Você está na página 1de 16
1º Volume Unidade: GENÉTICA, CÉREBRO, CULTURA Mecanismos de transmissão hereditária Psicologia: estudo dos comportamentos e processos

1º Volume Unidade: GENÉTICA, CÉREBRO, CULTURA

Mecanismos de transmissão hereditária

Psicologia: estudo dos comportamentos e processos mentais. É um estudo cientifico que utiliza como instrumentos a observação, descrição e investigação experimental

Os agentes responsáveis pela transmissão das características genéticas são: os cromossomas, genes e ADN. Todos os seres vivos são constituídos por células, que têm uma organização estrutural complexa (o núcleo, organelo altamente organizado e delimitado por uma invólucro nuclear) No interior do núcleo é onde se encontra a informação genética responsável pelas características de cada individuo. As proteínas são responsáveis pela forma dos cromossomas.

ADN é um conj de filamentos constituídos por cromossomas.

Mitose: é um processo de divisão das células, caracteriza-se por um processo de transformações que conduzem à divisão do núcleo das células.

Os cromossomas, conforme a fase em que se apresentam, têm características morfológicas diferentes. Quanto maior for o grau espiralizaçao, mais espesso, curto e denso é o cromossoma. Quando a célula não está em divisão, o cromossoma, não é visível, devido aos filamentos estarem muito finos. Os cromossomas são os responsáveis pela transmissão da informação hereditária de geração para geração

Cariótipo é o nº e a forma dos cromossomas

1º Volume Unidade: GENÉTICA, CÉREBRO, CULTURA Mecanismos de transmissão hereditária Psicologia: estudo dos comportamentos e processos

Um cromossoma contém vários genes

Normalmente os cromossomas encontram-se organizados em para, excepto os cromossomas sexuais (como mostra a imagem).

Na espécie humana o par 23 (par do cromossoma sexual) e diferente nos dois sexos:

Na mulher é formado por 2 cromossomas X

No homem é formado por 1 cromossoma X e por 1 cromossoma, mais curto, o cromossoma Y

Cada par de cromossomas tem 1 elemento de origem materno e 1 de origem paterno

Cromossomas homólogos possuem forma e estrutura idêntica

Cada molécula de ADN assemelha-se a uma escada de corda. Cada degrau dessa “corda” é formado por 4 substâncias:

– Adenina

(T) – Timina

– Citosina

(G) – Guanina

Estas substâncias estão sempre associadas aos pares (A) com (T) e (C) com (G)

Desoxirribose são os lados da escada constituídos por açúcar

Nucleótido é formado por um conj de uma desoxirribose (uma molécula de acido fosfórico e uma base azotada)

É o nº e a sequência dos nucleótido que definem as características de cada ser vivo

Cromossomas homólogos possuem forma e estrutura idêntica Cada molécula de ADN assemelha-se a uma escada de

Gene é um segmento de um cromossoma a que corresponde um código distinto.

Genoma conj de genes que constituem o ser humano

O que distingue os seres humanos dos outros seres vivos é a grande complexidade das associações entre os genes

Genes alelos são genes que possuem informação para o mesmo carácter, ocupando a mesma posição

Homozigotico é quando um indivíduo tem alelos que possuem a mesma informação

Hereditariedade especifica – o que caracteriza a espécies

Hereditariedade individual – o que caracteriza o individuo

M eiose é um processo de divisão de células que ocorre durante a fecundação, e em que o nº de cromossomas se reduz para 23. Na Miose acontecem duas divisões celulares

M eiose é um processo de divisão de células que ocorre durante a fecundação, e em

Genes de desenvolvimento são genes que codificam a forma do organismo definido. Estes genes definem as dimensões e as formas dos diferentes órgãos determinado o nº, a forma e a localização das células que os formam.

Genótipo significa origem, é a constituição genética de um indivíduo

Fenótipo designa a aparência do indivíduo, é o conj de características observáveis que resultam do contacto dos genes com o meio ambiente

Perspectivas sobre a acção genética

Preformismo ou teoria da preformação defendia que o desenvolvimento embrionário consiste no desenvolvimento de potencialidades preexistentes no ovo. Acentua a dimensão genética do desenvolvimento, não tendo em conta o meio ambiente, logo o desenvolvimento dependeria somente da componente hereditária

Teoria da Epigénese ou epigenetismo nega a existência de estruturas pré-formadas no ovo e que se desenvolvem mais tarde, logo esta teoria defende que o desenvolvimento resulta de um conj complexo entre potencialidades genéticas e as influencias do meio ambiente.

