSTILL, D. L. Fisiologia do esporte e do


exercício. 2. ed. São Paulo: Manole, 2001.