Você está na página 1de 140

AO MESTRE DE CABALÁ

DR. Jones R. Neves

TENHO O PRIVILÉGIO DE DEDICAR ESTE CADERNO DE


ESTUDOS

2
AGRADECIMENTOS

Pela correção de textos e incentivo:

Luiz Sérgio Charles


Pedrita Maria Braile
Irmãos da Sociedade de Estudos Esotéricos
Irmãos do Colégio Capitular Pitágoras
Francisco Leonardo Pereira

3
CAPA - SEDE DO COLÉGIO CAPITULAR PITÁGORAS EM
RESENDE

CONTEÚDO

APRESENTAÇÃO..................................... ..............................
Prefácio...................................... ........................................
INTRODUÇÃO...................................................... .................
CAPÍTULO 1: O NOSSO UNIVERSO........................... ...............
CAPÍTULO 1.1: RELATIVIDADE GERAL.................................................
CAPÍTULO 1.2: A MECÂNICA QUÂNTICA.............................................
CAPÍTULO 2: A CABALA..............................................................................................
CAPÍTULO 3: A CABALA E O PERÍODO ANTES DO BIG BANG............................
CAPÍTULO 4: A ÁRVORE DA VIDA.............................................................................
CAPITULO 4.1: DIAGRAMAS DA ÁRVORE DE VIDA..............................
CAPÍTULO 4.2: A ÁRVORE DA VIDA E OS 22 CAMINHOS....................
CAPÍTULO 5: O PODER DA MENTE ATRAVÉS DO PENSAMENTO......................
CAPÍTULO 5.1: O PENSAMENTO EM FORMA GRÁFICA........................
CAPÍTULO 5.2: PROCESSOS CORPO-MENTE.......................................
CAPITULO 6: MEDITAÇÃO..........................................................................................
CAPÍTULO 6.1: INTRODUÇÃO.............................................................
CAPÍTULO 6.2: MEDITAÇÃO DA CHAMA VIOLETA................................
CAPÍTULO 6.3: MEDITAÇÃO DA CORRENTE BRANCA DO ORIENTE
MAIOR................................................................................................
CAPÍTULO 6.4: A GRANDE INVOCAÇÃO..............................................
CAPÍTULO 7: ORAÇÃO, SAÚDE E CURA..................................................................
CAPÍTULO 8: DIVERSOS...............................................................................................
CAPÍTULO 9: HINOS......................................................................................................
CAPÍTULO 10: PEÇA TEATRAL DE NATAL...............................................................
VOCABULÁRIO..............................................................................................................

4
ADVERTÊNCIA: CREAR X CRIAR
(Segundo Huberto Rohden)

A substituiÁão da tradicional palavra latina crear pelo neologismo


moderno criar é aceitável em nível de cultura primária, porque
favorece a alfabetização e despensa esforço mental - mas não é
aceitável em nível de cultura superior, porque deturpa o
pensamento.

Crear é a manifestação da Essência em forma de existência - criar


é a transiÁão de uma existência para outra existência.

O Poder Infinito é o creador do Universo - um fazendeiro é um


criador de gado.

Há entre os homens gênios creadores, embora não sejam talvez


criadores.

A conhecida lei de Lavoisier diz que “na natureza nada se crea, nada
se aniquila tudo se transforma”, ao grafarmos “nada se crea”, esta
lei está certa, mas ao escrevermos “nada se cria”, ela resulta
totalmente falsa.

O ego é produtivo. Criar que dizer passar de um finito para outro


finito. O eu é creativo, quer dizer passar do Infinito para o Finito.

Por isso, preferimos a verdade e clareza do pensamento a quaisquer


convenÁões acadêmicas.

APRESENTAÇÃO

Há 6 décadas um grupo de idealistas resendenses capitaneados por


Antônio Delfino inaugurava o Colégio Capitular Pitágoras, dedicado a
estudos cabalísticos e outros estudos em geral visando
principalmente o conhecimento interno, o conhecimento do EU.

Suas instalaÁões situam-se na Rua do Rosário número 33, no bairro


do Lava-pés, em Resende, RJ. Fica ao “lado” da Santa Casa de
Misericórdia de Resende, possui um andar e nas paredes externas
são pintadas da cor rosa. Ao se chegar defronte do Colégio Pitágoras
lê-se o dístico “CONHECE-TE A TI MESMO”.

5
O Filósofo Sócrates

Já ocorrera a Maratona.
Vinte anos eram passados
E a democrática Atenas
Vivia com os seus pecados.

Sócrates ali nasceu


E foi valente soldado;
Venceu todos os sofistas
Só na clareza escudado.

-“Só o conhecimento é um bem”,


Ele ensinou sem jactância,
Para logo concluir:
-”Só existe um mal, a ignorância”.

-“Disse o oráculo de Delfos


Que és o mais sábio de Atenas!”
-“Pois claro! Sabe que eu sei
Que inda nada sei, apenas”.

Só a alma o sábio estudava


Ensinando ao mundo inteiro,
Falava tranqüilamente:
-“CONHECE-TE A TI PRIMEIRO!”...

Sábio de pouco falar,


Aos moços ele ensinava
Fazendo tantas perguntas
Que embaraçados deixava.

Acusado de impiedade
E de aos moços perverter,
Á morte foi condenado:
-“Deve a cicuta beber!”

Calmo, sereno, sem medo,


Com toda a dignidade,
Bebeu, morrendo e ensinando:
-“Procurem sempre a verdade!...”

O Colégio Capitular Pitágoras possui em suas instalaÁões 3 templos:

-No primeiro templo são realizados palestras nos domingos e os


cultos ecumênicos nos últimos domingos de cada mês,
invariavelmente às 9 horas da manhã. A entrada é franca e livre a
quem quer que seja, de qualquer religião, ou mesmo quem não
professa religião alguma.

6
-No segundo templo são realizados os trabalhos relativos á
Fraternitas Rosa Crucis Antiqua.

-No terceiro templo são realizados os trabalhos pertinentes ao Santo


Graal.

Para que os interessados possam freqüentar o segundo e os terceiros


templos fazem-se necessário que sejam aprovados pelos Irmãos que
os freqüentem há já algum tempo.
Para informaÁões adicionais, contactar o irmão-secretário Francisco
Leonardo Pereira pelos telefones: Residência 24-3360-9286;
Consultório 24-3354-7200 e. mail: flp@uol.com.br ; ou o irmão-
guardião Pedro Márcio Braile pelos telefones 21-2492-1154 ou 21-
9191-1219, e.mail: pmbraile@globo.com.

Prefácio

O Autor, para escrever este Volume I pesquisou as liÁões deixadas


no Planeta Terra por entidades de muita Luz: Jesus Cristo, Allan
Kardeck, Saint Germain, Emmanuel, Falange de Ismael, Huberto
Rohden, I. Lúria, A. Delfino, Stephen Hawkings, I. Ramacharaca, Z.
Ben S. Halevi, Philip S. Berg, W. Heisenberg, A. Einstein, W. Gray,
Mabel Collins, Deepack Chopra, S. Hoeller, Max Planck, Trigueirinho,
Jones R. Neves e muitos outros, cujos cérebros privilegiados
souberam adentrar a Sabedoria Universal.

Ao escrever estas linhas a guisa de prefácio, devo declarar que os


capítulos comeÁaram a ser codificados em janeiro de 2006. Não sei
mais o que admirar tal nosso encantamento diante da beleza dos
assuntos, à frente da seguranÁa dos conceitos emitidos,
emparelhados com a descriÁão clara, embora sucinta de cada um
dos temas escolhidos.

A característica predominante dos assuntos escolhidos, aquela que


se nota invariavelmente em todos os Capítulos, é a preocupaÁão do
Guardião do Colégio Capitular Pitágoras em levar até os Irmãos, um
raio forte de Luz da sua Fé inquebrantável. O Autor escreve sempre
com o mesmo carinho e com o mesmo amor. Nota-se, entretanto,
que ele se desdobra e procura encontrar palavras que melhor diga o
seu pensamento quando o assunto é dirigido a alguém que está se
esforÁando no aprendizado, ou alguém que está sofrendo. Os
assuntos abordados podem, por vezes, não atingir plenamente a

7
meta desejada pelo Autor e nem por isso, porém, deixam de ser
belos e de trazer em seu bojo ensinamentos que, por sua
simplicidade, nós sentimos como se já os soubéssemos.

Leiam os capítulos meus Irmãos, sem espírito de crítica; eles não


foram escritos formando doutrina. Leia os capítulos na certeza de
que, se forem criticados, não terá resposta porque o seu autor bem
provavelmente não estará presente para tirar dúvidas.

Leia os capítulos somente. Aceite ou não aceite os conceitos


emitidos. Simplesmente isto. Eles foram escritos para terrenos
preparados e prontos para receber a semente.

As poesias que os Irmãos irão ler neste caderno são de autoria de


Pedro Braile, neto, saudoso e muito querido pai biológico do
Guardião. Os poetas meus irmãos, têm a capacidade de nos
comover, de nos elevar muito além daquilo que somos.

Por esse mundo afora


Eu pensava sem parar...
Dava tudo para a vida,
Reclamava do azar.
Olhando um dia para traz,

Meu coração se apertou:


Abri os braços pro mundo
Retendo grande ilusão
Como arma poderosa;
Ilustrei minha mente
Orando com fé e fervor.

Bani todas as tristezas,


Refiz toda a minha fé,
Amigo, filho amigo,
Imite o seu velho pai...
Leve no seu coração
Esperança e muita paz.

JESUS

Nesta sexta-feira santa quando, em silêncio, o povo acompanhava a


Tua imagem deitada em caixão fúnebre todo iluminado e enfeitado
de mil flores, passou-me pela mente Tuas palavras e Teus atos. Há
dois mil anos, lá em Jerusalém, Tu completavas a Tua missão aqui na
Terra.

8
Tu, que tiveste por berÁo uma manjedoura, foste visitado e
presenteado pelos reis magos. Tu, que podias ter vivido num trono,
preferiste passar a infância ao lado de Maria e José e, como ele, Te
tornaste também marceneiro. Tu que, aos doze anos, discutias com
os rabinos as sagradas escrituras, pouco depois passaste vários e
longos anos sem que a história dê conta de Ti. Apareceu, depois, já
homem feito, com a doutrina madura e os ensinamentos a brotarem
espontâneos de Teus lábios sagrados.

Foste buscar os Teus discípulos entre os homens de pouco


entendimento, como que advertir a humanidade que só os coraÁões
abertos para a fé poderiam compreender-Te.

Multiplicaste os pães. As piscosas águas do Teberíades, que se


recusavam a fornecer o peixe, obedeceram as tuas ordens e
encheram as redes de Pedro. Mandaste que Lázaro se levantasse e
andasse. Lázaro ressuscitou e andou.

“Que atire a primeira pedra aquele que não tiver pecado” A turba
hipócrita não apedrejou a mulher adúltera. Confundindo aqueles que
desejavam – por inveja e por maldade indispor-Te com os romanos,
mandou que desse à “César o que é de César e a D-us o que é de D-
us.” Era a doutrina do respeito ao alheio, que não servia aos
Teus perseguidores.

Chicoteaste, Tu que és a bondade e a ternura, os vendilhões do


templo. Subiste ao monte e ensinaste aos Teus discípulos: “Bem-
aventurados os humildes de espírito porque é deles o reino dos céus.
Bem-aventurados os que sofrem, porque serão consolados. Bem-
aventurados os mansos, porque herdarão a terra... Ouvistes que foi
dito: Olho por olho, dente por dente. Eu, porém vos digo: Não
resistais ao perverso; mas a qualquer que te ferir na face direita,
volta-lhe também a outra face”.

Ouviste que foi dito: Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo.
Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos
perseguem; para que vos torneis filhos do vosso Pai celeste, que faz
nascer o sol sobre os bons e os maus, e faz vir às chuvas sobre
justos e injustos... “Tudo quanto, pois, que quereis que os homens
vos faÁam, assim fazei-o vós a eles...”

Tu recebeste Madalena, deixaste que ela Te acompanhasse,


permitiste que ela oleasse e penteasse os Teus cabelos fartos. Tu a
amaste, mesmo sabendo que no futuro os homens de pouca fé,
incapazes de compreender, confundissem o Teu amor. Fizeste da
pobre Madalena uma mulher feliz.

Quando Te recolheste ao Jardim das Oliveiras, naquela noite


interminável em que pediste ao Pai que afastasse de ti o cálice da
amargura, estavas sozinho com a Tua dor. Os Teus discípulos,

9
aqueles mesmos para quem abriste as portas do entendimento e
ensinaste o caminho do céu, dormiam tranquilamente. E Pedro Te
renegou três vezes antes que o galo cantasse.

Foste mandado de Herodes para Pilatos. E o cônsul romano, mesmo


julgando-Te inocente, para satisfazer as turbas que já não mais se
lembravam de Teus milagres e de Teus ensinamentos, e ainda para
agradar a Herodes, entregou-Te aos algozes, lavando as mãos.

Carregaste o lenho pesado, depois de haver sido flagelado. As ruas


de Jerusalém, em festa, acompanharam a Tua via crucis. Tiveste
Cirineu que Te ajudou a carregá-la, mas não foi crucificado contigo.
Ensinavas as Tuas últimas liÁões. Cada um de nós pode ter um
cirineu para ajudar a carregar a cruz, mas só cada um de nós deverá
ser crucificado nela.

Puseram-Te entre dois ladrões para que os pósteros Te confundissem


com eles. Mas prometeste á Dimas: “Hoje mesmo estarás comigo no
reino dos céus”.

E, Jesus, quando lemos a Tua história, quando lemos os Teus


ensinamentos, quando pensamos que, já nesse ponto, nada mais
poderias ensinar, então, num último alento, levantando os olhos para
os céus, deixas as Tuas últimas palavras, resumindo a Tua doutrina:
“Perdoai-lhes, Pai! Eles não sabem o que fazem!”.

Perdoe-me a insignificância do prefácio, diante da grandeza da obra.


Nem por isso, por ser insignificante, ele diminui a minha grande
admiraÁão pelo trabalho do Guardião.

Muito obrigado: Ysmaël

10
INTRODUÇÃO

Noites e noites foram consumidas na coordenaÁão dos assuntos


apresentados. Coisas do meu coraÁão, coisas da alma, da ciência, do
esoterismo, da Sabedoria Universal estão transcritas nestes
capítulos.

A mim me parece que, às vezes, fomos um tanto afoitos nos


conceitos emitidos e nas teorias apresentadas. Afoitos mas sinceros.
Afoitos mas semeadores. Afoitos, mas estamos certos, pioneiros.
Permita o Pai isto tudo possa ser útil aos meus Irmãos, mormente
quando já chegados os anos, suas tarefas espirituais sejam quase
que somente meditar.

Um conselho aos meus irmãos: Não tenham pressa na compreensão


plena do que aqui vai escrito, no seu devido tempo, o significado
interno das palavras aqui escritas se revela à proporÁão em que o
irmão progrida no caminho do estudo da Verdade. Alguns serão
capazes de compreender o que aqui está escrito, ao passo que
outros chegarão a vê-las confusamente, quando ainda nos primeiros
passos. O irmão que perseverar, todavia, verá que uma vez que pôs
firmemente seus pensamentos sobre um desses degraus, comeÁará
o outro a ser imediatamente iluminado tenuemente, como para
inspirar-lhe confianÁa em dar o próximo passo.

Que ninguém desanime: o fato de que este trabalho vos atrai é o


sinal de que os ensinamentos aqui presentes estão a vós destinados
e, com o tempo, vos revelará o seu significado. Notareis que as
palavras se gravarão em vossa mente e chegarão a ser parte de vós
mesmos.

Os ensinamentos místicos apresentados neste pequeno caderno são


simbólicos, a finalidade é tornar acessíveis aos meus irmãos os
códigos secretos dos mistérios, para colocá-los aptos a penetrar e
entender o conjunto de ensinamentos por meio dos quais possam
adentrar os portais das câmaras secretas individuais do Eu, a
partícula divina em nós.

Lembrem-se, estranhos são os caminhos do Senhor. Se você


perguntar com a alma desesperada, por que tanta pedra pontiaguda
no caminho do Senhor, não terá resposta. Se você em prantos,
maldizendo a sina que lhe foi reservada, estranhar os caminhos
usados pelo Pai e perguntar, novamente, porque não é uma larga e
luminosa estrada, você não terá resposta.

Se, porém, com pranto e os olhos inundados de lágrimas você não


estranhar e tiver esperanÁa de que os caminhos apontados pelo
Senhor sempre levam a Ele, então verá que as pedras pontiagudas e

11
as dificuldades nas veredas que atravessou, encurtam o caminho
para o Pai e que Ele, misericordioso, lá está esperando os seus filhos
de braÁos abertos.

Como se poderá dizer a alguém que não sofra, quando traz o coraÁão
tão triste e tão dilacerado? Direi aos meus irmãos, nesta ocasião que
a hora é de sofrimento. Não é verdade que o sofrimento possa
sempre exercer influência positiva no adiantamento espiritual do
homem, como muitos pensam, a nossa atitude positiva na luta pela
nossa sobrevivência é que irá propiciar condiÁões favoráveis ao
progresso espiritual. Passe pelo sofrimento com o coraÁão
esperanÁoso, com a certeza de que este é um dos estranhos
caminhos do Senhor que levam ao Pai mais ràpidamente.

Há quem julgue que uma grande espiritualidade possa diminuir ou


mesmo abolir o sofrimento. Mas é experiência universal que são os
homens espirituais, os santos, os iniciados, são os que mais sofrem.
Por quê? Porque, quando o homem já não tem débito próprio ele se
torna um sofredor por débito alheio. É esta a razão por que os santos
e iniciados costumam sofrer serenamente, por que se sentem como
pecadores de débitos alheios. Sofrer por débito próprio é triste, mas
sofrer por débito alheio é honroso.

O principal não é não-sofrer; o principal é saber sofrer. Querer


consolar alguém em pleno sofrimento, nem sempre é possível; O
remédio contra o sofrimento deve comeÁar antes de qualquer
sofrimento. A profilaxia contra a dor não pode ser dada no momento
da tragédia, mas em plena bonanÁa e saúde; o remédio não consiste
num ato transitório, mas numa atitude de verdade e compreensão
sobre si mesmo. Ao harmonizar a sua vida com essa consciência
positiva, encontrará consolo na hora do sofrimento. O sofrimento
atinge o nosso ego humano, e não o nosso Eu divino. Quem confunde
o seu ego periférico com o seu Eu central, não tolera o sofrimento.

A revolta habitual contra o sofrimento prova que o homem não


compreendeu a verdadeira razão-de-ser da sua existência terrestre,
que não é gozo nem sofrimento, mas auto-realizaÁão. E, como a
auto-realizaÁão é impossível sem reconhecimento da verdade deve o
homem, acima de tudo, realizar o seu autoconhecimento, saindo da
ilusão de se identificar com o seu ego humano, e se identificar com
seu Eu divino, com sua alma, com o Cristo interno, com o Pai
imanente: “Eu e o Pai somos um”.

O Colégio Capitular Pitágoras é também um dos “Caminhos do


Senhor”, são estranhos, porque diferem daqueles que estamos
habituados a trilhar. Haverá momentos em que nos sentiremos como
que perdidos no meio do cipoal de tanta coisa misteriosa. Isso é
comum a todos aqueles que comeÁam a freqüentar este Colégio. Só
aqueles que estão há mais tempo conosco entenderão o texto como

12
maior clareza. Às vezes, amigos de boa vontade querem que
progridamos mais depressa do que podemos. Cada irmão tem um
tempo próprio.

A absorÁão dos ensinamentos neste Colégio deve ser alcanÁada no


tempo certo e na quantidade correta. Tudo neste Colégio tem de ser
natural, espontâneo, simples, como Ele se manifestou por intermédio
de seu Filho querido, Jesus.

O FILÓSOFO JESUS

O filósofo Jesus
De seu Pai sempre falava;
Mesmo pregado na cruz
Disse que os homens amava.

Como era o Mestre dos Mestres,


As injúrias padeceu;
Não queria bens terrestres,
Pois, outro reino era o seu.

Ele ao mundo dizer veio


Do outro mundo que é eterno;
-“Lá vivemos sem receio
Longe das dores do inferno.”

-“A César o que é de César,”


-Placidamente ensinou;
“Para D-us o que é de D-us,”
Sereno sentenciou.

-“Aqui estou para servir”


-A um rapaz Ele falou;
Trazendo um triste sorriso
Muito ao próximo Ele amou.

“A Fé remove montanhas!”
-Dizem que Jesus falou;
Dizia coisas estranhas
Aquele que muito amou.

A turba irada enfrentou


Meigo, sereno, risonho;
-”Quem pecado não tiver,
Que atire a pedra, proponho...”

Foi só lealdade e amor


E por Judas foi traído;
Ficou surpreso de dor

13
Mas disse; - “Filho querido!”

E assim por aqui passou


O filósofo Jesus;
Como ninguém Ele amou
E por nós morreu na cruz.

Quando uma entre as várias vezes em que Jesus foi levado à


presenÁa de Pôncio Pilatos este o indagou: “Afinal qual é a sua
religião”? A resposta do Divino Mestre foi “A minha religião é a
Verdade Universal”. Dois mil anos após, o cientista, Albert Einstein,
depois de muito pensar enfatizou: “No futuro haverá uma religião
universal: A Verdade”.

Os estudos oriundos das religiões Cristãs, Tibetana, Hinduísta,


Bramanista, Budista, Xintoísta, Judaica, e outras constituem
caminhos que nos ajudam a adentrar nos aspectos da Religião
Universal, a Verdade. Sua percepÁão dela varia de pessoa para
pessoa em funÁão de sua elevaÁão espiritual, fé, conhecimento,
sabedoria, mas sem dúvida, a busca de cada um pela Verdade é um
passo importante na senda do progresso para retorno ao Eu Sou. É
importante ter em mente que o que está mais próximo do irmão, é, a
maior parte das vezes, aquilo que menos conhece.

O que importa é conhecer verdadeiramente o Absoluto, e isto é


conseguido pela meditaÁão sobre Ele. Quem não compreende sua
natureza como sendo o Supremo Amor e procura utilizar-se Dele
para obter vantagens pessoais, está completamente equivocado.
FaÁamos de nós instrumentos idôneos pelos quais Ele possa se
revelar, mas jamais tentemos colocá-lo a nosso serviÁo. O Absoluto
não é servo nosso, Ele é nosso senhor e soberano, e nós é que somos
servos Dele.

A Verdade não é uma descoberta. É uma redescoberta. Em primeiro


lugar, quando vieste ao mundo, ela estava contigo, quando
nascestes nesta vida, ela já estava contigo, porque tu és a Verdade.
As verdades mais importantes se expressam quase sempre por
meias palavras; só os mais atentos às compreendem totalmente.

O Filho de D-us nos ensina:


-Pedi, e dar-se-vos-á; a bondade de D-us não tem fim e seu amor é
imenso.
-Eu sou o bom pastor e o bom pastor dá a vida por seu rebanho.
-Eu sou a fonte do consolo e a meu lado não se devem temer os
perigos; porque D-us está em mim e eu estou nele.
-Quando vos encontreis em afliÁão, dizei: D-us meu! Seja feita a
vossa vontade e não a minha. Em seguida D-us vos mandará a
alegria e a forÁa.

Na busca da Verdade, o primeiro estágio é calar, o segundo ouvir, o

14
terceiro memorizar, o quarto meditar, o quinto estudar, o sexto
praticar e o sétimo ensinar. O ensinar verdadeiro é que nada pode
ser ensinado. O professor de Cabala não é um instrutor ou um mestre
de tarefas, ele é apenas alguém que ajuda e guia. Ele não transmite
conhecimento, ele mostra como adquiri-lo por si mesmo. Ele não faz
aparecer o conhecimento que está dentro de nós, apenas mostra
onde se situa e como é possível habituá-lo a subir à superfície.

Que Jesus esteja sempre no coraÁão de meus irmãos, é o que de


coraÁão lhes deseja o Guardião.

P. M. Braile

15
CAPÍTULO 1: O NOSSO UNIVERSO

Hoje os cientistas descrevem o Universo em termos de duas teorias


parciais básicas:

-A teoria da relatividade geral.


-A teoria da mecânica quântica.

CAPÍTULO 1.1: RELATIVIDADE GERAL

A teoria da relatividade geral descreve a forÁa da gravidade e a


estrutura geral em grande escala do universo; isto é, desde
estruturas em grandes escalas de apenas alguns quilômetros até do
tamanho de 1x1024 km, que é o tamanho do universo observável.

A mecânica quântica, por outro lado, lida com fenômenos em


escalas extremamente pequenas, como um milionésimo de
milionésimo de centímetro, em outras palavras, estuda o
comportamento dos átomos e das partículas subatômicas.

Em uma noite sem lua e sem nuvens, no campo, os objetos mais


brilhantes que os irmãos verão serão provavelmente os planetas
Vênus, Marte, Júpiter e Saturno. Haverá também um número bem
grande de estrelas, cinco mil, aproximadamente, a olho nu. Tudo o
que verão a olho nu estará dentro de nossa Galáxia, a Via-Láctea.
Fora de nossa Galáxia somente com auxilio de potentes telescópios
é que se consegue visualizar os astros de outras Galáxias.

A Via-Láctea tem um diâmetro de 120.000 anos-luz e a galáxia mais


próxima de nós a Andrômeda está a 2.000.000 de anos luz. Pelo
estado atual da ciência, a idade do Universo é de 13,7 bilhões de
anos; o tamanho atual do Universo é de 93 bilhões de anos-luz; o
número mais provável de Galáxias (Universo-Ilhas) existentes é de
100 bilhões; os objetos mais remotos (quasares) captáveis estão a
11 bilhões de anos-luz; a quantidade de matéria ordinária (seres
humanos, planetas, estrelas no Universo) é de 4 por cento; matéria
escura 22 por cento e a quantidade de energia escura é de 74 por
cento. Interessante notar que os cientistas não sabem explicar, hoje,
o que são matéria escura e energia escura.

A primeira vista pode parecer um contra senso a idade de o universo


ser de 13,7 bilhões de anos e seu tamanho observável ter diâmetro
de 93 bilhões de anos-luz, é que a matéria cuja presenÁa nos
desvenda emitiu sua luz a 13,7 anos, mas desde então ela se
condensou em galáxias e, graÁas á expansão do Universo, essas
galáxias estão agora a cerca de 46.5 bilhões de anos –luz. Como a
expansão do Universo acontece para todos os lados este deve ter 93
bilhões de anos-luz de diâmetro.

16
Pela teoria da relatividade de Einstein a velocidade da luz é a
velocidade limite para objetos no espaÁo, mas isto não se aplica á
expansão do próprio espaÁo. A velocidade limite universal tem umas
poucas exceÁões e a expansão do Universo é uma dedas.

O número estimado de estrelas na Via-Láctea é de 300 bilhões; o


tempo de vida do Sol é de 10 bilhões de anos terrestres. Acredita-se
que o Sol encontra-se na seqüência principal há 5 bilhões de anos,
estando, assim, na metade de seu tempo de vida.

A luz do Sol leva 8 minutos para chegar ao nosso Planeta e a luz da


estrela mais próxima de nós a estrela Alfa Centauri (também
conhecida como Próxima Centauri) leva pouco mais de quatro anos
terrestre. As estrelas visíveis a olho nu, aqui da Terra, hoje sabemos,
representam apenas 0.0001 % de todas as estrelas existentes na
nossa Galáxia, a Via-Láctea, que não é senão uma entre mais de 100
bilhões de galáxias que podem ser vistas com os modernos
telescópios. Cada uma dessas galáxias contém, por sua vez, mais de
100 bilhões de estrelas...

Por volta de 13,7 bilhões de anos atrás, a distância entre as galáxias


teria sido zero. O universo estava espremido em um ponto, que os
cientistas chamam de singularidade. Neste momento a densidade do
universo e a curvatura do espaÁo-tempo teriam sido infinitas e
houve uma Grande Explosão o Big-Bang aonde comeÁam todas as
teorias físicas explicativas do comeÁo do universo. Mesmo que
tenham existidos eventos antes do Big-Bang, não poderíamos usá-los
para determinar o que aconteceria a seguir, porque a previsibilidade
teria sido também estilhaÁada neste evento.

Os cientistas consideram esse fenômeno como o princípio do tempo


onde a temperatura deveria estar acima de 100 bilhões de graus
Celsius, ou seja, o universo era infinitamente quente. À medida que
ia se expandindo, sua temperatura de radiaÁão ia diminuindo.

A temperatura é uma medida de energia (ou velocidade média das


partículas). Em temperaturas muito elevadas, as partículas estariam
se movendo para todos os lados com tal rapidez que poderiam
escapar de qualquer atraÁão recíproca resultante das forÁas
nucleares ou eletromagnéticas.

Mas, à medida que as partículas esfriavam, voltaram a se aglutinar.


Essas partículas eram chamadas pelos gregos de átomos
(significando indivisível). Mas atualmente sabemos que os átomos
são constituídos de partículas ainda menores: elétrons, prótons e
nêutrons e que os prótons e nêutrons são constituídos de partículas
ainda menores, os quarks.

A luz é oriunda de outro tipo de partícula sem massa: os fótons. O

17
nosso Sol é a maior fonte de fótons para o planeta Terra, e para os
outros corpos do sistema solar, também.

Um segundo após o Big-Bang, o universo teria de expandido o


suficiente para baixar a temperatura de 100 bilhões de graus Celsius
para 10 bilhões de graus Celsius. Dez bilhões de graus Celsius são
mil vezes maior que a temperatura do centro do sol, que é de dez
milhões de graus Celsius.

No estado atual da arte somente se consegue temperaturas


superiores a um milhão de graus Celsius, no planeta Terra, nas
explosões de bombas atômicas com fusão de átomos de H
(hidrogênio). A espoleta para uma bomba H é uma bomba de fissão
nuclear, como aquelas que destruíram as cidades de Hiroshima e
Nagasaqui. Imaginem a terrível destruiÁão que poderia provocar a
explosão de uma bomba H sobre uma megalópole. A luz oriunda da
irradiaÁão de um artefato nuclear é tão intensa que os desavisados
ou distraídos que se encontrarem nas suas proximidades e não
protegerem suas vistas ficarão cegos permanentemente, pois terão
suas retinas seriamente danificadas.

À medida que o universo continuou a se expandir e a temperatura


continuou a cair, a forÁa de atraÁão formou as nuvens pré-
formadoras da matéria que girando no sentido de rotaÁão foi
formando as estrelas, planetas, luas, cometas etc.

A radiaÁão (na forma de fótons) vinda dos estágios primitivos bem


quentes do universo ainda hoje se encontra espalhada por toda a
parte, mas com sua temperatura reduzida a apenas poucos graus
acima do zero absoluto. O zero absoluto é de menos duzentos e
setenta e três graus Celsius, é a temperatura nas quais as
substâncias não contêm energia térmica alguma, portanto a menor
temperatura possível.

A irradiaÁão oriunda dos estágios primitivos foi descoberta pelos


cientistas em 1965, por onde quer que assentassem seus
instrumentos científicos, ouviam sempre a mesma irradiaÁão de
microondas. Segundo tudo indica, o Big-Bang foi o evento mais
violento que existiu no universo, tão violento que até hoje, 13,7
bilhões de anos após, ainda se “ouve” a radiaÁão de fundo das
microondas que se espalharam por todo o universo.

A taxa de expansão do universo foi escolhida com grande precisão


para que ficasse próxima da taxa crítica necessária para evitar o
colapso. Só existe uma explicaÁão porque o universo comeÁou
exatamente desta maneira: é que assim pretendia o Grande
Arquiteto do Universo!

A energia que faz brilhar as estrelas é produto de reaÁões nucleares,


que acontecem em ciclos (seqüências de reaÁões fechadas). O ciclo

18
nuclear básico da evoluÁão estelar é o chamado próton-próton, que
converte quatro núcleos de hidrogênio em um núcleo de hélio e
libera energia. O lugar geométrico das estrelas que obtém energia
dessa maneira para manter sua estrutura é o chamado “seqüência
principal”. Nele, encontram-se mais de 90% da estrelas da Via-
Láctea.

Existem reaÁões nucleares no interior das estrelas para,


naturalmente, equilibrar a atraÁão gravitacional para evitar seu
colapso. Imaginem essa é a mesma reaÁão obtida, na Terra, pela
fusão dos átomos de hidrogênio, durante a explosão de uma bomba
de hidrogênio!. Em outras palavras: As reaÁões nucleares nas
estrelas para que ocorra a fusão, a gravidade de uma estrela precisa
produzir temperaturas altas o suficiente para forÁar os núcleos dos
átomos a se unir, a despeito de sua tendência para repelir.

As explosões solares variam bastante em intensidade. Uma erupÁão


típica libera o equivalente a 100.000 MT de TNT. Mas mesmo as
erupÁões mais intensas emitem apenas cerca de um décimo da
energia que o sol irradia a cada segundo.

O homem jamais deveria fazê-lo em um planeta tão pequeno e tão


frágil como é o planeta Terra. Pensando bem, nenhum habitante de
qualquer planeta deveria fazê-lo, as reaÁões nucleares que ocorrem
naturalmente nas estrelas, somente deveriam ser repetidas em
planetas, após aprimoramento da tecnologia atualmente existente e
na certeza de que sua utilizaÁão seria unicamente para fins
pacíficos.

Holocausto nuclear é, sem dúvida alguma, o pior problema ecológico


que possa existir na Terra. O arsenal nuclear mundial em 1998 já
ultrapassava 39.000 megatons. Um megaton, para se ter uma idéia,
corresponde a um “trem” da estrada de ferro com vagões um atrás
do outro com 450 quilômetros de extensão, totalmente carregado
com TNT. A Tabela a seguir nos fornece dados sobre o arsenal
nuclear no nosso mundo:

ARMAS NUCLEARES NO MUNDO

LOCAL MEGATONS

URSS 25.500
EUA 12.070
FranÁa 500
China 450
Reino Unido 380
Outros países 100
TOTAL 39.000

Considerando-se que 9 (nove) bombas de 20 (vinte megatons)

19
seriam suficientes para eliminar os seres humanos nos países com
território com área de 8.000.000 de km quadrados; e que somente a
Rússia dispõe hoje em seus arsenais mais de 20.000 megatons,
chega-se á conclusão que este arsenal possui potência para liquidar
a vida dos humanos no nosso planeta, um cem número de vezes.

Em 1945, Albert Einstein dizia não saber quando nem como seria
travada a terceira guerra mundial, mas que a quarta, certamente,
seria disputada com paus e pedras.

