Você está na página 1de 40

VULVOVAGINITES NA

GESTAÇÃO

Dr. Paulo Rojas


ECOSSISTEMA VAGINAL
• EQÜILÍBRIO DINÂMICO COMPLEXO

• a) Epitélio Vaginal
• b) Flora Endógena da Vagina

( Microorganismos Endógenos)
VAGINITES E INFECÇÕES
VAGINAIS

• OCORRE QUANDO AGENTES


EXÓGENOS PATOGÊNICOS SE
SOBREPOEM À FLORA
VAGINAL NORMAL
MANUTENÇÃO DA FLORA
VAGINAL
• SUBSTRATO MECÂNICO: VULVA,
VAGINA E COLO UTERINO:
• Tegumento espesso
• Pêlos pubianos
• Coaptação dos grandes e pequenos lábios
• Justaposição das paredes vaginais
• Integridade anatômica e funcional do colo
MANUTENÇÃO DA FLORA
VAGINAL
• SUBSTRATO NUTRICIONAL:

• a) Tecido intacto
• b)Descamação epitelial
• c)Transudatos
• e)Fluido menstrual
• f)Secreção endocervical
MANUTENÇÃO DA FLORA
VAGINAL
• SUBSTRATO IMUNOLÓGICO:
• neutrófilos
• monócitos
• leucócitos polimorfonucleares
• linfócitos T
• citoquinas (interleucinas e interferon)
• imunoglobulinas (IgM, IgG, IgA, IgA
secretória, IgE)
MANUTENÇÃO DA FLORA
VAGINAL:
• MEIO FÍSICO ADEQUADO:

• Temperatura
• PH
• Grau de hidratação
• Tensão de oxigênio
• Níveis de estrogênio e progesterona
FISIOPATOLOGIA

• MICROBIOTA VAGINAL
NORMAL>>>LACTOBACILOS
(BACILOS DE
DÖDERLEIN)>>>ESTROGÊNIO>>>GLI
COGÊNIO>>>ÁCIDO LÁTICO>>>PH
VAGINAL ÁCIDO
LACTOBACILOS
• ORGANISMOS MAIS ABUNDANTES
NA VAGINA DA MULHER NO
MENACME
• CONTRIBUEM PARA A
MANUTENÇÃO DO PH
• RESTRINGEM O CRESCIMENTO DE
MICROORGANISMOS
POTENCIALMENTE PATOGÊNICOS
VULVOVAGINITES

• AS VULVOVAGINITES POSSUEM
UMA ELEVADA IMPORTÂNCIA
MÉDICO-SOCIAL SOB VÁRIOS
ASPECTOS:
• a) São altamente freqüentes, sendo que
constituem a principal causa de procura ao
ginecologista. Mais de um terço das
consultas ginecológicas ocorrem devido a
sintomas de vulvovaginites;
VULVOVAGINITES
• B) Podem causar sintomatologia
extremamente desconfortável à mulher,
interferindo no seu cotidiano e,
particularmente, no seu relacionamento
sexual;
• C) Algumas vulvovaginites podem ascender
ao trato genital superior,causar DIP e,
consequentemente, predispor às suas
principais seqüelas (dor pélvica crônica,
esterilidade, prenhez ectópica);
VULVOVAGINITES

• D) As vulvovaginites, pelas lesões,


lacerações e alterações que provocam
na pele e mucosas dos genitais, podem
potencialmente facilitar a penetração
do HIV no organismo feminino.
CAUSAS COMUNS DE CORRIMENTO
VAGINAL NA MULHER

• CORRIMENTO VAGINAL
FISIOLÓGICO

• VULVOVAGINITES INFECCIOSAS

a) vaginose bacteriana ( 40-50% )


CAUSAS COMUNS DE CORRIMENTO
VAGINAL NA MULHER

• VULVOVAGINITES NÃO-
INFECCIOSAS

a)
irritativas

b) alérgicas
CANDIDÍASE VULVOVAGINAL

• FUNGO GRAM POSITIVO


• DIMORFO
• SAPRÓFITA
• PRESENTE EM 20-40% DE MULHERES
SADIAS E ASSINTOMÁTICAS
• PRESENTE EM 30% DE GESTANTES
ASSINTOMÁTICAS
CANDIDÍASE VULVOVAGINAL

• INCIDÊNCIA TEM AUMENTADO NAS


ÚLTIMAS DÉCADAS
• EPISÓDIO ÚNICO DE CANDIDÍASE
VAGINAL DURANTE A VIDA
REPRODUTIVA: 75 % DAS
MULHERES
• EPISÓDIO REPETIDO: 40-50%
• EPISÓDIOS RECORRENTES: 5% DAS
MULHERES
CANDIDÍASE VULVOVAGINAL

• GÊNERO>>>>CANDIDA

• ESPÉCIE>>>>albicans (85%)

glabrata
FORMAS DE APRESENTAÇÃO:

• NÃO COMPLICADA:
• a) Candidíase vulvovaginal esporádica
• b) Candidíase vulvovaginal grau leve à
moderado
• c) Candidíase associada à C. albicans
• d) Candidíase na ausência de gravidez
FORMAS DE APRESENTAÇÃO:

• COMPLICADA:
• a) Candidíase vulvovaginal recorrente
• b) Candidíase vulvovaginal severa
• c) Candidíase não-albicans
• e) Alterações do hospedeiro (diabetes,
gravidez, imunodepressão).
FATORES PREDISPONENTES DA
CANDIDÍASE VULVOVAGINAL
• Gravidez;
• Anticoncepcionais orais (alta dosagem);
• Diabetes melitus (descompensado);
• Corticóides, antibióticos ou
imunossupressores;
• Hábitos de higiene e vestuário inadequados;
• Substâncias alergenas ou irritantes (talco,
perfume,desodorantes);
• Resposta imunológica (imunodeficiência)
CANDIDÍASE VAGINAL
• RECORRENTE: DEFINIDA COMO
INFECÇÃO POR CÂNDIDA
CARACTERIZADA POR QUATRO OU
MAIS EPISÓDIOS EM UM PERÍODO DE
12 MESES.
• REINFECÇÃO: CONSIDERADA
QUANDO A CANDIDA É
COMPETAMENTE ERRADICADA DA
VAGINA E NOVAMENTE
INTRODUZIDA (VIA SEXUAL OU TGI).
CANDIDÍASE RECORRENTE

• A MAIORIA DAS MULHERES


COM CANDIDÍASE
RECORRENTE NÃO POSSUI
FATORES PREDISPONENTES
RECONHECIDOS.
CANDIDÍASE RECORRENTE:
perfil feminino
• Faixa etária: 30 anos
• Raça branca
• Nuligesta/poucos filhos
• Intelectual
• Estressada
• Hábitos de higiene exagerados
• Maior freqüência sexual
• Verão
• Rinite alérgica (70%)
CANDIDÍASE VAGINAL
RECORRENTE
• RESERVATÓRIO INTESTINAL
PERSISTENTE

• TRANSMISSÃO SEXUAL

• RECIDIVA VAGINAL POR


ERRADICAÇÃO INCOMPLETA
(Sobel,1993)
CANDIDÍASE VAGINAL
RECORRENTE
• AUMENTO DA VIRULÊNCIA DA
CÂNDIDA

• FATORES PRÓPRIOS DO ORGANISMO


DA MULHER
• a)diminuição da imunidade da mucosa
• b)reação de hipersensibilidade
DIAGNÓSTICO: Anamnese
• Prurido vulvovaginal (principal
sintoma )

• Corrimento branco (leite talhado) ou


amarelo
• Ardor ou dor à micção

• Dor às relações sexuais


DIAGNÓSTICO: Exame Físico
• Hiperemia, edema, fissuras e maceração da
vulva e períneo

• Mucosas da vagina e cérvice hiperemiadas

• Conteúdo vaginal aumentado, de coloração


variável (branca), flocular, viscoso,
aderente às paredes vaginais.
CANDIDÍASE
VULVOVAGINAL
CANDIDÍASE MASCULINA
DIAGNÓSTICO: Exame
Microscópico
• EXAME MICROSCÓPICO À FRESCO

* Hidróxido de Potássio (KOH a 10%)

* Presença de hifas e esporos


• ESFREGAÇO CORADO PELO MÉTODO
TRATAMENTO:
• IDENTIFICAR E AFASTAR FATORES
DESENCADEANTES ( pó, poeira, pólen,
alimentos,sêmen, parasitas intestinais, absorventes
higiênicos,...)
• PSIQUISMO:
• FUMO
• DROGAS
• DIETA
• STRESS
TRATAMENTO
MEDICAMENTOSO:
• A EFICÁCIA DOS DERIVADOS
AZÓLICOS NO TRATAMENTO
DA CANDIDÍASE
VULVOVAGINAL É DE
APROXIMADAMENTE 80-90%.
TRATAMENTO: Candidíase não
complicada ( não- grávida)
• AGENTES ORAIS:
• Fluconazol- 150 mg (dose única )

• Itraconazol- 200 mg 2Xdia (1dia) ou 200


mg/dia (3dias)

• Cetoconazol - 400mg /dia (5 dias)
CANDIDÍASE NA GESTAÇÃO
• Tratamento tópico de longa duração
• Nistatina/Miconazol creme vaginal (14
dias)
• Derivados azólicos tópicos
• Creme de Corticóides tópicos
• Antifúngicos orais ( defeitos craniofaciais,
esqueléticos e cardíacos)
• Cetoconazol: contra-indicado
Agentes locais: antimicóticos
azólicos
• Fenticonazol creme- 5g ( 7 dias )
• Fenticonazol óvulo - 600 mg - ( dose
única)
• Miconazol creme -5g - (7-14 dias)
• Clotrimazol creme - 5g - (6 dias)
• Clotrimazol comp. vaginal (dose única)
• Isoconazol creme - 5g- (7dias)
• Isoconazol óvulo (dose única)
• Terconazol creme -5g- (5 dias)
CANDIDÍASE COMPLICADA
• CANDIDÍASE NÃO-ALBICANS (glabrata
e krusei)

• Ácido Bórico: cápsula vaginal- 600 mg/dia


(14 dias)
• Nistatina creme vaginal- 5 g à noite (12-14
dias)
SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEL?
TRATAR O PARCEIRO?
• Leveduras presentes em 20-40% de
mulheres assintomáticas
• Orofaringe(30%), jejuno(50%), reto(65%)
• Cotratamento do parceiro não está indicado
• Excessões:
• Parceiro sintomático: Balanopostite :5-25%
• Candidíase vaginal recorrente de etiologia
desconhecida
OBRIGADO