Você está na página 1de 2

ANALISTA TCU 2007 – CONTABILIDADE GERAL – RECURSOS

176 A rentabilidade financeira, no período em análise, é superior a 33%.

DRE
Receita bruta de vendas 65.817
Abatimento de vendas -520
Imposto de vendas -4.450
Receita líquida de vendas 60.847
CMV -22.072
Lucro bruto 38.775
Despesa de água e esgoto -558
Despesa de internet -665
Despesa de aluguel -5.540
Despesa de amortização -212
Despesa de depreciação -448
Despesa de energia -998
Despesa de exaustão -332
Despesa de honorários -774
Despesa de manutenção -2.250
Despesa de salários -3.250
Despesa de seguros -4.410
Despesa de telefone -548
Despesa financeira -2.540
Receita financeira 4.500
Despesas administrativas -554
Despesas diversas -3.200
Despesas operacionais -470
Lucro operacional 16.526
Imposto de renda -6.200
Lucro líquido do exercício (LLE) 10.326

PL
Capital social 27.926
Reserva de capital 2.100
Outras reservas 209
LPA (após o LLE) (*) 15.646
Total PL 45.881
* = valor que fecha o Balanço

rentabilidade financeira = LL / PL = 10.326 / 45.881 = 0,23

Tendo em vista os cálculos acima, solicito mudar o gabarito do item para ERRADO.
177 A empresa será incapaz de liquidar suas dívidas de curto prazo com os recursos
advindos de seu ativo circulante.

AC
Caixa 882
Banco 652
Aplicações financeiras de resgate imediato 258
Contas a receber 335
Estoque final de mercadorias para revenda 258
Provisão para desvalorização de estoques -80
Material de consumo 147
Material de limpeza 150
Impostos antecipados 1.200
Adiantamento de salários 800
Aluguel antecipado 321
Seguros antecipados 700
Total AC 5.623

PC
Fornecedores 1.140
Energia a pagar 875
Debêntures a pagar 3.522
Dividendos a pagar 850
Empréstimos a pagar 1.200
Financiamentos a pagar 25.800
Honorários a pagar 280
Impostos a pagar 2.200
Salários a pagar 114
Telefone a pagar 250
Títulos a pagar 1.258
Total PC 37.489

AC – PC = 5.623 – 37.489 = – 31.866

Tendo em vista os cálculos acima, solicito mudar o gabarito do item para CERTO.

179 O ativo permanente da empresa é igual a R$ 107.977.

Segundo o Manual de Contabilidade das Sociedades por Ações, de autoria de Sérgio de Iudícibus
e outros, da FIPECAFI/USP, os investimentos podem ser classificados no Ativo Circulante ou no
ARLP, quando for intenção da empresa aliená-los, respectivamente, no curto ou no longo prazo,
ou no Ativo Permanente, quando não houver intenção de alienação. O enunciado da questão
não fornece elementos para a correta classificação das contas “ações de outras companhias”,
“fundos de investimentos” e “investimentos em debêntures” nos grupos patrimoniais do Ativo, o
que comprometeu a resolução da questão.

Tendo em vista o exposto, peço a anulação do item.

Boa sorte!

Luciano Oliveira.