PLANEJAR PARA QUÊ?

.. As concepções acima apresentadas são dicionarizadas. portanto. Trata-se. mas o que nós vamos estudar vai além. projetar uma ação.Introdução Para começo de conversa é preciso diferenciar planejamento de plano. mas é também agir em função daquilo que se pensou. conjunto de métodos e medidas para execução de um empreendimento. apenas algo que se faz antes de agir. é uma ação. Podemos dizer então que para nós planejar significa antecipar mentalmente um ação a ser realizada e agir de acordo com o previsto. pois. e por sua vez tanto o fim quanto a ação estão referidos a uma realidade a ser transformada. de antever. Planejamento é o ato ou efeito de planejar. que visa um fim ( age-se de tal forma para.). mas não qualquer: é uma ação a ser realizada ( realizar = tornar real). . ao fim e ao cabo. trabalho de preparação para qualquer empreendimento. segundo roteiro e métodos determinados. Planejar não é. Por sua vez plano é projeto ou empreendimento com fim determinado.

O planejamento. presente e futuro. que. procedimentais e atitudinais. É fazer história: uma tentativa de fazer elo consciente entre passado. (MASETTO) Como documento escrito. em função de tal mediação passa a ser consciente e intencional. o plano é um documento escrito que materializa um determinado momento de um planejamento. objetivos específicos. conteúdos conceituais. “condicionar”. é uma mediação teórico-metodológica para a ação. de um conjunto de decisões. Tem por finalidade procurar fazer algo vir à tona. bem como a disposição interior para que aconteça. É a apresentação de forma organizada. no espaço. concretizar. fazer acontecer. enquanto construção-transformação de representações. as condições materiais e políticas. estabelecer as condições – objetivas e subjetivas. prevendo o desenvolvimento da ação no tempo. um plano compõe-se das seguintes partes: identificação. (VASCONCELLOS). Vale lembra que o planejamento na escola é um processo voltado para a organização de ações que permitam a consecução de objetivos educacionais. objetivos gerais. estratégias e avaliação. . e para isso é necessário “amarrar”.

Transcreva-o.Tarefas A nossa tarefa estará organizada em etapas rumo a construção de um plano de aula de ensino fundamental Tarefa I Elabore a identificação de seu plano Tarefa II Escolha uma área de conhecimento apresentada pelo PCN. extraindo dela um objetivo para 1º ou 2º ciclo. Tarefa III Desmembre o objetivo geral em objetivos específicos. .

procedimentais e atitudinais. .Tarefa IV Eleja os conteúdos conceituais. adequados aos objetivos. Tarefa V Idealize estratégias que contemplem a aprendizagem dos educandos no que diz respeito aos elementos anteriormente apresentados. Tarefa VI Indique os instrumentos de avaliação que serão utilizados nesta unidade.

Processo As tarefas deverão ser realizadas em duplas ou trios. para que se chegue a conclusão do plano de aula. . É imperioso realizar as tarefas na seqüência apresentada. Para realização das tarefas é necessária a leitura dos textos sugeridos.

Escola: Série: Ano: Turno: Disciplina: Professor(a) responsável: Nº de Alunos: Carga horária semanal: .Para tarefa I Veja um exemplo de identificação de um plano.

inicialmente leiam o seguinte texto: PCN – Objetivos Mãos a obra Pesquise no PCN – Parâmetros Curriculares Nacionais o objetivo a ser utilizado na realização de seu plano.Objetivos de Ciências Naturais para o primeiro ciclo PCN . Redija o objetivo geral de seu plano (transcrevendo-o do PCN).Para tarefa II Para uma melhor compreensão da tarefa.OBJETIVOS GERAIS DE CIÊNCIAS Para utilizar PCN .Objetivos de Ciências Naturais para o segundo ciclo . Para conhecer  PCN .

alcançáveis em menor tempo. mais concretos. 2 – reconhecer processos de transformação de materiais em objetos.Para tarefa III Mãos a obra Após a pesquisa e escolha do objetivo do PCN redija os objetivos específicos de seu plano. Exemplos: 1 – registrar informações por meio de esquemas. aqueles que surgem ao final de uma aula ou de uma unidade de trabalho e. por exemplo. em geral. A redação deve ser feita utilizando verbo no infinitivo e subentendendo que “o aluno deverá ser capaz de”. Vale destacar que os objetivos específicos referem-se a aspectos mais simples. como. . explicitam desempenhos observáveis.

PCN . leiam o seguinte texto: PCN – Conteúdos Atenção: é preciso compreender a distinção entre conteúdos conceituais.Conteúdos de Ciências Naturais para o primeiro ciclo PCN .Conteúdos de Ciências Naturais para o segundo ciclo .Para tarefa IV Para melhor entendimento da tarefa. procedimentais e atitudinais. Mãos a obra Pesquise no PCN os conteúdos a serem utilizados na realização de seu plano. Redija-os baseando-se nos apresentados no PCN.

