Você está na página 1de 26

CULTURA E COMUNICAÇÃO Profa.

Isabel Rodrigues

INSTITUCIONAL COMPARADAS 2019


CULTURA ORGANIZACIONAL:
PRIMEIROS APONTAMENTOS Aula 02
“O objetivo maior de uma descrição de
cultura é resolver, representar e,
contextualmente, explicar os significados
que os seres humanos criam para si
próprios por meio da interação social.”

(MARCHIORI, 2006b, p.82).


CULTURA E PODER NAS ORGANIZAÇÕES
A cultura se forma pela atuação dos grupos e fomenta o que se
pode chamar de “personalidade da organização”.

Culturas são continuamente formadas e transformadas pelas


pessoas nos espaços organizacionais. “A comunicação é a fase
fundamental nesse processo, uma que vez que a cultura se forma a
partir do momento em que as pessoas se relacionam.”
(MARCHIORI, 2006, p.69)
CULTURA E PODER NAS ORGANIZAÇÕES
Cultura e comunicação são, com certeza, recursos indissociáveis,
estratégicos e responsáveis pelo desempenho das organizações. É
preciso olhar para a cultura e comunicação como processo de
desenvolvimento das organizações.

A cultura é compartilhada, ressalta o comprometimento das


pessoas com valores, tem sentido emocional, estabelece
identificação dos membros e aprova ou não comportamentos.
CULTURA E PODER NAS ORGANIZAÇÕES
O antropólogo americano Clifford Geertz (1989, p.3) apresenta
uma nova abordagem sobre o conceito de cultura: “um sistema de
concepções herdadas expressas em formas simbólicas por meio
das quais os homens comunicam, perpetuam e desenvolvem seu
conhecimento e suas atividades em relação à vida”.

Bennis (1969) considerou que a única forma de se mudar uma


organização é quando se muda a cultura. Ott (1989, p.60)
destaca que a cultura organizacional afeta fortemente o
desempenho organizacional.
CULTURA E PODER NAS ORGANIZAÇÕES
Martim (2002, p.5) complementa: o que distingue o estudo da
cultura é o entendimento da maneira como as pessoas
interpretam significados das manifestações e como essas
interpretações formam padrões de clareza, inconsistência e
ambiguidade, os quais podem ser utilizados para caracterizar
um entendimento sobre a vida do trabalho.
Cada cultura possui características inerentes à realidade
estudada, ou seja, cada cultura é única.
PERSPECTIVAS DE ESTUDOS DA COMUNICAÇÃO E
CULTURA
A corrente interpretativa concentra-se na complexidade dos
significados. Acaba por tratar uma organização como construção
da realidade, sendo o processo de organizar e comunicar
ininterrupto (KEYTON, 2005, p.79).

Sistema de interação: concentra seus esforços nos comportamentos


externos como unidades fundamentais da análise, isto é,
consideram-se as sequências comunicativas dos grupos em vez dos
“filtros conceituais” individuais ou de interpretações
compartilhadas de eventos e atividades.
ELEMENTOS DE CULTURA
Os autores Driskill e Brenton (2005, p. 42) propõem cinco elementos de cultura,
assim classificados:
1. Valores, (elemento-mestre);
2. Elementos simbólicos (símbolos, história, linguagem e metáforas);
3. Modelos (heróis);
4. Elementos interativos (ritos e rituais, estilo, comunicação organizacional);
5. Elementos contextuais (histórias, lugares).
CULTURA E PODER NAS ORGANIZAÇÕES
Uma organização age basicamente sobre dois ambientes
interligados: o interno e o externo. Aspectos fundamentais
para esse desenvolvimento são a dinâmica
organizacional e o nível de conscientização e
comprometimento dos membros com a organização em
busca do que se intitulam novas relações internas.
CULTURA E PODER NAS ORGANIZAÇÕES
Keyton (2005, p.20) observa que uma organização é construída
pela interação entre os membros, emergindo a cultura
organizacional da complexidade e da contínua rede de
comunicação formada entre esses membros.
Dessa forma, entende-se que as pessoas estão simultaneamente
respondendo à realidade social e simbólica da cultura
organizacional e criando-a.
Cultura organizacional é a comunicativamente construída. Ela é
tanto um processo de interação quanto um produto dessas
interações.
CULTURA E PODER NAS ORGANIZAÇÕES
A cultura reflete a essência de uma organização, um processo
que necessariamente envolve e produz conhecimento. A
comunicação cria, dessa forma, a cultura organizacional e
fortalece a identidade de uma empresa.

Cultura é um processo de construção de significados, os quais se


obtêm por meio da interação social, sendo a comunicação
primordial e natural nesse contexto.
CULTURA E PODER NAS ORGANIZAÇÕES
O processo de formação de cultura envolve prioritariamente a
comunicação, por meio das experiências, dos conhecimentos e dos
relacionamentos que acabam por constituir a história desses
empreendimentos.