A utilizaÁão de armas nucleares poderá criar um mundo inabitável


para os humanos, quanto a outros seres, como por exemplo, as
bactérias, estas se proliferam até nas águas de resfriamento dos
reatores, mesmo recebendo irradiaÁão de um milhão de rems*. São
praticamente imunes á radioatividade, o que não ocorre conosco,
que, ao recebermos uma pequena irradiaÁão de 400 rems,
morremos, no máximo, em duas semanas. Seu cabelo cairá, sua pele
ficará coberta de enormes feridas, você terá vômitos, diarréia e
morrerá de infecÁão ou de hemorragia, pois as células da série
branca (leucócitos) e as plaquetas de seu sangue deixarão de
funcionar.

O Planeta Terra é uma nave viva, e a bordo dela viajamos pelo


universo, situa-se em um braÁo da constelaÁão do Órion e nos
dirigimos na direÁão da constelaÁão de Hércules, que por sua vez se
dirige na direÁão do centro da Via Láctea num movimento chamado
de ápex solar, á velocidade de 72 000 km/h.

Ela (a Terra) é envolvida por uma fina camada de ozônio, que é um


isótopo especial do oxigênio e tem a propriedade de absorver a
maior parte dos raios ultravioleta do sol, aqueles que causam
queimaduras na pele e posteriormente, câncer e, em excesso
causam a cegueira. O fato de nós existirmos, e de enxergamos,
juntamente, como outros animais, deve-se a existência desta
camada de ozônio.

Quando explode uma arma nuclear, uma grande quantidade de


óxido de nitrogênio é gerada pela irradiaÁão que se espalha com a
explosão: Uma bomba de um MT (um Mega Ton) gerará dez elevados
a 32 moléculas de óxido de nitrogênio, que se erguerão na nuvem de
cogumelo atômico podendo atingir uma altura de até 22 km, onde se
encontra a camada de ozônio. Nesse ponto, essas moléculas de
óxido de nitrogênio irão destruir grande parte do ozônio, por um
período de tempo muito longo, é um processo fotoquímico muito
complexo, mais, infelizmente, muito real.

Pequena porcentagem das armas nucleares existentes na Rússia,


nos EUA, China, FranÁa, Inglaterra, se detonadas aonde se
encontram, acarretaria diminuiÁão de 50 a 70 por cento da camada
de ozônio no hemisfério norte e de 30 a 40 por cento no hemisfério

20
sul, por entendermos que as detonaÁões ocorrerão principalmente no
hemisfério norte.

A mais recente descoberta científica é que a diminuiÁão em 25 por


cento da camada de ozônio permitiria a chegada dos raios
ultravioleta no Planeta Terra com intensidade suficiente para cegar
todos os olhos não protegidos. Nós podemos usar óculos, mas os
pássaros e os animais não. Resultado todos eles ficariam cegos e
acabariam morrendo. Imaginem toda a fauna da Terra ficando cega e
morrendo dolorosamente. Como não haveria insetos para polinizar as
flores, não teríamos frutas, seria o colapso total.

Conforme citado linhas acima, o cogumelo oriundo da explosão


atômica por fusão de átomos de hidrogênio pode alcanÁar até 22 km
de altura, arrasando tudo que se encontra em seu caminho. Além da
tremenda destruiÁão da camada de ozônio na estratosfera, há que
se considerar a grande destruiÁão ao nível do solo com buracos que
podem ter até 180 metros de profundidade e infelizmente há
também que se levar em conta a destruiÁão de possíveis moradas,
em outras dimensões, existentes entre o nível do solo, a estratosfera
e abaixo do nível do solo.

A bomba H possui um grande poder de destruiÁão e seu


funcionamento, como a humanidade já constatou em diversas
ocasiões lamentáveis, nem sempre está sob nosso controle
tecnológico. Um artefato nuclear não produz necessariamente os
resultados esperados. Os terráqueos desenvolveram (outra vez)
armamentos tão poderosos que põem em perigo a vida planetária,
os espaÁos intra e extraterrestres, e possivelmente o equilíbrio das
várias outras moradas desta e de outras dimensões do sistema solar.
Infelizmente, o homem ainda não está percebendo, parece não ter a
consciência, do imenso alcance de destruiÁão que pode provocar
com suas próprias armas.

As bombas de fusão nuclear são basicamente bombas de fissão


envoltas em elementos específicos que podem sofrer fusão sob
condiÁões adequadas.

Nas décadas dos anos 50 e 60 havia, por parte dos cientistas dos
países do hemisfério norte, uma grande preocupaÁão com os abrigos
“atômicos”. Hoje, os mesmos cientistas já não se preocupam na
mesma proporÁão, porque acham que, em caso de ataque nuclear,
não adianta tentar fazer alguma coisa, porque de nada adiantaria.
Uma vez que as bombas atômicas comecem a explodir, falhas dos
sistemas de comunicaÁão, desorganizaÁão, medo, a necessidade de
tomar decisões em minutos que irão afetar a vida de milhões de
pessoas, tudo isso resultará numa exaltaÁão máxima do desespero.

Em quase sua totalidade, as galáxias estão se afastando uma das


outras, mas algumas poucas estão “navegando” na direÁão de outras

21
inclusive a Andrômeda, galáxia bem maior que a nossa Via-Láctea e
situada a 2.000.000 de anos-luz, se encaminha em nossa direÁão.
Dentro de uns poucos bilhões de anos terrestres è bem provável que
iremos nos chocar.

Atualmente percebemos a insignificância do nosso próprio planeta,


descobrimos que o tempo e o espaÁo são curvos e inseparáveis, que
o universo está se expandindo e que teve um comeÁo no tempo.

CAPÍTULO 1.2: A MECÂNICA QUÂNTICA

A mecânica quântica é um artifício que permite tornar nossas observações coerentes e


dizer que estamos dentro da mecânica quântica e que ela se aplica à nossa percepção
inconsistente. Tudo começa no micro, na nossa mente, na nossa consciência. Temos de
ter absoluta consciência de nossa consciência.

A física quântica estuda, por meio da mecânica quântica, o


comportamento dos átomos e das partículas subatômicas. Em 1.900,
o cientista alemão Max Planck sugeriu que a luz, os raios x e outras
ondas eletromagnéticas poderiam ser emitidos somente em
determinados pacotes discretos, que ele chamou de quanta (quanta
é o plural de quantum, que significa a menor partícula que existe;
que não pode mais ser dividida, é a unidade indivisível em que as
ondas ou as partículas podem ser emitidas ou absorvidas). O
quantum de luz é formado de fótons, a eletricidade pela carga de um
elétron e a gravidade por um gráviton. Os fótons de diferentes
freqüências são diferentes no sentido de carregarem várias
quantidades de energia. Isto significa, por exemplo, que um
quantum de luz violeta tem o dobro da freqüência da luz vermelha.

Em 1.926, outro cientista, W. Heisenberg, formulou o princípio da


incerteza “A natureza realmente impõe limites na nossa capacidade
de observar certos fenômenos físicos e de predizer o futuro com o
uso da lei científica”. Em outras palavras: no universo participativo
revelado pela física quântica, a nossa consciência pode, de fato,
alterar o mundo material, inclusive o nosso corpo e o nosso estado
de saúde. A consciência do observador pode, de fato, afetar a
realidade em outras palavras: querer alguma coisa modifica a coisa
que você quer.

Não observado, o objeto subatômico aparece como uma onda


estendida no espaÁo. Entretanto, no instante em que tentamos
observá-la, a onda se reduz a um ponto e se comporta como uma
partícula. O simples ato da observaÁão provoca o colapso da onda e
produz uma partícula.

Ao se tentar medir a localizaÁão e a velocidade de uma partícula (um


fóton, por exemplo) a maneira óbvia de fazê-lo é iluminar a partícula,
mas ao iluminá-la, estaremos modificando-a, logo, quanto

22
maior for a precisão com que se tenta medir uma partícula, menor
será a precisão.

A idéia de que a consciência afeta a realidade foi apresentada, e


provada por vários renomados cientistas. Ficou também
demonstrado não haver como observar as partículas subatômicas,
pois conforme acima já mencionado, o próprio processo de
observaÁão afeta o comportamento das partículas. A Física Quântica
afirma que não há espaÁo vazio, as coisas existem e não existem ao
mesmo tempo. Há dois lados em tudo - existem universos paralelos.

O mundo quântico é apenas mais um passo na escala descendente


do invisível. Os quanta estão realmente em toda a parte e em lugar
nenhum ao mesmo tempo. O menor vírus é ainda milhões e milhões
de vez maiores que uma partícula elementar. Os objetos quânticos
lampejam dentro e fora da existência previsível. No nível quântico,
matéria e energia tornam-se algo que não é matéria nem energia. A
física quântica não só é mais estranha do que imaginamos como é
também mais estranha do que podemos imaginar.

Experimentos vários provaram que a nossa consciência nos permite


influir em diversos aspectos de nosso mundo. Nossos pensamentos,
desejos, sensaÁões, emoÁões e nossas crenÁas dão forma,
realmente, ao mundo material, inclusive ao nosso próprio corpo. Ou
seja, nosso corpo é a imagem física do que estamos pensando.

É pelo conhecimento obtido através da física quântica que os


cientistas encontram explicaÁão para o fenômeno de que, dois, ás
vezes três pesquisadores, em locais distantes na Terra, não se
comunicando, encontram a soluÁão, concomitantemente, para
problemas relativos à física, química ou outras ciências. Eles não
sabem como, mas a verdade é que a soluÁão sempre esteve
presente na “sabedoria universal”. Tudo indica que, através dos
quanta eles se intercomunicaram inconscientemente.

Rupert Sheldrake estabeleceu uma hipótese que tudo que acontecer


num determinado momento, terá sua conseqüência, no futuro, em
processos similares. Chamou a este fenômeno de campos
morfogenéticos no qual existe uma memória coletiva que pode ser
recorrida por membros de uma determinada espécie

Exemplo muito interessante foi a pesquisa de um cientista inglês


que, em uma ilha remota no Oceano Pacífico, fez um emaranhado de
rotas em um tabuleiro e no outro lado do emaranhado colocou um
pedaÁo de queijo. Depois de 12 horas um ratinho conseguiu
atravessar o emaranhado e chegar ao queijo. Já no dia seguinte o
mesmo ratinho fez o mesmo percurso em 6 horas e após uma
semana já percorria todo o labirinto em apenas 5 minutos. Este
cientista desinfetou o labirinto e colocou aí outro ratinho: para sua
surpresa, em 5 minutos o mesmo já estava comendo o queijo.

23
O cientista foi para outra ilha, fez a mesma experiência com outro
ratinho e em 5 minutos lá estava ele comendo o queijo. Não
satisfeito, nosso cientista voltou para a Inglaterra, desinfetou outra
vez o labirinto e lá colocou um ratinho “inglês”. Resultado: em 5
minutos lá estava ele comendo o queijo.

Ao prospectar a confusa região de operaÁões adjacentes às


estruturas atômicas, o nível pré-matéria das ondas partículas, os
físicos modernos tiveram de deixar de lado a objetividade e a
precisão do pensamento analítico mecanicista, em prol de uma
forma de pensar apoiada em noÁões de incerteza, relatividade,
tendências, conexões não locais e interdependência mente-matéria.
Segundo a física do universo subatômico as leis naturais operam em
conformidade com o princípio das categorias afins ordenadas no
campo como tendências para existir. Em outras palavras: algo como
uma medida de probabilidade de ocorrência de um evento em
funÁão de onda quântica.

O campo quântico atua como um poder ordenador, em toda situaÁão


existe uma rede atuante de relaÁões para que as partículas possam
assumir posiÁões, criando ativamente certa ordem para que possam
ser capturadas pela mediÁão (feitas com base de relaÁões), por
observaÁão no nível microscópico. Os campos quânticos/partículas
são definíveis e observáveis somente através de sua interaÁão com
outros sistemas (qualquer coisa é definida por suas relaÁões com
outras coisas)

No mundo quântico a energia está a ponto de se materializar, e a


matéria se encontra no limite de se tornar energia. É alguma coisa
que entra e sai da existência, unificando o mundo do ser e do não
ser. A transiÁão da inconsciência para a consciência é o maior salto
quântico que se consegue dar. O homem é um ser muito especial,
com capacidade de buscar no mundo quântico aquilo que não pode
ver.

Quando rogamos Luz para a humanidade, com fé e fervor, com


certeza essa Luz, por meio dos quanta e dos campos
morfogenéticos, irá abranger a todas as creaturas terrenas e o nosso
próprio Planeta. ”Um único homem plenamente espiritual neutraliza
a profenidade de muitos milhões”. Nunca é demais que nos
conservemos com o pé no chão e deixemos a nossa inteligência voar
pelos espaÁos infinitos em busca da compreensão dos fenômenos
físicos do mundo, procurar sentir neles a grandeza do Senhor e a
trazermos para dentro do nosso EU!

24
CAPÍTULO 2: A CABALA

AMO-TE, APENAS.

Pressinto-Te no esplendor das estrelas,


Vejo-Te na beleza das tempestades.
Sei que resides no favo das abelhas,
Conheço-Te como rei das divindades.

Pressinto-Te, no sofrimento, a meu lado.


Vejo-Te como a única esperança...
Sei que é a âncora do desamparado,
Conheço-Te protegendo a criança...

A Ti recorro na aflição e na dor...


Nunca me faltaste com o Teu amor!
Jamais me faltaram os carinhos Teus...

Medito sereno nisso tudo e choro...


Não é por isso que tanto Te adoro...
Amo-Te, apenas, porque és meu D-us!

Cabala Quabalah ou Kabbalah, são palavras derivadas da raiz


hebraica KBL, significa encontrar ou receber instruÁão, admitir ou
permitir uma lei, receber ou obter Luz. A Cabala não é um privilégio
dos eruditos e dos sábios, ela pertence a todos.

Os fundamentos da Cabala são muito simples, mas viver a cabala


não é muito simples. É essencialmente uma busca por D-us ou por
qualquer outro nome com que seja chamado o Absoluto. Um dos
principais objetivos de todo trabalho cabalístico é a manifestaÁão da
realidade espiritual na vida diária. Essa proposta não se restringe a
alcanÁar os estados de consciência mais profundos ou mais elevados
que nos desligam das ocorrências mundanas; ela também transporta
esses estados de consciência para nossa vida diária.

O conhecimento da Cabala, entre nós que pertencemos á cultura


ocidental é obtido nos princípios hebraicos derivados da Bíblia. Na
Cabala, não existe indivíduo que retorne a D-us, enquanto o resto da
humanidade sofre na infelicidade e no erro. Em um determinado
nível, cada um de nós tem seu destino individual, seu espírito e seu
corpo individual, mas num nível mais profundo, toda a humanidade
faz parte do mesmo espírito, do mesmo corpo, da mesma Luz.

Se existe ódio, guerra, desordem, afliÁão, epidemia, angústia em


algum lugar do Planeta, irá influenciar negativamente o sistema
imunológico de toda a humanidade. Nossa separatividade, nossa
individualidade não passa de uma ilusão a ser superada.

25
Infelizmente os seres humanos se precipitam para o mal pelo seu
livre arbítrio. O Absoluto quer apenas que compreendamos que
aceitemos Sua Luz Infinita que chega até nós em jorros constantes,
ininterruptos, junto com o Seu amor sem limites. Mas nós, em nossa
visão limitada de nós mesmos, quase sempre nos recusamos a
recebê-La.

O objetivo primordial da Cabala é trabalhar pela suprema unificaÁão.


O retorno ao Absoluto, o retorno á Unidade. Na Cabala só existe o
presente, o agora, com oportunidade diária de cura e de
crescimento. Enquanto há vida há alguma coisa para se aprender,
que varia a cada instante, em funÁão das oportunidades de
aprendizagem e dos ensinamentos obtidos por meio de estudos e da
meditaÁão.

Nunca é demais repetir que a Cabala é uma filosofia acessível a


todos os seres humanos, seja qual for a sua religião, ou até mesmo
aos que rejeitam todas as religiões, trata-se de uma perspectiva
espiritual para toda a humanidade. A Cabala é um caminho, que nos
transforma em seres muito melhor.

A Cabala ensina que a Luz (OR ou AUR - em hebraico) quer entrar


em nós, mas, para isto, é necessário que estejamos preparados e
receptivos a Ela. É importante meditarmos sobre:

-A necessidade de termos a consciência de compartilhar a Luz


Infinita que recebemos diariamente.

-Enfrentar todos os obstáculos de forma pró-ativa e não de forma


reativa. Se vir como um ser que enfrenta todos os obstáculos de
uma forma pró-ativa (quanto mais próximos estivermos da divindade
maior a turbulência que encontraremos em nossa caminhada
terrena).

-Ajudar o próximo (dar de si). É importante concentrar-se nas


necessidades alheias.

-Ter certeza absoluta de que está saudável (qualquer doenÁa,


angústia, falta de dinheiro são apenas ilusões cridas pela mente).

-Adentrar com as nossas vibraÁões nas correntes: Azul (serenidade,


repousante), Verde (cura), Amarela (reconstituinte celular em
doenÁas crônicas e anemias), Vermelha (dinamismo, multiplicador
de energias Utilizado no tratamento de anemias), Cores outras,
Violeta (Corrente de Saint Germain, limpeza. Após a limpeza tem-se
que repor o vazio, por isso é que usualmente após sua irradiaÁão,se
irradia Luz branca ou azul) e Azul. A cor Branca (Corrente Branca do
Oriente Maior), como contém todas as cores, pode ser aplicada
isoladamente, Sugestão: Ao aplicar a Luz Branca (O branco é alegre,
é característica de altas hierarquias espirituais), deve-se fazê-lo,

26
entre outros pedidos, rogando ao Absoluto juízo aos dirigentes
planetários para obtenÁão da Paz Divina. Que este desejo ardente de
Paz esteja sempre presente no coraÁão de todos os terrestres.

-Disponibilizar-se como um receptáculo espiritual cuja própria


natureza é receber porÁões cada vez maiores de Luz. O modo de
expandir esse recipiente é fazer opÁões pró ativas.

-Beber, no mínimo quatro copos de água por dia, meditando toda


vez que beber no tema: “ser como a água”. Esse é um modo de
expandir a própria capacidade de compartilhar.

A Cabala não é e não segue nenhuma religião. É uma filosofia que nos
sugere uma nova visão dos princípios fundadores da vida, a potência
do Ser, relacionado direta e intimamente, com a nossa natureza, não
através de qualquer sentido sobrenatural, mas com as coisas
relacionadas a valores puros aplicados no dia-a-dia. Ao utilizarmos os
conceitos da Cabala, vamos ao encontro dos princípios espirituais
com relaÁão a todas as coisas que avaliamos. O estudante de cabala
lembra-se dos valores espirituais todas às vezes que se defronta
com uma situaÁão inesperada e não se esquece das profundas
experiências vivenciadas ao evocar esses valores.

Embora os efeitos possam parecer pequenos, numa primeira análise,


a soma total desses efeitos durante o período de uma vida produz
resultados positivos e de longa duraÁão.

Ao invés de aceitar os conceitos cegamente sem contra argumentar,


os que praticam a Cabala devem, sempre, fazerem-se perguntas:
“KEEP QUESTIONNING”, K.Q. Questione tudo que lhe é dito tudo que
lhe é mostrado, tudo o que lhe é ensinado! Mantenha-se sempre
questionando. A Cabala não é a última filosofia em si mesma, mas
apenas um meio para ajudá-los na busca da Verdade Eterna,
Imutável.

CAPÍTULO 3: A CABALA E O PERÍODO ANTES DO BIG BANG

A tradiÁão oral da cabala afirma que a razão da nossa da existência é


que “D-us desejava contemplar D-us”. Houve previamente uma não
existência na qual, segundo a tradiÁão “o Rosto não contemplava o
Rosto”.

D-us atua de modo creador para dentro do lugar original, onde surge
o NADA (AIN). A partir daí, ELE se torna Extra Dei, possibilitando um
agir de D-us para fora, Operatio Dei ad Extra. Somente depois do AIN
é que acontece a creaÁão. O ponto de partida da creaÁão é o nada

27
de D-us.

D-us é D-us. Nada existe que possa se comparar a D-us. Na Cabala o


D-us transcendental se chama AIN, que em hebraico significa
“Nada”, pois D-us está além da existência AIN não está abaixo nem
acima, não é movimento ou imobilidade: AIN não está em lugar
nenhum, Deus é o Nada Absoluto. AIN SOF significa “Sem Fim”. Este
é o nome de Deus que está em toda parte. Representa a totalidade
do que existe e do que não existe. Ór (ou AUR) significa Luz. AIN SOF
OR, significa a Luz infinita emanada do Absoluto que penetra da
periferia externa do Universo até o seu centro, alimentando
constantemente com Sua Energia perene e amorosa tudo o que
existe.

O “nada”, meus queridos Irmãos, contém em si toda a grandeza de


D-us. Por isso é que nosso intelecto ainda não o conseguiu
compreender bem. Há, no estágio do entendimento humano de hoje,
um paradoxo quando se diz que tudo vem do nada. Mas os irmãos
compreenderão a explicaÁão se bem entenderem o início do caminho
com o fato físico, corriqueiro até nas escolas primárias. De que cor é
a luz? Que cor tem a luz do dia? Diz-se que ela é branca porque não
é preta, é a claridade, é o nada. Mas se incidirmos um raio solar no
prisma, veremos que ele se transforma logo nas cores primárias:
vermelho, verde e violeta. Todas as demais são resultantes destas
três cores, em combinaÁões variadas. (As três cores primárias,
quando fundidas, resultam na cor branca).

A luz do sol, que aparentemente não tem cor, possui todas elas. E
quando praticamos a famosa experiência do disco com as cores
primárias á medida que aumentamos a velocidade, elas se vão
misturando, o disco vai tomando uma só tonalidade até se tornar
branco, da cor da luz do sol. Não será bem assim que se processa,
mas, podemos supor e questionar que vibraÁões diferentes,
aumentando sua intensidade, confundem-se, tornam-se nada, que,
cabalisticamente, representa D-us.

Em outras palavras, a vontade de D-us crea energia e a transforma,


por combinaÁões divinas, em espíritos, em carne dos homens e dos
animais, em cor das flores, dos frutos, dos vegetais, em ouro,
platina, em carvão, em água e em tudo que existe.

O que D-us fez foi crear um espaÁo para a creaÁão do Universo


mediante a remoÁão de Si mesmo deste espaÁo, pela creaÁão de um
outro espaÁo vazio, no qual Ele ainda não existisse. Houve o Big-
Bang e o Infinito estava creado neste fantástico instante. Em outras
palavras: Antes da grande explosão, havia uma Energia Infinita pura
e amorosa.. Esta energia só procurava ajudar, repartir, mas repartir
com quem! Assim essa Energia creou a Luz doando-a para um
Recipiente. Mas este Recipiente queria o poder do Doador, voltando-
se contra a Luz, e só por um momento recusou-se a recebê-La. E

28
nesse momento aconteceu a grande explosão, o Big Bang, no qual
passou a existir nosso Universo com matérias visíveis e invisíveis.

D-us, carregando o sobrolho,


Disse um dia: “Faça-se a luz!”
E depressa a luz foi feita.

Depois, franzindo o sobrolho,


Mandou: “Condense-se o nada!”
E o nada se condensou.

Enérgico, de olhar firme,


Ditou: “Faça-se a explosão!”
E o nada se desintegrou.

Trabalhador incansável,
Disse para um dos grãozinhos:
-“Esfrie!”-ele se esfriou.

Obedecendo-Lhe rápido,
Logo os mares se formaram
E os continentes também.

Fez um gesto forte e largo,


O paraíso criando
Com o belo e o tranqüilo.

Depois, não mais ordenou.


Ele mesmo pegou o barro
E, soprando, lhe deu vida...

Colocou no paraíso
O barro divinizado...
Mas viu que o barro era triste...

Apanhou um raio de luz,


Mel, o perfume das flores
Mais o frescor das cascatas...

Misturou tudo na mão,


Acrescentando carinho,
Renúncia, amor, lealdade...

Contemplou a obra... sorriu...


Era a música celeste...
Entregou ao barro triste...

Tinha creado a Mulher!

29
Quando as portas da percepÁão são abertas tudo parece como Ele é:
Infinito. No início do início, só havia Ain Sof:- Energia Infinita
representada pela Luz branca que está em toda parte e em tudo.
Não havia espaÁos vazios ou escuros, somente a Luz branca de Ain
Sof, ilimitada, que se irradiava por toda parte.

CAPÍTULO 4: A ÁRVORE DA VIDA

A Árvore da Vida é uma representaÁão simbólica das relaÁões que


existem entre o Absoluto e a humanidade. Em se tratando de algo
simbólico, temos que estudar o significado dos seus símbolos, suas
aplicaÁões e as inter-relaÁões entre os mesmos. A finalidade maior
dos estudos relacionados com a Árvore da Vida é elevar o nosso
nível de consciência através da meditaÁão sobre o significado das
Sefirot (carruagens), e dos caminhos que as interligam. Entre as
utilizaÁões abstratas ou especulativas que podemos fazer com a
árvore está a sua capacidade de responder à pergunta filosófica de
onde viemos e como chegamos á nossa situaÁão atual.

A Árvore responde que viemos em fluxos do estado não manifestado


da preexistência e descemos ao estado atual por meio de um
processo de emanaÁão e derramamento. Esses fluxos penetram na
Árvore pelo seu cume (Keter) e desce continuamente por
transbordamentos, em dez etapas até a sua porÁão mais inferior
(Malkut). Cada etapa, ao transbordar, dá origem a uma emanaÁão
ininterrupta que preenche a Sefira seguinte e assim continua até a
última Sefira, que representa a nossa condiÁão atual de existência
corpórea concreta.

No princípio O Nada (Ain) era o que existia


Mas a Potência (Soph) do Nada era infinita
Do infinito O Increado (Ain Soph)
Envia-nos a sua Luz (Or) continuamente.

Ain representava o Nada que existia


Soph simbolizava a potência infinita
Ain Soph simbolizava o Absoluto
Ain Soph Or simbolizava a
Emanação de sua Luz Infinita.

As emanações da Luz Infinita


Adensando-se em um ponto
Formaram Kether, no cume, na coroa,
No alto da cabeça e num ponto
Mais alto que a própria cabeça.

30
De Kether a Luz Infinita se dividiu em três:
-para Binah (entendimento)
-para Chokmah (sabedoria)
-para Tifereth (beleza) Após passar por Daat (conhecimento).

De Binah as emanações se dividiram:


-para Geburah (severidade, justiça)
-para Tifereth (beleza)
-para Chokmah (sabedoria)

De Chokmah a emanação se dividiu:


-para Chesed (misericórdia)
-para Tifereth (beleza) e
-para Binah (entendimento).

De Geburah a emanação se dividiu:


-para Chesed (misericórdia)
-para Tifereth (beleza) e
–para Hod (glória)

De Chesed a emanação se dividiu:


-para Geburah (severidade, justiça)
-para Tifereth (beleza) e
-para Netzach (Vitória)

As 5 emanações recebidas por Tifereth


Dividiram-se em 3 emanações:
-para Hod (glória)
-para Netzach (vitória) e
-para Yesod (fundação).

As emanações recebidas por Yesod


Junto com as emanações advindas de Hod e
Netzach se dirigem a Malkut (reino).

A Luz Divina (Ain Soph Or) é o máximo que podemos perceber,


enquanto encarnados,
como EmanaÁão Divina. Constitui, para nós, a visão máxima advinda
do Absoluto, pois até onde sabemos, ”ninguém jamais viu D-us. O
Filho Unigênito, que está no seio do Pai, esse O revelou”. A Luz que
recebemos é proporcional à luz que compartilhamos.

Na realidade, D-us, o Pensamento, Mente ou Logos (Razão) Universal,


é invisível, uma forÁa, uma energia infinita auto-sustentável, perene,
constante; é a vida, o amor, a substância, a essência de todas as
coisas que existem. Ninguém pode vê-lo, no sentido do verbo grego
“orão”, ou seja, contemplar com os olhos.

D-us não faz exceÁão de pessoas. Dá a todos igualmente, mas cada

31
um recebe de acordo com sua capacidade receptiva, conforme a sua
evoluÁão. Eu Sou a presenÁa de D-us em aÁão! Portanto: “Vibre com
D-us, de tal forma, que todos que chegarem a você sintam, não a
você, mas ao D-us que está em você”.

As EmanaÁões Ain Soph Or se manifestam em 10 dimensões


diferentes, comeÁando pela Sefirá mais inefável (Kether) e
terminando pela Sefirá mais densa (Malkut). O mundo adquiriu vida
através de 10 palavras divinas, as Sefirot, que são ferramentas
divinas do Governo Divino. Os místicos descrevem-nas como as 10
Faces, as 10 Mãos ou mesmo as 10 Túnicas de D-us.

Quando descrevemos as 10 Sefirot estamos nos referindo às


energias metafísicas, a 10 níveis de consciência. As Sefirot
constituem um escudo protetor, um filtro que amortece a grande
intensidade da Energia da Luz Infinita. Somente em dias muito
especiais é possível recebermos em Malkut (onde nos encontramos)
a Luz diretamente de Binah, sem passarmos pelo Zeir Anpin.

A subida pelos degraus da Escada da TransformaÁão ocorre na


medida em que modificarmos o Desejo de Receber para Si mesmo
em desejo de Compartilhar, tornando-nos como a Luz. As energias
de Malkut se nos apresenta um paradoxo: “Só posso receber energia
se estiver preparado para ficar sem recebê-la”.

Todos coincidem em considerar que as Sefirot expressam os


Atributos Divinos, os quais desde o primeiro momento da EmanaÁão,
são eternamente mantidos numa série de relaÁões até que por
vontade divina voltem ao Nada, fundindo-se de novo no Vazio.

As relaÁões entre as Sefirot regem-se por três princípios divinos não


manifesto (esplendores ocultos):

-A Vontade Primordial
-A Misericórdia e
-A JustiÁa ou Rigor

A Vontade mantém o equilíbrio, a Misericórdia expande e o Rigor


contrai o fluxo da emanaÁão, organizando os 10 atributos divinos
segundo um arquétipo específico: a Árvore da Vida. É neste
arquétipo que se baseia tudo aquilo que for chamado a se
manifestar.

A Luz Infinita, perene, constante, oriunda de nosso Pai Eterno é uma


energia poderosa e muito sutil ao chegar a Kether e á medida que
vai descendo para as Sefirot inferiores vai adensando-se, até tornar-
se aÁão, coisas da Terra. Ao contrário, pela “Kundalini” ao
ascendermos do degrau mais baixo aos degraus mais elevados da
Árvore, a Energia Infinita irá tornando-se cada vez mais sutil.

32
Se perguntarmos à Árvore onde estamos no presente momento e
como poderíamos voltar à condiÁão de bem aventuranÁa que
usufruíamos de onde viemos, ela nos dirá que atualmente estamos
na esfera da manifestaÁão, Malkut (o Reino), que consiste da vida
neste nosso mundo. Poderemos recuperar a nossa bem
aventuranÁa, quando de nosso estado original, ao nos expandirmos
através da mente, ou da consciência, galgando os mesmos caminhos
utilizados, mas em sentido inverso, quando de nossa jornada
primitiva no rumo da materialidade.

Como somos mortais, desejosos de recuperar a nossa consciência


como seres celestiais, será necessário que conheÁamos a Árvore da
Vida subindo por ela, como se estivéssemos indo da terra para a
copa de uma árvore. Desta maneira, comeÁaremos, subindo as 10
Sefirot pela primeira, a mais inferior, que é Malkut.

Cada nível é composto de dez outros sub-níveis. Dentro de cada sub-


nível há outros dez sub-níveis. Nossa missão é a conquista de cada
etapa, até chegar à energia de Kether de cada nível.

MALKUT- (DAVID/REINO/OSSOS/MUSCULOS/PÉS/MÃOS)

Malkut, o Reino, é visualizado por uma jovem coroada e entronizada,


representa a nossa condiÁão atual, simboliza a descoberta dos
mistérios do universo físico, cura física e superaÁão da inércia e da
indolência. Os 4 elementos do nosso Planeta: Terra (sentimento),
Água (emoÁão), Fogo (pensamento), e Ar (intuiÁão) são os seus
componentes. Temos de aprender suas leis para podermos subir
para as outras Sefirot da Árvore.

Malkut, Sefirá onde nos encontramos, representa o ponto inferior do


Universo. É o degrau mais baixo, situa-se na base do mundo. Faz-nos
lembrar que o nosso Planeta se encontra situado entre os pouco
evoluídos. Entidades superiores quando em viagens interplanetárias,
evitam passar por perto do Planeta Terra, para não sentir as suas
vibraÁões desagradáveis e, quando por aqui aportam, o fazem
espontaneamente como missionários, com a finalidade de, através
de exemplos próprios, nos ensinarem como caminhar na direÁão da
Luz.

É através de Malkut, por meio de nossos sentidos físicos: visão,


audiÁão, olfato, tato e paladar, que recebemos as informaÁões a
respeito de nosso mundo. Essas informaÁões são processadas no
nosso subconsciente em Yesod. Os pensamentos e as emoÁões são
processados em Netzach e em Hod, alojam-se no inconsciente e
transformam-se em ímpetos para nossas aÁões. Tempo, movimento
e espaÁo só existem em Malkut.

A evoluÁão do homem comeÁa da base para cima, em funÁão de


nossos esforÁos neste nosso mundo. O Absoluto mostra-nos a sua

33
presenÁa constantemente, mas somente quando da utilizaÁão do
nosso livre arbítrio para vencer o nosso egoísmo (também chamado
de o grande Satã) e desejo de sentir Sua presenÁa é que a conexão
espiritual pode ocorrer. Quando agimos corretamente, podemos
sentir o fluxo da Energia do Absoluto descendo até nós suave e
perene.

Malkut é a Sefirá mais importante, porque é aí que se dá a


manifestaÁão é aí que percebemos que recebemos o quanto
doamos. Só estaremos preparados para galgar mais um nível da
árvore da vida, quando também estivermos preparados para a
possibilidade de não alcanÁá-lo. “Só consigo quando renuncio”, é um
paradoxo: só posso receber energia se estiver preparado para não
receber.

Para irmos de Malkut a Yesod temos de vencer o primeiro grande


abismo: O Portal de Satã (que é o nosso egoísmo) e podemos
garantir que o nosso egoísmo constitui uma barreira formidável,
muito difícil de ser vencida. Quanto maior for a nossa resistência ao
desejo egoísta, maior a nossa capacidade de receber Luz e nos
tornarmos co-creadores.

Existe Malkut de duas naturezas: Malkut corrigido e Malkut não


corrigido. Malkut corrigido é quando, por nossos atos aÁões e
intenÁões estamos subindo a arvore e não corrigido é quando
estamos descendo-a, para as Klipot.

A Lei das Afinidades estabelece que, se compartilharmos a Luz


Infinita e reter apenas muito pouco para nós mesmos, estaremos
recebendo cada vez mais Luz para compartilhar. Porem se o infinito
desejo de receber for somente para nós mesmos, estaremos
canalizando a Luz pelas colunas do julgamento, canal este que
alimenta o Mundo de Malkut não corrigido, o Mundo das impurezas, o
Mundo das Klipot.

