P. 1
FIS_2_Lista_1

FIS_2_Lista_1

|Views: 1.540|Likes:
Publicado porcomentada

More info:

Published by: comentada on Dec 15, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/08/2013

pdf

text

original

Faculdade de Tecnologia de Mogi-Mirim

Disciplina: Energia e Trabalho Turma: 2o período CST em Mecânica de Precisão Nome: Questão 1 Um veículo está rodando à velocidade de 36 km/h numa estrada reta e horizontal, quando o motorista aciona o freio. Supondo que a velocidade do veículo se reduz uniformemente à razão de 4 m/s em cada segundo a partir do momento em que o freio foi acionado, determine a) o tempo decorrido entre o instante do acionamento do freio e o instante em que o veículo pára. b) a distância percorrida pelo veículo nesse intervalo de tempo. Questão 2 A figura adiante representa, vista de cima, uma mesa horizontal onde um corpo desliza sem atrito. O trecho AB é percorrido em 10 s, com velocidade constante de 3,0 m/s. Ao atingir o ponto B, aplica-se ao corpo uma força horizontal, de módulo e direção constantes, perpendicular a AB, que produz uma aceleração de 0,4 m/s£. Decorridos outros 10 s, o corpo encontra-se no ponto C, quando então a força cessa. O corpo move-se por mais 10 s até o ponto D. a) Faça um esboço da trajetória ABCD. b) Com que velocidade o corpo atinge o ponto D? Data: 21/02/2010 Série: 2  N.: até parar completamente. Despreze a resistência do ar.
Nota

2.1.2.6

a) Qual é o coeficiente de atrito entre os pneus do carro e a pista? b) Qual o trabalho, em módulo, realizado pela força de atrito entre os instantes t = 6 s e t = 8 s? Questão 4 A figura adiante mostra o gráfico da força resultante, agindo numa partícula de massa m, inicialmente em repouso. No instante t‚ a velocidade da partícula, V‚, será: a) V‚ = [(F + F‚)t - F‚t‚]/m b) V‚ = [(F - F‚)t - F‚t‚]/m c) V‚ = [(F - F‚)t + F‚t‚]/m d) V‚ = (Ft - F‚t‚)/m e) V‚ = [(t‚ - t) (F - F‚)]/m

2.1.2.2

2.1.3.2

Questão 3 O gráfico velocidade contra tempo, mostrado adiante, representa o movimento retilíneo de um carro de massa m = 600 kg numa estrada molhada. No instante t = 6 s o motorista vê um engarrafamento à sua frente e pisa no freio. O carro, então, com as rodas travadas, desliza na pista
1

Questão 5 Um pingo de chuva de massa 5,0 × 10−¦ kg cai com velocidade constante de uma altitude de 120 m, sem que sua massa varie, num local onde a aceleração da gravidade é 10 m/s£. Nessas condições a força de atrito FÛ do ar sobre a gota e a energia EÛ dissipada durante a queda são respectivamente: a) 5,0 × 10−¥ N; 5,0 × 10−¥ J b) 1,0 × 10−¤ N; 1,0 × 10−¢ J c) 5,0 × 10−¥ N; 5,0 × 10−£ J d) 5,0 × 10−¥ N; 6,0 × 10−£ J e) 5,0 × 10−¥ N; EÛ = 0 J Questão 6 Um corpo de massa 0,3 kg está em repouso num local onde a aceleração gravitacional é 10 m/s£. A partir de um certo instante, uma força variável com a distância segundo a função F = 10 - 20d, onde F(N) e d(m), passa a atuar no corpo na direção vertical e sentido ascendente. Qual a energia cinética do corpo no instante em que a força F se anula? (Despreze todos os atritos) a) 1,0 J. b) 1,5 J. c) 2,0 J. d) 2,5 J. e) 3,0 J. Questão 7 Um corpo de massa m está em movimento circular sobre um plano horizontal, preso por uma haste rígida de massa desprezível e comprimento R. A outra extremidade da haste está presa a um ponto fixo P, como mostra a figura a seguir (em perspectiva). O coeficiente de atrito entre o corpo e o plano é ˜, constante. Num dado instante, o corpo tem velocidade de módulo V e direção paralela ao plano e perpendicular à haste.

a) Qual deve ser o valor de V para que o corpo pare após 2 (duas) voltas completas? b) Qual o tempo gasto pelo corpo para percorrer a última volta antes de parar? c) Qual o trabalho realizado pela força de atrito durante a última volta? Questão 8 Um corpo de massa m é solto no ponto A de uma superfície e desliza, sem atrito, até atingir o ponto B. A partir deste ponto o corpo desloca-se numa superfície horizontal com atrito, até parar no ponto C, a 5 metros de B.

2.1.3.2

Sendo m medido em quilogramas e h em metros, o valor da força de atrito F, suposta constante enquanto o corpo se movimenta, vale, em newtons: Considere: g = 10 m/s£ a) F = (1/2) mh b) F = mh c) F = 2 mh d) F = 5 mh e) F = 10 mh Questão 9 O famoso cientista, Dr. Vest B. Lando, dirige calmamente o seu automóvel de massa m = 1000 kg pela estrada cujo perfil está mostrado na figura a seguir. Na posição x = 20 m, quando sua velocidade vale V = 72 km/h (20 m/s), ele percebe uma pedra ocupando toda a estrada na posição x = 120 m (ver figura). Se o Dr. Lando não acelerar ou acionar os freios, o automóvel (devido a atritos internos e externos) chega na posição da pedra com metade da energia cinética que teria caso não houvesse qualquer dissipação de energia.

2.1.3.2

2

Questão 12 Um corpo de massa 12 kg está submetido a diversas forças, cuja resultante ù é constante. A velocidade do corpo num ponto M é de 4,0 m/s e num outro ponto N é de 7,0 m/s. O trabalho realizado pela força ù no deslocamento de M para N é, em joules, de a) 33 b) 36 c) 99 d) 198 e) 396 Questão 13 Um carrinho desloca-se em linha reta sobre uma superfície plana e horizontal, às custas da força ù constante, indicada em escala na figura a seguir.

2.1.3.2

a) Com que velocidade o automóvel se chocará com a pedra se o Dr. Lando não acelerar ou acionar os freios? b) Que energia tem que ser dissipada com os freios acionados para que o automóvel pare rente à pedra? Questão 10 Um fruto de 0,10 kg, inicialmente em repouso, desprendeu-se de uma árvore à beira de um penhasco e caiu 55 m, esborrachando-se numa rocha. Se a velocidade imediatamente antes do impacto com a rocha era 30 m/s e a aceleração da gravidade local vale 10 m/s£, calcule as quantidades de energia mecânica dissipadas: a) na interação do fruto com a rocha, ao se esborrachar; b) na interação do fruto com o ar, durante a queda. Questão 11 Um pequeno corpo de massa m é abandonado em A com velocidade nula e escorrega ao longo do plano inclinado, percorrendo a distância d = åæ. Ao chegar a B, verifica-se que sua velocidade é igual a Ë(gh). Pode-se então deduzir que o valor da força de atrito que agiu sobre o corpo, supondo-a constante, é a) zero. b) mgh. c) mgh/2. d) mgh/2d. e) mgh/4d.

2.1.3.2

a) Qual é o trabalho realizado pela força ù, quando o carrinho se desloca do ponto P ao ponto Q, distante 2,0 metros de P? b) Se tinha energia cinética de 4,0 J quando passou por P, dirigindo-se para Q, que energia cinética terá ao passar por Q? (Despreze possíveis atritos). Questão 14 Um corpo, inicialmente em repouso, é submetido a uma força resultante ù, cujo valor algébrico varia com o tempo de acordo com o gráfico a seguir.

2.1.3.2 2.1.3.2

3

onsiderando os intervalos de tempo I, II e III, a energia cinética do corpo AUMENTA a) apenas no intervalo I b) apenas no intervalo II c) apenas no intervalo III d) apenas nos intervalos I e II e) nos intervalos I, II e III Questão 15 O gráfico representa o valor algébrico da força resultante ù que age sobre um corpo de massa 5,0 kg, inicialmente em repouso, em função da abcissa x. A velocidade do corpo ao passar pelo ponto da abcissa 4,0 m, em m/s, vale

a) 10 m/s b) 6 m/s c) 8 m/s d) 16 m/s e) 9,6 m/s Questão 17 Um pára-quedista de 80 kg (pessoa + pára-quedas) salta de um avião. A força da resistência do ar no pára-quedas é dada pela expressão: F = - bV£ onde b = 32 kg/m é uma constante e V a velocidade do pára-quedista. Depois de saltar, a velocidade de queda vai aumentando até ficar constante. O pára-quedista salta de 2 000 m de altura e atinge a velocidade constante antes de chegar ao solo. a) Qual a velocidade com que o pára-quedista atinge o solo? b) Qual foi a energia dissipada pelo atrito contra o ar na queda desse pára-quedista? Questão 18

2.1.3.2

a) zero. b) Ë2 c) 2 d) 2Ë2 e) 3 Questão 16 O gráfico a seguir é uma reta e representa a variação da força resultante que atua em um corpo de 1,2 kg em função do deslocamento. Sabe-se que a velocidade na posição x = 2 m é de 4 m/s. Qual é a velocidade do corpo na posição x = 4 m?

Conta-se que Newton teria descoberto a lei da gravitação ao lhe cair uma maçã na cabeça. Suponha que Newton tivesse 1,70 m de altura e se encontrasse em pé e que a maçã, de massa 0,20 kg, tivesse se soltado, a partir do repouso, de uma altura de 3,00 m do solo. Admitindo g = 10 m/s£ e desprezando-se a resistência do ar, pode-se afirmar que a energia cinética da maçã, ao atingir a cabeça de Newton, seria, em joules, de a) 0,60. b) 2,00. c) 2,60. d) 6,00. e) 9,40. Questão 19 Um objeto de massa igual a 2,0 kg, inicialmente em repouso, percorre uma distância igual a 8,0 m em uma superfície horizontal sem atrito, sob a ação de uma força constante, também horizontal, igual a 4,0 N. A variação da energia cinética do objeto é a) 4,0 J b) 8,0 J c) 16,0 J d) 32,0 J e) 64,0 J
4

2.1.3.2

Questão 20 Uma esfera de aço de 3 × 10−£ kg, abandonada de uma altura de 2,0 m, cai de uma superfície plana, horizontal, rígida, e volta atingindo a altura máxima de 0,75 m. Despreze a resistência do ar e admita g = 10 m/s£. a) Qual a energia dissipada no choque da esfera contra a superfície? b) Qual deveria ser o valor da velocidade vertical inicial da esfera para que, na volta ela atingisse a posição inicial? Questão 21 Uma partícula de massa 500 g, em movimento retilíneo, aumenta sua velocidade desde 6,0 m/s até 10 m/s num percurso de 8,0 m. A força resultante sobre a partícula tem módulo, em newtons, a) 16 b) 8 c) 6 d) 4 e) 2 Questão 22 Uma força de 3,0 N e outra de 4,0 N são aplicadas simultaneamente em um objeto de 2,5 kg, inicialmente em repouso. As duas forças formam entre si um ângulo de 90° e atuam durante 3,0 s. Qual o trabalho total, em joules, realizado por estas forças? Questão 23 Um bloco de massa 0,5 kg está sujeito a uma força que varia com a posição de acordo com o gráfico a seguir. Se o bloco partiu do repouso em x = 0, qual será sua velocidade escalar, em m/s, quando x for igual a 30 m?

Questão 24 Na(s) questão(ões) a seguir julgue os itens e escreva nos parênteses (V) se for verdadeiro ou (F) se for falso. Um corpo de massa igual a 7 kg, inicialmente em repouso, sofre a ação de uma força constante F durante 10 s, após os quais ela é retirada. Decorridos outros 10 s, aplica-se uma força constante F‚ na direção do movimento, porém em sentido oposto, até que se anule a velocidade do corpo. O gráfico horário da velocidade dos movimentos executados pelo corpo é mostrado a seguir.

2.1.3.2

Com base em sua análise, julgue os itens a seguir. ( ) O movimento do corpo é retardado no intervalo de tempo de 20 a 40 s. ( ) As forças F e F‚ têm intensidades de 49 N e 98 N respectivamente. ( ) No instante observado o móvel não muda o sentido de movimento. ( ) O trabalho realizado por F é de 66 J. Questão 25 Um bloco A de 3,0 kg é abandonado no ponto P do plano inclinado, conforme figura a seguir. O plano inclinado não possui atrito, entretanto no trecho Q S o coeficiente de atrito cinético (˜c), entre o bloco e o plano horizontal vele 0,25. Sendo a constante elástica da mola k = 1,5 ×10¦ N/m e g = 10 m/s£, determine aproximadamente, em cm, a compressão que o bloco A proporciona à mola.

2.1.3.2

2.1.3.2

5

Questão 26 Na(s) questão(ões) a seguir escreva nos parênteses a soma dos itens corretos. A figura a seguir representa uma partícula de massa m, que, lançada do ponto A, com velocidade «³, descreve a trajetória ABCD sobre um trilho. Considere que só há atrito no trecho horizontal AB, de comprimento Ø e que a intensidade do campo gravitacional local é igual a g.

2.1.3.2

2.1.3.2

Sendo g = 10 m/s£ a aceleração da gravidade, calcule: a) o trabalho realizado pelos diversos atritos que se opõem ao movimento da esfera durante essa primeira oscilação; b) o trabalho realizado pela tensão no fio durante essa primeira oscilação. Questão 28 Uma pedra é lançada verticalmente para cima com uma energia cinética de 25 J, a partir de um ponto A, subindo até um ponto B e retornando ao ponto do lançamento. Em B, a energia potencial da pedra, com relação ao ponto A, é de 15 J. Entre as afirmativas a seguir, aponte a que está ERRADA, segundo os dados apresentados. a) A energia mecânica total da pedra, no ponto A, é de 25 J. b) No trajeto de ida e volta da pedra, o trabalho total realizado pela força de resistência do ar é nulo. c) Durante a subida da pedra, o trabalho realizado pela força de resistência do ar é de -10 J. d) Durante a descida da pedra, o trabalho realizado pela força de resistência do ar é de -10 J. e) A energia cinética da pedra, ao retornar ao ponto de lançamento, é de 5 J. Questão 29 Um corpo de massa 1 kg possui velocidade inicial em A de 5 m/s. Sabe-se que o corpo percorre a trajetória ABC, parando em C. O trecho AB é perfeitamente liso (atrito desprezível). A partir do ponto B até C existe atrito. Determine, DESCREVENDO detalhadamente, todos os passos adotados até atingir resultado: a) a velocidade do corpo ao atingir o ponto B, b) o trabalho realizado pela força de atrito, no trecho BC Dado: g = 10 m/s£

Nessas condições, pode-se afirmar: (01) A partícula passará pelo ponto D, qualquer que seja o módulo de «³. (02) No trecho AB, o coeficiente de atrito cinético entre a partícula e o trilho é dado por v³£/2Øg. (04) Ao longo da trajetória ABCD, o trabalho total produzido pelo peso da partícula é nulo. (08) A energia mecânica da partícula é a mesma, em qualquer ponto da trajetória. (16) No trecho CD, a partícula realiza movimento circular uniforme. (32) A trajetória da partícula seria modificada, caso o trecho AB fosse perfeitamente polido. Soma ( Questão 27 Uma esfera de aço de massa m = 0,20 kg, suspensa por um fio a um suporte, é afastada de sua posição de equilíbrio e abandonada a uma altura H³ = 0,48 m, como mostra a figura 1. Ao completar a primeira oscilação, verifica-se que ela consegue atingir apenas uma altura H = 0,45 m, como mostra a figura 2. )

6

2.1.3.2

2.1.3.2

Questão 30 Um pai puxa o balanço da filha até encostá-lo em seu rosto, solta-o e permanece parado, sem receio de ser atingido pelo brinquedo quando ele retorna à posição inicial. Tal segurança se fundamenta na:

a) 1,25 m b) 2,00 m c) 2,50 m d) 3,75 m e) 5,00 m Questão 32 Numa montanha russa onde os atritos não são desprezíveis, um carrinho de massa 400 kg parte, sem velocidade inicial, de um ponto A situado 20 m acima do solo. Ao passar por um ponto B, sua velocidade é 2 m/s e sua altura em relação ao solo é 10 m. Considerando g = 10 m/s£, podemos afirmar que a quantidade de energia dissipada entre os pontos A e B da trajetória é de a) 120,8 K J b) 120 K J c) 39,2 K J d) 40 K J e) 40,8 K J Questão 33 Um corpo A inicialmente com 30 J de energia cinética, choca-se com um corpo B que possuía inicialmente 5 J de energia. Sabendo-se que no choque, o corpo A transferiu 23 J para B, calcule o trabalho realizado pelo corpo A. Questão 34 Uma partícula desliza sobre o trilho que possui extremidades elevadas e uma parte central plana conforme a figura. As partes curvas não apresentaram atrito e o coeficiente de atrito cinético da parte plana é ˜ = 0,2. Abandona-se a partícula do ponto P, cuja a altura é h = 2,5 m acima da parte plana. O ponto no qual a partícula vai parar é:

2.1.3.2

a) conservação da energia mecânica. b) Primeira Lei de Newton. c) Segunda Lei de Newton. d) Lei da Ação e Reação. e) Lei da Gravitação Universal. Questão 31 Um bloco B de 2,0 kg é lançado do topo de um plano inclinado, com velocidade de 5,0 m/s, conforme indica a figura. Durante a descida atua uma força de atrito constante de 7,5 N, que faz o bloco parar após deslocar-se 10 m. Calcule a altura H.

7

2.1.3.2

2.1.3.2

a) A b) B c) C d) D e) E Questão 35 Um corpo move-se sobre uma superfície horizontal e lisa. Se uma força, também horizontal, agir sobre o corpo, no sentido do movimento, haverá aumento ou diminuição da energia cinética deste? Questão 36 Como pode haver aumento de velocidade, se o aumento de velocidade significa aumento de energia cinética, e a energia não aumenta pois se conserva? Questão 37 Um corpo move-se sobre uma superfície horizontal e lisa. Se uma força, também horizontal, agir sobre o corpo, no sentido oposto do movimento, haverá aumento ou diminuição da energia cinética deste? Questão 38 No Universo só existem dois tipos de energia. Quais são estes dois tipos? Questão 39 Quando comprimimos uma mola ela é capaz de alterar o movimento de um corpo, empurrando-o. Que tipo de energia a mola contém? Questão 40 A força resultante que atua em um corpo de massa 2 kg varia com a distância de acordo com o gráfico a seguir. Quando o corpo está na posição 2 m, sua velocidade é 10 m/s. Qual é a sua velocidade na posição 6 m?

a) 12 m/s b) 11 m/s c) 13 m/s d) 80 m/s e) 20 m/s Questão 41 Um tambor de massa 50 kg está cheio com 200 Ø de água. O tambor é içado por uma força ù a 20 m de altura. A água escoa uniformemente através de um orifício, de modo que o tambor chega à parte superior completamente vazio. Sabendo-se que a velocidade de subida é constante, determinar o trabalho da força ù do solo até a altura de 20 m. a)  = 10.000 J b)  = 15.000 J c)  = 20.000 J d)  = 25.000 J e)  = 30.000 J Questão 42 O bloco de peso 100 N, da figura, sobe o plano inclinado com velocidade constante, sob a ação da força ù paralela ao plano e de intensidade 71 N. Devido ao atrito, a quantidade de calor liberada no trajeto de A para B é:

2.1.3.2

8

a) 700 cal b) 420 cal c) 210 cal d) 100 cal e) 10 cal Questão 43 Um corpo de massa 4,0kg, inicialmente parado, fica sujeito a uma força resultante constante de 8,0N, sempre na mesma direção e no mesmo sentido. Após 2,0s, o deslocamento do corpo e sua energia cinética, em unidades do Sistema Internacional, são respectivamente a) 4,0 e 32 b) 4,0 e 16 c) 2,0 e 8,0 d) 2,0 e 4,0 e) 1,0 e 4,0 Questão 44

Questão 46 O alcance de partículas ‘ de 4 MeV no ar é 2,4cm (massa específica do ar: 1,25x10−¤g/cm¤). Admitindo-se que o alcance seja inversamente proporcional à massa específica do meio, o alcance das partículas ‘ de 4 MeV na água (massa específica da água: 1,00g/cm¤) é a) 1,92 x 10¤ cm b) 3 cm c) 1,92 cm d) 3 x 10−¢ cm e) 3 x 10−¤ cm Questão 47 A figura mostra o perfil de uma calha de experimentos. Um carrinho de massa 0,2kg é lançado no ponto A, com velocidade 3m/s e desliza ao longo da calha, atingindo uma altura máxima idêntica à altura do lançamento. Qual é a quantidade de energia mecânica dissipada durante o movimento?

Uma esteira rolante transporta 15 caixas de bebida por minuto, de um depósito no sub-solo até o andar térreo. A esteira tem comprimento de 12m, inclinação de 30° com a horizontal e move-se com velocidade constante. As caixas a serem transportadas já são colocadas com a velocidade da 2.1.3.2 esteira. Se cada caixa pesa 200N, o motor que aciona esse mecanismo deve fornecer a potência de: a) 20 W b) 40 W c) 300 W d) 600 W e) 1800 W a) 9,0 J b) 3,0 J Questão 45 c) zero d) 0,3 J A montanha russa Steel Phantom do parque de diversões de e) 0,9 J Kennywood, nos EUA, é a mais alta do mundo, com 68,6m de altura acima do ponto mais baixo. Caindo dessa altura, o Questão 48 trenzinho desta montanha chega a alcançar a velocidade de Em um trajetória retilínea, um carro de massa 1,2×10¤kg 128km/h no ponto mais baixo. A percentagem de perda da energia mecânica do trenzinho nesta queda é mais próxima passa por um ponto A com velocidade de 36km/h e, 20 segundos depois, por um ponto B com velocidade de de: 72km/h. No deslocamento de A até B, o trabalho da força a) 10 % resultante sobre o carro vale, em joules, b) 15 % a) 3,6 × 10¤ c) 20 % b) 1,8 × 10¥ d) 25 % c) 3,6 × 10¥ e) 30 % d) 1,8 × 10¦ e) 3,6 × 10¦

9

Questão 49 Leia com atenção e analise as afirmativas a seguir: I. O trabalho total realizado sobre um corpo que se desloca entre dois pontos é igual à variação da energia cinética do corpo entre esses mesmos dois pontos. II. Quando sobre um corpo em movimento atuam somente forças conservativas, sua energia mecânica apresenta o mesmo valor em todos os pontos da trajetória. III. Se a resultante das forças externas que atuam sobre um sistema de partículas for nula, a quantidade de movimento total do sistema se conserva. IV. O trabalho realizado por uma força conservativa sobre um corpo, que se desloca entre dois pontos, depende da trajetória seguida pelo corpo. Assinale a alternativa CORRETA: a) somente estão corretas as afirmativas I, II e III; b) somente está correta a afirmativa IV; c) somente estão corretas as afirmativas I, III e IV; d) somente estão corretas as afirmativas I, II e IV; e) todas as afirmativas estão corretas. Questão 50 Um objeto de 8,0kg está sujeito à força resultante ù, aplicada na mesma direção e no mesmo sentido do movimento. O módulo da força ù, variável em função da posição x, está representado no gráfico.

Questão 51 Um toboágua de 4,0m de altura é colocado à beira de uma piscina com sua extremidade mais baixa a 1,25m acima do nível da água. Uma criança, de massa 50kg, escorrega do topo do toboágua a partir do repouso, conforme indicado na figura.

2.1.3.2

Considerando g=10m/s£ e sabendo que a criança deixa o toboágua com uma velocidade horizontal V, e cai na água a 1,5m da vertical que passa pela extremidade mais baixa do toboágua, determine: a) a velocidade horizontal V com que a criança deixa o toboágua; b) a perda de energia mecânica da criança durante a descida no toboágua. Questão 52 Um objeto de 4kg de massa desloca-se com velocidade de 5m/s, sem atrito, sobre um plano horizontal. A partir de um dado instante, passa a agir sobre ele uma força resultante, que faz sua velocidade aumentar para 10m/s. Determine o trabalho da força resultante durante a variação de velocidade ocorrida. Questão 53 Em uma partida de handebol, um atleta arremessa a bola a uma velocidade de 72km/h. Sendo a massa da bola igual a 450g e admitindo que a bola estava inicialmente em repouso, pode-se afirmar que o trabalho realizado sobre ela foi, em joules, igual a a) 32 b) 45 c) 72 d) 90 e) 160

2.1.3.2

abe-se ainda que o trabalho realizado pela força ù é de 300J no deslocamento de 40m, indicado no gráfico, e que a velocidade do objeto é de 10m/s quando x = 40m. Quando x = 0, a velocidade do objeto vale, em m/s, a) 1,0 b) 2,5 c) 5,0 d) 7,5 e) 10

10

Questão 54 O módulo v da velocidade de um corpo de 4,0kg, que cai verticalmente, está representado no gráfico em função do tempo t.

Questão 57 Uma esfera de aço de massa 0,20kg é abandonada de uma altura de 5,0m, atinge o solo e volta, alcançando a altura máxima de 1,8m. Despreze a resistência do ar e suponha que o choque da esfera com o solo ocorra durante um intervalo de tempo de 0,050s. Levando em conta esse intervalo de tempo, determine: a) a perda de energia mecânica e o módulo da variação da quantidade de movimento da esfera; b) a força média exercida pelo solo sobre a esfera. Adote g = 10 m/s£. Questão 58

2.1.3.2

dotando g=10 m/s£, os dados do gráfico indicam que a queda não foi livre e a energia mecânica dissipada, em joules, no intervalo de tempo representado, vale a) 144 b) 72 c) 18 d) 9,0 e) 2.0 Questão 55 Uma partícula de 2kg de massa é abandonada de uma altura de 10m. Depois de certo intervalo de tempo, logo após o início do movimento, a partícula atinge uma velocidade de módulo 3m/s. Durante esse intervalo de tempo, o trabalho (em J) da força peso sobre a partícula, ignorando a resistência do ar, é a) 6. b) 9. c) 20. d) 60. e) 200. Questão 56 Sobre um corpo de massa 4,00kg, inicialmente em repouso sobre uma mesa horizontal perfeitamente lisa, é aplicada uma força constante, também horizontal. O trabalho realizado por essa força até que o corpo adquira a velocidade de 10,0m/s é, em joules, a) 20,0 b) 40,0 c) 80,0 d) 100 e) 200

Um corpo de massa M, mostrado na figura, é preso a um fio leve, inextensível, que passa através de um orifício central de uma mesa lisa.

