Você está na página 1de 1

nesta fase, no momento em que o atleta profissional vai assinar seu contrato, e o atleta no-profissional via de profissionalizao assina

o seu primeiro contrato de trabalho de jogador profissional que aparece a figura do INTERMEDIRIO DE TRANSAES TRABALHISTAS DE FUTEBOL. Tal denominao dada com o objetivo de facilitar a compreenso dos conceitos que veremos a seguir. O intermedirio no futebol aparece de forma lcita e ilcita. licito todo intermedirio que conforme determinao da circular da FIFA n. 808, em seu art. 1, \ 1 e 3, bem como art. 28, \ 7, da Lei n. 9.615/98 com as alteraes da Lei n. 10.672/2003, exercer a atividade de intermediao entre clubes e atletas, (representando os interesses dos atletas). Essa categoria descrita da seguinte forma: a) Pai, me ou responsvel legal; b) irmo ou irm; c) conjugue; d) advogado no pas onde reside; e) agente habilitado para exercer as intermediaes junto CBF e reconhecido pela FIFA. Todos aqueles que no se enquadrarem nas categorias acima permitidas, so considerados ilcitos, e respondero as penas de lei, j os clubes e jogadores que se utilizarem destes profissionais para transacionarem, receberam medidas punitivas a serem efetuadas pela justia desportiva, conforme RDI n. 06/2004. Entendemos que a citada RDI, vai de encontro ao preceituado tanto nos estatutos da FIFA, quanto da legislao ptria, a citamos o estatuto da advocacia e legislao desportiva nacional vigente. Tal RDI, nos considerandos, omitiu a exceo prevista no art. 1, \3 que autoriza pai, me, irmo ou irm, conjugue do atleta e advogado com domiclio no pas onde reside o atleta, para exercer tal agenciamento.