Você está na página 1de 8

Aumento de 5% provoca revolta na PM

Comandante Geral ameaça renunciar, mas acaba recuandoAumento de 5% provoca revolta na PM Clube de Cabos e Soldados volta a falar em

Clube de Cabos e Soldados volta a falar em paralisação geralna PM Comandante Geral ameaça renunciar, mas acaba recuando Perda salarial acumulada da categoria , já

Perda salarial acumulada da categoria , já chega ao índice de 70%PM Comandante Geral ameaça renunciar, mas acaba recuando Clube de Cabos e Soldados volta a falar

Lobão exige pagamento de horas-extras para a Polícia

JORNAL

FOX

Órgão informativo do Clube de Cabos e Soldados da PMERJ

R$ 0,50

Presidente : Jorge Lobão

Uso do colete pode virar lei

Uso do colete pode virar lei Motoqueiros bandidos atacam vítimas inocentes em todo o estado .

Motoqueiros bandidos atacam vítimas inocentes em todo o estado . São mais de 360 ações criminosas com 8 mortes no ano de 2009. Proposta apresen- tada e defendida pelo Clube de Cabos e Soldados desde 2006 que cria obrigatoriedade, do uso de colete com número da placa nas costas , já tramita no Congresso Nacional em projeto de lei que normatiza o utiliza- ção de motocicleta em todo ter- ritório nacional .Enquanto isso aumenta a sensação de insegu- rança da população ao trafegar na cidade entre motociclistas sem identificação visível. Na Colômbia o uso de colete numerado já vigora como lei desde 1990 e reduziu em 90% os crimes praticados. Pág 07

Vazamento

STF interpela Ministro

Presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes está cobrando explicações do governo sobre informações sigilosas vazadas de investigações que correm em segredo de Justiça e foram indevidamente utilizadas pelo Ministério Público e pela

Policia Federal.

Pág 06

pelo Ministério Público e pela Policia Federal. Pág 06 ATRASO Artigo da nova lei do estupro
pelo Ministério Público e pela Policia Federal. Pág 06 ATRASO Artigo da nova lei do estupro

ATRASO

Artigo da nova lei do estupro pode acabar beneficiando o

estuprador

Pág 2

lei do estupro pode acabar beneficiando o estuprador Pág 2 LEI 4848 Lobão vai ao Supremo
lei do estupro pode acabar beneficiando o estuprador Pág 2 LEI 4848 Lobão vai ao Supremo
lei do estupro pode acabar beneficiando o estuprador Pág 2 LEI 4848 Lobão vai ao Supremo

LEI 4848

Lobão vai ao Supremo para questionar

inconstitucionalidade

Pág 6

da lei

Supremo para questionar inconstitucionalidade Pág 6 da lei Jorge Lobão estuda adoção de medidas judiciais que

Jorge Lobão estuda adoção de medidas judiciais que garantam o pagamento de horas-extras para Pms, direito adquirido desde 1991 em lei sancionada pelo então governador Leonel Brizola. Pág 03

Absurdo

A Máfia das Multas no Rio de Janeiro

Pardais funcionam com falhas no tempo para flagrar “supostas” infrações. Situação tem engordado os cofres públicos e lesado o cidadão. Aparelhos acumulam multas e prefeitura do Rio da informação errada sobre sinal amarelo. Ex prefeito terá

que depor.

Pág 04

acumulam multas e prefeitura do Rio da informação errada sobre sinal amarelo. Ex prefeito terá que
Serviço Página 02 - 01 de oUtUbro a 01 de novembro
Serviço
Página 02 - 01 de oUtUbro a 01 de novembro

Pesquisa revela que colesterol alto atinge 25,4% da população

O número de brasileiros com alteração nos níveis do colesterol de baixa densidade (LDL), também conhecido como colesterol ruim, aumentou de 18% para 25,4% entre os anos de 2004 e 2008. A elevação foi percebida tanto entre os homens como entre as mulheres, mas é na população masculina que o problema se dá com mais frequência. O aumento de casos em mulheres, no entanto, ocorreu num ritmo mais intenso. Entre os homens o índice pulou, no mesmo período, de 21,8% para 26,4%; e entre as mulheres, de 14,4% para 23,7%. dia histórico foi 08 de dezembro.

Cidade

avanço

UPPS da Polícia Militarganham siteexclusivo

As

Unidades de Polícia Pacificado-

ras

(UPPs)da Polícia Militar ganha-

ram um veículo de comunicação

exclusivo: entrou no ar o site UPP Repórter (www.upp.rj.gov.br).

O produto, que nasce com uma

versão em inglês, foi uma inicia- tiva da Coordenadoria de Comu- nicação Social da Secretaria de Estado de Segurança.

O projeto tem por objetivo fazer

com que os policiais das UPPs da

Polícia Militar (Batam, Cidade de Deus, Babilônia/Chapéu Manguei-

ra

e Dona Marta) vejam o resulta-

do

de seus trabalhos e conheçam

as

ações das outras unidades, além

de

facilitar o acesso de turistas es-

trangeiros e da mídia internacional a assuntos relacionados às Unida- des de Polícia Pacificadora. Por fim, o site visa pautar a mídia internacional com histórias que

ela

não descobriu ainda.

Em

sua edição de estreia, o site da

Unidade de Polícia Pacificadora

da Polícia Militar veicula seis ma-

térias, contemplando as quatro unidades: Santa Marta; Cidade

de Deus; Jardim Batam e Chapéu

Mangueira e Babilônia.

A reportagem em destaque é

“UPP dá uma força para a Rio 2016”, que anuncia a presença da capitão Pricilla Oliveira Aze- vedo, comandante da UPP do Santa Marta, em Copenhague,

na Dinamarca,no dia anúncio da

sede da Olimpíada de 2016. A

capitão Pricilla vai viajar a Convi-

te do Comitê Olímpico Brasileiro

(COB).

Retrocesso

Artigo da nova lei do estupro beneficia estupradores

E m vigor há um mês, a nova lei do estupro (número 12.015) foi recebida sob aplausos genera-

lizados. Festejaram-se sobretu-

do dois pontos:

1. Aumento em até 50% das penas nos

casos graves –quando o estupro é segui-

do de lesão corporal, morte, gravidez ou transmissão de doença à vítima.

2. Aprimoramento da legislação no que

diz respeito aos crimes sexuais pratica-

dos contra crianças e adolesentes.

Há na nova lei, porém, um defeito que

passou despercebido. Foi identificado por Artur Gueiros, procurador Regional da República, lotado no Rio de Janeiro. Em representação encaminhada ao procurador-geral da República, Rober- to Gurgel, Gueiros refere-se ao defeito como “grave equívoco do legislador”.

O “equívoco” foi introduzido, segundo ele, no artigo 225 do Código Penal, cuja redação foi modificada pela nova lei. Antes, os casos mais graves de estupro eram considerados “crimes de ação pe- nal pública incondicionada”. Siginifica dizer que, uma vez identifi- cado o criminoso, o Ministério Público

podia processá-lo independentemente de manifestação da vítima. Com a nova redação, esse tipo de de- lito passou a ser definido como crime de “ação pública condicionada à repre- sentação”. Ou seja, o Ministério Público só pode levar o criminoso às barras dos tribu- nais se houver uma representação da

vítima ou de pessoa responsável por ela.

A nova lei dispensou a representação

apenas nos casos em que a vítima for menor de 18 anos ou for considerada “pessoa vulnerável”.

A novidade pode resultar na impunida-

de dos acusados de “estupro qualifica- do” –os mais graves— cujos processos estão pendentes de julgamento. Por quê? Quando uma nova lei introduz no ordenamento jurídico regras que so- correm os acusados, o benefício retroa- ge no tempo, em benefício do réu.