Quando a energia surge e em seguida desaparece, como quando a


energia vem diretamente de Biná para Malkut (sem ser filtrada pelas
Sefirot existentes entre ambas) estaremos alimentando os sistemas
de impureza, Estaremos recebendo Luz momentaneamente, assim
como um “flash” que logo se apaga e o pior vem logo a seguir, qual
seja a compulsão por mais prazer momentâneo. É o caso de pessoas
viciadas: Quanto mais eu quero, mais eu quero! As conseqüências
são doenÁas, ansiedade, medo, tristeza, depressão e morte
prematura.

Os obstáculos (dificuldades, aborrecimentos, doenÁas) são


propulsores para subirmos mais rápido na espiritualidade, as dores
são instrumentos de progresso. Quando estamos em Malkut (Sefirah
Um) temos à nossa disposiÁão energias mais sutis em nove outras
dimensões para conexão com a Luz Infinita.

34
YESOD (YOSSEF/FUNDAMENTO/ÓRGÃOS SEXUAIS/COLUNA
VERTEBRAL)

Yesod é a base, o fundamento, o tronco no qual se apóiam as Sefirot


superiores da Árvore. É representado por um vistoso homem nu
muito forte e simboliza a descoberta dos mistérios dos níveis astrais
e da energia lunar; percepÁão do funcionamento das energias
universais; conexão com o Plano Divino. Os cabalistas consideram-no
como o lugar onde a semente está armazenada; portanto Yesod
simboliza os órgãos sexuais. . A união sexual, por amor, entre um
homem e uma mulher é considerada como a vibraÁão máxima
possível dentre todas, pois a harmonia é alcanÁada nos níveis físicos
e espirituais e tem a possibilidade de dar origem a um novo ser.

Yesod representa a energia lunar, percepÁão do funcionamento das


energias universais, conexão com o Plano Divino. É o ponto de união
entre Tifereth e Malkut. Quando alcanÁamos o equilíbrio desses
aspectos em nós mesmos desenvolvemos nossa capacidade de
liderar. Yesod é a sede das forÁas psicológicas orientadas para as
funÁões biológicas, ou pelo menos para as funÁões que possuem
uma forte ligaÁão com essas funÁões.

Quando alcanÁamos o equilíbrio dos aspectos masculinos e


femininos em nós mesmos, desenvolvemos nossa capacidade de
liderar e percebemos que a energia psíquica pode ser vencida,
sublimada e afastada da funÁão puramente instintiva, de forma a
nos tornar aptos para recebermos a forÁa necessária para subirmos
mais uma Sefirah na Arvore.

HOD ARON/GLÓRIA/BAÇO E PÃNCREAS)

Hod ou Glória é simbolizada por um hermafrodita (A palavra


hermafrodita vem de Hermafrodito filho de Hermes e Afrodite. Diz-se
de seres que possuem órgãos reprodutores dos dois sexos). Hod é
dependência, é o ser fragilizado que necessita de proteÁão e de
ensino. Simboliza a descoberta dos mistérios dos sistemas de
informaÁões e das energias mercurianas; veracidade; maior
capacidade de comunicaÁão clara e concisa.

Quando buscamos conhecimento com alguém mais instruído que


nós ou pedimos auxílio a uma pessoa com grau de instruÁão superior
ao nosso podemos afirmar que estamos em estado de Hod. Outras
formas de vivermos em estado de Hod são ler bons livros, fazer
cursos, solicitar a um cientista que nos ensine uma habilidade que
possuem ou mesmo assistir a documentários em canais de ciências.
Representa também nossos pensamentos, muitas vezes traduzidos
em desejos, emoÁões e atos.

35
Devemos ficar em silêncio com nossos pensamentos e com nossos
desejos e emoÁões, avaliando-os sempre segundo suas
procedências. Pensamentos negativos deixam-nos abatidos,
prejudicando nossa auto-estima e nosso equilíbrio. Uma forma
bastante eficaz de examinarmos nossos pensamentos é fazer um
registro dos mesmos, dia após dia, e rele-los sempre que se achar
necessário. Com isso estaremos rotulando-os e classificando-os, de
modo a podermos examiná-los mais detidamente e julgarmos sua
validade. Mais tarde, ao levarmos em consideraÁão o que a Cabala
ensina sobre nossas conexões com o próximo e nossa necessidade
de praticar a caridade, iremos queimar essas anotaÁões e retirar o
poder dos pensamentos negativos. Mais adiante os Irmãos irão
encontrar, neste livro, um Capítulo sobre o poder da mente/
pensamento.

NETZAH (MOISES/VITORIA/BEXIGA/RINS)

É a Sefirah dos desejos e das emoÁões, é representada por uma bela


mulher nua. As emoÁões são elementos positivos, nos levam a ter
compaixão dos nossos Irmãos, nos levam também a ter satisfaÁão
pela vida e nos incentiva a promover mudanÁas nas áreas de nossa
existência que estão nos causando desconforto ou sofrimento. O
desejo e a emoÁão exacerbada podem levar a um excesso de paixão,
a um fanatismo. A raiva, em pequenas doses pode ser tolerada,
porém as mais das vezes é desnecessária e é uma grande
consumidora de energia. Ela está ligada a outros sentimentos:
desejos e emoÁões que, armazenados em nosso subconsciente,
poderão nos levar a interpretar negativamente as aÁões inocentes do
próximo.

Os cabalistas não recomendam a repressão dos desejos e das


emoÁões, mas sim reconhecer sua existência, pesquisar a sua
origem e estudá-los, dando a eles o seu devido valor, ao invés de
reprimi-los, o que constitui uma receita de saúde psicológica: pois
quem reprime sentimentos e emoÁões, quem nega os sentimentos
de raiva, fica mais escravizado a tais emoÁões do que aqueles que
lhes reconhecem a existência, lidando com elas de forma
construtiva. A repressão não é o modo apropriado de agir da Cabala,
e sim a moderaÁão.

É importante termos consciência do momento em que passamos a


sentir as emoÁões e do motivo que as desencadeou. Mais
importante ainda é sabermos que nós não somos nossas emoÁões, e
as nossas emoÁões não são o que somos. Podemos optar por agir em
funÁão da raiva, mas devemos estar prontos para receber as
conseqüências dela, por isso é de todo conveniente avaliar bem o
que desejamos. A seqüência adequada das prioridades emocionais
deve ser concluída em Netzah. Os desejos e as emoÁões são
passíveis de observaÁão silenciosa, podemos percebê-las, estudá-

36
los, mas não devemos agir em funÁão dos desejos e das emoÁões e
sim de acordo com os ditames de nossa própria consciência.

TIFERETH (JACOB/BELEZA/CORAÇÃO/SISTEMACIRCULATORIO)

Tifereth ou Beleza é representada por um rei imponente, uma


crianÁa e um deus sacrificado. É nesta Sefirah que se obtém a
descoberta dos mistérios da beleza e harmonia, das energias solares
e da consciência centralizada. A energia da alma é estimulada em
Tifereth e se manifesta na vida, representa também o sentimento
oriundo do coraÁão. Representa o centro do infinito desejo de
receber para si mesmo para compartilhar,

Tifereth é o cerne da Árvore e o principal centro de gravidade interna


dos nossos seres. Como a harmonia e o equilíbrio são as virtudes
máximas da Cabala e essa é a mais harmônica das dez Sephirot, ela
representa um estado cuja beleza e encanto são indescritíveis. Ela
representa o cerne da nossa natureza humana e o ponto de encontro
de nós humanos com o Homem-Deus. Tifereth poderia ser
equiparada ao topo do monte Sinai, onde Moisés encontrou-se com
Deus e recebeu as Suas Leis, representando um elevado estado de
consciência que o homem é capaz de atingir.

A harmonia e o equilíbrio localizam-se no centro da Árvore porque os


excessos não são positivos, mesmo se o excesso for de uma coisa
boa. O equilíbrio entre Chesed e Geburah, representa a harmonia no
nível cósmico. A justiÁa divina (Geburah) deve ser sempre exercida
com misericórdia (Chesed). No nível individual, a harmonia e o
equilíbrio existem na personalidade quando juntamos dentro de nós
a benevolência e a severidade. Quando Tifereth está em equilíbrio,
sua simetria inclina-se para Chesed, para o lado da clemência e da
misericórdia divina.

Tifereth se relaciona ao encontro do equilíbrio entre duas coisas e


também ao ato de reunir duas coisas. Conseguir a reconciliaÁão
entre duas personalidades é um ato divino, porque representa a
união das partes que se colocaram distantes das leis do Absoluto.
Promover as pazes entre irmãos, pais e filhos, parentes, ex-amigos,
colegas, casais ou naÁões que se inimizaram, são atos muitos
positivos que se reverberam na esfera divina.

Praticar a consciência de Tifereth é encontrar formas de equilibrar os


atos de dar e receber, é encontrar o ponto central do equilíbrio. Se
dois conhecidos estão se desentendendo, vamos tentar conseguir
uma soluÁão conciliadora, no intuito de se chegar, pelo senso
comum, a uma soluÁão amigável. É importante encontrar um meio
de sanar brigas entre vizinhos, parentes ou amigos.

37
GEBURAH (JULGAMENTO/VESÍCULA BILIAR)

Geburah é representado por um poderoso guerreiro em seu carro de


guerra. Simboliza o desejo de obter, de receber, de adquirir; é a
ambiÁão, a fonte da energia criativa e artística, o ímpeto de inventar
e descobrir novas coisas.

É através de Geburah que existe a garantia de sobrevivência da


espécie, porque sem ele não haveria atividade sexual, nem sequer o
desejo sexual. Geburah é a causa primordial de nosso impulso e
energia, é a vontade de mudar o “status quo” das coisas, visando
melhorá-las.

Geburah corresponde ao nosso bom-senso, ao nosso bom juízo e á


nossa disciplina, nos lembra de termos menos pressa ao praticarmos
as nossas doaÁões e que devemos fazê-las num ritmo que possamos
mante-las em um tempo justo e numa quantidade apropriada para a
pessoa que a recebe. Lembra-nos de estabelecer limites, usar o
bom-senso e compatibilizar nossa dádiva com a situaÁão, e não
apenas com nossos desejos impulsivos.

Geburah corresponde ao nosso bom juízo e à nossa disciplina, nos


lembra de ter menos pressa e fazer doaÁão num ritmo que
possamos sustentar uma quantidade apropriada para a pessoa que
recebe. Lembra-nos de estabelecer limites, usar o juízo e
compatibilizar nossa dádiva com a nossa situaÁão financeira, e não
apenas com nossos desejos impulsivos.

Para vivenciar Geburah, os cabalistas nos recomendam analisar as


áreas de nossa vida que se desequilibraram pela excessiva atenÁão
que lhes demos: comer em demasia, falar mal dos políticos ou ver
televisão muitas horas. Devemos estabelecer um programa para, aos
poucos, reduzir a atividade excessiva, concentrando-se em metas
que se deseja realizar. Por exemplo: estudar uma língua estrangeira,
ler um bom livro, dar uma caminhada em local prazeroso onde se
possa entrar em silêncio profundo, estado de alfa, ou simplesmente
meditando sobre assuntos transcendentais.

Se suas energias estão se esgotando ao entregar-se para atender as


necessidades do próximo ou então se o irmão pensa que estão se
aproveitando de você há que estabelecer limites. Os limites são
necessários em nossas vidas. Em resumo: a gente deve ser bom,
misericordioso, mas bobo não! E é em Geburah que encontramos
forÁa para estabelecer esse limite. É através de Geburah que
trabalhamos para obter os mistérios da forÁa e do uso das energias
marcianas; mudanÁas intencionais; e o despertar das forÁas interior
e exterior.

38
CHESED (MISERICORDIA/ABRAÃO/FÍGADO)

Chesed é representado por um poderoso rei coroado e entronizado;


simboliza o desejo de ajudar, de doar de si mesmo, de prover.
Chesed é misericórdia, benevolência. Refere-se ao amor
incondicional do Absoluto. Quando demonstramos benevolência
ajudamos ao progresso da Terra, porque esses atos facilitam a
unificaÁão entre os seres humanos, aumentam a compaixão e a
solidariedade pelo sofrimento do próximo. Estaremos no estado de
consciência de Chesed sempre quando nos preocuparmos com o
próximo. Obtém-se a cura quando nossa consciência pode influir e
interagir de modo altamente positivo com o próximo.

Sem a caridade não há salvaÁão! Este é um lema importantíssimo,


pois representa a natureza intrínseca de Chesed. A caridade é um
ato de benevolência, e existem muitas outras formas de praticá-la,
além das proverbiais doaÁões. Muitas vezes um simples aceno de
mão, pronúncia de palavras de carinho, atenÁão com o próximo... e
com isso estaremos adentrando, nos aprofundando nos mistérios de
Chesed.

As boas aÁões produzem a vida e as más aÁões apressam a morte.


O Planeta Terra é um planeta de sofrimento, pois no estágio em que
presentemente nos encontramos é através dele que progredimos. O
sofrimento é um dos estranhos caminhos do Senhor, por isso uma
simples gentileza, por mínima que seja a doaÁão de uma simples
moedinha tem a capacidade de percorrer grandes distâncias e
esparramar Luz sobre muita gente.

Chesed se refere ao ato de dar e também ao ato de receber, isto é, a


nossa própria capacidade de receber o que nos é oferecido por
outros. Quando alguém de boa vontade tenta nos ajudar, mas
recusamos a ajuda, não estamos contribuindo para o equilíbrio. O
equilíbrio emanado de Chesed significa reconhecer nossos limites e
respeitar os limites de nossos Irmãos.

Durante os períodos de sofrimento intenso, devemos estar


capacitados para entender que o Absoluto permite que isso
aconteÁa com amor, para nos ajudar, para agilizar o nosso
progresso. Não vamos afirmar que o sofrimento não seja um
sofrimento, o que os cabalistas entendem é que o sofrimento são
bênÁãos, são liÁões, para que possamos progredir mais rapidamente
na senda da perfeiÁão. A doenÁa é uma providência divina para que
mudemos o rumo de nossa vida.

Quando argumentaram com Chico Xavier que sendo ele um médium


poderoso e que através dele as entidades espirituais tinham aliviado
as dores de tanta gente, porque ele não recorria a seus guias para
que lhe retirassem um câncer que lhe afligia. Sua resposta foi algo
desconcertante para nós simples mortais: “Em primeiro lugar quero

39
que vocês saibam que, por ser médium não tenho direito a nenhum
privilégio, mas nenhum mesmo, assim é a Lei”. Em segundo lugar
quero vos afirmar que “GraÁas a Deus estou com câncer”, pois
quando desencarnar e me perguntarem se tive alguma doenÁa
grave na Terra, direi: tive sim, tive câncer, e isto me garantirá um
lugar melhor no outro lado. Meus Irmãos: Se algo em sua vida lhe
esteja acarretando sofrimento, reflita e tente ver se existe
ali alguma lição, ou uma benção oculta.

Em Chesed estudam-se os mistérios do amor e do uso das energias


jupterianas; despertar da paz e do amor e os poderes advindos da
abundância. A história de Jacó pode parecer radical para muitos de
nós, mas ilustra um importante princípio cabalístico: nossa profunda
necessidade de compartilhar, de repartir, de fazer algo de útil.

O fígado é um órgão de purificaÁão, é o grande órgão regulador, sua


funÁão é vital para a digestão e processamento dos nutrientes vindo
dos alimentos. O fígado é um laboratório bioquímico do corpo, sendo
responsável por: maetabolismo das gorduras/ metabolismo dos
aÁúcares/ metabolismo de algumas vitaminas e dos medicamentos/
produÁão de anticorpos/ eliminar os resíduos orgânicos/ regular e
armazenar o sangue. Ao tentarmos auxiliar o próximo: muito
cuidado, primeiro tenho que me preparar para depois ajudar. Alguém
lá embaixo, no momento que o Irmão for puchá-lo para cima-não ser
puchado para baixo!

DA-AT (CONHECIMENTO, INTELIGÊNCIA)

Da-at simboliza o conhecimento, inteligência. É também chamada de


não Sefirá, por ser uma Sefirá oculta. Em Da-at faz-se a descoberta
dos mistérios do lado sombrio da existência; exploraÁão das
profundezas interiores; conhecimento da ponte multicolorida.
AtenÁão meus Irmãos: Conhecimento é diferente de sabedoria.

Em todo o mundo há duas espécies de pessoas: o que sabem e as


que não sabem, e o conhecimento é importante possuir. Há que se
distinguir entre a verdade e a mentira; deveis aprender a ser
verdadeiro em tudo: no pensamento, na palavra e na aÁão. A busca
do conhecimento, em cada lugar ou época, sempre exigiu um
grande esforÁo de nós, a compensaÁão por esse esforÁo é um
prêmio que nenhum dinheiro pode pagar: a constante capacidade de
autotransformaÁão. O conhecimento faz com que sejamos capazes
de reinterpretar o que sentimos como sendo verdadeiro.

“Quando o discípulo está pronto o mestre aparece”. O “mestre” é o


conhecimento, não é uma pessoa física. Todo conhecimento chega
até nós através do esforÁo pessoal. O conhecimento é fundamental,
mas deve vir acompanhado de aÁão ou de manifestaÁão. Muito
cuidado, a Cabala lhe dá informaÁão que, transformada em

40
conhecimento lhe dá autoridade. Autoridade exige responsabilidade.

Da-at é a oitava Sefirá, a Sefirá invisível, é representada por Plutão,


que simboliza o abismo insondável, o invisível e o conhecimento.
DAAT também representa as nossas dificuldades. Conhecimento
espiritual que separa o ser comum do grande sábio. Cuidado porque
o conhecimento tem a tendência de ser destrutivo. O conhecimento
superior é a intuiÁão. As transformaÁões no nível de Plutão-Daat são
imutáveis, causam profundas alteraÁões em todos os níveis
estruturais: físico, emocional e espiritual.

BINA (ARMAZÉM CÓSMICO/APARELHO DIGESTIVO/ENERGIAS


TELÚRICAS/COMPREENSÃO)

Biná é caracterizada pela compreensão, e é representada por uma


figura de mãe. Simboliza a descoberta dos mistérios do silêncio e da
discriÁão, aumento da compreensão, percepÁão de que todas as
coisas se integram à unidade. Biná representa todo o trato digestivo:
da boca aos anus: boca, língua, garganta, estômago, intestino
delgado, intestino grosso e anus. Apenas 3% do que nos
alimentamos é aproveitado pelo nosso corpo, principalmente pelos
intestinos, por isso a medicina está realizando estudos mais
profundos para verificar até que ponto isto esta relacionado com a
“inteligência”seletiva dos mesmos.

Os cabalistas ensinam que Biná é a Sephirá mais elevada a ser


alcanÁada enquanto aqui na Terra como encarnados, e que além
deste ponto não mais existe o “eu”, portanto imaginar ou conhecer o
que está acima de Biná se nos apresenta ser quase que impossível.
Biná nos demonstra que estamos ligados uns aos outros, que temos
todos a mesma responsabilidade perante o nosso semelhante,
embora possa parecer que as rotas individuais sejam divergentes.

É em Biná que devemos examinar nossas aÁões, para verificar se,


inadvertidamente, fizemos algo que possa prejudicar o próximo. Para
nós, os cabalistas, esse exame deve ser uma obrigaÁão diária a ser
realizada, questionando-nos quanto a nossas aÁões, palavras e
pensamentos. Por outro lado, se formos os alvos de aÁões de outrem
que visem nos prejudicar, devemos reservar tempo, antes de dormir,
para estudar nossos sentimentos com relaÁão a essas aÁões, tentar
compreender os porquês e meditar sobre o que aconteceu, evitando
guardar rancor pelo irmão que se mostra , naquele momento como
agressor que, daí por diante passará a ser visto sob uma nova
perspectiva.

Biná é uma Sefirá especialmente dedicada à prática meditativa, pois


se concentra em algo tangível, qual seja uma aÁão incorreta.
Meditando sobre nossos erros com relaÁão a algo que fizemos, nos

41
capacita a transformar o erro em liÁões importantes para que os
mesmos não se repitam.

CHOCHMÁ (SABEDORIA/PULMÕES/ENERGIAS CÓSMICAS)

Chochmá é representado por um homem barbado. Em Chochmá faz-


se a descoberta dos mistérios do propósito e da iniciativa; aumento
da sabedoria e percepÁão do planejamento universal, à medida que
ele se manifesta no mundo físico.

A partir de Chochmá, devemos aumentar nossa ligaÁão com todas as


coisas existentes no Universo. Chokmah é a primeira Sephira a
receber a Luz de Kether, enviando-a, a seguir para Binah, Da-at e
Tiferet . A cabala nos ensina que não deveríamos matar nem ferir
nenhuma planta ou animal, a não ser quando muito necessário para
a nossa subsistência. Ao comermos devemos estar conscientes que
tudo está ligado a nós e ao Absoluto.

Para podermos viver com a consciência em Chokmah devemos sentir


gratidão pelo que possuímos. Devemos reservar tempo para
apreciarmos as boas coisas de nossa vida, concentrar-nos nas coisas
que nos traz satisfaÁão, paz interior, alegria, quer seja com relaÁão a
pessoas, quer seja com relaÁão a lugares ou música.

Podemos e devemos mostrar gratidão às nossas amizades,


aproveitando as ocasiões para tanto, quer seja reservadamente,
quer seja na presenÁa de outras pessoas. Tudo no mundo está
interligado e, portanto, não devemos jamais sentir solidão, pois
nunca estamos sozinhos. Se as entidades visíveis não estão
momentaneamente conosco, por certo as entidades invisíveis estão.

Chokmah representa a sabedoria e a sapiência (sabedoria em aÁão)


que são diferentes do conhecimento. Existam pessoas capazes de
reter frases de trechos inteiros de peÁas, e de dizer estas frases
diante de uma platéia. Estas mesmas pessoas não saberiam o que
fazer se fossem convidadas a escrever uma peÁa ou de reunir
palavras e idéias que concretizam a sua continuidade. O
conhecimento obtido com o intelectualismo pode ser e é
ultrapassado com bastante freqüência, o conhecimento oriundo da
sabedoria nunca é ultrapassado. Quando o intelectual divide o que
sabe torna-se um sábio.

Quando a Sabedoria do Absoluto é conferida ao homem, ela o torna


consciente do fato de que a soma total de tudo que ele é, gostando
ou não, é o resultado de seus próprios feitos. O verdadeiro sábio é
mestre de si mesmo, percebe a existência do poder divino dentro de
si e descobre como transformar seus caminhos para alinhar-se com a
Lei cósmica. O sábio nunca discute, embora esteja com a razão.
Apesar de ter vantagens, jamais faz uso delas.

42
A fé no Absoluto cresce; pois a esperanÁa une-se á fé, e os erros
pessoais do passado passam a parecer passível de correÁão no
momento presente. Compreende que seus fracassos e suas
enfermidades nada mais são que uma conseqüência de suas atitudes
equivocadas, do erro humano, e de uma deliberada resistência á
uma vida com a consciência mais voltada para uma busca para o
Absoluto. Homens e mulheres mais uma vez obtêm permissão para
adentrar a existência primordial e participar de um drama cósmico,
no qual a união com a sabedoria divina resulta em um progresso
espiritual de tamanha dimensão celestial que chega a atordoar a
imaginaÁão.

Através da fonte da sabedoria aqueles que buscam e lutam devem


aprender a ver o Absoluto em aÁão em si mesmo, e devem pedir-Lhe
para assumir o comando de suas questões na Terra.

KETHER (COROA/CÉREBRO/ENERGIA VITAL DIVINA)

Kether é representado por um rei barbado visto de perfil, a


humildade é a maior qualidade exigida para quem deseja viver em
Kether, porque nessa Sephira o “eu” não existe; só existe o não-ser,
não há diferenciaÁão. É a ausência do ego e a presenÁa de um ser
maior que qualquer um de nós. A humildade é o reconhecimento de
nossa insignificância. Os cabalistas não estão nos recomendando
deixar de ser, mas abandonar as personas que desenvolvemos e
jogar fora o ego e a pessoa que pensamos ser, para chegar ao
núcleo daquilo que realmente somos. Você não é a coisa física que
acredita ser, você é um espírito dentro de um corpo, uma parte de
D-us, domina o seu corpo de modo tão automático que existem
pessoas que acreditam que nada mais existe além do corpo.

Kether nos recomenda deixar de lado as posiÁões e as imagens que


projetamos para o mundo e reconhecer que, na essência, ninguém é
o empresário poderoso ou a estrela de cinema, nem tampouco a
secretária, ou o analista de sistemas, ou o jardineiro. Somos tudo
isso no exterior, porém no interior somos outra coisa. Os cabalistas
declaram que, para abrir espaÁo para D-us, você precisa esvaziar-se
de si mesmo. A creaÁão é o processo através do qual o “nada” se
transforma no “eu”. Quando falamos em retorno ao estado de
Kether, estamos aludindo ao estado no qual o “eu” se torna o
“nada”, no qual não vemos a nós mesmos como separados de D-us
ou do mundo.

Em Kether faz-se a descoberta dos mistérios da unidade e da


unificaÁão; busca da interiorizarão; ampliaÁão da energia espiritual e
revelaÁão da inspiraÁão divina. A esfera de Kether, que é a esfera
mais próxima de Ahin Soph Or nos ensina que o conhecimento é

43
infinito, jamais se alcanÁa um patamar em que se sabe de tudo. O
importante é distinguirmos o que se necessita de saber hoje, agora,
para enfrentarmos as dificuldades do dia-dia e estarmos bem
preparados para enfrentarmos as incertezas e as turbulências cada
vez maiores, do dia de amanhã. Quanto maior for a turbulência mais
perto estaremos da Divindade.

Kether é uma “ponte ou um canal” entre o invisível e o nosso


mundo. Para chegar a essa visão de transparência cósmica,
enxergando o Infinito em todos os Finitos, deve o homem contemplar
primeiro a Luz do Infinito em si mesma, isoladamente, longe das
coisas opacas do mundo dos Finitos; só depois de se identificar
totalmente com essa Luz como tal, isolada, transcendente, e viver
intensamente essa experiência mística, é que o homem pode ver,
mais tarde, essa Luz como imanente em todas as coisas do mundo.

44
CAPITULO 4.1: DIAGRAMAS DA ÁRVORE DE VIDA
0100090000037800000002001c00000000000400000003010800050
000000b0200000000050000000c02c212610a040000002e0118001c
000000fb021000070000000000bc020000000001020222537973746
56d0012610a00005d8200006851110004ee833918a2fb030c020000
040000002d01000004000000020101001c000000fb029cff00000000
00009001000000000440001254696d6573204e657720526f6d616e0
000000000000000000000000000000000040000002d01010005000
0000902000000020d000000320a5a0000000100040000000000670
aba1220002d00040000002d010000030000000000

45
46
DA VIDA E OS 22 CAMINHOS INTERLIGANDO AS 10 SEFIRO

47
ore
e dada vida
vida e oe escudo
as carruagens
de David
ore da vida e as 3 colunas
vore
A ?rvore da vida e a Kundalini
A árvore da vida e os
Triângulos
OS PROCESSOS DE REINCARNAÇÃO

0100090000037800000002001c000000000004000000030108
00050000000b0200000000050000000c02c212610a0400000
02e0118001c000000fb021000070000000000bc0200000000
0102022253797374656d0012610a00005d820000685111000
4ee833918a2fb030c020000040000002d0100000400000002
0101001c000000fb029cff0000000000009001000000000440
001254696d6573204e657720526f6d616e000000000000000
0000000000000000000040000002d0101000500000009020
00000020d000000320a5a0000000100040000000000670aba
1220002d00040000002d010000030000000000v

Rashit ha Gilgalim – Rodas da alma


Mazlot – Zodíaco. Urano
Shabbatai - Saturno
Tzedek – JustiÁa

OLAM HÁ KADMON (MUNDO PRIMORDIAL)

Mundo das EmanaÁões

52
A ÁRVORE DA VIDA DIVIDIDA EM PADRÕES HARMONIOSOS
O CAMINHO DO RAIO DIVINO DESCENDENTE

AHIN SOPH OR

54
A KUNDALINE

CAMINHO DO RAIO ASCENDENTE DE MALKUT A KETHER


ARVORE DA VIDA E OS QUATRO MUNDOS
OLAM HÁ ADAM KADMON – Mundo da Emanação
OLAM HÁ BRIAH – Mundo da Creação
OLAM HÁ YETZIRAH – Mundo da Formação
OLAM HÁ ASSIAH – Mundo da Ação

56
A ARVORE DA VIDA COM AS 10 SEFIROT E OS 22 CAMINHOS
SEFIROT SÃO TAMBEM CHAMADAS DE CARRUAGENS
A ÁRVORE DA VIDA E OS 4 MUNDOS:
RAIZ, TRONCO RAMO E FRUTO.
OLAM HA ADAM KADMON---Mundo da EmanaÁão
OLAM HA BRIAH-----------------Mundo da CreaÁão
OLAM HA YETZIRAH-----------Mundo da FormaÁão
OLAM HÁ ASSIAH----------------Mundo da AÁão

58
O SILÊNCIO SAGRADO E O
O SILÊNCIO PROFUNDO
LIGAÇÕES CENTRAIS
COM TIFERETH

60
TRIÂNGULOS DA ÁRVORE
HEXÁGONO

62
A REDE DE RELACIONAMENTOS CÓSMICOS
A ÁRVORE DA VIDA E OS REFLEXOS DAS SEFIROT

64
SEVERIDADE MANSIDÃO COMPAIXÃO
ATIVIDADE EQUILÍBRIO PASSIVIDADE
NEGATIVIDADE NEUTRALIDADE POSITIVIDADE
FEMINILIDADE MASCULINIDA

A ÁRVORE DA VIDA E OS TRES PILARES


(COLUNAS)

A ÁRVORE DA VIDA E OS ABISMOS


O primeiro abismo está localizado entre Yessod e Malkut, é chamado
de Satã, representa o nosso egoísmo.
O segundo abismo está localizado entre Hod-Netzach, e Tiferet são chamados de O
Véu.
O terceiro abismo passa pelo centro de Da-at, é chamado simplesmente de Abismo ou
Portal dos Deuses.

66
A ÁRVORE DA VIDA E O PAI NOSSO
CAPÍTULO 4.2: A ÁRVORE DA VIDA E OS 22 CAMINHOS

Depois de termos estudado as 10 Sefiroth (manifestaÁões de estado


de consciência), voltemos a nossa atenÁão para as 22 ligaÁões
(caminhos) entre elas. As 10 Sefiroth representam estados de
consciência e os caminhos simbolizam experiências subjetivas
enquanto a sua consciência está sendo transferida de uma Sefirah,
ou de um estado de consciência para outro. As 10 Sefiroth são
caracterizadas por uma condiÁão relativamente estática de energia
psíquica; por outro lado, o principal atributo dos 22 caminhos é a
energia dinâmica.

O 22 caminhos possuem 3 simbolismos:

1. Uma letra do alfabeto hebraico que é formado por 22 letras


2. Uma correspondência astrológica e
3. Um Trunfo do Tarot

As letras hebraicas são tidas como manifestaÁões sagradas do poder


da divindade. Considera-se que as suas formas e a sua seqüência
possuam segredos divinos poderosos. As letras são atribuídas aos
caminhos em ordem descendente a partir de cima, e estão
enumeradas no sentido inverso ao curso ascendente. Antigamente,
quando apenas 7 planetas eram conhecidos, além dos símbolos
planetários e dos 12 signos do Zodíaco, eram também incluídos os
elementos Ar, Água e Fogo.

Existem 2 sistemas principais de correspondência dos trunfos do


Tarot com os caminhos. O primeiro deles foi criado por Eliphas Levi
que não coloca o Trunfo de número zero no início da seqüência dos
caminhos. O segundo foi criado pela Ordem da Golden Dawn, que de
maneira mais lógica coloca o Zero antes de um e atribui o Louco ao
primeiro caminho (décimo primeiro caminho) e prossegue a partir
daí na ordem normal de 1 a 21. Todo este problema se origina da
curiosa circunstância de que existem 22 Trunfos de Tarô, mas que
eles não estão enumerados de um a 22, e sim de zero a 21, o que
causa essa polêmica.

O primeiro grupo de Caminhos que vão da terra para o espaÁo pode


ser chamado de Caminho da Personalidade; é conhecido como o
Trigésimo Segundo Caminho, faz a ligaÁão da Sefirah Malkut à
Sefirah Yesod e indica a transferência da consciência da forma física
para a energia psicofisiológica. Neste caminho é feita a
transmutaÁão da energia estática do corpo em energia dinâmica da
psique. A letra Tau e a cruz em forma de T indicam a capacidade do
espírito de escapar da matéria. Entre Malkut e Yesod encontra-se o
primeiro abismo chamado de Satã, que nada mais é que o nosso
egoísmo. É um abismo de difícil, muito difícil transposiÁão.

68
O segundo na ordem é o Vigésimo Nono Caminho, que faz a
ligaÁão entre Malkut e Netzah, unindo a consciência física à natureza
emocional.

O Trigésimo Primeiro Caminho faz a ligaÁão de Malkut a Hod,


representa a renovaÁão total do homem através do poder do
intelecto. ComeÁamos com a forma; abordamos a forÁa da vida;
depois os sentimentos; juntamos a eles o pensamento, por meio do
qual podem ocorrer grandes mudanÁas na nossa natureza.

O Trigésimo Caminho faz a ligaÁão entre Yesod e Hod: representa a


energia da vitalidade que, unida á luz do intelecto poderá gerar
muita luminosidade sobre todos os objetos, e muito calor,
contribuindo para o crescimento e para a creatividade. O perigo que
acompanha esse caminho é o excesso de confianÁa, no próprio
intelecto.

O Vigésimo oitavo Caminho faz a ligaÁão entre Yesod e Netzah:


caracteriza o fluxo de energia vitalizante orientado para a natureza
sentimental. A instabilidade básica das emoÁões pode ser superada
pela forÁa vital. Esse Caminho não deve ser percorrido até que a
Séfirah Hod tenha sido alcanÁada através de um dos outros
Caminhos, porque a energia oriunda dos desejos flui para a natureza
emocional, podendo levar a um indesejável excesso de paixão.

O Vigésimo Sétimo Caminho faz a ligaÁão entre Hod e Netzah:


está localizado horizontalmente na Árvore. Está pleno de perigos e
possui um grande potencial de destruiÁão. Ao unirmos o intelecto ao
sentimento, é como estivéssemos misturando fogo com água, e o
resultado é a formaÁão de vapor, uma fonte poderosa para melhorar
ou para piorar nossos pensamentos e atitudes.

Do Caminho 32 ao Caminho 27 percorremos os Caminhos da


personalidade, do eu inferior. Os Caminhos a serem percorridos de
agora em diante representam a natureza mais elevada do homem.

O Vigésimo Quinto Caminho faz a ligaÁão de Yesod a Tifereth.