Filogénese é o conj de processos de evolução dos seres vivos; é o conj dos processos biológicos de transformação que explicam o aparecimento das espécies e a sua diferenciação

Ontogénese é o desenvolvimento do indivíduo desde a fecundação até ao estado adulto; inicia-se com a embriogénese, continua no desenvolvimento pós-natal até à idade adulta

Lei da Recapitulação Defende que o desenvolvimento embrionário dos vertebrados, recapitularia as etapas da evolução. Defende que a Ontogenese recapitularia a Filogenese, e assim durante o desenvolvimento do embrião este reproduziria os estados da evolução da vida das espécies

O papel da Ontogénese

O indivíduo é resultado da interacção entre factores genéticos e factores ambientais. A ontogénese é a causa da filogénese. São as transformações ontogenéticas que ocorrem no processo evolutivo que permitem a adaptação ao meio ambiente.

Neotenia é o atraso no desenvolvimento que faz com que o individuo se desenvolva mais devagar. (exemplo bebe prematuro, isto é um ser inacabado)

Programa genético fechado: é a previsão de forma determinada processos evolutivos, comportamentos característicos de determinada espécie.

Programa genético aberto: permite a possibilidade de desenvolvimento de muitas capacidades e competências no contexto das interações sociais.

O cérebro

O sistema nervoso é o coordenador das funções do nosso corpo: recebe as informações do meio (interno e externo), processa-as, coordena-as e elabora respostas que se exprimem em comportamentos, pensamentos e estados mentais.

O Neurónio

O sistema nervoso é constituído por 2 tipos de células:

Os neurónios ou células nervosas – que são responsáveis por grande parte das funções do

sistema nervoso As células gliais – facultam os nutrientes, como o oxigénio e a glicose, que alimentam, isolam e protegem os neurónios. Caso estejam lesionadas estas reproduzem-se

*Estas tem um papel fundamental no desenvolvimento do cérebro no período fetal, pois são estas que determinam quais os neurónios que funcionam

Constituição do neurónio:

 

O corpo celular ou soma – contem o núcleo e é o armazém de energia da célula. Do corpo celular saem dois tipos de prolongamentos: as dentrites e o axónio

As dentrites – são extensões do corpo celular. Estas ramificações múltiplas recebem e transmitem informação de e para outras células com as quais o neurónio estabelece contacto

O axónio – transmite as mensagens de um neurónio a outro

Tipos de neurónio:

O cérebro O sistema nervoso é o coordenador das funções do nosso corpo: recebe as informações
  • 1. Neurónios sensoriais ou nervos aferentes – são afectados pelas alterações ambientais e activados pelos vários estímulos interior ou exterior. Recolhem e conduzem as mensagens da periferia para os centros nervosos: espinal medula e encéfalo

  • 2. Neurónios eferentes ou motores – transmitem as mensagens do centro nervosos para os órgãos efectores, que são os músculos e as glândulas. Tem, como por exemplo a função que um músculos se contraia ou que uma glândula modifique a sua actividade

  • 3. Neurónios de conexão ou interneurónios – interpretam as informações e elaboram as respostas

Impulso nervoso ou influxo nervoso é a circulação de informação ao longo dos neurónios

Descrição do Impulso nervoso ou influxo nervoso:

  • 1. Entrada: as dentrites captam o estímulo

  • 2. Os sinais são integrados

  • 3. Gera-se um impulso nervoso

  • 4. O impulso nervoso é transmitido ao axónio e conduzido às ramificações axónicas

  • 5. Saída: as ramificações dos axónios aproximam-se das dentrites do neurónio vizinho transmitindo o sinal através da sinapse

Sinapse é a zona de interacção entre neurónios; é uma unidade estrutural que permite que 2 neurónios comuniquem

Descrição do Impulso nervoso ou influxo nervoso: 1. Entrada: as dentrites captam o estímulo 2. Os