2.1.3.2

onsidere que inicialmente o corpo se move ao longo de uma circunferência, sem atrito. O fio é, então, puxado para baixo, aplicando-se uma força ù, constante, a sua extremidade livre. Podemos afirmar que: a) o corpo permanecerá ao longo da mesma circunferência. b) a força ù não realiza trabalho, pois é perpendicular à trajetória. c) a potência instantânea de ù é nula. d) o trabalho de ù é igual à variação da energia cinética do corpo. e) o corpo descreverá uma trajetória elíptica sobre a mesa. Questão 59 Um projétil de 20 gramas, com velocidade de 240m/s, atinge o tronco de uma árvore e nele penetra uma certa distância até parar. a) Determine a energia cinética Ec do projétil antes de colidir com o tronco e o trabalho T realizado sobre o projétil na sua trajetória no interior do tronco, até parar.
11

b) Sabendo que o projétil penetrou 18cm no tronco da árvore, determine o valor médio Fm da força de resistência que o tronco ofereceu à penetração do projétil. 2.1.3.2 Questão 60 Um corpo de massa m se move com velocidade constante v sobre uma superfície plana horizontal e sem atrito. Após um certo instante de tempo, uma força constante de módulo F, com sentido contrário ao movimento, age sobre o corpo durante um intervalo de tempo Ðt, fazendo-o parar. Das opções a seguir, aquela que corresponde ao valor do trabalho realizado pela força F, durante o intervalo de tempo Ðt, é: a) - 1/2 mv£ b) - Fv c) vÐt d) - FÐt e) Fv/Ðt Questão 61 Nas provas de longa e média distância do atletismo, os corredores mantêm sua velocidade constante durante a maior parte do tempo. A partir dessa constatação, um estudante de física afirma que, durante esse tempo, os atletas não gastam energia porque a energia cinética deles não varia. Essa afirmação é a) verdadeira, pois os corredores se mantêm em movimento sem esforço, por inércia. b) verdadeira do ponto de vista da física, mas falsa do ponto de vista da biologia. c) falsa, porque a energia cinética do atleta não tem relação com o esforço muscular que ele desenvolve. d) falsa, pois a energia cinética só se mantém constante graças ao trabalho da força muscular do atleta. e) verdadeira, porque o trabalho da resultante das forças que atuam sobre o atleta é nulo. Questão 62 Uma força de módulo F = 21 N acelera um bloco sobre uma superfície horizontal sem atrito, conforme a figura. O ângulo entre a direção da força e o deslocamento do bloco é de 60 graus. Ao final de um deslocamento de 4,0m, qual a variação da energia cinética do bloco, em joules?

Questão 63 O condutor de uma locomotiva de 1,00.10¥kg fez um teste de distância para parar, sem usar os freios, num trecho horizontal e retilíneo. Verificou que a locomotiva perdia energia cinética na razão de 2,00.10¤ joules por metro percorrido, independentemente da velocidade. Quando o condutor fazia o teste de parar sem usar o freio, o módulo da força resultante sobre a locomotiva, em newtons, era igual a a) 1,00 . 10£ b) 1,50 . 10£ c) 2,00 . 10£ d) 2,00 . 10¤ e) 5,00 . 10¤ Questão 64 Um pequeno objeto de 100g é abandonado do alto de uma pista, em um local no qual g=10m/s£. O gráfico abaixo mostra a variação da velocidade desse objeto em função da sua altura em relação ao solo

2.1.3.2

12

om base nessas informações, deve-se afirmar: a) do ponto mais alto até o ponto mais baixo, o objeto apresenta um ganho de energia de 1200J. b) durante a descida, as forças de resistência exercem um trabalho resistente de 1,2J. c) a pista percorrida pelo objeto não apresenta atrito. d) a velocidade do objeto durante a descida permanece constante. e) de acordo com o gráfico, a trajetória do objeto só pode ser retilínea. Questão 65 Um carrinho de montanha-russa, com duas pessoas, tem massa total de 300kg e é solto de uma altura de 12m. Após longa trajetória, verifica-se a perda de 80% da energia mecânica inicial e então, no trecho horizontal, um sistema de molas é usado para brecar o carrinho. A aceleração local da gravidade é de 10m/s£ e a constante elástica do referido sistema de molas é de 1,0×10¥N/m. Nessas condições, a máxima deformação do sistema de molas é, em metros, a) 1,2 b) 0,80 c) 0,40 d) 0,20 e) 0,10 Questão 66 Um corpo de 2,00kg de massa efetua movimento retilíneo com 5,00m/s de velocidade, quando sobre ele passa a atuar uma força de 6,00N, na mesma orientação da velocidade, durante 5,00s. O valor do trabalho realizado pela força nessas condições vale a) 200 J b) 225 J c) 375 J d) 400 J e) 425 J Questão 67 Um carro de corrida, incluindo o piloto, tem 800 kg de massa e seu motor é capaz de desenvolver, no máximo, 160 kW de potência. O carro acelera na largada, primeiramente, utilizando a tração de 4000 N, que no caso é a máxima permitida pela pista e pelos pneus, até atingir a potência máxima do motor. A partir daí, o piloto passa a acelerar o carro utilizando a potência máxima do motor até atingir 60 m/s. Suponha que não haja perda de energia por atrito e que todo o trabalho realizado pelo motor resulte no aumento de energia cinética de translação do carro.

a) Calcule a velocidade do carro ao final da primeira etapa de aceleração. b) Calcule o tempo gasto na segunda etapa da aceleração. Questão 68 Num sistema de referência inercial, é exercida uma força resultante sobre um corpo de massa igual a 0,2 kg, que se encontra inicialmente em repouso. Essa força resultante realiza sobre o corpo um trabalho de 1J, produzindo nele apenas movimento de translação. No mesmo sistema de referência, qual é o módulo da velocidade adquirida pelo corpo em conseqüência do trabalho realizado sobre ele? a) Ë5 m/s b) Ë10 m/s c) 5 m/s d) 10 m/s e) 20 m/s Questão 69 Dá-se um tiro contra uma porta. A bala, de massa 10 g, tinha velocidade de 600 m/s ao atingir a porta e, logo após atravessá-la, sua velocidade passa a ser de 100 m/s. Se a espessura da porta é de 5,0 cm, a força média que a porta exerceu na bala tem módulo, em newtons, a) 1,0 . 10¤ b) 2,0 . 10¤ c) 5,0 . 10¤ d) 2,0 . 10¥ e) 3,5 . 10¥ Questão 70 Um bloco de massa m = 2,0 kg é liberado do repouso, no alto de um edifício de 130 metros de altura. Após cair 120 metros, o bloco atinge sua velocidade terminal, de 20 m/s, por causa da resistência do ar. Use g = 10 m/s£ para a aceleração da gravidade. a) Determine o trabalho realizado pela força devida à resistência do ar ao longo dos primeiros 120 metros de queda. b) Determine o trabalho total realizado sobre o bloco nos últimos 10 metros de queda.

13

O motorista, ao sair de um pedágio da estrada, acelera uniformemente o carro durante 10 segundos a partir do repouso, num trecho plano horizontal e retilíneo, até atingir a velocidade final de 100 km/h. Considere desprezível a quantidade de combustível no tanque. Especifique a potência mínima do motor, em HP, necessária para que a velocidade final seja alcançada no intervalo de tempo de 10 segundos. Dados: massa do carro = 1000 kg; massa do motorista = 80 kg e fator de conversão de potência: 1HP = 746 W. Questão 72 Um corpo de massa 2 kg está inicialmente em repouso sobre uma superfície horizontal sem atrito. A partir do instante t = 0, uma força variável de acordo com o gráfico a seguir atua sobre o corpo, mantendo-o em movimento retilíneo. Com base nos dados e no gráfico são feitas as seguintes proposições: I - Entre 4 e 8 segundos, a aceleração do corpo é constante. II - A energia cinética do corpo no instante 4s é 144 joules. III - Entre 4 e 8s, a velocidade do corpo se mantém constante. IV - No instante 10 segundos, é nula a velocidade do corpo.

c) 160kJ. d) 180kJ. e) 200kJ. Questão 74 Um corpo de massa m = 2 kg é abandonado de uma altura h = 10 m. Observa-se que, durante a queda, é gerada uma quantidade de calor igual a 100 J, em virtude do atrito com o ar. Considerando g = 10 m/s£, calcule a velocidade (em m/s) do corpo no instante em que ele toca o solo. Questão 75 Uma criança de massa 25 kg, inicialmente no ponto A, distante 2,4 m do solo, percorre, a partir do repouso, o escorregador esquematizado na figura. O escorregador pode ser considerado um plano inclinado cujo ângulo com a horizontal é de 37°. Supondo o coeficiente de atrito cinético entre a roupa da criança e o escorregador igual a 0,5, a velocidade com que a criança chega à base do escorregador (ponto B) é, em m/s, Dados: sen 37° ¸ 0,6; cos 37° ¸ 0,8; tg 37° ¸ 0,75

2.1.3.2

2.1.3.2

correta a proposição ou são corretas as proposições: a) somente I e II b) somente I c) todas d) somente II e) somente III e IV Questão 73 Um carro de 800kg está com velocidade de 20,0m/s (72,0km/h). O trabalho resultante (em valor absoluto) que deve ser realizado sobre ele, de modo que pare, é a) 120kJ. b) 140kJ.

a) 4 Ë3 b) 4 Ë5 c) 16 d) 4 e) 2 Ë10 Questão 76 Um carrinho de brinquedo, de massa 2 kg, é empurrado ao longo de uma trajetória retilínea e horizontal por uma força variável, cuja direção é paralela à trajetória do carrinho. O gráfico adiante mostra a variação do módulo da força aplicada, em função do deslocamento do carrinho.

14

2.1.3.2

2.1.3.2

ssinale a alternativa correta: a) Sendo a força R dada em newtons, o trabalho realizado para deslocar o carrinho por 10 metros vale 100 J. b) A energia cinética do carrinho aumenta entre 0 e 5 metros e diminui nos 5 metros restantes. c) Se, inicialmente, o carrinho está em repouso, quando seu deslocamento for igual a 10 m, sua velocidade será igual a 20 m/s. d) O trabalho realizado pela força variável é igual à variação da energia potencial gravitacional do carrinho. e) O trabalho realizado pela força peso do carrinho, no final do seu deslocamento de 10 m, é igual a 100 J. Questão 77 Suponha que o coração, em regime de baixa atividade física, consiga bombear 200 g de sangue, fazendo com que essa massa de sangue adquira uma velocidade de 0,3 m/s e que, com o aumento da atividade física, a mesma quantidade de sangue atinja uma velocidade de 0,6 m/s. O trabalho realizado pelo coração, decorrente desse aumento de atividade física, em joules, corresponde ao produto de 2,7 por: a) 10−£ b) 10−¢ c) 10¢ d) 10£ Questão 78 Uma partícula I de massa 0,10 kg é abandonada, com velocidade inicial nula, do topo de uma calha de comprimento L = 40 cm e com uma inclinação de 30° em relação ao plano horizontal, conforme ilustra a figura a seguir.

Dados: sen 30° = 0,50 cos 30° = 0,86 aceleração da gravidade g = 10 m/s£. A partícula I alcança o plano horizontal com velocidade de 1,0 m/s. a) Determine a perda de energia mecânica na descida, em Joules. A partícula I prossegue movendo-se sobre o plano horizontal, até colidir com a partícula II, inicialmente em repouso.O gráfico v x t acima, descreve as velocidades de ambas as partículas imediatamente antes, durante e após a colisão. Não há atrito entre o plano horizontal e as partículas I e II. Determine: b) a massa da partícula II, em kg c) a perda de energia decorrente da colisão, em Joules d) o módulo da força de interação que age sobre cada uma das partículas, I e II, durante a colisão, em Newtons Questão 79 No episódio II do filme Guerra nas Estrelas, um personagem mergulha em queda livre, caindo em uma nave que se deslocava horizontalmente a 100 m/s com os motores desligados. O personagem resgatado chegou à nave com uma velocidade de 6 m/s na vertical. Considere que a massa da nave é de 650 kg, a do personagem resgatado de 80 kg e a do piloto de 70 kg. a) Quais as componentes horizontal e vertical da velocidade da nave imediatamente após o resgate? b) Qual foi a variação da energia cinética total nesse resgate?

15

Questão 80 Um automóvel, de massa 1,0 × 10¤ kg, que se move com velocidade de 72 km/h é freado e desenvolve, então, um movimento uniformemente retardado, parando após percorrer 50 m. O módulo do trabalho realizado pela força de atrito entre os pneus e a pista durante o retardamento, em joules, foi de a) 5,0 × 10¥ b) 2,0 × 10¥ c) 5,0 × 10¦ d) 2,0 × 10¦ e) 5,0 × 10§ Questão 81 A figura exibe o gráfico da força, que atua sobre um corpo de 300 g de massa na mesma direção do deslocamento, em função da coordenada x. Sabendo que, inicialmente, o corpo estava em repouso, sua velocidade, na coordenada x = 3,0 m, é:

2.1.3.2

Calcule: a) a sua velocidade e a sua energia cinética ao final dos 5,0 s. b) o seu deslocamento e o trabalho realizado pela força F durante os 5,0 s. Questão 83 Um elétron de massa 9,0×10−¤¢kg e carga elétrica -1,6×10−¢ªC, inicialmente em repouso, é submetido a um campo elétrico horizontal constante de módulo 20V/m ao longo de uma distância de 100m. O módulo da aceleração da gravidade vale 10m/s£ e age na vertical. a) Qual será o valor da componente horizontal da velocidade do elétron ao final dos 100m? b) Qual será o valor da deflexão vertical ao final do mesmo trajeto? c) Calcule a razão entre os módulos das forças gravitacional e elétrica durante o trajeto. Questão 84 Uma pedra, deixada cair de um edifício, leva 4s para atingir o solo. Desprezando a resistência do ar e considerando g = 10 m/s£, escolha a opção que indica a altura do edifício em metros. a) 20 b) 40 c) 80 d) 120 e) 160 Questão 85 Um brinquedo é constituído por um cano (tubo) em forma de 3/4 de arco de circunferência, de raio médio R, posicionado num plano vertical, como mostra a figura. O desafio é fazer com que a bola 1, ao ser abandonada de uma certa altura H acima da extremidade B, entre pelo cano em
16

2.1.3.2

a) 4,0 m/s b) 6,0 m/s c) 8,0 m/s d) 10,0 m/s e) 12,0 m/s Questão 82 Como mostra a figura, um bloco de massa m = 3,0kg, inicialmente em repouso, é arrastado horizontalmente, sem atritos, por uma força F = 12,0N, durante um intervalo de tempo t = 5,0s.

A, bata na bola 2 que se encontra parada em B, ficando nela grudada, e ambas atinjam juntas a extremidade A. As massas das bolas 1 e 2 são M e M‚, respectivamente. Despreze os efeitos do ar e das forças de atrito. 2.1.2.4

2.1.1.5

a) Determine a velocidade v com que as duas bolas grudadas devem sair da extremidade B do tubo para atingir a extremidade A. b) Determine o valor de H para que o desafio seja vencido. Questão 86 Numa partida de futebol, o goleiro bate o tiro de meta e a bola, de massa 0,5kg, sai do solo com velocidade de módulo igual a 10m/s, conforme mostra a figura.

O trabalho realizado pela força de atrito durante esse movimento, vale, em joules: a) 0,80 b) 1,0 c) 1,2 d) 1,8 e) 2,0 Questão 88 Um corpo de massa 4,0 kg é lançado sobre um plano inclinado liso que forma 30 graus com o plano horizontal. No instante t³=0, a velocidade do corpo é 5,0m/s e, no instante t, o corpo atinge a altura máxima. O valor de t, em segundos, é igual a Dados: g=10m/s£ sen 30° = cos 60° = 0,500 sen 60° = cos 30° = 0,866 a) 1,0 b) 1,5 c) 2,0 d) 2,5 e) 5,0 Questão 89 No esporte conhecido como "ioiô humano", o praticante, preso à extremidade de uma corda elástica, cai da beira de uma plataforma para as águas de um rio. Sua queda é interrompida, a poucos metros da superfície da água, pela ação da corda elástica, que tem a outra extremidade firmemente presa à beira da plataforma. Suponha que, nas condições citadas acima, a distensão máxima sofrida pela corda, quando usado por um atleta de peso 750 N, é de 10 metros, e que seu comprimento, quando não distendida, é de 30 metros. Nestas condições: a) A que distância da plataforma está o atleta, quando chega ao ponto mais próximo da água? b) Qual o valor da constante elástica da corda? (Despreze o atrito com o ar e a massa da corda, e considere
17

2.1.1.8

o ponto P, a 2 metros do solo, um jogador da defesa adversária cabeceia a bola. Considerando g=10m/s£, a energia cinética da bola no ponto P vale, em joules: a) 0 b) 5 c) 10 d) 15 Questão 87 Dois blocos A e B, de massas mÛ = 0,69 kg e m½ = 0,40 kg, apresentados na figura a seguir, estão ligados por um fio que passa por uma roldana. Tanto o fio quanto a roldana têm massas desprezíveis. O sistema é solto com o bloco B na posição M, indo atingir a posição N, 80 cm abaixo, com velocidade de 2,0 m/s.

igual a zero o valor da velocidade do atleta no início da queda.) Questão 90 Adote: g = 10 m/s£ Uma mola pendurada num suporte apresenta comprimento igual a 20 cm. Na sua extremidade livre dependura-se um balde vazio, cuja massa é 0,50 kg. Em seguida, coloca-se água no balde até que o comprimento da mola atinja 40 cm. O gráfico a seguir ilustra a força que a mola exerce sobre o balde, em função do seu comprimento. Pede-se: a) a massa de água colocada no balde; b) a energia potencial elástica acumulada na mola no final do processo.

Questão 92 Uma esfera de massa 1,2 kg, presa a uma mola de 1,0 m de comprimento e constante elástica 25N/m, descreve uma trajetória circular num plano horizontal sobre uma mesa perfeitamente polida, como mostra a figura. Determine a energia mecânica, em relação à mesa, associada ao sistema massa-mola nas condições citadas.

2.1.2.10

2.1.2.7 Questão 93 Uma bola metálica cai da altura de 1,0 m sobre um chão duro. A bola repica no chão várias vezes, conforme a figura adiante. Em cada colisão, a bola perde 20% de sua energia. Despreze a resistência do ar (g = 10 m/s£). Questão 91 Um corpo de massa m é abandonado, a partir do repouso, no ponto A de uma pista cujo corte vertical é um quadrante de circunferência de raio R.

2.1.3.4

2.1.2.10 a) Qual é a altura máxima que a bola atinge após duas colisões (ponto A)? b) Qual é a velocidade com que a bola atinge o chão na terceira colisão? onsiderando desprezível o atrito e sendo g a aceleração local da gravidade, pode-se concluir que a máxima deformação da mola, de constante elástica k, será dada por a) Ë(mgR/k) b) Ë(2mgR/k) c) (mgR)/k d) (2mgR)/k e) (4m£g£R£)/k£ Questão 94 A figura a seguir ilustra um carrinho de massa m percorrendo um trecho de uma montanha russa. Desprezando-se todos os atritos que agem sobre ele e supondo que o carrinho seja abandonado em A, o menor valor de h para que o carrinho efetue a trajetória completa é: a) (3R)/2 b) (5R)/2
18

c) 2R d) Ë[(5gR)/2] e) 3R 2.1.3.4

2.1.3.4

Questão 95 Um bloco de madeira, de massa 0,40 kg, mantido em repouso sobre uma superfície plana, horizontal e perfeitamente lisa, está comprimindo uma mola contra uma parede rígida, como mostra a figura a seguir.

a) O módulo da aceleração 'a' do corpo, no trecho CD, em m/s£. Use para a aceleração da gravidade o valor g = 10 m/s£. b) O valor do módulo da velocidade do corpo, imediatamente antes dele atingir o solo, em m/s. c) O valor da componente horizontal da velocidade do corpo, imediatamente antes dele atingir o solo, em m/s. Questão 97 Numa câmara frigorífica, um bloco de gelo de massa m = 8,0 kg desliza sobre a rampa de madeira da figura a seguir, partindo do repouso, de uma altura h = 1,8 m. a) Se o atrito entre o gelo e a madeira fosse desprezível, qual seria o valor da velocidade do bloco ao atingir o solo (ponto A da figura)? b) Entretanto, apesar de pequeno, o atrito entre o gelo e a madeira não é desprezível, de modo que o bloco de gelo e chega à base da rampa com velocidade de 4,0 m/s. Qual foi a energia dissipada pelo atrito? c) Qual a massa de gelo (a 0 °C) que seria fundida com esta energia? Considere o calor latente de fusão do gelo L = 80 cal/g e, para simplificar, adote 1 cal = 4,0 J.

2.1.3.4

Quando o sistema é liberado, a mola se distende, impulsiona o bloco e este adquire, ao abandoná-la, uma velocidade final de 2,0 m/s. Determine o trabalho da força exercida pela mola, ao se distender completamente: a) sobre o bloco e b) sobre a parede. Questão 96 A figura adiante representa um plano inclinado CD. Um pequeno corpo é abandonado em C, desliza sem atrito pelo plano e cai livremente a partir de D, atingindo finalmente o solo. Desprezando a resistência do ar, determine:

2.1.3.4

Questão 98 Quando um objeto está em queda livre, a) sua energia cinética se conserva. b) sua energia potencial gravitacional se conserva. c) não há mudança de sua energia total.
19

d) a energia cinética se transforma em energia potencial. e) nenhum trabalho é realizado sobre o objeto. Questão 99 No sistema indicado na figura a seguir, a mola ideal está com seu comprimento natural. Numa primeira experiência, o apoio é baixado muito lentamente até abandonar o bloco. Numa segunda experiência o apoio é subitamente retirado. Qual a razão entre as distensões máximas sofridas pela mola nas duas experiências?

altura atingida seria de aproximadamente: Dado: g = 10 m/s£ a) 25 cm. b) 15 m. c) 400 m. d) 2 km. e) 60 km. Questão 103 O gráfico de velocidade de um corpo de 2 kg de massa em função do tempo é dado a seguir. Durante todo intervalo de tempo indicado, a energia mecânica do corpo é conservada e nos instantes t = 0 e t = 25 s ela vale 100 J. Pede-se: a) o valor mínimo de energia potencial durante o movimento; b) o gráfico da força resultante que atua sobre o corpo, em função do tempo.

2.1.3.4

Questão 100 Quando um objeto de massa m cai de uma altura h³ para outra h, sua energia potencial gravitacional diminui de: a) mg (h - h³). b) mg (h + h³). c) mg (h³ - h). d) mg (h + 2h³). e) mg/(h³ - h). Questão 101 Quando um objeto de massa m cai de uma altura h³ para outra h, supondo não haver atrito durante a queda, e sendo v³ a velocidade do objeto em h³, sua velocidade v, ao passar por h, é: a) v = Ë[2g(h³ - h) + v³£]. b) v = Ë[v³£ - 2g(h³ - h)]. c) v = Ë[v³£ + 2g(h - h³)]. d) v = Ë[v³£ + 2g(h + h³)]. e) v = Ë[v³ + 2g(h - h³)]. Questão 102 No rótulo de uma lata de leite em pó lê-se: "Valor energético: 1 509 kJ por 100 g (361 kcal)". Se toda energia armazenada em uma lata contendo 400 g de leite fosse utilizada para levantar um objeto de 10 kg, a

2.1.3.4

Questão 104 Uma pequena esfera maciça, presa à extremidade de um fio leve e inextensível, é posta a oscilar, como mostra a figura adiante. Se v é a velocidade da esfera na parte mais baixa da trajetória e g a aceleração da gravidade, a altura máxima h que ela poderá alcançar, em relação à posição mais baixa, será dada por:

2.1.3.4

20

Questão 105 Um carrinho de massa m = 300 kg percorre uma montanha russa cujo trecho BCD é um arco de circunferência de raio R = 5,4 m, conforme a figura adiante. A velocidade do carrinho no ponto A é vÛ = 12 m/s. Considerando g = 10 m/s£ e desprezando o atrito, calcule;

2.1.3.4

2.1.3.4

a) nas condições indicadas na figura, o valor da força que a mola exerce na parede. b) a velocidade com que o carrinho se desloca, quando se desprende da mola. Questão 108

a) a velocidade do carrinho no ponto C; b) a aceleração do carrinho no ponto C; c) a força feita pelos trilhos sobre o carrinho no ponto C. Questão 106 Um bloco de massa m desliza sem atrito sobre a superfície indicada na figura a seguir.

Um carro alegórico do bloco carnavalesco "Os Filhos do Nicolau" possui um plano inclinado e se move com velocidade horizontal U constante em relação à pista. Albert, o filho mais moço, escorrega desde o alto da rampa sem atrito. É observado por Galileu, o mais velho, sentado no carro, e por Isaac, parado na pista. Quando Albert chega ao fim da rampa, Isaac observa que a componente horizontal da velocidade de Albert é nula. Suponha que o movimento de Albert não altera a velocidade do carro, muito mais pesado do que ele.

