P. 1
Treinamento Apontamento de Produção 2

Treinamento Apontamento de Produção 2

|Views: 3.338|Likes:
Publicado porrogeriocomr

More info:

Published by: rogeriocomr on Sep 13, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/29/2013

pdf

text

original

Treinamento de Avaliação do Desempenho da Qualidade e Produtividade Induspart

Este Treinamento tem como finalidade orientar o correto preenchimento do FOR90 Apontamento de Produção (Onde deve ser apontado toda produção os Itens da Induspart) e do FOR 91 - Diário de Bordo (Onde deve ser anotado todas as Informações de Variações no Processo, Paradas de Máquina, Refugos, seu motivo, Ação Corretivas, Sugestão de Melhorias de Processo, Retrabalhos, etc). - Também mostraremos a Importância do Correto preenchimento e da necessidade da riqueza de informações nestes formulários, pois é através dele s que será visualizado e analisado o Desempenho da Qualidade e Produtividade Diária das máquinas individualmente e de todo o Pátio Fabril da Induspart simultaneamente, através dos Fechamentos do Apontamento de Produção.
DOCUMENTO DE ANÁLISE GERAL Nº 1 LAY-OUT FABRIL - Planilha Mestra de Controle Geral do Desempenho da Produção

1

7. Máquina que produziu com bom desempenho (pouca parada e nenhum refugo). Total de peças produzidas. Índice de Refugo. 4. 8. Máquinas Paradas..Planilha que controla o desempenho diário de Cada Máquina Individualmente as seguintes informações abaixo: 6.Em uma visualização rápida deste Layout. Máquinas que produziram. DOCUMENTO DE ANÁLISE GERAL Nº 2 DESEMPENHO DA QUALIDADE / PRODUTIVIDADE . Máquina que Produziu com excesso de Paradas . 9. Total de Peças Refugadas. Índice de Retrabalho. 2. levando em consideração a legenda abaixo se obtém as seguintes informações: 1. 2 . Máquina que produziu e gerou refugos. 3. Total de Peças Retrabalhadas. 5. 9.

a mesma máquina trabalhar com 2 ou mais peças diferentes. seja por Refugo. sendo que o preenchimento do Apontamento de Produção é responsabilidade do Operador que deve cobrar do Lider. etc. 11. 12. Índice de Produtividade da Máquina. os refugos gerados com seu código conforme Tabela de Códigos de Parada de Máquina e Refugos Rodapé do Formulário de Apontamento de Produção. podendo verificar o desempenho mudando a pasta de trabalho (de 1 a 31 + uma pasta de trabalho qu e calcula os subtotais ³desempenho mensal acumulado´. 19. o tempo que a Máquina ficou parada nesta respectiva hora. Observação: Quando ocorrer de durante o expediente. 14. descrevendo o tipo de refugo e o motivo de ter ocorrido o problema. 4º) Quando gerado refugo nesta hora. 16. o operador deve colocar o Apontamento de Produçã o preenchido na Caixa de Coleta (ao lado do Ce ntro de Usinagem 3). Informações Técnicas anotadas no Diário de Bordo. Todo refugo gerado durante o processo de Usinagem tem que ser devidamente justificado o motivo e anotado a Ação Corretiva para corrigir o Processo. Código da Peça. deve -se acionar imediatamente o líder de Produção ou Preparador de Máquinas. apontar as paradas de Máquina. Responsabilidades do Operador 1º) Iniciar o Turno conferindo se o Apontamento do dia a nterior foi colocado na Caixa de Coleta. iniciar um novo apontamento com o segundo e terceiro item que for produzido (o u seja. Total de horas máquina parada. Nº da OF. 15. deve-se fechar o apontamento da primeira peça. 3º) Ao final de cada HORA. um apontamento para cada produto). Manutenção da Máquina.Código da Máquina. Causas dos Refugos e do excesso de paradas de máquinas apontados no Diário de Bordo. o Preparador e o Técnico de Processo são responsáveis por anotar no Diário de Bordo qual Ação Corretiva foi tomada para resolução do problema.10. 2º) Pegar um Formulário em Branco na Caixa de Coleta e fazer o Preenchimento do Cabeçalho identificando as seguintes informações básicas: . do Preparador e do Técnico de Processos. 3 .Total de horas Máquina produzida. Produtividade Média (Total produzido / (horas trabalhadas ± horas paradas). 18. Nome da peça e Operação. informar o CQ e identificar o refugo no Diário de Bordo. o Líder de Produção. 17. Máquina. 5º) Após o término do Turno ou Término da Produção do Item apontado. com seu respectivo Código. Planilha de Atividades e Pendências do Sistema ± Garantia da Qualidade. Índice de Eficiência do Operador (Produtividade média / Me ta Orçada) (Aguardando definição de meta orçada). que eles anotem quais Ações Corretiva foram tomadas para solucionar um Problema no Processo . Na planilha tem a eficiência da máquina de todos os dias do Mês indicado. Planilha de Atividades e Pendências da Engenharia de Processos. 13.

assim como o restante da equipe. Código da Parada. etc) e apontar no Diário de Bordo. tanto para o excesso de refugo. Ação Corretiva para solucionar o problema. as paradas de máquina com suas ocorrências apontadas para poder fazer os ajustes necessários juntamente com o Líder de Produção para atender o que foi acordado com os Clientes. Motivo do Excesso de Paradas (Anotar no Diário de Bordo). tomar as devidas ações cabíveis (ajuste no processo. tipos de refugos. regulagem. do Preparador.Quando da Intervenção do Líder. Parada de Maquina. da Qualidade ou da Engenharia de Processos. quando para o baixo desempenho da Máquina são da Manufatura e Engenharia de Processos . analisar as condições do Produto. PPAP. Tipo de Refugo e Motivo do Refugo (Anotar no Diário de Bordo). Refugada. para buscar melhorar os: . o responsável pela intervenção deve apontar os refugos ou motivo da parada e justificar no Diário de Bordo. Responsabilidades da Engenharia de Processos Quando solicitado pelo Líder de Produção ou pela Qualidade. Realimentação de FMEA. manutenção da máquina. Quantidade. revisão de Planos de Controle. detectar o problema no Processo. irá analisar diariamente. Importante: Responsabilidades da Qualidade O Departamento de Sistema/Garantia da Qualidade . Apesar da Qualidade ter tido a iniciativa de fazer o fechamento e análise do Desempenho da Produtividade e Produtividade. as Ações Corretivas para soluciona r o Problema. o que foi feito. verificando o andamento da produção de cada item. o Motivo do Problema e todas informações que achar importantes para manter um histórico de Ocorrências. para posterior análise das causas e tomadas de Açõ es Corretivas e Melhorias de Processo. buscando minimizar as perdas e aperfeiço ar nossos processos em busca da Melhoria Contínua e do Zero Defeito. revisar o Proces so. informações básicas da produção. . definição do melhor método de controle. 4 .Responsabilidades do Líder de Produção Fica sob responsabilidade do Líder de Produção a avaliação dos Apontamentos de Produção durante o processo . da Máquina. entre outras informações que serão posteriormente digitadas pela Qualidade e encaminhada a aos Envolvidos com o Proce sso. os responsáveis diretos por tomar as Ações Corretivas e Melhoria de Processos.Métodos de controle / Orientações e Treinamentos aos Colaboradores. Responsabilidades do PCP Analisar o fechamento Diário do Apontamento de Produção. ao final do expediente e no término do apontamento. Nesta avaliação deve-se analisar os seguintes aspectos (Correto preenchimento do Cabeçalho. os índices de refugos. ações corretivas. Melhoria da Documentação. (Anotar no Diário de Bordo). Quantidade produzida.

precisam necessariamente concentrar esforços na busca constante de seu aprimoramento. englobando a satisfação dos desejos do mercado pelo projeto. a empresa é obrigada a trabalhar continuamente para eliminar as perdas. no planejamento. Esta incumbência é feita geralmente provocando atritos com fornecedores. mas também com eliminação de perdas existentes no processo. A Qualidade Total relaciona-se com a satisfação dessas necessidades e o Controle da Qualidade Total é a busca pelo atingimento da qualidade. com o departamento de produção. é função de um departamento ( Controle de Qualidade).Conceitos Básicos de Qualidade e Produtividade Melhoria Contínua e Eliminação d as Perdas As empresas. donos e à comunidade na qual se encontra. além de outros. a visão de qualidade está consideravelmente ampliada. Quando há falta de qualidade em matérias primas ou em produtos. de forma segura e no tempo certo às necessidades do Cliente". a manufatura confiável e sem defeitos. Seus princípios são os seguintes: a) Atender plenamente aos anseios do cliente. Filosofia da Qualidade Total Na empresa tradicional. o preço de venda acessível aos consumidores. 5 . . a segurança e adequação ao meio ambiente e o atendimento aos prazos locais e quantidades exigidas. hoje em dia. b) Priorizar a qualidade. empregados e fornecedores. desde materiais e produtos defeituosos até atividades não produtivas. entendendo -se por perda tudo que não agrega valor ao produto e custa alguma coisa. A empresa que "parar no tempo" com certeza perderá espaço para concorrentes mais competentes pois. sem descanso. pro jeto e fabricação. Hoje em dia. atuando em pontos críticos do process o e auditando produtos finais. este departamento possui inspetores de qualidade verificando as matérias primas recebidas.A mudança de mentalidade produz resultados poderosos na procura pela eliminação constante das perdas. Se quiser sobreviver no mercado moderno. sem falar nos serviços de assistência técnica. de forma confiável. c) Concentrar esforços para eliminar o problema mais crítico. todas as atividades de uma empresa podem ser aprimoradas de alguma forma. o qual é responsável pela boa conformação dos produtos às especificações da Engenharia de Produto. de forma acessível. Para se assegurar que isto ocorra. normalmente entendida como qualidade de conformação. e é isto que as Empresas Moderna procuram fazer. não apenas com inovações tecnológicas. normalmente. O objetivo das empresas é visto como sendo o de atender as necessidades dos consumidores. a pressão sobre o Controle de Qualidade para que libere o produto (só dest a vez) é enorme. "um produto ou Serviço de Qualidade é aquele que atende perfeitamente. a qualidade.

como será mostrado nas próximas seções. solicitando sua criatividade para a melhoria das atividades. Sem dúvida. j) Treinar e educar continuamente o empregado. 3. 6 . Obviamente. (perda ma is comum ± Refugo produzir produtos defeituosos significa desperdiçar materiais. não o resultado. Desperdício em movimentação nas operações (procurar automatizar processos ± Fazer estudos de tempos e métodos) 6. que precisa ser efetuado com a maior eficiência possível. uma ferramenta poderosa para esta meta é o Apontamento Correto da Produçã o com informações no Diário de Bordo. Perda por superprodução (tempo de preparação. g) Não permitir a venda de produtos defeituosos ao cliente ou ao processo seguinte. Tradicionalmente. tempo de mão de obra e equipamentos. contaminação. e) Controlar o processo. oxidação. a empresa deve concentrar-se em eliminar as perdas e minimizar o trabalho adicional. informando se as especificações estão sendo atendidas. mão-de-obra direta e máquinas ociosas. lay -out da fábrica deficiente. restando ao departamento de qualidade a função de coordenar e apoiar as atividades relacionadas com este assunto. a melhoria da qualidade é perseguida sistematicamente em todos os níveis e por todos na empresa. Desperdício de material em e spera no processo (dinheiro parado. h) Prevenir problemas na origem. Desperdício de processamento (Excesso de atividades para realização de uma operação) 5. Tipos de Perdas: 1. As perdas são agrupadas em 7 classes distintas.d) Tomar decisões baseadas em fatos e dados. trabalhar com estoque de produto acabado). os esforços de redução das perdas concentravam -se em perdas de materiais. risco de misturar. Perdas A procura incessante pela redução das perdas é uma das principais características das empresas modernas. Assim. que permite a mensuração dos níveis de qualidade sem inspeções de qualidade trabalhosas. maximizando o trabalho efetivo. i) Não permitir que uma causa de problema se repita. f) Reduzir a variabilidade do processo. etc). Desperdício de transporte (Fluxo de Processo mal desenvolvido. Perdas pela produção de produtos defeituosos. exposto ao tempo. k) Comprometer a alta direção e executar as estratégias através de todas as chefias. 2. faz com que as aja excesso de movimentação dos produtos durante seu processamento) 4.

90) A Induspart realiza 3 operações e recebe R$ 7. que a Tecforja cobrará o custo do Forjado para a Iinduspart. descreverem claramente o Motivo da Parada.90 para a Tecforja.85 17. retrabalhos. fica claro o quanto é importante quando a máquina gerar qualquer tipo de problema acionar o Preparador e o Líder imediatamente e apontar o Motivo da parada no Apontamento de produção (RAF) a hora que iniciou a parada e o térm ino da parada no reinício da produção. ou Supervisor ou Técnico de Processos que estiverem acompanhando a liberação da Máquina. Simulação ± Custo do Refugo: A Induspart ganha R$ 73. as Ações Corretivas realizadas e o tempo total que a máquina ficou parada. Perdas de estoque.51 19.51 48. inspeção de produtos. ou seja de 10 peças produzidas ± 1 Refugo. (Desperdício de Investimento e espaço físico ± Materias correndo risco de vencer ou cair em desuso.movimentação de materiais defeituosos.9 34. entre outros.22 30. que realizará as operações e enviar á novamente a Tecforja.32 por peça. armazenagem de materiais defeituosos.Contra-Peso ± Tecforja (Custo do Forjado R$ 54. pois a Direção irá analisar o estes dados posteriormente. Tipos de Processamento Realizado Produto do Cliente Tecforja ± Que está terceirizando as operações de Usinagem para a Induspart. -É de responsabilidade do Preparador.Visualizando a Tabela acima.28 19.71 23.0037 . Exemplo: CP. etc) Exemplo Prático CUSTO HORA MÁQUNA DESCRIÇÃO BANCADA CENTRO DE USINAGEM FRESADORA FURADEIRA DE BANCADA FURADEIRA DE COLUNA LIXADEIRA MÁQUINA DE GRAVAÇÃO TORNO AUTOMÁTICO TORNO CNC CUSTO HORA MÁQUINA (R$) 9.22 9. 7.21 . desta forma: 7 .20 por 10 peças usinadas Se em 10 peças usinadas for gerado 1 Refugo. a Induspart terá que pagar o custo do Forjado de R$ 54.

30 prejuízo imediato Valor de Venda R$ 105.90 + Tampa R$ 5.90 + Haste R$ 4.70 que é deixado de faturar.14 Custos Mão de Obra + Processamento . usinagem e gravação na Induspart.50 + Corpo R$ 80.90 Total Matéria Prima + Processamento: R$ 47.63 Custo Total Matéria Prima: R$ 17. geralmente. Conceitos Básicos da Qualidade Ação Corretiva: ação tomada para eliminar as causas de não-conformidades existentes ou situações indesejáveis de maneira a evitar reocorrência das mesmas.90 (custo do forjado)= A Induspart só receberá R$ 18.30. Uma vez identificada uma causa especial. pessoas. Normalmente. Itens induspart Produtos próprios (Valvulas e Correntes) Compra do Forjado e componentes. Causas especiais de variação: são variações que surgem ocasionalmente no processo e.10 peças R$73. Nos gráficos de controle. ou seja ³PERDA´.00 Ou seja.30 Este é o custo de uma Válvula Montada refugada R$ 47. em geral.30 = 57. Causa comum: são as variações inerentes a um processo. Nos gráficos de controle. A eliminação destas é mais complexa e requer o conhecimento e análise de todo o processo e mudanças estruturais procedimentos. 8 . tercerizamos tratamento Térmico e acabamento superficial.80 + Tampa R$ 7.Esfera R$ 2. as causas especiais são representadas por pontos "fora" dos limites de controle.20 + Separador R$ 0. deter minam a sua "variabilidade característica" e. a eliminação destas está ao alcance diretamente envolv idas na execução das atividades. é aplicada antes da implementação de novos produtos. processos ou sistemas. ou antes de modificações já existentes. Valor de Venda R$ 105. vêm de várias fontes de pequenas variações. Ação Preventiva: ação tomada para eliminar as causas de não-conformidades potenciais ou outra situação indesejável a fim de evitar reocorrência das mesmas.11 + Haste R$0. deve -se prevenir a sua reincidência por meio de uma ação preventiva.00 Custo Total Mão de Obra: R$ 29.20 ± R$54.00 ± Custo refugada R$ 47.Esfera R$ 5.00 + Separador R$ 0.00 + Corpo R$ 12. equipamento etc. as causas comuns são representadas por pontos "dentro" dos limites de controle. Exemplo: Válvula ¾¶ 800Lbs Custos da Matéria Prima .

selecionado como característica da estratificação Excelência de desempenho: situação excepcional da gestão e dos resultados obtidos pela organização. utilizando normalmente indicador(es). Inspeção: atividades tais como: medição. usado como verso das cartas de controle e Apontamentos de Produção. com atributos semelhantes considerados significativos para um melhor entendimento das causas do problema. após análise. qualidade dos produtos e serviços. pessoa etc. normalmente. e é considerada como documentação de nível 3(três) do Sistema da Qualidade. ensaio. Melhoria Contínua: processo de planejamento. retrabalho). de uma ou mais características de um produto. Especificações: requisitos do produto. obtida por meio da prática continuada dos fundamentos da excelência. interna ou externamente à organização.Diário de Bordo: Formulário. 9 . A estratificação exige a classificação dos dados em vários grupos. devendo ser mensuráveis e consistentes com a política da qualidade . Objetivos da Qualidade: são as diretrizes da alta administração relacionadas com a melhoria dos vários processos que tem impacto a satisfação dos clientes. atividades ou processos. inspeção. operação. objeto. verificação com calibres ou padrões. de processos e da organização como um todo. a fim de determinar se a conformidade para cada uma dessas características é obtida. execução. que. Instruções de Trabalho : descreve o trabalho realizado por uma função na companhia (por exemplo: preparação para produção. Informações qualitativas: fatos ocorridos. se transformam em informações não quantificáveis e que servem de base para a tomada de decisões. Indicadores de desempenho : informações numéricas que quantificam o desempenho de produtos. Ver também Kaizen. processo ou sistema da qualidade Estratificação: uma das sete ferramentas usadas para identificar a área na qual se encontram as causas do problema. incluindo o comportamento com a melhoria contínua . para registro das modificações relacionadas ao processo (máquina. e a comparação dos resultados com requisitos especificados. exame. Observe que a estratificação não diz claramente qual a causa do problema. meio ambiente. métodos. etc) durante a fabricação de um produto para facilitar a interpretação dos gráficos de controle e identificar as causas dos problemas. processos ou sistemas. avaliação dos resultados e ações para melhorar continuamente produtos. Plano de Ação Corretiva: é um documento no qual são especificadas as açõe s a serem implementadas para corrigir uma questão ou problema de qualidade de um processo ou peça. Os indicadores são utilizados para acompanhar os resultados ao longo do tempo e para estimar o desempenho futuro. material. com responsabilidades e datas estabelecidas. mas apenas que é altamente provável que tal causa esteja presente numa determinada área. Indicadores: forma de quantificar (normalmente numérica) o resultado de um plano de ações. Não conformidade: Não atendimento de um requisito especificado ou processo que não está conforme aos requisitos do sistema da qualidade.

equipamentos. Registro da Qualidade: São evidências documentadas que os processos do fornecedor foram executados de acordo com a documentação do Sistema da Qualidade (Ex: inspeção e resultados de ensaios. Set-up: Tempo utilizado para fazer a troca de ferramenta e para produzir um outro produto em um determinado equipamento. praticada e verificada. por meio de identificações registradas. aos padrões primários. da aplicação ou da localização de uma entidade. matéria prima. de maneira que atendam aos requisitos especificados. Retrabalho: Ação tomada para corrigir produtos não-conformes. tempo. resultados de auditoria interna. formalmente expressas pela Alta Administração. dentro de padrões aceitáveis nas Especificações pré-determinadas. ou materiais de referências. a partir. da última unidade produzida de um determinado produto até a produção da primeira unidade do novo produto.a) em relação a um produto: origem dos materiais e das peças. Política da Qualidade: Intenções e diretrizes globais de uma organização relativa à qualidade. os meios/equipamentos de medição. É medido. garantindo produtos/ou serviços apesar das variações do processo. Conjunto de características de todo produto e serviço ou relação planejada. dados de calibração) e registro dos resultados. podendo ter um dos três principais significados . Produtividade: É a relação entre bens e serviços produzidos e os recursos utilizados para a produção. as prioridades ou constantes físicas básicas. especificando para as caracterí sticas de controle. Técnicas Estatísticas: Técnicas utilizadas para medir e acompanhar as características principais de um processo ou produto. Estes recursos podem ser mão de obra. b) referindo se a calibração . histórico do processamento do produto e distribuição e localização do produto depois da entrega. freqüência e tamanho de amostra. visando superar as 'expectativas de satisfação das pessoas envolvidas'" Rastreabilidade: Capacidade de recuperação do histórico. 10 . a rastreabilidade relaciona o equipamento de medição aos padrões nacionais e internacionais.Plano de Controle: documentos dos sistemas para controle das peças e processos. Qualidade: É o atendimento aos requisitos dos Clientes.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->