Você está na página 1de 8

• Às 15 horas do dia 28 de Janeiro,

sexta-feira, de 1916, em Melo,


concelho de Gouveia, nasce
Vergílio António Ferreira,

• Em 1920, os pais de Vergílio


Ferreira emigram para os
Estados Unidos


• Em 1932, deixa o seminário e acaba
o Curso Liceal no Liceu da
Guarda. Começa a dedicar-se à
poesia.


• Em 1939, escreve o seu primeiro
romance,


O Existencialismo - Vergílio

Ferreira
      "O existencialismo ergue o seu protesto, afirmando que o Homem é
pessoalmente, individualmente, um valor; que a sua liberdade (em todas
as suas dimensões e não apenas em algumas) é uma riqueza, uma
necessidade estrutural de que não deve perder-se entre a trituração do
dia-a-dia; e finalmente que, fixando o homem nos seus estritos limites, só
por distracção ou imbecilidade ou por crime se não vê ou não deixa ver
que ao mesmo homem impende a tarefa ingente e grandiosa de se
restabelecer em harmonia no mundo, para que em harmonia a sua vida
lucidamente se realize desde o nascer ao morrer.
      Possivelmente gostaríeis ou teríeis curiosidade de me ouvir falar de
mim, já que vou sendo insensivelmente investido na qualidade de uma
espécie de delegado nacional ou regional do Existencialismo. Mas eu
jamais me disse "existencialista", embora muito deva à temática
existencial e pelo Existencialismo tenha manifestado publicamente o maior
interesse. É que aceitarmos um rótulo automaticamente obriga a aceitar-
lhe todas as consequências, entre as quais a de nos responsabilizarmos por
tudo quanto sob este rótulo se disser ou fizer.
 Por mim, preferia definir o Existencialismo como a corrente de
pensamento que, regressada ao existente humano, a ele privilegia e dele
parte para todo o ulterior questionar. Ou então - e paralelamente ou
implicitamente a essa definição - preferiria dizer, continuando Sartre, aliás,
que o Existencialismo é uma corrente do pensamento que reabsorve no
próprio "eu" de cada um toda e qualquer problemática e a revê através do
seu raciocinar pessoal ou preferentemente da sua profunda vivência. Aí se
Obras
publicadas:
Ficcção:

      1943 O Caminho fica Longe


      1944 Onde Tudo foi Morrendo
      1946 Vagão "J"
      1949 Mudança
      1953 A Face Sangrenta
      1953 Manhã Submersa
      1959 Aparição
      1960 Cântico Final
      1962 Estrela Polar
      1963 Apelo da Noite
      1965 Alegria Breve
      1971 Nitido Nulo
      1972 Apenas Homens
      1974 Rápida, a Sombra
      1976 Contos
      1979 Signo Sinal
      1983 Para Sempre
      1986 Uma Esplanada Sobre o Mar
      1987 Até ao Fim
Obras publicadas:
 Ensaios:

  1943 Sobre o Humorismo de Eça


de Queirós
  1957 Do Mundo Original
  1958 Carta ao Futuro
  1963 Da Fenomenologia a Sartre
  1963 Interrogação ao Destino,
Malraux
1965 Espaço do Invisivel I
  1969 Invocação ao Meu Corpo
  1976 Espaço do Invisivel II
  1977 Espaço do Invisivel III
  1981 Um Escritor Apresenta-se
  1987 Espaço do Invisivel IV
  1988 Arte Tempo
Obras publicadas:
 Diários:

    1980 Conta-Corrente I
   1981 Conta-Corrente II
   1983 Conta-Corrente III
   1986 Conta-Corrente IV
   1987 Conta-Corrente V
   1992 Pensar
   1993 Conta-Corrente-nova série I
   1993 Conta-Corrente-nova série II
   1994 Conta-Corrente-nova série III
   1994 Conta-Corrente-nova série IV