2.1.3.4 2.1.3.4

Se g é a aceleração da gravidade, a velocidade mínima v que deve ter para alcançar a altura h é: a) 2Ë(gh) b) Ë(2gh) c) Ë(gh)/2 d) Ë(gh/2) e) 2Ë(2gh) Questão 107 Na figura a seguir, tem-se uma mola de massa desprezível e constante elástica 200 N/m, comprimida de 20 cm entre uma parede e um carrinho de 2,0 kg. Quando o carrinho é solto, toda a energia mecânica da mola é transferida ao mesmo. Desprezando-se o atrito, pede-se:

São dados: H = 5,0 m, š = 30°. Adote g = 10 m/s£ a) Quais os valores das componentes horizontal Vh e vertical Vv da velocidade de Albert no fim da rampa, observados por Galileu? b) Quanto vale U? c) Qual o valor da componente vertical Vv da velocidade de Albert no fim da rampa, observado por Isaac? Questão 109 Um objeto de massa 400 g desce, a partir do repouso no ponto A, por uma rampa, em forma de um quadrante de circunferência de raio R = 1,0 m. Na base B, choca-se com uma mola de constante elástica k = 200 N/m.
21

Desprezando a ação de forças dissipativas em todo o movimento e adotado g = 10 m/s£, a máxima deformação da mola é de 2.1.3.4

2.1.3.4

a) 40 cm b) 20 cm c) 10 cm d) 4,0 cm e) 2,0 cm Questão 110 Na borda de uma tigela hemisférica de raio R é abandonado um pequeno bloco de gelo. Desprezando o atrito e considerando g a aceleração local da gravidade, a velocidade máxima do pedaço de gelo é

endo g a aceleração da gravidade, a máxima altura h atingida pelo corpo é dada por a) v£/2g b) v£/g c) v/2g d) v/g e) 2v/g Questão 112 Dois carrinhos A e B, de massas mÛ = 4,0 kg e m½ = 2,0 kg, movem-se sobre um plano horizontal sem atrito, com velocidade de 3,0 m/s. Os carrinhos são mantidos presos um ao outro através de um fio que passa por dentro de uma mola comprimida (fig.1). Em determinado momento, o fio se rompe e a mola se distende, fazendo com que o carrinho A pare (fig. 2), enquanto que o carrinho B passa a se mover com velocidade V½. Considere que toda a energia potencial elástica da mola tenha sido transferida para os carrinhos.

2.1.3.4

2.1.3.4

a) Ë(2gR) b) Ë(gR) c) Ë2 (gR) d) 2gR e) 4gR Questão 111 Um corpo deslizando horizontalmente com velocidade v, sobe pela pista inclinada suposta perfeitamente lisa.

A velocidade que o carrinho B adquire, após o fio se romper, vale, em m/s: a) 6,0 b) 9,0 c) 12 d) 15 e) 18

22

Questão 113 Dois carrinhos A e B, de massas mÛ = 4,0 kg e m½ = 2,0 kg, movem-se sobre um plano horizontal sem atrito, com velocidade de 3,0 m/s. Os carrinhos são mantidos presos um ao outro através de um fio que passa por dentro de uma mola comprimida (fig.1). Em determinado momento, o fio se rompe e a mola se distende, fazendo com que o carrinho A pare (fig. 2), enquanto que o carrinho B passa a se mover com velocidade V½. Considere que toda a energia potencial elástica da mola tenha sido transferida para os carrinhos. a) 0,5 b) 1,0 c) 2,0 d) 5,0 e) 7,0 Questão 116 Um bloco é solto no ponto A e desliza sem atrito sobre a superfície indicada na figura a seguir. Com relação ao bloco, podemos afirmar: A energia potencial elástica, em Joules, que a mola possuía, antes de o fio se romper, valia: a) 9,0 b) 18 c) 27 d) 36 e) 54 Questão 114 Um pássaro de massa igual a 1,0 kg, inicialmente em repouso no solo, alça vôo numa atmosfera isotrópica. Sempre batendo asas, ele mantém velocidade escalar constante de 10 m/s e atinge 20 m de altura, consumindo 75,0 calorias com os movimentos de seus músculos. Determine a energia dissipada pela resistência do ar. Considere: 1 cal ¸ 4 J e g = 10 m/s£. Questão 115 Um objeto de massa M = 0,5 kg, apoiado sobre uma superfície horizontal sem atrito, está preso a uma mola cuja constante de força elástica é K = 50 N/m. O objeto é puxado por 10 cm e então solto, passando a oscilar em relação à posição de equilíbrio. Qual a velocidade máxima do objeto, em m/s? a) A energia cinética no ponto B é menor que no ponto C; b) A energia cinética no ponto A é maior que no ponto B; c) A energia potencial no ponto A é menor que a energia cinética no ponto B; d) A energia total do bloco varia ao longo da trajetória ABC; e) A energia total do bloco ao longo da trajetória ABC é constante. Questão 117 Um corpo de massa 6,0 kg se move livremente no campo gravitacional da Terra. Sendo, em um dado instante, a energia potencial do corpo em relação ao solo igual a 2,5.10¤ J e a energia cinética igual a 2,0.10£ J, a velocidade do corpo ao atingir o solo, em m/s, vale a) 10 b) 20 c) 30 d) 40
23

2.1.3.4

2.1.3.4

2.1.3.4

e) 50 Questão 118 Um móvel de 2 kg passa pelo ponto A da pista da figura a seguir com velocidade 12 m/s. A pista ABC não apresenta atrito, e o trecho BC é uma semicircunferência de diâmetro BC = 4 m.

A - caindo livremente; B - Deslizando ao longo de um tobogã e; C - descendo uma rampa, sendo, em todos os movimentos, desprezíveis as forças dissipativas. Com relação ao trabalho (w) realizado pela força-peso dos corpos, pode-se afirmar que: a) WÝ > W½ > WÛ b) WÝ > W½ = WÛ c) WÝ = W½ > WÛ d) WÝ = W½ = WÛ e) WÝ < W½ > WÛ Questão 120 Um esquiador de massa m = 70 kg parte do repouso no ponto P e desce pela rampa mostrada na figura. Suponha que as perdas de energia por atrito são desprezíveis e considere g = 10 m/s£. A energia cinética e a velocidade do esquiador quando ele passa pelo ponto Q, que está 5,0 m abaixo do ponto P, são respectivamente,

2.1.3.4

Adotando-se g = 10 m/s£, o valor da força que o móvel exerce sobre a pista no ponto C é, em newtons: a) 0 b) 20 c) 44 d) 64 e) 84 Questão 119 Três corpos idênticos de massa M deslocam-se entre dois níveis, como mostra a figura a seguir:

2.1.3.4

2.1.3.4

a) 50 J e 15 m/s. b) 350 J e 5,0 m/s. c) 700 J e 10 m/s. d) 3,5 × 10¤ J e 10 m/s. e) 3,5 × 10¤ J e 20 m/s. Questão 121 A figura a seguir mostra um bloco, encostado em uma mola comprimida, no momento em que é abandonado a partir do repouso. Quando passa pelo ponto P, o bloco se desprende da mola e sobe a rampa, considerada sem atrito, atingindo o repouso no ponto R. Considere a energia potencial nula na linha tracejada mostrada na figura. No ponto R, a energia mecânica do bloco vale 30 J. Os valores da energia potencial gravitacional e da energia cinética do bloco, no ponto P são, respectivamente,

24

Questão 124 O carrinho mostrado na figura a seguir, de massa 1 kg, é colocado junto a uma mola de constante elástica 400 N/m e comprimida de 4 cm. Com a liberação da mola, o carrinho adquire movimento ao longo do eixo orientado. Através de marcadores de tempo, verificou-se que o intervalo entre as passagens do carrinho pelos pontos A e B foi de 5,0 s. Com esses dados e, desprezando-se os efeitos dissipativos, determine a distância AB entre os marcadores de tempo.

2.1.3.4

a) 10 J e 10 J b) 10 J e 20 J c) 15 J e 15 J d) 20 J e 10 J e) 20 J e 20 J Questão 122 Uma balança usada para a pesagem de alimentos tem em sua base uma mola vertical de constante elástica 50 N/m. Qual o valor, em Joules, da energia elástica armazenada na mola ao se pesar um prato com uma massa total de 3,0 kg, depois que a mola atinge a posição de equilíbrio e permanece estacionária? Questão 123 Impulsiona-se um carro da esquerda para a direita, fazendo-o subir por um trilho circular vertical. A velocidade do carro quando impulsionado é de 10 m/s. A circunferência tem raio de 2,0 m e a massa do corpo é de 0,2 kg. Desprezando os atritos, considerado g = 10 m/s£ e supondo que o carro ainda está em contato com o trilho no ponto P, qual será o valor da força exercida pelo trilho sobre o carro nesse ponto?

2.1.3.4

a) 0,25 cm b) 1,5 cm c) 2,0 cm d) 2,5 cm e) 4,0 cm Questão 125 Assinale a alternativa que preenche correta e ordenadamente as lacunas do texto a seguir. "Ao efetuar um salto em altura, um atleta transforma energia muscular em energia______; em seguida, esta se transforma em energia_______, comprovando a________ da energia." a) potencial - cinética - dissipação b) térmica - potencial elástica - dissipação c) potencial gravitacional - cinética - conservação d) cinética - potencial gravitacional - conservação e) potencial elástica - potencial gravitacional - conservação Questão 126 Um pequeno bloco de massa m é abandonado do ponto A e desliza ao longo de um trilho sem atrito, como mostra a figura a seguir. Para que a força que o trilho exerce sobre o bloco no ponto D seja igual ao seu peso, supondo ser R o raio do arco de circunferência, de diâmetro BD, a altura h, deve ser igual a:

2.1.3.4

a) 20 N b) 215 N c) 6 N d) 10 N e) 30 N

25

Questão 129 Impulsiona-se um carrinho, como indicado na figura a seguir, fazendo-o subir por um trilho circular de raio R, num plano vertical.

2.1.3.4

2.1.3.4 a) 2R. b) 2,5R. c) 3R. d) 3,5R. e) 4R. Questão 127 Uma pequena esfera de aço está em repouso, presa por um fio ideal de 1,6 m de comprimento a um suporte fixo. Num determinado instante, dá-se um impulso à esfera, de modo que ela adquira uma velocidade horizontal ¬³, como ilustra a figura. esprezando os atritos e sendo g a aceleração da gravidade, a menor velocidade V³ com que se deve impulsionar o carrinho para que ele percorra totalmente o trilho circular é a) ËgR b) Ë2gR c) Ë3gR d) Ë4gR e) Ë5gR Questão 130 Um corpo de massa m se desloca numa trajetória plana e circular. Num determinado instante t, sua velocidade é v e, em t‚, sua velocidade é 2v. A razão entre as energias cinéticas do corpo em t‚ e t, respectivamente, é: a) 1 b) 2 c) 4 d) 8 e) 16 Questão 131 Um soldado em treinamento utiliza uma corda de 5,0 m para "voar" de um ponto a outro como um pêndulo simples. Se a massa do soldado é de 80 kg, a corda sendo ideal, e a sua velocidade no ponto mais baixo de 10 m/s, desprezando todas as forças de resistência, a razão entre força que o soldado exerce no fio e o seu peso é: (g = 10 m/s£) a) 1/3 b) 1/2 c) 1 d) 2 e) 3

2.1.3.4

Despreze a resistência do ar e considere g = 10 m/s£. Calcule o módulo de ¬³ para que, no ponto mais alto da trajetória, o módulo da tensão no fio seja igual à metade do peso da esfera. Questão 128 Uma mola, submetida à ação de uma força de intensidade 10 N, está deformada de 2,0 cm. O módulo do trabalho realizado pela força elástica na deformação de 0 a 2,0 cm foi, em joules, de a) 0,1 b) 0,2 c) 0,5 d) 1,0 e) 2,0

26

Questão 132 Uma pedra com massa m = 0,10 kg é lançada verticalmente para cima com energia cinética EÝ = 20 joules. Qual a altura máxima atingida pela pedra? a) 10 m b) 15 m c) 20 m d) 1 m e) 0,2 m Questão 133 Qual é a função de uma caixa acústica? Questão 134 Explique, em termos energéticos, o funcionamento de: a) um escorregador b) um sistema arco-flecha c) uma usina hidrelétrica Questão 135 Enuncie o princípio da conservação da Energia. Questão 136 Uma montanha russa tem altura de 20 m. Considerando um carrinho de massa 100 kg, colocado inicialmente no topo, calcule a Energia Potencial nesse momento, em relação ao solo. Questão 137 Um carro de fórmula 1 chega a pesar 900 kg e encontra-se com velocidade x. Determine essa velocidade, sabendo-se que sua Energia Cinética é de 3645000 J. Questão 138 Explique o que é Energia Potencial Elétrica e Energia Potencial Química. Questão 139 Explique o funcionamento de um telefone. Questão 140 Uma bala de revólver de massa 0,02 kg tem uma velocidade de 100 m/s. Determine sua Energia Cinética.

Questão 141 A figura a seguir representa o esquema de uma usina hidrelétrica:

2.1.3.4

sequência de transformações de energia que ocorrem desde a saída de água do reservatório até a rede de distribuição elétrica é corretamente descrita por: a) energia potencialëenergia elétricaëenergia luminosa b) energia cinéticaëenergia potencialëenergia elétrica c) energia cinéticaëenergia elétricaëenergia potencial d) energia potencialëenergia elétricaëenergia cinética e) energia potencialëenergia cinéticaëenergia elétrica Questão 142 Quais são as transformações de energia que acontecem desde o instante em que você solta um tomate maduro até o momento em que ele se espatifa no chão? Questão 143 O que acontece com a energia elétrica consumida por um chuveiro elétrico? Questão 144 Se você soltar uma bola de borracha de uma certa altura em relação ao solo verá que a bola atinge uma altura MENOR após a colisão com o chão. Por que isso acontece? Questão 145 O que afirma a lei da conservação da energia? Questão 146 Quando um taco de golfe atinge uma bola o que acontece em termos de transferência de energia?

27

Questão 147 A figura a seguir mostra de forma esquemática a órbita do cometa Halley ao redor do Sol. 2.1.3.4

2.1.3.4

Do ponto de vista energético, como se pode explicar que o cometa aumenta de velocidade ao ir de A para P e diminui de velocidade ao ir de P para A? Questão 148 Uma usina hidrelétrica é mostrada esquematicamente a seguir.

a) W = 2.000 J e ÐU = 2.000 J b) W = 2.000 J e ÐU = 29.000 J c) W = 27.000 J e ÐU = 27.000 J d) W = 2.000 J e ÐU = 27.000 J e) W = 29.000 J e ÐU = 29.000 J Questão 150 Em um dado ponto de um sistema um corpo possui 200 J de energia cinética e 500 J de energia potencial. Qual o valor da energia mecânica desse corpo? Questão 151 Em um dado ponto de um sistema um corpo possui 200 J de energia cinética e 500 J de energia potencial. Se o valor da energia potencial passa para 400 J, qual o novo valor da energia cinética desse corpo? Questão 152 Em um dado ponto de um sistema um corpo possui 500 J de energia cinética e 800 J de energia potencial. Qual o valor da energia mecânica desse corpo, se a energia cinética passar a ser 100 J? Questão 153 Um corpo de massa igual a 2,0 kg é lançado verticalmente para cima, a partir do solo, com velocidade de 30 ms−¢. Desprezando-se a resistência do ar, e sendo g = 10 ms−£, a razão entre a energia cinética e a energia potencial do corpo, respectivamente, quando este se encontra num ponto correspondente a 1/3 da altura máxima é: a) 3 b) 2 c) 1 d) 1/2 e) 1/3

2.1.3.4

Quais são as transformações de energia que nela ocorrem? Questão 149 Um atleta está dentro de um elevador que se move para cima com velocidade constante V. Ele começa a levantar uma massa de 100 kg, inicialmente apoiada no piso do elevador, quando este passa pela altura z = 0,0 m, e termina quando o piso do elevador passa por z = 27,0 m. A massa é levantada pelo atleta até uma altura de 2,0 m acima do piso do elevador. O trabalho realizado pelo atleta sobre a massa é W. A variação da energia potencial da massa durante o levantamento, em relação ao referencial da Terra, é ÐU. Podemos afirmar, usando g = 10 m/s£, que

28

Questão 154 Na figura a seguir, temos representados três planos inclinados de mesma altura h e comprimentos ؁, Ø‚ e ؃, tais que Ø‚ = 2؁ e ؃ = 2Ø‚. Sendo «, «‚ e «ƒ as velocidades, ao pé do plano, de um objeto que desliza sucessivamente por ؁, Ø‚ e ؃, a partir do repouso e se desprezarmos todos os atritos, temos:

Questão 156 Uma pequena esfera, partindo do repouso do ponto P, desliza sem atrito sobre uma canaleta semi-circular, de raio R, contida em um plano vertical. O módulo da aceleração da esfera no ponto onde a energia cinética é máxima, em termos de g (aceleração da gravidade), é:

2.1.3.4

2.1.3.4

a) |«| = |«‚| = |«ƒ| b) |«‚| = |2«| e |«ƒ| = |2«‚| c) |«| = |2«‚| e |«| = |4«ƒ| d) |«| = |2«‚| e |«‚| = |4«ƒ| e) |«| = |4«‚| e |«‚| = |8«ƒ| Questão 155 Um corpo de massa 0,5 kg está na posição A da figura onde existe uma mola de constante elástica K = 50 N/m comprimida em 1 m. Retirando-se o pino, o corpo descreve a trajetória ABC contida em um plano vertical. Desprezando-se o trabalho de atrito, qual é a altura máxima que o corpo consegue atingir?

a) g b) 4 g c) 3 g d) 2 g Questão 157 Um corpo de massa m dotada de velocidade v em um ponto A percorre a canaleta A, B, C comprimindo a mola em C. Sabendo-se que hÛ > hÝ, podemos afirmar que:

2.1.3.4

2.1.3.4

a) hÝ = 6 m b) hÝ = 9 m c) hÝ = 10 m d) hÝ = 12 m e) hÝ = 15 m

a) o corpo retornará a uma altura h > hÛ b) o corpo retornará a uma altura h < hÛ c) o corpo retornará somente até o ponto B d) só podemos afirmar alguma coisa se conhecermos a massa m e) nada se pode afirmar

29

de um plano inclinado sem atrito. A resistência do ar é desprezível nos três casos. A figura mostra um pêndulo que consiste em um corpo com Quando passam pelo plano horizontal situado a uma altura h abaixo do plano a partir do qual foram abandonadas, as 5 kg de massa pendurado a uma mola de constante elástica partículas têm velocidades respectivamente iguais a v, v‚ e igual a 400 N/m e massa desprezível. Na posição A, em que a mola não está deformada, o corpo é vƒ. abandonado do repouso. Na posição B, em que a mola se encontra na vertical e distendida de 0,5 m, esse corpo atinge a velocidade de 4m/s. Questão 158 2.1.3.4

2.1.3.4

ssim, pode-se afirmar que: a) v > v‚ > vƒ b) v > vƒ > v‚ c) v = v‚ > vƒ Considerando-se a resistência do ar desprezível e a d) v = vƒ > v‚ aceleração da gravidade igual a 10 m/s£, pode-se afirmar que a diferença Ðh entre as alturas do corpo nas posições A e) v = v‚ = vƒ e B é: Questão 161 a) 3,6 m b) 1,8 m Um carrinho de massa m = 4 Kg e velocidade de 6 m/s c) 0,8 m choca-se com uma mola de constante elástica k =100 N/m. d) 2,4 m Desprezando-se o atrito e a resistência do ar, a máxima e) 0,2 m compressão da mola ao ser comprimida pelo carrinho é: Questão 159 Uma partícula de massa m é abandonada, sem velocidade inicial, de uma altura h em relação ao solo em um lugar onde a intensidade do campo gravitacional é constante e igual a g. Seja t = 0 o instante em que ela foi solta, e t =T aquele em que ela tocou o solo. Despreze a resistência do ar e considere a energia potencial igual a zero no solo. Qual das expressões a seguir fornece o valor da energia potencial gravitacional da partícula para t = T/2? a) 0,20 mgh b) 0,25 mgh c) 0,50 mgh d) 0,75 mgh e) mgh Questão 160 Na figura a seguir, três partículas (1, 2 e 3) são abandonadas sem velocidade inicial de um mesmo plano horizontal e caem: a partícula 1, em queda livre; a partícula 2, amarrada a um fio inextensível e a partícula 3, ao longo

2.1.3.4

a) 1,2 m b) 0,12 m c) 0,012 m d) 12 m e) outro valor Questão 162 Um carrinho de 2,0 kg, que dispõe de um gancho, movimenta-se sobre um plano horizontal, com velocidade constante de 1,0 m/s, em direção à argola presa na extremidade do fio mostrado na figura 1. A outra
30

extremidade do fio está presa a um bloco, de peso 5,0 N, que se encontra em repouso sobre uma prateleira. Enganchando-se na argola, o carrinho puxa o fio e eleva o bloco, parando momentaneamente quando o bloco atinge a altura máxima h acima da prateleira como mostra a figura 2.

Questão 164 Um carrinho de massa 200 kg é solto, sem velocidade inicial, do topo de uma montanha-russa, representada na figura. Adote: g =10 m/s£ e despreze a resistência do ar, bem como os atritos. A velocidade do carrinho para x = 9,0 m, vale, em m/s:

2.1.3.4 2.1.3.4

Nestas condições determine: a) a energia cinética inicial do carrinho; b) a altura h, supondo que ocorra perda de 20% da energia cinética inicial do carrinho quando o gancho se prende na argola. (Despreze quaisquer atritos e as massas das polias.) Questão 163 Um carrinho, A, de massa m, e outro, B, de massa 2 m, mantidos em repouso sobre uma superfície plana e horizontal, estão comprimindo uma mola, de massa desprezível, como mostra a figura a seguir.

a) 5,0 b) 10 c) 14 d) 18 e) 20 Questão 165 Comprime-se uma mola de constante elástica K, através de uma esfera de massa M, produzindo-se uma deformação X. Abandonando-se o sistema, a esfera atinge uma altura H na rampa, mostrada na figura. Provocando-se uma deformação 2X na mola, a nova altura atingida pela esfera, na rampa, será igual a: Dado = Despreze todas as formas de atrito

2.1.3.4

2.1.3.4 Quando os carrinhos são liberados simultaneamente, a mola se distende, impulsionando-os, e B adquire, depois que a mola estiver totalmente distendida, uma velocidade de 1,0 m/s. a) Nessas condições, determine a velocidade adquirida por A. b) Denominando hÛ e h½ as alturas máximas alcançadas, respectivamente, pelos carrinhos A e B, ao subirem as rampas mostradas na figura, determine a razão hÛ/h½.

a) 2 h b) h/2 c) h Ë2 d) 4 h e) h

31

Questão 166 Um menino de massa M desce, a partir do repouso, num escorregador de altura H em relação ao solo. Desprezando todas as formas de atrito, assinale a afirmativa INCORRETA: a) No ponto de altura H/2, as energias cinética e potencial gravitacional têm valores iguais. b) A energia cinética, ao atingir o solo, vale mgh. c) Em qualquer ponto da trajetória, a energia mecânica é igual à soma da energia cinética com a potencial gravitacional. d) No ponto de altura H/4, a energia cinética é o quádruplo da energia potencial gravitacional. e) No ponto de altura 2H/3, a energia cinética é três vezes menor que a energia mecânica. Questão 167 Atira-se uma bola, verticalmente, para cima. A bola sobe e desce, caindo no mesmo ponto de onde foi lançada. Desprezando-se o atrito com o ar, pode-se dizer que a) a energia cinética da bola é 1/4 da energia cinética inicial quando ela, na subida, atinge a metade da altura máxima. b) a energia cinética da bola é a mesma, tanto na subida quanto na descida, quando ela estiver na metade da altura máxima. c) a energia cinética da bola é máxima quando ela atinge o ponto mais alto de sua trajetória. d) a energia potencial da bola é máxima no ponto de partida. Questão 168 A figura representa um escorregador, onde uma criança escorrega sem impulso inicial. Se ela sair da posição P, ultrapassa a posição X; se sair de P‚, pára em X e, se sair de Pƒ, não chega a X.

om relação a esta situação, pode-se afirmar que a energia potencial da criança, a) em P‚, é igual à sua energia potencial em X . b) em Pƒ, é igual à sua energia potencial em X . c) em Pƒ, é maior do que em X . d) em P, é igual à soma de suas energias potencial e cinética em X . Questão 169 Um pequeno bloco, solto com velocidade nula a uma altura h, move-se sob o efeito da gravidade e sem atrito sobre um trilho em forma de dois quartos de circulo de raio R que se tangenciam. como mostra a figura. A mínima altura inicial h que acarreta a saída do bloco, do trilho, após o ponto A é:

2.1.3.4

a) 4 R/3 b) 5 R/4 c) 3 R/2 d) 5 R/3 e) 2R Questão 170 Um "bungee jumper" de 2m de altura e 100kg de massa pula de uma ponte usando uma 'bungee cord', de 18m de comprimento quando não alongada, constante elástica de 200N/m e massa desprezível, amarrada aos seus pés. Na sua descida, a partir da superfície da ponte, a corda atinge a extensão máxima sem que ele toque nas rochas embaixo. Das opções a seguir, a menor distância entre a superfície da ponte e as rochas é: a) 26 m. b) 31 m. c) 36 m. d) 41 m. e) 46 m. Questão 171 O módulo da velocidade das águas de um rio é de 10m/s pouco antes de uma queda de água. Ao pé da queda existe um remanso onde a velocidade das águas é praticamente
32

2.1.3.4

nula. Observa-se que a temperatura da água no remanso é 0,1°C maior do que a da água antes da queda. Conclui-se que a altura da queda de água é: a) 2,0 m. b) 25 m. c) 37 m. d) 42 m. e) 50 m. Questão 172 Um sistema de partículas está sujeito à ação exclusiva de forças conservativas. Então, é correto afirmar que: a) Não há variação da energia potencial do sistema. b) A trajetória das partículas é obrigatoriamente curvilínea. c) A energia mecânica do sistema não varia. d) Um aumento na energia cinética do sistema implica obrigatoriamente em um aumento de sua energia mecânica. e) A energia cinética do sistema permanece constante. Questão 173 O diagrama a seguir representa alguns níveis de energia do átomo de hidrogênio.

2.1.3.4

m uma experiência, um carrinho se choca com essa mola e vai comprimindo-a até parar (figura II). Sabendo-se que, ao tocar a mola, a energia cinética do carrinho é de 2,5 . 10−£J, a compressão máxima provocada na mola, em metros, é igual a a) 1,3 . 10−¤ b) 1,0 . 10−£ c) 5,0 . 10−£ d) 1,0 . 10−¢ e) 5,0 . 10−¢ Questão 175 O esquema a seguir representa o movimento de um corpo de 500 g que desce uma rampa sem atrito, a partir do repouso, e percorre uma distância d no plano horizontal até parar.