No caso específico da lei do estupro, a continuidade dos processos já abertos passou a depender da anuência da víti- ma ou de seu representante.

O direito à “representação” é regido

pelo artigo 103 do Código Penal. Dá à vítima prazo de seis meses para reque-

rer a ação, a contar da data da identifi- cação do criminoso. Perdido esse prazo, o crime é alcança- do pela “decadência”, extinguindo-se a possibilidade de abertura de processo

e consequente punição.

Para os estupradores que aguardam julgamento, o prazo de decadência será contado a partir do dia em que passou

a vigorar a nova lei do estupro.

Foi publicada em 10 de agosto de 2009. Contando-se os seis meses previstos no Código Penal, a decadência se dará em 10 de fevereiro de 2010.

A prevalecer o entendimento de Guei-

ros, para evitar a impunidade, o Minis-

tério Público teria de localizar as víti- mas e instá-las, uma a uma, a protoco- lar representações.

É algo que o procurador Gueiros consi-

dera “impraticável”. Por isso ecaminhou

a representação ao procurador-geral da República. No texto, pede que o Ministério Pú- blico protocole no STF, “em caráter de urgência”, uma ADI (Ação Direta de In- constitucionalidade) contra a nova lei. Invoca o artigo 1º da Constituição, que inclui entre os fundamentos da Repú- blica Federativa do Brasil o respeito à “dignidade da pessoa humana”. Gueiros escreve que, ao exigir “a for- malização de representação para a propositura de ação penal” a nova lei “beneficiou os acusados da prática de estupro (e atentado violento ao pudor) qualificados pelas lesões graves [ Acrescenta: “Ao beneficiar o sujeito ativo do delito, prejudicou, em sentido inverso, o bem jurídico dignidade da pessoa humana, titularizado pelo sujei- to passivo do delito sexual, garantido pela Constituição Federal [ A representação de Gueiros foi à mesa da subprocurador-geral da República Déborah Duprat. É ela quem vai decidir se cabe recurso ao STF contra a nova lei. Gueiros esteve com Déborah, em Bra- sília. Explicou a ela suas apreensões. Recolheu da audiência a impressão de que o recurso ao Supremo será formu- lado. Dispersos pelo país, os estupradores que aguardam julgamento não foram contabilizados. Sabe-se, porém, que são contados às centenas. Daí o pedido de Gueiros para que a Procuradoria aja “em caráter de urgên- cia”, sob pena de prevalecer a impuni- dade em massa.

cia”, sob pena de prevalecer a impuni- dade em massa. Por Email ELEIÇÃO CBPM já vive

Por Email

ELEIÇÃO

CBPM já vive clima de sucessão

Diversos candidatos já se apre- sentam para disputar as elei- ções da presidência da Caixa Beneficente da Polícia Militar que acontecerá em janeiro de 2010. O clima de campanha ja toma conta dos bastidores da entidades, onde candidatos oposicionistas apontam falhas ou desvios de conduta da atual administração sem conseguir comprovação. O atual presi- dente Jorge Lobão analisa com tranquilidade e disse que ainda não decidiu se sairá candidato

à reeleição. “ Estou exercendo

meu mandato e ainda acho cedo para tomar qualquer de-

cisão “ declarou Lobão

PROCON ONLINE

+FÁCIL

Novo Portal para reclamar

Secretaria Estadual de Defe- sa do Consumidor RJ Através do PROCON ON LINE.

a Secretaria Estadual de

Defesa do Consumidor e do Rio de Janeiro está amplian- do a rede de atendimento dp PROCON levando-o para

mais perto de você. Nesses pontos você tira suas dúvi- das, faz reclamações e inicia processos. http://www.consumidor.

rj.gov.br/procononline_1.asp

Delegadas de Polícia participam no 1º Encontro de Mulheres

O 1º Encontro de Mulheres de

Campo Grande “Mulheres Fa- zem a Diferença” foi realizado no auditório do Centro Univer- sitário Moacir Sreder Bastos, em

Campo Grande, Zona Oeste. O encontro idealizado e organiza- do pela Tenente Coronel da PM, Ana Cláudia Siciliano, coman- dante do Regimento de Polícia Montada Eny Cony dos Santos- RPMONT. Entre os presentes estavam re-

presentantes de diversos seg- mentos da Zona Oeste, como professoras, policiais militares e Civis, bombeiros militares, guar- das municipais, entre outros.

A mesa solene foi composta com

a Tenente Cel Siciliano, o Juiz

Titular do 2º Juizado da Violên- cia Doméstica e Familiar conta

a Mulher, Sandro Espíndola, a

Tenente Cel PM Bonfadini, co-

mandante do 13º BPM, as dele- gadas de Polícia Marta Mesquita Rocha, diretora Divisão de Polí- cia de Atendimento à mulher, DPAM, Catarina Elisabete Noble Santos, titular da Delegacia de

Atendimento à Pessoa da Ter- ceira Idade, DEAPTI , a profes- sora Rojane Calilfe, secretária de Educação do Município de Nova Iguaçu, a Major BM Ana Ciarli- ne, Diretora da UPA II de Campo Grande.

A delegada Marta Rocha abriu o

encontro com palestra sobre a violência contra a mulher, enfati- zando à importância da Lei Maria da Penha. A delegada ressaltou

que “a violência contra a mu-

lher, um crime contra a mulher e contra os direitos humanos, não atingi somente a mulher, e sim,

a toda sociedade”. A delegada fi-

nalizou a palestra com a seguin-

A delegada fi- nalizou a palestra com a seguin- te mensagem: “ Denuncie, pois a dor

te mensagem: “ Denuncie, pois

a dor é inevitável, o sofrimento

não, o medo gera a violência, o silêncio a impunidade!”.

A delegada Catarina Noble, fez

breves considerações sobre o

Estatuto do Idoso, mostrando ser a DEAPTI de grande impor-

tância, posto que a violência na

3ª idade é um problema que atingi grande parte de nossos idosos, necessitando os mesmos

de atendimento humano perso- nalizado e pessoal capacitado para atende-los. “concluiu a de- legada.

IMPRESSO

FOX

Edição Ano 0 Nº 01. O Jornal Fox é órgão oficial de divulgação do Clube de Cabos e Soldados da PM, editado e publicado pela Panorama Comunicação

Fundador: Carmelos Ferreira da Silva

Editor Chefe: Rogério Sant’ana Diretora Comercial: Jânia Bizarelli Fotografia: karen Luchesi Projeto Gráfico e Diagramação:

Genaro Braga Tel: 7833-3640

genarobraga@gmail.com

Tiragem: 20 mil exemplares

7833-3640 genarobraga@gmail.com Tiragem: 20 mil exemplares O Jornal FOX é produzido pela Panorama Comunicação da

O Jornal FOX é produzido pela Panorama Comunicação da Baixada LTDA

Redação / Comercial - Telefax- 2696-8522

Rua Pedro I, nº 16, Praça Tiradentes - Centro - Rio de Janeiro

Os nossos colaboradores não possuem obrigações de horário ou continuidade, não mantendo nenhum vínculo empregatício com esse Jornal FOX, em consonância com a Lei de Imprensa 5250/67. Os conceitos emitidos pelos colunistas e matérias assinadas são de inteira responsabilidade dos mesmos.

ACONTECEU

A ex-prefeita de Rio Bonito, Maria Luiza da Conceição Cid Loureiro, foi presa , por policiais da Delegacia de Repressão aos Crimes Contra Saú- de Pública (DRCCSP). Ela é adminis- tradora de um hospital psiquiátrico, localizado na Rodovia BR-101, e foi autuada por maus tratos e crimes contra a saúde pública. De acordo com o titular da espe- cializada, Fábio Cardoso, os pa- cientes da clínica estavam sendo maltratados, alguns dormindo em camas de madeira sem colchão e as mínimas condições higiênicas.