Esse é o primeiro Caminho da ligaÁão divina, onde contatamos com
nosso D-us interior, o nosso Cristo interno, a esperanÁa da glória, o
nosso Sagrado Anjo Guardião. É um Caminho de grande energia.

O Vigésimo Sexto Caminho faz a ligaÁão entre Hod e Tifereth. A


iluminaÁão divina de Tifereth acaba com o domínio do intelecto, por
isso esse caminho é muito difícil e, frequentemente doloroso. Para
escapar às nossas limitaÁões temos que fazer um grande esforÁo,
pois não é nada fácil vencer em Tifereth as nossas provaÁões.

O Vigésimo quarto Caminho faz a ligaÁão entre Netzah e Tifereth.


Assim como a tirania do intelecto é vencida pala iluminaÁão de
Tifereth, é nesse Caminho que se consegue a eliminaÁão do domínio
das paixões. É aí que também se obtém a destruiÁão dos impulsos e
dos sentimentos egoístas com a finalidade de uma reconstruÁão
psicológica num nível mais elevado de individualizaÁão.

Os Caminhos ligando Tifereth ás Sefiroth mais elevadas, embora


ainda estejam dentro da estrutura da individualidade do Eu Superior,
devem ainda ser diferenciadas pelo que pode ser denominada de
natureza iniciatória. Tifereth é o ápice da natureza humana como a
conhecemos. É o ponto em que, se for possível transcendê-lo, nos
torna mais que humanos. A penetraÁão numa região sobre-humana,
que não é ainda completamente divina, mas que é de D-us, é o que
podemos chamar de IniciaÁão. Aos que conseguiram adentrar nesses
Caminhos são reconhecidos como iniciados, ou Adeptos. Os Iniciados
jamais se declaram como tais, eles são reconhecidos pelos sensitivos
devidos á intensidade de suas vibraÁões.

O Vigésimo Segundo Caminho faz a ligaÁão entre Tifereth e


Geburah, representa equilíbrio psicológico no centro de julgamento
da consciência superior. Nesse Caminho é exigida a clareza do
julgamento, e que a execuÁão da Lei seja feita com imparcialidade,
combinando-se a beleza com a honradez.

O Vigésimo Caminho faz a ligaÁão entre Tifereth e Chesed, unindo


a consciência equilibrada ao amor superior, é o Caminho da
profunda paz. Nesse caminho sétimos uma grande solidão, um
grande vazio, principalmente quando da perda de um ente muito
querido.

O Vigésimo Nono Caminho faz a ligaÁão entre Chesed e Geburah,


é onde se encontra a segunda barreira ou Caminho horizontal. A
forÁa do negativo purificado, da forÁa psicossexual que foi gerada é
empregada para transpor o intervalo entre os grandes pilares
opostos da Misericórdia e da Severidade. Este caminho nos lembra
que devemos sempre exercer a justiÁa com misericórdia.

O Vigésimo Terceiro Caminho faz a ligaÁão entre Hod e Geburah é


o primeiro Caminho lateral que encontramos em nossa jornada
ascendente. Faz a ligaÁão com base em uma única coluna sem
nenhuma influência compensatória de outra coluna. Nesse Caminho,
o princípio intelectual está ligado a uma faculdade espiritual de
julgamento impiedosa. Faz-se necessário sacrificar todas as nossas
idéias e todos os nossos padrões anteriores, para evitar que
retrocedamos.

O Vigésimo Primeiro Caminho faz a ligaÁão de Netzah a Chesed.


Podemos nos considerar com muita sorte se conseguirmos caminhar
da esfera de Netzah para Chesed, a esfera de benevolência máxima.
Todavia é bom ter-se em mente de que os aspectos benevolentes
desse Caminho exigem que estejamos constantemente num estado

70
de harmonia e de equilíbrio com os elementos: desejo, sensaÁão,
emoÁão, intuiÁão e o intelecto.

Os cinco Caminhos a serem estudados, a seguir, são chamados de


Caminhos da IniciaÁão Maior ou Caminhos do Espírito.

O Décimo Terceiro Caminho faz a ligaÁão entre Tifereth e Kether. É


o mais longo, o mais belo, o mais misterioso, mas também o mais
perigoso de todos os Caminhos. Faz a ligaÁão direta do ponto mais
elevado da Árvore (Kether), que recebe diretamente a Luz (Or) de
Ain Soph. Este é o Caminho de máximo equilíbrio, a última parte do
Caminho da flecha após passar pelos Trigésimo Segundo, Vigésimo
Quinto e Décimo Terceiro Caminhos.

O Décimo Sétimo Caminho faz a ligaÁão entre Tifereth e Binah,


indo da posiÁão de equilíbrio para o ápice escuro, restritivo, da
coluna negativa. Este é um Caminho onde é muito importante
estabelecer de modo apropriado nossas prioridades, pois Binah é
basicamente um caminho de opÁões. Em Binah deve-se desenvolver
nosso discernimento, para que possamos fazer julgamentos justos.

O Décimo Quinto Caminho faz a ligaÁão entre Tiferet e Chokmah.


Esse Caminho, da mesma forma que o Caminho Décimo Sete passa
sobre o abismo e cruza a Coluna do meio. Isso o torna arriscado, mas
em menor proporÁão do que o Caminho Décimo Sete, porque ele
culmina nas forÁas benevolentes da Sabedoria presentes em
Chokmah. Este é um dos principais caminhos da iniciaÁão
percorridos pelos adeptos de níveis mais elevados.

O Décimo Oitavo Caminho faz a ligaÁão entre Geburah e Binah.


Está completamente localizado na coluna da restriÁão, ou
severidade, por isto este é um Caminho de grande poder, possui as
qualidades do rigor ,da austeridade e da inclemência.

O Décimo Sexto Caminho faz a ligaÁão entre Chesed e Chokmah


estando ambos localizados na Coluna da bondade e da suavidade.
Neste caminho fazemos a viagem da transposiÁão do amor para a
sabedoria. À primeira vista esse Caminho se nos apresenta mais
alegre e suave que o Décimo Oitavo Caminho, mas na realidade este
é também um Caminho de muita dor e de muita solidão. Neste
Caminho os Irmãos deverão aprender a aliar a sabedoria ao amor e
servir á humanidade de uma maneira totalmente impessoal. Sua
funÁão primordial é transformar o iniciado em um iniciador.

O Décimo Quarto Caminho faz a ligaÁão entre Chokmah e Binah,


representa o amor do Absoluto pela Mãe Celestial. É o Caminho
horizontal mais elevado da Árvore, representa também, certo risco
ou algum perigo ligado ao que chamamos de lei da geraÁão. A sua
finalidade é a manifestaÁão da realidade objetiva a partir do estado
original da existência subjetiva.
O Décimo Segundo Caminho faz a ligaÁão entre Binah e Kether,
une a fonte do lado da forma da existência Binah, com a existência
indiferenciada de Kether, onde as polaridades de forma e vida, de
negativo e positivo, de masculino e feminino são uma coisa só. Este
Caminho da transformaÁão da forma em energia resulta em muitos
perigos , pode ser comparado com o processo de liberaÁão da forÁa
do átomo, podendo causar grandes desastres se for empregado de
modo errado.

O Décimo Primeiro Caminho faz a ligaÁão entre Chokmah e


Kether, que é o ponto de todos os inícios e de todos os fins, É neste
Caminho que surge o primeiro lampejo do relâmpago abrazador da
manifestaÁão no início de cada ciclo de emanaÁão.

CAPÍTULO 5: O PODER DA MENTE ATRAVÉS DO PENSAMENTO

PENSO

Respondo: Penso:
Quanta maldade no mundo!
Penso:
Quanta bondade no mundo!
Penso:
Por que julgo a minha dor a maior?
Penso:
Que é ela perto da mãe que chora?
Penso:
É ela mesma. Não é minha é da mãe que chora!
Penso:
É bom o amor. Mas traz lágrimas. Por quê?
Penso:
A alegria também as traz. Vêm do mesmo lugar...
Penso:
Sim. Do mesmo lugar. São vibrações...
Penso:
Como, então, posso amar sem lágrimas?
AMANDO, APENAS...

Conta a história que o geômetra e cientista Arquimedes, ao ser


golpeado de morte por um soldado romano embriagado, murmurou
agonizante: “Ah!...Bem...eles tiraram o meu corpo mas eu levo
comigo a minha mente...”. A mente pode mover-se livremente no
tempo e no espaÁo, pode atuar longe do corpo e se lanÁar além do
presente ou do passado.

72
Cerca de 25 séculos depois, justo nos dias que correm, faz bem à
mente recordar-se de Arquimedes e de quantos outros que viveram
e vivem mais para a mente do que para o corpo. Dão à mente de
Arquimedes o nome de “alma”. Outros os de espírito preferem. De
qualquer modo, a “mente” é sempre indestrutível. Indestrutível,
formidável e excelsamente creadora. Enquanto o corpo se adulta,
acumulando e enrijecendo as células para, logo após, entrar em
declínio e caminhar para a morte, a “mente” mais e mais se
aperfeiÁoa, indiferente às agitaÁões de seu continente passageiro.

O corpo é de tal modo obediente à mente que, a não ser em caso de


alguma enfermidade grave, o homem tem por tendência natural
achar que ele é o corpo. Alguns chegam a afirmar que só existe o
corpo, mas no burburinho da vida, nas horas de borrasca como nos
momentos de calmaria; quando rimos de tristeza ou choramos de
alegria, possuímos a nossa “mente”, o que “pensa, diferente do
nosso corpo”. Sentimo-la a cada momento.

O Velho geômetra Euclides lá em Alexandria, por aí há 300 anos


antes de Cristo, no momento de preciosa concentraÁão, pensou em
um ponto, sem pensar em defini-lo. E agiu com esta coisa que não
tinha forma nem tamanho, que não existia materialmente, mas que
se fazia sentir ao seu pensamento, à sua consciência. Moveu o
ponto, e do nada, daquilo que existia apenas em sua “mente” ele
criou algo que podia sentir pela visão. Havia definido a linha. Uma
coisa simples, feita pelo movimento do nada, com uma dimensão,
vinda do infinito e seguindo para o infinito.

Euclides, depois de estar bem seguro da linha de sua criaÁão,


moveu-a para lá e para cá... e obteve o plano formado de linhas
contínuas. Agora descobrira encantado, o cálculo referente à
superfície, e ficou admirado de ter levado tanto tempo para
descobrir coisa tão simples.

Com os conhecimentos acumulados, já agora menos lento, moveu o


plano... e encontrou a terceira dimensão... o volume, o corpo! E os
séculos se amontoaram na noite dos tempos, até que Isaac Newton
estabeleceu a lei de atraÁão e repulsão, em funÁão das massas dos
corpos celestes. Já em nossos dias, Einstein estudou o desvio da luz
em funÁão da massa dos corpos celestes e foi dar com a sua quarta
dimensão.

Enquanto homens de ciência desenvolviam o estudo do ponto, do


nada, outros tiveram a sua atenÁão voltada para o interior, para o
próprio “ser”, desenvolvendo a psicologia, a lógica e, em fase final, a
moral. Em meio ao caminho, partiram veredas que levaram os
estudos da mente, do “eu”, ao Creador, formando as religiões.

Sem saber ao certo de onde vem e procurando adivinhar para onde


irá, o homem, as mais das vezes, se esquece, se distrai e não
percebe a beleza que o cerca e que está inteiramente à sua
disposiÁão. Tem a felicidade bem ali dentro de si, e se abala à sua
procura nos espaÁos sem fim.

Porque teima tanto em saber de onde veio a para onde vai, sem
perceber a luz que está dentro de si mesmo? Sem perceber o que o
rodeia? Não ouvirão de nossa ignorância uma resposta. Formulamos a
pergunta, apenas para não deixar presa em nossa mente. Armâmo-la
para que os que nos ouvem procurem a resposta, decerto
importante para felicidade do homem enquanto aqui na terra.

Tenzin Gyatzo, o XIV Dalai Lama, no Fórum Global no Rio em junho


de 1992 fez uma pergunta: o que o homem mais deseja? Depois de
alguns segundos de silêncio, ele mesmo respondeu: “ser feliz” e deu
a receita certa, infalível para ser feliz: “Fazer o próximo feliz!” Em
outras palavras, quanto mais pessoas conseguimos fazer com que
sejam felizes, mais felizes seremos! Tudo o que nos acontece é
oriundo de nossa própria mente, todavia é importante sabermos que
os pensamentos afloram do verdadeiro EU através dos desejos e das
emoÁões.

Nem sempre o pensamento vem de ti; às vezes é captado através de


ondas energéticas de outras mentes, de pessoas encarnadas ou
desencarnadas, que não seja o seu próprio ser. O que você irradia em
seus pensamentos, sentimentos, imagens mentais e palavras você
atrai para a sua vida. Em outras palavras: Somos o reflexo do que
pensamos diariamente. Devemos parar de pensar mal inclusive de
nós mesmos e sejamos o nosso melhor amigo, sempre. É inútil
esperar a felicidade sem esforÁos, na espiritualidade “não existe
almoÁo grátis”. A nossa paz interior é a nossa meta de vida, mas
para consegui-la temos de trabalhar para isso, temos que nos
esforÁarmos muito!

A intuiÁão, palavra de origem latina (intuitio) significa buscar alguma


coisa que já está dentro da gente mesmo, oriunda de nosso Eu
Superior, é o processo que nos leva a penetrar no nosso âmago. É
uma extraordinária ferramenta que nos ajuda a crear milagres, vêm
á nossa cabeÁa como um “flash”. Na sua mais profunda intuiÁão,
mesmo inconsciente, está o homem normal convencido (plenamente
vencido) pela verdade de que nenhum ser do mundo de D-us é mau
em si, contrário ao D-us do mundo que uma voz interna lhe diz, em
profundo silêncio, que todos os Finitos existem em virtude do
Infinito; que o eterno Transcendente é Imanente em todas as coisas
temporárias; que o temporário é apenas uma manifestaÁão parcial e
transitória da Realidade total e eterna.

Nesta nova era de Aquarius, seremos cada vez mais intuitivos e


menos analíticos. A análise consiste em concluir algo após
elaboraÁão, e isso não é seguro, dado que a mente pode apresentar-
nos raciocínio opostos diante do mesmo fato. Cada mente percebe a

74
vida conforme as próprias experiências anteriores, inclusive de
encanaÁões passadas. A mente de um mesmo observador pode ver
coisas opostas, numa situaÁão, já a intuiÁão é percepÁão sintética, é
conhecimento direto chegando a nós inteiramente pronto, de níveis
além do mental pensante e do raciocino.

Podes ferir ou fazer feliz uma pessoa com um pensamento, tal como
farias com um objeto. Podes matar ou salvar uma pessoa através do
pensamento, tal como se atirasse ou desviasse um objeto
contundente. Podes dar teu pensamento como uma dádiva, ou como
uma infecÁão. Pensamentos são coisas, são forÁas, mas não te
pertencem definitivamente. Vêm, permanecem durante algum
tempo contigo e depois te deixam. O universo todo está cheio de
pensamentos e coisas. As coisas são somente as parte física dos
pensamentos, e os pensamentos são a parte mental das coisas.

Teus pensamentos são coisas; portanto; tem cuidado com eles.


Maneja-os cuidadosamente. Se não estiveres muito consciente,
podes crear sofrimento para ti mesmo e para os outros, e já fizeste
isso. E, lembra-te quando creas sofrimento para alguém,
inconscientemente, estás, ao mesmo tempo, creando sofrimento
para ti mesmo, porque um pensamento é uma espada de 2 gumes.
Corta-te, simultaneamente, quando corta alguma outra pessoa. Se a
Terra é um inferno, somos o criador dele, nós participamos. Vemos o
mundo não como ele é, vêmo-lo como esperamos vê-lo, projetamos
algo sobre ele. Somente poderá haver um mundo melhor para as
pessoas viverem quando houver nele pessoas melhores.

Se tentar deter um pensamento, não conseguirá. Pelo contrário, o


próprio esforÁo para detê-lo, dá-lhe energia; em outras palavras o
próprio esforÁo para evitá-lo o fortalece. Se não quiser pensar um
pensamento, já estará pensando nele. Não há necessidade de deter
a mente. Os pensamentos são vagabundos sem lar; não precisa
preocupar-se com eles. Os pensamentos simplesmente devem ser
observados, sem julgamento; simplesmente observe-os. Análise - os,
simplesmente, como observador imparcial, nem a favor nem contra;
não apreciando nem condenando sem qualquer avaliaÁão. Conserva-
te simplesmente, dentro de ti mesmo, e olha, sem olhar.

O pensamento negativo tem um reconhecido poder de aÁão


maléfica, felizmente o contrário também é verdade. O fluido, uma
emanaÁão da própria alma, constitui-se em ondas que saem de nós;
desenvolve-se no éter e na atmosfera e é formado por incontáveis
vibraÁões que impregnam o ar. O controle dos pensamentos pode
ser obtido somente quando estamos presentes em nós mesmos,
atentos às portas da mente, deixando entrar apenas os
pensamentos cuja natureza tenha sido verificada. O comportamento
é conseqüência dos pensamentos. Nunca deseje algo que não
espera, quando alguém espera algo que não quer está
atraindo o indesejado.
O uso descontrolado do pensamento tem trazido todo tipo de
discórdia, enfermidades e moléstias. Contudo, são poucos os que
crêem nisto, e continuam creando caos em seus mundos com seus
pensamentos e desejos desordenados, quando poderiam, com a
mesma facilidade com que se respira usar seu pensamento de modo
positivo e, com o motivo do Amor, construir um paraíso perfeito. O
homem não pode seguir pensando que pode continuar gerando
forÁas destrutivas e sobreviver. Não há esperanÁa alguma no céu ou
na Terra para aquele que insista em manter em sua consciência
pensamentos e sentimentos de crítica, condenaÁão e ódio.

Se alguém envia pensamentos críticos de condenaÁão e ódio a


terceiros que tenham sido inteiramente inocentes, mesmo sem
intenÁão de prejudicar o próximo, estes estariam cometendo algo
pior que um assassinato físico. Que nenhum daqueles que buscam a
Luz se torne juiz de nenhum filho de D-us. Quem vive a pensar e
falar nas faltas e fraquezas do próximo prepara o terreno para ele
mesmo cometer o que censura, além de facilitar a continuaÁão
dessas fraquezas nos outros.

Todo o mundo físico é uma projeÁão do espírito creador, é um


pensamento de D-us cristalizado em matéria. Se D-us não pensasse
os mundos, os mundos não existiriam, e só continuam a existir
enquanto forem creadoramente pensados. Da mesma forma, todo
pensamento humano é creador, ou destruidor, conforme suas
vibraÁões sejam positivas ou negativas.

Identifique os pensamentos negativos e aprenda a substituí-los pelos


positivos. Rejeite veementemente os pensamentos negativos.
Contra as forÁas maléficas, o único refúgio verdadeiro continua
sendo a parte mais elevada do espírito, para onde cada um pode ir
com a certeza de que coisa alguma nem pessoa alguma poderão
perturbá-lo. O Pensamento é uma forÁa criadora quando
positivamente orientado e é uma forÁa destruidora quando
orientado negativamente. Nós somos o que pensamos.

O que é irradiado em pensamentos, sentimentos imagens mentais e


palavras são atraídos para a sua vida. Os humanos são verdadeiros
ímãs vivos, atrai para a sua vida pessoas, situaÁões e circunstâncias
que estão em harmonia com seus pensamentos dominantes.
Qualquer coisa em que você se concentre em nível consciente se
manifesta em sua experiência. Cuidado, muitas vezes expressamos
opiniões que não refletem as nossas idéias, ditas por outros e
simplesmente as acatamos, ao refletirmos sobre o que os outros
pensaram, nos revisamos. Passamos a acolher e adotar o que é
nosso, o que queremos para nós.

Somos seres quânticos capazes de mudar a nossa biologia em


funÁão do que pensamos e sentimos. Nossas células estão

76
constantemente modificadas por nossos pensamentos: um surto de
depressão pode arrasar o sistema imunológico; apaixonar-se, ao
contrario, pode fortificá-lo. A simples recordaÁão de uma situaÁão
estressante libera o mesmo fluxo de hormônios destrutivos que o
estresse. A depressão afeta a produÁão dos neurotransmissores no
cérebro, como resultado o nível de hormônios diminui, os
neuropeptídios presentes na superfície externa das células tornam-
se distorcidos, as plaquetas sanguíneas ficam mais viscosas e mais
propensas a formar grumos, prejudicando nossa capacidade de
sermos saudáveis.

A paralisia do pensamento é o que de mais negativo pode acontecer


para um homem, pois aniquila sua potencialidade, a única que pode
tirá-lo de qualquer situaÁão. O feitiÁo da idéia fixa! Não detenhas o
pensamento sobre coisas desagradáveis, mas proporcione novos
ares a sua mente, com intercâmbio equânime de pensamentos
serenos. Assim, não pense nos adversários, nos concorrentes, nos
inimigos e naqueles que lhe fizeram mal, mas perdoe a todos. Somos
literalmente construídos por nossos pensamentos.

Muito cuidado: quando alguém pensa ou diz “não sou”, “não posso”
ou “não tenho” está estrangulando a magna presenÁa interior,
consciente ou inconsciente, com prejuízos incalculáveis para ela
mesma. Quando alguém faz uma declaraÁão de não ser; não poder
ou não ter, aciona a energia ilimitada, que continua até que um
Irmão semelhante a intercepte e a transmute em outra aÁão.

Isto te mostrará o enorme poder que tens para classificar,


determinar e ordenar a forma em que preferes ver atuar a grande
energia de D-us. E te asseguro, amados irmãos, que a dinamite é
menos perigosa. Uma carga de dinamite apenas desintegrará o teu
corpo, enquanto que pensamentos ignorantes, lanÁados sem
controle e desgovernados, emperram indefinidamente a roda da
reencarnaÁão até que seja interrompido pelo próprio indivíduo.

Quando na nossa vida sentimos tudo “desabando”, devemos ter


sempre em mente que quanto maior for a turbulência a que
estivermos sendo submetidos mais próximo estaremos da divindade,
sem resistência não há evoluÁão. Ao adentrarmos esse “limiar” (da
Divindade) estaremos recebendo as energias de transformaÁão e
passamos a agradecer por tudo quanto tivemos que passar na nossa
caminhada terrestre. “Bendito seja tudo o que aconteceu comigo!”.

O homem não deve esquecer nunca, de que está em um mundo


inferior; ao qual está preso devido às suas imperfeiÁões. A cada
contrariedade ou sofrimento da vida, deve dizer a si mesmo que se
estivesse em um mundo mais avanÁado, isso não aconteceria e que
depende dele, na próxima encarnaÁão, não retornar a este mundo,
trabalhando por sua melhoria.
Sê Senhor de ti mesmo. Em qualquer circunstância seja Senhor
absoluto de teus desejos e de teus sentimentos. Com a imprensa
falada (rádio, TV) e escrita nos “martelando” insistentemente, todo o
tempo com frivolidades e violência, é realmente necessário uma
forÁa de vontade imensa para podermos sanear e transmutar nossos
desejos, emoÁões, idéias, palavras, atitudes e atos.

Todos os nossos males, de qualquer espécie, vêm da fonte negativa


do nosso ego humano desatento, a libertaÁão desses males depende
unicamente da atuaÁão positiva do nosso Eu Divino. Conforme nos
ensinou N.S. Jesus Cristo: devemos orar e vigiar constantemente.
Podemos canalizar Luz para as nossas vidas, faÁa a escolha e
usufrua o que você escolheu a primeira coisa a aprender é segurar o
egoísmo. Onde estiver nosso pensamento, aí estaremos em espírito
e verdade, o passado é coisa ultrapassada, o futuro depende de
nossos atos aÁões e palavras no dia de hoje, agora, portanto o dia
mais importante para nós é este momento de nossa vida.

Qualquer evento que se torna presente em nossa vida, de alguma


forma assim o faz por ainda termos ligaÁão com ele. Só depois de
nos tornarmos neutros diante de um assunto é que ele não precisa
mais ser incluído em nossa vivência. Caso contrário, sempre retorna
porque precisa ser transformado e porque temos certa tendência
que a ele corresponde. O envolvimento mantém-nos na área do
remanejamento e da manipulaÁão de forÁas já conhecidas. A
neutralidade, por outro lado, nos traz nova energia, inédita recém
chegada do universo; quando a alcanÁamos, é-nos permitido estar
diante de acontecimentos realmente novos em nossa vida.

É de muita ajuda a fé verdadeira e a oraÁão. Quando os Irmãos não


puderem orar por motivos profissionais é bom lembrar que o
trabalho é uma oraÁão das mais eficazes que podemos fazer. A fé é
a capacidade humana de transcender, ou seja: é a capacidade de
estabelecer um relacionamento com D-us. Cada um de nós descreve
sua experiência de fé de forma diferente. As oraÁões com fé criam
jorros de vibraÁões positivas, resultando na EsperanÁa, Paz e
Felicidade, tornando-nos receptivos para recebimento das
emanaÁões da Luz Divina Infinita. O segredo da plenitude da vida
depende dos hábitos mentais, do estado de consciência e não do
conjunto de circuitos do sistema nervoso.

A intuiÁão se origina diretamente de nosso EU SUPERIOR; o


pensamento originário de nossa mente é elaborado de acordo com
os conhecimentos adquiridos na presente encarnaÁão. Pode também
ser captado de outras mentes, de entidades encarnadas e/ou
desencarnadas. Se quiserdes saber como está o seu corpo hoje,
lembre-se do que pensou ontem. Se quiserdes saber como estará o
seu corpo amanhã, verifiques seus pensamentos de hoje.

Há duas possibilidades para a humanidade nos dias

78
presentes: ou o suicídio global, ou o maior despertar
espiritual que a terra jamais conheceu.

Por oportuno, passo a transcrever trechos do Capítulo Seis, O


PENSAMENTO, do livro MEDO, origem, sintomas e cura escritos por
minha irmã Pedrita Maria Braile:

Nenhum acontecimento exterior a nós tem a capacidade de atingir


nosso interior, a não ser quando conduzimos mentalmente esse
acontecimento para dentro de nós, através dos nossos
pensamentos.

Trabalhamos os nossos assuntos inacabados no inconsciente e


ficamos repetindo esses assuntos na tentativa de corrigi-los. Todos
nós vivemos de acordo com as convicções estocadas no
inconsciente. Elas dirigem nosso comportamento. Quando essas
convicções são negativas, nosso comportamento é auto-destrutivo e
para modificarmos o comportamento de forma duradoura temos de
tomar consciência delas.

Nossas decisões são tomadas sob a ótica do que sentimos ou


acreditamos. Só podemos entender as coisas, ou conhecer a
verdade a partir de nossa própria perspectiva. Tudo que
conhecemos intelectualmente passa pelo filtro das nossas crenças.

Quando pensamos projetamos imagens no plano astral, pois o


pensamento é energia e como tal toma forma nos planos sutis. Com
pensamentos positivos embelezaremos o mundo que iremos
encontrar ao desencarnar, mas se nos ativermos a pensamentos
negativos, todas as imagens que eles formarem vão nos esperar.

O psiquismo do ser humano é emanado da memória celular


preservada das encarnações anteriores e que fica gravado nos
átomos permanentes de cada um de nós.

Na atualidade, a Humanidade já possui condições de provocar a


reforma das células-arquivo de sua mente espiritual. O pensamento
é o grande creador dos destinos. Não agimos sem primeiro pensar
no que vamos fazer, como, quando e onde fazer. Quando vamos
viver momentos prazerosos, dias antes começamos a plasmá-los
através dos pensamentos, antegozando a felicidade do encontro, do
passeio, ou do fato em si. Quando estamos sonhando, acordados ou
durante o sono, aliviamos nossas frustrações.

CAPÍTULO 5.1: O PENSAMENTO EM FORMA GRÁFICA

AHIN SOPH OR

EsperanÁa – Paz – Felicidade

Cultivando o bem nas menores manifestaÁões.
Saneamento das:
Desejos, emoÁões, idéias, palavras, atitudes e atos, por menores que
sejam.

Pensamento Positivo

SEJA O QUE TU QUERES DENTRO DE TI. CONHECE-TE A TI MESMO

Pensamento Negativo

Intromissão dos agentes do mal pela imprudência da brecha:
Hoje uma queixa
Amanhã um momento de azedume
Cedo uma discussão temerária
Uma crise de angústia
Um comentário deprimente
Um minuto de irritaÁão
A delinqüência
A perturbaÁão

Um grande desastre é quase sempre a soma dos pequenos

Obsessão – Amargura – Morte prematura

80
CAPÍTULO 5.2: PROCESSOS CORPO-MENTE
PROCESSOS CORPO- MENTE

Consciência
( Eu Consciente)

Mente Superior
(Discernimento/Intuiç
(Discernimento/Intuição)
5 órgãos
dos
Sentidos

Mente Inferior
(estí
(estímulos) (Pensamentos e Sentimentos)
Sensaç
Sensações Percepções
SINAIS
Impulsos
Nervosos

Subconsciência
(Mente Subconsciente)
»»Mem
»»Memó ória ««

Corpo
Físico
CAPITULO 6: MEDITAÇÃO

CAPÍTULO 6.1: INTRODUÇÃO

A verdadeira meditaÁão é uma invasão Cristo-Cósmico na alma do


homem. Enquanto o homem é ego-pensante, nada de grande lhe
acontece; mas, quando ele se torna cosmo-pensado, cosmo-agido,
cosmo-vivido, então lhe acontece a invasão cósmica do espírito de D-
us, que resolve todos os problemas da vida terrestre e introduz o
homem na vida verdadeira. MeditaÁão é o método simples para

82
passar da ilusão do ego à verdade do Eu.

O objetivo da meditaÁão é a auto-realizaÁão, nunca se deve parar no


meio caminho, pois que existe um preparo visando o seu início, meio
e fim. A meditaÁão transcendental é uma meditaÁão mântrica,
visando à transformaÁão da consciência física em consciência
universal. Todas as meditaÁões são universais.

A meditaÁão visa a acalmar a mente das atribulaÁões cotidianas,


modula a resposta do sistema nervoso ao “stress”, reduz os
sintomas somáticos, medos e fobias por meio de controle da
ansiedade. Ainda mais, afeta a funÁão e a estrutura do cérebro com
repercussão no resto do organismo, melhorando todo o sistema
imunológico, reduzindo o consumo de oxigênio, regulando a
respiraÁão, desacelerando os batimentos cardíacos e diminuindo a
pressão arterial.

Em outras palavras: meditaÁão é o processo de relaxar o corpo e a


mente, com a finalidade de que possamos viajar para dentro de nós
mesmos. Pela meditaÁão chegamos ao lugar onde o vento não sopra
a luz do sol não aquece e a morte não chega.

Preparo para uma meditação:

-Seja escolhido um local tranqüilo.


-Sentar em uma cadeira com encosto na vertical, de modo que nos
permita formar 3 ângulos retos, com os braÁos, com o tronco e com
as pernas. A coluna deve estar bem ereta e os pés bem plantados no
chão.
- Colocar as mãos com as palmas viradas para cima, manter as mãos
espalmadas sem encostar os dedos, uns nos outros.
-Manter os dentes e lábios fechados gentilmente.
-Cantar um mantra. Um mantra é uma frase entoada, cantarolada,
cantada ou apenas ouvida como um som dentro da mente, para
estimular a serenidade desejada na meditaÁão.
-Fechar os olhos.
-Respirar naturalmente, concentrando a atenÁão no ar que entra e
sai dos pulmões.
-Sentir a respiraÁão e acompanhá-la até a parte mais profunda do
peito, prendendo-a
neste local por um instante. Depois exalar o ar devagar. Outra vez e
outra vez, sempre se concentrando no ritmo constante da inspiraÁão
e da expiraÁão.
-Aprenda a inalar e a exalar contando, a princípio, de 1 a 10. Quando
for capaz de fazê-lo contando até dez, amplie a contagem para
quinze e assim por diante.
-Concentre-se em sua respiraÁão fácil, o ar entrando e saindo.
-Deixe os pensamentos fluírem normalmente, deixa-os encontrarem
seu lugar, não faÁa nenhum esforÁo para expulsá-los. Espere até que
se afastem por conta própria. Quanto maior for a luta para
repelir um pensamento, mais poder lhe concedemos.
-Focalize mentalmente um pequeno objeto e o olho interior passara
a ver luzes por trás das pálpebras.
-Pense em sua respiraÁão e cuide para que esteja relaxada, profunda
e regular, visando um encontro muito instrutivo com seu Eu superior.
-O silêncio externo ajuda o silêncio interno.
-Pela meditaÁão chegamos ao lugar onde o vento não sopra a luz do
sol não aquece e a morte não chega.

CAPÍTULO 6.2:
MEDITAÇÃO DA CHAMA VIOLETA
(InstruÁões contidas em panfletos
da Summit Lighthouse,
Fraternidade dos Guardiões da
Chama)

Se te empenhas e invocas a Lei do Perdão, podes extinguir


todas as más creaÁões do passado com a Chama Violeta da
TransmutaÁão e te libertar. Deves estar consciente que a
Chama Violeta é a Ativa PresenÁa de D-us atuando.

A chama Violeta é uma das maiores dádivas que D-us

84
concedeu à humanidade. Também denominada Chama do
Perdão e da Misericórdia, é o aspecto do Sétimo Raio do
Espírito Santo. Quando invocada, a sua aÁão é completa:
transmuta o nosso carma, cura o nosso corpo e a nossa alma,
elevando o nosso estado de consciência.

Esta energia de freqüência elevada penetra o nosso sistema


nervoso, nosso coraÁão, nosso cérebro, purificando e
aumentando a nossa energia.

Quando a Chama Violeta entra em contato com nossos


pensamentos e sentimentos negativos: estresse, raiva
depressão, egoísmo, dissolve-os, gerando harmonia e
positividade.

Ainda de acordo com as mensagens recebidas, dos Mestres


Ascensos, na Summit Lighthouse, A Chama Violeta consome
não apenas a parte externa do nosso carma, como também as
suas raízes e causas, além de contatar a memória de vidas
anteriores, purificando seus registros.

A forma mais poderosa de usá-la é através da visualizaÁão


enquanto você recita em voz alta os mantras, afirmaÁões e
decretos. Importante: A creaÁão é obtida pelo pensamento,
mas é através da palavra que a manifestaÁão é alcanÁada.

Decretarás algo, e ser-te-á concedido!

(16:22:28)

SESSÃO DE CHAMA VIOLETA

-Sente-se com as costas retas com as pernas e braÁos descruzados

-Mantenha-se centrado no seu coraÁão.

-InvocaÁão de abertura: “Em nome de D-us, em nome de Cristo que


está em mim, em nome do Espírito Santo, eu invoco a Chama Violeta
e peÁo aos anjos da Chama Violeta que... (faÁa aqui pedidos para
você, sua família, seus amigos, sua cidade, seu país e o planeta
terra)”.

