ANO IV

O CONSOLADOR

Nº 48

ABRIL/2013 Boletim Informativo do Centro Espírita "A Casa do Consolador Prometido" Fundado em 24 de julho de 1994 - CNPJ 00300740/0001-43 - Filiado a Federação Espírita do RGS Sede Prov.: Rua 14 - Quadra 09, Casa 07 - Núcleo Habit. Fdo. Ferrari - Camobi – Sta. Maria – RS
PALAVRA AOS ESPÍRITAS Emmanuel: "Espiritismo revivendo o Cristianismo — eis a nossa responsabilidade. Como outrora Jesus revelou a Verdade em amor, no seio das religiões bárbaras de há dois mil anos, usando a própria vida como espelho do ensinamento de que se fizera veículo, cabe agora ao Espiritismo confirmar-lhe o ministério divino, transfigurando-lhe as lições em serviço de aprimoramento da Humanidade. Espíritas! Lembremo-nos de que templos numerosos, há muitos séculos, falam dEle, efetuando porfiosa corrida ao poder humano, olvidando-lhe a abnegação e a humildade. E porque não puderam acomodar-se aos imperativos do Evangelho, fascinados que se achavam pela posse da autoridade e do ouro, erigiram pedestais de intolerância para si mesmos. Todavia, a intolerância é a matriz do fratricídio, e o fratricídio é a guerra de conquista em ação. E a lei da guerra de conquista é o império da rapina e do assalto, da insolência e do ódio, da violência e da crueldade, proscrevendo a honra e aniquilando a cultura, remunerando a astúcia e laureando o crime, acendendo fogueiras e semeando ruínas em rajadas de sangue e destruição. Somos, assim, chamados à tarefa da restauração e da paz, sem que essa restauração signifique retorno aos mesmos erros e sem que essa paz traduza a inércia dos pântanos. É imprescindível estudar educando, e trabalhar construindo. Não vos afasteis do Cristo de Deus, sob pena de converterdes o fenômeno em fator de vossa própria servidão às cidadelas da sombra, nem algemeis os punhos mentais ao cientificismo pretensioso. Mantende o cérebro e o coração em sincronia de movimentos, mas não vos esqueçais de que o Divino Mestre superou a aridez do raciocínio com a água viva do sentimento, a fim de que o mundo moral do homem não se transforme em pavoroso deserto. Aprendamos do Cristo a mansidão vigilante. Herdemos do Cristo a esperança operosa. Imitemos do Cristo a caridade intimorata. Tenhamos do Cristo o exemplo resoluto. Saibamos preservar e defender a pureza e a simplicidade de nossos princípios. Não basta a fé para vencer. É preciso que a fidelidade aos compromissos assumidos se nos instale por chama inextinguível na própria alma. Nem conflitos estéreis. Nem fanatismo dogmático. Nem tronos de ouro. Nem exotismos. Nem perturbação fantasiada de grandeza intelectual. Nem bajulação às conveniências do mundo. Nem mensagens de terror. Nem vaticínios mirabolantes. Acima de tudo, cultuemos as bases codificadas por Allan Kardec, sob a chancela do Senhor, assinalando-nos as vidas renovadas, no rumo do Bem Eterno. O Espiritismo, desdobrando o Cristianismo, é claro como o Sol. Não nos percamos em labirintos desnecessários, porquanto ao espírita não se permite a expectação da miopia mental. Sigamos, pois, à frente, destemerosos e otimistas, seguros no dever e leais à própria consciência, na certeza de que o nome de Nosso Senhor Jesus-Cristo está empenhado em nossas mãos." (Emmanuel, in Religião dos Espíritos, 27, Fco. Candido Xavier)