2.1.3.4

2.1.3.4

ual é a energia do fóton emitido quando o átomo sofre uma transição do primeiro estado excitado para o estado fundamental? a) 1,8 eV b) 5,0 eV c) 10,2 eV d) 12,0 eV e) 17,0 eV Questão 174 A figura I adiante representa o módulo da força ù de compressão sobre uma mola helicoidal, em função da compressão x mostrada na figura II.

endo g = 10 m/s£ e 0,25 o coeficiente de atrito no plano horizontal, a distância d, em metros, é , no máximo, igual a a) 2,5 b) 2,0 c) 1,0 d) 0,50 e) 0,25 Questão 176 O volume de água necessário para acionar cada turbina da Central Elétrica de Itaipú é de cerca de 700m¤/s, guiado através de um conduto forçado de queda nominal a 113m. Se cada turbina geradora assegura uma potência de
33

7,0x10¦kw, qual é a perda de energia em J/s nesse processo de transformação de energia mecânica em elétrica? Dados: g = 10m/s£ ˜água = 10¤ kg/m¤ a) 1,0 x 10© b) 3,5 x 10¦ c) 7,0 x 10¦ d) 8,5 x 10§ e) 9,1 x 10¨ Questão 177 A figura a seguir representa um carrinho de massa m se deslocando sobre o trilho de uma montanha russa num local onde a aceleração da gravidade é g=10m/s£. Considerando que a energia mecânica do carrinho se conserva durante o movimento e, em P, o módulo de sua velocidade é 8,0m/s, teremos no ponto Q uma velocidade de módulo igual a:

2.1.3.4

e a aceleração local da gravidade é de 10m/s£, pode-se afirmar que o corpo a) retorna de um ponto entre A e B. b) retorna de um ponto entre B e C. c) retorna de um ponto entre C e D. d) retorna de um ponto além de D. e) não chega ao ponto A. Questão 179 A figura representa um bloco de massa 0,50 kg que foi empurrada contra uma mola, deformando-a de x = 0,10 m e, assim, mantidos em repouso. Largando-se o conjunto, a mola distende-se, impulsionando o bloco, que sobe a rampa até uma altura h. A mola é suposta ideal, sua constante elástica é igual a 4,00 x 10£ N/m e desprezam-se as forças de atrito e de resistência do ar.

2.1.3.4

a) 5,0 m/s b) 4,8 m/s c) 4,0 m/s d) 2,0 m/s e) Zero. Questão 178 Um corpo de massa 0,30kg é seguro encostado a uma mola de constante elástica 400N/m, comprimindo-a de 20cm. Abandonado o sistema, a mola impulsiona o corpo que sobe por uma pista sem atrito.

2.1.3.4

odemos afirmar que a altura h, atingida pelo bloco, tem um valor igual a: a) h = 4,00 m b) h = 5,00 m c) h = 0,20 m d) h = 0,50 m e) h = 0,40 m Questão 180 Uma esfera desliza sobre um trilho perfeitamente liso, cujo perfil é mostrado na figura. Considere que a esfera inicia o seu movimento, a partir do repouso, no ponto A. Que trajetória poderia representar o movimento da esfera após
34

abandonar o trilho no ponto B?

2.1.3.4 2.1.3.4

Questão 181 A transformação de um tipo de energia em outro e a eficiência da conversão de energia em trabalho e de trabalho em energia são fenômenos de grande importância, que ocorrem em processos físicos, químicos e biológicos. Com relação ao assunto, julgue os itens seguintes. (0) Um torneio de cabo-de-guerra é uma tradicional disputa em que os concorrentes são divididos em dois grupos, sendo que cada um deles, segurando uma das extremidades de uma corda, aplica força em sentido oposto à aplicada pelo grupo. Vence a disputa aquele que conseguir fazer o adversário cruzar uma faixa central, estabelecida como referência. Nessas condições, o time perdedor, apesar do esforço efetuado, realiza trabalho negativo. (1) Um mergulhador de 65 kg salta de uma plataforma de 10m de altura. O trabalho realizado pela força gravitacional para movê-lo, da plataforma até a superfície da água, imprime ao mergulhador uma velocidade superior a 45 km/h. (2) Um indivíduo em dieta rigorosa, na qual só lhe é permitido ingerir 1 000 kcal diárias, tomou algumas cervejas e acabou por ingerir 1 500 kcal a mais. Ele acredita poder compensar esse excesso tomando água na temperatura de 6°C, pois, estando seu corpo a 36°C, suas reservas de gordura seriam queimadas ao ceder calor para a água gelada. se o raciocínio do indivíduo estiver correto, ele precisará beber mais de 40 L d'água (dado: calor específico da água = 1 cal/g°C). (3) A massa e a energia cinética são propriedades intrínsecas a qualquer corpo. Questão 182 Um corpo, de 3,0kg e de dimensões desprezíveis, está suspenso por fio ideal de comprimento 0,5m, quando uma força ù horizontal é aplicada sobre ele. O trabalho realizado por essa força para levar o corpo até a posição ilustrada na figura a seguir é:

ados: g =10m/s£ cos 37° = 0,8 sen 37° = 0,6 a) 1,0 J b) 1,5 J c) 2,0 J d) 2,5 J e) 3,0 J Questão 183 A figura mostra o perfil JKLM de um tobogã, cujo trecho KLM é circular de centro em C e raio R=5,4m. Uma criança de 15kg inicia sua descida, a partir do repouso, de uma altura h=7,2m acima do plano horizontal que contém o centro C do trecho circular.

2.1.3.4

Considere os atritos desprezíveis e g=10m/s£. a) Calcule a velocidade com que a criança passa pelo ponto L. b) Determine a direção e o sentido da força exercida pelo tobogã sobre a criança no instante em que ela passa pelo ponto L e calcule seu módulo. Questão 184 Um operário leva um bloco de massa 50kg até uma altura de 6,0m, por meio de um plano inclinado sem atrito, de comprimento 10m, como mostra a figura a seguir.

35

grudados e sobem uma rampa até pararem num ponto de altura h.

2.1.3.4 2.1.3.4

abendo que a aceleração da gravidade é g=10m/s£ e que o bloco sobe com velocidade constante, a intensidade da força exercida pelo operário, em newtons, e o trabalho que ele realiza nessa operação, em joules, valem, respectivamente, a) 3,0.10£ e 3,0.10¤ b) 3,0.10£ e 4,0.10¤ c) 4,0.10£ e 4,0.10¤ d) 5,0.10£ e 4,0.10¤ e) 5,0.10£ e 5,0.10¤ Questão 185 Um carrinho de montanha russa parte do repouso do ponto A e percorre a pista sem atrito, esquematizada a seguir. Dado: g=10 m/s£

dotando g = 10m/s£ e considerando desprezíveis as forças não conservativas sobre os carrinhos, a altura h é um valor, em cm, igual a a) 2,5 b) 5,0 c) 10 d) 20 e) 25 Questão 187 Uma pequena esfera metálica, suspensa por um fio ideal de comprimento Ø a um suporte, está oscilando num plano vertical, com atritos desprezíveis, entre as posições extremas, A e B, localizadas a uma altura h = Ø/2 acima do ponto mais baixo C de sua trajetória, como ilustra a figura a seguir.

2.1.3.4

2.1.3.4

máxima altura h do ponto A, em metros, para que o carrinho passe por B, cujo raio de curvatura é 10m, sem perder o contato com a pista é a) 5,0 b) 8,0 c) 10 d) 12 e) 15 Questão 186 Dois carrinhos de mesma massa estão numa superfície horizontal, um com velocidade de 4,0m/s e o outro parado. Em determinado instante, o carrinho em movimento se choca com aquele que está parado. Após o choque, seguem

Considere g = 10m/s£. a) Calcule o módulo da aceleração da esfera nos instantes em que ela passa pelos pontos A e B. b) Calcule o módulo da aceleração da esfera nos instantes em que ela passa pelo ponto C. Questão 188 Uma atleta de massa m está saltando em uma cama elástica. Ao abandonar a cama com velocidade v³, ela atingirá uma altura h. Considere que a energia potencial gravitacional é nula no
36

nível da cama e despreze a resistência do ar. A figura mostra o momento em que a atleta passa, subindo, pela metade da altura h. 2.1.3.4

2.1.3.4

essa posição, a energia mecânica da atleta é a) (mgh)/2 + (mv³£)/2 b) (mgh)/2 c) (mv³£)/2 d) mgh + (mv³£)/2 Questão 189 Um corpo de massa 2,0kg é lançado do ponto A, conforme indicado na figura, sobre um plano horizontal, com uma velocidade de 20m/s. A seguir, sobre uma rampa até atingir uma altura máxima de 2,0m, no ponto B.

esprezando-se quaisquer atritos e considerando-se g = 10 m/s£, pode-se concluir que, com essa energia, a) não conseguirá vencer sequer metade do desnível. b) conseguirá vencer somente metade do desnível. c) conseguirá ultrapassar metade do desnível, mas não conseguirá vencê-lo totalmente. d) não só conseguirá vencer o desnível, como ainda lhe sobrarão pouco menos de 30 J de energia cinética. e) não só conseguirá vencer o desnível, como ainda lhe sobrarão mais de 30 J de energia cinética. Questão 191 As figuras mostram uma pessoa erguendo um bloco até uma altura h em três situações distintas.

2.1.3.4

2.1.3.4

Sabe-se que o calor gerado no processo foi todo absorvido pelo corpo e que um termômetro sensível, ligado ao corpo, acusa uma variação de temperatura de 1°C. a) Determine o calor específico médio do material que constitui o corpo, em J/kg°C b) Indique se a altura máxima atingida pelo corpo, caso não houvesse dissipação de energia, seria maior, menor ou igual a 2,0 m. Justifique sua resposta.

a situação I, o bloco é erguido verticalmente; na II, é arrastado sobre um plano inclinado; e, na III, é elevado utilizando-se uma roldana fixa. Considere que o bloco se move com velocidade constante e que são desprezíveis a massa da corda e qualquer tipo de atrito. Comparando-se as três situações descritas, é correto afirmar que o trabalho realizado pela pessoa é a) maior em II. Questão 190 b) o mesmo em I , II e III. Para tentar vencer um desnível de 0,5 m entre duas calçadas c) maior em I. d) menor em II. planas e horizontais, mostradas na figura, um garoto de 50 kg, brincando com um skate (de massa desprezível), impulsiona-se até adquirir uma energia cinética de 300 J.
37

Questão 192 Um corpo de massa m é lançado com velocidade inicial ¬³ na parte horizontal de uma rampa, como indicada na figura. Ao atingir o ponto A, ele abandona a rampa, com uma velocidade ¬Û(VÛÖ,VÛÙ), segue uma trajetória que passa pelo ponto de máxima altura B e retorna à rampa no ponto C. Despreze o atrito. Sejam hÛ, h½ e hÝ as alturas dos pontos A, B e C, respectivamente, ¬B(V½Ö,VBÙ) a velocidade do corpo no ponto B e ¬C(VÝÖ,VÝÙ), a velocidade do corpo no ponto C.

b) 0,14 J c) 0,16 J d) 14 J e) 16 J

2.1.3.4

2.1.3.4

Questão 194 Uma partícula move-se apenas sob a ação da força peso. Ao passar de uma posição A para outra posição B, a energia cinética da partícula aumenta de 150J. A variação de energia potencial da partícula nesse processo é: a) - 150 J b) - 50 J c) nula d) + 50 J e) + 150 J Questão 195 Um bloco é lançado numa rampa com velocidade inicial não nula, a partir de uma altura h, atingindo uma mola disposta no plano horizontal e comprimindo-a, como está indicado no esquema a seguir.

Considere as afirmações: I) V³ = VÛÖ = V½Ö = VÝÖ II) VÛÖ = V½ = VÝÖ III) 1/2mV½£ = 1/2mVÛ£ - mg (h½ - hÛ) IV) 1/2mV³£ = mgh½ V) 1/2mVÛÙ£ = mg (h½ - hÛ) São corretas as afirmações: a) todas. b) somente I e II. c) somente II, III e IV. d) somente II, III, IV e V. e) somente II, III e V. Questão 193 Um objeto de massa 8,0kg e volume 1,0 litro está imerso em um líquido de densidade igual à da água, contido num grande recipiente, como mostra a figura. O objeto se move para baixo com velocidade constante v=0,20m/s, devido à ação conjunta da gravidade, do empuxo e da resistência viscosa do líquido ao movimento. Podemos afirmar que a quantidade de energia transformada em calor, a cada segundo, no sistema "objeto-líquido" é de: a) 0,0 J

2.1.3.4

38

essa situação, se a força de atrito entre o bloco e a rampa for desprezível e a mola for ideal, pode-se afirmar corretamente que a) a quantidade de movimento do bloco se manteve constante enquanto descia a rampa. b) o trabalho da força-peso é menor que a energia potencial elástica máxima da mola. c) a energia mecânica do bloco diminui enquanto desce a rampa. d) na compressão máxima da mola, a energia potencial elástica é igual à energia potencial gravitacional no início do movimento. e) a energia cinética se conserva durante todo o percurso horizontal. Questão 196 A massa m de um pêndulo simples, cujo fio tem comprimento L=0,90m, é abandonada a partir do repouso quando o fio forma ângulo de 60° com a vertical, como mostra a figura.

2.1.3.4

respeito da situação descrita são feitas as seguintes afirmações: I - Houve transformação de energia potencial gravitacional do bloco de ferro, em energia cinética, que será máxima no instante imediatamente anterior ao choque com a estaca. II - Como o bloco parou após o choque com a estaca, toda energia do sistema desapareceu. III - A potência do motor do bate-estaca será tanto maior, quanto menor for o tempo gasto para erguer o bloco de ferro até a altura ocupada por ele, antes de cair. É (são) verdadeira (s) a) somente I. b) somente II. c) somente I e II. d) somente I e III. e) todas as afirmações. Questão 198

2.1.3.4

ados: sen 60° = 0,87 cos 60° = 0,50 g = 10m/s£ Desprezando a resistência do ar, a velocidade de m, quando o fio fica na posição vertical, é, em m/s, a) 1,0 b) 2,0 c) 3,0 d) 4,0 e) 5,0 Questão 197 Num bate-estaca, um bloco de ferro de massa superior a 500kg cai de uma certa altura sobre a estaca, atingindo o repouso logo após a queda. São desprezadas as dissipações de energia nas engrenagens do motor.

Uma esfera de massa "m", amarrada na extremidade de um cordão de comprimento "L", é lançada de uma altura "h" com velocidade inicial, perpendicular ao cordão, de módulo "v³", conforme ilustra a figura a seguir. Caso v³=Ë2gh, onde "g" é o módulo da aceleração da gravidade local, determine a altura máxima "H" atingida pela esfera na inexistência de perdas de energia mecânica.

2.1.3.4

39

Questão 199 Na figura abaixo, dois blocos iguais de massa m trafegam, ambos, com velocidade V constante, num piso, onde os atritos são pequenos e podem ser desprezados. A distância entre eles no nível inferior é d. Ao atingir o nível superior, a distância entre eles passa a ser d' e a velocidade V'. Sabendo-se que o desnível entre os pisos é h, pode-se afirmar que:

2.1.3.4

Questão 201 2.1.3.4 Na figura abaixo, a mola e considerada ideal e possui constante elástica igual a 800N/m, o bloco possui massa M=2kg, H=80cm, os pontos A e C pertencem à superfícies horizontais e todas as superfícies são perfeitamente lisas. O bloco é pressionado contra a mola comprimindo-a de x centímetros e, em seguida, abandonado.

01. o valor de d' não depende de h. 02. V' = Ë(V£ - 2gh) 04. V' = V - gh 08. d' = Ë[md£ - (2ghd£/V£.m)] 16. d' = Ë[d£ - (2ghd£/V£)] 32. d'= d 64. d' = d - (V£/2g) Questão 200 O corpo C, de massa m, é abandonado do repouso no ponto A do trilho liso abaixo e, após realizar o "looping" de raio R, atinge o trecho horizontal. Desprezando qualquer resistência ao deslocamento e sabendo que a aceleração gravitacional local é \, o módulo da quantidade de movimento desse corpo, ao passar pelo ponto B do trilho, é: a) m . Ë(R . g) b) m . RËg c) m . gËR d) 5 m . R . g / 2 e) 2 m. R . g / 5 Considerando a aceleração da gravidade igual a 10m/s£, assinale a(s) alternativa(s) correta(s). 01. Se x<1, o bloco não alcançará o ponto A. 02. Se x=10, a energia mecânica do sistema é igual a 4J. 04. Se x=20, o bloco passará pelo ponto A com velocidade igual a 4m/s. 08. Se x=20, o bloco não alcançará o ponto C. 16. Se x=10, o bloco alcançará o ponto B. 32. Se x=15, o bloco passará pelo ponto B com velocidade igual a 1m/s. 64. A variação da energia mecânica do sistema entre os pontos A e C é igual a 16J. Questão 202 A figura mostra o perfil de um trilho vertical JKLM cujo trecho KLM é circular de centro em C e raio R. 2.1.3.4

40

Questão 205 Os princípios de conservação de energia e da quantidade de movimento são fundamentais na compreensão da dinâmica de interação entre corpos, tais como: colisões, movimentos de planetas e satélites, etc. Entende-se, pois, que ( ) a energia associada ao movimento de um corpo é alterada, quando a força resultante, que atua sobre ele, realiza trabalho. ( ) na ausência de forças externas em uma colisão, a quantidade de movimento do sistema não se altera. ( ) a energia cinética de um planeta em órbita elíptica em torno do Sol é constante. ( ) considerando-se uma pessoa saltando sobre uma cama elástica, e tomando-se o solo como referencial, pode-se dizer que no instante em que a cama atinge o ponto mais baixo, a uma altura h acima do solo, toda a energia mecânica da pessoa é convertida em energia potencial elástica. Questão 206 A energia potencial de um carrinho em uma montanha russa varia, como mostra a figura a seguir:

2.1.3.4

Um bloco de pequenas dimensões é abandonado a uma altura h=R/2 acima do plano horizontal que contém o centro C e passa a deslizar sobre o trilho com atrito desprezível. a) Determine a direção e o sentido da velocidade « do bloco no instante em que ele passa pelo ponto L e calcule seu módulo em função de R e da aceleração da gravidade g. b) Determine a direção e o sentido da resultante ù das forças que atuam sobre o bloco no instante em que ele passa pelo ponto L (informando o ângulo que ela forma com a horizontal) e calcule seu módulo em função da massa m do bloco e da aceleração da gravidade g. Questão 203 Uma central termelétrica (usina elétrica a vapor) é uma instalação que permite gerar energia elétrica às custas da energia interna de um combustível, como petróleo ou carvão. A seqüência operacional correta dos componentes bomba d'água, caldeira, condensador e turbina, no projeto de uma usina elétrica a vapor, é a) caldeira, turbina, condensador e bomba d'água. b) turbina, caldeira, condensador e bomba d'água. c) turbina, condensador, caldeira e bomba d'água. d) bomba d'água, condensador, caldeira e turbina. e) condensador, turbina, bomba d'água e caldeira. Questão 204 Uma partícula se desloca em um campo de forças, de modo que sua energia potencial diminui na mesma quantidade que sua energia cinética aumenta. As forças que atuam sobre a partícula são necessariamente a) constantes. b) conservantes. c) não-conservantes. d) nulas. e) contrárias ao movimento.

2.1.3.4

Sabe-se que em x=2m, a energia cinética é igual a 2J, e que não há atrito, sobre o carrinho, entre as posições x=0 e x=7m. Desprezando a resistência do ar, determine: a) a energia mecânica total do carrinho; b) a energia cinética e potencial do carrinho na posição x=7m; c) a força de atrito que deve atuar no carrinho, a partir da posição x=7m, para levá-lo ao repouso em 5m.

41

Questão 207 Um chaveiro, largado de uma varanda de altura h, atinge a calçada com velocidade v. Para que a velocidade de impacto dobrasse de valor, seria necessário largar esse chaveiro de uma altura maior, igual a: a) 2h b) 3h c) 4h d) 6h Questão 208 O esquema abaixo mostra, em termos de potência (energia/tempo), aproximadamente, o fluxo de energia, a partir de uma certa quantidade de combustível vinda do tanque de gasolina, em um carro viajando com velocidade constante.

a) 0,24 b) 0,32 c) 0,48 d) 0,54 e) 0,60 Questão 210 Na figura, está representado o perfil de uma montanha coberta de neve.

2.1.3.4

2.1.3.4

. Evaporação 1kW 2. Energia dos hidrocarbonetos não queimados, energia térmica dos gases de escape e transferida ao ar ambiente 56,8kW 3. Luzes, ventilador, gerador, direção, bomba hidráulica, etc. 2,2kW 4. Energia térmica 3kW O esquema mostra que, na queima da gasolina, no motor de combustão, uma parte considerável de sua energia é dissipada. Essa perda é da ordem de: a) 80% b) 70% c) 50% d) 30% e) 20%

m trenó, solto no ponto K com velocidade nula, passa pelos pontos L e M e chega, com velocidade nula, ao ponto N. A altura da montanha no ponto M é menor que a altura em K. Os pontos L e N estão em uma mesma altura. Com base nessas informações, é CORRETO afirmar que a) a energia mecânica em K é igual à energia mecânica em M. b) a energia cinética em L é igual à energia potencial gravitacional em K. c) a energia potencial gravitacional em L é maior que a energia potencial gravitacional em N. d) a energia mecânica em M é menor que a energia mecânica em L. Questão 211

Um pequeno corpo A de massa mÛ=m desliza sobre uma pista sem atrito, a partir do repouso, partindo de uma altura H, conforme indicado na figura abaixo. Na parte mais baixa da pista, ele colide com outro corpo idêntico B, de massa m½=m, que se encontra inicialmente em repouso no ponto P. Se a colisão é perfeitamente elástica, podemos afirmar que: a) Os dois corpos aderem um ao outro e se elevam até a altura H. b) Os dois corpos aderem um ao outro e se elevam até a Questão 209 altura H/2. c) O corpo A retorna até a altura H/2 e o corpo B se eleva Um bloco com massa de 0,20kg, inicialmente em repouso, é derrubado de uma altura de h=1,20m sobre uma mola cuja até a altura H/2. d) O corpo A fica parado no ponto P e o corpo B se eleva constante de força é k=19,6N/m. Desprezando a massa da até a altura H. mola, a distância máxima que a mola será comprimida é
42

e) O corpo A fica parado no ponto P e o corpo B se eleva até a altura H/2.

2.1.3.4 2.1.3.4

Questão 214 Questão 212 Que altura é possível atingir em um salto com vara? Essa pergunta retorna sempre que ocorre um grande evento esportivo como os jogos olímpicos do ano passado em Sydney. No salto com vara, um atleta converte sua energia cinética obtida na corrida em energia potencial elástica (flexão da vara), que por sua vez se converte em energia potencial gravitacional. Imagine um atleta com massa de 80kg que atinge uma velocidade horizontal de 10m/s no instante em que a vara começa a ser flexionada para o salto. a) Qual é a máxima variação possível da altura do centro de massa do atleta, supondo que, ao transpor a barra, sua velocidade é praticamente nula? b) Considerando que o atleta inicia o salto em pé e ultrapassa a barra com o corpo na horizontal, devemos somar a altura do centro de massa do atleta à altura obtida no item anterior para obtermos o limite de altura de um salto. Faça uma estimativa desse limite para um atleta de 2,0m de altura. c) Um atleta com os mesmos 2,0m de altura e massa de 60kg poderia saltar mais alto? Justifique sua resposta. Questão 213 Uma massa é liberada a partir do repouso de uma altura h acima do nível do solo e desliza sem atrito em uma pista que termina em um "loop" de raio r, conforme indicado na figura. Determine o ângulo š relativo à vertical e ao ponto em que a massa perde o contato com a pista. Expresse sua resposta como função da altura h, do raio r e da aceleração da gravidade g. Um esporte atual que tem chamado a atenção por sua radicalidade é o "bungee jumping". É praticado da seguinte maneira: uma corda elástica é presa por uma de suas extremidades no alto de uma plataforma, em geral sobre um rio ou lago, e a outra é presa aos pés de uma pessoa que em seguida salta da plataforma e, ao final de alguns movimentos, permanece dependurada pela corda, em repouso. Sejam 70 kg a massa da pessoa, 10 m o comprimento da corda não tensionada e 100 N/m a sua constante elástica. Desprezando a massa da corda e considerando que a pessoa, após o salto, executa somente movimentos na vertical, é correto afirmar:

2.1.3.4

43

(01) Em nenhum instante, após o salto, ocorre movimento de queda livre. (02) Após o salto, a velocidade da pessoa na posição 10 m é de 20 m/s. (04) Após a corda atingir a sua deformação máxima, a pessoa retorna para cima e fica oscilando em torno da posição de equilíbrio, que se encontra a 17 m abaixo do ponto em que está presa a corda na plataforma. (08) Durante o movimento oscilatório, a força elástica da corda é a única força que realiza trabalho sobre a pessoa. (16) No movimento oscilatório realizado pela pessoa, a energia mecânica é conservada. (32) A deformação da corda depende da massa da pessoa. Soma ( )

Soltando-se a esfera, ela desce sob a ação da gravidade. Ao passar pelo ponto B, a mola se encontra na vertical e distendida de 10 cm. Desprezam-se as dimensões da esfera e os efeitos da resistência do ar. Considerando-se a situação física descrita, assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S). 01. A velocidade da esfera no ponto mais baixo da trajetória, ponto B, é igual a Ë(6,0) m/s. 02. Toda a energia potencial gravitacional da esfera, na posição A, é transformada em energia cinética, na posição B. 04. A velocidade da esfera no ponto B é igual a Ë(3,5) m/s. 08. A força resultante sobre a esfera na posição B é igual a 30 N. 16. A energia mecânica da esfera, na posição B, é igual à sua energia potencial gravitacional na posição A. 32. Parte da energia potencial gravitacional da esfera, na posição A, é convertida em energia potencial elástica, na posição B. 64. A energia cinética da esfera, na posição B, é igual à sua energia potencial gravitacional, na posição A. Questão 216 A mãe, para abrir uma janela tipo guilhotina, levanta totalmente um dos painéis dessa janela, prendendo-o, então, por meio de uma trava de segurança. Os painéis são idênticos, medem 60cm de altura e têm massa de 3kg cada.