Keyton (2005, p.50) afirma que símbolos são indicadores físicos


poderosos da vida organizacional e do fundamento a partir do
qual as pessoas imaginam significados para o entendimento dos
artefatos, valores e pressupostos básicos.
CULTURA E PODER NAS ORGANIZAÇÕES
Keyton (2005, p.13) afirma que a comunicação organizacional é
um processo complexo e contínuo por meio do qual as pessoas
criam, mantêm e mudam a organização.

A formação da cultura organizacional está intimamente ligada ao


processo do conhecimento e do relacionamento. Se cada cultura é
única, deve ser fortemente considerada por aqueles que
representam, percebem e interpretam uma organização (Martin,
1992, p.138, apud MARCHIORI, 2006b, p.80).
CULTURA E PODER NAS ORGANIZAÇÕES
Nas conversações organizacionais as pessoas se tornam parte
integrante da interação quando exercem a função real da
comunicação, ou seja, no momento em que ocorre o
entendimento e, principalmente, atitude.
Buscar otimizar o desempenho organizacional significa hoje um
equilíbrio nas relações organizacionais mediante a visualização de
um processo de troca contínua entre os atores de uma
organização: alta administração, líderes e liderados.
CULTURA E PODER NAS ORGANIZAÇÕES
O conceito do desempenho engloba ação, significado,
construção, caráter e consciência, envolvendo a formação de um
senso de identidade e realidade organizacional.
É fundamental que se criem redes de relacionamento
organizacional que tenham valor para a organização.
A construção de relacionamentos baseia-se nas necessidades.
Estas podem ser conceituadas de maneira co-orientacional –
compreensão (concordância), precisão e satisfação.
CULTURA E PODER NAS ORGANIZAÇÕES
Conhecimento que as pessoas utilizam para
dar sentido ao mundo que as cercam
Inclui significados compartilhados e
conhecimentos que são passados adiante
através da linguagem, símbolos e artefatos.
A cultura reflete as visões comuns sobre “o
modo como as coisas são feitas por aqui”, e o
ambiente interno e particular de cada
organização.
CULTURA E PODER NAS ORGANIZAÇÕES
Premissas, crenças, valores compartilhados que definem
o pertencimento á organização. Referem-se às formas
habituais de tomada de decisão, formas de apresentação
das pessoas e da organização.
CULTURA E PODER NAS ORGANIZAÇÕES
• Crenças e valores
• Símbolos
• Normas
• Ritos e Rituais
• Tabus (modos de ser, fazer e entender nunca questionados)
• Sagas e Heróis
• Vocabulários e jargões
• Vestimenta
PERSPECTIVAS DE ESTUDOS DA
COMUNICAÇÃO E CULTURA
Mecanicista: comunicação é um processo de transmissão, no qual
as mensagens fluem de um ponto ao outro por meio de um canal
ou vários canais;
Cultural: funcionários não são inerentemente resistentes nem são
naturalmente motivados e abertos a mudanças;
Psicológica: as características individuais afetam a comunicação
entre o receptor e o emissor;
Interpretativo-simbólica: prioriza o entendimento e o significado
compartilhados.
PERSPECTIVAS DA CULTURA
Perspectiva da Integração

Assume que existe uma cultura forte e aceita


Compartilhamento de valores de gestão
Estudos centrados em análises quantitativas que indicam uma
relação entre uma cultura fortemente integrada e performance
PERSPECTIVAS DA CULTURA
Perspectiva da Diferenciação

Mais de uma cultura convive dentro da organização


As culturas interagem, resistem umas às outras, se fundem, vão e
vem
Quando grupos se tornam suficientemente fortes em termos
culturais, pode-se falar em uma subcultura da organização
Subculturas podem ganhar legitimidade e se tronar dominantes
PERSPECTIVAS DA CULTURA
Perspectiva da Fragmentação

Culturas são fragmentadas e instáveis, fluídas e temporárias,


repletas de ambiguidades
Estudar as culturas exige uma profunda imersão nas
organizações, através do método etnográfico
TRADE-OFF* DA CULTURA ORGANIZACIONAL

Adaptação ao Meio Manutenção da Coerência Interna


Desenvolvendo novas estratégias, O grupo busca manter o seu
conquistando novos mercados e equilíbrio interno como sistema -
relacionando-se com equilíbrio entre diferenciação e a
fornecedores e clientes. integração de seus subsistemas.

*Trade-Off - Ato de escolha perante o conhecimento dos lados positivos


e negativos das oportunidades implica sacrificar algo ou alguma coisa
para obter um bem maior, o que pode gerar dilemas e conflitos.
MOLDANDO A CULTURA
ORGANIZACIONAL?
Pressões Externas
Características dos membros
Processos sociais que conectam atividades - natureza do trabalho
Liderança
Pressões internas
Atores e processos externos com os quais a organização interage
de forma direta
Normas, culturas de outras organizações