A nova era

REFLEXÃO

Os holocaustos lhes falavam aos sentidos, do mesmo passo que a idéia de Deus lhes falava ao espírito. em missão para torná-lo conhecido não só dos hebreus, O Cristo foi o iniciador da mais pura, da mais como também dos povos pagãos. O povo hebreu foi o sublime moral, da moral evangélico-cristã, que há de instrumento de que se serviu Deus para se revelar por renovar o mundo, aproximar os homens e torná-los Moisés e pelos profetas, e as vicissitudes por que passou irmãos; que há de fazer brotar de todos os corações a esse povo destinavam-se a chamar a atenção geral e a caridade e o amor do próximo e estabelecer entre os fazer cair o véu que ocultava aos homens a divindade. humanos uma solidariedade comum; de uma moral, Os mandamentos de Deus, dados por intermédio de enfim, que há de transformar a Terra, tornando-a morada Moisés, contêm o gérmen da mais ampla moral cristã. Os de Espíritos superiores aos que hoje a habitam. E a lei do comentários da Bíblia, porém, restringiam-lhe o sentido, progresso, a que a Natureza está submetida, que se porque, praticada em toda a sua pureza, não na teriam cumpre, e o Espiritismo é a alavanca de que Deus se então compreendido. Mas, nem por isso os dez utiliza para fazer que a Humanidade avance. mandamentos de Deus deixavam de ser um como São chegados os tempos em que se hão de frontispício brilhante, qual farol destinado a clarear a desenvolver as idéias, para que se realizem os progressos estrada que a Humanidade tinha de percorrer. que estão nos desígnios de Deus. Têm elas de seguir a A moral que Moisés ensinou era apropriada ao mesma rota que percorreram as idéias de liberdade, suas estado de adiantamento em que se encontravam os povos precursoras. Não se acredite, porém, que esse que ela se propunha regenerar, e esses povos, semidesenvolvimento se efetue sem lutas. Não; aquelas idéias selvagens quanto ao aperfeiçoamento da alma, não teriam precisam, para atingirem a maturidade, de abalos e compreendido que se pudesse adorar a Deus de outro discussões, a fim de que atraiam a atenção das massas. modo que não por meio de holocaustos, nem que se Uma vez isso conseguido, a beleza e a santidade da moral devesse perdoar a um inimigo. Notável do ponto de vista tocarão os espíritos, que então abraçarão uma ciência que da matéria e mesmo do das artes e das ciências, a lhes dá a chave da vida futura e descerra as portas da inteligência deles muito atrasada se achava em felicidade eterna. Moisés abriu o caminho; Jesus moralidade e não se houvera convertido sob o império de continuou a obra; o Espiritismo a concluirá. uma religião inteiramente espiritual. Era-lhes necessária Um Espírito israelita. (Mulhouse, 1861.) uma representação semimaterial, qual a que apresentava Evangelho Segundo o Espiritismo – Cap. I – item 9 então a religião hebraica.

Deus é único e Moisés é o Espírito que Ele enviou

02 de abril de 1910, nascimento de Chico Xavier
Francisco de Paula Cândido Xavier, mais conhecido como Chico Xavier (Pedro Leopoldo, 2 de abril de 1910 — Uberaba, 30 de junho de 2002), foi um médium e um dos mais importantes divulgadores do Espiritismo. Seu nome de batismo, Francisco de Paula Cândido, em homenagem ao santo do dia de seu nascimento, foi substituído pelo nome paterno de Francisco Cândido Xavier logo que psicografou os primeiros livros, mudança oficializada em abril de 1966, quando chegou da sua segunda viagem aos Estados Unidos. Chico só estudou até a 4ª série do ensino fundamental, entretanto, psicografou 458 livros abrangendo vários gêneros e estilos literários, tendo vendido mais de 50 milhões de exemplares e sendo o "escritor" brasileiro mais prolífico e de maior sucesso da história mas sempre cedeu os direitos autorais dos livros para instituições de caridade e organizações espíritas com o compromisso de destinarem recursos a tarefas de socorro à populações carentes. Também psicografou cerca de dez mil cartas, nunca tendo cobrado algo ao destinatário.