Questão 215 Na figura a seguir, a esfera tem massa igual a 2,0 kg e encontra-se presa na extremidade de uma mola de massa desprezível e constante elástica de 500 N/m. A esfera encontra-se, inicialmente, em repouso, mantida na posição A, onde a mola não está deformada. A posição A situa-se a 30 cm de altura em relação à posição B.

2.1.3.4

2.1.3.4

Após um certo tempo, a trava se rompe e o painel cai sobre o peitoril da janela. Desprezando atritos e a resistência do ar, calcule: a) a energia mínima necessária para levantar totalmente o painel a partir do peitoril; b) a velocidade com que o painel atinge o peitoril após o rompimento da trava de segurança.

44

Questão 217 Um praticante de esporte radical, amarrado a uma corda elástica, cai de uma plataforma, a partir do repouso, seguindo uma trajetória vertical. A outra extremidade da corda está presa na plataforma. A figura mostra dois gráficos que foram traçados desprezando-se o atrito do ar em toda a trajetória. O primeiro é o da energia potencial gravitacional, U (gravitacional), do praticante em função da distância y entre ele e a plataforma, onde o potencial zero foi escolhido em y = 30m. Nesta posição, o praticante atinge o maior afastamento da plataforma, quando sua velocidade se reduz, momentaneamente, a zero. O segundo é o gráfico da energia armazenada na corda, U (elástica), em função da distância entre suas extremidades.

máxima compressão da mola vale, em metros, a) 0,80 b) 0,40 c) 0,20 d) 0,10 e) 0,05 Questão 219 Um jovem escorrega por um tobogã aquático, com uma rampa retilínea, de comprimento L, como na figura, podendo o atrito ser desprezado. Partindo do alto, sem impulso, ele chega ao final da rampa com uma velocidade de cerca de 6m/s.

2.1.3.4 2.1.3.4

Determine: a) o peso P do praticante e o comprimento L³ da corda, quando não está esticada, e b) a constante elástica k da corda. Questão 218 Um bloco de massa 0,60kg é abandonado, a partir do repouso, no ponto A de uma pista no plano vertical. O ponto A está a 2,0m de altura da base da pista, onde está fixa uma mola de constante elástica 150N/m. São desprezíveis os efeitos do atrito e adota-se g = 10m/s£.

ara que essa velocidade passe a ser de 12 m/s, mantendo-se a inclinação da rampa, será necessário que o comprimento dessa rampa passe a ser aproximadamente de a) L/2 b) L c) 1,4 L d) 2 L e) 4 L Questão 220 Um corpo 1, de massa m, parte do repouso de uma altura H e desliza sobre uma rampa até atingir outro corpo 2, de massa m‚, que se encontra em repouso, conforme ilustrado na figura a seguir. Após a colisão, os dois corpos, unidos um ao outro, movem-se até atingir um outra altura h.

2.1.3.4

2.1.3.4

45

Desprezando-se as dimensões dos corpos e efeitos de atrito de qualquer natureza, e denominando como g a aceleração gravitacional local, expresse, em termos das constantes citadas: 2.1.3.4 a) A velocidade do corpo 1 imediatamente antes da colisão. b) A velocidade dos dois corpos imediatamente após a colisão. c) A altura h atingida pelos corpos. Questão 221 Um estudante deixa cair várias vezes uma bolinha de pingue-pongue verticalmente, da mesma altura, sobre o piso de uma sala. Depois de cada choque, ele nota que a bolinha sempre volta verticalmente, mas atinge alturas diferentes. Suponha a resistência do ar desprezível. Essa observação permite afirmar que a variação da quantidade de movimento da bolinha ocorrida nos seus diferentes choques com o piso a) é sempre a mesma, qualquer que seja a altura atingida pela bolinha na volta. b) é maior quando a altura atingida pela bolinha na volta for maior. c) é maior quando a altura atingida pela bolinha na volta for menor. d) é menor quando a altura atingida pela bolinha na volta for maior. e) não tem relação com a altura atingida pela bolinha na volta. Questão 222 A figura mostra um pessoa com massa de 60kg que desliza, sem atrito, do alto de um tobogã de 7,2m de altura (ponto A), acoplando-se a um carrinho com massa de 120kg, que se encontra em repouso no ponto B. A partir desse instante, a pessoa e o carrinho movem-se juntos na água, até parar. Considere que a força de atrito entre o carrinho e a água é constante, e o coeficiente de atrito dinâmico é 0,10. A aceleração gravitacional local é 10m/s£. a) Calcule a velocidade do conjunto pessoa-carrinho, imediatamente após o acoplamento. b) Calcule a distância percorrida na água pelo conjunto pessoa-carrinho, até parar. Questão 223 Desprezando-se os atritos, um corpo terá energia mecânica igual à energia potencial gravitacional, se a) a velocidade escalar do corpo for positiva. b) a velocidade escalar do corpo for negativa. c) o módulo da velocidade do corpo aumentar com relação ao tempo. d) a velocidade escalar do corpo for nula. e) a energia cinética for máxima. Questão 224 Um motociclista resolve ir para a praia e pretende levar a sua motocicleta em uma caminhonete. Para colocar a motocicleta na caminhonete ele pode erguê-la verticalmente ou empurrá-la por uma rampa. Considerando desprezíveis as perdas por atrito, assinale a alternativa correta: a) O trabalho realizado para elevar a motocicleta verticalmente é maior. b) O trabalho realizado pelo motociclista, em ambas as situações, é o mesmo. c) A potência aplicada pelo motociclista, em ambas as situações, é a mesma. d) O trabalho realizado para elevar a motocicleta ao longo da rampa é menor. e) A força aplicada para elevar a motocicleta ao longo da rampa é maior. Questão 225

46

2.1.3.4

2.1.3.4

Uma partícula de massa m é abandonada do repouso em A e desliza, sem atrito, ao longo de um trilho, conforme a figura. O raio da parte circular, R, é equivalente a 1/3 da altura do ponto A. As expressões que determinam a energia cinética nos pontos B, C e D são, respectivamente, a) 3 mgR; 2 mgR; mgR b) 2 mgR; mgR; 0 c) 3 mgR; mgR; 2 mgR d) mgR; 2 mgR; 3 mgR e) 0; 2 mgR; 3 mgR Questão 226 Uma motocicleta de massa 100kg se desloca a uma velocidade constante de 10m/s. A energia cinética desse veículo é equivalente ao trabalho realizado pela força-peso de um corpo de massa 50kg que cai de uma altura aproximada a uma queda do: a) 4Ž andar de um edifício. b) 1Ž andar de um edifício. c) 20Ž andar de um edifício. d) 50Ž andar de um edifício. e) alto de um poste de 6m. Questão 227 No instante t³=0, uma pequena esfera é abandonada de uma altura h³, próxima à superfície terrestre. Após chocar-se contra o solo, retorna segundo a mesma vertical até uma altura h, menor que h³. Em seguida, torna a cair, choca-se com o solo e retorna, atingindo uma altura h‚, menor que h, e assim sucessivamente por mais algumas vezes até parar no solo. Desprezando a resistência do ar e considerando que os choques com o solo se deram, respectivamente, nos instantes t, t‚, tƒ, t„ e t…, quando parou, o gráfico que melhor representa a variação do módulo da velocidade escalar dessa esfera em função do tempo é:

Questão 228 Flávia foi colocar um prego numa parede e percebeu que ele esquentou após ser golpeado com o martelo. A explicação física para esse fenômeno é: a) Houve, no instante do golpe, transferência da energia térmica, armazenada no martelo, para o prego. b) Parte da energia térmica que o prego possuía armazenada até o instante anterior ao golpe foi liberada quando o martelo o atingiu. c) Parte da energia cinética que o martelo possuía, no instante anterior ao golpe, foi transformada em energia térmica no prego. d) Houve, no instante do golpe, transformação da energia potencial gravitacional do martelo em energia térmica no prego. Questão 229 Uma mola encontra-se comprimida por dois blocos de massa m=1kg e m‚=3kg, sobre uma mesa horizontal sem atrito. A energia potencial elástica armazenada na mola é 600J. Ao soltarmos os dois blocos, m se desloca para a direita e m‚ para a esquerda. Suas velocidades v e v‚ são: a) v = 10 m/s; v‚ = 30 m/s b) v = 10 m/s; v‚ = 10 m/s c) v = 30 m/s; v‚ = 10 m/s d) v = 60 m/s; v‚ = 60 m/s e) v = 2 m/s; v‚ = 5 m/s Questão 230 A partir do repouso no ponto A, um carrinho desce por uma pista sem atrito até passar pelo ponto D, na base dessa pista. Considere como nível de referência, para o cálculo de energia potencial gravitacional , a base da pista.

47

evando em conta o gráfico anterior, analise as afirmativas a seguir. I - a velocidade da partícula no ponto A é menor do que v³; II - a velocidade da partícula aumenta entre os pontos A e C; III - a velocidade da partícula no ponto C é zero; IV - a velocidade da partícula nos pontos B e D é a mesma; Marque a opção que indica as afirmativas corretas. a) I, II e III. b) II, III e IV. c) I, II e IV. d) I, II, III e IV. e) I, III e IV. Questão 232 Quando um meteorito atinge a atmosfera, a) o meteorito se aquece e necessariamente perde energia cinética. b) a energia térmica que o meteorito ganha é igual à energia potencial que ele perde. c) a conservação da energia não se aplica ao caso, pois o meteorito é corpo estranho à Terra. d) no sistema de todos os corpos que participam do fenômeno (Terra, inclusive atmosfera, e meteorito) a energia mecânica se conserva. e) no sistema de todos os corpos participantes, a diminuição de energia mecânica é igual ao aumento de energia térmica. Questão 233 Um trapezista, de 70 kg, se solta do ponto de maior amplitude do movimento do trapézio, caindo verticalmente de uma altura de 9,0 m na direção de uma rede de segurança. A rede se distende em 1,8 m e lança-o de volta ao ar. Supondo que nenhuma energia foi dissipada por forças não-conservativas, calcule a energia potencial da rede totalmente distendida. Questão 234 Considere que fosse utilizada uma rampa de lançamento inclinada para impulsionar o macaquinho. Uma mola ideal, de coeficiente k e comprimento س=2Ë2m, é inicialmente comprimida até que o macaquinho fique a uma altura h do solo.

2.1.3.4

Analise as afirmações acerca do movimento do carrinho. ( ) A energia mecânica no ponto A é igual à energia mecânica no ponto B. ( ) A energia mecânica no ponto B é somente cinética ( ) A energia mecânica no ponto C é somente potencial. ( ) No ponto B, a velocidade é Ëgh ( ) No ponto D, a velocidade é Ë2gh Questão 231 Uma partícula move-se no sentido do eixo x, com velocidade inicial v³ e energia total E³. A partícula penetra numa região onde a energia potencial U varia com a posição, de acordo com o gráfico mostrado na figura a seguir.

2.1.3.4

48

2.1.3.4

2.1.3.4

O macaquinho se desprende da rampa no momento em que a mola volta à sua posição inicial de relaxamento, a uma altura h³=4h/3 do solo. Desprezando as forças não-conservativas e ÐE(gravitacional), determine o valor de k, de modo que o módulo da velocidade inicial de lançamento seja igual a 20m/s. Dado: massa do macaquinho = 40 kg Questão 235 Um atleta, com peso de 700N, consegue atingir 4200J de energia cinética na sua corrida para um salto em altura com vara. Caso ocorresse a conservação da energia mecânica, a altura máxima, em metros, que ele poderia atingir seria de a) 4,00 b) 4,50 c) 5,00 d) 5,50 e) 6,00 Questão 236 Uma bola de massa m = 500 g é lançada do solo, com velocidade v³ e ângulo de lançamento š³, menor que 90°. Despreze qualquer movimento de rotação da bola e a influência do ar. O valor da aceleração da gravidade, no local, é g=10 m/s£. O gráfico adiante mostra a energia cinética K da bola como função do seu deslocamento horizontal, x. Analisando o gráfico, podemos concluir que a altura máxima atingida pela bola é: a) 60 m b) 48 m c) 30 m d) 18 m e) 15 m

Questão 237 No filme O Nome da Rosa há uma cena em que o personagem principal, o frade-detetive, se perde de seu discípulo no ponto A de um labirinto de escadas. Considere que, em um certo instante, o frade esteja em um ponto B, situado alguns metros abaixo do ponto A, para onde deseja retornar. Existem quatro escadas, E, E‚, Eƒ e E„, todas diferentes entre si, que ligam os pontos A e B. O total de degraus de cada escada é, respectivamente, n=20, n‚=25, nƒ=40 e n„=55. Pode-se afirmar que os trabalho ‹, realizados pela força peso do frade ao ir de B até A, satisfazem a seguinte relação: a)  < ‚ < ƒ < „ b)  > ‚ > ƒ > „ c)  = ‚ = ƒ = „ d)  = ‚ < ƒ < „ Questão 238 Em um laboratório de Física, Agostinho realiza o experimento representado, esquematicamente, na figura adiante.

2.1.3.4

49

Agostinho segura o bloco K sobre uma mesa sem atrito. Esse bloco está ligado por um fio a um outro bloco, L, que está sustentado por esse fio. Em um certo momento, Agostinho solta o bloco K e os blocos começam a se movimentar. O bloco L atinge o solo antes que o bloco K chegue à extremidade da mesa. Despreze as forças de atrito. Os blocos K e L são idênticos e cada um tem massa m. A altura da mesa é H e o bloco L, inicialmente, está a uma altura h do solo. A aceleração da gravidade é g. Nessas condições, imediatamente ANTES de o bloco L atingir o solo, a energia cinética do conjunto dos dois blocos é a) mg (H-h). b) mgh. c) mgH. d) mg (H+h). Questão 239 Um cartaz de uma campanha de segurança nas estradas apresenta um carro acidentado com a legenda "de 100 km/h a 0 km/h em 1 segundo", como forma de alertar os motoristas para o risco de acidentes. a) Qual é a razão entre a desaceleração média e a aceleração da gravidade, aÝ/g? b) De que altura o carro deveria cair para provocar uma variação de energia potencial igual à sua variação de energia cinética no acidente? c) A propaganda de um carro recentemente lançado no mercado apregoa uma "aceleração de 0 km/h a 100 km/h em 14 segundos". Qual é a potência mecânica necessária para isso, considerando que essa aceleração seja constante? Despreze as perdas por atrito e considere a massa do carro igual a 1000 kg. Questão 240 Nos trilhos de uma montanha-russa, um carrinho com seus ocupantes é solto, a partir do repouso, de uma posição A situada a uma altura h, ganhando velocidade e percorrendo um círculo vertical de raio R = 6,0 m, conforme mostra a figura. A massa do carrinho com seus ocupantes é igual a 300 kg e despreza-se a ação de forças dissipativas sobre o conjunto.

2.1.3.4

Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S). (01) A energia mecânica mínima para que o carrinho complete a trajetória, sem cair, é igual a 4 500 J. (02) A velocidade mínima na posição B, ponto mais alto do círculo vertical da montanha-russa, para que o carrinho não caia é Ë(60) m/s. (04) A posição A, de onde o carrinho é solto para iniciar seu trajeto, deve situar-se à altura mínima h = 15 m para que o carrinho consiga completar a trajetória passando pela posição B, sem cair. (08) Na ausência de forças dissipativas a energia mecânica do carrinho se conserva, isto é, a soma da energia potencial gravitacional e da energia cinética tem igual valor nas posições A, B e C, respectivamente. (16) Podemos considerar a conservação da energia mecânica porque, na ausência de forças dissipativas, a única força atuante sobre o sistema é a força peso, que é uma força conservativa. (32) A posição A, de onde o carrinho é solto para iniciar seu trajeto, deve situar-se à altura mínima h = 12 m para que o carrinho consiga completar a trajetória passando pela posição B, sem cair. (64) A energia mecânica do carrinho no ponto C é menor do que no ponto A. Soma ( )

Questão 241 Um corpo de massa m = 1,0 kg desliza por uma pista, saindo do ponto A com velocidade de módulo igual a 3,0 m/s, passando pelo ponto B com a mesma velocidade e parando no ponto C (figura). A resistência do ar ao movimento do corpo é desprezível, mas pode haver atrito entre o corpo e a pista. O trecho da pista que contém B é parte de uma circunferência de raio R = 0,30 m. As alturas de A, B e C em relação a um nível de referência são hÛ, h½ e hÝ, respectivamente. Com base nesses dados, é correto afirmar:
50

relação à superfície do rio. Calcule h, em m.

2.1.3.4 2.1.3.4

(01) Existe uma força de atrito entre a pista e o corpo entre os pontos A e B, que realiza trabalho igual a -mg(hÛ-h½). (02) Nenhuma força realiza trabalho sobre o corpo entre A e B, pois não houve variação da energia cinética. (04) O trabalho total realizado sobre o corpo entre os pontos B e C é 9,0 J. (08) Se não houvesse atrito entre a pista e o corpo, este teria no ponto C uma velocidade com módulo maior que v³. (16) A aceleração centrípeta do corpo no ponto B é 30 m/s£. Soma ( )

Questão 244 Os blocos A e B, representados na figura a seguir, estão inicialmente em repouso, têm massa M e m, respectivamente, e estão ligados por um fio inextensível de massa desprezível.

Questão 242 Um garoto desliza sobre um escorregador, sem atrito, de 5,0 m de altura. O garoto é lançado em uma piscina e entra em contato com a água a uma distância horizontal de 2,0 m, em relação à borda. Calcule a distância vertical h, entre a superfície da água e a borda da piscina. Dê sua resposta em cm.

2.1.3.4

abendo-se que não existe atrito entre o bloco A e a mesa, que a massa da polia e a resistência do ar são desprezíveis e que a aceleração da gravidade no local é g, é CORRETO afirmar que, após o bloco B ter caído de uma altura h, a energia cinética do bloco A é expressa por: a) (1/2 Mgh) b) (1gMmh)/2(M+m) c) (2gMmh)/(M+m) d) (gMmh)/(M+m) e) Mgh Questão 245

2.1.3.4

Questão 243 Em um dos esportes radicais da atualidade, uma pessoa de 70 kg pula de uma ponte de altura H=50 m em relação ao nível do rio, amarrada à cintura por um elástico. O elástico, cujo comprimento livre é L=10 m, se comporta como uma mola de constante elástica k. No primeiro movimento para baixo, a pessoa fica no limiar de tocar a água e depois de várias oscilações fica em repouso a uma altura h, em

Em um centro de treinamento, dois pára-quedistas, M e N, partindo do repouso, descem de uma plataforma horizontal agarrados a roldanas que rolam sobre dois cabos de aço. M se segura na roldana que se desloca do ponto A ao ponto B e N, na que se desloca do ponto C ao D. A distância CD é o dobro da distância AB e os pontos B e D estão à mesma altura em relação ao solo. Ao chegarem em B e D, respectivamente, com os pés próximos ao solo horizontal,
51

eles se soltam das roldanas e procuram correr e se equilibrar para não cair, tal como se estivessem chegando ao solo de pára-quedas.

e) 800. Questão 248 Uma pessoa sedentária requer cerca de 30 kcal de energia na sua dieta, por dia e por kg de massa corporal. Se essa energia for usada para erguer do chão um objeto em repouso, de massa igual a 1 kg, ele se elevaria à altura de, em metros: 1kcal = 4,19kJ g = 10 m/s£ a) 136 b) 419 c) 3000 d) 12570 Questão 249 Três esquiadores descem juntos, sem atrito, uma montanha de gelo. Eles saem da mesma altura h no mesmo instante t. Suas massas são m, m‚, mƒ sendo que m > m‚ > mƒ. É CORRETO afirmar que as velocidades escalares na base do morro serão tais que: a) v > v‚ > vƒ b) v < v‚ < vƒ c) v = v‚ = vƒ d) Não há como determinar as velocidades escalares. Questão 250 Numa fábrica, vários copos de vidro são enchidos com doce. Desde a máquina que os enche, no nível "A", até os operários que os tampam, no nível "B", os copos são deslocados por uma esteira, como mostra a figura a seguir.

2.1.3.4

esprezando perdas por atrito com o ar e nas roldanas, a razão entre as velocidades finais de M e N, no momento em que se soltam das roldanas nos pontos B e D, é a) (2Ë)/2. b) 1. c) Ë2 . d) 2. e) 2Ë2 . Questão 246 Um objeto de massa igual a 1,2 kg (peso aproximado de 12 N) cai, do repouso, de uma altura de 2 metros. Sua energia cinética, após cair 1,5 m, é a) 1,0 J b) 3,0 J c) 6,0 J d) 12 J e) 18 J Questão 247 Considere duas molas idênticas, M e M‚, de constante elástica k = 1,00 x 10¤ N/m. A mola M é comprimida de Ðx = 4,00 cm e assim mantida, presa por um fio de nylon. Essa mola é mergulhada em um tanque de ácido. A mola M‚, em sua forma natural, é igualmente mergulhada em outro tanque idêntico ao primeiro. Cada uma das molas é completamente dissolvida pelo ácido. O fio de nylon resiste ao ácido de modo que M é mantida sob compressão enquanto se dissolve. Ambos os sistemas (ácido+mola) apresentam aumento de energia interna mas no caso de M o aumento é maior do que no caso de M‚. A diferença entre esses aumentos de energia, medida em joules, é: a) 0,080. b) 0,800. c) 8,00. d) 80,0.

2.1.3.4

52

onsiderando que na posição "A" cada copo está em repouso e a 1,6 m do solo; que ao longo do movimento até "B", de altura 1 m, a ação das forças de atrito é desprezível e que o valor da aceleração da gravidade local é 10 m/s£, pode-se afirmar que o módulo da velocidade escalar final do copo no nível "B", em m/s, é igual a a) 2Ë3. b) 2Ë4. c) 2Ë5. d) 3Ë3. e) 3Ë4. Questão 251 Crises energéticas como a que o Brasil viveu há poucos meses poderiam ser amenizadas se fosse possível construir os "motos perpétuos", máquinas que trabalham sem utilizar energia externa. A máquina apresentada na figura é um exemplo hipotético de "moto perpétuo". Sobre o funcionamento dessa máquina, é correto afirmar:

2.1.3.4

a) Sobre os blocos que estão imersos na água atua uma força de empuxo de sentido contrário à força peso; portanto, a força resultante no lado direito da máquina é menor que a força resultante no lado esquerdo. Por isso, os blocos que não estão imersos em água caem acelerados, proporcionando um movimento contínuo. b) Há necessidade de fornecer energia para que essa máquina comece a funcionar. Uma vez em movimento, os blocos se movem ininterruptamente por inércia, pois estão interligados. c) A máquina não funciona sozinha, pois a força de resistência da água sobre os blocos é maior que a força de resistência do ar; portanto, a força resultante atua no sentido contrário ao da velocidade de rotação. d) O bloco, ao sair da roda superior, entra em queda livre; então, sua energia potencial transforma-se em energia cinética. Quando ele volta a subir, a energia cinética transforma-se em energia potencial. Como a energia potencial do bloco imerso em água é menor que a energia fora da água, o bloco chega no topo da máquina com uma parte da energia cinética que adquiriu na queda. e) A máquina é construída para permitir a transformação de energia potencial gravitacional em energia cinética e vice-versa; se não há movimento contínuo na máquina, isso ocorre porque parte da energia é degradada em razão das forças de resistência. Questão 252 O aumento do uso do capacete por motociclistas tem sido atribuído à multa imposta por lei. Melhor seria se todos tivessem noção do maior risco que correm sem a proteção deste acessório. Para ilustrar essa observação, considere um motociclista que, após colidir com um carro, é lançado, de cabeça, a 12 m/s, contra um muro. O impacto do motociclista contra o muro pode ser comparado ao choque dele próprio contra o chão, após uma queda livre, com aceleração da gravidade g = 10 m/s£, de uma altura igual a: a) 0,60 m b) 1,4 m c) 7,2 m d) 4,8 x 10 m e) 2,8 x 10£ m Questão 253 Rita está esquiando numa montanha dos Andes. A energia cinética dela em função do tempo, durante parte do trajeto, está representada neste gráfico:

53

Questão 256

2.1.3.4 2.1.3.4

s pontos Q e R, indicados nesse gráfico, correspondem a dois instantes diferentes do movimento de Rita. Despreze todas as formas de atrito. Com base nessas informações, é CORRETO afirmar que Rita atinge a) velocidade máxima em Q e altura mínima em R. b) velocidade máxima em R e altura máxima em Q. c) velocidade máxima em Q e altura máxima em R. d) velocidade máxima em R e altura mínima em Q. Questão 254 Um bloco de massa m = 0,1 kg comprime uma mola ideal, de constante elástica k = 100 N/m, de 0,2 m (ver figura). Quando a mola é liberada, o bloco é lançado ao longo de uma pista lisa. Calcule a velocidade do bloco, em m/s, quando ele atinge a altura h = 1,2 m.