-Invoque proteÁão antes de comeÁar a usar a chama violeta. Sele


sua aura com as energias protetoras brancas e azuis, utilizando os
decretos: “Tubo de Luz” e “proteÁão do Arcanjo Miguel”.
Selando sua aura pelo decreto do Tubo de Luz:

Presença muito amada do Eu Sou,


Sela-me no tubo de Luz
Da Chama dos Mestres Ascensos
Em nome de D-us agora invocado.
Que Ele liberte o meu templo
De toda discórdia que me é enviada.

A Chama Violeta invoco agora


Para todo desejo consumir,
E arder pela Liberdade
Até no seu fogo me fundir.

Selando a sua aura de Proteção pelo Arcanjo Miguel.


Visualizar a Chama azul a sua volta enquanto recita o seguinte
decreto:

São Miguel à frente! São Miguel atrás!


São Miguel à direita! São Miguel à esquerda!
São Miguel acima! São Miguel abaixo!
São Miguel, São Miguel onde quer que eu vá!

EU SOU o seu Amor, que protege aqui!


EU SOU o seu Amor, que protege aqui!
EU SOU o seu Amor, que protege aqui!

-Repetir em voz alta o mantra:

EU SOU um ser de fogo violeta,


EU SOU a pureza que D-us deseja!
(nome de alguém) é um ser de fogo violeta,
(nome da pessoa) é a pureza que D-us deseja!

Minha família é uma família de fogo violeta,


Minha família é a pureza que D-us deseja!

Meu lar é um lar de fogo violeta,


Meu lar é a pureza que D-us deseja!

Minha cidade é uma cidade de fogo violeta,


Minha cidade é a pureza que D-us deseja!

O Brasil é um país de fogo violeta,


O Brasil é a pureza que D-us deseja!
A Terra é um planeta de fogo violeta,
A Terra é uma pureza que D-us deseja!

-Enquanto recita, visualize a chama violeta à sua volta, no seu

86
interior, envolvendo as pessoas, a sua casa, a sua cidade, o seu
país, o planeta (de acordo com o seu bom senso). Visualize esta
chama como um fogo, penetrando seu corpo. Deixe-a fluir pelas
suas artérias e veias, removendo toda a sujeira por onde passa,
alvejando manchas cármicas de doenÁa e de degeneraÁão. Deixe
sua imaginaÁão voar! A intensidade do fervor confere um poder
extra todo seu! Você também pode visualizar-se envolto em um
cilindro de chama violeta de 2,70m de altura por 1,80m de
diâmetro.

-Finalize com a invocaÁão: Em nome do Cristo e D-us em mim,


peÁo que estes decretos sejam multiplicados segundo as leis
cósmicas o permitam, e aceito que sejam manifestados aqui e
agora, de acordo com a vontade de D-us. Amém.

-Obs. 1.Conforme anteriormente descrito estes ensinamentos


foram-nos transmitidos por folhetos da Summit Lighthouse,
organizaÁão afiliada à Grande Fraternidade Branca.
-Obs. 2 Saint Germain, segundo Descartes: É o homem que tudo
sabe e nunca morre.
-Obs. 3. Seqüência de cores aconselhável para irradiaÁão de
luzes: azul, verde, segue-se qualquer cor, por exemplo: amarelo
(comeÁar com três dedos acima do umbigo e ir descendo),
violeta (irradiá-la pelo corpo todo, inclusive na cabeça),
vermelha (somente do umbigo para baixo), outras cores e azul
(deve-se sempre comeÁar e terminar com a cor azul). A cor
branca, como contém todas as outras cores, pode ser aplicada
isoladamente, pelo corpo todo, pela superfície externa e dentro
do corpo todo, comeÁando pela cabeÁa e indo até aos pés.

CAPÍTULO 6.3: MEDITAÇÃO DA CORRENTE BRANCA DO


ORIENTE MAIOR

A MeditaÁão, entre os outros benefícios anteriormente citados,


canaliza as energias positivas de milagre para a nossa vida.
Considerando como milagre um fato extraordinário pelo qual não é
encontrado uma explicaÁão lógica para a quebra de padrões pré-
estabelecidos

D-us, Cristo. Francisco de Assis e Corrente Branca do


Oriente Maior
Método do Irmão Bonifácio Amaral, de Brasília.

Fase de preparação (Fase 1)

1. Fechar os olhos.
2. Deixar a mente bem tranqüila.

3. Afastar o pensamento de qualquer coisa ligada á vida


material, os acontecimentos do dia a dia são peias que
seguram os espíritos.

4. Os espíritos devem estar desligados dos problemas da carne.


Desligamento total.

5. Conduzindo nossa mente para Cristo, que é a nossa Luz.

6. Pressinta o Cristo como um Irmão mais velho, que é nosso


Irmão mais experiente, sem a constataÁão de que está muito
distante. Cristo é o Caminho, a Luz e a Vida. Segundo
Melchizedeck o grande sacerdote, somos reis para
governarmos a nós mesmos.

7. Cristo segue iluminando os Irmãos que estão nas trevas do


ódio.

8. E aí nossos Irmãos vão enxergar o erro e perdoarem para


serem perdoados.

9. Lembrar de São Francisco de Assis: “somos apenas um


instrumento da vontade de D-us”

10.Vamos irradiar a luz que recebemos de Cristo com a


afirmativa: “Irradiamos luz com todo o nosso amor, mas
lembremos que o Irmão em necessidade está resgatando um
carma, por isso faÁamos a ressalva: mas que se faÁa a Vossa
Vontade e não a minha...”

Este é o momento em que o Irmão poderá enxergar o caminho e a


luz, fazendo-o sair da faixa de dor e de cobranÁa.

Salve D-us!
D-us Pai, luz de nossa força, enviai a nós a força de vossa vontade,
de vosso amor, para que possamos retransmiti-la a todos os que nos
buscam.

E que eu possa, nas horas de atribulaÁões, de maior sofrimento, ser


capaz de auxiliar ao próximo e que eu nada queira para mim, a não
ser a graÁa de vos servir.

Em nome de D-us, nosso Pai Todo Poderoso, de Cristo, de Francisco


de Assis e da Corrente Branca do Oriente Maior, pedimos que sejam
dados por iniciado os trabalhos desta noite.

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo


Para sempre seja louvado

88
Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo
Para sempre seja louvado

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo


Para sempre seja louvado

MEDITAÇÃO DA CORRENTE BRANCA (Fase 2)

Mentalizar uma luz branca no alto da cabeÁa, rodeando-a, e


vamos trazê-la para dentro de nossa cabeÁa, tronco e
membros, vamos trazê-la para dentro de nos.

InspiraÁão: Salve D-us! (3 vezes)


ExpiraÁão: GraÁas a D-us!

Ficar em uma atitude de completo relaxamento do corpo.


Pensamentos direcionados para a Luz de Cristo. Qualquer outro
pensamento deve ser cortado com a saudaÁão: “Salve D-us!” e
redirecioná-lo a Cristo.

Salve D-us! GraÁas a D-us! (É a chave que fecha os caminhos


exteriores para que possamos caminhar para dentro de nós
mesmos).

1. Mentalizar as pessoas familiares nas moradas e nos locais


de trabalho. Salve D-us meu Pai, vamos irradiar luz branca a
todas as pessoas, depois irradiá-la para os colegas, a seguir
irradiá-la para as nossas moradias. Fazer irradiaÁão para
locais de sofrimento intenso: casas de detenÁão, hospitais,
locais com revoluÁão, querras e nesse momento estamos
entrando na Grande Corrente Branca Universal do Oriente
Maior, o que o fazemos em nome de D-us nosso Pai, em
nome de Jesus Cristo e em nome da Corrente Branca de
Ysmaël.

2. Voltar o pensamento para Cristo, irradiar muita Luz para


Ele, fazendo-o em nome de D-us, nosso Pai todo poderoso.

3. Salve D-us meu Pai e meu Mestre, neste momento nós te


agradecemos por tudo quanto temos recebido e permita
todos os necessitados possam receber o que acabamos de
receber.

4. Agradecemos em nome de D-us, nosso Pai Todo Poderoso,


nosso Mestre Jesus Cristo e da Corrente Branca do Oriente
Maior.

5. GraÁas a D-us. Salve D-us, e em nome de nosso Pai Todo


Poderoso. Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo! Para
sempre seja louvado! (Repetir 3 vezes). Damos por
encerrado nossos trabalhos de meditação no dia de hoje.

TRABALHO DE INVOCAÇÃO DA CORRENTE BRANCA


( Fase 3)

Senhor, Tu disseste que onde estivessem duas ou mais


pessoas reunidas em Teu Nome, ali estarias em Espírito e
Verdade e confiamos e pedimos a Tua Ajuda em nome do
Mantra Chave da Corrente Branca do Oriente maior (que é a
Corrente de São Francisco de Assis),

(CHAVE)

D-us Pai!
Luz de nossa força,
Enviai a nós vossos filhos
A Força de Vossa Vontade
De Vosso Amor
De Vossa Fé e Confiança em nós
Para que encontremos a salvação em Vós
E a possamos transmitir a todos os que nos procuram
Buscando assim a Vossa Luz e a Vossa Presença!

E que eu possa
Nas horas de meu maior desespero
Buscar ajudar aos outros
E que eu nada queira para mim
A não ser a Graça de Vos Servir!

(PORTA)

Salve D-us!
(Irradiar Luz Branca)
Salve D-us, meu Pai, nós te entregamos todas essas forças
aqui reunidas por nós através de Ti, para que elas sejam
encaminhadas à espiritualidade Maior.

Graças a D-us!
Salve D-us!

Observação: Nunca é demais repetir que estas expressões é a


chave que tudo abre. Cuidado! Só devem ser pronunciadas
quando for muito necessário.

CAPÍTULO 6.4: A GRANDE INVOCAÇÃO

Desde um ponto de Luz na Mente Infinita de D-us,

90
De onde flui luz às mentes dos homens,
Que a Luz desÁa a Terra.

Desde um ponto de Amor no CoraÁão Infinito de D-us


Donde flui amor aos coraÁões dos homens,
Que o Cristo retorne à consciência dos homens.

Desde o Centro, onde a vontade de D-us é conhecida,


Que o Propósito guie as pequenas vontades dos homens,
Propósito que os Mestres conhecem e servem.

Desde o Centro ao qual chamamos raÁa dos homens,


Que se cumpra o plano de Amor e de Luz
E se feche a porta onde se encontra o mal.

Que a Luz, o Amor e o Poder.


RestabeleÁam o Plano Divino sobre a Terra,
Hoje e por toda a Eternidade. Que assim seja!

CAPÍTULO 7: ORAÇÃO, SAÚDE E CURA.

Cada pessoa irradia o que de fato é, e essa irradiaÁão, quando


atinge certo grau de qualidade torna-se benéfica e curativa.
Toda alma ou o EU Superior liberada de apegos é transmissora
natural da energia de cura transformadora. É importante
adentrarmos o nosso nível mais profundo de consciência que
todos nós temos só que não o enfocamos. Os que conseguem a
auto-cura são gênios da união entre a mente e o corpo.

O amor e a compaixão com que temperamos a oraÁão são


extremamente importantes porque D-us é amor e toda oraÁão
rezada com amor contará com a presenÁa de D-us, sem
monopólio de nenhuma religião em particular. Podemos ter a
certeza da presenÁa divina na oraÁão feita com devoÁão. O
futuro eminente pode ser modificado pelos esforÁos
conscientes da pessoa esclarecida que ore. Não pode haver o
chamado destino inevitável, inflexível e inexorável. A
consciência viva: D-us não pode ser submetida a tais
limitaÁões. Que lhas poderia impor?

O irmão doente precisa de um amor maior, que possibilite


ampliar o alcance da consciência humana, transcender nossas
limitaÁões físicas, vencer o nosso egoísmo e adentrar a Sefirá
de Yesod noutra dimensão, onde não existe doenÁa, tempo,
espaÁo ou movimento. Ao regressar para Malkut estará
completamente curado. Se conseguirmos fazer crer a um
doente que seu sofrimento vai acabar, isto de fato irá
acontecer.

Nomear uma doenÁa é contraproducente, pois pode agravá-la.


As doenÁas devem ser ignoradas o mais possível: não se deve
falar delas se não for absolutamente necessário. Quem vive a
pensar e falar em doenÁas acabará por ficar doente. Existem
pessoas que suportam a doenÁa, mas não suportam o
diagnóstico. Deve-se conscientizar somente a presenÁa de D-
us. É a única coisa necessária para substituir a ilusão do mal
pela verdade do bem. Os males existem, mas não fazem parte
da realidade do mundo de D-us, embora faÁam parte das
facticidades do mundo do homem-ego.

OraÁão é falar com o Absoluto e meditaÁão é Ouvi-lo. O corpo


não faz distinÁão entre oraÁão e meditaÁão. D-us conhece
vossos mais secretos pensamentos, rogai, pois com pureza de
coraÁão para que as vossas oraÁões sejam ouvidas. O mais
belo dos heroísmos humanos é o esquecimento de si mesmo,
para conseguir, ter capacidade de levar ao próximo palavras
imantadas de paz e de consolo. A oraÁão é a maior ferramenta
contra a preguiÁa, os obstáculos devem ser vencidos através
da oraÁão.

Se compararmos o ser consciente ao ser inconsciente,


constatamos que, enquanto o consciente é freqüentemente
dotado de uma memória muito falha, o inconsciente é, ao
contrário, provido de uma memória admirável, impecável, que
guarda sem o sabermos os menores acontecimentos, os mais
insignificantes fatos de nossa vida. É o inconsciente que
preside, pelo cérebro, o funcionamento de nossos órgãos e das
nossas aÁões, quaisquer que sejam elas. É o inconsciente que
pode trazer a cura de nossas doenÁas físicas e morais.

Antes da cura, da recuperaÁão espontânea, os pacientes


passam por uma alteraÁão de consciência, sabem que vão
curar-se e sentem que a energia responsável pela cura está
em si mesmo, ainda mais, que esta energia não se limita
apenas a eles, estende-se além de seus limites pessoais, por
toda a natureza. A verdadeira questão não é saber se alguém
pode ajudá-lo, o importante é saber se você é capaz de se
ajudar. Existem 3 coisas pertinentes: o doente, a doenÁa e o
curador. Si o doente se alia ao curador a doenÁa pode ser
vencida, mas si o doente se alia à doenÁa, nenhum curador
poderá ter a capacidade de vencer a doenÁa.

Existe uma conexão entre intuiÁão e imaginaÁão. A imaginaÁão


é mais importante que o conhecimento. Ás vezes o cientista
pensa em um determinado assunto e nada acontece, nada
descobre. Deixa de pensar, mergulha em um grande silencio e

92
a verdade lhe é revelada. É que a mente avanÁou até o ponto
onde foi possível analisar, mas depois passou para uma
dimensão superior (possivelmente Yesod) sem saber como lá
chegou. São comuns as grandes revelaÁões científicas terem
acontecido por meio de saltos quânticos. Na obtenção de
saúde e cura deve-se:

-Visualizar as células imunológicas como se fosse uma névoa


de partículas brancas cobrindo as células contaminadas, assim
como a neve cobre uma rocha escura. Repetir essa
visualização várias vezes por dia.

-Ampliar a ação das radiações e dos medicamentos por meio


da prática de visualização, “vendo” as células brancas de o
sangue atacar com sucesso as células enfermas e as
expulsarem do corpo, deixando restar apenas as células
saudáveis. A mente influencia o corpo e pode levar á saúde ou
á doença, nós somos seres quânticos.

A idéia é de que vale a pena lutar e não desistir, o impulso de


vencer é um fator importante quando chega a doença.
Existem pessoas que podem facilmente viver com a doença,
mas não com o diagnóstico. O tratamento deve estar
primeiramente fundamentado na sabedoria e somente depois
é que deverá ser aplicada a tecnologia. O mistério do domínio
da mente sobre o corpo ainda não foi bem explicado pela
biologia, tudo o que acontece no universo mental deixa sinais
no corpo físico.

-É recomendável um pouco de luz solar para todas as doenças,


além de uma caminhada pela manhâ. A natureza é a cura do
homem, porque ela é o homem. Precisamos da natureza para
libertar a nossa natureza.

-Relação dos alimentos “felizes” porque estimulam a


dopamina e outras substâncias positivas no cérebro: Leite,
frango, bananas e verduras;
Relação dos alimentos “tristes” porque estimulam a
acetilcolina (uma substância química negativa): Doces,
alimentos pesados, carnes vermelhas e substâncias
gordurosas que mantêm o corpo em um estado de inércia,
dificultando contatos superiores. Alimentos neutros: frutas,
legumes, hortaliças, grãos e carnes brancas. A mistura de
lacticínios com os neutros ou das carnes com os neutros é
possível, em função da consciência de cada irmão, o que não é
nada recomendável é a mistura de carnes com os lacticínios.

-A dieta vegetariana e frutífera é de grande ajuda no processo


de elevação do nível vibratório do corpo físico. Carnes de
qualquer espécie levam-no a ter vibração animal, impedindo-o
de tornar-se mais sensível á vibração mais espiritual. Através
do consumo de carne, o homem retorna a ciclos de vida
remotíssimos que a. muito tempo começou a abandonar,
quando sua essência viva transmigrou-se para o reino
humano. Comer carne não só é um comportamento
retrógrado, mas também um dos fatores que estão impedindo
que o sofrimento humano sobre esta Terra seja aliviado.
Levando os animais á dor e á morte, engendramos situações
semelhantes para nós mesmos, dentro da Lei de Causa e
Efeito.

-O corpo vivo é a melhor farmácia inventada até hoje, produz


diuréticos, analgésicos, tranqüilizantes, sonoríferos,
antibióticos e tudo o mais que é fabricado pelas indústrias das
drogas, mas a eficácia dos medicamentos produzidos por nós
é muito superior.

-A cura não é um processo físico, mas mental, quântico. Atrás


do mecanismo físico da cura existe um “know how” que não
pode ser visto ou tocado, A cura é viva, complexa, holística. A
mente poderosa faz curas que mudam os próprios modelos
que formam o corpo, ela pode destruir qualquer doença.
Antigamente a ciência declarava que somos máquinas físicas
que, de alguma forma aprenderam a pensar. Hoje desponta a
idéia de que somos pensamentos que aprenderam a criar uma
máquina física.

-A consciência profunda tem a capacidade de promover um


drástico salto quântico no mecanismo da cura. “A cura
quântica” significa um salto descontínuo de um nível de
função para outro, mais elevado; a transição quântica. Como
exemplo podemos citar o “salto” de Malkut para Yesod.

Quando a vontade e a imaginaÁão estão conflitantes, é sempre


a imaginaÁão a vencedora, sem exceÁão alguma. Para curar
doenÁas a vontade não deve intervir na prática da auto-
sugestão. Não é a vontade que nos faz agir e sim a imaginaÁão.
Importante: só se pode pensar em uma coisa de cada vez.
EXEMPLOS:

ERRADO: Expressões do tipo: Quero que isto aconteça


(vontade). É meu desejo que isto aconteça.

ERRADO: Expressões do tipo: Não quero que você faça. Não


gosto disto. É errado porque o inconsciente permanece na
dúvida: não é não, quero é quero, gosto é gosto, mas não
quero ou não gosto o que é para o inconsciente?

CERTO: Expressões do tipo: Eu sou isto. Eu sou aquilo. Isto vai

94
acontecer ou isto irá desaparecer

Exemplo (Certo) de mantra visando a saúde:


-Eu Sou a saúde.
Sou D-us em ação,
Sou a mente pura,
Em um corpo são!

Outro exemplo (Certo):


-Todos os dias,
De todos os pontos de vista,
Vou cada vez melhor.

Outro exemplo (Certo), colocando a mão no local da dor:


-Isso passa isso passa, isso passa (repetir no mínimo 20 vezes)

-ORAÇÃO DE SÃO FRANCISCO

Senhor,
Fazei de mim um instrumento de Vossa paz!
Onde houver ódio, que eu leve amor,
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão,
Onde houver discórdia, que eu leve a união,
Onde houver dúvida, que eu leve a fé,
Onde houver erro, que eu leve a Verdade,
Onde houver desespero, que eu leve a esperança,
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria,
Onde houver trevas, que eu leve a Luz!

Ó Mestre,
Fazei que eu procure mais consolar do que ser consolado,
Compreender do que ser compreendido,
Amar do que ser amado.

Pois é dando que se recebe,


Perdoando que se é perdoado,
E é morrendo,
Que se vive para a vida Eterna!

IL POVERELLO

Certo homem pequenino


O mundo um dia surpreendeu...
Da terra o luxo deixou
E pobrezinho viveu.
Trabalhador como quê,
Capelas reconstruiu
Desde que a voz do Senhor
No riozinho ele ouviu.

Um homem manso e tranqüilo,


Com animais conversava.
Chamava tudo de “irmão”
E a todos, rindo, ele amava.

Ordem de pobres fundou:


Não teria propriedade,
Pois, não via em bens terrenos,
Nenhuma felicidade.

Clara era sua namorada


E nunca se esqueceu disto.
Triste, mas muito serena,
Co as Clarissas vive em Cristo.

A Chiquinho perguntaram
Pelo amor que ele viveu;
-“Que é feito do amor que amou?”
-“Amei? Inda amo!” - Respondeu.

Disse:- “Queira compreender,


Antes de ser compreendido.
Se assim você proceder,
Não terá mal-entendido”.

Ao Pai, singelo, pediu:


-“Fazei de mim instrumento
Para levar vossa paz
Onde haja sofrimento”.

E acrescentou:- “Meu Jesus:


Permiti que eu leve amor
Ao coração que tem ódio,
Aliviando a sua dor”.

E orando:- “Triste é a mentira!


Deixai-me com a Verdade!
Que a injúria eu sempre perdoe
E só dê felicidade”.

-“Senhor! Que eu possa levar


Luz ao triste coração
De quem vive em desespero
E perdeu toda a ilusão”.

96
-“Alegre são os animais:
Seus cantos são orações.
Deixai que também oremos
Em sorridentes canções”.

-“Que eu saiba, meu Mestre eterno,


Que, para felicidade,
Quando na morte pisar,
Entrarei na eternidade”.

E assim viveu meu Chiquinho.


Homem que nunca me esqueço.
As trovas fiz com carinho
E com amor lhe ofereço.

ORAÇÃO A BEZERRA DE MENEZES

Nós te rogamos Pai de Infinita Bondade e justiÁa,


As graÁas de Jesus Cristo através de Bezerra de Menezes
E suas legiões de companheiros. Que eles nos assistam,
Senhor, consolando os aflitos, curando aqueles que se
Tornem merecedores, confortando aqueles que tiverem suas
Provas e expiaÁões a passar, esclarecendo aos que desejarem.
Conhecer a Verdade e assistindo a todos quantos
Apelam ao Teu Infinito Amor.

Jesus, Divino Portador da GraÁa e da Verdade,


Estende tuas mãos dadivosas em socorro daqueles que Te
Reconhecem o Despenseiro fiel e Prudente; faze-o Divino
Modelo, através das tuas legiões consoladoras, Teus santos
Espíritos, a fim de que a Fé se eleve, a EsperanÁa aumente,
A Bondade se expanda e o Amor triunfe sobre todas as coisas.

Bezerra de Menezes, Apóstolo do Bem e da Paz,


Amigo dos humildes e dos enfermos, movimenta as tuas
Falanges amigas em benefício daqueles que sofrem,
Sejam males físicos ou espirituais.
Santos espíritos, dignos obreiros do Senhor,
Derramai as graÁas e as curas sobre a humanidade sofredora
A fim de que as creaturas se tornem amigas da Paz e
Do Conhecimento, da Harmonia e do Perdão, semeando pelo
Mundo os Divinos Exemplos de Jesus Cristo.

ORAÇÃO DE ISMAEL

Glória a D-us nas alturas, paz na terra aos homens de boa vontade!
Jesus, bom e amado Mestre, sustenta os teus humildes irmãos
pecadores nas lutas deste mundo.

Anjo bendito do Senhor abre sobre nós as tuas brancas asas e


abriga-nos do mal; levanta os nossos espíritos à majestade do teu
reino, infunde em nossos sentidos a luz do teu imenso Amor.

Jesus, pela Tua sagrada paixão, pelos teus martírios na cruz, dá a


esses que se acham ligados ao pesado fardo da matéria, orientaÁão
perfeita no caminho da virtude, único pelo qual podemos te
encontrar.

Jesus, paz a eles, misericórdia aos nossos inimigos. Recebe no teu


seio bendito a prece do último dos teus servos.

Bendita estrela, farol das imortais falanges, purifica-nos com teus


raios divinos, lava-nos de todas as culpas, atrai-nos para junto de teu
seio. Santuário Bendito de todos os amores.

Se o mundo, com seus erros, paixões e ódios alastra o caminho de


espinhos, escurecendo o nosso horizonte com as trevas do pecado,
rebrilha mais com a tua misericórdia, para que, seguros e apoiados
no Santo Evangelho, possamos trilhar, vencer as escabrosidades do
caminho e chegar às moradas do teu reino.

Amiga estrela, farol dos pecadores e dos justos, abre teu divino seio
e recebe nossa súplica pela humanidade inteira. Assim seja.

ORAÇÃO DE CÁRITAS

D-us, nosso Pai, que sois todo Poder de Bondade, daí forÁa àquele
que passa pela provaÁão, daí luz àquele que procura a verdade;
coloque no coraÁão do homem a compaixão e a caridade.

D-us! Daí ao viajor a estrela guia, ao aflito a consolaÁão, ao doente o


repouso.

Pai! Daí ao culpado o arrependimento, ao espírito a Verdade, à


crianÁa o guia, ao órfão o pai.

Senhor! Que vossa bondade se estenda sobre tudo que creastes.

Piedade Senhor, para aqueles que não vos conhecem; esperanÁa


para aqueles que sofrem. Que vossa bondade permita aos Espíritos
consoladores derramarem por toda parte a paz, a esperanÁa e a fé.

D-us! Um raio, uma faísca do vosso amor pode abrazar a Terra;


deixai-nos beber nas fontes dessa bondade fecunda e infinita, e
todas as lágrimas secarão, todas as dores se acalmarão. Um só

98
pensamento subirá até vós como um grito de reconhecimento e de
amor. Como Moisés sobre a montanha nós Vos esperamos com os
braÁos abertos ó Bondade! Ó Beleza! Ó PerfeiÁão! E queremos de
alguma sorte merecer vossa misericórdia.

D-us! Daí forÁa para ajudar nosso progresso, a fim de subirmos até
Vós; daí a caridade pura; daí a fé e a razão; daí a simplicidade que
fará das nossas almas o espelho onde se deve refletir a Vossa
Imagem.

ORAÇÃO DA FALANGE DE ISMAEL

Meu D-us, estou a seus pés.


Permita Pai do Céu, que eu consiga esquecer o meu egoísmo
Para ter concentraÁão capaz de atrair fluidos benéficos para meu
Irmão (Falar o nome).
É esquisito meu Pai, que quem tem tantas faltas se atreva a fazer
um pedido para Você,
Mas para quem eu tenho que pedir se não a meu Pai?
D-us de amor, ouÁa a minha oraÁão, me ajuda a amar muito ao
próximo.
Só assim poderei ajudá-lo.
AMÉM

CAPÍTULO 8: DIVERSOS

FÉ- ESPERANÇA- CARIDADE

Pensaremos na FÉ como poder emanador conquistador. A FÉ


é o fundamento da esperanÁa, é uma certeza a respeito do
que não se vê. Pela FÉ reconhecemos que o mundo foi formado
pela palavra de D-us e que as coisas visíveis se originaram do
invisível.

Pensaremos na ESPERANÇA na porta aberta através do véu,


atuando na PresenÁa Pura.

Pensaremos na CARIDADE como a determinaÁão de:


-não pensar no mal,
-não falar no mal,
-não ver o mal,
-não ouvir o mal e
-não sentir o mal.
-Caridade não é somente fazer doaÁões, caridade é mais que
isso, é fazer doaÁão de si mesmo. Aquele que fez a doaÁão foi
o verdadeiro receptor. Aquele que recebeu a doaÁão foi o
verdadeiro doador. “Recebo para doar e, quando estou
doando, estou recebendo”.
-A caridade expressa simbolicamente a presenÁa de D-us, é a
forÁa do Bem nas deficiências que ainda nos assinalam a
todos- os espíritos em evoluÁão - ou mais propriamente a luz
da vida, assegurando a paz e a esperanÁa, o amor e o
entendimento, em todos os nossos processos de
relacionamento e solidariedade, sem a qual as mais nobres
aquisiÁões do homem mergulhariam nas trevas.

ALMA-ESPÍRITO-MATERIA.

ALMA – Do latim “anima”, significa sopro, o que anima.


Centelha divina promotora do espírito e da matéria, a sua
expressão.. É o sopro de D-us que dá vida à alma. Segundo
Platão: “O corpo é a prisão da alma”. Em outras palavras, a
alma é o próprio espírito quando se encontra ligado à matéria
durante os processos encarnatórios. É a faculdade sensitiva, é
a consciência do espírito, é uma dependência do princípio vital
universal (D-us). A alma é o próprio espírito quando se
encontra ligado à matéria durante os processos encarnatórios.

ESPÍRITO – É a faculdade pensante, è uma creaÁão do princípio


vital, suas funÁões são completamente distintas das da alma.

MATÉRIA – É a faculdade demonstrativa no mundo no qual


habitamos. É a expressão da sensibilidade e da inteligência.

SEFER YETZIRÁ = Livro da FormaÁão; foi escrito pelo patriarca


Abraão, o primeiro a reconhecer ao D-us único e decifrar o
HAKODESH (alfabeto hebraico)

RAFAEL = Sol; Tifereth; Ar; Oriente.


MIKAEL = Mercúrio; Netzah; Fogo; Sul.
GABRIEL = Lua; Iesod; Água; Ocidente.
AURIEL = Vênus; Hod; Terra; Norte.

INVOCAÇÃO À LUZ DIVINA

ABENÇOADA SEJA A LUZ DIVINA SÔBRE O PLANETA TERRA

ARCANJO RAFAEL

AbenÁoada seja a Luz Divina nascendo no Oriente.

100
Que a Luz do Sol em Tifereth possa purificar e energisar o AR que
respiramos.
Salve o Mundo de Yetzirah: Mundo da FormaÁão Mente e CoraÁão.

ARCANJO MIKAEL

AbenÁoada seja a Luz Divina crescendo no Sul.


Que a Luz do Planeta Mercúrio em Netzah possa purificar e energisar
o FOGO que nos aquece.
Salve, duas vezes salve o Mundo de Atzilut. Mundo da EmanaÁão,
Origem e do Espírito.

ARCANJO GABRIEL

AbenÁoada seja a Luz Divina descendo no Ocidente.


Que a Luz da Lua em Yesod possa purificar e energisar a ÁGUA
Que nos refresca.
Salve, três vezes salve o Mundo de Briah. Mundo da CreaÁão, Mundo
de nossa alma.

ARCANJO AURIEL

AbenÁoada seja a Luz Divina retornando no Norte.


Que a Luz do Planeta Vênus em Hod possa purificar e energisar a
TERRA que nos alimenta.
Salve trinta e três vezes salve o Mundo de Assiah. Mundo da AÁão,
Mundo da expressão.

PATER NOSTER

Pater noster qui es in caelis,


Sanctificétur nomen tuum,
Adveniat regnum tuum,
Sicut in caelis, et in terra.

Panem nostrum quotidianum da nobis hodie:


Et dimitte nobis debita nostra,
Sicut et nos dimittimus debitoribus nostri.
Ne nos induca in tentationem.

Sed libera nos a malo.


Per secula seculare,
AMEM.

(AMEM é um mantra. É uma palavra hebraica significando que os


nossos pedidos no mundo físico sejam atendidos no mundo
espiritual).
CAPÍTULO 9: HINOS

Hino da Fraternidade Rosa Cruz

Ao entrar neste Templo Sagrado,


Abrimos nossa Alma e nossa Mente,
Para que sejamos iluminados...
Pela Divina Luz Onipresente.

Salve a Terra, Bis


Salve a Luz, Bis
Que as Rosas floresçam em nossa Cruz. Bis

Esta Luz que sempre Ilumina,


Àqueles que buscam a Verdade,
Para compreendermos a doutrina...
Do Amor e da Fraternidade.

Salve a Terra, Bis


Salve a Luz Bis
Que as Rosas floresçam em nossa Cruz. Bis

HINO CABALÍSTICO DO SANTO GRAAL

Preparemos nossa Alma e nossa Mente,


Ao entrar em nosso Templo de Esplendor,
Glorifiquemos a D-us Onipresente,
Da Sabedoria, da Verdade e do Amor...

Abençoados sejam a Luz e o Santo Graal,


Que nos libertam das trevas, dos erros e do mal!

Busquemos o Santo Graal com grande devoção,


Com fé, reverência e ardor profundo!
A Árvore da Vida é a nossa salvação,
Ela nos liberta da queda neste mundo...

Abençoados sejam a Luz e o Santo Graal,


Que nos libertam das trevas, dos erros e do mal!

AO ENTRAR NO TEMPLO SAGRADO DO SANTO GRAAL

Alcemos pensamentos de alegria


Ao entrar no nosso Templo Sagrado

102
Onde encontraremos a harmonia
E a voz do nosso Verbo encarnado.

Salve o Santo Graal


Salve a nossa irmandade
Que trabalha para a paz
E o bem da humanidade

Busquemos com firmeza o Santo Graal


Com devotamento e ardor profundo
Este é o caminho certo e ideal
Para nos livrar da queda neste mundo.

Salve o Santo Graal


Salve a nossa irmandade
Que trabalha para a paz
E o bem da humanidade

AO SAIR DO TEMPLO SAGRADO DO SANTO GRAAL (1)

Ao sair deste Templo Sagrado


Levamos paz no nosso coração
E Luz para ser iluminado
No caminho da nossa salvação.

Salve a Luz Divina


Salve o Santo Graal
Que o triunfo seja o nosso ideal

Partimos com paz e alegria


Levando Luz e recordação
Daquilo que o Mestre dizia
Proclamando a nossa redenção.

Salve a Luz Divina


Salve o Santo Graal
Que o triunfo seja o nosso ideal.

AO SAIRDO TEMPLO SAGRADO DO SANTO GRAAL (2)

Ao sair deste Templo Sagrado,


Com alegria e muita emoção!
Levo o Sacramento bem guardado,
Em minha alma e em meu coração...

Salve este Templo de Luz e de esplendor!


Onde nos reunimos em nome do Senhor...

Trabalhemos em nossa Irmandade,


Vamos servir ao nosso Santo Graal,
Para ajudar a humanidade,
Vencer as trevas, os erros e o mal.

Salve este Templo de Luz e de esplendor!


Onde nos reunimos em nome do Senhor...

MANTRAS

I – (mi)
I-A-O – (mi-fasustenido-sol)
A-UM – (do-sol)
I-E-O-U-A – (dó-dó-dó-sol-dó)
OM-TATI-SATI-ROM – (la-si-la-sol)
O-MANI-PA-DIMI-ROM – (la-sibemolsol-la-la-sol)
OM – (dó).

