A Tecnologia e o Meio-Ambiente

A RELAÇÃO ENTRE A TECNOLOGIA E O MEIO-AMBIENTE É possível aliar a tecnologia ao meio-ambiente? Claro que sim. Muitos acreditam que as indústrias e a tecnologia são as grandes responsáveis pelos danos ambientais causados ao nosso mundo. Tratadas como vilãs, de maneira quase maniqueísta, a perspectiva atual é de que as coisas não funcionam bem assim.

Na verdade, a ciência e a tecnologia são grandes aliadas, se não forem as maiores, nessa cruzada contra as ameaças ecológicas. Nos últimos séculos e com a chegada da modernidade, o planeta passou por diversas revoluções industriais e tecnológicas. Alterando consideravelmente o panorama econômico e social, ocasionando o desenvolvimento do capitalismo e criando uma nova mentalidade em relação a trabalho, matéria-prima e indivíduo, essas revoluções impactaram também no meio-ambiente. Nas últimas décadas, cientistas se deram conta desses impactos ambientais que tal mentalidade do ser humano acabou ocasionando. O efeito estufa, buracos na camada de ozônio, aquecimento global, entre outros problemas ecológicos, já se tornaram velhos conhecidos do povo e invadem as casas, escolas e rodas de discussão impulsionando os indivíduos a refletirem maneiras de evitar ou frear essas ameaças. Ao desenvolverem essa consciência ecológica, diversas empresas e organizações também passaram a buscar maneiras de reduzir os danos e mais além, auxiliar nessa empreitada pelo meio-ambiente. Hoje em dia boa parte delas já desenvolve programas de sustentabilidade e de responsabilidade social com o intuito de deixar para gerações posteriores um mundo melhor. Lâmpadas econômicas e a própria coleta e reciclagem de materiais são pequenas e conhecidas formas de se reduzir a poluição dentro da própria empresa. Sites que carregam a iniciativa de plantio de árvores ou de auxílio a projetos ecológicos já foram criados. A internet, por si só, já é mesmo uma ferramenta poderosíssima de disseminação de informação, em relação a conscientização ambiental. No entanto, os cientistas e pesquisadores estão indo além, desenvolvendo novas alternativas que variam desde computadores biodegradáveis, carros recicláveis e celulares econômicos até medidas consideradas gigantescas. Por incrível que pareça, fala-se até mesmo na utilização da lua como captadora de energia solar e na criação de nuvens que barrem o aquecimento global.

aumentar a oferta de empregos e elevar a renda e a arrecadação regionais. vai tomando forma e se mostrando realmente relevante. na semana passada. de origem rastreada. Para que haja uma atividade de base florestal na Amazônia. “A política de concessão florestal traz a presença forte do Estado para áreas que ainda são remotas. O objetivo das concessões é ordenar a atividade madeireira e promover uma economia florestal de base sustentável. desde que desenvolvida com consciência. com madeira legal. As áreas abertas para exploração madeireira localizam-se na região de influência da BR-163 (CuiabáSantarém) e estão sob pressão do desmatamento. o equivalente a um campo de futebol oficial. hoje ela aparece como a grande solução. vivemos num mundo inter-relacionado. disse o diretor de Concessão Florestal e Monitoramento do SFB. para a exploração sustentável de madeira tropical. No entanto. Se antes a busca desenfreada pelos avanços tecnológicos se mostrava perigosa para o meio-ambiente. ambas no Pará. Um hectare corresponde a 10 mil metros quadrados. que somam 740 mil hectares. na Floresta Nacional de Altamira. o terceiro edital deste ano de concessão florestal. Marcus Vinicius Alves. quando somado ao todo. O Serviço Florestal Brasileiro (SFB) lançou. . que é um ponto crítico”. Também estão abertos os editais das florestais nacionais do Crepori e do Amana. Governo lança editais para disciplinar a exploração de mais de 1 milhão de hectares na Amazônia A extração sustentável prevê que se corte uma média de cinco árvores das cerca de 500 que existem em um hectare Agência Brasil Mais de 1 milhão de hectares na Floresta Amazônica poderão ser explorados por madeireiras a partir do ano que vem. Nenhuma ação individual ou corporativa é suficiente por si só. no Pará. e o pouco que já fazemos. é preciso tratar da questão da regularidade fundiária.Será que isso é o bastante? Claro que não. com área de 360 mil hectares.

com a Justiça”. cabe a ele gerir essas áreas. com produção anual de 20 mil metros cúbicos de tora. O governo faz isso por meio de terceiros pela via da concessão”. As concessões das florestas nacionais do Jamari. 85 mil metros cúbicos foram extraídos e R$ 5. A Amata atua em toda a cadeia da madeira – da produção até a comercialização. mas ainda estão na fase de implantação. apenas depois desse período as toras poderão ser extraídas no mesmo local. está associado à falta de gerenciamento dessas áreas. em Rondônia. Para que se tornem concessionários. o grau de processamento local do produto. os empresários têm de participar de uma concorrência pública que inclui as propostas técnica e do preço a ser pago pelo metro cúbico de madeira retirada. explicou Alves. Os contratos da Floresta Nacional de Jacundá. o investimento tem girado em torno de R$ 2 milhões a R$ 3 milhões por ano nos últimos três anos. Como o ciclo de corte tem duração entre 25 e 30 anos. disse Alves. A proposta técnica é composta por critérios como a implantação de um sistema de gestão e desempenho de qualidade das operações florestais. Uma empresa. As espécies mais comuns são maçaranduba. Os maiores desafios nos processos de licitação são problemas com documentos. precisa estar regular com a Receita Federal e a Estadual. com a Delegacia Regional do Trabalho. Enquanto o setor continuar competindo . Os concessionários arcam com os custos de operação com equipamentos e com a manutenção de estradas. “Existe uma resistência de parcela razoável do setor madeireiro em se legalizar porque a legalização implica uma série de compromissos. A extração sustentável da madeira prevê que se corte uma média de cinco árvores das cerca de 500 árvores que existem em um hectare. A Amata é uma das empresas concessionárias que atuam na Floresta Nacional de Jamari. Até o ano passado. em uma área de 46 mil hectares. foram assinados. o SFB tem 200 mil hectares sob concessão florestal. dificuldade dos madeireiros de se desvincular das práticas ilícitas e incapacidade técnica e gerencial para contratar com o governo federal. no Pará. que gera grilagem e desmatamento. já estão em operação. Os contratos de concessão em terras públicas da União têm validade de 40 anos.5 milhões pagos pela madeira ao governo federal. o uso de inovações tecnológicas e os investimentos para a comunidade local. para ser concessionária. E a melhor gestão para uma floresta é pelo manejo florestal. angelim-vermelho e roxinho. também em Rondônia. especialmente se as condições de mercado forem mais justas. Roberto Waack.“O processo de desordenamento territorial. Segundo o presidente da empresa. Atualmente. e de Saracá-Taquera. em que os concessionários fazem inventário florestal e plano de manejo. “Acreditamos no retorno do investimento no médio e longo prazos. jatobá. por exemplo. Como o governo é o maior detentor de terras na Amazônia. muiracatiara-rajada.

Nossa intenção é alertar para o impacto grande que elas podem provocar em termos sociais e econômicos”. pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). resultado do trabalho de 345 cientistas. sobre o 1º Relatório de Avaliação Nacional de Mudanças Climáticas no Brasil (RNA1). será apresentado na segunda-feira 9.” disse Waack. Apesar do pouco tempo de implantação das concessões – três anos –. o balanço do SFB é positivo. diz José Antônio Morengo. em São Paulo. que deve ter temperatura média até 6°C mais elevada em 2100 Ana Carolina Nunes "Não queremos fazer uma previsão apocalíptica sobre as mudanças climáticas no Brasil. Futuro quente ISTOÉ antecipa os números do mais completo estudo sobre as condições climáticas do País. A Amata exporta entre 60% e 70% do que produz e gera 100 empregos diretos e indiretos na concessão. RS . Temos que fazer da floresta um ativo que gere emprego e renda para as sociedades locais”. “Há pessoas operando e tomando conta dessas áreas. durante a Conclima. O documento. conferência nacional que reunirá a elite de pesquisadores brasileiros sobre o assunto. Apesar do cuidado do pesquisador em evitar o apocalipse. ressaltou Marcus Vinicius Alves. os dados que ISTOÉ adianta com exclusividade assustam. Observou-se uma redução do número de invasões florestais e do desmatamento nessas regiões.com a madeira ilegal. EXTREMOS Mudanças climáticas no País provocam desertificação até em Cristal do Sul. terá retornos baixos.

Já chuvas em abundância provocam enchentes. de 16%. Essa elevação produzirá situações climáticas extremas. soja e milho e a perda expressiva de biodiversidade: 47% no Cerrado e 44% na Caatinga.7%. o arroz. há queda na produção de café.7%. consequentemente. mas as mudanças já ocorridas neste século. de 9. pesquisador do Cepagri e da Embrapa. o que impulsiona a contaminação dos alimentos e. doença causada pela urina dos ratos. chuvas ainda mais escassas significam menos água limpa disponível.A começar pela temperatura. AGUACEIRO Sul e Sudeste devem se preparar para o aumento de enchentes O relatório traz não só o futuro. A região Nordeste será uma das mais prejudicadas. que disseminam a leptospirose. Desde 2000. A umidade mais baixa favorece a concentração de CO² na atmosfera. por exemplo. o café. o rio São Francisco poderá ficar 25% menor”. da Unicamp. diretor do Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri). A frequência de chuvas pode diminuir até 40%. Os riscos à saúde começam pelo sistema respiratório de quem vive em grandes cidades. o prejuízo será de R$ 7. A confusão climática será desastrosa para a agricultura. o milho.5%. levando a um aumento da desertificação. Esse levantamento não é coisa .4 bilhões em 2020 e de R$ 14 bilhões em 2070. “Alimentos que antes eram cultivados só no Nordeste começam a aparecer no Paraná também”. com chuvas em excesso de um lado e seca do outro. conta Jurandir Zullo Junior. Em regiões afastadas. e o algodão. a soja terá perda de produtividade de 24%. O estudo prevê que chegaremos ao final deste século com temperaturas de 3ºC a 6ºC mais quentes. casos de diarreia aguda. A saúde da população também não escapará ilesa. de 7. Traduzindo em cifrões. Até 2050. diz Hilton Silveira Pinto. com estragos para a agricultura. de 4. pesca e produção de energia. Outro dado curioso do estudo é a migração de culturas. “Até 2070.

É como o cortejo fúnebre levando o ente mais querido que você tem. porque vou para cima. "Vivo da floresta. Agora. por isso vivo com a bala na cabeça a qualquer hora. Quando vejo uma árvore em cima do caminhão indo para uma serraria me dá uma dor." Zé Claudio. . E vai piorar. eu denuncio. porque isso é vida para mim que vivo na floresta e para vocês também que vivem nos centros urbanos. Apresenta o que está acontecendo. protejo ela de todo o jeito. assassinado em maio de 2011.de pesquisador alarmista.

destruir menos. A tecnologia foi certamente o maior passo dado pela humanidade rumo a evolução. Motorola. ainda assim amo a tecnologia e tudo o que ela nos proporciona e poderia proporcionar ainda mais. Verdade? Não. Todo mundo ganha.. de se viver com pouco. Aliás. Fácil assim! Pesquisas e estudos. Máquinas melhores e mais modernas serão mais eficientes e portanto.. . por exemplo. onde animais foram brutalmente torturados por décadas e mais décadas em nome da ciência e da longevidade da raça humana não precisam mais acontecer. E que a tecnologia avance também nos setores de reciclagem. Os erros. Cabe a nós utilizar esses serviços. Pois não adianta as empresas oferecerem esse esquema todo e as pessoas continuarem colecionando aparelhos velhos e inúteis em suas casas. inclusive o meio ambiente. Lembro-me de acreditar que os computadores iriam.. Eu. sou uma pessoa que acredita profundamente na riqueza desperdiçada nos lixos. Nokia. não precisa e nem deve ocorrer atualmente. Ainda. prefirir alimentos nãoindustrializados e assim por diante. Uma prova disso são empresas como Nextel. num ciclo sem fim. substituir livros e cadernos nas escolas e na vida em um tempo curto. com o descarte irresponsável de resíduos. comprar menos..mas fui crescendo. informar e aprender. crescendo e isso ainda não aconteceu. aniquilar menos e reaproveitar tudo o que já descartamos no planeta. reutilizar desde a água da chuva até as inevitáveis embalagens de consumo. que a maioria das empresas centenárias cometeu. mas quando a gente fala em humanidade é que se encontram os problemas. Samsung e LG que já encaminham as baterias não mais utilizadas para a reciclagem. E a tecnologia parece não combinar muito bem com esse estilo de vida mais sustentável. natureba na medida do possível.segunda-feira. Se o mercado da reciclagem tivesse a força das grandes empresas nacionais poderíamos extrair menos. pois eu continuo a acreditar que algum dia árvores não mais precisarão morrer para que possamos nos entreter. "riponga" de alma. sim. pelo menos para mim não. mais utilizadas. apaixonada pela natureza e pelos animais. 18 de janeiro de 2010 Tecnologia e Meio Ambiente Quando pensamos em sustentabilidade e meio ambiente associamos a idéia de uma forma mais rústica. Hojé é possível criar tudo sinteticamente para qualquer finalidade de pesquisa. Simples assim! Existem milhares de alternativas sustentáveis e muitas delas só puderam acontecer porque possuimos a tecnologia necessária.

muitas vezes nos tornamos marionetes do mesmo sistema capitalistade sempre. Temos a faca e o queijo nas mãos. que se totaliza em 70 mil litros a menos e deixa de lançar 1000 quilos de gás carbônico para cada tonelada de malha fabricada. então.. É perceptível a mudança nos hábitos dos empreendedores ao se preocuparem com o meio ambiente quando inventam alguma tecnologia. não se deslumbrar (tanto) com as futilidades desenvolvidas e oferecidas graças a tecnologia avançada. sabe de diferentes tecnologias que auxiliam na qualidade de vida do meio ambiente. E nesse caos. pelo fato das consequências dos impactos ambientais terem afetado o bolso dos próprios criadores.é sempre bom aprender um pouco mais! TECNOLOGIAS A FAVOR DO MEIO AMBIENTE. Essa conscientização pode ser explicada. a Novozymes – que possui filial no Brasil. podem ser recicláveis. O mercado que nos permite assistir televisão aonde que que estejamos nos induz a comprar mais. Exemplo disso foi quando eliminou substâncias tóxicas na produção de seus produtos e passou a usar alumínios e vidros recicláveis. por sua vez. Feitos com produtos menos poluentes e que. Podemos viver sim. As escolhas são nossas. não seja tímido(a) comente e reparta seu conhecimento conosco. Numa frenética e estúpida inversão de valores. a viver mais para comprar mais e descartar mais.As pessoas preferem empregar a tecnologia em projetos bilionários. por exemplo. O que se destaca. Criar modelos de eletrônicos que gerem mais economia e tenham uma durabilidade maior... sem nos tornar reféns dela. tortos. Destaque também para a indústria têxtil. mesquinhos. cumpriu o prometido e passou a produzir mercadorias com componentes que causassem menos danos ao meio ambiente. começou a se preocupar com seus produtos desde 2007. Creio que o importante é ser consciente.. após serem acusados por negligência ecológica. seja direta ou indiretamente. ser para ter. Se você tem alguma informação sobre práticas utilizadas por empresas no setor de reciclagem. em paz e harmonia com o meio ambiente. A Apple. de certa forma. é o grande índice de novas tecnologias criadas para tentar combater o desperdício abusivo de resíduos prejudiciais ao meio ambiente.tantas vezes. aliados a tecnologia. Comprar para ser. Steve Jobs.. talvez. que em 2010 recebeu uma tecnologia apresentada por uma empresa dinamarquesa. Avanços tecnológicos ocorrem ao passar dos dias e os fabricantes e idealizadores dessas evoluções se preocupam cada vez mais com o meio ambiente. . A ideia da máquina é diminuir a quantidade de água usada para a fabricação dos tecidos..

saibam o quanto é valiosa a energia.Indústria automobilística também é uma outra grande revolução tecnológica que permite a usabilidade de carros elétricos. também. já estão no mercado e a tendência é aumentar. como enfeite.me/8do82). Carregador como entrada USB movido a luz solar e outro bem moderno em forma de Bonsai. Pequenas invenções. (Confira a matéria explicativa do nosso portal: http://migre. A cada dia que passa as indústrias se adaptam a moda de ser sustentável e os impactos ambientais tendem a diminuir. serve. mas de grande rentabilidade. para que as crianças. podendo ser a bateria ou os híbridos. principalmente. A intenção. Celulares que viram flores. já foram desenvolvidos para o melhor funcionamento do ciclo de consumo ecológico. 2013 . mouses produzidos através de plásticos reciclados e porquinhos eletrônicos (cofres) que liberam energia apenas ao colocar moedas. notebooks feitos de bambu. os inventores e os benefícios são muito positivos! Sustentabilidade: Tecnologia x Meio Ambiente By admin Updated: June 17. Muitos deles utilizam à luz solar como fonte alternativa. que além de ter várias placas que captam a luz solar e recarregam seus eletrônicos.

Entre os equipamentos do dia a dia que estimulam a sustentabilidade. Faça a sua parte e adquira já produtos sustentáveis. do óleo de cozinha. As baterias antigas de celulares e pilhas.O conceito de tecnologia verde compreende as inovações tecnológicas desenvolvidas de forma sustentável e com a preocupação de não causar danos ao meio. Tem como desafio redirecionar as concepções atualmente existentes em novas formas de pensar e agir. que nada mais é que a utilização da tecnologia empregada de forma sustentável. que normalmente poluiria a água de rios e córregos. o destaque fica para o setor de eletrônicos. como na irrigação de jardins. já são coletados em determinados postos para evitar a contaminação do lixo e da terra. laptops e TVs. Quando a Tecnologia e o Meio Ambiente São Aliados Tweet Pin It O conceito de tecnologia verde compreende as inovações tecnológicas desenvolvidas de forma sustentável e com a preocupação de não causar danos ao meio ambiente. A evolução empresarial determina uma nova tendência para as empresas. Ainda é possível encontrar dutos especiais para descarte. algumas residências contam com equipamento para coletar a água da chuva e utilizá-la com nova finalidade. que têm baixo consumo de energia e são produzidos com práticas pouco agressivas ao meio ambiente. Outra medida comum em construções com preocupação ambiental é a utilização de painéis solares para aquecimento da água do banho ou da piscina. e posterior reciclagem. adaptando as tecnologias existentes e as futuras. Um bom exemplo são as práticas para reduzir a eletricidade consumida. Muitos produtos com tecnologia verde já podem ser encontrados no mercado para uso doméstico. com modernos celulares. como o uso exclusivo de eletrodomésticos que detêm o selo de consumo eficiente. No campo do reaproveitamento de recursos. Mais do . evitando assim um caminho de desperdício e focando uma maior eficiência energética.

Produtos Muitos produtos com tecnologia verde já podem ser encontrados no mercado para uso doméstico. As prateleiras do mercado também oferecem hoje menos espaço às lâmpadas incandescentes. por exemplo. além de interruptores controlados por controle remoto. Também estão disponíveis instalações que interrompem o fluxo de energia para carregadores de celulares quando o dispositivo já está carregado. altamente tóxica. Reaproveitamento de recursos No campo do reaproveitamento de recursos. . Outra medida comum em construções com preocupação ambiental é a utilização de painéis solares para aquecimento da água do banho ou da piscina.que isso. que facilitam o trabalho de desligar as lâmpadas ligadas desnecessariamente. o destaque fica para o setor de eletrônicos. A tendência é que cada vez mais a indústria da tecnologia seja conduzida a um caminho de desperdício mínimo e com maior eficiência energética. Equipamento do dia a dia Entre os equipamentos do dia a dia que estimulam a sustentabilidade. os gastos com pesquisa na área também são crescentes e apontam uma vantagem competitiva para empresas com política de responsabilidade ambiental. que normalmente poluiria a água de rios e córregos. e posterior reciclagem. Ainda é possível encontrar dutos especiais para descarte. essas residências contam com equipamento para coletar a água da chuva e utilizá-la com nova finalidade. Um bom exemplo são as práticas para reduzir a eletricidade consumida. substituídas gradualmente pelas fluorescentes ou de LED. são alvo de renovação para extinguir o uso da combinação níquel-cádmio. laptops e TVs. com modernos celulares. em alguns casos a criação tem como única finalidade a promoção de atitudes ambientalmente corretas. As baterias antigas de celulares. como o uso exclusivo de eletrodomésticos que detêm o selo de consumo eficiente. que têm baixo consumo de energia e são produzidos com práticas pouco agressivas ao meio ambiente. Para isso. como na irrigação de jardins. sendo instalados principalmente nos chamados “apartamentos verdes”. do óleo de cozinha.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful