Você está na página 1de 2

Por favor, Eu existo, Escutem-me...

Por favor... Mamãe e Papai; que o encontro físico de vocês seja


pleno de amor e ternura e conscientes de uma eventual concepção.
Que a vossa união seja um momento de verdadeira comunhão e
celebração deste amor, um verdadeiro ato sagrado.
Eu trago a imagem do próprio Deus, e num vôo suave e divino, sou
levado pelas ondas do amor no teu ventre bendito.
Por favor... Mamãe e Papai, embora o meu corpo não esteja
completamente formado, a minha alma formada já por Deus, tudo
sente, tudo percebe, portanto conversem comigo, acariciem-me. Eu
preciso sentir o amor de vocês, preciso sentir que sou desejado e
aceito, independentemente de que sexo eu seja.
Por favor... Mamãe, tu és o elo de ligação que me une ao Papai,
ao mundo, enfim a todo universo. Que eu sinta que tudo é
maravilhoso, que é seguro viver. Se algo impressionar você,
conversa comigo a fim de que eu não venha sofrer conseqüências
negativas por toda a minha vida.
Por favor... Papai saiba que sua indiferença, indelicadeza,
agressividade ou desprezo para com a Mamãe, irão me marcar
profundamente. Tenha imenso amor e carinho para com a mamãe e
serei o fruto desse amor impulsionado a viver harmonioso e feliz.
Por favor... Mamãe e Papai saibam que em um clima de
segurança e amor, tudo irá correr bem, e eu colaborarei para um
parto tranqüilo e sem dor. Procurem conhecer e escolher a equipe
de parto e permitam a presença do Papai.
Por favor... Mamãe e Papai, se não for possível o Papai
presenciar o meu nascimento, como já vem acontecendo em muitos
partos, que o obstetra seja o grande mestre de ritos de iniciação e
orquestre a minha chegada com uma celebração à Vida.
Por favor... Os meus futuros relacionamentos dependem muito de
como eu sou tocado e acolhido no nascimento. Que eu seja bem
recebido, e encontre o toque carinhoso de mãos abençoadas.
Por favor... Que ao emergir da escuridão do ventre, não
machuque meus olhos com a forte luz dos refletores; basta uma luz
baixa, para que eu entre em cena.
Por favor... Que meus ouvidos até então protegidos dos ruídos do
mundo, encontrem um religioso silêncio, incumbido de um santo
respeito.
Por favor... Que meus pulmões recebam suave e
progressivamente esse novo modo de respirar, e só então desatem
esse nó, que por meses me uniu ao mundo, cortando-o quando esse
já não mais estiver pulsando.
Por favor... Entendam que eu fiquei encolhido por nove meses,
não me coloquem de cabeça para baixo, desdobrando-me em um só
golpe, suspenso no vazio, como que caindo de um abismo ; vocês
conhecem essas sensações?
Por favor... Quero ser colocado sobre o ventre de minha mãe, de
bruços, com meus ouvidos contra seu peito, para que eu possa
reencontrar as doces e ternas batidas de seu coração.
Por favor... Que eu sinta sempre a presença do papai, e pelas suas
mãos tomar meu primeiro banho, com água aquecida, e depois
voltar a ficar bem juntinho da mamãe.
Agradeço a Vocês por esse momento único, pleno de ternura.
Um bebê pré-natal

"A guerra, a violência, são frutos da criança rejeitada, insatisfeita, cuja gestação e nascimento
transcorreram a revelia, sem atenção, sem afeto. Estas lembranças, mesmo que inconscientes,
interceptam nosso caminho, fechando as portas para uma felicidade futura. O que se forma na
mente, torna-se realidade, e não levará muito tempo para que o subconsciente colida com o seu
“Navio de Amor”, um autêntico Iceberg atropelando o Titanic”. Sondra Ray

Padre Giovanni Rinaldi

Interesses relacionados