(DE PÉ)

DIANTE DE MIM---RA FA EL
ATRAS DE MIM---GA BRI EL
Á MINHA DIREITA—MI KA EL
Á MINHA ESQUERDA—AU RI EL

CAPÍTULO 10: PEÇA TEATRAL DE NATAL

Pedro Braile, neto (1962)

TECNICA PREFIXO SOBE E BAIXA A BG

SPEAKER 24 de dezembro... 2 horas da tarde... de uma tarde


úmida e triste..Igreja de São Francisco de Assis...a
minúscula figura de um garoto maltrapilho acaba de
entrar... olha como que deslumbrado para as
imagens e para as colossais colunas que o
circundam.

Aproxima-se da imagem da Virgem Imaculada,


ajoelha-se, fala alguma coisa...

MENINO Minha Nossa Senhora! Como não sei onde mora


(BAIXO/QUSE Papai Noel, vim pedir à Senhora o favor de lhe dizer

104
BALBUCIAND onde moro. É bem ali, no alto do morro, naquela
O/CONTRITO) casinha cor de terra por fora, coberta de zinco e de
folha de lata de banha. No ano passado eu esperei
ele passar lá em casa, mas... como era muito tarde,
dormi; por isso, não deixou nenhum brinquedo para
mim, nem nada para a mãezinha. E ela estava
acordada, eu sei...

O filho do Dr. Fagundes também dormiu e Papai


Noel, mesmo assim, pôs o brinquedo no sapato dele.
A Senhora fará o favor de dizer zele que eu não
tenho sapato... ele poderá deixar o brinquedo
mesmo no chão.

Pobre não tem luxo. O filho do Dr. Fagundes disse


que era mentira da mãezinha, que o Papai Noel nem
deu confiança de ir lá em casa. Que ele só vai em
casa de menino rico. A Senhora fará o favor de dizer
a ele que eu não acreditei nisso não. Eu bem sei que
ele não deixou o brinquedo porque eu estava
dormindo.

Hoje não dormirei. Se acontecer, porém, pára ele


não fazer caso e deixar qualquer brinquedinho,
quebrado mesmo, e que tenha sido jogado fora pelo
filho do Dr. Fagundes. Mas se for novo, não precisa
ser igual ao dele.

O filho do Dr. Fagundes é rico, eu sou um


molequinho da rua... Muito obrigado pelo favor que a
Senhora vai fazer para mim, Nossa Senhora... D-us
lhe pague.

TÉCNICA PREFIXOSOBE LIGEIRAMENTE E BAIXA A BG

SPEAKER Levantou-se. Caminha deslumbrado com a riqueza


da Igreja. Cara sardenta, boca entreaberta, olhos
inteligentes e cabelos compridos, terrivelmente
emaranhados. Segue lentamente, rumo à porta de
saída.

Padre Ismael, que detrás da coluna, tudo assistiu,


alcança-o:

PADRE Veio rezar, filho?

MENINO Vim e não vim “seu” Padre. O que vim fazer mesmo
foi pedir um grande favor a Nossa Senhora...
PADRE Um pedido de favor a Nossa Senhora? Muito bem... e
pediu com fé? Se você pediu uma coisa justa e com
fé, pode contar que será atendido.

MENINO Não sei se foi justa, “seu” Padre... Mas foi com fé.
Pedi-lhe que ensinasse ao Papai Noel onde é minha
casa, para ganhar um presentinho hoje. Pedi para
Nossa Senhora falar para não haver desculpas desta
vez.

PADRE Sei, sei filho... e o que espera você receber de Papai


Noel?

MENIINO O que ele me quiser dar “seu” Padre! Dizem que a


gente não pode pedir uma coisa, porque assim ele
não traz nada...

PADRE Sim, mas, afinal de contas, eu não sou Papai Noel,


meu filho... e a mim você pode dizer o que mais
deseja que ele lhe traga...
+10

MENINO Ele não ficará zangado comigo?

PADRE Não. Não ficará, filho.

MENINO Pois então, se ele não ficasse zangado e eu pudesse


pedir, pediria que desse um pouquinho de manteiga
para a mãezinha, que é a coisa que ela mais gosta
na vida...

PADRE E para você?

MENINO Ele dando a manteiga para a mãezinha, já fará


muito!

PADRE Então, não poderá ser tão pouquinho assim como


você pediu, porque precisa que chegue para você
também...

MENINO Não, eu não gosto de manteiga. Lá em casa é assim,


“seu” Padre, e é muito engraçado: mãezinha não
gosta de nada que eu gosto de comer e eu também
não gosto de nada que ela gosta de comer...

PADRE Ahn! Ahn! Compreendo, compreendo filho.

MENINO Mãezinha já deve estar me esperando “seu” Padre...

PADRE Sim, sim, vai com Deus, meu filhinho. Pode estar

106
certo de que, hoje, Papai Noel não faltará em sua
casa e, pode dormir descansado que ele deixará o
seu brinquedo não se esquecendo da manteiga da
mãezinha. Nossa Senhora se encarregará disso...

MENINO Será? Mas não lhe diga nada da nossa conversa,


“seu” Padre, porque ele poderá ficar aborrecido e
não deixar a manteiga para a mãezinha...

PADRE Vá descansado, filho... não direi nada.

MENINO A benção, Padre.

PADRE Deus abençoe você, meu filho...

TÉCNICA SOBE LIGEIRAMENTE O PREFIXO DE NATAL E DESCE


RAPIDAMENTE A BG

SPEAKER O garoto retira-se vagarosamente até a porta. Dali


dispara numa carreira desenfreada... em seus olhos
cristalinos baila uma alegria infinda. Padre Ismael vai
até o altar-mor... ajoelha-se diante da imagem de
Cristo Crucificado...ora...

PADRE Deus! Oh! Deus! Pai de infinita misericórdia, de amor


infinito, e caridade eterna! Porque vivi eu bastante
para presenciar o que, nesta igreja que é Vossa,
Senhor, acaba de ser escrito?.

Meu Deus! O Vosso mais humilde servo, às vezes, e


por momentos, titubeia.. Perdoai-me Pai. É que
ainda sou tão imperfeito. Sim, tão imperfeito que
não posso compreender bem, que assimilar ainda
me não foi possível toda a Vossa doutrina, a nós
ensinada por Vosso Filho, o Mestre dos mestres!

Por que esse Papai Noel tão amorável e tão bonzinho


para com uns, é tão desapiedado para com outros?
Por que, Pai? Com o coração já quase empedernido,
de tanto lidar com o sofrimento alheio, jamais pude
pensar sequer que me pudesse enternecer tanto.

Jamais pude pensar que uma criança, ao se dirigir à


Virgem Maria, pudesse fazer rolarem-me nas faces
as doloridas lágrimas que agora a regem. E se
pensar que milhões de pobrezinhos, que não são
visitados por esse Papai Noel tão parcial, curtem
duras privações no mundo inteiro; e se pensar que
são gastas fortunas incalculáveis por minuto, a fim
de se obter o esmagamento de povos que, se como
irmãos vivessem como irmãos realmente o são,
poderiam ter vida regalada e todas as crianças do
universo seriam visitadas por Papai Noel. Mais uma
vez, Deus de misericórdia, perdoai as fraquezas
deste já amarelecido servo Vosso. Ainda
borboleteiam entre as colunas deste templo as suas
palavras amigas, de melodia celestial:

MENINO “Não, eu não gosto de manteiga”.


(SUSSURRAN-
DO)

PADRE Que alma alcandorada é essa que alimenta tão frágil


corpinho?. Que alcantilado ser é esse, que divina
entidade está ali?.

Já traz o estigma do sofrimento estampado em


caracteres indeléveis. Esperará por esse Papai Noel
que sempre o encontrará dormindo. E depois de
cada desilusão, a sua alma simples se engalanará
novamente, na vã esperança de que, desta vez,
Papai Noel o encontrará acordado.

De desilusão, em desilusão tornar-se-á o paria


maldito que, de fígado ingurgitado, de olhar em
brasa e de mão trêmula, habitará os presídios
construídos para segregar da sociedade aqueles que
se tornaram indignos de viver em seu seio. Dessa
sociedade egoísta, formada em torno do bezerro de
ouro, sem um Moisés para
sacudi-la. Oh Pai, o Vosso humílimo servo por certo
não se estará excedendo, apenas não compreende,
como a maioria não compreenderá, a razão de ser
de tão desconcertante desigualdade!

Não será Padre Ismael, o vosso servo, que Vos irá


criticar a Sabedoria, Pai. Os sábios, os estudiosos, os
teologistas e teosofistas, os extremistas políticos,
todos, já disseram das suas doutrinas, ou já as
puseram em prática. Inútil! Papai Noel se obstina,
sempre, em visitar quem dele não precisa. Pai de
amor, Pai de bondade, Pai de caridade!

Enviastes o Vosso Filho há dois mil anos a este


planeta. A sua breve passagem deixou um rastro
luminoso através de uma doutrina de amor e de
perdão. Nós, os homens, de maus que somos, damos
interpretações várias às Suas palavras ou as
ignoramos quando no-lo convém. Deturpamos,
dizemos as Suas sentenças aos pedaços,

108
mutilizadas, para que o sofisma possa sempre
prevalecer.

Entenda Senhor, que, enquanto assim for, teremos


meninos pedindo manteiga para a mãezinha e
mãezinhas chorando lágrimas quentes porque Papai
Noel não visitou o filhinho dela!

Compreendo Senhor, que ainda estamos na primeira


fase do ensino basilar do Vosso Filho: “Amai-vos uns
aos outros”. Papai Noel visitará a todos quando
todos praticarem o sublime exemplo de Vosso Filho,
tal como ele o deixou dito: ”Amai-vos uns aos
outros”...não somente, mas “Amai-vos uns aos
outros, como eu Vos amo”.

TÉCNICA PREFIXO SOBE RAPIDAMENTE

SPEAKER Em êxtase, qual novo São Francisco de Assis, Padre


Ismael, banhado em lágrimas, contempla a imagem
do Cristo Crucificado.

TÉCNICA ENCERRA
VOCABULÁRIO
A
AARÃO – Irmão do profeta Moisés – Hod.
ABA - Pai
ABIMELECH – Misericórdia.
ABRA - Pai
ABRAHAM – Pronuncia-se Abraham. Abra – pai; Ham – elevado, multidão de
nações. Pai de uma multidão de nações. É uma energia do Avatar. Chesed. Representa
a Coluna da Direita na Arvore da Vida. Luz da Misericórdia. Na sua casa não existia
portas. Atendia a qualquer um a qualquer hora. Casou-se com Hagar (filha do Faraó) e
teve um filho importante: Ismael, fundador do Islamismo. (Isaac deu origem ao
Judaísmo, assim como Jesus deu origem ao Cristianismo).
ADAM – Homem. Aham. Ego.
ADAM KADMON – Homem primordial.
ADÃO – As sefirot quando representadas como um homem, Keter representa o
cérebro e a inteligência. Chochmá como os olhos, Biná como as orelhas. Zeir Anpin o
nariz e Malkut a boca. Homem feito de barro.
ADÃO E EVA – Do ponto de vista cabalístico, a partir de uma alma não diferenciada,
depois da queda se transformaram em duas partes de uma única alma. Almas-gêmeas,
Adão representando o princípio masculino de atrair energia para compartilhar; Eva
representando o princípio feminino de receber e revelar.
ADAR – O décimo segundo mês do calendário lunar judaico, sexto a partir do Ano
Novo judaico que corresponde aproximadamente a fevereiro – março. Seu signo
zodiacal é Peixes.
ADAM – Homem.
ADONAI -.Um dos nomes de D-us em hebraico.
AEC – abreviação de Antes da Era Comum..
AGADÁ – Nome das partes do Talmude e do Midrash que contêm exposições da arte
de pregar sermões religiosos da Bíblia.
AHAVA – Amor incondicional.
AIN – Nada. Princípio. Plenitude e Keter.
AIN HARA – Olho Gordo.
AIN SOF – Alma Infinita. D-us.
AIN SOF OR – Luz Infinita de D-us. Energia de D-us creada no Extra-Dei, porque
não há como acessar o Intra-Dei.
ÁGAPE – Amor (vem do grego).
ALEF BET – o DNA metafísico de toda a Criação que canaliza Luz para o nosso
mundo; as 22 letras manifestadas no sistema hebraico de escrita.
ALMA – A Luz revestida no recipiente de Inteligência.
AMEM – Que o seu físico se conecte com seu EU espiritual. Representa a reunião da
energia superior com a energia inferior. Súplica para que os nossos pedidos sejam
atendidos. Que assim seja. Que o mundo de cima traga para o mundo de baixo o que
for melhor para mim.
ANA BECHOACH –. É uma organização sem fins lucrativos dedicada aos estudos de
Cabalá. Representa também uma oração desenvolvida dos 72 nomes de D-us sagrados.
É um nome de grande poder com Geburá. Suas palavras foram retiradas das 42
primeiras letras do Torah.

110
ANAN GADHOL – Uma grande nuvem.
ANI - Plenitude em Malkut. Eu (egoísmo).
ANJOS – Energias-inteligências celestiais manifestadas, seres de Luz dedicada a
propósitos específicos que não estão sujeitos ao livre arbítrio.
ANTONIO DELFINO – Ocultista contemporâneo. Yoque. Sacerdote Gnóstico.
Fundador do Colégio Capitular Pitágoras em 01.11.1945. Nasceu em Piracicaba-SP em
07/02/1911. Seu registro no Colégio Capitular Pitágoras em Resende recebeu o
número 1 (Hum). Comerciante.
AOR – Pronuncia-se Or – Luz. OR. Representa também a Energia Divina. Energia
Luminosa.
ARAMAICO – Língua em que Cristo se comunicava.
ARI, O – Rabino Isaac Lúria, conhecido como o Leão de Safed.
AKEDAT YIZHAK – O Atamento de Isaac – A contenção da energia negativa. A
coluna esquerda da Sefirá de Guevurá (Isaac), de modo a alcançar a harmonia com a
energia positiva da coluna direita, da Sefirá de Chesed (Abraham).
AROV – Moscas. Animais daninhos. Escorpiões.
ÁRVORE DA VIDA – O ponto de onde a força de energia de vida se mantém com
um todo unificado sem as armadilhas do caos e da incerteza. Arquétipo contendo 10
Sefirot visíveis e uma Sefirá “oculta”.
ÁRVORE DO CONHECIMENTO – Fase do “Bem e Mal” de nossa realidade
ilusória. Aqui o acaso, a incerteza, o caos, a decomposição, a desordem, a doença e o
infortúnio fazem sentir a sua presença.
ASHKENAZI – Judeu alemão, ou da Europa do Oeste, Leste ou Central em contraste
com Sefaradim (veja também “PARDES”).
ASHRAMS – Casas de retiro espiritual.
ASHLAG, RABINO (YEHUDA - - 1886 – Jerusalém, 1955) Famoso cabalista
israelense cujos comentários e traduções de importantes fontes cabalísticas, e
especialmente sua tradução e comentários acerca do Zohar, o Livro do Esplendor, do
aramaico para o hebraico, abriram os portões da sabedoria cabalística através da
fundação do Centro de Estudos da Cabala, em 1922..
ASSIAH – Ação. Manifestação. Mundo da Ação.
ASTROLOGIA – Estudo dos campos de atividade magnética que impregnam o nosso
Universo. Todas as pessoas têm um campo magnético que se estende
aproximadamente 2,5m através do espaço.
ATRIBUTOS DE D-US – É eterno, Imutável, Imaterial, Único, Todo-Poderoso,
Onipresente, Onipotente, Onisciente e é Soberanamente Justo e Bom.
ATZILUT – Emanação. Mundo da emanação.
AURA – Princípio sutil ou semi material que interfere nos fenômenos vitais.
AV – Pai. Quinto mês do calendário lunar judaico; décimo primeiro a partir do Ano
Novo judaico que corresponde aproximadamente a julho-agosto. Seu signo zodiacal é
Leão.
AVATAR – Reencarnação de um espírito com dever planetário.
AVRECH – Conselheiro do Rei.
AYN HARA – Olho gordo.
AYURVEDA – A ciência da vida.

B
BAHIR – Brilhante.
BAHIR (SEFER AH-BAHIR) – Junto com o Zohar, o livro intitulado Bahir era
amplamente conhecido na Espanha do século XIII. Supõe-se que o mesmo tenha sido
escrito pelo Rabino Nechemia Bem Hakaná. Embora Zohar signifique - esplendor,
Bahir significa – brilhante. Esta obra contém interpretações de letras, de sons, de
parábolas, de idéias místicas relacionadas com a Torá e explicações profundas do
Zohar.
BARI/BAT MITZVAH – O tempo em que se desperta na alma o desejo de repartir, o
que ocorre aos treze anos para o menino, e aos doze para a menina.
BARREIRA DA LUZ – O desejo de receber somente para si mesmo que impede a
revelação da Luz.
BARRETE – É a indumentária usada na cabeça do sacerdote no Culto Ecumênico.
Simboliza o compromisso de representar o Planeta Terra e os seres que nele habitam
perante a Divindade.
BASÓFILOS – Células brancas do sangue
BEN – Filho.
BENJAMIM – Filho dos dias tardios.
BE’RICH SHEMEI – Oração em Aramaico dita antes de se retirar a Torá do
depósito especial para levá-la ao púlpito. O poder da oração é transcender ao tempo,
espaço e movimento, um “túnel do tempo”.
BERACHÁ – Benção ou graça, a conecção metafísica com a energia inteligente
interna das coisas = BRACHÁ.
BEIT MIDRASH – Local onde Iaacov ficou estudando durante 14 anos
BET DIN – Tribunal rabínico.
BEZERRO DE OURO – Um bezerro de ouro construído e adorado pelo Erev Rav
durante o tempo em que Moisés estava no Monte Sinai.
BG – Baghavad Gitta.
BINÁ – Inteligência. A Energia Cósmica. A terceira Sefirá a partir de Keter.O
armazém cósmico.
BLAVATISKY – Helena Pestrovna Blavatisky. Fundadora da Sociedade Teosófica,
ficou conhecida por ajudar a trazer a filosofia e a religião oriental para o ocidente, após
ter mantido contato com dois Mestres secretos no Tibet, durante uma viagem pelo
mundo de 1848 a 1858. Seus mais famosos livros são: Ísis Sem Véu e A Doutrina
Secreta.
BLI NEDER – Sem promessa. Si puder eu faço. Tendo a intenção, mas não estou me
comprometendo.
BOHR, NIELS – (l885 – 1962) Físico teórico e nuclear dinamarquês. Em 1913 Bohr
propôs uma teoria que afirmava que os elétrons giram em órbitas definidas em torno
de um núcleo, e que a radiação é absorvida ou emitida somente quando um elétron é
transferido de uma órbita para outra.
BOTZ – Mundo de “botos” (lama). Plano físico mundano que mantém seu domínio
sobre nossa realidade diária.
BRACHOT – Bênçãos. As brachot são bênçãos que nos ajudam a elevar as faíscas de
Luz de cada alimento.
BRIT – Aliança
BRIT MILÁ – Circuncisão. Deve ser feita (8) oito dias após o nascimento da criança.
Pacto de alianças. Pacto de corte.
BRIÁ – Creação. Mundo da Creação.

112
C
CABALA – A alma interna da Tora. Do hebraico L’kbl, que significa “receber”. É um
caminho esotérico. Ciência dos espíritos. Cabalá é um caminho que modifica
profundamente a vida das pessoas
CABALA LURIÂNICA – Sistema de investigação e prática cabalística conforme
estabelecido pelo Rabino Isaac Lúria. Enfatiza o lado mais ativo da oração, lida
basicamente com as centelhas de Luz que se elevam na oração.
CABOS – Diversos meios para a transferência de energias metafísicas positivas ao
homem (tais como a oração, a meditação, o Shabat, as festas religiosas etc.).
CAMPO MORFO-GENÉTICO – É o nome dado a um campo hipotético que explica
a emergência simultânea da mesma função adaptativa em populações biológicas não-
contígüas. Segundo o holismo, os campos morfogenéticos representam a memória
coletiva a qual recorre cada membro da espécie e para a qual cada um deles contribui.
Tudo que acontece num determinado momento terá sua conseqüência, no futuro, em
processos similares. Um campo morfogenéticos só é criado quando uma massa crítica
suficiente entra em ação.
CÃNCER – Signo do zodíaco correspondente ao mês hebraico de Tamuz, no qual a
temida doença do mesmo nome pode começar ou se implantar, devido à
vulnerabilidade causada por uma rachadura no escudo protetor da positividade. Um
período no qual um cuidado extra deve ser tomado para evitar desentendimentos e
outras atividades negativas.
CAOS – Desordem. Grande confusão. O caos em que estamos é uma ilusão que não
irá durar para sempre. Temos que ter certeza que o caos é passageiro. Si não
estivermos ligados conscientemente na Luz Infinita os resultados são caóticos.
CARRUAGENS – Entidades que incorporam tanto os níveis metafísicos quanto
físicos de energia-inteligência. As Sefirot são carruagens, representativas das vidas das
entidades a elas nomeadas.
CAUSA – Aquilo que provoca a revelação de um nível..
CÉLULAS – São seres vivos naturais que existem no sistema imunológico.
CÉLULAS T – Células naturais matadoras que existem no sistema imunológico.
CÉREBRO – O recipiente físico corpóreo que permite a manifestação da mente.
CGU - Campo Gravitacional do Universo.
CHACRAS – Centros de energia.
CHAMÁ – Sol.
CHASSID - Piedoso
CHASSIDISMO – O movimento fundado por Baal Shem Tov (Mestre do Bom
Nome), tendo por base os princípios Cabalísticos. A chave para tudo no decorrer da
vida e o culto ao Senhor se dá através do prazer e da felicidade.
CHAYLA – O quarto nível da alma do homem.
CHERNOBYL – Acidente nuclear de grande magnitude ocorrida na Usina Nuclear de
Chernobyl, perto de Kiev, Rússia, durante o Pesach de l986.
CHESED – É a sefirá da Misericórdia. Bondade. Está localizada na coluna da direita.
A Carroça de Abraham o Patriarca. É a representação da água, princípio da doação.
Hessem. Abraham. Planeta Júpiter. AVRAHAM.
CHODESH TOV – Bom mês.
CHIYÁ – Força de vida
CHOCHMÁ – É a sefirá da Sabedoria. A segunda Sefirá em importância depois de
Kether. Conhecimento dos fins últimos de todos os aspectos da realidade. È
considerada como o começo de tudo, já que Keter é na verdade a “ponte” entre o
mundo espiritual e o nosso mundo.
CHODESH – mês.
CHODESH TOV – Bom mês.
CHOZERN –
CHRISTOS – Ungido. Aquele que tem uma missão planetária.
CIBÓRIO – Recipiente onde o Acólito guarda as hóstias consagradas que sobraram
do ritual.
CINCO SENTIDOS – Sentidos de nossa consciência corporal: visão; audição, olfato,
paladar e tato.
COLUNA CENTRAL –
Luz retornante.
CHRISTOS – Ungido. Aquele que tem uma missão planetária.
CHUKIM - Mandatário
CINCO SENTIDOS – Os sentidos de nossa consciência corporal; visão, audição,
olfato, paladar e tato.
COCHAR – Mercúrio.
COLAR DO SACERDOTE – Representa Daat, a quarta Sefirah da Árvore da Vida
(conhecimento).
COLUNAS – (Direita, esquerda e central) Tubos macro cósmicos ou linhas de energia
correspondentes às energias positivas, negativas e de equilíbrio, de forma similar ao
próton, elétron e nêutron no átomo. Sal: Coluna da Direita; Pão: Coluna da Esquerda;
Yaacov é equilíbrio da Coluna Central. Isaac = Itzahak. Durante o jantar em silêncio.
COLUNA CENTRAL – Sintetizador e síntese da direita e da esquerda da Arvore da
Vida (energia negativa e energia positiva) O elo que conecta a direita e esquerda,
positivo e negativo, masculino e feminino. Luz retornante. Coluna do Equilíbrio.
COLUNA DA DIREITA – A coluna que atrai a energia de compartilhar da força
positiva. É o aspecto de o Desejo de Repartir. Coluna feminina.
COLUNA DA ESQUERDA – A coluna ou canal através da quais todas as energias
metafísicas são atraídas. Coluna masculina.
COMPAIXÃO – É sentir a dor do outro.
CONCEITO CIRCULAR – O equilíbrio entre a esquerda e a direta, o negativo e o
positivo, alcançado com o uso da restrição. Ele se refere à coluna central da Arvore da
Vida.
CONSCIÊNCIA – Níveis de percepção. À medida que a alma ultrapassa os véus da
negatividade causados pelo Desejo de Receber Somente para Si Mesmo, níveis mais
altos de entendimento e percepção se manifestam. A consciência é a possibilidade que
cada um tem de controlar instintos, emoções e desejos. É a possessão de si mesmo.
CONSCIÊNCIA DO CORPO – O desejo de receber somente para si mesmo.
CONSCIÊNCIA CÓSMICA – O mais elevado estado de consciência, no qual o
universo é concebido como uma unidade todo-abrangente, na qual todas as almas são
reconhecidas como um todo indivisível, interrlacionado e interdependente, além dos
limites do tempo, espaço e movimento. Consciência quântica, onde passado, presente e
futuro são unificados no presente. É o mais elevado estado de consciência que pode ser
alcançado por um ser humano.
CONSCIÊNCIA DA ALMA – O Desejo de Receber para Compartilhar.
CONSCIÊNCIA DA LUZ CIRCUNDANTE – A Luz circundante superconsciente
começa onde termina a consciência de luz interior. A onipresente consciência do

114
cosmos – onde informação do passado, presente e futuro se unem como um todo
unificado – se estende além da consciência de luz interior da humanidade. É
precisamente a consciência da luz circundante que mais encontramos em nossas vidas.
CONSCIÊNCIA DE ESTADO ALTERADO – Um estado de percepção consciente
que transcende os cinco sentidos físicos. Um nível aperfeiçoado e elevado de
consciência, trazido pelo desenvolvimento do Desejo de Receber para Compartilhar,
creação de circuito e completa conexão com a Luz.
CONSCIÊNCIA DE FISSÃO – Nível de consciência onde reinam a separação e a
desunião. Oposta à Consciência de Fusão na qual prevalece uma percepção quântica e
holística de Unidade.
CONSCIÊNCIA DE FUSÃO – Consciência de unir, juntar partes para formar um
todo. De um ponto de vista cabalístico, esta é a consciência da realidade quântica.
CONSCIÊNCIA DO CORPO – O desejo de Receber Somente para Si Mesmo.
CONSCIÊNCIA DO PENSAMENTO – A única verdadeira realidade que deve ser
considerada numa estrutura de energia-inteligência.
CONSCIÊNCIA ROBÓTICA – Quando as influências cósmicas regem as atividades
diárias do homem, sem a intervenção de sua capacidade intrínseca de exercer o livre
arbítrio.
COR BRANCA (Sefirá) – Pulmões. Coluna Central. Receber para distribuir.
CORPO ASTRAL – Plano intermediário entre o físico e o espiritual.
COR VERDE (Sefirá) – É a cor de Tiferet. Cor da Cura.
COR VERMELHA (Sefirá) – Cor do coração, fígado. Coluna da esquerda. Desejo de
receber.
CORREÇÃO (Tikun) – É a tarefa que se impõe ao homem para que possa alcançar
um universo em estado de perfeição.
COSMOS – Ordem. Cosmo. Mundo. Universo.
CREADOR – A fonte de toda a energia positiva para a total exclusão da energia
negativa.
COSMOCRACIA – Governo pelas leis cósmica, que, no indivíduo, se chama a
consciência espiritual do EU ou da consciência cósmica.
CREAR – É a manifestação da Essência em forma de existência. O poder infinito é o
Creador do Universo.
CREADOR – Fonte de toda energia positiva para a total exclusão da energia negativa.
CRIAR – É a transição de uma existência para outra existência. Um fazendeiro é um
criador de gado.
CRISE – É para as pessoas acordarem. Quando você dá uma topada, você dá 2 passos
adiante.
CRISTIANISMO – Está fundamentado na doutrina de Cristo. E nada mais. O
cristianismo não é outra coisa senão o próprio Cristo histórico, presente através dos
séculos.
CURA AYURVÉDICA – Técnicas de cura que atuam dentro da premissa de que em
primeiro lugar trata-se o doente e depois a doença.
CURADOR – Intermediário para que a energia incida sobre aquele que será curado,
ajudando-o a tomar a decisão de “integrar-se”.

D
D-US - A fonte de tudo o que é positivo. Quando amares a teu próximo como a ti
mesmo, irás Me encontrar. É um nome Inefável, não temos adiantamento espiritual
suficiente para pronunciá-Lo. Absoluto. Pai. Pai Celeste. Grande Arquiteto do
Universo. Yaweh. Jeová. O nome pessoal e o mais sagrado dos nomes de D-us é
escrito na Bíblia com 4 consoantes: YHVH. Evita-se pronunciar o nome YHVH, e se o
substitui com a palavra “Ad-nai”. Para evitar pronunciar até mesmo o nome Ad-nai,
que substitui YHVH, foi introduzido mais tarde o costume de se dizer em hebraico
Hachem, ou seja, “O Nome”. A abstenção de se pronunciar o nome YHVH é
geralmente atribuída a um sentido de referência. Se lançarmos os olhos às obras da
creação veremos a existência do Universo, portanto os olhos às obras da creação verão
a existência do Universo, é um efeito que deve ter uma causa, a causa de D-us. Nossa
consciência é um fragmento da Sua Consciência, nossa vida, que é precisamente uma
consciência viva, é um reflexo de Sua vida como um Todo, vivemos unicamente Nele,
uma vez que não podemos viver separados Dele. Segundo JC: ”Eu disse que sois
deuses”.Como se pode falar com coisas limitadas do Ilimitado?
DAAT – Da-at - Conhecimento. Da-at. Conhecimento de onde tudo emana.
Conhecemos uma pessoa no momento em que ela vivencia a energia da bebida da
cólera e do dinheiro.
DALET – “Pobre”. A quarta letra do alfabeto hebraico, simbolizando a terra com a
conexão da Shechiná. Dalet também representa o ar, água, terra e fogo.
DAN – Sangue. Alma. A alma está no sangue.
DARMA – A busca de seu projeto de vida. A busca de nossa essência. Dharma.
Caminho.
DAVID, REI – Segundo Rei de Israel, sucedendo a Saul. Autor de vários Salmos. O
filho de David com Bar Sheva, o Rei Salomão, construiu o Primeiro Templo.
Carruagem de Malkut – Décima Sefirá.
DENDRITES – São filamentos cerebrais semelhantes a ramos que ligam as células
nervosas umas ás outras. O ser humano perde mais de um bilhão de neurônios durante
a sua existência, numa média de 18 milhões por ano, mas essa perda é compensada
pelas dendrites. A senilidade não é fisicamente normal em um cérebro saudável.
DESEJO DE RECEBER SOMENTE PARA SI MESMO – Negatividade. O aspecto
de atrair ou tomar. Em nosso universo, tudo está baseado no “desejo receber”. No nível
físico, o “desejo de receber para si mesmo”, caracterizado pelo egoísmo, narcisismo e
materialismo do homem, deve ser transmutado em um desejo para compartilhar. Um
equilíbrio e harmonia entre o receber e dar que permitem ao indivíduo atrair para si a
luz positiva do Creador. Aquele que está doando,.está recebendo. Aquele que recebe,
está doando.
DESEJO DE RECEBER PARA COMPARTILHAR - DESEJO DE REPARTIR –
O positivo. O aspecto de doar, que é característico do Creador, oposto ao Desejo de
Receber Somente para Si Mesmo.
DESPERTAR – O despertar na vasilha dos desejos para repartir e receber.
DETEURONÔMIO – O quinto livro do Pentateuco.
DEVEKUT – “Comunhão”. Realização do conceito circular através do qual a união
entre a Luz de D-us e o homem que se realiza. Adesão com as energias de Luz.
DILÚVIO – A grande inundação descrita no relato bíblico de Noé, Gênesis 7 (sete).
DIN – (Justiça. Julgamento) – A energia atraída pela coluna esquerda, sem a utilização
das colunas da direita e central, provoca um desequilíbrio metafísico e uma
desarmonia espiritual no indivíduo. Um exemplo clássico desse desequilíbrio é a
utilização não controlada de substâncias tóxicas.

116
DINHEIRO – É uma energia sagrada, podemos usá-la para o bem ou para o mal.
Dinheiro é escolha, é uma energia diferenciada com potencial muito grande que
precisa ser revelado. Você tem de estar preparado para usar o pouco, pois do contrário
como usará o muito?
DOC – Distúrbio Obsessivo Compulsivo.
DOENÇA – Moléstia. Mal. Enfermidade A doença é um aviso para que a nossa vida
deva mudar de rumo. Toda doença quem faz é você mesmo, por isso você tem a
capacidade de auto-cura. O corpo é uma ilusão na qual vivemos agora e a doença é
uma ilusão do corpo.
DOMÍNIO QUÃNTICO – O campo da mente.
DOMÍNIO VIRTUAL – O campo do espírito.
DOW TO EARTH – Na direção para baixo, para a Terra. A falta de ligação básica se
manifesta sob uma condição nervosa e/ou da criação de um desequilibro no
funcionamento interno do corpo, como por exemplo, o sistema imunológico.
DNA – Ácido desoxirribonucléico. Ligado em dupla hélice, formando o material
básico dos cromossomos e do núcleo da célula. Contém o código genético e transmite
o padrão hereditário.
DOR DE AH – A “Geração do Conhecimento”, a geração do Dilúvio, que em grupo
reencarnou no tempo da Torre de Babel, novamente na época do Êxodo, e agora
durante a Era de Aquário.

