Você está na página 1de 18

Os Testes do Caminho

EBD – IPBVIT
05 de Agosto de 2018
Agenda
• Introdução
• Ter ou ser mestre?
• Primeiro ou depois com o Mestre?
• Integralmente ou parcialmente com o Mestre?
• Conclusão
• Aplicação
Introdução

 Jesus nunca quis arregimentar discípulos prometendo


facilidades ou falácias

 Muitos queriam segui-Lo

 Motivo: Jesus era um homem impressionante

 A maioria estava sedenta por sinais

 Estavam menos preocupados com aspectos teológicos dos


milagres, e muito mais com os benefícios e bênçãos
Introdução
 Seguiam pensado que seriam supridos, teriam notoriedade.

 Jesus sempre fez questão de mostrar a realidade

 Nunca incentivou a segui-Lo pelas motivações erradas

 Sabia que muitos pareciam interessados, mas o abandonariam


ao final

 Jamais facilitou as coisas para quem desejava segui-Lo

 Podemos entender bem isto em Lc. 9:57-62, onde interagiu


com três pretendentes a discípulo
Ter ou ser Mestre?
 Lc. 9:57 – Um voluntário!

 O que levaria a fazer uma afirmação de forma tão empolgada?

 A decisão de seguir alguém sempre leva a consequências


sérias

 É abrir mão de seus planos pessoais, ideais de vida, enfim o


caminho escolhido

 Seguir outro é deixar que alguém comande sua vida, seu


destino, seu futuro

 É transferir a autoridade sobre si, e viver em obediência


Ter ou ser Mestre?
 Quais motivos levam uma pessoa a uma decisão desta?

 Seria aprender/usufruir mais do Mestre?

 Seria para ser do Mestre ou ter do Mestre?

 Este homem era um escriba, conforme Mateus

 Escribas eram mestres, cultos, doutos na Lei

 E ele estava impressionado com os milagres de Jesus

 Em resposta a pregação, se ofereceu para segui-Lo


Ter ou ser Mestre?
 Mas, Jesus notou um interesse oculto neste desejo – Lc. 9:58

 Talvez vantagens materiais, prestigio, mas tudo hipotético

 A realidade foi a resposta de Jesus, em que os discípulos não


devem estar interessados em benefícios

 Ao contrário, deve estar disposto a enfrentar lutas e carências

 Este evangelho é bem diferente do que vemos hoje

 Não é de hoje que multidões andam atrás de Jesus com o


único interesse de conseguir bênçãos
Primeiro ou depois com o Mestre?
 O seguidor mencionado em Lc.9:57-58, estava
excessivamente resoluto a ser um discípulo, mas já o seguinte,
estava excessivamente irresoluto
 Chamado pelo próprio Jesus, Lc.9:59, relutou
 O que leva alguém a retardar um convite deste?
 A decisão de não seguir a Cristo imediatamente, tem
consequências serias
 Ele parecia ter uma tarefa mais urgente, quando resolvesse o
seguiria
Primeiro ou depois com o Mestre?
 Havia uma discussão se o pai dele já estava morto ou não,
mas o texto não é claro neste ponto, e é bom até que não seja

 Pois o fato relevante não é este, e sim a priorização de outras


coisas em detrimento a Jesus

 Ele não entendeu que Jesus deve ter prioridade na vida de um


discípulo sempre

 Apesar de muitos se assustarem com esta ideia, Jesus deixou


bem claro que esta era uma condição fundamental para
alguém ser um verdadeiro discípulo
Primeiro ou depois com o Mestre?
 Jesus não é contra as pessoas sepultarem seus familiares, o que
Ele não pode admitir é a desobediência