Ainda segundo o delegado, a co-

zinha do local foi interditada pela Vigilância Sanitária, por estar em péssima condição de uso, além de abrigar pássaros em seu interior.

A farmacêutica do hospital, Alda

Benevides Guimarães.No local fo- ram encontradas 500 unidades de medicamentos vencidos.

O delegado disse ainda, que a clíni-

ca, que abriga 450 pacientes, está impedida de receber pacientes. Ele ressaltou que, se o hospital não cumprir a ordem judicial, pode ser

advertido, multado ou fechado

DESAPARECIDO CARLOSANDERSONMORAESSILVA Filho de Carlos Luiz Soares Silva e Andreia Maciel Moraes, o adolescente nasceu

DESAPARECIDO

CARLOSANDERSONMORAESSILVA

Filho de Carlos Luiz Soares Silva e Andreia Maciel Moraes, o adolescente nasceu no dia 7 de maio de 1993 e desapareceu no último dia 1 de setembro, no bairro Jardim Metrópole, no município de São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Quem tiver informação entrar em contato com a FIA.

Quem tiver informação entrar em contato com a FIA. Tel: (21) 2299-1470 - 2579-2154 Endereço eletrônico:

Tel: (21) 2299-1470 - 2579-2154 Endereço eletrônico:

procurominhafamilia@fia.rj.gov.br

Opinião

EDIToRIaL

Bananas, abacaxis e pepinos

 

E nquanto o Bra- sil e o mundo acompanhavam, aturdidos, aquela

confusão bananeira em Honduras, com o presi- dente deposto Manuel Zelaya e seu chapelão

refestelados nos sofás da embaixada brasileira, por aqui também se produ- ziam bananas, abacaxis e pepinos. Precisando voltar à tona,

o

presidente do Senado,

José Sarney, anunciou triunfante o fim de 500 vagas na Casa, para eco- nomizar uns caraminguás depois da onda de escân- dalos, viagens, empre-

guismo, atos secretos.

Só que

como logo se

descobriu, esses cargos não estavam preen- chidos. Portanto, ele mandou acabar o que simplesmente não exis- tia. Economia zero. Ma- rketing negativo. Ao mesmo tempo, Sar- ney e o presidente da Câmara, Michel Temer, promulgaram a tal “PEC

dos Vereadores”, criando

7.709

vagas nas Câmara

Municipais e elevando o

número de vereadores a quase 60.000 no país. E com esse ânimo da po- pulação em relação aos políticos!

Só que

o Supremo

Tribunal Federal foi logo avisando que as vagas não são para já, só para

2012.

E a OAB (Ordem

dos Advogados do Brasil) engrenou segunda, avi- sando a quem interessar possa que, se alguma Câmara Municipal ten- tar empossar algum vereador, vai entrar com recurso no Supremo para acabar com a festa. Tudo somado, o Senado

tinha vagas sem funcio- nários, e as Câmaras Mu- nicipais têm vereadores potenciais sem vagas. Num caso, sobram vagas. No outro, sobram can-

didatos. As contas não fecham. Aliás, as contas nunca estão fechando.

E

a gente ainda diz que

Honduras é que é Repú- blica de Bananas

PARTICIPE

Você pode enviar as suas críticas e sugestões através do e-mail clubedecabosesoldados@gmail. com ou pelo endereço Rua Pedro I, nº 16 Praça Tiradentes - Centro.

SALÁRIO MÍNIMO

NACIONAL:

R$ 465,00

REGIONAL:

R$ 512,67

TELEFONES ÚTEIS

Hospital São Lucas

Travessa Frederico Pamplona

252-5552

delegacia da mulher

3399-3690

delegacia do turista

2511-5112

Policia militar

190

delegacia Policial 13ª

2247-0359

Prefeitura do rio

2503-3000

ProCon

2224-4916

Centro de Informação turística

Av. Princesa Isabel, 183 Tel: 2542-8080 / 2542-8004 Fax: 2542-0694

Ciro Gomes independente Inteligente, o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) encontrou espaço para sua provável
Ciro Gomes independente
Inteligente, o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) encontrou espaço para sua provável candidatura ao
Palácio do Planalto em 2010. Não será um oposicionista ferrenho. Tampouco se comportará como um
defensor do governo. Esse papel será unicamente exercido pela ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff,
virtual candidata do PT à Presidência. Ciro conquistou de forma legítima o direito de criticar o presidente
Luiz Inácio Lula da Silva, o governo federal e o Partido dos Trabalhadores.
Polícia
01de oUtUbro a 01 de novembro - Página 03

Lei sancionada por Brizola em 1991 determina carga horária de 40 horas semanais para o PM

1991 determina carga horária de 40 horas semanais para o PM O Presidente do Clube de

O Presidente do Clube de Cabos e Soldados Jorge Lobão pretende ingressar na justiça para garantir o pagamento

DIREITO

LobãoExIgEpagamEnTo DE hoRas-ExTRas a ToDos os poLICIaIs mILITaREs

O Presidente do Clube de Cabos e Soldados da Policia Militar Jorge Lobão está estudando

a adoção de medidas judiciais que

visam obrigar o estado realizar o pagamento de horas-extras aos PMs que tem extrapolado a carga horária 40 horas semanais, deter- minados na lei 1900/91, sancio- nada pelo então governador Leonel Brizola , que dá nova redação aos

dispositivos da lei 443/81(Estatuto dos Policiais Militares). Lobão relata que os Pms tem rece- bido cargas excessivas de trabalho sem que o estado reconheça o devido direito estabelecido em lei de pagar remuneração extra, no mínimo em 50% do valor normal.

O Presidente do Clube de Cabos e

Soldados orienta que cada policial pode requerer na justiça o seu pag- amento de horas adicionais e terá seu direito assegurado. Entretan- to Lobão estuda uma medida de

caráter coletivo que possa obrigar o estado a pagar imediatamente toda hora-extra da corporação.

A segurança pública vem sendo alvo

de grande atenção nos últimos tem- pos, em especial na cidade do Rio de Janeiro. A polícia militar deste estado, a PMERJ, está presente no imaginário popular fluminense como sendo “uma polícia corrupta, envolvida com o crime organizado

e despreparada para lidar com a

situação caótica atual”. Entretanto, pouco se fala das condições físicas

e psicológicas destes policiais ao

estarem lidando com situações de

trabalho que os colocam em perigo.

É cada vez mais freqüente, especial-

mente no Rio de Janeiro, notícias de atos violentos cometidos contra policiais militares, colocando-os

em uma situação paradoxal, a de combater a violência sendo uma

das principais vítimas da mesma.

A carga excessiva de trabalho, a

cobrança dos superiores, a falta de armamentos, de equipamentos de segurança e de treinamento colo- cam o policial em uma situação de tensão constante. Apesar da legislação determinar uma carga horária semanal de 40 horas, as escalas revelam que os policiais chegam a trabalhar mais

de 55 horas, afastados do convívio

familiar, submetidos a situação de perigo e desgaste e sem receber o valor devido Lobão lembra ainda que no ínicio deste ano a ALERJ aprovou uma indicação legislativa para o Poder

Executivo que autoriza o Governo do Estado a pagar horas extras ao policial militar que extrapolar as 40

horas semanais .A iniciativa é de autoria do deputado Paulo Ramos, e a proposta é que seja adotado o plantão de 24 horas trabalhadas por 72 de folga, tal qual ocorre

com os policiais civis fluminenses.

Os chamados “extras” então teri-

am que ser remunerados na forma

da lei .

