Você está na página 1de 2

Universidade do Estado do Rio de Janeiro Centro de Tecnologias e Ciências Instituto de Geografia Curso: Geografia Departamento de Geografia Humana Disciplina

: Geografia da População Professor: Dr. Ulisses Fernandes

Resenha critica sobre o documentário: “Migrantes”.

Jorge da Paixão Marques Filho.

Rio de Janeiro. 2013

o ciclo se perdura. demostrando a precariedade de tal população nesta região. O grande problema de tal situação e por mais que a problemática se agrave e tenda a chegar a níveis extremos no sentido de exploração. O documentário “Migrantes” retrata a complexidade da realidade dos trabalhadores rurais que buscam uma melhoria na sua qualidade de vida. como uma naturalidade. o que não chega a ser um grande problema. pois além de gerar uma elevada “Mais-valia” para o seu contratante.Documentário: Migrantes. . estes normalmente de origem nordestina. com pouca qualificação. nós levando a ver ainda as enormes desigualdades existentes nesses diversos Brasis. existe alguém que irá se beneficiar com tais condições. Os relatos desta população agrícola no contexto da sua realidade se encontram a pessoas de origem simplista. teve a posse de suas terras retiradas pelos grandes latifundiários e para tal maioria. para conseguir subsistência necessária só lhe resta à opção de migrar. está entregues a margem de nossa sociedade e para sobreviver aceitam qualquer tipo de trabalho e encaram de certa maneira esta situação com um quê de normalidade. Beto Novaes. No decorrer entramos em choque com tal fenômeno depreciador em relação aos trabalhadores que chegam á estar em regime de semiescravidão. este não suporta tal condições e por fim termina falecendo. tais contingentes populacionais sem escolha alguma á não ser migrar rumo as grandes metrópoles como a cidade de São Paulo utilizada como exemplo no decorrer do documentário. sem acesso a seus direitos como cidadãos. isto se deve basicamente que está população de origem rural. porém desqualificado. ou seja. 2007. que para a nossa atual sociedade só serventia para as funções mais pesadas. pois primeiramente estes são uma mão de obra barata. nos quais para a sua sobrevivência necessitam aceitar tal situação e conviver em tal estado. que pode ser substituída a qualquer momento. Portanto nota-se que com cada trabalhador em regime de exploração. devido que ainda existe uma grande massa pertencente a um exercito de reserva.