Você está na página 1de 5

PLANEJAMENTO

Intervenção com grupos – SCFV Crianças e adolescentes


CRAS - PAIF

Técnicos PAIF: Psicólogo: Daniel Brum Assistente Social: Helena


Técnico referencia SCFV: Néia

GINCANA DE FÉRIAS

FAIXA ETÁRIA: Acima de 6 anos.

LOCAL: São Jõao: ...; Vargem Grande: ... e Divino das Palmeiras:... .

ESTIMULAR: Atenção, Cooperação, Criatividade, Estratégia, Socialização. ....

PARTICIPANTES: Crianças do SCFV de crianças e adolescentes.

MATERIAL: Descrito nas atividades selecionadas.

COMO BRINCAR: Uma maneira diferente para propor a participação em brincadeiras de rua e salão de
festas é organizando uma disputa reunindo várias delas.

Divida as crianças em equipes de números iguais e siga a sequência de provas abaixo. Nem todos os
integrantes precisam participar de todas as provas: quem não participar estimula os outros
companheiros na torcida.

A equipe campeã será a que conseguir vencer mais provas. Cada prova tem o valor de 1 (um) ponto.
Dica: monte pompons ou faixas na cabeça para distinguir um time do outro e prepare um prêmio para a
equipe campeã.
O evento contará com a distribuição de faixas e pompons distinguindo as equipes, lanche composto por
cachorro quente e refrigerante e a sacolinha de lembrancinha personalizada com doces, balas, pipoca.

1° Prova: Corrida ao contrário

Os corredores dão 25 voltas em um cabo de vassoura e correm de costas até a linha de chegada. Quem
chegar primeiro vence.

2° Prova: Corrida do saco

Cada corredor deve receber um saco, e entrar dentro. Da largada, o corredor deve sair saltando com o
saco até chegar no ponto final da corrida. Para integrar todos os participantes na prova, pode fazer um
revezamento e a equipe que acabar a prova primeira ganha os pontos da atividade.

3° Prova: brincadeira da toca

Em um espaço desenha-se vários espaços no chão ou espalhar bambolês pelo piso. O número de
espacinhos deve ser menor que o número de participantes da prova.Separe-se uma quantidade igual de
participantes de cada equipe para brincar. As crianças devem ficar correndo sem entrar nos espacinhos,
enquanto está tocando uma música. Quando a música parar, cada criança deve correr para a toca
(espaço). Na toca só pode ter uma criança por vez.

As crianças que ficaram sem espaço saem da prova. Para a próxima etapa, deve-se diminuir a
quantidade de espaços, e sempre deixar o número menor que a quantidade de participantes.

No final, sobra apenas um participante e os pontos da vitória vão para a equipe da qual a criança faz
parte.

4° Prova: Carrinho de mão

Essa atividade para gincana escolar para crianças é ideal para incentivar a cooperação, já que não dá
para ganhar sozinho. Para a competição é preciso dois participantes de cada equipe.

Um dos participantes deve deitar no chão (de barriga para baixo) enquanto o outro levanta suas pernas
puxando com as mãos. O participante que está no chão deve fazer força com os braços, e assim a
corrida começa. A pessoa de trás vai segurando as pernas, enquanto o que estava deitado deve ir
correndo com as mãos.

5° Prova: Corrida da vassoura

Corre um representante de cada equipe nessa corrida só de ida. O objetivo é equilibrar uma vassoura na
palma da mão enquanto correm. Se a vassoura cair antes da linha de chegada, o corredor volta ao início
e começa tudo outra vez. Ganha quem cumprir a tarefa corretamente primeira.

6° Prova: Cara na farinha

Para a prova, os participantes são colocados em uma bancada com pratos de farinha. Em cada prato de
farinha deve ter balas ou chicletes escondidos (a mesma quantidade por prato).

O número de balas ou chicletes deve ser anunciado ao candidato (ex: há 3 balas por prato). Com as
mãos para trás, o candidato deve colocar o rosto no prato de farinha e o que candidato que retirar com
a boca a quantidade total de bala/chiclete de seu prato ganha a prova.