 Esta disponibilidade habilita o discípulo para o Reino de Deus

 O problema estava no uso da palavra “primeiro” para outra coisa


que não Jesus

 Primeiro é somente Jesus sempre, as demais coisas vem depois

 “Deixe os mortos sepultarem os mortos” demonstra claramente


que a atividade de sepultamento esta em harmonia com os
espiritualmente mortos
Primeiro ou depois com o Mestre?
 Um discípulo tem uma tarefa muito maior, que está relacionada com o
vivos, que é pregar o Reino de Deus
 A maior realidade do mundo é a morte e a do discípulo é a do Reino de
Deus
 Este Reino veio justamente se contrapor a morte
 Seguir Jesus implica em prioridade total a Ele
 Colocar outra coisa em prioridade significa idolatria – Mt 6:33
 Quem recusa a Cristo afirma permanecer senhor de si mesmo
 Como insistir nisto diante da realidade do Reino – Jo 6:68, Jo 8:18
Integralmente ou parcialmente
com o Mestre?
 O terceiro, voluntariamente dizia que Jesus poderia contar com
ele no futuro
 Quis segui-Lo, mas no tempo que fosse melhor e mais adequado
a ele
 A decisão de colocar obstáculos para comunhão com Cristo, tem
consequências sérias
 É assumir que não pode seguir pois tem outra tarefa
 É assumir que o comando sobre você, sua vida, seu destino e seu
futuro, numa tentativa de dar a sua alma uma segurança que só
Jesus pode dar – Lc 12:20
Integralmente ou parcialmente
com o Mestre?
 Qual o motivo deste voluntariado parcial?

 Amor a família? Insegurança? Duvida sobre o testemunho a


ser dado? Lc 9:61

 Jesus podia ver o que estava escondido em seu coração, viu o


princípio da dúvida, que ele estava vacilante

 Se voltasse para casa poderia não retornar mais e assim não


cumprir sua palavra

 Por isto a afirmação de Jesus – Lc 9:62


Integralmente ou parcialmente
com o Mestre?
 É obvio que Jesus não estava pregando o desrespeito aos pais,
ele sabia o valor da família – Jo 19:26-27
 A questão aqui esta somente sobre o sentimento de dúvida que
Jesus identificou no coração do pretendente
 Jesus não poderia receber como discípulo, alguém que não
estava totalmente convencido em segui-lo
 Um coração dividido não é terra boa para semente frutificar – Mt
13:22
 Jesus assim acaba com qualquer possibilidade de segui-lo com
reservas o discipulado é total – Mt 12:30
Integralmente ou parcialmente
com o Mestre?

 Seguir Jesus sempre foi uma tarefa de consagração integral

 O homem não pediu permissão para se despedir, ele informou


que primeiro iria se despedir dos de casa

 Quem não considera Cristo como o senhor absoluto da sua


vida, afirma permanecer senhor de si.

 Como fazer isto diante dEle? - Mt 28:20 , Hb. 12:1-3


Conclusão
 A narrativa que estudamos, apresenta-nos três candidatos a
discípulo

 Todos três receberam alguma reprovação de Jesus

 Não estavam aptos

 O primeiro por não estar preparado para privações

 O segundo tinha algo mais urgente a fazer

 O terceiro não esta totalmente convencido

 Não dá para seguir a Jesus carregando estes sentimentos


Conclusão
 Jesus arregimenta soldados e não mercenários

 Não queria alguém que viesse após si que não fosse


consciente das dificuldades

 Pertencer a Cristo, prioridade e integralidade são requisitos


básicos para um discípulo

 Ser discípulo é não esperar vantagens

 Mas apesar de tudo aqueles que o sehuem recebem o maior


dos tesouros
Aplicação
 Qual nossa maior motivação para sermos Cristãos?

 Mt 12:22-23 - De quem somos?

 Mt 13:1-23 - A que solo se assemelha nosso coração?

 Fl 4:10-20 – Estamos supridos ou vivemos em busca de


alguma vantagem?

 Mt 6:25-33 – Ele é o alvo da nossa busca?

 Cl 1:13-25 – Nossa plenitude reside em Cristo?

 Fl 2:1-11 – Jesus Cristo é o nosso exemplo?