Mas o Presidente da do Clube de Cabos e Soldados da PM adverte que primeiramente, uma indicação legislativa soa como uma sugestão para o governador, o que, por si

só, já nos deixa sem a menor pe- spectiva de que o mesmo elabore a respectiva lei e envie de volta à

ALERJ. O mais importante e que a legislação já existe, e que na ver- dade é preciso garantir a sua apli-

cação, através de cobrança direta ao poder executivo, ou acionando a justiça para resguardar o seu cum- primento

Lutando pelas 40 horas semanais

Policial Militar tem o direito de cobrar o pagamento de horas-extras

LEI Nº 1900, DE 29 DE NOVEMBRO DE 1991.

REVOGA A LEI Nº 1633 , 29/03/90, DÁ NOVA REDAÇÃO A DISPOSITIVOS DA LEI Nº 443, DE 1º/07/81 (ESTATUTO DOS POLICIAIS MILITARES) E AO ART. 31 DO DECRETO-LEI Nº 216, DE 18/07/75 (DISPÕE SOBRE AS PROMOÇÕES DE OFICIAIS DA PMERJ) E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO,

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º - Fica revogada a Lei nº 1633 Lei nº 443, de 1º de julho de 1981.

Art. 2º - Os Policiais-Militares transferidos ou aguardando transferência para a reserva remunerada, compulsoriamente, em

decorrência da Lei nº 1633

de 90 (noventa) dias, a partir da data de vigência desta lei, requerer a reversão ao serviço ativo ou a permanência na atividade.

§ 1º - Os Policiais-Militares, que forem beneficiados com o disposto no caput deste artigo, ficarão na condição de não numerados nos respectivos quadros, com todas as prerrogativas inerentes a seus postos ou graduações.

§ 2º - Aos atingidos pelas leis mencionadas no caput deste artigo ficam assegurados os direitos adquiridos e o ato jurídico perfeito advindos de seus efeitos.

Art. 3º - O artigo 48 da Lei nº 443/81 passa a vigorar com os seguintes incisos V, VI e VII:

“Art. 48 -

V - Jornada de 6 (seis) horas para o trabalho em turnos ininterruptos de revezamento;

VI - A duração do trabalho normal não superior a 8 (oito) horas diárias e 40 (quarenta) horas semanais;

VII - A remuneração do serviço extraordinário superior, no mínimo, em cinqüenta por cento à do normal”.

Art. 4º - O artigo 57 da Lei nº 443/81 passa a vigorar com o seguinte parágrafo terceiro:

“Art. 57 -

§ 3º - O Policial Militar só não será promovido se estiver condenado por crime civil ou militar, por sentença transitada em julgado, ou se estiver sendo submetido aos Conselhos de Justificação ou de Disciplina”.

Art. 11 - Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Rio de Janeiro, 29 de novembro de 1991.

em contrário. Rio de Janeiro, 29 de novembro de 1991. , de 29 de março de

, de 29 de março de 1990, e, consequentemente, o inciso XV do art. 96 da

de 1990, e, consequentemente, o inciso XV do art. 96 da , de 29 de março

, de 29 de março de 1990, ora revogada e da Lei nº 1657, de 04 de junho de 1990, poderão, no prazo

LEONEL BRIZOLA

Governador

de 1990, poderão, no prazo LEONEL BRIZOLA Governador Um direito Adquirido O Clube de Cabos e

Um direito Adquirido

O

Clube de Cabos e Solda-

1991, quando então gover- nador Leonel Brizola ( foto) sancionou a lei que alterava o estatuto da PM. A intenção é negocioar com o governo para que na medida que o policial ultrapasse sua jornada ele seja imediatamente remunerado. Mas o Clube não descarta o in-

dos da PM tem denunciado a excessiva carga horária que

estão sendo submetidos os policiais militares. O assunto

foi

tema de debate na Assem-

bléia Legislativa do estado que

chegou aprovar um indicativo para o governador. Entretan-

to

Lobão ressalta que isto se

gresso na justiça com um man- dado de caráter coletivo

trata de direito adquirido em

Especial

Especial Página 04 - 01 de oUtUbro a 01 de novembro r$ 30 milhões por mês

Página 04 - 01 de oUtUbro a 01 de novembro

Especial Página 04 - 01 de oUtUbro a 01 de novembro r$ 30 milhões por mês

r$ 30 milhões por mês em drogas

Enquanto em morros ocupados por Unidades de Polícia Pacificadoras (UPPs) como Chapéu Mangueira, Babilônia e Dona Marta, o tráfico ainda ocorre discretamente, sem armas, nas demais favelas da Zona Sul, haveria cerca de 600 traficantes. Eles portariam mais de 200 fuzis, e faturariam, por mês, até R$ 30 milhões com a venda de drogas, segundo estimativas da Polícia Civil.

a venda de drogas, segundo estimativas da Polícia Civil. A Máfia dos pardais no Rio D

A Máfia dos pardais no Rio

D os dez aparelhos de fiscalização eletrôni- ca que mais mul- taram em dezembro

de 2008 no Rio de Janeiro, salvo os da Avenida Brasil, sete são de controle de avanço de sinal em cruzamentos da cidade. Desses sete, quatro estão instalados em aparelhos, cujos tempos de exposição da luz amarela estão inferiores ao que é recomen-

dado por especialistas e pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Um desses quatro pardais está localizado na Rua João Vicente, 1.775, no sentido Bento Ribeiro, em Marechal Hermes. O aparelho registrou 174 infrações por dia em dezembro do ano passado - 5.041 no total. Assim, ficou em segundo no ranking dos aparel- hos que mais multaram.

Campeão de reclamação

Outro equipamento que acumu- lou multas em 2008 foi o insta- lado na Rua Goiás, esquina com a Rua Guineza, no Engenho de Dentro. O aparelho foi o sétimo colocado na lista - registrou 2.749 infrações em 31 dias. São quase 89 multas emitidas por dia. Os outros dois pardais do rank- ing com intervalos insuficientes

de exposição do sinal de alerta também ficam na Zona Norte. Estão localizados nas ruas João Vicente, também próximo ao número 1.775, agora no sentido Deodoro, com 163 por dia (ter- ceiro do ranking); e Bento Car- doso, próximo ao número 835, em Brás de Pina, com 134 por dia (quarto do ranking).

835, em Brás de Pina, com 134 por dia (quarto do ranking). goLpE Do sInaL amaRELo

goLpE Do sInaL amaRELo

Cesar Maia pode depor emCPI

ranking). goLpE Do sInaL amaRELo Cesar Maia pode depor emCPI O ex-prefeito Cesar Maia poderá ser

O ex-prefeito Cesar Maia poderá

ser chamado para prestar esclare- cimentos na Comissão Parlamentar

de Inquérito (CPI) que vai apurar ir-

regularidades nos sistema de fiscal- ização eletrônica nos sinais do Rio.

O esquema pelo qual motoristas

estão sendo lesados, devido aos

tempos de exposição de luz amarela insuficientes, ganhou força em gov- ernos anteriores, mas se mantém

na atual gestão, quatro meses após seu início.

Prefeitura do Rio dá informação errada sobre o tempo do sinal amarelo

Dez dias antes da imprensa de- nunciar que 62 sinais de trânsito controlados por pardais estão com tempos de exposição de luz ama- rela insuficientes, a Companhia de Engenharia de Tráfego do Rio (CET- Rio) informou, em 27 de março, que aplica os mesmos intervalos utiliza-

dos nos cruzamentos de São Paulo.