Atenção: as estratégias devem ter especial articulação com os objetivos específicos. PCN . que apresentem práticas pedagógicas realizadas em escolas de ensino fundamental. Redija-as baseando-se nas apresentadas no PCN e em suas pesquisas.Orientações didáticas . Mãos a obra Pesquise no PCN as orientações didáticas relacionadas a área de ciências naturais. bem como com os conteúdos.Para tarefa V Para melhor entendimento da tarefa. façam uma pesquisa em revistas ligadas a educação.

Redija-a baseando-se nos critérios apresentados no PCN e em suas pesquisas. Mãos a obra Pesquise no PCN os critérios de avaliação de ciências naturais para o 1º e 2º ciclo.Para tarefa VI Leia o texto entitulado Avaliação extraído do PCN e faça uma pesquisa para conhecer métodos / instrumentos de avaliação. Atenção: a avaliação deve considerar todos os elementos vistos até o momento.Critérios de avaliação de Ciências Naturais para o segundo ciclo . PCN .Critérios de avaliação de Ciências Naturais para o primeiro ciclo PCN . visando a identificação da real aprendizagem do aluno.

. Objetividade. Clareza .Avaliação O desempenho do grupo será avaliado por meio da análise dos seguintes aspectos: Redação correta. Coerência. Aplicabilidade.

Conclusão Após a realização de todas as etapas deste processo. Susanna Artonov . Curiosidade. leia Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. Respeito aos saberes dos educandos. espero que o ato de planejar possa vir a ter um novo significado. segurança. E parafraseando Freire poderíamos dizer que: Ensinar exige: Reflexão crítica sobre a prática. Respeito à autonomia do ser do educando. competência profissional e generosidade. Caso queira conhecer as outras exigências citadas pelo autor.

Ainda que o gesto me doa. Vida sempre a serviço da vida. assustada. . a vida que vai comigo é fogo: está sempre acesa. Para servir ao que vale a pena e o preço do amor.Thiago de Mello Pois aqui está a minha vida. dentro da noite mais fria.A vida verdadeira . Pronta para ser usada. Mesmo enrolada de pó. não encolho a mão: avanço levando um ramo de sol. Vida que não se guarda nem se esquiva.

Por isso avanço cantando. Nas águas da minha infância perdi o medo entre os rebojos. mas é quem vai me levando: tição ardente velando. Mas sabe também o tempo da febre e o gosto da fome. Canto molhado e barrento de menino do Amazonas que viu a vida crescer nos centros da terra firme. cravando seu travo triste na verdade do meu canto. Carrego um grito que cresce Cada vez mais na garganta. girassol na escuridão.Vem da terra dos barrancos o jeito doce e violento da minha vida: esse gosto da água negra transparente. Que sabe a vinda da chuva pelo estremecer dos verdes e sabe ler os recados que chegam na asa do vento. . A vida vai no meu peito.

indagarão as bocas desprovidas. Não. como a panela no fogo e a estrela na escuridão. Pois já não vou mais sozinho. Aprendi (o caminho me ensinou) a caminhar cantando como convém a mim e aos que vão comigo. Por isso é que agora vou assim no meu caminho. Aqui tenho a minha vida: feita à imagem do menino que continua varando os campos gerais e que reparte o seu canto como o seu avô repartia o cacau e fazia da colheita uma ilha de bom socorro.Estou no centro do rio. sei que estou no meu lugar. . O que tenho de novo é o jeito de caminhar. não tenho caminho novo. Não deixa de valer nunca. estou no meio da praça. Piso firme no meu chão. O que passou ensina com sua garra e seu mel. O que passou não conta?. Publicamente andando.

casa encantada. Há que merecê-la. Que me sejas deslumbrada como ternura de moça rolando sobre o capim. te quero assim verdadeira cheirando a manga e jasmim. Manaus. 61. Santiago do Chile. (Extraído do livro "Faz escuro mas eu canto" ) .Feita à imagem do menino mas à semelhança do homem: com tudo que ele tem de primavera de valente esperança e rebeldia. o sol dentro do mar. estrume e rosa do amor: a vida. toalha limpa. onde eu moro e mora em mim. Vida. vida brasa vigilante vida pedra e espuma. vida posta na mesa. Vida. Punta del Este. 63. inverno de 1964. alçapão de amapolas. Recife. 62.

Rio de Janeiro: Paz e terra. Silva Local: Santos . São Paulo: FTD. -MASETTO. Didática: A Aula como centro. Ms. -FREIRE. Secretaria de Educação Fundamental. Marcos T. 1994.SP Ano: 2006 Bibliografia: -BRASIL. Brasília: MEC/SEF. 1997. Brasília: MEC/SEF. Susanna Artonov Colaboração técnica: Jacicleide C. . Paulo.BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais. . Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 1997. 1997. disciplina Didática.Créditos Web Quest elaborada para uso no Curso de Pedagogia. Parâmetros Curriculares Nacionais: ciências naturais. da faculdade de Educação – UNIMONTE Autora: Prof.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful