Você está na página 1de 2

LIBERDADE DE EXPRESSÃO OU O LIVRE PENSAR

Sobre a imprensa livre Marx escreveu:


``A imprensa livre é o olhar onipotente do povo, a confiança
personalizada do povo nele mesmo, o vínculo articulado que une o
indivíduo ao Estado e ao mundo, a cultura incorporada que
transforma lutas materiais em lutas intelectuais, e idealiza suas
formas brutas.´´ Ler , Liberdade de Imprensa de Karl
Marx,http://www.ssrevista.uel.br/c_v6n1_arlei.htm.
Todos nós sabemos qual o valor de uma imprensa de livre expressão, atuando como
farol incansável das liberdades, o que deveríamos analisar e discutirmos também é
sobre a liberdade do pensar, como poderemos livremente nos expressar se não
aprendemos a pensar livremente, desde a mais tenra idade, somos obrigados a
receber informações enlatadas, produzidas, este processo começa em casa, depois na
escola e continua pela vida afora, a democracia representativa é na realidade uma
farsa. O capital (seja ele quem for, - ou estiver, nos EUA, no Japão, na África,
na Europa, em qualquer pais da America Latina-Onde esta o capital ? Qual sua
raiz ) na realidade, orquestra um grande teatro para apaziguar as massas, fingindo
que elas têm poder. Para garantir que os resultados sejam sempre os que ele
deseja, o capital usa de propaganda e manipulação dos fatos, filtragem de
informações e instituições político-culturais sutilmente enviesadas para
beneficiá-lo(ao capital). As massas, manipuladas pela mídia e alienadas pelo
fetichismo da mercadoria (que pode ser traduzido como a falta de compreensão pelo
trabalhador, do seu papel no processo produtivo, que leva os indivíduos a
enxergarem o mercado como mera troca de bens), acabam acreditando num mundo de
irreal interesse e acaba transmitindo toda esta carga informativa aos dependentes
deste tipo de formação de opinião, (crianças, pessoas com um menor poder de
consciência e discernimento, reacionários por natureza, etc.), assim é formado um
pensamento nada livre e sim escravo de toda esta carga de informação gerada pelo
sistema. Como podemos nos expressar livremente se nosso pensamento está atrelado a
toda esta informação que recebemos a vida inteira, é só ligar a televisão, ou
ligar o rádio, ou abrir o jornal. O que vemos? reportagens condenando sem terras a
morte pelos pelotões oficiais, justamente pelo estado que os deveria defender,
crianças trabalhando em regime de escravidão ou semi/escravidão, idosos sucumbindo
na fila das assistências sociais e o que é pior, ninguém fala sobre os reais
motivos desta miséria toda, é o próprio sistema capitalista gerador da decadência
da raça humana que assistimos (sentados sem nada fazer) atualmente. E a quem cabe
conscientizar? Esta lá, sentado, no seu belo trono, enfeitado com os laços da
pequena/burguesia, adorando esta posição cômoda, sabendo que a realidade poderia
ser outra, mais odiando ficar sem o leite ingerido das tetas do poder, todos estes
ingredientes e outros mais, ajudam a assar o bolo da alto censura, é assim,
crescemos entendendo que tudo pode ser muito bom para nós, se não pensarmos no
nosso irmão, se pensarmos apenas em nós e batalhar-mos por um amanhã com
oportunidades individuais, egoístas, assim aprendemos a pensar, isso mesmo,
aprendemos quando o certo seria pensarmos a pensar, este seria o exercício
correto.
Cabe a nós um pouco mais conscientes, sempre que possível, estimular nas crianças
e nos menos desprovidos de informação, o livre pensamento, se quisermos assim, ter
um mundo livre, onde poderemos (todos) nos expressar livremente. De que forma isso
pode ocorrer, sendo que este estímulo é um exercício de construção? Conversando,
ensinando, estimulando a franca conversa, o debate e o franco pensamento, sem
preconceitos e traumas.
Um bom exercício da LIBERDADE à todos...

orlando rocha
vilorblue

sobre a obra
O livre pensar, é ao meu ver, tão importante (ou mais) quanto a liberdade de
expressão, desde a mais remota idade somos guiados a pensar determinadas coisas,
quando encontramos pensamentos contrários aos costumeiros, detectamos um desvio
natural construtivo do pensamento. É como o patinho feio...o livre pensar....