ECHAD – Uno.
EFEITO PLACEBO – O efeito de um placebo, um medicamento inofensivo isento
dos princípios ativos das drogas, é fornecido a pacientes meramente para distraí-los
das doenças, ou usado como um controle para testar a eficácia de outra substância com
drogas com princípios ativos. O efeito placebo é também utilizado para demonstrar o
poder da mente humana em curar sob o poder da auto-sugestão e demonstrar a
qualidade psicossomática da doença. Nós misturamos a realidade com a expectativa.
Vivemos o mundo em parte como ele é e, em parte, como esperamos que ele seja. No
efeito placebo quando se espera que o medicamento alivie a dor, seu corpo produz
substâncias com esse efeito. O corpo atende a uma expectativa que criamos.
EGO – O indivíduo auto-consciente, auto centrado. Do ponto de vista cabalístico, o
ego é a manifestação de o Desejo de Receber Somente para Si mesmo. O ego é o fator
por trás da expressão limitada de nossos cinco por cento de consciência,.ele nos
demonstra que nossas decisões e atividades são resultados diretos de nossa mente
consciente e pensamento. Ilusão. Maya. É ilusório. O ego instiga-nos a acreditar que
aquilo que os 5 sentidos não conseguem reconhecer ou distinguir não existe. Portanto,
não é nenhuma surpresa que para os indivíduos que foram programados nas ciências
ou que seguem a física clássica newtoniana seja extremamente difícil mudar seus
pontos de vista.
EGRÉGORA – É a força gerada pelo somatório de energias físicas, emocionais e
mentais de duas ou mais pessoas quando se reúnem com qualquer finalidade. A
egrégora pode ser uma força positiva ou negativa, em função de sua origem, da aura do
local de trabalho e do estado de consciência dos freqüentadores desse local. É
fundamental que a egrégora da instituição seja positiva. É de grande importância
freqüentarmos um local com egrégora positiva, cuidado, não é aconselhável freqüentar
vários locais com egrégoras diferentes ao mesmo tempo.
EINSTEIN, ALBERT – (Nascido na Alemanha em 1879, falecido nos EUA em 1955)
Famoso físico cuja formulação da Teoria da Relatividade lhe trouxe fama e abriu o
caminho para o desenvolvimento da física moderna. A mente desse cientista era tão
poderosa que lhe permitiu fazer todas as suas descobertas fantásticas sem auxilio de
nenhum meio físico, utilizando apenas a sua intuição.
EGO – O indivíduo auto-consciente, auto-centrado. Do ponto de vista cabalístico, o
ego é a manifestação do desejo de receber somente para si mesmo. È o fator que limita
em apenas cinco por cento a nossa consciência.
ELAZAR, RABINO – O filho de Rabi Shimon bar Yochai. Também passou treze
anos numa caverna junto com seu pai e tomou parte na Idra Rabba (A Grande
Assembléia).
ELIPHAS LEVI – 1810-1875. Escritor francês. Suas principais contribuições no
pensamento mágico: A de que o homem seria um reflexo menor do universo, o
microcosmo. A do poder da vontade humana, para ele uma força muito poderosa e a da
Luz Astral, um tipo de “força invisível” e amorfa que permeia o Universo, podendo ser
manipulada pela vontade humana, responsável por fenômenos sobrenaturais. Seus
livros mais famosos: Dogma e Ritual da Alta Magia.
ELIAS, O PROFETA – Profeta hebreu do 9º século AEC.
ELUL – Sexto mês do calendário lunar judaico; décimo segundo a partir do Ano Novo
judaico que corresponde aproximadamente a agosto-setembro. Seu signo zodiacal é
Virgem.
EMET – Essência. Verdade Divina.
EN SOF – O Mundo Sem Fim, O Mundo do Infinito,. O primeiro mundo oriundo do
qual todas as futuras emanações emergem. O mundo dos primórdios, quando as almas
dos homens mantinham uma harmonia completa com o Creador. E quando também
existia um equilíbrio completo entre a ação infinita de repartir do Creador, e a ação
infinita de receber de suas creações – as almas dos homens. Ein Sof.
ENERGIA-INTELIGÊNCIA DO CORPO – A energia-inteligência do Desejo de
Receber somente para Si Mesmo.
ENERGIA ONO-ZONE – Língua Irdin. Essa energia é o princípio inteligente,
onipotente e oni presente que rege os universos. Prana.
ENTROPIA – É a tendência que todo movimento mecânico tem de se converter em
calor. Esse calor não é totalmente redutível a movimento, como conseqüência deduz-se
que, um dia, serão niveladas todas as diferenças térmicas do Cosmos, e com isto
cessará todo o movimento. Em outras palavras o Universo físico está marchando no
rumo de uma paralisação total, devido ao fato de estar equilibrando ou nivelando
pouco a pouco todos os seus desequilíbrios ou desníveis calóricos. Em outras palavras,
pelo estado atual da arte da ciência o nosso Universo terá de morrer por entropia.
ERA DE AQUÁRIO – A Era do Messias, anunciada pelos escritos do Ari L quarenta
anos após a expulsão da Espanha. Daí em diante muitas das limitações e proibições
que existiam em torno dos estudos cabalísticos foram completamente removidas.
ERRAR – É o melhor jeito de aprender.
EROS – A sensibilidade e o amor.
ESAV - Negatividade
ESCUDO DE SEGURANÇA – Quando o Escudo de David é ativado, uma película
protetora da Força da Luz circunda o indivíduo, evitando assim a invasão do Senhor
das Trevas e sua devastadora dose de aflição e doença.
ESH MITLAKACHAT – Fogo chamejante. Fogo flamejante Fogo ardente.
ESPAÇO-TEMPO – Onde o tempo é considerado como uma brecha ou espaço vazio.
ESPAÇO-VAZIO – Vácuo não revelado da Força da Luz. Esta “abertura” representa a
energia-inteligência da vulnerabilidade.

118
ESPIRITISMO – É religião, mas também é ciência e filosofia.
ESPÍRITO - É a personalidade constituída pela alma e pela perispírito. A alma é a
parte sensível do ser, o direito de sentir e de respirar, a de gozar e de sofrer.
ESPIRITUALIDADE – É tudo aquilo que provoca mudança interior no sentido
positivo.
ESSÊNIOS – Comunidade religiosa à qual Jesus pertenceu.
ESTADO ALTERADO DE CONSCIÊNCIA – Um estado de percepção consciente
que transcende os cinco sentidos físicos. Um nível aperfeiçoado e elevado de
consciência, trazido pelo desenvolvimento do Desejo de Receber para Compartilhar e
creação de circuito com conexão com a Luz. Nos bilhões de sensores nas células, no
nível quântico onde energia e matéria se confundem.
ESTADO DE VIGILIA – Acordado.
ESTOLA – Indumentária ritualística que cruzada simboliza o Homem Sacerdote.
EU SUPERIOR – Núcleo na consciência do indivíduo que representa, para os níveis
de sua personalidade, a energia superior. É a ligação entre a parte cósmica e a parte
terrestre do ser humano. O desenvolvimento desse núcleo é o estágio que a
humanidade viveu nos últimos 2000 anos.
EVOLUÇÃO – Movimento ou deslocamento gradual e progressivo em determinada
direção. Intuir. Volver para fora o que está velado em algo ou alguém. È o
desenvolvimento pelas atividades das potencialidades latentes. É o impulso universal
interno.
EU SOU – É o poder de D-us completo atuando e que não conhece fracasso algum. Eu
Sou a presença conquistadora ordenando a paz o amor e a harmonia em meu lar e
ambiente.

FÉ – Energia do Eu superior. É a consciência de existir como ser imortal. Pela ação da


fé o homem se torna invulnerável às influências externas negativas.
FÊNIX – Pássaro que sempre renasce das cinzas.
FERMENTO – Representa o ego.
FEYNMAN, RICHARD – (1918 – 1988) Conhecido físico teórico americano
contemporâneo.
FIAT LUX – Haja Luz. Faça-se a Luz. E a Luz se fez.
FILÓSOFO – Amante da sabedoria.
FISSÃO – A “divisão dos átomos”. Fragmentação. Desunião.
FORÇA, A – O Eterno, a Luz; a Unidade Toda - abrangente.
FORÇA DA LUZ – Ver Luz
FRAGMENTAÇÃO – Desunião e rompimento causado pela manifestação decisiva e
destrutiva do Desejo de Receber Somente para Si Mesmo.
FRATER – Irmão. FRATI – Irmãos.
FUSÃO – União de coisas diferentes por, ou como só fosse por fundição, mistura ou
coalizão. A fusão de átomos, p.ex. fusão de átomos de hidrogênio dando origem a uma
energia fantástica semelhante a que ocorre naturalmente no Sol.
G

GABRIEL – O homem divino. Gabri: homem. El: Senhor.


GEMAR HÁ-TIKUN – Redenção final de Israel. A paz alcançada em última instância
devido à harmonia existente no mundo (veja Correção).
GALILEU – (1564 – 1642) Astrônomo matemático e físico italiano.
GAON – Diretor de uma yeshivá ou academia de ensino no período pós-talmúdico,
particularmente na Babilônia.
GAN EDEN – Paraíso.
GEA – Gerador de Eventos Aleatórios.
GEMATRIA – É o cálculo dos valores numéricos das letras hebraicas que compõem
os nomes.
GEVURÁ – Julgamento (principalmente de nós mesmos). Façam um julgamento
Severo, mas com misericórdia. É uma energia divina executada pela Lei de Causa e
Efeito, é uma energia poderosíssima. Severidade. Segundo Aristóteles é muito difícil
zangar-se com a pessoa certa, na hora certa, por um motivo certo. Kapará é Geburah
em ritmo severo. Força. Carruagem de Isaac. Planeta Marte, planeta Marte que
representa destruição e morte (do vício, do egoísmo). As energias de Guevurá
produzem justiça (Din) e medo (Pachad). È uma energia de correção e não de
repressão. O julgamento se manifesta através da causa.
GERSHOM – Peregrino em terra estrangeira.
GLÂNDULA – Endócrina pituitária se localiza no cérebro. Essa glândula oval e
achatada, embora cercada de massa cerebral, reage às mudanças da luz do sol.
GNOSIS – Conhecimento interno.
GNÔTHI SEAUTÓN – Conhece-te a ti mesmo. Os filósofos da Grécia gravavam
estas palavras no frontispício do templo de Delfos.
GNOTICISMO – Conhecimento. Em busca de conhecimento, não importa se
religioso ou não.
GORDURAS HIDROGENADAS – Gorduras Insalubres.
GRAVITONS – Partículas que transmitem a gravidade.
GTU – Durante a década de 1970; a física fundamental se propôs a unificar o estranho
e complexo mundo que nos cerca em uma única estrutura conceitual. Recentes
descobertas haviam aberto o caminho para um conceito radicalmente novo de um
universo unificado. O novo paradigma conceitual recebe o nome de grandes teorias
unificadas ou GTUS.
GUEMARÁ – Ver Talmude.
GUEMATRIA – Sistema de numerologia utilizado para interpretar a Bíblia.
Hermenêutica mística dos aspectos mais ocultos da Torá.
GUENIZÁ – Local especial onde são depositados os velhos livros de estudo judaicos.
A mais famosa Guenizá foi descoberta na sinagoga de Fostat, no Cairo.
GUET – Ato e atestado de divórcio judaico.
GUILGUL – Metempsicose ou transmigração das almas. Reencarnação.

120
H

HÁ – Pai.
HAM – O milagre da manifestação da vida. Elevado.
HAAVIV – Mês da primavera. O Pai dos 12 meses.
HADES – Invisível. O D-us do reino dos mortos.
HADVALÁH – Conjunto de orações anunciando uma nova semana.
HALACHÁ – Código de Lei Judaica. O sistema através do qual o Judeu pode chegar
a um estado que harmonize a si mesmo com o fluxo verdadeiro das energias espirituais
de D-us (Há-Shem). Código jurídico-normativo judaico, compilado pela tradição
rabínica, que inclui costumes e tradição.
.HANIT – Retirar as negatividades de dentro de casa, retirar aquilo que não se usa.
Retirar os nossos excessos.
HASHEM – O nome.
HAVAH – Amor.
HEI – As segunda e quarta letra do Tetragrama sagrado, o primeiro Hei representando
a Sefirá Biná e o segundo, a Sefirá Malkut. A letra Hei significa o desejo de receber.
HEISENBERG, WERNER – (1901 – 1976). Físico teórico e nuclear alemão.
Famoso por seu “Princípio da Incerteza”. Werner Heisenberg elaborou sua própria
linguagem usando conjuntos de ferramentas conceituais para descrever a realidade e
sua contraparte paralela, a realidade física ilusória. Ele acreditava que toda a realidade
física, que inclui as partículas subatômicas, se modifica ao ser observado. O princípio
de indeterminação de Heisenberg estabelece limites exatos para o grau de precisão
com que é possível medir a freqüência de um fóton isolado. Em temperaturas próximas
do zero absoluto, a física quântica domina e os átomos começam a se comportar como
ondas.
HERMENÊUTICA – Interpretação do sentido das palavras. Interpretação dos textos
sagrados. Arte de interpretar leis.
HERMES – D-us da mitologia grega. Estátua do deus Mercúrio.
HERMÉTICO – Completamente fechado, de modo a não entrar o ar.
HERMETISMO – Ensinamento secreto. Doutrina atribuída ao deus Thot, chamado
pelos gregos de Hermes Trimegistro.
HESSEN – veja Chesed..
HIPOTÁLAMO – Parte do cérebro. O hipotálamo é considerado como o cérebro do
cérebro.
HETSELUT – Entusiasmo. Energia 2.
HOD – Esplendor. Quinta das sete sefirot, coluna da esquerda. Aarão o Sumo
Sacerdote é a carruagem de Hod. Oitava Sefirá da Árvore da Vida. Aaron. Glória.
Planeta Mercúrio.
HOLÍSTICO – Pertencente à “imagem completa”, a figura quântica, o circuito
completo. Preocupa-se com totalidades ou sistemas integrados ao invés de suas partes.
O oposto de “atomístico”.
HOREB – Monte sagrado onde Moisés recebeu a instruções de D-us.
HPV – Human Papilus Vírus. Vírus Humanos Papáveis.
I

IACOV – Coluna do equilíbrio – Tiferet. Transforma-se em Israel. Ver Israel.


IDRA RABBA – A Grande Assembléia. O encontro entre o Rabino Shimon bar
Yochai, seu filho, o Rabino Elazar, e oito discípulos. A primeira oportunidade ao longo
da história, que um grupo de homens se dedicou ao estudo da Cabala.
IDRA ZUTA – A Assembléia Menor. O dia do falecimento do Rabino Shimon bar
Yochai.
IECHIDÁ – Singularidade. Nível da alma.
IETZIRAH – Formação. Guevurá + Chessen + Tiferet + Hod + Netzah formam o Zeir
Anpin.
IgE – Hemoglobina do tipo E. Tipo comum de anticorpo.
IHVH – Tetragramaton. Um dos nomes do D-us hebraico, cuja pronúncia verdadeira é
desconhecida. Possui diversos significados, o mais comum é com os 4 elementos.
IMIN – Últimos dias.
IMHOTEP-Autoridade divina. Aquele que vem em paz.
IN - Palavras hebraicas terminadas em – in – indicam plural feminino.
INFINITO, O – A Unidade Infinita Todo abrangente.
INFLUÊNCIAS CÓSMICAS – Assim como a lua influencia as marés de todos os
corpos aquáticos na terra em um nível físico e os estados emocionais em um nível mais
sutil, assim também incontáveis influências cósmicas combinam e misturam-se tanto
metafísica quanto fisicamente, para dar forma ao destino da humanidade e do universo.
O homem, com o apropriado conhecimento das ferramentas cabalísticas, tem a
capacidade de tomar controle sobre elas e tornar manifesta uma realidade paralela mais
elevada de harmonia e paz.
INSIGHT – Perceber algo novo o seu próprio respeito.
ISH – Altman. Eu.
INTELIGÊNCIA – Reflexão sobre os caminhos de causa e efeito com o objetivo de
esclarecer o resultado final.
INTUIÇÃO – Intuir. É um processo que nos leva a penetrar no nosso âmago. A
intuição não é lógica. Vem à cabeça como um “flash”. Os conhecimentos humanos
começam por intuição, avançam para concepções e terminam com idéias. Não existe
nenhum caminho lógico para as descobertas científicas, o único caminho é o da
intuição. Ato ou capacidade de pressentir. Pressentimento. Contemplação pela qual se
atinge uma verdade da ordem diversa daquelas que se atingiu por meio da razão ou do
conhecimento obtido pelo bom senso.
IRDIN – Idioma. Intergaláctico, vide “Um mundo que desperta” de Trigueirinho.
ISAAC – ITZAAK. ITZCHAK. Ligado à Sefirá de Guevurá. Julgamento divino.
Representa a coluna da esquerda na Árvore da Vida.
ISH TAM – Estar completo, sem fragmentação. Aquele que não tem divisão.
ISRAEL – I (Itzak); S (Sara); R (Raquel – Rívica); A (Abraham); E (Ester); L (Leia).
O ser completo.
IYAR – Segundo mês do calendário lunar judaico. Oitavo mês após o Ano Novo
judaico que corresponde aproximadamente a abril-maio. Seu signo zodiacal é Touro.

122
J

JACOB - A carruagem de Jacob em sua representação na Árvore da Vida é Tiferet


JEANS, SIR JAMES – (1877 – 1946) Matemático, físico, astrônomo e escritor
inglês. Jeans escreveu que o universo parecia mais um grande pensamento do que uma
grande máquina. Ele disse que pode até ser que o que pensamos é real, e que o
universo é apenas um padrão de interferência (uma faísca impertinente) no mundo do
pensamento.
JERUSALÉM – Cidade Sagrada ou Cidade da Paz. Recebe um fluxo constante de um
tipo muito especial de energia.
JYOTISH – Luz.
JOSUÉ – Era o assessor direto de Moisés, foi quem levou o povo à Canaã. Josué era
quem viabilizava o pleno bem estar de Moisés, cuidando dos detalhes: “A batalha se
vence ou se perde nos detalhes”. Josué viabilizava o bem estar de Moisés, pensava
grande sem esquecer os detalhes.

KADOSH – KADOSHIN - Separado. O que é diferente. O sagrado. O Santo dos


Santos. Energia do julgamento interior. “O único tirano que tenho é a voz silenciosa de
minha consciência”.
KAPARÁ – Limpar (no sentido de purificação). Em Yon Kipur a Kapará o limpa
totalmente. Troca de energia. Limpar nossas dívidas passadas.
KASHER – Comida Kascher – Completa, total. São os alimentos que seguem as leis
do circuito completo de energia. É uma comida que santifica. Você é o que você come.
Bom. Próprio. Palavra empregada para definir aquilo que não se deve comer, aquilo
que á impróprio à saúde.
KASHRUT – Circuito completo de energia. As leis dietéticas que tem por finalidade
manter a harmonia metafísica e espiritual dos judeus.
KAVANÁ – Devoção. Concentração. Sistema de Meditação dirigida. A necessidade de
centralizar o mundo interior do homem com atenção especial para a conexão com o Eu
divino. Intenção. Plural: kavanot. Os livros de reza sempre “falam” no plural, todos os
verbos estão no plural, porque você não esta orando para você mesmo e sim para o
próximo.
KEDUSHA – Sagrado.
KERA – Abóbora.
KEPLER, JOHANNES – (1571 – 1630) Astrônomo e matemático alemão.
KESEF – Dinheiro. O dinheiro é uma energia perigosíssima porque é uma energia
diferenciada, muito poderosa. Dinheiro é uma energia emprestada, somos gerentes dele
KETER – Coroa. É nesta Sefirá que é feita a recepção entre as emanações da Luz
Infinita e o cérebro. É a semente de toda manifestação da atividade física. É o grande
receptor infinito. O que irá acontecer a qualquer creatura do começo ao fim de seu
tikun, está em Keter, no Shoresh. Keter contém as 10 Sefirot. O todo está em tudo
(Hermes Trimegistro). Keter representa Adom Kadmon (homem primordial). No
fundo, no fundo, as 10 (dez) Sefirot se transformam em 2 (duas). Keter representa uma
“ponte” entre o mundo superior e o mundo manifestado.
KIDUSH – Licor.
KIPUR – Purificar.
KISLEV – Nono mês do calendário lunar judaico. Terceiro mês após o Ano Novo
judaico que corresponde aproximadamente a novembro-dezembro. Seu signo zodiacal
é Sagitário.
KLIPÁ – Plural Klipot. Cascas. Lascas. Caos. Desintegração.
KLIPOT – Negatividade. Cortina que nos separa da LUZ. Cascas, véus malignos
criados pelas ações negativas do homem, que o envolvem e limitam seu
desenvolvimento espiritual. As barreiras entre o homem e a Luz do Senhor. As 10
pragas no Egito antigo são as 10 Klipot,
KLOPFER, DR. BRUNO – Talvez um dos casos mais dramáticos que ilustram o
poder da mente sobre o corpo foi reportado pelo Dr. Bruno Klopfer, um pesquisador
envolvido nos testes da droga Krebiozen. Em 1950, o Krebiozen foi alardeado como
sendo a cura do câncer.
KLOT – Vozes.
KOKAB – Mercúrio.
KOL NIDREI – Anulação de promessas.
KOTVENU – “Livro da Vida”. Le Chaim.
KREBIOZEN – Ver Klopfer, Dr. Bruno.
KUAS – Cólera.
KUESEF – Dinheiro.
KUAS – Cólera.

L
LASHON HARA - Inveja
LE CHAIM – A vida.
LEVANÁ – Lua.
LEUCÓCITOS – Células brancas do sangue. No sistema imunológico as
interleucinas enviam sinais entre os leucócitos.
LIVRE ARBÍTRIO – A capacidade de escolher entre manifestar o Desejo de Receber
para Compartilhar ou o Desejo e Receber Somente para Si Mesmo.
LIVRO DE DANIEL – O Profeta Daniel Beltizazar viveu na Pérsia nos tempos dos
reis Nabucodonozor, Baltazar e Dario. O livro de Daniel contém instruções codificadas
referentes à Era de Aquário e às letras do alfabeto hebraico. Quando o rei Baltazar
estava no poder, em um festim resolveu profanar os vasos sagrados contendo vinho
retirado do templo de Jerusalém. Neste momento os ventos sopraram forte apagando
todas as velas e uma mão de raio escreveu uma mensagem na parede do palácio real
“MENÊ TEQUEL PERÊS”. Como ninguém na Babilônia conseguisse decifrar o que

124
significava aquela “mensagem”, O Rei Baltazar mandou chamar Daniel: só o mais
sábio de todos poderá o mistério explicar. Foi quando Daniel elevou a fronte para
fazê-lo e nosso poeta pernambucano Eliezer imortalizou este momento com sua
descrição no poema: O Festim de Baltazar:
“Nem do Tigre o velho Robre
Nem os cedros do ocidente
A fronte mais alta eleva
Mais nobre mais imponente,
Os gênios são como as estrelas:
Beijam os pés do Onipotente”.
LIVRO DE ESTER – A Maguila de Esther, o rolo festivo de Purim contando a
história da salvação dos judeus da Pérsia. Fala em detalhes sobre a doação de presentes
e caridade; descortina muitos grandes segredos e contém informações codificadas para
vencer todo o mal.
LIVRO DA FORMAÇÃO – Ver Sefirá Yetzirah.
LITURGIA – Cerimonial para Conexão do Divino com o Físico.
LIXO RADIOATIVO – Material perigoso resultado da interferência do homem com
o equilíbrio intrínseco do universo.
LOGAN – Planeta Vênus. Ligado ao amor, à sexualidade. Também representa a
dúvida.
LOGOSOFIA – Doutrina que tem por objetivo nos ensinar a chegar á
autotransformação, libertando o pensamento das influências sugestivas.
LOGOTERAPIA – Cura pelo Logos, pelo D-us individualizado no homem. Essência
infinita está presente em todas as existências finitas. Cura pelo Logos. E
LOGOS – Racionalidade. Razão. Princípio da suprema unificação O ser interno de um
planeta ou de uma estrela. Todos os logos (habitantes) se desenvolvem, mas cada um
deles está em um grau diferente de evolução. O princípio de ordem mediador entre o
mundo sensível e o inteligível (Platão). Logos é a palavra grega para designar o D-us
imanente no Universo e no homem.
LUZ – A fonte e força de toda energia, mental e física, com uma característica
intrínseca de compartilhar. Latim: luce. Radiação eletromagnética capaz de provocar
sensação visual e seu alcance é infinita. Quando se observa qualquer coisa através de
um telescópio, o que realmente ocorre é que a luz traz a força eletromagnética de
corpos celestes muito distantes e a entrega á sua retina, onde causa a visão por meio de
reações bioquímicas. Luz não é apenas o que você vê, luz é o que faz você ver.
Segundo a Cabala a Luz se manifesta quando compartilharmos os frutos de nossas
ações.
LUZ CIRCUNDANTE – Consciência quântica.

MABUL - Dilúvio. A purificação pelo sofrimento e pela dor.


MACRÓFOGO – Célula imunológica.
MALECHIN – Anjo.
MALQUIZEDÉQUI – O rei da justiça. MELQUI=rei; ZEDÉQUI=justiça.
MARDIM – Marte. Ma-adim.
MAGIA – É a ciência da Lei Natural. Todo homem é Mago, porém nem todo Mago é
consciente de sua Magia. Amar o próximo é uma lei, perdoar e amar os inimigos é
Magia, porque aquele que perdoa e ama é um Mago consciente da Lei. Tudo na vida
são Magia, e Magia é saber agir segundo as leis cósmicas.
MAGO – Aquele que possui a Magia
MAGUEM DAVID – Escudo de David.
MAL DE CROHN – Diarréia crônica.
MALAQUIM – O anjo que traz a mensagem de cura para nós.
MALAKCH – Anjo Celestial ou força de energia desprovida de qualquer outra
manifestação adicional que não seja a de um Desejo de Receber. Malak.
MALKCHUT – Malkut. Reino. É a décima e a última Sefirá da Arvore da Vida. Ela
pode ser o começo e o fim no mundo físico. A Sefirá na qual o maior desejo de receber
é manifesto, e é aonde ocorrem todas as correções. Possibilidade infinita de Ser. Em
Malkut temos apenas 1% de nossa existência com 99% de vontade de receber. Nesta
Sefirá existe; tempo (limites); espaço (abismos); movimento (incertezas). É a Sefirá
mais importante, sem ela a ação não irá aparecer. Todos nós estamos em Malkut.
Cuidado com o ego. Vigilância. Maguem David. Carruagem de David.
MAMZER – Bastardo. Descendência de uma relação incestuosa proibida pela Bíblia.
Esta descendência se torna o veículo de almas encarnadas banidas do casamento
“normal”. Em geral, trata-se de filhos gerados durante uma relação de adultério.
MAGUIM – Escudo. MAGUEM.
MAR – Dificuldade. Na dificuldade está o elevado.
MARRANOS – Descendentes dos judeus da Espanha e de Portugal cujos
antepassados foram forçados a converter-se ao cristianismo, mas que continuaram
observando secretamente os preceitos do judaísmo. Outra forma do processo de tikun.
MEDITAÇÃO - Ir para o centro. Ação para o teu meio. É apenas uma “ponte” que
necessita de ser atravessada, não é um local onde se possa morar. Tens de atravessá-la
e seguir adiante.
MESHIACH – Messias.
MASSACH – Cortina, que nos liga à LUZ através da renúncia.
MASSACH D’CHIRIK – A Coluna Central. A cola cósmica, a única energia
inteligência unificadora que governa todas as interações no cosmos é conhecida pelo
nome em código. Seu nome é restrição, a incrível cura para todos os males de ambos
os reinos; celeste e terrestre.
MASCHER – Dízimo.
MAU OLHADO – Existem alguns homens especialmente dotados para a transmissão
de bênçãos, como por exemplo, uma pessoa com "bom olho". Existem outros
especialmente dotados para a transmissão de negatividade e de maldições. “Em tudo o
que pousam os seus olhos sua maldições são confirmadas... Por isso... um homem deve
se desviar cem vezes para evitar um homem com mau olhado...” O sacerdote era capaz
de reconhecer tal homem porque ele tinha um olho ligeiramente maior que o outro e as
sobrancelhas ásperas, olhos azulados e um olhar torto, e era conhecido pelo nome de
ET. Olho gordo.
MAZLOT – Mazal. Signos.
MAZNIN – Balança. Balança no sentido de pesar, aferir ações, palavras e
pensamentos.
MAYA – Ilusão O que não é. Devaneio..
MAZAL – Signo.
MAZLOT – (plural) Signos.

126
MAZNIM – Balança.
MEDIUM – Intermediário entre o mundo dos vivos e o mundo dos mortos.
MCKEOWN, THOMAS – Um dos principais especialistas no campo da saúde
pública e da medicina social, seu trabalho fornece provas suficientes de que o
impressionante declínio da mortalidade não foi resultado apenas da intervenção
médica. Houve outros fatores que também contribuíram, incluindo os avanços na
higiene, nas condições sanitárias e na nutrição. Seu estudo mostrou que todas as
principais doenças infecciosas tiveram seu auge e começaram a declinar bem antes de
se introduzirem os primeiros medicamentos efetivos de combate e as técnicas de
imunização.
MECHALEL – CHALAL – Espaço, Vácuo.
MEDICINA HOLÍSTICA – Enfoque conjunto da mente e do corpo.
MEDITAÇÃO CABALÍSTICA – Técnicas especiais de meditação que são
amplamente descritas nos Escritos do Ari Z’I.
MELACHIM - Anjos
MEN HEI SCHIN – A purificação trás a cura. Um dos 72 nomes de D-us.
METEMPSICOSE – Transmigração das almas. De acordo com essa doutrina depois
da morte a alma passa a viver em outro corpo, em estágio superior ou inferior da escala
evolutiva celeste, dependendo do comportamento recente.
MIDRASH – Obra de referência da literatura judaica reúne material rabínico derivado
de sermões. Trata-se de uma expressão poética e espiritual do pensamento judaico.
MERCABAT – Carruagem. É uma “ponte” entre o mundo físico e o mundo espiritual.
MERKHVÁ – Carroças (Abraham, Isaac, Jacó, etc.) que têm a habilidade metafísica
de combinar as forças metafísicas com as entidades mundanas e físicas.
MESSIAS – Era Messiânica – Fim do período de correção e começo de uma era de
paz e harmonia universal. O Messias é o símbolo do fim da correção; não é o agente da
correção, como é erroneamente concebido.
MESSIRUT NEFESH – Nível mais elevado de consciência.
MEZUZÁ – É um estojo contendo um rolo de papel (com uma oração que só pode ser
escrita pelo escrivão dos judeus) que é afixado aos batentes das portas das casas. É
uma ferramenta poderosa que impede a invasão das forças negativas. Patuá protetor.
MEZUZOT – Umbrais.
MIDRASH HÁ-NEELAM – É uma coletânea de diálogos e leituras realizadas pelo
Rabino Shimon Bar Yochai e seus alunos, para facilitar a compreensão da parte
principal do Zohar. No entanto, os capítulos com a rubrica Midrash Há-Neelam são
consideravelmente mais obstaculizantes que a parte principal da obra. .
MIKVÁ – É uma extensão de água pela qual o indivíduo envolvido em Din é
conduzido ao equilíbrio espiritual. Ocorre mais especificamente para a mulher após o
período da Nidá. É utilizada também pelo homem para remover os Klipot, e assim
propiciar o seu desenvolvimento espiritual. Trata-se de Maim Chaim, a água viva ou
corrente, tais como as fontes, os rios, etc. A água da Mikvá é um canal extremamente
poderoso para as energias positivas.
MIKVE - Purificação das águas através de “Mike”
MILÁ – Circuncisão.
MINYAN – (número) Constitui o número mínimo de participantes necessários para
executar e efetuar uma estrutura máxima do Devekut (a Comunhão) com a base
original, nominalmente o Creador, que é à base de toda a energia positiva. Desde que
qualquer estrutura totalmente eficiente e completa compõe-se das Dez Sefirot,
consequentemente os dez indivíduos, cada um representando um aspecto das Dez
Sefirot, devem estar presentes para efetivar uma comunhão e uma conexão máxima..
São 11 (onze) judeus que se reúnem para a leitura da Torah.
MISHNÁ – Interpretação oral da Tora.
MISHNÁ TORÁ – Deuterônimo, o quinto livro da Tora.
MITZRAIN – Estreito. Limite.
MITZVÁ – (O preceito da Tora) – Foi colocado à disposição dos Judeus, para provê-
los com o sistema de comunicação metafísico necessário para conectar com o Creador,
a fim de receber energia interna. Mandamento. Dentro da Tora existem 613 Mitzvot.
MITZVÁ NER TORÁ OR – A Luz do mandamento é a Torá.
MIZ TLI TLAN – Estado de Consciência (Língua Irdin).
MOHEL – Especialista responsável pelo processo da circuncisão.
MOISÉS – Moses. Carruagem da Sefirá Netzah na Árvore da Vida. Nasceu no Egito
no ano de 1250 AC. Tirado das águas. Viveu 120 anos. Nome divino de Moisés: EU
SOU O QUE SOU! Ele recebeu a Torá no Monte Horeb. Moisés significa “renascido”.
Característica: humildade. Mosheh. Em hebraico Moises significa renascido.
MONÓCITOS – Células do sistema imunológico. Neurônios circulantes.
MOR – Movimento ocular rápido (REM em inglês). Durante o sono, períodos de
movimentos rápidos do olho que indicam a ocorrência de sonhos.
MORTE – Transição de um modo de existência para outro modo. A morte é
comparável à troca de uma roupagem por outra.
Ao mundo da morte eu fui,
E voltei maravilhado.
Não sei por que tanto medo,
De um paraíso encantado.
Vibrações espirituais, como cânticos e meditação silenciosa, devem substituir a
atmosfera de luto e tristeza, que em geral envolve o velório dos entes queridos que
partiram para o além. Para o espírito não há ausência, há presença permanente.
MUNDO DE BOTZ – Veja BOTZ. A ilusão da realidade: de “incerteza” e sofrimento.

.
NACH SAK EM LAI – Diga ao povo que siga. Nós diante de nosso “Mar Vermelho”
(dificuldades). Palavras ditas por Moisés para atravessar o Mar Vermelho.
NEFESH – O mais baixo dos cinco níveis da alma. Está em correlação com a Sefirá
Malkut. Descanso. Nível de alma.
NEUTRINO – Partícula sem massa e ou com massa.
NES – Fugir, escapar de Malkut. A energia de milagres. Fugir de nossos egoísmos.
NESHAMÁ – Terceiro dos cinco níveis da alma. Correlacionado com a Sefirá Biná.
Sopro.
NESHAMOT – Árvore das Neschamot.
NETILAT LADAIM – Lavar as mãos. Não é apenas lavar as mãos para limpá-las e
sim para retomar o controle sobre nossas ações. Bendito sejas Tu, Eterno, nosso D-us,
Rei do Universo, que nos santificaste com os Teus Mandamentos e nos ordenaste lavar
as mãos.
NETZACH – Vitória (vitória sobre os nossos instintos). Quarta das sete Sefirot.
Coluna da direita. Moisés, simbolizado com a carruagem. Eternidade. Netzah
simboliza a virtude do desprendimento e do altruísmo. Planeta Vênus.