História de “O Livro dos Espíritos”
A obra veio o público em 18 de abril de 1857, lançada no Palais Royal, em Paris, na forma de perguntas e respostas, originalmente compreendendo 501 itens. Foi fruto dos estudos de Kardec sobre os fenômenos das mesas girantes, difundidos por toda a Europa em meados do século XIX, e que, segundo muitos pesquisadores da época, possuíam origem mediúnica. Foi o primeiro de uma série de cinco livros editados pelo pedagogo sobre o mesmo tema. As médiuns que serviram a esse trabalho foram inicialmente as jovens Caroline e Julie Boudin (respectivamente, com 16 e 14 anos à época), às quais mais tarde se juntou Celine Japhet (com 18 anos à época) no processo de revisão do livro. Após o primeiro esboço, o método das perguntas e respostas foi submetido à comparação com as comunicações obtidas por outros médiuns franceses, num total de "mais de dez", nas palavras de Kardec, cujos textos psicografados contribuíram para a estruturação do texto. Só a partir da segunda edição francesa, lançada em 16 de março de 1860 com ampla revisão de Kardec mediante o contato com grupos espíritas de cerca de 15 países da Europa e das Américas, é que aparecem 1018 perguntas e respostas.

DIA A DIA
Nas curtas viagens do dia-a-dia, todos nós encontramos o próximo, para cuja dificuldade somos próximo mais próximo. Imaginemo-nos, assim, numa excursão de cem passos que nos transporte do lar à rua. Não longe, passa um homem que não conseguimos, de imediato, reconhecer. ―Quem será?‖ – perguntamos em pensamento. E a Lei do Amor no-lo aponta como alguém que precisa de algo: se vive em penúria, espera socorro; se abastado, solicita assistência moral, de maneira a empregar, com justiça, as sobras de que dispõe; se aflito, pede consolo; se alegre, reclama apreço fraterno, para manter-se ajustado à ponderação; se é companheiro, aguarda concurso amigo; sé é adversário, exige respeito; se benfeitor requer cooperação; se malfeitor demanda piedade; se doente, requisita remédio; se é dono de razoável saúde, precisa de apoio a fim de que a preserve; se ignorante, roga amparo educativo; se culto, reivindica estímulo ao trabalho, para desentranhar, a benefício dos semelhantes, os tesouros que acumula na inteligência; se é bom, não prescinde de auxílio para fazer-se melhor; se é menos bom, espera compaixão, que o integre na dignidade da vida. Ante o ensino de Jesus, pelo samaritano da caridade, poderemos facilmente entender que os outros necessitam de nós, tanto quanto necessitamos dos outros. E, para atender às nossas obrigações, no socorro mútuo, comecemos, à frente de qualquer um, pelo exercício espontâneo da compreensão e da simpatia. Emmanuel CAMINHO ESPÍRITA - FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER - AUTORES DIVERSOS

FILOSOFIA ESPIRITUALISTA O Livro dos Espíritos PRINCÍPIOS DA DOUTRINA ESPÍRITA sobre a imortalidade da alma, a natureza dos Espíritos e suas relações com os homens, as leis morais, a vida presente, a vida futura e o porvir da Humanidade - segundo os ensinos dados por Espíritos superiores com o concurso de diversos médiuns - recebidos e coordenados P O R ALLAN KARDEC
Fenômenos alheios às leis da ciência humana se dão por toda parte, revelando na causa que os produz a ação de uma vontade livre e inteligente. A razão diz que um efeito inteligente há de ter como causa uma força inteligente e os fatos hão provado que essa força é capaz de entrar em comunicação com os homens por meio de sinais materiais. Interrogada acerca da sua natureza, essa força declarou pertencer ao mundo dos seres espirituais que se despojaram do invólucro corporal do homem. Assim é que foi revelada a Doutrina dos Espíritos. As comunicações entre o mundo espírita e o mundo corpóreo estão na ordem natural das coisas e não constituem fato sobrenatural, tanto que de tais comunicações se acham vestígios entre todos os povos e em todas as épocas. Hoje se generalizaram e tornaram patentes a todos. Os espíritos anunciam que chegaram os tempos marcados pela Providência para uma manifestação universal e que, sendo eles os ministros de Deus e os agentes de Sua vontade, têm por missão instruir e esclarecer os homens, abrindo uma nova era para a regeneração da Humanidade. Este livro é o repositório de seus ensinos. Foi escrito por ordem e mediante ditado de Espíritos superiores, para estabelecer os fundamentos de uma filosofia racional, isenta dos preconceitos do espírito de sistema. Nada contém que não seja a expressão do pensamento deles e que não tenha sido por eles examinado. Só a ordem e a distribuição metódica das matérias, assim como as notas e a forma de algumas partes da redação constituem obra daquele que recebeu a missão de os publicar. Em o número dos Espíritos que concorreram para a execução desta obra, muitos se contam que viveram, em épocas diversas, na Terra, onde pregaram e praticaram a virtude e a sabedoria. Outros, pelos seus nomes, não pertencem a nenhuma personagem, cuja lembrança a História guarde, mas cuja elevação é atestada pela pureza de seus ensinamentos e pela união em que se acham com os que usam de nomes venerados. São João Evangelista, Santo Agostinho, São Vicente de Paulo, São Luís, O Espírito da Verdade, Sócrates, Platão, Fénelon, Franklin, Swedenborg, etc., etc.

Centro Espírita “A Casa do Consolador Pometido” Centro Espírita “A Casa do Consolador Pometido”

(Trecho transcrito de Prolegômenos – Livro dos Espíritos – FEB, 76ª edição)

Centro Espírita “A Casa do Consolador Pometido” EXPOSIÇÕES DOUTRINÁRIAS - ABRIL / 2013 Sábados - Horário: 15:00 horas DIA
06 13 20 27

TEMA O Evangelho em nossas vidas Introdução do Evang. Seg.Espiritismo Não vim destruir a Lei (Cap. I ESE)
Meu Reino não é deste mundo (Cap. II ESE)

EXPOSITOR Eder Nei Eder Nei

Centro Espírita “A Casa do Consolador Pometido” EXPOSIÇÕES DOUTRINÁRIAS - ABRIL / 2013 Quartas-feiras - Horário: 20:00 horas DIA
03 10 17 24

TEMA Livre
O Cristo Consolador (ESE Cap. VI)

EXPOSITOR Pedro Bouchet (São Borja) Raíssa Lucimar Sheila

O dever (O Consolador) O que buscais?

EM TODOS OS CAMINHOS
Seja qual seja a experiência, convence-te de que Deus está conosco em todos os caminhos. Isso não significa omissão de responsabilidade ou exoneração da incumbência de que o Senhor nos revestiu. Não há consciência sem compromisso, como não existe dignidade sem lei. O peixe mora gratuitamente na água, mas deve nadar por si mesmo. A árvore, embora não pague imposto pelo solo a que se vincula, é chamada a produzir conforme a espécie. Ninguém recebe talentos da vida para escondê-los em poeira ou ferrugem. Nasceste para realizar o melhor. Para isso, é possível te defrontes com embaraços naturais ao próprio burilamento, qual a criança que se esfalfa compreensivelmente nos exercícios da escola. A criança atravessa as provas do aprendizado sob a cobertura da educação que transparece do professor. Desempenhamos as nossas funções com o apoio de Deus. Se o conhecimento exato da Onipresença Divina ainda não te acode à mente necessitada de fé, pensa no infinito das bênçãos que te envolvem, sem que despendas mínimo esforço. Não contrataste engenheiros para a garantia do Sol que te sustenta e nem assalariaste empregados para a escavação de minas de oxigênio na atmosfera, a fim de que se renove o ar que respiras. Reflete, por um momento só, nas riquezas ilimitadas ao teu dispor nos reservatórios da natureza e compreenderás que ninguém vive só. Confia, segue, trabalha e constrói para o bem. E guarda a certeza de que, para alcançar a felicidade, se fazes teu dever, Deus faz o resto.
Psicografia de Francisco Candido Xavier – Ditado por Emmanuel

Loja 311 - RS 509, Km 07 – Nº 7250 – Fone: 3226 1953 Loja 359 - RS 509, Nº 5941 (Centro Com. Dois Irmãos) Fone: 3026 6608