O gráfico da figura representa a velocidade em função do tempo de um veículo de massa 1,2 x 10¤ kg, ao se afastar de uma zona urbana. a) Determine a variação da energia cinética do veículo no intervalo de 0 a 12 segundos. b) Determine o trabalho da força resultante atuando no veículo em cada um dos seguintes intervalos: de 0 a 7 segundos e de 7 a 12 segundos. Questão 257 O texto abaixo refere-se às questões: ** a ** ENERGIA A quase totalidade da energia utilizada na Terra tem sua origem nas radiações que recebemos do Sol. Uma parte é aproveitada diretamente dessas radiações (iluminação, aquecedores e baterias solares, etc.) e outra parte, bem mais ampla, é transformada e armazenada sob diversas formas antes de ser usada (carvão, petróleo, energia eólica, hidráulica, etc). A energia primitiva, presente na formação do universo e armazenada nos elementos químicos existentes em nosso planeta, fornece, também, uma fração da energia que utilizamos (reações nucleares nos reatores atômicos, etc). (Antônio Máximo e Beatriz Alvarenga. "Curso de Física". v.2. S. Paulo: Scipione, 1997. p. 433) Um sitiante dispõe, em suas terras, de um curso d'água com vazão de 20 litros por segundo. Ele faz um projeto para aproveitamento dessa energia hidráulica. Represada, a água cai, com a vazão citada, de uma altura de 8,0 m sobre as pás de uma turbina geradora de eletricidade. A potência máxima que se pode extrair da queda d'água, nessas condições, vale: Dados: g = 10 m/s£ Densidade da água = 1,0 kg / litro a) 1,6 . 10£ W b) 8,0 . 10£ W
54

2.1.3.4

Questão 255 Um carro de massa m sobe uma ladeira de altura h. Durante a subida, seu motor gasta uma energia igual a mgh. Então, pode-se dizer que: a) no topo da ladeira, a velocidade do carro aumentou. b) no topo da ladeira, a velocidade do carro diminuiu. c) no topo da ladeira, a velocidade do carro permaneceu constante. d) no topo da ladeira, a velocidade do carro é nula. e) o carro não conseguiu chegar ao topo.

c) 1,6 kW d) 8,0 . 10¥ W e) 1,6 MW Questão 258 Um menino desce a rampa de acesso a um terraço dirigindo um carrinho de lomba (carrinho de rolemã). A massa do sistema menino-carrinho é igual a 80 kg. Utilizando o freio, o menino mantém, enquanto desce, a energia cinética do sistema constante e igual a 160 J. O desnível entre o início e o fim da rampa é de 8 m. Qual é o trabalho que as forças de atrito exercidas sobre o sistema realizam durante a descida da rampa? (Considere a aceleração da gravidade igual a 10 m/s£). a) -6.560 J. b) -6.400 J. c) -5.840 J. d) -800 J. e) -640 J. Questão 259 As usinas hidroelétricas, que utilizam a água acumulada em represas para fazer funcionar suas turbinas, são responsáveis pela perturbação no ciclo natural das cheias e secas dos rios, pela inundação de áreas de terra cada vez maiores, pela retenção de nutrientes que, se não fosse esse uso, estariam distribuídos mais ou menos uniformemente, ao longo dos rios. A queima de carvão mineral para a geração do vapor d'água que move as turbinas das usinas termoelétricas lança, na atmosfera, além de dióxido de carbono, grandes quantidades de enxofre e óxidos nitrogenados, gases que formam a chuva ácida. As usinas nucleares causam impacto ambiental mesmo na ausência de acidentes, porque retiram a água do mar ou dos rios para resfriar os núcleos de seus geradores, devolvendo-a a uma temperatura bem mais alta. Esse aquecimento afeta os organismos aquáticos, pois o aumento da temperatura deixa a água pobre em oxigênio pela diminuição da solubilidade. A figura a seguir, representa uma barragem com a canalização que leva a água à turbina. 2.1.3.4

e não existe perda de energia no escoamento e se o módulo da velocidade da água em P é v, a energia disponível para girar a turbina, para uma quantidade de água de massa m, é: a) (1/2) mv£ + mgh b) mgh c) (1/2) mv£ - mgh d) (1/2) mv£ e) (1/2) mv£ + mg(20m + h) Questão 260 João, em um ato de gentileza, empurra uma poltrona para Maria, que a espera em repouso num segundo plano horizontal (0,8 m abaixo do plano de João). A poltrona tem uma massa de 10 kg e Maria tem uma massa de 50 kg. O chão é tão liso que todos os atritos podem ser desprezados, conforme figura 1. A poltrona é empurrada de A até B, partindo do repouso em A. João exerce uma força constante igual a 25 N, na direção horizontal. Em B a poltrona é solta, descendo a pequena rampa de 0,8 m de altura. Quando a poltrona chega com uma certa velocidade (v) em Maria, ela senta-se rapidamente na poltrona, sem exercer qualquer força horizontal sobre ela, e o sistema poltrona + Maria escorrega no segundo plano horizontal, conforme figura 2.

2.1.3.4

55

Considerando a aceleração da gravidade como 10 m/s£, calcule: a) o trabalho realizado por João no percurso AB. b) a velocidade (v) da poltrona ao chegar em Maria. c) a velocidade do sistema poltrona + Maria, após Maria sentar-se na poltrona. Questão 261 Daniel e André, seu irmão, estão parados em um tobogã, nas posições mostradas nesta figura: Questão 263 Dois jovens, cada um com 50 kg de massa, sobem quatro andares de um edifício. A primeira jovem, Heloísa, sobe de elevador, enquanto o segundo, Abelardo, vai pela escada, que tem dois lances por andar, cada um com 2,0 m de altura. a) Denotando por W(A) o trabalho realizado pelo peso de Abelardo e por W(H) o trabalho realizado pelo peso de Heloísa, determine a razão W(A) / W(H). b) Supondo que são nulas suas velocidades inicial e final, calcule a variação de energia mecânica de cada jovem ao realizar o deslocamento indicado. Questão 264 Num conjunto arco e flecha, a energia potencial elástica é transformada em energia cinética da flecha durante o lançamento. A força da corda sobre a flecha é proporcional ao deslocamento x, como ilustrado na figura. a) Quando a corda é solta, o deslocamento é x = 0,6 m e a força é de 300 N. Qual a energia potencial elástica nesse instante? b) Qual será a velocidade da flecha ao abandonar a corda? A massa da flecha é de 50 g. Despreze a resistência do ar e a massa da corda.

2.1.3.4

2.1.3.4

aniel tem o dobro do peso de André e a altura em que ele está, em relação ao solo, corresponde à metade da altura em que está seu irmão. Em um certo instante, os dois começam a escorregar pelo tobogã. Despreze as forças de atrito. É CORRETO afirmar que, nessa situação, ao atingirem o nível do solo, André e Daniel terão a) energias cinéticas diferentes e módulos de velocidade diferentes. b) energias cinéticas iguais e módulos de velocidade iguais. c) energias cinéticas diferentes e módulos de velocidade iguais. d) energias cinéticas iguais e módulos de velocidade diferentes. Questão 262 Um objeto é abandonado a partir do repouso, em t = 0, no topo de um plano inclinado. Desprezando o atrito, qual dos gráficos a seguir melhor representa a variação da energia cinética do objeto em função do tempo?

2.1.3.4

56

Questão 265 Quino, criador da personagem Mafalda, é também conhecido por seus quadrinhos repletos de humor chocante. Aqui, o executivo do alto escalão está prestes a cair em uma armadilha fatal.

2.1.3.4

2.1.3.4 Oscarito usa um sistema com uma polia fixa e outra móvel, e Ankito usa um sistema apenas com uma polia fixa. Considere que o atrito, as massas das polias e as massas das cordas são desprezíveis e que cada balde sobe com velocidade constante. Considere que: - o centro de massa do tubo suspenso, relativamente à parte inferior do tubo, está localizado a uma distância igual à altura da cartola do executivo; - a distância do centro de massa do tubo até o topo da cartola é 3,2 m; - a vertical que passa pelo centro de massa do tubo passa também pela cabeça do executivo; - o tubo tem massa de 450 kg e, durante uma queda, não sofreria ação significativa da resistência do ar, descendo com aceleração de 10 m/s£; - comparativamente à massa do tubo, a corda tem massa que se pode considerar desprezível. a) Após esmagar a cartola, sem resistência significativa, com que velocidade, em m/s, o tubo atingiria a cabeça do executivo? b) Para preparar a armadilha, o tubo foi içado a 5,5 m do chão pela própria corda que posteriormente o sustentou. Determine o trabalho, em J, realizado pela força peso na ascensão do tubo. Questão 266 Oscarito e Ankito, operários da construção civil, recebem a tarefa de erguer, cada um deles, um balde cheio de concreto, desde o solo até o topo de dois edifícios de mesma altura, conforme ilustra a figura a seguir. Ambos os baldes têm a mesma massa. Nessas condições, para erguer seu balde, o trabalho realizado pela força exercida por Oscarito é a) MENOR do que o trabalho que a força exercida por Ankito realiza, e a força mínima que ele exerce é MENOR que a força mínima que Ankito exerce. b) IGUAL ao trabalho que a força exercida por Ankito realiza, e a força mínima que ele exerce é MAIOR que a força mínima que Ankito exerce. c) MENOR do que o trabalho que a força exercida por Ankito realiza, e a força mínima que ele exerce é MAIOR que a força mínima que Ankito exerce. d) IGUAL ao trabalho que a força exercida por Ankito realiza, e a força mínima que ele exerce é MENOR que a força mínima que Ankito exerce. Questão 267 Observe a situação descrita na tirinha a seguir.

2.1.3.4

57

Assim que o menino lança a flecha, há transformação de um tipo de energia em outra. A transformação, nesse caso, é de energia a) potencial elástica em energia gravitacional. b) gravitacional em energia potencial. c) potencial elástica em energia cinética. d) cinética em energia potencial elástica. e) gravitacional em energia cinética. Questão 268

2.1.3.4

Sobre uma partícula, em movimento retilíneo, atua uma Em relação a essa situação, é correto afirmar: única força. O gráfico a seguir mostra a variação da velocidade v da partícula em função do tempo t. Em relação a) O mecanismo I é mais vantajoso porque ùe o trabalho que ela realiza são os menores. ao movimento da partícula, é correto afirmar que b) O mecanismo II é mais vantajoso porque ù‚ realiza o menor trabalho. c) O mecanismo III é mais vantajoso porque ùƒ é a menor força. d) O trabalho de ùƒ é menor do que o trabalho de ù‚. 2.1.3.4 e) O trabalho de ù é igual ao trabalho de ùƒ. Questão 270 Mantendo uma inclinação de 60° com o plano da lixa, uma pessoa arrasta sobre esta a cabeça de um palito de fósforos, deslocando-o com velocidade constante por uma distância de 5 cm, e ao final desse deslocamento, a pólvora se põe em chamas.

(01) o trabalho realizado pela força sobre a partícula no intervalo BC é nulo. (02) o trabalho realizado pela força sobre a partícula no intervalo ABCD é numericamente igual à área sob a curva ABCD. (04) o impulso transmitido pela força à partícula no intervalo BC é nulo. (08) o trabalho realizado pela força sobre a partícula no intervalo DE é negativo. (16) o trabalho realizado pela força sobre a partícula no intervalo CE é positivo. Soma ( )

2.1.3.4

Questão 269 Faz-se um objeto de massa M elevar-se de uma mesma altura H utilizando um dos três mecanismos mostrados na figura. As forças são ajustadas para vencer a gravidade sem transferir energia cinética ao corpo. O atrito e a inércia das polias são desprezíveis.

Se a intensidade da força, constante, aplicada sobre o palito é 2 N, a energia empregada no acendimento deste, desconsiderando- se eventuais perdas, é Dados: sen 60° = (Ë3)/2; cos 60° = 1/2 a) 5Ë3 × 10−£ J. b) 5 × 10−£ J. c) 2Ë3 × 10−£ J. d) 2 × 10−£ J. e) Ë3 × 10−£ J.

58

Questão 271 Um bloco de massa igual a 0,5 kg é abandonado, em repouso, 2 m acima de uma mola vertical de comprimento 0,8 m e constante elástica igual a 100 N/m, conforme o diagrama.

Questão 274 Um pequeno bloco, de massa m = 0,5 kg, inicialmente em repouso no ponto A, é largado de uma altura h = 0,8 m. O bloco desliza ao longo de uma superfície sem atrito e colide com um outro bloco, de mesma massa, inicialmente em repouso no ponto B (veja a figura a seguir). Determine a velocidade do segundo bloco após a colisão, em m/s, considerando-a perfeitamente elástica.

2.1.3.4

2.1.3.4

Calcule o menor comprimento que a mola atingirá. Considere g = 10 m/s£. Questão 272 Determine a massa de um avião viajando a 720km/h, a uma altura de 3.000 m do solo, cuja energia mecânica total é de 70,0 10§J. Considere a energia potencial gravitacional como zero no solo. a) 1000 kg. b) 1400 kg. c) 2800 kg. d) 5000 kg e) 10000 kg. Questão 273 Um pequeno bloco, de massa m = 0,5 kg, inicialmente em repouso no ponto A, é largado de uma altura h = 1,6 m. O bloco desliza, sem atrito, ao longo de uma superfície e colide, no ponto B, com uma mola de constante elástica k=100 N/m (veja a figura a seguir). Determine a compressão máxima da mola, em cm. Questão 275 Um pequeno projétil, de massa m = 60 g, é lançado da Terra com velocidade de módulo V³ = 100 m/s, formando um ângulo de 30° com a horizontal. Considere apenas o movimento ascendente do projétil, ou seja, desde o instante do seu lançamento até o instante no qual ele atinge a altura máxima. Calcule o trabalho, em joules, realizado pela gravidade terrestre (força peso) sobre o projétil durante este intervalo de tempo. Despreze a resistência do ar ao longo da trajetória do projétil. Questão 276 Uma bolinha presa a um fio de comprimento L = 1,6 m que está fixado no teto, é liberada na posição indicada na figura (ponto A). Ao passar pela posição vertical, o fio encontra um pino horizontal fixado a uma distância h = 1,25 m (ver figura). Calcule o módulo da velocidade da bolinha, em m/s, no instante em que a bolinha passa na altura do pino (ponto B).

2.1.3.4

59

2.1.3.4

2.1.3.4

Questão 277 Um pequeno bloco, de massa m = 0,5 kg, inicialmente em repouso no ponto A, é largado de uma altura h = 0,8 m. O bloco desliza, sem atrito, ao longo de uma superfície e colide com um outro bloco, de mesma massa, inicialmente em repouso no ponto B (veja a figura a seguir). Determine a velocidade dos blocos após a colisão, em m/s, considerando-a perfeitamente inelástica.

I. A razão entre a tensão do fio na posição B e a tensão do fio na posição A, antes de o fio horizontal ser cortado, é sec£š. II. A velocidade da esfera ao passar pelo ponto mais baixo da trajetória vale Ë[2Lg(1 - cosš)]. III. A aceleração da partícula no ponto B é máxima. Assinale a alternativa CORRETA: a) Apenas as afirmações I e II são verdadeiras. b) Apenas as afirmações I e III são verdadeiras. c) Apenas as afirmações II e III são verdadeiras. d) Todas as afirmações são verdadeiras. Questão 279 A figura a seguir ilustra uma gangorra de brinquedo feita com uma vela. A vela é acesa nas duas extremidades e, inicialmente, deixa-se uma das extremidades mais baixa que a outra. A combustão da parafina da extremidade mais baixa provoca a fusão. A parafina da extremidade mais baixa da vela pinga mais rapidamente que na outra extremidade. O pingar da parafina fundida resulta na diminuição da massa da vela na extremidade mais baixa, o que ocasiona a inversão das posições. Assim, enquanto a vela queima, oscilam as duas extremidades.

2.1.3.4

Questão 278 A figura a seguir mostra uma partícula de massa m que é mantida inicialmente em repouso na posição A, por meio de dois fios leves AC e AD. O fio horizontal AC é cortado e a bola começa a oscilar como um pêndulo de comprimento L. O ponto B é o ponto mais afastado do lado direito da trajetória das oscilações. Desprezando todos os tipos de atrito, julgue a validade das afirmações a seguir.

2.1.3.4

60

Nesse brinquedo, observa-se a seguinte seqüência de transformações de energia: a) energia resultante de processo químico ë energia potencial gravitacional ë energia cinética b) energia potencial gravitacional ë energia elástica ë energia cinética c) energia cinética ë energia resultante de processo químico ë energia potencial gravitacional d) energia mecânica ë energia luminosa ë energia potencial gravitacional e) energia resultante do processo químico ë energia luminosa ë energia cinética Questão 280 Um cilindro maciço, de raio R e massa M, parte do repouso e desce rolando, sem deslizar, uma distância L, ao longo do telhado de uma casa que possui uma inclinação š (veja figura).

elástico. Questão 282 Uma bola de borracha de massa m é lançada verticalmente para baixo, do alto de um edifício de altura H, com a velocidade inicial V³, em um local onde a aceleração da gravidade é igual a g. Desprezando a resistência do ar, pode-se afirmar que a energia mecânica (EM) da bola no instante em que a altura é igual a H/2, em relação ao solo, vale a) mg (H/2) b) (1/2)mV³£ + mg(H/2) c) (1/2)m (V³/2)£ + mg (H/2) d) (1/2)mV³£ + mgH Questão 283 Jean deixa cair uma bola de tênis de uma altura H medida a partir do solo, considerado como o nível zero de energia potencial gravitacional. Ao passar pelo ponto de altura h = H/4 sua energia cinética vale 12 J.

2.1.3.4

2.1.3.4 É correto afirmar que (01) a energia cinética total do cilindro no ponto 2 é 1/2 Mv£, onde v é a velocidade tangencial do cilindro no ponto 2. (02) a energia cinética total do cilindro, no ponto 2, é igual à energia potencial gravitacional MgLsenš. (04) se o cilindro deslizasse sem atrito no telhado, ao invés de rolar, a velocidade com que chegaria ao ponto 3 seria maior. (08) a velocidade com que o cilindro chega ao ponto 3 depende de sua massa. (16) se o cilindro deslizasse sem atrito no telhado, ao invés de rolar, a velocidade com que chegaria ao ponto 3 seria menor. Questão 281 Um atleta de esportes radicais, que pesa 800 N, pratica "bungee jumping" (salto com elástico), saltando de uma ponte a 40 m de altura. O elástico usado tem 16 metros de comprimento e constante elástica K. Partindo do repouso, o atleta cai, atingindo uma altura mínima de 8 m em relação ao solo. Determine o valor da constante elástica K do

Desprezando-se a resistência do ar, a energia potencial da bola, em joules, no ponto de altura H, vale a) 3,0. b) 12. c) 16. d) 48. Questão 284 Uma pedra de massa m é colocada para girar em um plano vertical, presa a um barbante de comprimento L. Considerando-se desprezível a resistência do ar, é INCORRETO afirmar que a(o) a) tensão no barbante é menor no ponto mais alto da trajetória. b) energia cinética da pedra é maior no ponto mais baixo da trajetória.
61

c) energia mecânica da pedra é maior no ponto mais baixo da trajetória. d) trabalho realizado sobre a pedra pela força-peso é nulo, ao final de uma volta. Questão 285 O gráfico mostra como varia, com o tempo, a energia potencial elástica de um corpo que oscila, preso a uma mola ideal, em uma superfície horizontal, sem atrito. O gráfico equivalente para a energia cinética será mais bem representado em

2.1.3.4

Um par de carrinhos idênticos, cada um com massa igual a 0,2 kg, move-se sem atrito, da esquerda para a direita, sobre um trilho de ar reto, longe e horizontal. Os carrinhos, que estão desacoplados um do outro, têm a mesma velocidade de 0,8 m/s em relação ao trilho. Em dado instante, o carrinho traseiro colide com um obstáculo que foi interposto entre os dois. Em conseqüência dessa colisão, o carrinho traseiro passa a se mover da direita para a esquerda, mas ainda com velocidade de módulo igual a 0,8 m/s, enquanto o movimento do carrinho dianteiro prossegue inalterado. Qual é o valor do quociente da energia cinética final pela energia cinética inicial do par de carrinhos, em relação ao trilho? a) 1/2. b) 1. c) 2. d) 4. e) 8. Questão 288 Em uma usina hidrelétrica, as águas do rio, na iminência de cair em forma de cachoeira, possuem energia .................... que os geradores da usina transformam em energia .................... . A alternativa que completa corretamente as lacunas anteriores é: a) cinética - elétrica b) potencial - elétrica c) térmica - elétrica d) interna - potencial e) potencial - interna Questão 289

Questão 286 Uma bola de tênis de massa m é solta, em queda livre, de um ponto P, a uma altura H em relação ao solo, como mostra a figura, tendo uma energia potencial Ep. Sendo V a velocidade da bola ao passar por um ponto X a uma altura H/2, é correto afirmar que, neste ponto, sua energia mecânica é

2.1.3.4

Melhor representa a energia cinética (Ec) da massa de um pêndulo, em função da sua energia potencial (Ep) gravitacional, o gráfico do item: Considere os atritos desprezíveis.

a) Ep b) Ep/2 c) (mV‚)/2 d) Ep + (mV‚)/2

2.1.3.4

62

Questão 290 A esquiadora de 50 kg de massa, desce uma montanha de 30° de inclinação e tem, no momento da foto, energia cinética igual a 1000 J. Desprezando o atrito e a resistência do ar, o espaço percorrido por ela, desse ponto até aquele no qual sua energia cinética dobrou, será:

2.1.3.4

2.1.3.4

Questão 293 Constantes físicas necessárias para a solução dos problemas: aceleração da gravidade: 10 m/s£ constante de Planck: 6,6 x 10−¤¥ J.s Uma bolinha de massa m = 200 g é largada do repouso de uma altura h, acima de uma mola ideal, de constante elástica k = 1240 N/m, que está fixada no piso (ver figura). Ela colide com a mola comprimindo-a por Ðx = 10 cm. Calcule, em metros, a altura inicial h. Despreze a resistência do ar.

(Adote g =10 m/s£) a) 4,0 m b) 8,0 m c) 40 m d) 80 m e) 800 m Questão 291 O texto abaixo refere-se às questões: ** a ** SE NECESSÁRIO, ADOTE g = 10 m/s£. Um projétil de 2 kg de massa é lançado obliquamente em relação a um plano horizontal, formando um ângulo de 45° com o mesmo, e gasta 10 s para atingir o ponto mais alto de sua trajetória. Determine: a) a energia cinética do projétil no instante do lançamento. b) a energia potencial no ponto mais alto da trajetória. Questão 292 O bloco de massa m, da figura, desliza sem atrito com velocidade mínima necessária para subir a rampa de altura h igual a 2,45m. Determine esta velocidade. (Despreze os atritos e considere g = 10 m/s£)

2.1.3.4

Questão 294 Uma bolinha de massa m é lançada, por uma mola horizontal de constante elástica k, em uma rampa lisa de ângulo de inclinação š com a horizontal que possui no topo uma curva de raio R, conforme figura adiante.

63

Questão 298 Nas antigas locomotivas queimava-se carvão para obter a energia necessária para movê-las. Antes de ser energia cinética da locomotiva, onde estava a energia? Que tipo de energia era? Questão 299 O Brasil utiliza o represamento das águas dos rios para a construção de usinas hidroelétricas na geração de energia elétrica. Porém, isso causa danos ao meio ambiente, como por exemplo: - imensa quantidade de madeira nobre submersa nas águas; - alteração do habitat da vida animal; - assoreamento dos leitos dos rios afluentes. Numa usina hidroelétrica existe uma transformação seqüencial de energia. Esta seqüência está indicada na alternativa a) cinética - potencial - elétrica; b) química - cinética - elétrica; c) cinética - elástica - elétrica; d) potencial - cinética - elétrica; e) potencial - química - elétrica. Questão 300 Um bloco de massa m = 100 g comprime uma mola de constante elástica k = 360 N/m, por uma distância x = 10,0 cm, como mostra a figura. Em um dado instante, esse bloco é liberado, vindo a colidir em seguida com um outro bloco de massa m‚ = 200 g, inicialmente em repouso. Despreze o atrito entre os blocos e o piso. Considerando a colisão perfeitamente inelástica, determine a velocidade final dos blocos, em m/s.

2.1.3.4

A bolinha move-se rente a uma parede lisa perpendicular à rampa e, ao fazer a curva, passa por P, que se encontra a uma altura H da base do plano, atingindo o ponto Q a uma distância D da vertical que passa por P. Nessas condições, calcule: a) A deformação da mola. b) A força que a parede exerce sobre a bolinha no ponto mais alto da trajetória. Questão 295 A água de um rio encontra-se a uma velocidade inicial V constante, quando despenca de uma altura de 80 m, convertendo toda a sua energia mecânica em calor. Este calor é integralmente absorvido pela água, resultando em um aumento de 1 K de sua temperatura. Considerando 1 cal ¸ 4 J, aceleração da gravidade g = 10 m/s£ e calor específico da água c = 1,0 calg−¢°C−¢, calcula-se que a velocidade inicial da água V é de a) 10Ë2 m/s. b) 20 m/s. c) 50 m/s. d) 10 Ë32 m/s. e) 80 m/s. Questão 296 Definindo numa só palavra, energia cinética é energia de_____________, enquanto que energia potencial é energia_______________. Questão 297 Dê um exemplo de uma situação em que a energia potencial elástica se transforma em energia cinética ou vice-versa.

2.1.5.5

64

Questão 301 Uma criança em um jardim de infância monta um brinquedo formado por duas pequenas bolinhas de massa de modelar, presas em linhas de mesmo comprimento, e com suas pontas presas em š, como mostra a figura. A criança então solta as bolinhas de forma tal que elas colidem, de forma perfeitamente inelástica, em R(ponto mais baixo da trajetória). Sabendo-se que mÛ=m½/2 e HÛ=2H½, qual dos pontos melhor representa o local onde as bolinhas irão parar pela primeira vez após o choque: a) F b) S c) R d) G e) L

2.2.5.1

a) Ep = 7000 J; h = 0,5 m. b) Ep = 29400 J; h = 2 m. c) Ep = 14700 J; h = 5 m. d) Ep = 7000 J; h = 14 m. e) Ep = 29400 J; h = 60 m. Questão 303 Adote: calor específico da água = 4 J/g°C A figura adiante esquematiza o arranjo utilizado em uma repetição da experiência de Joule. O calorímetro utilizado, com capacidade térmica de 1600 J/°C, continha 200 g de água a uma temperatura inicial de 22,00 °C. O corpo de massa M = 1,5 kg, é abandonado de uma altura de 8 m. O procedimento foi repetido 6 vezes até que a temperatura do conjunto água + calorímetro atingisse 22,20 °C. a) Calcule a quantidade de calor necessária para aumentar a temperatura do conjunto água + calorímetro. b) Do total da energia mecânica liberada nas 6 quedas do corpo, qual a fração utilizada para aquecer o conjunto?

2.1.8.4

Questão 302 A experiência de James P. Joule, determinou que é necessário transformar aproximadamente 4,2 J de energia mecânica para se obter 1 cal. Numa experiência similar, deixava-se cair um corpo de massa 50 kg, 30 vezes de uma certa altura. O corpo estava preso a uma corda, de tal maneira que, durante a sua queda, um sistema de pás era acionado, entrando em rotação e agitando 500 g de água contida num recipiente isolado termicamente. O corpo caia com velocidade praticamente constante. Constatava-se, através de um termômetro adaptado ao aparelho, uma elevação total na temperatura da água de 14 °C. Determine a energia potencial total perdida pelo corpo e de que altura estava caindo. Despreze os atritos nas polias, no eixo e no ar. Dados: calor específico da água: c = 1 cal/g °C g = 9,8 m/s£.