Ou

Pós-sináptico

A energia nervosa é de 2 tipos:

  • - Eléctrica – a nível das dentrites

  • - Química – a nível da sinapse

Neurotransmissores ou transmissores sinápticos são substâncias químicas

Influxo nervoso é a corrente constituída pelos impulsos nervosos que circulam nos nervos

Descrição do Impulso nervoso ou influxo nervoso: 1. Entrada: as dentrites captam o estímulo 2. Os

Os mecanismos de recepção ou receptores são órgãos que recebem os estímulos (órgãos dos sentidos – visão, tacto, audição…)

Os mecanismos de coordenação ou de processamento são o sistema nervoso central e periférico

Os mecanismos de reacção ou efectores são sobretudo os músculos e glândulas, que concretizam reacção aos estímulos

a

Sistema nervoso central (SNC)

O sistema nervoso central é formado:

Espinal medula – é uma estrutura constituída por uma substancia branca no exterior e cinzenta no seu interior. Desempenha funções de coordenação e de condução

Encéfalo – transmite mensagens do cérebro para o resto do corpo e vice-versa

O encéfalo – localiza-se no interior do crânio, protegido por um conj de membranas que são as meninges.

Sistema nervoso central (SNC) O sistema nervoso central é formado: ∑ Espinal medula – é uma

Lateralizaçao hemisférica – quando cada um dos hemisférios se especializou em diversas funções

O hemisfério direito está separado do esquerdo pela fissura longitudinal. O hemisfério direito – controla a formação da imagens, as relações espaciais e o pensamento concreto O hemisfério esquerdo - é responsável pelo pensamento lógico, pela linguagem verbal, pelo discurso e pelo cálculo

O córtex cerebral é a camada cinzenta que cobre os hemisférios cerebrais e onde residem as capacidades superiores dos seres humanos

Lobos occipitais ou córtex visual – processa os estímulos visuais

Lobos temporais – processa os estímulos auditivos *na área de Wernicke – é onde convergem os lobos occipital, temporal e parietal – tem uma função muito importante, é a área onde percebemos o que nos estão a dizer e onde formulamos os nossos discursos

Lobos parietais – são formados por 2 substâncias:

Anterior ou córtex somatossensorial – possibilita a recepção de sensações como o tacto,

temperatura, dor Posterior – analisa, interpreta e integra as informações recebidas pela área anterior.

Lobos frontais – são responsáveis pela actividade cognitiva que requer concentração, pelos pensamentos abstractos, na regulação de emoções

Córtex motor – é responsável pelos movimentos da responsabilidade dos músculos

Área da broca – é responsável pela linguagem falada, pela produção do discurso

Córtex pré-frontal ou áreas pré-frontais é responsável pelas principais funções intelectuais superiores que distinguem a espécie humana de todas as outras

Ideia de funcionamento é uma concepção que privilegia a localização das funções de forma compartimentada opõe-se a uma concepção que constata que o cérebro funciona como mum todo, como uma rede funcional

Função vicariante ou de suplência do cérebro é uma função perdida devido a uma lesão que pode ser recuperada por uma área vizinha da zona lesionada

Forma sistémica é um conj complexo de elementos em que as componentes especializadas são interdependentes, funcionam de forma integrada

Corticalização é a construção do córtex cerebral, através da divisão de células

Processo auto-organizado tem um papel muito importante na formação de tecidos cerebrais, pois o efeito dos genes e dos estímulos do meio ambiente actuam no sentido do desenvolvimento cerebral

Processo de individuação é quando se ultrapassa as definições genéticas

Plasticidade cerebral é a capacidade do cérebro em se remodelar em função das experiências do sujeito

Lobos parietais – são formados por 2 substâncias: ∑ Anterior ou córtex somatossensorial – possibilita a

Noção de cultura

Cultura é uma totalidade onde se conjugam diversos elementos materiais e simbólicos Exemplos de elementos materiais e simbólicos:

  • 1. Crenças, ideologias politicas e as ideias acerca da natureza humana

  • 2. Teorias

  • 3. Múltiplas construções e objectos

  • 4. Valores atribuídos a determinados comportamentos e qualidades

  • 5. Leis e normas

  • 6. Artes

  • 7. Costumes

A cultura varia no tempo e no espaço, varia com as épocas e momentos históricos, varia de lugar para lugar, logo há múltiplas culturas

Padrão cultural é o conj de comportamentos, praticas, crenças e valores comuns aos menbros de uma determinada cultura

Aculturação é o respeito ao conj dos fenómenos resultantes do contacto continuo entre grupos de indivíduos pertencentes a diferentes culturas

Sociedade global é resultante das viagens, do turismo, das migrações e das comunicações

Socialização é o processo através do qual cada um de nós aprende e interioriza os padrões de comportamento, normas, praticas e valores da comunidade em que se insere

Socialização primária é responsável pelas aprendizagens mais básicas da vida comum, como as regras de relacionamento…

Socialização secundaria ocorre sempre que uma pessoa tem de se adaptar e integrar em situações sociais especificas, ovas para o individuo, como o casamento, a reforma, o nascimento de um filho…

Mundo intersubjectivo é a compreensão, a forma de ver a realidade, que é partilhada entre as pessoas Só num mundo intersubjectivo é que tu podes conhecer os outros e a ti mesmo.

Realidade interpessoal é constituída a partir das compreensões partilhadas e comunicadas entre as pessoas. É uma realidade feita das formas como achamos que os outros pensam, sentem e agem, e constituída também pelos modos como nos relacionamos com as coisas e com as pessoas

Auto-organizado é o ser humano que adquire um sentido de coerência e continuidade a partir da diversidade de experiências e significados

Autonomia é seres capaz de participar dos processos de transformação e determinação de si e dos seus ambientes socioculturais

Adaptação processa-se na interacção entre o ser vivo e o meio

Diversidade biológica são os distintos traços em termos anatómicos e fisiológicos

Diversidade cultural são as distintas formas de estar, de pensar, de ser e de nos comportarmos

Unidade: Relações precoces, relações interpessoais

Relações precoces

Regulação mútua processo através do qual o bebé e os progenitores comunicam estados emocionais e respondem de modo adequado

Um sujeito activo emite sinais daquilo que pretende e responde, com agrado ou desagrado

Meios usados pelo bebe para manifestar as suas necessidades e obter satisfação:

Choro - meio mais eficaz

Contacto físico

Sorriso – é um sinal que reforça as relações positivas com os adultos

Expressões faciais – têm um valor comunicacional pois transmitem uma mensagem que tem a expectativa de uma resposta

Vinculação é a necessidade de criar e manter relações de proximidade e afectividade com os outros, de o bebe se apegar a outros seres humanos para assegurar protecção e segurança A vinculação aos progenitores responde a duas necessidades: protecção e socialização

Tipos de vinculação:

Vinculação segura – as crianças choram e protestam com a ausência da mãe (este tipo de vinculação tem um carácter mais adoptivo)

Vinculação evidente – a criança parece indiferente à separação da mãe e ao seu regresso

Vinculação ambivalente/resistente – a criança manifesta ansiedade mesmo antes da mãe sair da sala, hesitando entre a aproximação e o afastamento dela quando regressa

Vinculação múltipla actualmente a integração das crianças em jardins de infância e creches permite que exista este tipo de vinculação

Vinculação securizante favorece a confiança em si próprio, a capacidade em ultrapassar as dificuldades, em se sentir bem consigo próprio e com os outros

Individuação é uma necessidade primária de o ser humano criar a sua própria identidade, a sua individualidade

Hospitalismo é o conj de perturbações vividas por crianças institucionalizadas e privadas de cuidados maternos; atraso no desenvolvimento corporal; dificuldades na habilidade manual e na adaptação ao meio ambiente; atraso na linguagem

Relações interpessoais

Cognição social é o conj de processos que estão subjacentes ao modo como encaramos os outros, a nós próprios e a forma como interagimos

Impressões é o processo pelo qual se organiza a informação acerca de outra pessoa de modo a integrá-la numa categoria significativa

Categorização é um conj de processos psicológicos que tendem a ordenar o ambiente em categorias:

grupos de pessoas, de objectos, de acontecimentos…enquanto semelhantes, equivalentes uns aos outros pela acção, as intenções, as atitudes de um individuo

Neste processo está envolvido em duas operações: a Indução e a Dedução

Tipos de avaliações:

Afectiva – apercebemo-nos se gostamos ou não de determinada pessoa

Moral – consideramos que a pessoa é boa ou não

Instrumental – se é competente ou incompetente

Formação das Impressões:

Indícios físicos – remete para as características físicas, expressões faciais e gestos

Indícios verbais – o modo como a pessoa fala surge como indicador, por exemplo, do grau de instrução

Indícios não verbais – remete para elementos, sinais, forma como se veste, forma como a pessoa gesticula enquanto fala, o modo como se senta…

Indícios comportamentais - é o conj de comportamentos que se observam na pessoa, por exemplo no caso das mulheres a maquilhagem é um indicio, se uma mulher estiver com muita maquilhagem pode ser entendido por uns que é uma mulher que se cuida e por outros pode ser vista como uma mulher fútil

É a partir deste indícios que formamos uma impressão global

A primeira informação é a que tem mais influência sobre as nossas impressões

Expectativas formam-se no processo de socialização por influências da família, da escola, do grupo de pares e da comunicação social

Esquemas interpretativos organizam a informação que captamos e que estão na base das impressões e das expectativas

Atitude é uma tendência para responder a um objectivo social, é portanto uma predisposição As atitudes permitem-nos interpretar, organizar e processar as informações

Componentes das Atitudes:

Componente cognitiva – é constituída pelo conj de ideias, de informação, de crenças que têm sobre um dado objectivo social

Componente afectiva – é um conj de valores e emoções (positivas ou negativas), relativamente ao objecto social

Componente comportamental – é o com de reacções, de respostas, face ao objecto social

*As atitudes não nascem connosco, formam-se e aprendem-se durante o processo de socialização, no meio social.

Dissonância cognitiva é um sentimento desagradável que ocorre quando uma pessoa sustenta duas atitudes que se contradizem

Representação é através da representação que somos capazes de evocar uma pessoa, uma ideia, um objecto ou uma situação

Representação social é um conhecimento que se distingue do conhecimento científico, elaborado a partir de modelos culturais e sociais e que dão quadros de compreensão e de interpretação do real. É o conj das explicações, das crenças e das ideias que são partilhadas e aceites colectivamente numa determinada sociedade e que são produto das interacções sociais

As representações sociais têm dois processos:

  • 1. Objectivação – é o processo em que os elementos abstractos se objectivam em imagens concretas

  • 2. Ancoragem – corresponde ao enraizamento, à assimilação das imagens criadas pela objectivação na mentalidade colectiva

Filtro cognitivo – as informações novas são interpretadas segundo os quadros de representação preexistentes

Funções das representações sociais:

  • 1. Função de saber – dão uma explicação e um sentido à realidade

  • 2. Função de orientação – são um guia dos comportamentos

  • 3. Função identitária – permite ao indivíduo construir uma identidade social

  • 4. Função de justificação – permite ao indivíduo explicar e justificar as suas opiniões e comportamentos

A influencia social

Interacção grupal é a influência mútua que os membros de um grupo exercem entre si

Influência Social é o processo pelo qual as pessoas modificam, afectam os pensamentos, os sentimentos, as emoções e os comportamentos de outras pessoas

Normas são regras sociais que implicam o seu cumprimento, são uma expressão de influência social

Normalização ocorre na ausência de regras, os indivíduos tentam criar regras influenciando-se uns aos outros

Conformismo é uma forma de influência social que resulta do facto de uma pessoa mudar o seu comportamento ou atitude por efeito da pressão do grupo

Factores que influenciam e explicam o conformismo:

  • 1. Unanimidade do grupo

  • 2. Natureza da resposta – o conformismo aumenta quando a resposta é dada publicamente

  • 3. Ambiguidade da situação – a pressão do grupo aumenta quando não estamos certos do que é correcto

  • 4. Importância do grupo – quanto mais atractivo o grupo for para a pessoa é maior a probabilidade de ela se conformar

  • 5. Auto-estima – as pessoas que possuem auto-estima mais elevada são mais independentes do que as pessoas que tem auto-estimas mais baixa

Pensamento grupal é um tipo de pensamento que ocorre quando a motivação de um grupo para chegar ao consenso é tão forte que os elementos que o constituem perdem a capacidade critica

Obediência ocorre quando uma pessoa não se sente responsável pelas acções que leva a cabo

Factores que influenciam a obediência:

  • 1. Proximidade com a figura de autoridade – quando mais próxima a figura da autoridade for, maior é a obediência

  • 2. Legitimidade da figura de autoridade – quanto mais reconhecida for a autoridade, maior é a obediência

  • 3. Proximidade da vitima

  • 4. Pressão do grupo

Inconformismo adopção de concepções, atitudes e comportamentos que não respondem Às expectativas do grupo

Inovação é o processo de influência social promovido por uma minoria que visa as mudanças das normas e regras sociais de um dado grupo

Atracção interpessoal

Atracção interpessoal é a avaliação cognitiva e efectiva que fazemos dos outros e que nos leva a procurar a sua companhia.

Factores que influenciam a atracção:

  • 1. Proximidade - a proximidade geográfica

  • 2. Atracção física – aparência física

  • 3. Semelhanças interpessoais – sentimo-nos atraídos por pessoas que têm sentimentos, comportamentos, atitudes, opiniões, interesses e valores semelhantes aos nossos

  • 4. Complementaridade – são as assimetrias das características que tornam o outro atraente

  • 5. Reciprocidade – gostamos das pessoas que nos dão valor e apreciam

*Outros factores que podem influenciar: admiração, respeito, aceitação, estima e gratidão

Agressão é um comportamento que visa causar danos físicos ou psicológicos numa pessoa

Tipos de agressão:

  • 1. Agressão hostil – é uma agressão emocional

  • 2. Agressão instrumental – é uma agressão que tem um objectivo, que tem por fim conseguir algo independentemente dos danos que possa causar

Agressão quanto ao alvo:

Agressão directa – quando o comportamento agressivo dirige-se à pessoa

EX: a criança agride o colega que lhe tirou o brinquedo

Agressão deslocada - o sujeito dirige a agressão a um alvo que não é responsável

EX: como a educadora está presente a criança sabe que não pode agredir o colega que lhe tirou o brinquedo, então dá um pontapé na parede

Auto-agressão – o sujeito desloca a agressão para si próprio

Formas de agressão:

Agressão aberta – manifesta-se pela violência física ou psicológica

EX: humilhações, espancamentos

Agressão dissimulada – recorre a meios não abertos para agredir

EX: cinismo, sarcasmo

Agressão inibida – o sujeito não manifesta agressão para com o outro, mas dirige-a contra si próprio

EX: rancor

Teorias sobre a agressividade

Segundo Freud – a agressividade teria assim uma origem biológica, seria uma energia que tem de ser descarregada

Segundo Lorenz – a energia agressiva faz parte integrante da natureza humana, teria um valor de sobrevivência para a espécie humana, sendo fundamental para a sua preservação

Segundo Dollard – a agressão é explicada pelo facto de um sujeito ter sido frustrado, a agressão funcionaria como um meio de afastar tudo o que impedisse o sujeito de atingir os seus objectivos

Segundo Bandura – o comportamento agressivo resulta de um processo de aprendizagem que se baseia na observação e na imitação de comportamentos

Factores que induzem à agressão:

Álcool

Temperatura – temperatura mais elevada

Cultura

Frustração, provocações, insultos e humilhações

Intimidade é uma experiência que implica uma forte vivência, é a partilha de sentimentos, pensamentos, experiências…

A intimidade tem 2 dimensões:

Dimensão relacional -

Dimensão pessoal – está relacionada com a personalidade das pessoas, à sua historia pessoal e ao contexto de vida em que a pessoa se encontra

Há 2 tipos de interacções:

Interacções verbais – através da fala ou comunicação

Interacções não verbais através da proximidade física, da carícia…

Expressões da intimidade:

Amizade é uma relação:

-Pessoal -Informal -Voluntária -Que implica reciprocidade -Que envolve atracção pessoal -Positiva -De longa duração

Características mais valorizadas na Amizade: confiança, lealdade, carinho e apoio

As amizades variam segundo alguns factores:

Idade – na infância os amigos são essenciais no processo de autonomia, na adolescência têm um

papel dominante no processo de socialização e nos adultos as amizades deixam de ter uma prevalência tão grande Género - entre as mulheres há uma maior intimidade e partilha de sentimentos e emoções do que

entre os homens Características individuais – devido às características da personalidade

Amor tem 3 dimensões:

-Intimidade – corresponde aos sentimentos que visam a proximidade emocional -Paixão – envolve um intenso desejo sexual, vontade de estar com o outro -Compromisso – corresponde à intenção de um comprometimento em manter a relação amorosa

Estereótipos conj de crenças que dá uma imagem simplificada das características de um grupo ou dos membros de um grupo

Função sociocognitiva o categorizar a realidade social permite-nos encarar eficazmente o mundo, definindo o que está certo e o que não está e o que é justo e o que é injusto

Socioafectiva é o que se relaciona com o sentimento de identidade social

Os estereótipos caracterizam-se por:

  • 1. Simplicidade

  • 2. Uniformidade

  • 3. Tonalidade efectiva – um estereótipo nunca é neutro, ou é positivo ou negativo

  • 4. Durabilidade e constância – o estereótipo perpetua-se no tempo

  • 5. Pregnância – grau de adesão ao estereótipo Preconceito é uma atitude que envolve um pré-juizo, um pré-julgamento, na maior parte das vezes negativo O preconceito é tanto maior quanto menor é o conhecimento O preconceito tem 3 componentes:

    • 1. Componente cognitiva – corresponde à opinião

    • 2. Componente afectiva – refere-se aos sentimentos

    • 3. Componente comportamental – refere-se à orientação do comportamento face à pessoa ou grupo

Discriminação é o comportamento dirigido aos indivíduos visados pelo preconceito

Etapas no processo de discriminação

  • 1. Expressão de opiniões negativas sobre o grupo

  • 2. Evitamento de relações

  • 3. Medidas discriminatórias

  • 4. Agressão física

  • 5. Extermínio Discriminação positiva são as medidas que visam apoiar aqueles sofrem a exclusão económica, física e social Conflito é um conj de adjectivos que reflectem o sentido de divergência: desacordo, desaprovação, dissensão, desentendimento… Tipos de conflito:

Conflito intrapessoal – conflito interno

Conflito interpessoal – conflito entre pessoas

Conflito intergrupal – conflito de grupo

Endogrupo grupo a que se pertence

Exogrupo – grupo a que não se pertence

Cooperação é a acção conjunta que implique a colaboração dos envolvidos para se atingir um objectivo comum

Formas como superar os conflitos entre grupos:

  • 1. Dominação – um grupo que se impõem sobre o outro

  • 2. Submissão – um grupo que cede às exigências

  • 3. Inação – um ou os dois grupos escolhem não agir

  • 4. Mediação – prevê o envolvimento de alguém que não está envolvido na situação

  • 5. Negociação – os grupos tentam chegar a um acordo

Modelo ecológico do desenvolvimento

Os diferentes sistemas que constituem os contextos de vida dos seres humanos:

Microssistema - são os contextos mais imediatos, de maior proximidade, em que os indivíduos participam directamente

EX: família, escola, o grupo de colegas e amigos

Mesossitema – fazem parte as interacções e os processos que ocorrem entre dois ou mais

contextos do microssitema EX: as relações que se estabelecem entre a escola e a família, ou as relações entre a escola e o grupo de amigos

Exossistema – os elementos não afectam directamente o indivíduo, são suportes para o desenvolvimento de actividades

EX: centro de saúde, instituições autárquicas, campanhas de solidariedade

Macrossistema – constitui o sistema mais alargado em termos dos contextos de vida de qualquer indivíduo

EX: padrões socioculturais, instituições politicas e sociais, valores partilhados, crenças…

Cronossistema – permite incorporar no contexto de vida uma dimensão temporal

EX: influência do microssistema da família no desenvolvimento social não é a mesma para uma

criança em idade pré-escolar e para um adolescente

Modelo ecológico do desenvolvimento Os diferentes sistemas que constituem os contextos de vida dos seres humanos:

Estes Resumos correspondem até à pág. 217 do 1º volume do manual