Na prática, entretanto, não é isso que acontece

A informação incorreta passada

pela Prefeitura do Rio é desmentida pela própria CET-SP, que cuida do

trânsito no município de São Paulo. Segundo a companhia paulista, lá, todas as vias com velocidade máxi-

ma de 60 Km/h concedem 4 segun-

dos de exposição de luz amarela, por uma questão de segurança. Em ruas e avenidas com 80 Km/h, por exemplo, utiliza-se, lá, 5 segundos. Enquanto isso, o motorista tem nas vias cariocas mais rápidas apenas 4 segundos, em média. Na prática, um segundo pode estar fa- zendo toda a diferença nos bolsos de cariocas e de paulistas. Ontem, o EX- TRA mostrou que, apesar de ter mais pardais de avanço de sinal do que aqui, São Paulo registrou 45% menos infra- ções desse tipo do que o Rio em 2008.

Especialistas:

Maissegurança

Enquanto a Prefeitura de São Paulo cita a segurança como

rios de pico (maior fluxo de car- ros), haverá realmente aumento

existe hoje. Para fazer o cálculo,

um dos ganhos de se ter tempo

nos engarrafamentos, mas esse

de

exposição do sinal amarelo

acréscimo será pequeno, da or-

maior, o secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão, alega que, em algumas vias, um segundo a mais de alerta, para

dem de 1% em relação ao que já

Manso se baseia nos tempos médios de ciclos nos sinais do

os

motoristas nos cruzamentos

Rio (tempos de verde, amarelo

da

cidade, pode aumentar os

e vermelho somados).

congestionamentos no Rio.

- O aumento em um segundo

no tempo de duração do sinal

amarelo vai representar um acréscimo muito pequeno no congestionamento. Em contra- partida, aumenta-se em muito a segurança. O motorista terá mais tempo de reação para

decidir o que fazer (se freia ou avança)-disseJoséEugênioLeal, engenheiro de Transportes da

Pontifícia Universidade Católica (PUC-RJ).

O engenheiro de Transportes

Giovani Manso é da mesma opinião. Segundo ele, nos horá-

- Ou seja, fica claro que o au-

mento em um segundo no tempo de amarelo será com- pensado pela segurança propor-

cionada ao motorista, fora, é cla- ro, que o sistema de fiscalização eletrônica vai ficar mais justo

- disse Manso, acrescentando:

- O congestionamento nas ruas

já aumenta, a cada ano, 5%, por causa do crescimento de vol- ume de carros. - Um sinal com tempo ideal de amarelo aumenta a segurança

do motorista - disse o engen-

heiro Luiz Vilanova, que estuda

o tema há 20 anos.

Contran vai discutir o golpe do sinal

O Conselho Nacional de Trânsito

(Contran) — órgão máximo que

cria normas de trânsito no país — já tem data marcada para discutir

as denúncias da série de reporta-

gens “ O golpe do sinal amarelo”, que vem prejudicando motoristas nas ruas do Rio. Nos dias 7 e 8 de maio, o assunto será debatido, em Brasília, por membros do conselho numa câmara temática. Con- forme o EXTRA denunciou no dia 5 deste mês, o golpe consiste em conceder tempos insuficientes de exposição de luz amarela em 62

sinais de trânsito da cidade contro- lados por aparelhos de fiscalização eletrônica.

O encontro contará com a pre-

sença de técnicos da Prefeitura

do Rio. Entre eles, a presidente

da Companhia de Engenharia de

Tráfego do Rio (CET-Rio), Cláudia Secin. Segundo o presidente do Contran, Alfredo Peres, depois que as denúncias do EXTRA foram publicadas, Secin o procurou para prestar explicações técnicas. Ficou acertado que ela iria à reunião do Contran em maio.

Detran do Rio de Janeiro viola direito de propriedade do cidadão

O

Governo do Estado do Rio

estado para aumentar a arrec-

e

impotência, sem contar a

despesa, impossível será supor-

ros são os direitos ignorados e

sua modalidade, ou seja, se

garantias constitucionais viola-

considerando que o Rio de Janei-

de

Janeiro decidiu implantar o

adação e como tem sido con-

tar quando acrescida da multa

violados com essa prática: o da

bem móvel ou imóvel. Proprie-

das. Certo, que a violação dess-

que definem como choque de ordem nas grandes cidades do Estado e no Interior, fazendo verdadeiras barreiras para pa- rar veículos com IPVA atrasado, sem licenciamento anual e ir- regulares. As apreensões se

duzido pode ter por trás outros intererres. A ação de apreensão e reboque de um veículo automotor, de uma propriedade móvel; gera uma sensação de humilhação

e da diária do depósito. Cabe salientar, que tal dívida deverá ser quitada à vista, ou seja, pag- amento único, sem qualquer parcelamento. O veículo uma vez confiscado, o proprietário

propriedade, o do contraditório e o da ampla defesa. O direito de propriedade encontra-se, al- icerçado na Constituição, justa- mente no título que aborda os Direitos e Garantias Funda- mentais, com isso, acreditamos

dade é propriedade! O Estado não pode sequer defender-se aduzindo as limitações da pro- priedade, sua função social, pois essa; não se confunde com as limitações da propriedade, que garante o pleno exercício

es princípios é mais grave que o desrespeito a uma norma A pergunta que fica é a seguinte:

ro é o Estado que detém o IPVA mais caro do Brasil, sabendo-se que muitos não podem nem

multiplicam e o Detran chega anunciar que apenas ano foram

carga de estresse suportada pelo proprietário. O cidadão

encontra diversos obstáculos para a reintegração da posse. Como o acréscimo da multa e

que não existe qualquer dúvida que o regime jurídico da pro-

do direito do proprietário. Com a atual prática, o cidadão deixa

mesmo pagar por ter que gastar com a manutenção dos veículos,

mais de 2.000 veículos apreen-

que deixou de pagar, honrar

da diária, mais penoso e longo

priedade, tem seu fundamento

de ser um devedor e passa a ser

qual o Real interesse do Gover-

didos, no último feriadão foram

com a sua obrigação, não o fez

será o caminho para levantar

basilar na Lei Maior, logo é de

um criminoso, cuja propriedade

nador do Estado em manter a

422.

por descaso, e sim; por falta

o montante total, dificuldade

clareza lapidar que é um direito

é confiscada. Infelizmente, a

taxa mais alta? arrecadar mais

As operações do Detran tem

de condições financeiras Ora,

esse que torna a dívida quase

fundamental, e como tal; deve

regra contida no CTB deixou de

impostos ou tomar o veículo do

se

revelado como o mais novo

se

esse proprietário não teve

impagável, eis que todo dia;

ser respeitado, não existindo

observar e respeitar o principio

proprietário ? Sabemos que nos

instrumento do governo do

condições de arcar com essa

nova diária é acrescida. Inúme-

qualquer restrição quanto a

da propriedade, dentre outras

leilões arrecadam mais .

marina Silva visita o rio e fala como candidata A Senadora Marina Silva participou de
marina Silva visita o rio e fala como candidata
A Senadora Marina Silva participou de caminhada na orla carioca em defesa do
climaMarcha teve como objetivo alertar sobre emissões de carbono.A senadora disse
se sentir honrada em ser a pré-candidata prioritária do PV: “Estou tendo um
acolhimento muito grande da ideia do PV em ter uma candidatura própria e em ter me
colocado como pré-candidata”.
Cidade
01 de oUtUbro a 01 de Setembro - Página 05

Um PM gerenciando o Estado

Presidente do Clube de Cabos e soldados e convidado para disputar a sucessão de Cabral em 2010

O Presidente da Caixa Be- neficente e do Clube de Cabos o Soldados da PM , Jorge Lobão tem

sido sondado por diversos partidos políticos para disputar a sucessão do governador Sérgio Cabral no ano de 2010. Apesar de ainda não ter tomado uma decisão a respeito dos convites, Lobão conversa com a equipe de reportagem do jornal FOX

e faz uma análise da situação do Rio

de Janeiro e fala de temas polêmicos

e importantes para toda população

. Sempre direto e incisivo Lobão condena a política de Segurança do atual governo que privilegia o confronto, em detrimento de ações de inteligência.Exige a reposição de

perda salarial da PM , que já chega a 70% e de todos os servidores como

a verdadeira política de valorização ;

e por fim acha que o estado não pre- cisa de mais um governante preo- cupado com composições políticas e arranjos administrativo e sim de um administrado capaz de gerenciar

e aplicar com correção os recursos públicos . Conheça um pouco das idéias de Lobão.

