Você está na página 1de 20

APRENDIZAGEM DO ADULTO

PROFESSOR
Vera Maria Nigro de Souza Placco
Vera Lucia Trevisan de Souza
(Organizadoras)

1
 A aprendizagem do adulto resulta da
interação entre adultos.

2
Aprendemos quando e como?

- no confronto de ideias e ações;


- experimentando, acertando e errando;
- ouvindo experiência dos outros;
- recorrendo à memória do que conhecemos e vivemos;

3
- escrevendo sobre determinado assunto;
- dissecando o novo, subdivindo-o e juntando-o de outra forma (análise e
síntese)
- exercitando e refletindo sobre a prática;

4
- acumulando ideias e testando-as;
- pesquisando;
- estudando teorias, questionando, clareando posições
- refletindo sobre nosso próprio modo de aprender.

5
 Dentre os fatores e motivos internos que
influenciam nossa aprendizagem estão:
desejo, interesse, compromisso, necessidade,
curiosidade, disciplina, gosto pelo que se faz,
emoções.

6
 Reconhecemos também fatores e motivos externos que interferem no
processo, como: ajuda mútua, contexto sociopolítico- pedagógico,
respeito à diversidade cultural.

7
 É na interação entre esses fatores e condições, de maneira dinâmica e
permanente, que o processo de aprendizagem se desenvolve.

8
Aspectos importantes na aprendizagem de
adultos
 A experiência: possibilita tornar o conhecimento significativo, por meio
das relações que desencadeiam.

 O significativo: aprender envolve uma interação de significados cognitivos


e afetivos.

9
- O proposital: é algo que direciona o adulto aprendiz, uma necessidade que
o move, uma carência a superar.

- A deliberação: aprender decorre de uma escolha deliberada de participar


ou não de dado processo.

10
 Mediante essa perspectiva, pode-se dizer que a aprendizagem decorre:

- da consciência da necessidade de mobilizar recursos pessoais e sociais,


internos e externos, para atingir determinados objetivos.

11
12
 Também consideramos que aprendemos de muitas formas, por intermédio
de múltiplas relações.

 Entretanto, é só no grupo que ocorre a interação que favorece a


atribuição de significados, pela confrontação dos sentidos.

13
 Aprender, de um lado, supõe aceitar que não se sabe de tudo, ou que se
sabe de modo incompleto ou impreciso ou mesmo errado;

 de outro, relaciona-se ao prazer de descobrir, de criar, de inventar e


encontrar respostas.

14
 Nesse processo de apropriação de
conhecimento concorrem os afetos, os desejos,
as histórias pessoais de atores singulares.

 A aprendizagem não é um tempo de preparação


para o exercício de uma atividade ou modo de
funcionar no futuro.

15
 Assim, essa condição de aprendiz envolve a subjetividade, memória,
metacognição, a história pessoal e profissional, amalgamadas nos e pelos
saberes e experiências vividas pelos professores em sua formação
docente.

16
17
LEITURA COMPLEMENTAR- OBRIGATÓRIA

PLACCO, Vera Maria Nigro de; SOUZA, Vera


Lucia Trevisan. Aprendizagem do adulto
professor. 2 ed. São Paulo: Loyola,
2015.Aprendizagem do adulto
professor.pdf

PLACCO, Vera Maria Nigro de; SOUZA, Vera


Lucia Trevisan. Os sentidos e significados
para o sujeito que aprende: a
subjetividade em questão. 2 ed. São Paulo:
Loyola, 2015.A subjetividade em
questão.pdf
18
Sugestão de leitura
complementar
Observação: Texto em espanhol, porém de fácil compreensão.
Não há tradução disponível

ESTRESSE E ANSIEDADE NA FORMAÇÃO DO ADULTO -


Cómo Aprenden los Adultos.docx (1).pdf

19
Referência
PLACCO, Vera Maria Nigro de; SOUZA, Vera Lucia Trevisan. Aprendizagem do
adulto professor. 2 ed. São Paulo: Loyola, 2015.

20