2.2.5.1

Questão 304 Um exaustor, ao descarregar grãos do porão de um navio, ergue-os até a uma altura de 10,0 m e depois lança-os com uma velocidade de 4,00 m/s. Se os grãos são descarregados à razão de 2,00 kg por segundo, conclui-se que, para realizar esta tarefa, o motor do exaustor deve ter uma potência mínima de (considere g = 10,0 m/s£) a) 1,96 × 10£ W.
65

b) 2,16 × 10£ W. c) 2,00 × 10£ W. d) 1,00 × 10£ W. e) 16 W. 2.1.3.3 Questão 305 Um carro recentemente lançado pela indústria brasileira tem aproximadamente 1500 kg e pode acelerar, do repouso até uma velocidade de 108 km/h, em 10 segundos. (fonte: "Revista Quatro Rodas", agosto/92). Adote 1 cavalo-vapor (CV) = 750 W. a) Qual o trabalho realizado nesta aceleração? b) Qual a potência do carro em CV? Questão 306 Um aluno simplesmente sentado numa sala de aula dissipa uma quantidade de energia equivalente à de uma lâmpada de 100 W. O valor energético da gordura é de 9,0 kcal/g. Para simplificar, adote 1 cal = 4,0 J. a) Qual o mínimo de quilocalorias que o aluno deve ingerir por dia para repor a energia dissipada? b) Quantos gramas de gordura um aluno queima durante uma hora de aula? Questão 307 Uma hidrelétrica gera 5,0.10ª W de potência elétrica utilizando-se de uma queda d'água de 100 m. Suponha que o gerador aproveita 100% da energia da queda d'água e que a represa coleta 20% de toda a chuva que cai em uma região de 400 000 km£. Considere que 1 ano tem 32.10§ segundos, g = 10 m/s£. a) Qual a vazão de água (m¤/s) necessária para fornecer os 5,0.10ª W? b) Quantos mm de chuva devem cair por ano nesta região para manter a hidrelétrica operando nos 5,0.10ª W? Questão 308 Uma empilhadeira elétrica transporta do chão até uma prateleira, a 6 m do chão, um pacote de 120 kg. O gráfico adiante ilustra a altura do pacote em função do tempo. A potência aplicada ao corpo pela empilhadeira é: a) 120 W b) 360 W c) 720 W d) 1200 W e) 2400 W

Questão 309 A casa de Dona Maria fica no alto de uma ladeira. O desnível entre sua casa e a rua que passa no pé da ladeira é de 20 metros. Dona Maria tem 60 kg e sobe a rua com velocidade constante. Quando ela sobe a ladeira trazendo sacolas de compras, sua velocidade é menor. E seu coração, quando ela chega à casa, está batendo mais rápido. Por esse motivo, quando as sacolas de compras estão pesadas, Dona Maria sobe a ladeira em ziguezague. O fato de Dona Maria subir a ladeira em ziguezague e com velocidade menor está diretamente associado à redução de: a) potência. b) aceleração. c) deslocamento. d) energia. e) trabalho. Questão 310 Um carro de corrida, com massa total m = 800 kg, parte do repouso e, com aceleração constante, atinge, após 15 segundos, a velocidade de 270 km/h (ou seja 75 m/s). A figura representa o velocímetro, que indica a velocidade instantânea do carro. Despreze as perdas por atrito e as energias cinéticas de rotação (como a das rodas do carro). Suponha que o movimento ocorre numa trajetória retilínea e horizontal. a) Qual a velocidade angular Ÿ do ponteiro do velocímetro durante a aceleração do carro? Indique a unidade usada. b) Qual o valor do módulo da aceleração do carro nesses 15 segundos? c) Qual o valor da componente horizontal da força que a pista aplica ao carro durante sua aceleração? d) Qual a potência fornecida pelo motor quando o carro está a 180 km/h?

66

Questão 314 Um motor, cuja potência nominal é de 6,0.10£ W, eleva um corpo de peso 6,0.10£ N até uma altura de 5,0 m, com velocidade constante de 0,5 m/s. Nessas condições, o rendimento do motor vale a) 0,90 b) 0,75 c) 0,60 d) 0,50 e) 0,25 Questão 315 Um motor de potência útil igual a 125 W, funcionando como elevador, eleva a 10 m de altura, com velocidade constante, um corpo de peso igual a 50 N, no tempo de a) 0,4 s b) 2,5 s c) 12,5 s d) 5,0 s e) 4,0 s Questão 316 Dois guindastes G e G‚ transportam a mesma carga de peso P até uma mesma altura H. O primeiro gasta 20 s nessa tarefa e o segundo, 30 s. Sendo “ e “‚ os trabalhos realizados e W e W‚ as potências desenvolvidas por G e G‚, respectivamente, é correto afirmar que a) “ = “‚ e W = W‚ b) “ = “‚ e 3W = 2W‚ c) “ = “‚ e 2W = 3W‚ d) 2“ = 3“‚ e W = W‚ e) 3“ = 2“‚ e W = W‚ Questão 317 A potência do motor de um veículo, movendo-se em trajetória retilínea horizontal, é dada por P = 2.000v, onde v é a velocidade. A equação horária do movimento é s = 20 + 10t. As grandezas envolvidas são medidas em watts, metros e segundos. Nessas condições a potência do motor é a) 4 x 10¥ W b) 2 x 10¤ W c) 10¤ W d) 4 x 10¦ W e) 2 x 10¥ W

2.1.3.3

Questão 311 Uma cama de hospital possui um sistema rosca-manivela para elevá-la. A manivela possui um braço de 0,20 m. Em 40,0 s uma enfermeira gira a manivela de 20 voltas completas, com velocidade angular constante, para elevar verticalmente um peso total de 320 N a uma altura de 0,50 m. Desprezando as perdas por atrito, determine: a) o trabalho realizado pela enfermeira; b) a potência desenvolvida pela enfermeira; c) a velocidade angular da manivela; d) o módulo da força exercida pela enfermeira na extremidade do braço da manivela, supondo-a constante. Questão 312 Uma roda d'água converte em eletricidade, com uma eficiência de 30%, a energia de 200 litros de água por segundo caindo de uma altura de 5,0 metros. A eletricidade gerada é utilizada para esquentar 50 litros de água de 15 °C a 65 °C. O tempo aproximado que leva a água para esquentar até a temperatura desejada é: a) 15 minutos b) meia hora c) uma hora d) uma hora e meia e) duas horas Questão 313 Certa máquina M eleva verticalmente um corpo de massa m = 1,0 kg a 20,0 m de altura em 10,0 s, em movimento uniforme. Outra máquina M‚ acelera em uma superfície horizontal, sem atrito, um corpo de massa m‚ = 3,0 kg, desde o repouso até a velocidade de 10,0 m/s, em 2,0 s. a) De quanto foi o trabalho realizado por cada uma das máquinas? b) Qual a potência média desenvolvida por cada máquina?

67

Questão 318 A figura a seguir representa um motor elétrico M que eleva um bloco de massa 20 kg com velocidade constante de 2 m/s. A resistência do ar é desprezível e o fio que sustenta o bloco é ideal. Nessa operação, o motor apresenta um rendimento de 80%. Considerando o módulo da aceleração da gravidade como sendo g = 10 m/s£, a potência dissipada por este motor tem valor:

Questão 324 Um halterofilista levanta 200 kg até uma altura de 2,0 m em 1,0 s. a) Qual a potência desenvolvida pelo halterofilista? b) Se a energia consumida neste movimento fosse utilizada para aquecer 50 litros de água inicialmente a 20 °C, qual seria a temperatura final da água? (Use a aproximação 1 cal = 4,0 J.) Questão 325 Um corpo de massa 1000 kg sofreu, num intervalo de 10 s, um deslocamento de 200 m devido à ação exclusiva de uma força constante, "aplicada" paralelamente à trajetória, por um motor de potência nominal 100 HP. Se nesse deslocamento o módulo da aceleração do corpo foi de 3,00 m/s£, então o rendimento do motor nessa operação foi: Dado: 1 HP ¸ 0,75 kW a) 33,3 % b) 40 % c) 66,7 % d) 80 % e) 83,3 % Questão 326 Um automóvel com massa de 1000 kg percorre, com velocidade constante v = 20 m/s (ou 72 km/h), uma estrada (ver figura) com dois trechos horizontais (1 e 3), um em subida (2) e um em descida (4). Nos trechos horizontais o motor do automóvel desenvolve uma potência de 30k W para vencer a resistência do ar, que pode ser considerada constante ao longo de todo o trajeto percorrido. Suponha que não há outras perdas por atrito. Use g = 10 m/s£. São dados: sen ‘ = 0,10 e sen ’ = 0,15. Determine: a) o valor, em newtons, da componente paralela a cada trecho da estrada das forças F, F‚, e F„, aplicadas pela estrada ao automóvel nos trechos 1, 2 e 4, respectivamente. b) o valor, em kW, da potência P‚ que o motor desenvolve no trecho 2.

2.1.3.3

a) 500 W b) 400 W c) 300 W d) 200 W e) 100 W Questão 319 Uma máquina realiza o trabalho de 1000 J em 20 s. Qual a potência dessa máquina em HP, sabendo-se que 1 HP = 746 W? Questão 320 Qual a unidade sistema internacional para potência? Questão 321 Qual é a unidade representada pelo símbolo W? Questão 322 Uma força de 20 N desloca, na mesma direção e sentido da força, um corpo de 4 kg, em uma distância de 10 m. O fenômeno todo ocorre em 5 segundos. Qual o módulo da potência realizada pela força? Questão 323 Uma força de 20 N desloca, na mesma direção e sentido da força, um corpo de 4 kg, em uma distância de 10 m. O fenômeno todo desenvolve a potência de 40 W. Qual o tempo necessário para que o fenômeno ocorra?

68

2.1.3.3

2.1.3.3

Questão 327 Um chuveiro elétrico tem um seletor que lhe permite fornecer duas potências distintas: na posição "verão" o chuveiro fornece 2700W, na posição "inverno " fornece 4800W. José, o dono deste chuveiro, usa-o diariamente na posição "inverno", durante 20minutos. Surpreso com o alto valor de sua conta de luz, José resolve usar o chuveiro com o seletor sempre na posição "verão", pelos mesmos 20 minutos diários. Supondo-se que o preço do quilowatt-hora seja de R$0,20, isto representará uma economia diária, em reais, de: a) 0,14 b) 0,20 c) 1,40 d) 2,00 e) 20,00 Questão 328 Um satélite de telecomunicações em órbita em torno da Terra utiliza o Sol como fonte de energia elétrica. A luz solar incide sobre seus 10m£ de painéis fotovoltaicos com uma intensidade de 1300 W/m£ e é transformada em energia elétrica com a eficiência de 12%. a) Qual é a energia (em kWh) gerada em 5 horas de exposição ao Sol? b) O gráfico a seguir representa a corrente utilizada para carregar as baterias do satélite em função do tempo de exposição dos módulos fotovoltaicos ao Sol. Qual é a carga das baterias em Ah (1 Ah=3600C) após 5 horas de exposição dos módulos ao Sol?

Questão 329 Um operário ergue, do chão até uma prateleira a 2,0m de altura, uma saca de soja de massa 60kg, gastando 2,5s na operação. A potência média dispendida pelo operário, em watts, é, no mínimo, Dados: g = 10m/s£ a) 2,4.10£ b) 2,9.10£ c) 3,5.10£ d) 4,8.10£ e) 6,0.10£ Questão 330 Um bloco maciço requer uma potência P para ser empurrado, com uma velocidade constante, para subir uma rampa inclinada de um ângulo š em relação à horizontal. O mesmo bloco requer uma potência Q quando empurrado com a mesma velocidade em uma região plana de mesmo coeficiente de atrito. Supondo que a única fonte de dissipação seja o atrito entre o bloco e a superfície, conclui-se que o coeficiente de atrito entre o bloco e a superfície é: a) Q/P. b) Q/(P-Q). c) Qsenš/(P-Q). d) Q/(P-Qcosš). e) Qsenš/(P-Qcosš). Questão 331 Um guindaste ergue um fardo, de peso 1,0.10¤N, do chão até 4,0m de altura, em 8,0s. A potência média do motor do guindaste, nessa operação, em watts, vale a) 1,0 . 10£ b) 2,0 . 10£ c) 2,5 . 10£ d) 5,0 . 10£ e) 2,0 . 10¤
69

Questão 332 A eficiência de uma usina, do tipo da representada na figura, é da ordem de 0,9, ou seja, 90% da energia da água no início do processo se transforma em energia elétrica. A usina Ji-Paraná, do Estado de Rondônia, tem potência instalada de 512 milhões de watts, e a barragem tem altura de aproximadamente 120m. A vazão do Rio Ji-Paraná, em litros de água por segundo, deve ser da ordem de: a) 50 b) 500 c) 5.000 d) 50.000 e) 500.000

a) a força de atração da Terra sobre o haltere b) a variação da energia mecânica do haltere c) a variação da energia potencial gravitacional do haltere d) o trabalho realizado sobre o haltere e) a potência gasta pelo halterofilista Questão 335 Em uma instalação de aquecimento solar residencial, a energia solar passa ao coletor e aquece a água nos tubos. Para uma instalação deste tipo, cuja eficiência total é de 40%, calcule o tempo necessário, em horas, para que seja coletada a energia necessária para atender as necessidades de um família que consome 10kWh por dia de energia, a qual deverá ser provida exclusivamente pela instalação de aquecimento solar. A instalação conta com uma área de coleta de 10m£ e a taxa de incidência do Sol, no local, vale 500W/m£. Questão 336 Uma usina hidrelétrica gera eletricidade a partir da transformação de energia potencial mecânica em energia elétrica. A usina de Itaipu, responsável pela geração de 25% da energia elétrica utilizada no Brasil, é formada por 18 unidades geradoras. Nelas, a água desce por um duto sob a ação da gravidade, fazendo girar a turbina e o gerador, como indicado na figura a seguir. Pela tubulação de cada unidade passam 700 m¤/s de água. O processo de geração tem uma eficiência de 77%, ou seja, nem toda a energia potencial mecânica é transformada em energia elétrica. Considere a densidade da água 1000kg/m¤ e g = 10m/s£.

2.1.3.3

Questão 333

De janeiro a março de 1999, observou-se, no Distrito Federal, uma precipitação média diária de chuvas equivalente a 4,5mm. Isso significa que, para cada área de 1m£, acumulou-se uma lâmina de água com altura de 4,5mm, a cada dia. Considerando que toda a água da chuva foi resultante da condensação de nuvens que estavam a uma altura de 1km do solo, que a área do Distrito Federal seja de 5.800km£ (5,8×10ªm£) e que toda a energia potencial 2.1.3.3 gravitacional dessas nuvens fosse transformada em energia elétrica para fazer funcionar diversas lâmpadas, calcule, em milhões, a quantidade de lâmpadas de 100W que poderiam funcionar, durante 24h, no mesmo período em que ocorreu a precipitação pluviométrica observada. Para isso, considere a aceleração da gravidade igual a 10m/s£ e a densidade da água igual a 10¤kg/m¤ e despreze a parte a) Qual a potência gerada em cada unidade da usina se a fracionária de seu resultado, caso exista. altura da coluna d'água for H = 130 m? Qual a potência total gerada na usina? Questão 334 Um halterofilista levanta um haltere de 20kg, do chão até uma altura de 1,5m em 5,0s. No dia seguinte, ele realiza o mesmo exercício em 10s. No segundo dia, a grandeza física que certamente mudou foi:

b) Uma cidade como Campinas consome 6 × 10ª Wh por dia. Para quantas cidades como Campinas, Itaipu é capaz de suprir energia elétrica? Ignore as perdas na distribuição.

70

Questão 337 A MÁQUINA A VAPOR: UM NOVO MUNDO, UMA NOVA CIÊNCIA. 1 As primeiras utilizações do carvão mineral verificaram-se esporadicamente até o século Xl; ainda que não fosse sistemática, sua exploração ao longo dos séculos levou ao esgotamento das jazidas superficiais (e também a fenômenos de poluição atmosférica, lamentados já no século XIII). A necessidade de se explorarem jazidas mais ¢profundas levou logo, já no século XVII, a uma dificuldade: £a de ter que se esgotar a água das galerias profundas. O esgotamento era feito ou à força do braço humano ou mediante uma roda, movida ou por animais ou por queda-d'água. Nem sempre se dispunha de uma queda-d'água próxima ao poço da mina, e o uso de cavalos para este trabalho era muito dispendioso, ou melhor, ia contra um princípio que não estava ainda formulado de modo explícito, mas que era coerentemente adotado na maior parte das decisões produtivas: o princípio de se empregar energia não-alimentar para obter energia alimentar, evitando fazer o contrário. O cavalo é uma fonte de energia melhor do que o boi, dado que sua força é muito maior, mas são maiores também suas exigências alimentares: não se contenta com a celulose - resíduo da alimentação humana -, mas necessita de aveia e trevos, ou seja, cereais e leguminosas; compete, pois, com o homem, se se considera que a área cultivada para alimentar o cavalo é subtraída da cultivada para a alimentação humana; pode-se dizer, portanto, que utilizar o cavalo para extrair carvão é um modo de utilizar energia alimentar para obter energia não-alimentar. Daí a não-economicidade de sua utilização, de modo que muitas jazidas de carvão que não dispunham de uma queda d'água nas proximidades só puderam ser exploradas na superfície. Ainda hoje existe um certo perigo de se utilizar energia alimentar para se obter energia não-alimentar: num mundo que conta com um bilhão de desnutridos, há quem pense em colocar álcool em motores de automóveis. Esta será uma solução "econômica" somente se os miseráveis continuarem miseráveis. 2 Até a invenção da máquina a vapor, no fim do século XVII, o carvão vinha sendo utilizado para fornecer o calor necessário ao aquecimento de habitações e a determinados processos, como o trato do malte para preparação da cerveja, a forja e a fundição de metais. Já o trabalho mecânico, isto é, o deslocamento de massas, era obtido diretamente de um outro trabalho mecânico: do movimento de uma roda d'água ou das pás de um moinho a vento.

3 A altura a que se pode elevar uma massa depende, num moinho a água, de duas grandezas: o volume d'água e a altura de queda. Uma queda d'água de cinco metros de altura produz o mesmo efeito quer se verifique entre 100 e 95 metros de altitude, quer se verifique entre 20 e 15 metros. As primeiras considerações sobre máquinas térmicas partiram da hipótese de que ocorresse com elas um fenômeno análogo, ou seja, que o trabalho mecânico obtido de uma máquina a vapor dependesse exclusivamente da diferença de temperatura entre o "corpo quente" (a caldeira) e o "corpo frio" (o condensador). Somente mais tarde o estudo da termodinâmica demonstrou que tal analogia com a mecânica não se verifica: nas máquinas térmicas, importa não só a diferença de temperatura, mas também o seu nível; um salto térmico entre 50 °C e 0 °C possibilita obter um trabalho maior do que o que se pode obter com um salto térmico entre 100 °C e 50 °C. Esta observação foi talvez o primeiro indício de que aqui se achava um mundo novo, que não se podia explorar com os instrumentos conceituais tradicionais. 4 O mundo que então se abria à ciência era marcado pela novidade prenhe de conseqüências teóricas: as máquinas térmicas, dado que obtinham movimento a partir do calor, exigiam que se considerasse um fator de conversão entre energia térmica e trabalho mecânico. Aí, ao estudar a relação entre essas duas grandezas, a ciência defrontou-se não só com um princípio de conservação, que se esperava determinar, mas também com um princípio oposto. De fato, a energia é "qualquer coisa" que torna possível produzir trabalho - e que pode ser fornecida pelo calor, numa máquina térmica, ou pela queda d'água, numa roda/turbina hidráulica, ou pelo trigo ou pela forragem, se são o homem e o cavalo a trabalhar - a energia se conserva, tanto quanto se conserva a matéria. Mas, a cada vez que a energia se transforma, embora não se altere sua quantidade, reduz-se sua capacidade de produzir trabalho útil. A descoberta foi traumática: descortinava um universo privado de circularidade e de simetria, destinado à degradação e à morte. 5 Aplicada à tecnologia da mineração, a máquina térmica provocou um efeito de feedback positivo: o consumo de carvão aumentava a disponibilidade de carvão. Que estranho contraste! Enquanto o segundo princípio da termodinâmica colocava os cientistas frente à irreversibilidade, à morte, à degradação, ao limite intransponível, no mesmo período histórico e graças à mesma máquina, a humanidade se achava em presença de um "milagre". Vejamos como se opera este "milagre": pode-se dizer que a invenção da máquina a vapor nasceu da necessidade de exploração das jazidas profundas de carvão

71

mineral; o acesso às grandes quantidades de carvão mineral permitiu, juntamente com um paralelo avanço tecnológico da siderurgia - este baseado na utilização do coque (de carvão mineral) - que se construíssem máquinas cada vez mais adaptáveis a altas pressões de vapor. Era mais carvão para produzir metais, eram mais metais para explorar carvão. Este imponente processo de desenvolvimento parecia trazer em si uma fatalidade definitiva, como se, uma vez posta a caminho, a tecnologia gerasse por si mesma tecnologias mais sofisticadas e as máquinas gerassem por si mesmas máquinas mais potentes. Uma embriaguez, um sonho louco, do qual só há dez anos começamos a despertar. 6 "Mais carvão se consome, mais há à disposição". Sob esta aparência inebriante ocultava-se o processo de decréscimo da produtividade energética do carvão: a extração de uma tonelada de carvão no século XIX requeria, em média, mais energia do que havia requerido uma tonelada de carvão extraída no século XVIII, e esta requerera mais energia do que uma tonelada de carvão extraída no século XVII. Era como se a energia que se podia obter da queima de uma tonelada de carvão fosse continuamente diminuindo. 7 Começava a revelar-se uma nova lei histórica, a lei da produtividade decrescente dos recursos não-renováveis; mas os homens ainda não estavam aptos a reconhecê-la. (Laura Conti. "Questo pianeta", Cap.10. Roma: Editori Riuniti, 1983. Traduzido e adaptado por Ayde e Veiga Lopes) Deseja-se projetar uma pequena usina hidrelétrica utilizando a água de um córrego cuja vazão é de 1,0m¤/s, em queda vertical de 8,0m. Adotando g = 10m/s£ e dágua=1,0.10¤kg/m¤, a máxima potência estimada seria, em watts, de a) 8,0 . 10¥ b) 1,6 . 10¥ c) 8,0 . 10¤ d) 1,6 . 10¤ e) 8,0 . 10£ Questão 338 Maremotos, também conhecidos como "Tsunamis", são uma série de ondas gigantescas produzidas geralmente por um deslocamento vertical da coluna d'água devido a deslizamentos na superfície da Terra provocados por terremotos. Nesses casos, o fundo do mar pode mover-se verticalmente por vários metros, colocando em movimento oscilatório uma enorme quantidade de água, como ilustra a figura a seguir. Nas águas oceânicas, essas ondas propagam-se a uma velocidade de mais de 800km/h, e a

enorme quantidade de energia e de momento que carregam pode levá-las a milhares de quilômetros de distância. Curiosamente, um barco no meio do oceano dificilmente notará a passagem de um Tsunami, pois ele eleva muito pouco o nível do mar. Entretanto, diferentemente das ondas comuns produzidas pela ação dos ventos, em que praticamente só a superfície da água é colocada em movimento, no Tsunami, toda a coluna de água se move. Ao chegar à praia, a velocidade das ondas decresce para poucos quilômetros por hora e, assim, essa grande freada acaba por empilhar uma enorme quantidade de água, resultando em ondas que podem chegar a 30m de altura. Para estimar a quantidade de energia liberada em um "Tsunami", considere que tenham ocorrido duas falhas geológicas em uma região abissal, onde a coluna de água é de 5.000m. Por simplicidade, admita que as falhas geológicas sejam responsáveis pelo afundamento abrupto de parte do assoalho oceânico, no formato de um paralelepípedo com 10km de extensão, 1km de largura e 20m de profundidade, como ilustrado na figura a seguir. Considerando que a capacidade de geração de energia elétrica na usina de Itaipu seja de 12GW, que a densidade da água seja igual a 1.000 kg/m¤ e que a aceleração da gravidade seja igual a 9,8m/s£, calcule, em dias, o tempo mínimo de funcionamento ininterrupto da usina necessário para produzir uma quantidade de energia elétrica igual à quantidade de energia liberada no fenômeno geológico descrito. Despreze a parte fracionária de seu resultado, caso exista.

2.1.3.3

Questão 339 Um veículo de massa 1500kg gasta uma quantidade de combustível equivalente a 7,5. 10§J para subir um morro de 100m e chegar até o topo. O rendimento do motor do veículo para essa subida será de: a) 75% b) 40% c) 60% d) 50% e) 20%
72

Questão 340 Um cata-vento utiliza a energia cinética do vento para acionar um gerador elétrico. Para determinar essa energia cinética deve-se calcular a massa de ar contida em um cilindro de diâmetro D e comprimento L, deslocando-se com a velocidade do vento V e passando pelo cata-vento em t segundos. Veja a figura a seguir. A densidade do ar é 1,2 kg/m¤, D=4,0 m e V=10m/s. Aproxime ™ ¸ 3.

