Você está na página 1de 14

OS

INSTRUMENTAIS PARA OS SERVICOS DE


ACOLHIMENTO

CURSO SERVICOS DE ACOLHIMENTO PARA


CRIANCAS E ADOLESCENTES: PROTECÃO
INTEGRAL E GARANTIA DE DIREITOS

FIOCRUZ/MDS 2018
PLANO DE ACOLHIMENTO

 Instrumento da gestão municipal, o Plano de Acolhimento tem como


objetivo a adequação da oferta de serviços de acolhimento para crianças e
adolescentes no território.
 Ele surge, em 2013, a partir das resoluções n. 15 e 17 da Comissão
Intergestores Tripartite (CIT) e das resoluções n. 23 e 31 do Conselho
Nacional de Assistência Social (CNAS), do mesmo ano, que deram início
ao processo de expansão qualificada dos serviços de acolhimento para
crianças e adolescentes (abrigo institucional, casa-lar e família acolhedora)
e jovens até 21 anos (república) e ao processo de reordenamento.
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO

 Segundo as Orientações Técnicas para os Serviços de Acolhimento


para Crianças e Adolescentes, cabe ao PPP “orientar a proposta de
funcionamento do serviço como um todo, tanto no que se refere ao seu
funcionamento interno, quanto seu relacionamento com a rede local, as
famílias e a comunidade”.

 É projeto por que?


 É político por que?
 É pedagógico por que?

.
PRONTUÁRIO INDIVIDUALIZADO

 Prontuário Individualizado (PI) é um instrumento para o


acompanhamento de crianças e adolescentes em serviços de
acolhimento previsto no ECA.
 No PI, se faz o registro de toda e qualquer atividade realizada direta
ou indiretamente com a criança ou adolescente durante o período de
aplicação da medida protetiva de acolhimento (art. 98, ECA, 1990).
Ele deve ser composto por um registro do trabalho diário realizado
pela equipe técnica e demais profissionais do serviço de acolhimento
com as crianças e adolescentes, além de conter dados pessoais sobre
estes e suas famílias.
PRONTUÁRIO INDIVIDUALIZADO

 ► Identificação da criança/adolescente
 ► Dados jurídicos
 ► Características da criança/adolescente
 ► Identificação dos pais/responsáveis
 ► Informação sobre pessoas significativas para a criança/
adolescente
 ► Informações sobre a família extensa
PRONTUÁRIO INDIVIDUALIZADO

 ► Acolhimento de irmãos
 ► Composição familiar
 ► Situação de risco/vulnerabilidade
 ► Histórico de violência e violação de direitos
 ► Circunstâncias do acolhimento
 ► Histórico de acolhimento institucional ou familiar
 ► Documentação da criança/adolescente/família
PRONTUÁRIO INDIVIDUALIZADO

 ► Documentação da criança/adolescente/família
 ► Desenvolvimento da criança/adolescente/família
 ► Condições de saúde e controle de medicação de crian- ças/adolescentes
 ► Condições educacionais da criança/adolescente
 ► Condições habitacionais dos pais/responsáveis
 ► Convivência familiar e comunitária
 ► Inclusão em serviços, programas e projetos da criança/ adolescente/família
 ► Encaminhamentos realizados
DEFINICÃO DO PIA

 Instrumento de planejamento que orienta e


sistematiza o trabalho a ser desenvolvido com
cada criança e adolescente acolhido e sua
família pelo serviço de acolhimento, em
articulação com os demais serviços, projetos e
programas da rede local, durante o período de
acolhimento e após o desligamento da criança
ou adolescente do serviço.
QUEM ELABORA O PIA?

 Principal responsável pela elaboração e


atualização: equipe do serviço de
acolhimento
 Participação ativa: os acolhidos, suas
famílias, cuidadores/educadores, pessoas
da comunidade com vínculos
significativos.
EIXOS NORTEADORES

 A oferta de cuidados de qualidade e


proteção ao desenvolvimento e direitos da
criança e do adolescente durante o
período do acolhimento;
 Fortalecimento dos vínculos e do convívio
saudável com a família de origem;
EIXOS NORTEADORES

 A preservação da convivência
comunitária;

 A preparação para o desligamento;

O acompanhamento pós desligamento.


ELABORACÃO DO PIA

 Primeira etapa: acolhida inicial, ações emergenciais e estudo


da situação. Recomenda-se que seja encaminhado ao
judiciário em até 20 dias após o acolhimento.
 Segunda etapa: ações e estratégias a serem desenvolvidas
durante o acolhimento e pós desligamento. Recomenda-se que
seja finalizado e encaminhado em até 45 dias. Sugere-se a
utilização do modelo proposto na parte II das OT.
RELATÓRIO

 Relatocom a análise da situação da


criança/adolescente em acolhimento para
subsidiar o Ministério Público e o Poder
Judiciário para suas tomadas de decisões.
ALICE DUARTE DE BITTENCOURT E
JULIANA SALIBA DI THOMAZO

alicebitt@yahoo.com.br julianathomazo@gmail.com
 11-9 9957-7980 (whats)  11-9 9811 6597 (whats)
 19-9 7412-6029
 Face - Alice Bittencourt
NECA Campinas
 Skype - Alice.bittencourt5