Você está na página 1de 2

Você já reparou que as pilhas pequenas, médias ou grandes fornecem a mesma

voltagem de 1,5 V? As próprias pilhas de relógio, que têm o tamanho de um botão de


camisa, fornecem também 1,5 V.
Por que, então, não se usam só pilhas pequenas? Não seria mais cômodo? Ou
será que o tamanho da pilha depende do tamanho do aparelho em que ela é colocada?

Pilhas pequenas, médias e grandes*


O tamanho da pilha está relacionado com a intensidade da corrente elétrica que
ela deve fornecer ao aparelho. Rádios, calculadoras e relógios podem funcionar com
pilhas pequenas ou até com micropilhas, porque precisam de correntes de intensidade
muito pequena para funcionar. Já lanternas, toca-fitas ou toca-discos portáteis, em
geral, utilizam pilhas grandes porque a maioria das lâmpadas e motores necessita de
correntes elétricas de maior intensidade.
Por essa razão, não basta especificar só a voltagem da pilha para saber se um
aparelho elétrico vai funcionar com ela. Uma lâmpada de 12 V, ligada a uma tensão de
12 V, certamente não vai queimar, mas não é certo que vá acender. Isso porque o
brilho de uma lâmpada depende da corrente elétrica que atravessa o seu filamento,
porém nem toda bateria de 12 V, por exemplo, pode fornecer essa corrente.
Mas, qual a diferença entre voltagem e corrente elétrica?
A forma mais fácil de entender essa diferença é através de uma analogia.
Suponha que sobre a sua cabeça caiam coisas de uma altura de 2 m. Será que você
vai se machucar? É bem provável que você responda que depende das coisas que
caírem. Está certo. Se forem grãos de areia, nada acontecerá, mas se forem
paralelepípedos... Não basta, portanto, dizer de que altura as coisas caem, é preciso
saber, também, qual a massa dessas coisas.
É exatamente essa a relação que existe entre voltagem e corrente: a voltagem
equivale à altura da queda e a corrente, à quantidade de partículas que caem Maior
voltagem corresponde a maior altura, enquanto maior corrente corresponde à queda de
mais coisas ou de maiores massas.
Dessa forma, é possível entender por que todas as pilhas fornecem a mesma
tensão, mas não a mesma corrente elétrica. A voltagem depende das reações
químicas que ocorrem, praticamente as mesmas para todas as pilhas. A intensidade
da corrente elétrica, porém, é diretamente proporcional à quantidade de carga, ou
seja, ao número de elétrons que essas reações podem fornecer no mesmo intervalo de

∆q
tempo ( i = ) Esse número de elétrons, por sua vez, depende da quantidade ou da
∆t
massa das substâncias químicas contidas na pilha. Por isso, quanto maior a corrente,
maior deve ser a massa dos reagentes contidos na pilha e, portanto, maior o seu
tamanho.

As pilhas e o meio ambiente**


As pilhas descartáveis contêm produtos tóxicos como o mercúrio. Devido a
problemas para recolhê-las, muito poucas são recicladas. Seu conteúdo venenoso
pode infiltrar-se a partir da lata de lixo ou, com maior probabilidade, cair dos
incineradores ao solo.
As soluções para esse problema estão gerando resultados tanto positivos quanto
negativos. A maioria das novas pilhas descartáveis foi projetada para operar com
quase nada de mercúrio. As pilhas em "botão", usadas normalmente para fornecer
energia a relógios e câmeras fotográficas, são fabricadas com lítio ou com óxido de
prata. As que podem ser recarregadas entre 300 e 1 000 vezes também reduziram o
problema das latas de lixo. Mas a maioria das pilhas recarregáveis é fabricada com
níquel-cádmio e, quando são finalmente jogadas fora, passam ao ambiente centenas
de toneladas de cádmio, altamente tóxico.

* Adaptado de: GASPAR, Alberto, A eletricidade e suas aplicações, São Paulo, Ática, 1996, p. 32.

** Adaptado de: Folha de S.Paulo, 15.11.1993.

Fonte:
PARANÁ, Djalma Nunes da Silva. Física: Eletricidade. 7ª São Paulo: Ática, 1999.
(Ensino Médio). Vol. 3.