Supondo desprezíveis as perdas por atrito, determine: a) A potência P, em watts, que a senhora cede ao sistema da escada rolante, enquanto permanece na escada. b) O número N de degraus que o jovem de fato subiu para ir do 1Ž ao 2Ž andar, considerando que cada degrau mede 20cm de altura. c) O trabalho T, em joules, realizado pelo jovem, para ir do 1Ž ao 2Ž andar, na situação descrita. Questão 342 2.1.3.3 Avalia-se que uma pessoa sentada, estudando e escrevendo, consome em média 1,5 quilocalorias por minuto (1,0quilocaloria=4000 joules). Nessas condições, pode-se afirmar que a potência dissipada pelo seu organismo, agora, resolvendo esta prova, equivale, aproximadamente, à potência de a) um relógio digital, de pulso. b) uma lâmpada miniatura, de lanterna. c) uma lâmpada incandescente comum. d) um ferro elétrico. e) um chuveiro elétrico. Questão 343 No edifício onde mora uma família, deseja-se instalar uma bomba hidráulica capaz de elevar 500 litros de água até uma caixa-d'água vazia, situada a 20 m de altura acima desta bomba, em 1 minuto e 40 segundos. Esta caixa-d'água tem a forma de um paralelepípedo cuja base mede 2 m£. O rendimento de um sistema hidráulico é definido pela razão entre o trabalho fornecido a ele e o trabalho por ele realizado. Espera-se que o rendimento mínimo desse sistema seja de 50%. Calcule: a) a potência mínima, em HP, que deverá ter o motor dessa bomba; b) a pressão, em N/m£, que os 500 litros de água exercerão sobre o fundo da caixa-d'água. Dado: 1 HP = 750 W Questão 344 "Era uma vez um povo que morava numa montanha onde havia muitas quedas d'água. O trabalho era árduo e o grão era moído em pilões. [...] Um dia, quando um jovem suava
73

a) Determine a vazão da massa de ar em kg/s que passa pelo cata-vento. b) Admitindo que este cata-vento converte 25% da energia cinética do vento em energia elétrica, qual é a potência elétrica gerada? Questão 341 Um jovem sobe correndo, com velocidade constante, do primeiro ao segundo andar de um "shopping", por uma larga escada rolante de descida, ou seja, sobe "na contramão". No instante em que ele começa a subir, uma senhora, que está no segundo andar, toma a mesma escada para descer normalmente, mantendo-se sempre no mesmo degrau. Ambos permanecem sobre essa escada durante 30s, até que a senhora, de massa Ms = 60kg, desça no primeiro andar e o rapaz, de massa Mj = 80kg, chegue ao segundo andar, situado 7,0m acima do primeiro.

2.1.3.3

ao pilão, seus olhos bateram na queda-d'água onde se banhava diariamente. [...] Conhecia a força da água, mais poderosa que o braço de muitos homens. [...] Uma faísca lhe iluminou a mente: não seria possível domesticá-la, ligando-a ao pilão?" (Rubem Alves, "Filosofia da Ciência": Introdução ao Jogo e suas Regras, São Paulo, Brasiliense, 1987.) Essa história ilustra a invenção do pilão d'água (monjolo). Podemos comparar o trabalho realizado por um monjolo de massa igual a 30 kg com aquele realizado por um pilão manual de massa igual a 5,0 kg. Nessa comparação desconsidere as perdas e considere g = 10m/s£. a) Um trabalhador ergue o pilão manual e deixa-o cair de uma altura de 60 cm. Qual o trabalho realizado em cada batida? b) O monjolo cai sobre grãos de uma altura de 2m. O pilão manual é batido a cada 2,0 s, e o monjolo, a cada 4,0 s. Quantas pessoas seriam necessárias para realizar com o pilão manual o mesmo trabalho que o monjolo, no mesmo intervalo de tempo? Questão 345 No início da Revolução Industrial, foram construídas as primeiras máquinas a vapor para bombear água do interior das minas de carvão. A primeira máquina operacional foi construída na Inglaterra por Thomas Newcomen em 1712. Essa máquina fornece uma potência útil de 4,0×10¤W utilizando o próprio carvão das minas como combustível. A queima de 1 kg de carvão fornece 3,0×10¨J de energia. a) A potência útil da máquina de Newcomen correspondia a somente 1% da potência recebida da queima de carvão. Calcule, em kg, o consumo de carvão dessa máquina em 24h de funcionamento. b) Poderia a máquina de Newcomen alimentar uma casa com dois chuveiros elétricos ligados simultaneamente, caso sua potência útil pudesse ser convertida, na íntegra, em potência elétrica? Considere que em um chuveiro a corrente elétrica é de 30 A e sua resistência é de 4,0 ². Questão 346 Um jovem, preocupado em economizar energia elétrica em sua residência, quer determinar qual o consumo relativo à utilização, durante o mês, da máquina de lavar roupa. Percebeu, então, que os ciclos de lavagem duram 30 minutos e que a máquina é utilizada durante 12 dias no mês

(30 dias). Sabendo que o manual do fabricante informa que essa máquina tem potência de 450W, qual foi o consumo encontrado, em kWh? a) 2 b) 2,7 c) 5,4 d) 20 e) 27 Questão 347 Um força constante age sobre um objeto de 5,0kg e eleva a sua velocidade de 3,0m/s para 7,0m/s em um intervalo de tempo de 4,0s. Qual a potência devido à força? a) 29,8 W b) 11,1 W c) 25,0 W d) 36,1 W e) 40,0 W Questão 348 A força de atrito viscoso sobre um determinando barco é diretamente proporcional à sua velocidade em relação à água. Sob outro aspecto, a potência desenvolvida pela força motriz para deslocar o barco numa dada velocidade e em movimento retilíneo pode ser calculada pelo produto entre os módulos da força e da velocidade. Verifica-se que, para deslocar o barco com velocidade constante de módulo 12km/h, é necessária potência motriz de 6,0 kwatts (kW). Para deslocar o mesmo barco com velocidade constante de módulo 24km/h, será necessária potência motriz de a) 24 kW b) 18 kW c) 16 kW d) 14 kW e) 10 kW Questão 349 A potência útil de um motor varia, em função do tempo, segundo o gráfico:

74

2.1.3.3

trabalho mecânico a partir de energia dos combustíveis. Outras máquinas, como o fogão, usam a energia dos combustíveis somente para aquecimento de materiais. Se um fogão libera calor com uma potência de 2100watts, a quantidade de calorias que ele libera por segundo é Dado: 1,0 cal = 4,2 J a) 250 b) 500 c) 1 050 d) 4 200 e) 8 800 Questão 353 O gráfico mostra como varia a potência elétrica fornecida a uma pequena cidade durante o intervalo de tempo que vai de 12 horas (meio-dia) até 20 horas (8 horas da noite). Sejam: E a energia elétrica fornecida entre 12 horas e 17 horas, e E‚ a energia elétrica fornecida entre 17 horas e 20 horas. A razão E/E‚ é: a) 1,0 b) 1,2 c) 1,5 d) 1,8 e) 2,0

energia mecânica fornecida por esse motor, no intervalo de tempo de 0 a 50s vale, em joules, a) 8,0. 10£ b) 1,6. 10¤ c) 2,4. 10¤ d) 1,6. 10¥ e) 2,4 .10¥ Questão 350 As contas de energia elétrica mostram que 1 kWh custa aproximadamente R$ 0,24. Qual é a ordem de grandeza do custo, em reais, de 1 joule? a) 10−¥ b) 10−¦ c) 10−§ d) 10−¨ e) 10−© Questão 351 A usina nuclear de Angra II foi projetada para gerar, aproximadamente, uma potência elétrica máxima de 1300 MW a cada segundo. Admitindo-se que toda a energia elétrica produzida será efetivamente empregada em abastecimento domiciliar e que uma família média consome 200 kWh por mês, quantas famílias poderão ser beneficiadas com a energia produzida em Angra II? Considere 1MW = 1,0 × 10§ W a) 6,5 milhões; b) 1,2 milhões; c) 5,9 milhões; d) 1,5 milhões; e) 4,7 milhões. Questão 352 A unidade de potência watt é uma homenagem ao engenheiro escocês James Watt cujo nome também é lembrado em relação à máquina a vapor. Ela realiza

2.1.3.3

Questão 354 Uma fábrica de produtos metalúrgicos do Distrito Industrial de Fortaleza consome, por mês, cerca de 2,0×10§ kWh de energia elétrica (1kWh=3,6×10§ J). Suponha que essa fábrica possui uma usina capaz de converter diretamente massa em energia elétrica, de acordo com a relação de Einstein, E = m³c£. Nesse caso, a massa necessária para suprir a energia requerida pela fábrica, durante um mês, é, em gramas: a) 0,08 b) 0,8 c) 8
75

d) 80 e) 800 Questão 355 Suponha que você mora em uma casa que precisa de uma potência elétrica igual a 3,0 kW. Você tem um conversor que transforma energia solar em energia elétrica com uma eficiência de 10%. A energia solar que incide sobre sua casa, por unidade de tempo e por unidade de área, é 200W/m£. Qual deve ser a menor área da superfície do coletor solar necessário para atender sua casa? Questão 356 Para chegar ao segundo andar de sua escola, André pode subir por uma escada ou por uma rampa. Se subir pela escada, com velocidade constante, ele demora 10s; no entanto, se for pela rampa, com a mesma velocidade, leva 15s. Sejam W(E) o trabalho realizado e P(E) a potência média desenvolvida por André para ir ao segundo andar pela escada. Indo pela rampa, esses valores são, respectivamente, W(R) e P(R). Despreze perdas de energia por atrito. Com base nessas informações, é CORRETO afirmar que a) W(E) · W(R) e P(E) < P(R). b) W(E) · W(R) e P(E) > P(R). c) W(E) = W(R) e P(E) < P(R). d) W(E) = W(R) e P(E) > P(R). Questão 357 Um corpo que voa tem seu peso P equilibrado por uma força de sustentação atuando sobre a superfície de área A das suas asas. Para vôos em baixa altitude esta força pode ser calculada pela expressão P/A = 0,37 V£ onde V é uma velocidade de vôo típica deste corpo. A relação P/A para um avião de passageiros é igual a 7200 N/m£ e a distância b entre as pontas das asas (envergadura) é de 60 m. Admita que a razão entre as grandezas P/A e b é aproximadamente a mesma para pássaros e aviões. 2.1.3.3

a) Estime a envergadura de um pardal. b) Calcule a sua velocidade de vôo. c) Em um experimento verificou-se que o esforço muscular de um pássaro para voar a 10 m/s acarretava um consumo de energia de 3,2 J/s. Considerando que 25% deste consumo é efetivamente convertido em potência mecânica, calcule a força de resistência oferecida pelo ar durante este vôo. Questão 358 Algumas técnicas usadas para determinar a absorção óptica de um gás baseiam-se no fato de que a energia luminosa absorvida é transformada em energia térmica, elevando assim a temperatura do gás que está sendo investigado. Um feixe de luz laser atravessa uma câmara fechada contendo um gás a pressão atmosférica (10¦ Pa) e temperatura ambiente (300 K). A câmara tem volume constante e a potência do laser é 5 x 10−£ W, sendo que 1% da energia incidente é absorvida ao atravessar o gás. a) Calcule a energia absorvida pelo gás na passagem de um pulso do feixe de luz laser que dura 2 x 10−¤ s. b) Sendo a capacidade térmica do gás igual a 2,5 x 10−£ J/K, qual é a elevação de temperatura do mesmo gás, causada pela absorção do pulso luminoso? c) Calcule o aumento de pressão produzido no gás devido à passagem de um pulso. Se esse pulso é repetido a uma freqüência de 100 Hz, em que região do gráfico adiante, que representa os níveis sonoros da audição humana em função da freqüência, situa-se o experimento?

76

Questão 362 Um barco, equipado com um motor de popa cuja potência é 25 HP, desloca-se com velocidade relativa à velocidade do rio que é de 36 km/h. Sabendo que 1 HP vale aproximadamente 745 W, qual o módulo da força exercida no barco, em N? a) 25/36 b) 25/36 (745) c) 2,5 (745) d) 2,5 e) 36/25 (745) Questão 363 De acordo com publicação médica especializada, uma pessoa caminhando à velocidade constante de 3,2km/h numa pista plana horizontal consome, em média, 240 kcal em uma hora. Adotando 1,0 kcal = 4200 J, pode-se afirmar que a potência desenvolvida pelo organismo e a força motriz exercida pelo solo, por meio do atrito, sobre os pés dessa pessoa valem, em média, aproximadamente, a) 280 W e 0 N. b) 280 W e 315 N. c) 1400 W e 175 N. d) 1400 W e 300 N. e) 2000 W e 300 N. Questão 364 Nos manuais de automóveis, a caracterização dos motores é feita em CV (cavalo-vapor). Essa unidade, proposta no tempo das primeiras máquinas a vapor, correspondia à capacidade de um cavalo típico, que conseguia erguer, na vertical, com auxílio de uma roldana, um bloco de 75 kg, à velocidade de 1 m/s. Para subir uma ladeira, inclinada como na figura, um carro de 1000 kg, mantendo uma velocidade constante de 15 m/s (54 km/h), desenvolve uma potência útil que, em CV, é, aproximadamente, de

2.1.3.3

Questão 359 Um elevador é puxado para cima por cabos de aço com velocidade constante de 0,5 m/s. A potência mecânica transmitida pelos cabos é de 23 kW. Qual a força exercida pelos cabos? a) 5,7 × 10¥ N b) 4,6 × 10¥ N c) 3,2 × 10¥ N d) 1,5 × 10¥ N e) 1,2 × 10¥ N Questão 360 Um lampião a gasolina emite 25W de potência luminosa. Considerando a eficiência da conversão de energia química em luz do lampião igual a 20%, o poder calorífico da gasolina igual a 4,5 x 10¥ J/g e 1 kWh igual a 3,6 x 10§ joules, a quantidade de gasolina que o lampião consome em 10 horas é: a) 4 g b) 100 g c) 400 g d) 20 g e) 2000 g Questão 361 Uma carreta de 10 toneladas, ao subir uma rampa com velocidade constante, se eleva de 15 m na vertical ao percorrer 100 m em 20 s. A resultante das forças de resistência (atrito e resistência do ar) que agem sobre a carreta equivale a 3% de seu peso. Adotando g = 10 m/s£, a potência da força exercida pelo motor é de: a) 70 kW b) 90 kW c) 120 kW d) 150 kW e) 200 kW

2.1.3.3

77

a) 20 CV b) 40 CV c) 50 CV d) 100 CV e) 150 CV Questão 365 A potência hídrica média teórica da hidroelétrica de Tucuruí, localizada no Pará, é de 4,4 . 10§ kW (fonte: site oficial da usina). Admita que a água , ao se precipitar do alto da queda d'água, apresente velocidade vertical inicialmente nula e que interaja com o gerador, ao final de um desnível de 1,1 . 10£ m. Supondo que o gerador aproveite 100% da energia da queda d'água, qual é a vazão da água necessária, em m¤/s, para fornecer essa potência? Dado: densidade da água = 1,0 .10¤ kg/m¤. a) 1,1 . 10¤ b) 2,0 . 10¤ c) 4,0 . 10¤ d) 4,4 . 10¤ e) 5,2 . 10¤ Questão 366 Um painel coletor de energia solar para aquecimento residencial de água, com 50% de eficiência, tem superfície coletora com área útil de 10 m£ . A água circula em tubos fixados sob a superfície coletora. Suponha que a intensidade da energia solar incidente é de 1,0 × 10¤ W/m£ e que a vazão de suprimento de água aquecida é de 6,0 litros por minuto. Assinale a opção que indica a variação da temperatura da água. a) 12°C b) 10°C c) 1,2°C d) 1,0°C e) 0,10°C

d) 25% e) 15% Questão 368 Leia a informação a seguir. A construção de usinas geradoras de eletricidade causa impacto para o meio ambiente, mas pode proporcionar uma melhor qualidade de vida, trazendo conforto em residências. Observe a figura:

2.1.3.3

ssa figura representa a potência em W consumida numa residência alimentada por uma tensão de 220V ao longo de um dia. A energia consumida no período de maior consumo, em kWh, é de: a) 5 b) 10 c) 50 d) 100 e) 440 Questão 369

Em um apartamento, há um chuveiro elétrico que dissipa 6000W de potência quando usado com o seletor de temperatura na posição inverno e 4000W quando usado Questão 367 com o seletor de temperatura na posição verão. O casal que A queima do bagaço da cana de açúcar plantada em grandes reside nesse apartamento utiliza o chuveiro em média 30 minutos por dia,sempre com o seletor na posição inverno. áreas do estado de São Paulo aquece as caldeiras de usinas Assustado com o alto valor da conta de luz, o marido termoelétricas. Uma dessas usinas, ao queimar 40 kg de informa a sua esposa que, a partir do dia seguinte, o bagaço por segundo, gera 20 kWh de energia elétrica por segundo. Adotando o poder calorífico da queima do bagaço chuveiro passará a ser utilizado apenas com o seletor na posição verão. Com esse procedimento, num mês de 30 em 1800 kcal/kg, pode-se dizer corretamente que a usina dias, a economia de energia elétrica, em quilowatts-hora, em questão opera com rendimento de: será de: Dado: 1 cal = 4 J a) 10 b) 30 a) 55% c) 100 b) 45% d) 8000 c) 35%
78

e) 60000 Questão 370 Uma caixa d'água de 66 kg precisa ser içada até o telhado de um pequeno edifício de altura igual a 18 m. A caixa é içada com velocidade constante, em 2,0 min. Calcule a potência mecânica mínima necessária para realizar essa tarefa, em watts. Despreze o efeito do atrito. Questão 371 Avalia-se que um atleta de 60kg, numa prova de 10000m rasos, desenvolve uma potência média de 300W. a) Qual o consumo médio de calorias desse atleta, sabendo que o tempo dessa prova é de cerca de 0,50h? Dado: 1 cal = 4,2 J. b) Admita que a velocidade do atleta é constante. Qual a intensidade média da força exercida sobre o atleta durante a corrida? Questão 372 Considere a figura a seguir, que representa uma parte dos degraus de uma escada, com suas medidas.

nesse mês, tenha consumido a) 50 kW.h b) 80 kW.h c) 100 kW.h d) 175 kW.h e) 225 kW.h Obs: 1 kW.h é a energia consumida em 1 hora por um equipamento que desenvolve uma potência de 1 kW 1 cal = 4 J Questão 374 Procurando um parâmetro para assimilar o significado da informação impressa na embalagem de um pão de forma valor energético de duas fatias (50 g) = 100 kcal - , um rapaz calcula o tempo que uma lâmpada de 60 W permaneceria acesa utilizando essa energia, concluindo que esse tempo seria, aproximadamente, Dado: 1 cal = 4,2 J a) 100 minutos. b) 110 minutos. c) 120 minutos. d) 140 minutos. e) 180 minutos. Questão 375

2.1.3.3

Uma pessoa de 80,0kg sobe 60 degraus dessa escada em 120s num local onde a aceleração da gravidade é de 10,0m/s£. Desprezando eventuais perdas por atrito, o trabalho realizado ao subir esses 60 degraus e a potência média durante a subida são, respectivamente, a) 7,20kJ e 60,0W b) 0,720kJ e 6,00W c) 14,4kJ e 60,0W d) 1,44kJ e 12,0W e) 14,4kJ e 120W Questão 373 Pedro mantém uma dieta de 3 000 kcal diárias e toda essa energia é consumida por seu organismo a cada dia. Assim, ao final de um mês (30 dias), seu organismo pode ser considerado como equivalente a um aparelho elétrico que,

Calcule a área útil das placas de energia solar de um sistema de aquecimento de água, para uma residência com quatro moradores, visando manter um acréscimo médio de 30,0° C em relação à temperatura ambiente. Considere que cada pessoa gasta 30,0 litros de água quente por dia e que, na latitude geográfica da residência, a conversão média mensal de energia é de 60,0 kWh/mês por metro quadrado de superfície coletora. Considere ainda que o reservatório de água quente com capacidade para 200 litros apresente uma perda de energia de 0,30 kWh por mês para cada litro. É dado o calor específico da água c = 4,19 J/g°C. Questão 376 Após algumas informações sobre o carro, saímos em direção ao trecho off-road. Na primeira acelerada já deu para perceber a força do modelo. De acordo com números do fabricante, são 299 cavalos de potência [...] e os 100 km/h iniciais são conquistados em satisfatórios 7,5 segundos, graças à boa relação peso/potência, já que o carro vem com vários componentes de alumínio. (http://carsale.uol.com.br/opapoecarro/testes/aval_0504 04discovery.shtml 5)
79

O texto descreve um teste de avaliação de um veículo importado, lançado neste ano no mercado brasileiro. Sabendo que a massa desse carro é de 2 400 kg, e admitindo 1 cv = 740 W e 100 km/h = 28 m/s, pode-se afirmar que, para atingir os 100 km/h iniciais, a potência útil média desenvolvida durante o teste, em relação à potência total do carro, foi, aproximadamente de (Sugestão: efetue os cálculos utilizando apenas dois algarismos significativos.) a) 90%. b) 75%. c) 60%. d) 45%. e) 30%. Questão 377 Nas usinas hidroelétricas, a energia potencial gravitacional de um reservatório de água é convertida em energia elétrica através de turbinas. Uma usina de pequeno porte possui vazão de água de 400 m¤/s, queda de 9 m, eficiência de 90% e é utilizada para o abastecimento de energia elétrica de uma comunidade cujo consumo per capita mensal é igual a 360 kWh. Calcule: a) a potência elétrica gerada pela usina; b) o número de habitantes que ela pode atender. Considere: g = 10 m/s£ Questão 378 Uma pessoa de 80 kg sobe a escada de sua residência de 15 degraus, cada um com 20 cm de altura, em 30s, com uma velocidade que pode ser considerada constante. g = 10m/s£ A potência média desenvolvida pela pessoa, enquanto subia a escada foi de, em watts: a) 2400 b) 0 c) 80 d) 300 Questão 379 Para realizar o vôo do 14-Bis, Santos Dumont utilizou um motor propulsor Antoinette de 50 HP, percorrendo uma distância de 220 metros em 21 segundos. A energia consumida durante o vôo é, em joules, Dados: 1 HP = 745 W Potência = Energia/Tempo a) 425 250. b) 522 250. c) 678 250.

d) 782 250. e) 925 250. Questão 380 Um caminhão transporta 30 toneladas de soja numa estrada retilínea e plana, em MRU, com velocidade de módulo igual a 72km/h. Se 200 kW da potência do motor do caminhão estão sendo usados para vencer a força de resistência do ar, o módulo dessa força é, em N, a) 10000 b) 60000 c) 480000 d) 6000000 e) 14400000 Questão 381 Em um terminal de cargas, uma esteira rolante é utilizada para transportar caixas iguais, de massa M = 80 kg, com centros igualmente espaçados de 1 m. Quando a velocidade da esteira é 1,5 m/s, a potência dos motores para mantê-la em movimento é P³. Em um trecho de seu percurso, é necessário planejar uma inclinação para que a esteira eleve a carga a uma altura de 5 m, como indicado. Para acrescentar essa rampa e manter a velocidade da esteira, os motores devem passar a fornecer uma potência adicional aproximada de

2.1.3.3

a) 1200 W b) 2600 W c) 3000 W d) 4000 W e) 6000 W Questão 382 Em uma construção, deseja-se que um motor elétrico, acoplado a uma roldana, seja capaz de elevar uma lata de concreto com 18 quilogramas, a uma altura de 9,0 metros, em 12 segundos. A potência útil desse motor, em watts, deve ser a) 1,35 × 10£.
80

b) 2,40 × 10£. c) 1,35 × 10¤. d) 2,40 × 10¤. Questão 383 Um automóvel se desloca em uma estrada plana e reta com velocidade constante v = 80 km/h. A potência do motor do automóvel é P = 25 kW. Supondo que todas as forças que atuam no automóvel são constantes, calcule o módulo da força de atrito total, em newtons. a) 1125 b) 2250 c) 3120 d) 3200 e) 4500 Questão 384 Uma das alternativas modernas para a geração de energia elétrica limpa e relativamente barata é a energia eólica. Para a avaliação preliminar da potência eólica de um gerador situado em um determinado local, é necessário calcular a energia cinética do vento que atravessa a área varrida pelas hélices desse gerador por unidade de tempo. a) Faça esse cálculo para obter a potência média disponível, em watts, de um gerador eólico com hélices de 2,0 m de comprimento, colocado em um lugar onde, em média, a velocidade do vento, perpendicular à área varrida pelas hélices, é de 10 m/s. Dados: área do círculo: A = ™r£ (adote ™ = 3,1); densidade do ar: d(ar) = 1,2 kg/m¤. b) Mesmo em lugares onde o vento é abundante, há momentos de calmaria ou em que sua velocidade não é suficiente para mover as pás do gerador. Indique uma forma para se manter o fornecimento de energia elétrica aos consumidores nessas ocasiões. Questão 385 Projetado para subir com velocidade média constante a uma altura de 32 m em 40 s, um elevador consome a potência de 8,5 kW de seu motor. Considere que seja de 370 kg a massa do elevador vazio e a aceleração da gravidade g = 10 m/s£. Nessas condições, o número máximo de passageiros, de 70 kg cada um, a ser transportado pelo elevador é a) 7. b) 8. c) 9. d) 10. e) 11.

Questão 386 Em vários países no mundo, os recursos hídricos são utilizados como fonte de energia elétrica. O princípio de funcionamento das hidrelétricas está baseado no aproveitamento da energia potencial gravitacional da água, represada por uma barragem, para movimentar turbinas que convertem essa energia em energia elétrica. Considere que 700 m¤ de água chegam por segundo a uma turbina situada 120 m abaixo do nível da represa. Se a massa específica da água é 1000 kg/m¤ e considerando g = 10 m/s£, calcule a potência fornecida pelo fluxo de água. Questão 387 Um balde cheio de argamassa, pesando ao todo 200 N, é puxado verticalmente por um cabo para o alto de uma construção, à velocidade constante de 0,5 m/s. Considerando-se a aceleração da gravidade igual a 10 m/s£, a energia cinética do balde e a potência a ele fornecida durante o seu movimento valerão, respectivamente, a) 2,5 J e 10 W. b) 2,5 J e 100 W. c) 5 J e 100 W. d) 5 J e 400 W. e) 10 J e 10 W. Questão 388 No medidor de energia elétrica usado na medição do consumo de residências, há um disco, visível externamente, que pode girar. Cada rotação completa do disco corresponde a um consumo de energia elétrica de 3,6 watt-hora. Mantendo-se, em uma residência, apenas um equipamento ligado, observa-se que o disco executa uma volta a cada 40 segundos. Nesse caso, a potência "consumida" por esse equipamento é de, aproximadamente, (A quantidade de energia elétrica de 3,6 watt-hora é definida como aquela que um equipamento de 3,6W consumiria se permanecesse ligado durante 1 hora.) a) 36 W b) 90 W c) 144 W d) 324 W e) 1000 W

81

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->