128
NEUROPEPTÍDIOS – São os responsáveis pela causa das sensações de ansiedade
(octadecaneuropeptídios). Os neuropeptídios não são pensamentos, mas movem-se
como eles e servem como ponto de transformação. Os quanta fazem exatamente a
mesma coisa, só que o corpo estudado nessa questão é o universo, ou a natureza como
um todo.
NEWTON, SIR ISAAC – (1642-1727) Matemático e filósofo, natural da Inglaterra.
Formulou as leis da gravidade, dos movimentos planetários e determinou as bases dos
elementos do cálculo diferencial. Este último foi realizado simultaneamente com as
formulações de Leibniz.
NIDÁ – Os períodos da menstruação mais sete dias limpos, adicionais. Durante este
período a mulher é sobrecarregada com a energia da coluna esquerda, sem o despertar
correspondente para a coluna da direita. Ele constitui-se de um tempo de distúrbio
metafísico para a mulher, que só pode ser neutralizada com um banho de imersão na
Mikvá, sete dias após o fim da menstruação.
NIGLEH – Revelado. Especificamente os aspectos revelados da Tora, do Talmude, da
Halakha etc.
NILAT LADAIM – Lavar as mãos. Controle de nossas ações. Que as minhas
pobrezas de espírito sejam lavadas.
NISTAR – A sabedoria oculta da Tora.
NITZSCHE – Filosofo alemão de grande influência do pensamento na questão da
força de vontade humana e do conceito do homem superior. Para este grande filosofo,
o homem superior é aquele capaz de voltar-se para dentro de si mesmo, ainda que, o
que ele encontre não pareça nada agradável. A coragem é o motor que o move após a
perda de tudo, pois ao nos defrontarmos com nós mesmos, despertamos forças que a
maioria das pessoas não é capaz de saber como lidar: ”Quando você olha para o
abismo, o abismo olha para você”.
NOACH – Vinho. Noé (dimensão espiritual).
NOGAH – Vênus. A estrela da manhã. Grande claridade. Nogá
NOTARIKON – É o estudo do significado das letras que compõem o alfabeto
hebraico.
NISSAN – Primeiro mês do calendário judaico. Sétimo mês após o Ano Novo judaico
que corresponde aproximadamente a março-abril. Seu signo zodiacal é Áries, que é o
primeiro mês zodiacal.
NOOSFERA – Espaço imaginário. Lugar onde as idéias, elementos culturais e
manifestações teóricas habitam. Quando pensamos, discutimos ou formulamos
qualquer hipótese e suas conclusões estão alimentando essa região. Por outro lado,
somos influenciados por esse mundo já que ele é constantemente acessado pela mente
humana. Ao mesmo tempo em que o alimentamos ele nos usa. Outros nomes
sinônimos da NOOSFERA: plano astral, arquivo Akástico, larvas astrais, Egrégora... A
internet seria um paralelo ideal à NOOSFERA: um mundo constituído de informações
podendo ser acessado por qualquer um. O problema é saber diferenciá-las e usá-las
corretamente.

O
OMEOPATIA – Sofrimento similar. O semelhante cura o semelhante. Pequenas
porções de substâncias antagônicas são administradas ao paciente para que ele
construa uma imunidade ou afaste a doença já instalada.
OLAM – Mundo.
OLAM EIN SOF – Veja Ein-Sof. O Mundo Infinito.
OLAM HA ADAM KADEMON – Mundo primordial.
OLAM HA ASSIAH - Mundo da Ação, Mundo de Malkut.
OLAM HA ATZILUTH – Mundo da Emanação.
OLAM HA BRIAH – Mundo da Creação.
OLAM YESODOTH – Mundo abaixo de Yesod.
OLAM HA YETZIRAH – Mundo da Formação. Ligado a formação de Zeir Anpin.
OLAMOT – Estruturas de referência usadas no estudo da Cabalá; em geral elas estão
conectadas com os vários níveis do Desejo de Receber.
ONI – Minha dor.
OR – Aur. Luz. Luz da Misericórdia. (Coluna da direita). Luz Retornante (Coluna do
Equilíbrio, Coluna do Centro) Luz da Restrição (Coluna da Esquerda). Emanação da
energia suprema do Creador. Energia Luminosa. Prana.
ORAÇÃO – Luz em ação (Aur=Or=Luz). É um dos sistemas de canalização
destinados a proporcionar à humanidade os benefícios da Força da Luz, colocando
seus adeptos em uma posição de força para superar os constantes obstáculos que a
humanidade enfrenta a cada dia.
ORAB – Rabino.
ORAB BERG – Rabino Berg, presidente do Centro Mundial da Cabalá em Jerusalém.
OR EIN SOF – A Luz do Infinito sem fim. A Luz primordial onde as almas estavam
em perfeita harmonia com o Creador. Um equilíbrio perfeito entre o infinito aspecto de
doar do Creador e o infinito aspecto de receber de Suas creaturas – as almas dos
homens. Aquilo do qual nada pode ser compreendido, mas que mesmo assim deve ser
postulado.
OR HACHASSADIM – Coluna (Luz) da Misericórdia.
OR HACHOZERH – Luz da sabedoria. Luz Retornante. É a energia que nos
conduzirá novamente a Keter. Coluna (Luz) do Meio ou do Equilíbrio.
OR HADIN – Coluna (Luz) do Julgamento.
OR MAKIF – Luz circundante. A luz espiritual que rodeia a cada indivíduo. Constitui
tarefa de cada indivíduo atrair esta luz circundante para si mesmo, e assim elevar-se
espiritualmente.
OR PNIMI – Luz Interna. A energia interna de um ser humano que o mantém
fisicamente. É a energia responsável pelo seu crescimento físico.
ORAB – Rabino muito querido.
ORAB BERG – Presidente do Centro Mundial de Cabala em Jerusalém.
ORAÇÃO – Luz em ação (AOR = OR = LUZ). Pedidos para seres encarnados.
ORLAT HALEV – Remover a negatividade de nosso coração. A grande circuncisão é
a do coração, do espírito.
OT – No final das palavras hebraicas significa plural masculino.

130
P

PACHAD – Medo.
PÃO DA VERGONHA – A vergonha que se sente ao receber alguma coisa a troco do
nada. Todo o propósito de virmos a este mundo é eliminar o Pão da Vergonha. Receber
algo que não é merecido.
PARACHAT – Energia
PARADOXO – Só podemos receber tendo o desejo de receber, mas para sermos
merecedores temos que não ter o desejo de receber..
PARDES – Interpretação bíblica que fornece os significados literais, alegórico, e
esotérica dos versículos ou das palavras da Bíblia.
PAROCHET – Cortina que cobre a Arca. Lápides. Objetos religiosos.
PARTZUF – Estrutura completa.
PERISPIRITO-Duplo-etérico. Corpo etérico. Elo de ligação entre o corpo físico e a
alma ou o espírito.
PARVE – Neutro – Alimentos Parve: peixes, verduras, legumes, frutas e seus
derivados. Os alimentos manufaturados que não tenham como ingrediente os derivados
dos animais. Atenção; só são “parve” os peixes com barbatanas e escamas. O vinho.
PESHA – Pecado.
PENTATEUCO – Os 5 primeiros livros do Velho Testamento atribuídos a Moisés: O
Gênese, o Êsodo, o Levítico, o Números, e o Deuteronômio. Torá.
PERDÃO – Yossej representa a energia do perdão. “Aquele que perdoa está se
purificando”. Não está fazendo favor para ninguém, a não ser para si próprio.
PERISPÍRITO – “Laço” que prende o espírito ao corpo. Este “laço” é uma espécie de
envoltório semi-material. A morte é a destruição do invólucro mais grosseiro (corpo), o
Espírito conserva o perispírito, que lhe constitui um corpo etéreo. Organismo
homogêneo que desempenha todas as funções da vida psíquica e funções outras da
vida separada do corpo.
PESSACH – Jantar de Pesach. Colocar ordem na nossa vida. Sair. Saída do Egito,
Caminhada.
PET – Tomografia por Emissão de Positrons. Ao injetar-se glicose na corrente
sanguínea, observa-se, através de um monitor o registro do que se passa no cérebro em
função dos pensamentos.
PIDYON HABEN – Redenção do primogênito. No 30º dia do nascimento de uma
criança é apresentada, em uma bandeja a um “Cohen”.
PITÁGORAS – Nasceu em 565AEC na ilha grega de Samos, leste do mar Egeu, 695
anos após o nascimento de Moisés (1250 AEC). Adquiriu seu conhecimento
matemático em viagens ao Egito. Naquela época, as viagens eram consideradas uma
forma de ampliar a capacidade da mente. O Egito era a nação dos sacerdotes e era
considerado mais culto que a Grécia, é que os gregos estiveram ocupados demais
lutando uns com os outros para se importarem com as sutilezas do cálculo abstrato.
Mais tarde, na idade de ouro da cultura grega os combates eram retomados, mas os
matemáticos estavam ligados entre si pelas ciências ocidentais e achavam impossível
abandoná-los. Pitágoras acreditava que tudo no Universo tinha um número que
expressava a verdade.
PIYUT – Poesia litúrgica hebraica.
PLANCK, MAX – (Alemanha, 1858 – 1947) Físico do início do século vinte que
descobriu a teoria quântica. Planck não acreditava que a busca de uma unidade
subjacente na natureza levasse ao misticismo. No entanto, admitiu que os cientistas d
tinham aprendido que o ponto de partida de suas investigações não está somente nas
percepções dos sentidos. “A ciência”, disse Planck, “não pode existir sem uma
pequena porção de metafísica”. Na virada do século, o físico alemão Max Planck tinha
certeza de que se os átomos existiam, eles não podiam ser puramente mecânicos. Ele
acreditava que o mundo exterior era algo lá fora, independente do homem, algo
absoluto e fixo. Além disso, ele e seus seguidores somente conseguiam ver nosso
universo como se ele sempre estivesse passando por alguma mudança, e assim indo
lentamente rumo ao acaso e, em última instância, resultando em desordem e
apodrecimento. .
PODER DO UM, 0 – O Todo Oni-abrangente Unificado, a Força da Luz.
PONTO MÉDIO – Nome da quarta fase do Ein Sof. Ela é denominada de ponto
médio devido à sua unidade absoluta com a luz infinita de D-us (Há-Shem).
PRAGYA APARADH – O equívoco do intelecto.
PRECE – Pedido. Súplica. Normalmente dirigidos para entes desencarnados.
PRINCÍPIO DA INCERTEZA DE HEISENBERG – Na mecânica quântica, o
princípio de que é impossível medir simultaneamente e exatamente duas quantidades
relacionadas, como posição e quantidade de movimento de um elétron. Do ponto de
vista cabalística, a base deste dilema é uma regra fundamental. A conclusão a que se
chega é a noção de que as coisas podem estar em todos os lugares ao mesmo tempo;
não há espaço, tempo ou movimento no mundo de Yesod, conforme está determinado
no Zohar. As incertezas classificam-se em dois tipos: sistemáticas e aleatórias. As
incertezas aleatórias, distintas para cada medição isolada, sua media aproxima-se de
zero para grande número de amostras. Ou melhor, as incertezas aleatórias desaparecem
em grandes quantidades de amostras. As incertezas sistemáticas, porem, não tendem a
se cancelar, por isso são complicadas. Aparecem por toda parte em astronomia..
PROJETO DE VIDA – “O que eu vou fazer com a grande energia que está em mim.
O que estou fazendo para o meu próximo?”.
PROCESSOS INCONSCIENTES – Processos mentais em que a pessoa é incapaz de
trazer à sua consciência.
PROVA – Dificuldade em aplicar o que sabemos. Quanto maior a dificuldade, maior o
crescimento.
PSICOTRÓPICOS – São substâncias que alteram a mente.

QI – (Quociente de Inteligência) – Os testes de QI foram desenvolvidos em 1920,


principalmente para as crianças e jovens. Não são muito aplicados para testarem
adultos. A razão de seu sucesso ser limitado com as crianças é o pequeno tempo de
exposição à vida que tiveram a maioria das crianças. Embora testes de inteligência
sejam tremendamente úteis, e que sem dúvida permanecerão conosco por muito tempo,
não obstante, os peritos em saúde mental ainda não estão bem seguros como
interpretar o que este teste realmente mede.
QUANTUM – Quantidade indivisível de energia eletromagnética. Coisa e/ou

132
tendência futura. No sentido cabalístico da palavra: as técnicas de meditação da Cabala
irão permitir e induzir toda a humanidade a compreender que o que serve para a
consciência coletiva da humanidade também serve para as necessidades do indivíduo.
A substância do “quantum” é “ame ao seu próximo”. Quando isto for atingido pela
humanidade, o universo inteiro, tanto o visível quanto o invisível, será revelado como
realmente é, um todo único e unificado. Nosso universo é percebido como
fragmentado somente porque a humanidade é fragmentada. Vide Campos
Morfogenéticos.
QUANTA – Coisas e/ou tendências futuras. Plural de quantum.
QUINTA ESSÊNCIA – Manifestação do Creador no mundo físico.

RA’AYA MEHEMNA – O Pastor Fiel, referente a Moisés.


RACHEM – Útero. É a casa onde será gerada a vida humana.
RAD. Significa radiação, propagação de energia através do espaço vazio em forma de
ondas eletromagnéticas. Emissão de partículas rápidas ou raios pelo núcleo de um
átomo. Rad (Radiation absorbed dose) significa dose absorvida de qualquer radiação
nuclear devido à liberação de 100 ergs de energia por grama de material absorvedor. É
uma unidade de medida que serve para qualquer espécie de radiação que possa ser
absorvida pelo homem. REM (Roentgen Equivalent Man) É uma unidade de dose
biológica dada pelo produto da dose absorvida em rads e a relativa eficiência biológica
da radiação. Unidade de dose biológica dado pelo produto da dose absorvida em rads e
a eficiência biológica relativa da radiação. Em resumo, o REM é uma medida da dose
de radiação recebida pelos tecidos internos do homem.
RAFAEL- -O D-us que cura. Raf=Medico El=D-us.
RAM – É uma grande personalidade atlante – É uma energia fundadora. Elevado. O de
cima é semelhante ao de baixo, o de baixo é semelhante ao de cima.
RASHBI – Rabi Shimon bar Yochai.
RASHITH HÁ GILGALIM – Processos de reencarnação.
RATZON – Desejo.
RAZAN – Justiceiro.
RCF – Radiação Cósmica de Fundo.
RE VA MOECH – É agora. O momento é agora.
REALIDADE MATERIAL – O campo da existência física.
REENCARNAÇÃO – O movimento e os estágios que a alma atravessa para atingir o
seu Tikun (correção).
REI SALOMÃO – Figura bíblica muita conhecida e admirada (pela sua sabedoria) na
cultura mundial cuja lenda influenciou sobremaneira o mundo da magia,
principalmente a maçonaria. Era filho do rei David e ganhou a graça divina por ser
justo e digno. Ao ofereser-lhe ouro, declinou implorando sabedoria,
RESH – Jovem. Rei.
RESPONSA – Uma coleção de volumes de respostas a questões importantes da vida
judaica.
RESTRIÇÃO – A força de energia-inteligência da coluna central que estabelece e
mantém o equilíbrio no universo.
REZA – Prece (normalmente para desencarnados). Oração (normalmente para seres
encarnados).
RIVKA – Rebeca. Esposa de Isaac, mãe de Jacob e Esaú.
ROSH HASHANÁ – Ano Novo judaico comemorado no início do mês de Tishrei
(entre setembro e outubro) Ano 5767 a partir de 22/09/2006. Todas as energias de
todos os 12 signos se encontram nesta data para fazer o nosso julgamento.
RNA – É a substância bioquímica usada por nossos genes para comunicar instruções
ao resto do corpo.
RUACH – Segundo mais baixo nível de consciência da alma. Antes do pecado de
Adão, que foi a negação da Força da Luz, o universo inteiro existia e permanecia
conectado no nível de Ruach, livre das limitações de tempo e espaço, liberto da
entropia e da morte. Ligado à Sefirá de Z’eir Anpin. Vento.
RUACH TZEARÁ – Vento de tempestade.

SABEDORIA – A segunda Sefirá, Chokmah, e a primeira das quatro fases na Árvore


da Vida. Conhecimento dos termos finais de todos os aspectos da realidade.
SACRO-OFÍCIO – Sacrifício.
SAMADHI – Êxtase espiritual. É uma subida às alturas da vitalidade superconsciente
à própria Vida Universal.
SANDIK – Sandak – Pessoa que participa do Blit Milat. O padrinho. A pessoa que
segura a criança na hora da circuncisão.
SANNYÁSA – Ordem de Vida Renunciada.
SANCTUS SANCTORUM – Santo dos Santos; foi onde Jacob dormiu. E lá se
manifestou uma das maiores energias disponíveis para a humanidade.
SAPIÊNCIA – É a sabedoria em ação. Utiliza na vida o que você aprendeu.
SARAI - Sarah
SATAN – Personificação de o Desejo de Receber Somente para Si Mesmo. Satan.. É
o egoísmo que está dentro de nós. Para Satan entrar precisa de ter espaço para isso.
Quando colocamos dúvidas abrimos a porta para o egoísmo, precisamos eliminar a
dúvida e colocar a certeza. Ele (Satan) se encontra na Arvore da Vida entre Malkut e
Yesod. A nossa natureza reativa.
SAVRI MARANAN – Permita-me senhores. Todos respondem: Le Chaim
SCAN – Método usado por um aparelho eletrônico chamado “scanner”, que identifica
o código de barra das mercadorias, atravessando rapidamente, ponto a ponto uma
superfície com um faixa luminosa, assim examinando, identificando e interpretando
caracteres impressos e imagens visuais. Do ponto de vista cabalístico, o olho humano é
a janela da alma e, como tal, é uma ferramenta poderosa para a transmissão e recepção
da Luz canalizada por letras e palavras do Zohar. A conexão é estabelecida no nível
metafísico de nosso ser e irradiada ao nosso plano de existência física. O hebraico é
lido da direita para a esquerda.
SEDAKA – Doar.
SEFARADI – (pl.Sefaradim), ver Pardes.
SEFER TORÁ – O Livro da Lei ou Pentateuco que o povo de Israel recebeu no
Monte Sinai.

134
SEFER YETZIRÁ – O Livro da Formação. Primeira obra cabalística conhecida,
contendo em linguagem concisa e altamente esotérica todos os ensinamentos da
Cabala. A primeira obra escrita sobre a Cabala, foi atribuída ao patriarca Abraão e
também ao Rabino Akiva.
SEFER ZOHAR – Livro da Tora.
SEFIRÁ – (pl. Sefirot) – Termo cabalístico que designa as dez esferas ou canais
metafísicos através dos quais é recebida a Luz emanada do Creador. A força de Energia
Inteligente emanada do Creador é manifestada nas Sefirot. Sefirah, Esfera. Vasilha.
Brilho. Luminosidade Infinita contida em pacotes ou em formas encapsuladas de
energia. Carruagens. Sefirah.
SEFIROT – Os receptáculos (filtros) através dos quais a luz emanada do Creador
descem até ao homem. Plural de Sefirá. A energia divina em forma de luz se decompõe
(é subdividida) em 10 componentes Sefiróticas, em 10 estados de consciência.
Sefiroth.
SENDÁT CHELISHIT – É a 3º parte da leitura do Shabat. Esta liturgia começa
quando o sol começa a se por no horizonte.
SENDAT MITZVÁ – Uma refeição festiva.
SENHOR DAS TREVAS – A personificação do mal (Desejo de Receber Somente
para Si Mesmo). Satan o Enganador, o Anjo Rebelde, o Pai das Mentiras.
SÊRES NÃO CORPÓREOS – Entidades extraterrestres de consciência de
pensamento, sem as limitações físicas de tempo, espaço e movimento.
SHABAT – A Luz era Um, a Luz era Tudo. Esta energia está contida no Shabat. Final
de cada semana (sábado) no qual os judeus são cobertos pelo aspecto positivo. A Luz
do Shabat nos permite eliminar o caos durante a semana em nossas vidas. O Shabat é
um Mitzvat.
SHABBATAI – Saturno. Shabatai.
SHADI – Uma energia que representa uma das manifestações de D-us.
SHALEM – Completo. Estar completo. Estar em paz.
SHALOM – Paz. Só tem paz quem está completo.
SHALOM HÁ LÉV – A Paz no coração.
SHANÁ TOVAH TIKANEH – Que sejam inscritos num ano bom.
SHARARIT – Orações da tarde.
SHEFA – Abundância.
SHEKHINÁ – Reino cósmico ao qual o indivíduo pode se conectar e adquirir uma
consciência cósmica manifestada em Malkut. A consciência Universal. As energias
disponíveis no Shabát. Nuvem diáfana que envolvia a arca sagrada de Ismael.
Consciência coletiva, quântica de todo o Universo. É a ponte entre a Luz Infinita do
Creador e o mundo manifestado. Esta consciência se encontra inativa nos meses de
Tevet, Tamuz e Av.
SHEM – A porção divina.
SHEMÁ – Escutar. Ouvir.
SHEMÁ ISRAEL – Escuta Israel! O Eterno é nosso D-us, O Eterno é Um.
SHENESH – Sol.
SHID – Demônio, Força negativa.
SHOFAR – Toque do Chifre. Os primeiros 30 toques do Shofar são feitos após a
leitura do Haftará.
SHORESH – A fonte. É uma manifestação que passa por 4 fases. É o processo do
Creador se manifestando em uma fase quaternária.
SHORET – Radical.
SIGA – Imunoglobina A. Salivar.
SIMILIARIDADE DE FORMA – Quando o Desejo de Receber está em equilíbrio
com o Desejo de Repartir, ocorre uma situação em que o indivíduo está recebendo para
poder repartir. Portanto, ocorre uma similaridade de forma, pois a doação do indivíduo
é similar à doação do Creador, e deste modo se desenvolve uma união entre o
indivíduo e a Luz de D-us.
SINAPSES – São as conexões entre neurônios, através das quais eles trocam
informações, podem se formar, permitindo a comunicação entre novas redes neuronais.
SISTEMA DE TRANSFERÊNCIA DE ENERGIA – É sistema de transferência de
energia que fazem parte dos sistemas esotéricos prescrito na sabedoria esotérica da
Cabala, criados e escritos em pergaminho especial por escribas qualificados, para
fornecer consciência cósmica e percepção pura para aqueles que procuram um nível
mais alto de inteligência cósmica através do poder de Tefilin, Mesusot, Meguilot e
Sefer Tora.
SITREI TORÁ – Os ensinamentos mais ocultos e profundos da Tora, são recebidos
apenas através de revelação divina.
SIVAN – Terceiros mês do calendário lunar judaico. Nono mês após o Ano Novo
judaico que corresponde aproximadamente a maio-junho. Seu signo zodiacal é Gêmeo.
SLACH – Perdão.
SOD – O significado secreto, interno.
SOFISTA – Sábio. Esperto.
SOLIDÉU – Protetor do chakra coronário da intensidade da Luz (OR) divina.
SONO – Permite que a alma se desprenda temporariamente das limitações e incertezas
da consciência do corpo físico. Segundo Santo Agostinho: “Não deveis temer a morte,
pois que morreis todas as noites”.
SUCOT – É a festa dos tabernáculos. Cabana. Que a energia do Criador nos guie nos
próximos 12 meses.
SUPRACONSCIÊNCIA – Área da consciência acima do nível mental-pensante faz a
ligação da mente abstrata a planos ainda mais elevados.
SUNTEKOS – Companheiro da Criança.
SUTRA – Seqüência de sons.

T
TAFEL – Secundário. Sem importância.
TA’MEI TORÁ – As razões da Torá. Ensinamentos através do qual se pode alcançar o
verdadeiro sentido interno da Torá e desta forma se elevar ao mais alto grau da
espiritualidade.
TALMUD – A forma escrita da Lei Oral. A obra principal dos estudos judaicos. É uma
coletânea da Mishná, do Tosfot, da Guemarrá. Um livro com comentários de 70 sábios
que interpretaram a Torá. É uma vasta compilação de leis, tradições e interpretações
realizada pelos eruditos da Babilônia e da região da palestina. Os tratados servem
como guia da unidade judaica.
TALMUD ESER HÁ-SEFIROT – Um estudo das Emanações das Sefirot.
TAMUZ – Quarto mês do calendário lunar judaico. Décimo mês após o Ano Novo
judaico que corresponde aproximadamente a junho-julho. Seu signo zodiacal é Câncer.
TEBAH – Arca. Segredo da força irresistível
TEMPLO – Estrutura física sobre o centro de energia do universo, agindo como um

136
receptor ou uma estação de recebimento da Força da Luz.
TANAKH – Os textos sagrados judaicos. Consiste nos livros do Velho Testamento,
com pequenas diferenças na ordem e em outros detalhes.
TAHARÁ – Pureza.
TANAIM – (Tanaístas), professores da Lei Judaica. Durante os séculos I e II, EC. Os
seus ensinamentos são conhecidos como a Mishná.
TUC – Tempo Universal Coordenado.
TEFILÁ - Oração
TEFILIM – (filactérias) Caixas pequenas e pretas contendo certas partes da Tora. Os
Tefilim são colocados no braço esquerdo e na cabeça. O Tefilim do braço serve para
atar e conter a energia da coluna esquerda, em relação ao Desejo de Receber apenas
para si, com o propósito de converter em um Desejo de Receber para repartir,
estabelecendo assim um equilíbrio harmonioso entre as colunas da esquerda e a direita.
Os Tefilim da cabeça servem para conectar com a energia positiva, tendo como
finalidade estabelecer uma consciência cósmica e uma percepção pura.
TEHILIM – Capítulos do Livro dos Salmos.
TEFILIN – Oração
TELECINÉSIA – É a capacidade de mover objetos com a mente.
TEMIS – A justiça.
TEORIA DAS CORDAS – Prevê a existência de 10500 mundos possíveis, com
diferentes conjuntos de leis e constantes físicas. Existe a possibilidade de que o
Universo conhecido seja apenas um entre muitos, parte de um Multiverso.
TERAYFA – Rasgado. Palavra utilizada para descrever comida não “kacher”.
TERUMÁ – É a consciência do doador (consciência de que é importante doar)
TESHU – Retornar.
TESHUVÁ – Teshuvah. Arrependimento. Ninguém pode jamais atingir uma fase
completa de Teshuvá (um conceito de volta para o futuro), onde o indivíduo assume
total controle de sua sorte e de seu destino, a menos que se torne conhecedor
inconsciente dos processos psicológicos de raiz da alma em conjunto com o
conhecimento de vidas passadas. Mudar a consciência. É retornar ao Hei. A ação da
Teshuvá nasce no silêncio mais profundo do nosso ser. Retornar a ação primitiva.
Arrependimento de dentro para fora. Darma. Missão.
TETRAGRAMA – O nome santo composto pelas quatro letras hebraicas Yud, Hei,
Vav e Hei.
TEVET – Décimo mês do calendário lunar judaico. Quarto mês após o Ano Novo
judaico que corresponde aproximadamente entre dezembro-janeiro. Seu signo zodiacal
é Capricórnio.
TIFERETH – Sefirá Tifereth representa o poder de restrição no nível superior de
consciência. Equilíbrio, Beleza, beleza da Alma. A beleza da reflexão de minha alma
através das minhas ações. Representa a coluna central, a coluna do equilíbrio na
Arvore da Vida. Sem a energia de Tifereth não há possibilidade de equilíbrio em
Malkut – Jacob.
TIKUN – O processo de correção feito pela alma. Dharma. Missão. Projeto de vida.
Os tikuns de vidas passadas são muito mais difíceis de se cumprir nesta vida.
TIKUN HÁ NEFESH -
TIKUNE HÁ-ZOHAR – Uma secção separada do Sefira Há-Zohar, escrita pelo
Rabino Shimon bar Yohai, e que não está contida no texto principal do próprio Zohar.
Seus ensinamentos dirigem-se especificamente para a Era Messiânica.
TISHREI - Sétimo mês do calendário lunar judaico. Primeiro mês após o Ano Novo
judaico que corresponde aproximadamente entre setembro-outubro. Seu signo zodiacal
é Libra.
TODO UNIFICADO ONI-ABRANGENTE – O Senhor.
TORÁ – Bíblia dos Hebreus. Em seu sentido mais amplo é a doutrina completa do
Judaísmo. Ela inclui tanto a parte oral como a escrita, e mais os comentários, tanto do
passado quanto do futuro. Torah. É o pilar central do judaísmo. Em sentido amplo,
trata de todo o universo de tradições da fé. Em sentido estrito, refere-se aos cinco
livros de Moisés, do Pentateuco: Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio.
A força da luz. Lei - uma forma de orientação, orienta-nos como deve ser direcionada a
nossa vida, com a finalidade de nos ajudar a transpor o caos e adentrar a
espiritualidade,
TOSFAT SHABAT – A alma adicional que uma pessoa recebe no Shabat, para que
possa alcançar um estado mais elevado de consciência espiritual. Por meio do Tosfat -
Oração.Shabat os recipientes de receber dos judeus aumentam consideravelmente, o
que permite a atração de uma quantidade maior de energias positivas, ao compararmos
com a quantidade que normalmente recebemos.
TOV – Bom. Bem. Belo.
TOV SHALOM – Bom dia. Um dia de Paz.
TSEDAKÁ – Doação pecuniária. Pobre verdadeiro. O mais importante é a consciência
que o pobre tem que está ajudando o doador. A intenção de receber é fundamental. A
arte de doar.
TU – Tempo Universal.
TUMÁ – Impuro. Imundo. Um estado de desequilíbrio metafísico total. É onde existe
uma manifestação do Desejo de Receber apenas para si, o que resulta em desequilíbrio,
provocado pela energia da Tumá.
TYAGA – Renúncia.
TZADIK – Justo. Associado com a sefirá de Yesod e o pacto. Yosef Há Tzadik era um
predestinado e sua vida nos ensina como fazer conexão entre o mundo físico (Malkut)
e o Espiritual (Yesod).
TZADIKIN – Misericordioso. Energia de Hessen.
TZEDEC – Júpiter.
TZIMTZUM – A restrição original que deu origem ao Big-Bang. Restrição voluntária
da Luz divina no Olam En Sof, devido ao aspecto do Pão da Vergonha, e ao desejo de
identificar-se com o aspecto do dividir e do repartir. Nos mundos inferiores esta
restrição não é mais voluntária, mas sim imposta, e constitui uma das regras básicas
pelas quais o nosso mundo terrestre opera. Restrição Com outras palavras: O propósito
do Tzimtzum é que devemos amar com tal intensidade a Luz Infinita que possamos
esquecer de nós mesmos, de nossa plenitude finita, e possamos nos transformar em um
Co-Creador.
TZINOR – Cano. Passagem.

UNIVERSOS PARALELOS – O reino da realidade da Árvore da Vida e a realidade


ilusória da árvore do conhecimento, como descrito em Gênesis.
URBI ET ORBI – Para a cidade e o mundo.

.V

138
VASILHA – Recipiente que contém a Luz Divina derivada do Desejo de Receber, que
fica cada vez mais densa na medida em que passa de um nível à outro, até que termine
no mundo dos sentidos, onde a luz é praticamente invisível. Também é chamada
energia engarrafada.
VASILHAS INFERIORES – Vasilhas cujo maior desejo é Receber.
VELOCIDADE DA LUZ – Aproximadamente 300 000 km/s. Do ponto de vista
cabalístico, porém, a luz não viaja, mas está sempre presente.
VÉUS – Barreiras metafísicas criadas por nossas próprias ações negativas. Os véus
impedem a entrada da luz do Creador e limitam completamente o potencial espiritual
do indivíduo.
VITUR – Renúncia.
VÓZ DA CONSCIÊNCIA – Nem a pobreza, desterro, prisão, dor ou a morte devem
inspirar medo. Só devemos temer a voz silenciosa de nossa consciência.
VRIL – Grande reserva de energia presente no homem, da qual ele utiliza apenas uma
ínfima parte. Kundalini. O fogo serpentino. O terceiro Logos.

YACOB – Jacob ou Yaacov


YANG – Princípio feminino
YON KIPUR – É o dia de limpeza interna. Dia do perdão. É considerado o dia mais
sagrado do ano para os judeus. Durante o Yon Kipur é possível de ser feita a ligação
direta da Sefirá Binah com a Sefirá Malkut.
YECHIDÁ – O nível mais elevado da alma. Uma identidade total; a união com a luz
de D-us. Um nível inatingível até a vinda do Messias. Ele está relacionado com a
Sefirá de Keter na Árvore da Vida.
YESH M’AYIN – Algo que provém do nada. Veja o Apêndice Creação.
YESOD – A sexta dentre as sete Sefirot. Fundamento. Base. Número 10 da Arvore da
Vida. Através dela é que toda a luz do nosso mundo é emanada. Ela é a carruagem de
Yosef. Energia da sexualidade. Energia da abundância. Yosef. José. Controle.
YETZER HA-RAH – A inclinação do homem para o mal. O desejo de apenas receber
para si mesmo.
YETZIRÁ – Formação. Mundo da Formação.
YIN – Princípio masculino
YOGA – União.

Z
ZEKUT – Renunciar.
ZEFER – Livro.
ZEIR ANPIN – O conjunto das Sefirot: Yesod, Hod, Netzah, Geburah, Chesed e
Tifereth. As 6 sefirot que formam o Zeir Anpin são reduzidas a uma só. É o filtro
cósmico que depura a Luz emanada de Chokmah/Binah. É gerada para nós em Malkut.
Representa o Anjo da Morte: morte do orgulho, do egoísmo que estão dentro de nós.
Mundo da Formação.
ZERIZUT – Vencendo a preguiça. Presteza, zelo, ardor, favor na busca e no
cumprimento das mitvat. É uma energia que nos blinda contra as negatividades. Não
deixar que o caos estabeleça.
ZOHAR – Livro do Conhecimento Cabalístico. Comentários místicos, palavra
hebraica para iluminação. Esplendor.
REFERÊNCIAS::
www.kabbalah.info
www.kabalah.info/brazilkab/index-braz.htm
www.kabbalah.com/kabbalah/index.phys
http://magdelene.net/qblh/qblhdictionary.htm
http://home.earthlink.net/~lyam/kabdict.htm#y
Publicações e anotações das aulas ministradas pelo Dr. Jones R. Neves,
durante os anos de 2006 e 2007 na SEE-Sociedade de Estudos Esotéricos.
Trigueirinho-Caminhos para a Cura Interior. Editora Pensamento. 1995.

EM MEMÓRIA

De minha querida filhinha Giovanna Valli Braile (06/05/1972—


17/05/2008), transcrevo uma poesia de Luiz de Camões.

Alma minha gentil, que te partiste.


Tão cedo desta vida, descontente,
Repousa lá no Céu eternamente
E viva eu cá na terra sempre triste.

Se lá no assento etéreo, onde subiste,


Memória desta vida se consente,
Não te esqueÁas daquele amor ardente
Que já nos olhos meus tão puro viste.

E se vires que podes merecer-te


Alguma cousa a dor que me ficou
Da mágoa, sem remédio, de perder-te,

Roga a D-us, que teus anos encurtou;


Que tão cedo de cá me leve a ver-te,
Quão cedo de meus olhos te levou.

P M Braile. Guardião, nas duas últimas décadas, do Colégio


Capitular Pitágoras, nasceu em Resende, em 1 929. É
Engenheiro Civil e Sanitarista (M. Sc. Pela The Johns Hopkins
University). Ex Consultor, por 12 anos da Organização Mundial
da Saúde.

140