Você está na página 1de 3

Aborto

    

Argumentos a favor e contra o aborto Tipos de aborto Posição da lei no Brasil Países que são contra ou a favor do aborto Consequências físicas e psicológicas

A Favor
Feminismo no qual a mulher tem responsabilidade e pode fazer o que quiser com seu corpo; maternidade não desejada que possa trazer prejuízo como na saúde; problemas socioeconômicos no qual nem todas as mulheres têm boas condições para se ter um filho; sendo legalizado não haverá clínicas clandestinas ou precariedade; questão de igualdade e eqüidade de gênero; questão de liberdade sexual.

Contra
Ato contra a vida; o aborto legal pode congestionar serviços de saúde; é mau e imoral.

Tipos de aborto
Espontâneo: é involuntário e casual; pode ser causado por doenças, anomalias, etc. Induzido: feito por interrupção voluntária, causado por uma ação humana deliberada.

Posições da lei no Brasil
No Brasil é legalizado em caso de estupro, risco de vida ou problemas de saúde. A constituição brasileira protege a vida humana sem distinções. Ela considera que a vida se inicia na fecundação do espermatozóide no óvulo, passando, a partir desse momento, a garantir ao embrião todos os direitos civis. Um dos argumentos pró-escolha para criticar a constituição é de que a vida do indivíduo não começa na fecundação, e de que esse apenas deveria ter direito civis, depois da formação do ser humano propriamente dito. Os pró-vida, porém, concordam com a constituição e dizem que depois do óvulo ter sido fecundado, o indivíduo passa a existir e que ele tem os mesmos direitos de uma pessoa já nascida.

Países que são contra ou a favor do aborto
Legalização em todos os casos: América: Groenlândia, Canadá, Estados Unidos. Ásia: Rússia, Mongólia, China, Índia, Kasaquistão, entre outros. Europa: Portugal, Espanha, Alemanha, Itália, entre outros. África: Tunísia e África do Sul.

entre outros. risco de vida. risco de vida. Ásia: Coréia do Sul. risco de vida ou problemas de saúde: América: Equador. África: Boa parte da África. problemas de saúde.Legalizado em caso de estupro. Legalizado em caso de risco de vida ou problemas de saúde: América: Guatemala. Oceania: Austrália. Burkina. problemas de saúde ou má-formação do feto: América: Colômbia. Legalizado em caso de estupro. Europa: Polônia. Japão e Taiwan. Bangladesh. Proibido em todos os casos América: Nicarágua. Oceania: Nova Zelândia. Gana. Legalizado em caso de estupro. Suriname. Namíbia. Ásia: Arábia Saudita. Irã. Bolívia e Argentina. . Ásia: Tailândia. fatores socioeconômicos ou má-formação do feto: América: Alguns pontos da América Central e Uruguai. Oceania: Indonésia e Papua Nova Guiné. África: Libéria. Não há informação: África: Saara Ocidental. Paquistão. África: Zâmbia. República Dominicana e Chile. Peru. Brasil. Botswana e Zimbabwe. Afeganistão. Europa: Reino Unido e Finlândia. Varia por região: América: México. entre outros. Europa: Dois pontos na Itália. África: Camarões. Honduras. Paraguai. Venezuela.

esta prática está longe de ser segura. a mulher não está livre de ter problemas a longo prazo. hemorragias e perfurações uterinas. a propaganda de muitas clínicas de aborto (em países onde a prática está legalizada) cria uma falsa sensação de segurança nas mulheres que procuram os seus serviços. ansiedade. . E esta realidade está documentada em inúmeros artigos científicos. Físicas Ao referir que o aborto induzido é 10 vezes mais seguro do que um parto. Em muitos casos torna-se necessário recorrer a tratamento psiquiátrico para fazer face a estes sentimentos. dor e culpa são apenas alguns dos sentimentos que muitas mulheres que já se submeteram à violenta prática do aborto referem ter com frequência. Mesmo que o procedimento cirúrgico possa correr bem. Em alguns casos. As principais causas de morte relacionadas com o aborto induzido resultam de infecções. No entanto.Consequências físicas e psicológicas Psicológicas Medo. As mulheres que se submetem a um aborto induzido colocam a sua saúde em risco. a prática do aborto pode resultar na morte da mulher.