7° Prova: Gude no Litro

Para a prova, os participantes são colocados em uma fila e devem tentar da altura da cintura, lançar
uma bola de gude para que esta caia dentro de uma garrafa PET.
Provas para casa:

Dando continuidade as atividades propostas e fomentando o a interação entre os membros,


desenvolvimento de habilidades como o trabalhar em equipe, liderança, empatia e envolvendo os eixos
fundamentais da Participação e Convivência Social, fortalecimento do sentimento de pertença ao
território.

“A participação social da criança visa ao desenvolvimento da sua cidadania, resultando na


potencialização de sentimentos de segurança e de pertencimento. Reconhecer a criança
enquanto agente participativo implica permitir que ela desenvolva sentimentos de
pertencimento em relação ao grupo social, à comunidade, ao município do qual faz parte, na
medida em que oportuniza reflexões contínuas sobre diferentes situações. Essa construção de
sentimento de pertencimento é o que torna uma pessoa cidadã.” (BRASIL, 2010, p. 79).

Sendo assim, foram propostas as seguintes atividades orientadas e apresentadas presencialmente, mas
desenvolvidas externamente de modo extra-serviço:

1º Prova: Maquete do meu lugar especial

essa atividade se consiste em propor para que as equipes devidamente nomeadas e distribuídas se
reúnam para eleger um lugar especial no município favorito do grupo, para que eles possam planejar no
CRAS como farão e o que precisarão de materiais para o fazerem e concluam a confecção da maquete
em suas casas, reunindo para apresentação da mesma para avaliação e pontuação da banca
examinadora. A maquete poderá ser pontuada pelos critérios de mais bonita, mais elaborada e mais
criativa.

Exemplos 1:

2º Prova: Fazendo arte!

Estimular o desenvolvimento através da arte e da ludicidade são os objetivos desta atividade que se
consiste em pintar as histórias da criação do município, onde as crianças deverão pesquisar a história da
fundação do município de São João do Manteninha e representar na forma de uma pintura onde
participarão todos os membros da equipe em uma mesma tela ou individualmente, sendo que a equipe
que tiver a maior parte dos quadros melhor avaliado será a vencedora dessa prova. Além da pintura,
será necessária a apresentação do significado da pintura para a banca avaliadora, associando com a
história do município que teve a intenção de contar.

Exemplo 2:
3º Prova: Troféu solidariedade.

Promover em grupo uma pesquisa para identificar a pessoa ou organização que no município fornece
algum tipo de “ajuda solidária” e criar uma arte que sirva de prêmio. A entrega deverá ser fotografada e
apresentada. A equipe que tiver a historia mais interessante com a pessoa / instituição que tiver o
trabalho mais relevante no âmbito da assistência social será a premiada.

4º Prova: Idéias Avulsas:

 Oficinas de arte com materiais recicláveis


 Oficinas de escultura

 Oficinas de educação ambiental

 Visita guiada ao conselho tutelar

Eixos:
 Convivência Social
o O sentimento de pertença, a construção da identidade.
o Os laços sociais com base em relações de solidariedade,
tolerância, fraternidade e de reconhecimento e respeito à
alteridade.
o As relações de cidadania, apoio e solidariedade para a superação
das vulnerabilidades sociais;
 Participação
Temas:
 Infância/Adolescência e Direitos Humanos e Socioassistenciais;
 Infância/Adolescência e Saúde;
 Infância/Adolescência e Meio Ambiente;
 Infância/Adolescência e Cultura;
 Infância/Adolescência e Esporte, Lazer, Ludicidade e Brincadeiras;
 Infância/Adolescência e Trabalho.

Referência Bibliográfica

ANDRADE, Gregori Suely. Teoria e prática de dinâmica de grupo: Jogos e


Exercícios.São Paulo: Casa do Psicólogo, 1999.

BENJAMIN, Alfred. A entrevista de ajuda. Editora Martins Fontes, 2004.

__________________ ____________________
Psicólogo Assistente Social
Daniel Brum Lílian Ferreira