Fox – Seu nome tem surgido no meio político como uma alternativa para disputa suc- essória de 2010, o que o sr. atribui esta lembrança?

Lobão – A população esta cansada dos políticos tradicion- ais que aparecem de quatro em quatro anos com um discurso bonito e com soluções mági- cas para os problemas. Eles recebem o voto e assumem os governos contrariando ou mesmo desprezando tudo aq- uilo que foi dito e prometido durante as campanhas. Minha trajetória como dirigente de uma instituição centenária como a Caixa Beneficente ou mesmo a frente das lutas en- campadas pelo Clube de Cabos

e Soldados demonstram a nos-

sa disposição e determinação

e nossa correção na aplicação

dos recursos dos associados . Firmeza, determinação e clar-

eza são nossas marcas.

Fox – Mas o que o Senhor pen- sa desta proposta ?

Lobão – O Rio de Janeiro vive uma situação de abandono. Não existe projetos substanci- ais que modifiquem de fato a vida da população . A violência aumenta a cada dia e povo se tornou refém do medo. En- frentar tudo isso é um grande desafio , mas realmente ainda não sei se é o momento

Fox – O Senhor se tornou con- hecido mundialmente por oferecer uma recompensa que levasse a prisão de assassinos de PMs , afixando cartaz com sua foto em ônibus e disponibi- lizando seu celular. È tudo uma jogada de marketing?

Lobão – Iniciei esta trabalho quando recebi a mãe de um PM desesperada , pois seu filho estava desaparecido e

a instituição estava prestes a coloca-lo como desertor.

A idéia naquele momento foi

mobilizar a sociedade para encontrar o corpo dquele poli- cial, que todos sabiam que tin- ha sido assassinado por trafi- cantes e abreviar o sofrimento

daquela família . Este caso in- clusive foi totalmente solucio- nado . As buscas não levaram ao corpo , mas acabaram por desbaratar toda quadrilha . A mãe esteve frente –a –frente com os algozes de seu filho e

a morte foi reconhecida na

justiça e todos direitos para a viúva e filha foram assegura-

dos

e todos direitos para a viúva e filha foram assegura - dos Fox – Sim, apartir

Fox – Sim, apartir daí e que vieram os cartazes e a fama?

Lobão – Em dez anos mais de 1500 policiais militares foram mortos no Rio de Janeiro, o que repre- senta uma media de 150 Pms por ano e cerca de 13 a cada mês. De acordo com a Polícia Militar, 1.247 policiais do Estado morreram fora de serviço entre 1999 e abril deste ano, enquanto 311 morreram no trabalho no mesmo período. Os números revelam o risco do exercício da profissão de Policial Militar no Rio de Janeiro. Levando em conta estes dados que tive acesso naquela época, analisando

o resultado da mobilização no caso

do soldado desaparecido e diante da rotina que se tornava cada vez

mas freqüente de participar de

enterros de colegas assassinados , resolvi manter e ampliar esta mo- bilização popular. A recompensa

é nada mais do que uma resposta

para a morosidade nas investi- gações. Durante esta campanha contamos com a solidariedade e

parceria do cidadão e muitos casos foram elucidados.

Sabe que através destas informa- ções , além de prender assassinos de PMs, desvendamos assaltos, seqüestros e até descobrimos e conseguimos evitar a execução de um plano para matar uma juíza , uma promotora de justiça e um

delegado

A campanha teve os cartazes e o

telefone para marcar a seriedade

e o compromisso. O cidadão pre-

cisava saber quem estava a frente daquela iniciativa e por isso vem

dando certo .

Fox – Mas também tem o assisten-

de Cestas

cialismo: Distribuição

Básicas e doações de casas? Lobão – A Cesta básica é uma ten-

tativa de amenizar as dificuldades

enfrentadaspelospoliciaismilitares

e seus familiares, cujos benefícios estão em atraso em virtude da inadimplência do Estado. A Caixa Beneficente aguarda há 15 anos a liberação de uma verba de R$ 6 milhões , indevidamente retida pelo o estado. Já recebe- mos decisões favoráveis em todas instancias da justiça , mas conta- mos com a má vontade do poder público. Este dinheiro é para pagar

benefícios e pertence ao policial militar e sua família. Realmente

distribuímos cestas básicas e isso é

o mínimo ao nosso alcance.

Quanto a doação das casas , em

primeiro lugar sempre chamamos

a atenção das autoridades para

a situação de moradia dos PMs.

Defendemos a adoção de uma política habitacional séria , para

que o policial militar, o bombeiro e

o servidor em geral possa adquirir

sua casa própria e fugir do aluguel. A Caixa Beneficente mantinha dois conjuntos habitacionais, em Itaboraí e Duque de Caxias . O que fizemos foi entregar o título de pro- priedade as famílias que já residiam por muitos anos por ali. Apartir de então todos passam ter a sua casa própria e a gestão do condomínio passa ser responsabilidade dos moradores. A casa pertence ao

policial e sua família e não pode ser

negociada.

Fox – Mas vamos falar de outros temas. E a política de Segurança

Lobão – O conflito só aumenta a sensação de insegurança . Sou de- fensor de políticas de segurança enérgica, porém planejada.

Defendi o fim do uso do fuzil e de armamento pesado . A aborda- gem nas comunidades precisa ser precisa e direta . Sou favorável a adoção de medidas que repreendam a ação de grupos nas ruas. Uma delas é a reedição

da lei da vadiagem , que impediria

o transitar de grupos de desocupa-

dos pelas ruas da cidade. Acho que o crescimento das milí- cias aconteceu por fragilidade e até uma certa “concessão” do Estado. Entretanto acho que a única forma de devolver a paz e segurança nas comunidades é o governo fazer uma verdadeira intervenção social. Que tem que ser permanente.

Fox - E como sería esta interven- ção permanente.

Lobão – Implantação de cursos

profissionalizantes e oficinas de trabalho. O jovem precisa ser treinado, aprender uma profissão

e ter a oportunidade de trabalhar

e ganhar a partir de sua atividade profissional. O governo pode le- vando em conta a vocação regional

e o perfil de cada comunidade

implantar serviços de capacitação profissional e abrir postos de tra- balho. O Esporte como opção profis-

sional e a cultura também devem fazer parte deste esforço. Quando ouvimos falar de intervenção nas comunidades , o que acontece e apenas a adoção de alguns servi- ços por um período de tempo de-

terminado;

Fox- O Senhor fala muito em valo- rização do servidor, como ??

Lobão – Eu não, quem fala são eles,

ou seja os políticos . O que digo que

a verdadeira valorização do servi-

dor passa por oferecer condições dignas de salário e trabalho; Como Policial Militar eu afirmo que se fosse governador , meu primeiro ato em janeiro de 2011 seria conceder a reposição de per- das salariais , que já chega para a

PM em 70%.

O mesmo se aplicaria a todas as ca

tegorias profissionais. E aí você vai perguntar como estado vai pagar?

E eu respondo com a arrecadação,

com ajuda do governo federal e com projetos que envolvessem in- clusive a iniciativa privada.

Fox – Mas isso todos os candida- tos prometem?

Lobão - Primeiro que não se trata de promessa e sim de um posicio- namento. Mas durante as cam- panhas os candidatos costumam assinar cartas compromissos que em seguida não são cumpridas.

Neste caso o compromisso deveria ser imediato após a publicação do resultado. Ou seja o governador eleito solicita aquele que está no

exercício que decrete o aumento que passa a vigorar no primeiro dia do novo mandato

Fox – E como teria dinheiro para realizar obras e tocar a máquina ( hospitais, escolas, postos)

Lobão – Esta sua pergunta é a mes- ma desculpa utilizada pelos políti- cos. Com o servidor valorizado , teríamos mais produtividade. Além disso a correta e rigorosa aplicação dos recursos fazem com que as coi- sas aconteçam. Salário tem que ser uma prioridade. Você não acha?

Fox – O que faria para aumentar

a arrecadação ?

Lobão – Com certeza não seria com

a instalação de pardais suspeitos

nos sinais de trânsito para multar a população como acontece no mu- nicípio do Rio de Janeiro. Também não será rebocando veic- ulo e jogando nos depósitos públi- cos ou mesmo leiloando como forma de obrigar o cidadão a pagar seu IPVA , fazer vistoria mesmo que ele esteja enfrentando problemas financeiros. Não será também inventando impostos para taxar a caderneta de poupança como fala o governo federal.

A arrecadação aumenta na me-

dida que a população confia na aplicação do recurso e paga em dia seus impostos. Portanto a TRANSPARÊNCIA, seria a forma de garantir o aumento da arre

cadação.

Fox – O senhor fala em pardais

e blitzes do detran. Realmente

acha que existe uma articulação para aumentar arrecadação?

Lobão – Os pardais no municí- pio do Rio virou inclusive uma CPI. o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, em entrevista a imprensa chegou a admiti a ex- istência problemas nos pardais da cidade.” Os sinais de trânsito do Rio estão uma bagunça”, diz Paes. Segundo um jornal, cerca de 62 radares estão com o tempo de exposição da luz amarela inferior ao tempo necessário. Um exem- plo é na Rua Voluntários da Pátria em vez de quatro segundos de sinal de alerta, o motorista tem que se virar com três segundos.A diferença resulta em freadas br- uscas e avanços de sinal. Com relação a ação do detran virou uma verdadeira caça . O negócio e rebocar carro , chega- ram a prender 422 durante o fe- riado. Alguma dúvida?

Fox – O senhor é autor de frases fortes, como “ Todos os pre-

catórios devem ser pagos”

Lobão – Não vejo nada de frase forte e sim uma medida necessária. A prefeitura do Rio pa- gou os precatórios e o Estado não pode continuar utilizando estas papéis como moeda “podre” para não pagar seus compromissos

Fox - Como Policial Militar o senhor fala em Greve e Eleição

do Comandante Geral , e o re- gime disciplinar ?

Lobão – O governador acaba de conceder 5% de reajuste para a PM . O soldado ganhou no seu contracheque um amento de

R$ 2,20 por dia . Já falei aqui que as perdas chega a 70%. A greve

é um instrumento legítimo para

ser utilizado por qualquer cate- goria profissional e você vem me falar em regime disciplinar. Quanto a eleição do Comandan- te Geral sempre defendi. A Poli-

cia Militar é uma Instituição que deve esta acima dos interesses políticos. Seu Comandante deve ser representar as aspirações e anseios da Corporação .

A eleição é legitima

Fox - E para terminar , vejo que

o senhor esta com as respostas

na ponta da língua. Esta se pre-

parando para a campanha?

Lobão – Eu dirijo duas insti tuições muito importante. Sou um cidadão antenado com a situação de nosso município, estado e país e por isso estarei sempre pronto para conversar sobre tema importantes e não preciso esta me preparando para uma campanha eleitoral.

PeC pode equipar salários de Pms e bombeiros em todo brasil Polícia PMs e BMs
PeC pode equipar salários de Pms e bombeiros em todo brasil
Polícia
PMs e BMs do Rio de Janeiro fazem lutam pela, pela votação da Proposta Emenda Constitucional (PEC) que estipula que
a remuneração de PMs e BMs de todas as unidades da Federação não pode ser inferior ao de seus pares do Distrito
Federal. A divulgação da tramitação da PEC 300 despertou muita esperança nos policiais militares e bombeiros do
estado do Rio de Janeiro, porque aqui certamente está a pior remuneração, mesmo sendo o Rio de Janeiro a segunda
unidade da Federação em termos econômicos .
Página 06 - 01 de oUtUbro a 01 de novembro

STFquestionautilizaçãopolítica do MP e da Polícia Federal

Presidente do Clube de Cabos e Soldados Jorge Lobão já havia denunciado esta prática em diversas ocasiões

A utilização de segredo de

Justiça para pressionar

membros do Judiciário e

outros cidadãos, instru-

mento político do governo e muitas vezes operacionalizada pela policia federal, denúnciada em diversas ocasiões pelo Presidente do Clube de Cabos e Soldados da PM Jorge Lobão , é motivo de cobrança que esta sendo feita pelo Presidente do STF Ministro Gilmar Mendes ao governo Federal através do Minis- tério da Justiça. Em matéria publicada em edi-ções anteriores do jornal FOX Lobão abordou as diversas trapalhadas feitas pela Policia Federal que re- sultaram inclusive em conflito com o Judiciário . No questionamento feito agora por

Gilmar Mendes , ele cobrao gover- no sobre resultados de inquéritos abertos para apurar supostos abu- sos a partir de “vazamento sele- tivo de informações protegidas por segredo de Justiça, de forma

a propagar aleivosias e suspeitas

fabricadas”. Em ofício ao ministro da Justiça, Tarso Genro, Mendes enumera

nove ocorrências que, segundo ele, caracterizam “finalidade de acuar

e intimidar magistrados para que

não contrariassem, mas se subm- etessem aos desígnios de agentes que desonram a Polícia Federal e o

Ministério Público”.

O questionamento é extensivo ao

procurador-geral da República, Ro- berto Gurgel, chefe do Ministério Público Federal. “Diversos foram

os casos em que tal procedimento

ficou patente, revelando que havia método na aparente insensatez”, assinala o ministro. O ministro cita um caso em que

ele mesmo teria sido alvo. Seu nome teria sido divulgado pela PF, em 2007 - durante a gestão do del- egado Paulo Lacerda -, como ben- eficiário de brindes da construtora Gautama. O investigado era Gilmar de Melo Mendes, ex-secretário da Fazenda de Sergipe. “A informação foi divulgada de modo a induzir a confusão de homonímia.” Segundo Mendes, juízes que não se curvassem às pretensões dos investigadores “passavam à avalia- ção de corruptos e, na sequência, tinham seus nomes temeraria- mente vinculados a fatos inverídi- cos ou a episódios completamente desvinculados de suas vidas pes- soais ou profissionais”.

Outro lado

O Ministério da Justiça informou, por meio de sua assessoria, que

o

ministro Tarso Genro ainda não

recebeu o ofício, mas que re- sponderá aos questionamentos

do ministro “como tem sido feito sempre”.

O

ministério disse ainda que há

regras contra o vazamento de in-

formações e que a divulgação de dados sigilosos é tratada como algo irregular. A assessoria da

Política Federal disse que não co- mentará as declarações de Men- des.

A

assessoria do procurador-geral

da República informou que ele recebeu o ofício e que respond- erá ao ministro Gilmar Mendes. Sobre o fato envolvendo um homônimo de Mendes, a PGR informou que foi instaurado um inquérito para apurar o episódio.

que foi instaurado um inquérito para apurar o episódio. O Ministro Gilmar Mendes vai interpelar o

O Ministro Gilmar Mendes vai interpelar o Ministro da Justiça sobre vazamente e utilização de informações sigilosas

Lei 4848/06 pode virar realidade

 

Lobão vai recorrer ao STJ contra decisão inconstitucional

O

Presidente do Clube de Cabos

, legitima o ato da Assembléia

hecimento do posto ou gradu- ação com a devida emissão de carteira correspondente aos proventos já pagos “ A pro- moção já reconhecida , o que a lei regulamenta é a consigna- ção do registro e a emissão da carteira “ destaca . O departamento Jurídico do Clube de Cabos e Soldados já prepara o recurso que será en- caminhado ao presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Cesar Asfor Rocha

e

Soldados e da Caixa Benefi-

Legislativa, tornando a lei con-

cente da Policia Militar Jorge Lobão pretende recorrer ao STJ

stitucional. Além disso, o presi- dente do Clube de Cabos e Sol- dados lembra que de acordo com o estatuto da PM , as pro- moções não podem ser revoga-

contra a decisão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro que considerou inconstitucional

a

lei 4848/06 que determina

das e que durante o período de vigência da lei , muitos PMS

que ao passar para inatividade

,

os Policias Militares e Bom-

tiveram suas graduações recon- hecidas nos contracheques. Lobão lembra ainda que aplica- ção da lei não provoca impacto

orçamento do estado , uma

no

beiros tenham consignados em seus registros com a devida emissão de carteira o posto ou graduação , existente nas Cor-

porações, correspondente aos proventos que recebem.

vez trata apenas do recon-

A

lei de autoria do deputado

Lei 4848/06 | Lei Nº 4.848, de 25 de setembro de 2006 DISPÕE SOBRE O POSTO OU A GRADUAÇÃO CORRESPONDENTE AOS

PROVENTOS QUE RECEBEM NA INATIVIDADE OS POLICIAIS MILITARES

Coronel Jairo e sancionada pela Governadora Rosinha Ga- rotinho em 26 de Setembro de 2006, beneficia cerca de 70 mil militares e já estava em vigor

E OS BOMBEIROS MILITARES, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

A Governadora do Estado do Rio de Janeiro, Faço saber que a

Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu

sanciono a seguinte Lei:

quando teve seus efeitos can- celados por acórdão do Tribu- nal de Justiça que considerou

inconstitucionalidade da lei, por VÍCIO DE INICIATIVA, ou seja , os Desembargadores en- tenderam que o projeto apro-

vado por iniciativa da Assem- bléia Legislativa, contrariava a Constituição Estadual , que diz que esta é uma prerrogativa exclusiva da Chefia do Execu- tivo.

a

Art. 1º - Os Policiais Militares e os Bombeiros Militares, na inativi- dade, terão consignados nos seus registros o posto ou a gradu-

ação, existente nas Corporações, correspondente aos proventos que recebem. Art. 2º - Na identidade do Coronel PM e do Coronel BM que ten- ham exercido o cargo de Comandante-Geral ficará consignada a expressão “Ex-Comandante-Geral”. Art. 3º - Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. ROSINHA GAROTINHO Governadora Ficha Técnica Ficha Técnica

Projeto de Lei nº

986/2003Mensagem nº

Autoria

CORONEL JAIRO

O

Presidente Jorge Lobão anal-

Data de publicação 09/26/2006

Data Publ. partes vetadas

isa que a sanção Governadora

 

Direito

DEsaTIvaDo

Laboratório da PM que fabricava xampuserá desativado

Apesar de destacar o bom trabalho já desenvolvido pelo laboratório da PM em São Gonçalo e de lamentar que de acordo com as denúncias pu- blicadas na imprensa, aquela unidade esteja apenas fabri- cando cosméticos e que são vendidos sem nota fiscal, o presidente do Clube de Ca- bos e Soldados da PM Jorge Lobão declarou apoio a inicia- tiva que esta sendo estudada pelo Comando Geral de des-

locar os cem policiais ali lota- dos para atividades nas ruas.” Esse laboratório fazia remé- dio de boa qualidade. Tudo que for bom para o policial é interessante. Lamento muito que esteja parado. A PM de- veria realmente colocar estes homens na rua” disse Lobão. Logo após as denuncias o comandante-geral da Polícia Militar, o coronel Mário Sér- gio Duarte, disse que terá em mãos um levantamento sobre

o Laboratório Industrial de

Farmácia (LIF). Com o docu-

mento, o oficial poderá fechar a unidade caso o estudo mos-

tre

que é necessário o retorno

às

ruas de cem policiais lota-

dos no laboratório e que hoje

só acompanham a fabricação

de cosméticos da PM. — Es-

tamos levantando o custo/

de cosméticos da PM. — Es- tamos levantando o custo/ benefício dessa e de outras unidades

benefício dessa e de outras

unidades para saber se vale a pena as manterem da forma que estão. O laboratório da PM não estava esquecido. Al- gumas decisões eu posso to- mar em algumas horas, outras em dias ou meses — afirmou

o coronel Mário Sérgio. Comissão formada

Para saber o caminho a seguir,

o comandante-geral formou

uma comissão em 25 de agos-

to passado para produzir uma

espécie de diagnóstico sobre

o laboratório e sobre outros

setores que mantêm policiais na burocracia na PM. O gru- po, coordenado pelo coronel Pinheiro Neto, vai levantar

todo o histórico da unidade, como também o seu custo so-

cial e financeiro para a Polícia Militar.

A partir da reportagem o co-

ronel também pediu que a comissão apure o motivo de medicamentos e cosméticos estarem sendo vendidos sem nota fiscal, como foi cons- tatado em quatro pontos de venda em unidades da PM. Criou-se assim o “Batalhão da Beleza azul”.

— Pelo jeito isso vinha acon- tecendo há muito tempo. To- das as irregularidades serão apuradas pela comissão. A PM é uma grande prestado-

ra de serviços com “gorduras

burocráticas”. Há muitas es- truturas de poder preterindo

estruturas de serviço — disse

o comandante-geral da PM

Governador acha “absurdo”

O governador do Rio classifi-

cou, a fabricação de cosmé- ticos por policiais como uma “distorção” que será corrigida

em breve pela Polícia Militar. Sérgio Cabral afirmou que o comandante da corporação, coronel Mário Sério Duarte, está acelerando o processo de desativação do Laborató- rio Industrial Farmacêutico (LIF), em São Gonçalo.

- É um absurdo. A PM foi cria-

da para fazer policiamento ostensivo. Isso é o fim da pi- cada! Mas o comandante Má- rio Sérgio já está tomando as providências para desativar esse laboratório e fazer o que deve fazer a Polícia Militar:

(pôr) PM na rua cuidando de policiamento - disse o gover- nador.

Cartório agiliza registro de recem nascido O município de São João de Meriti, na Baixada
Cartório agiliza registro de recem nascido
O município de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, será o primeiro beneficiado pela determinação da
Corregedoria-Geral do Estado do Rio de Janeiro para que os cartórios de registro civil de nascimento instalem, no prazo de
30 dias, postos de atendimento. A decisão facilita o registro de recém-nascidos e integra o projeto Com Certidão, Sou
Cidadão. São João de Meriti fará o registro de crianças e adultos que vivem no município e não têm certidão.
Posteriormente, a campanha será estendida aos moradores de Nova Iguaçu, Duque de Caxias e Queimados.
Geral
01 DE OUTUBRO A 01 DE NOVEMBRO - Página 07

O colete que pode salvar muitas vidas

Proposta apresentada pelo Clube de Cabos e Soldados desde 2006 tramita em Brasilia e deve virar lei

P arado no sinal, o mo- torista observa, ame- drontada, a aproxima- ção de uma motocicleta

com dois homens. A tensão, pa- ra quem conhece as ruas do Rio, tem origem na seqüência assus- tadora de episódios de violência envolvendo motoqueiros e se justifica pelo alto índice de liga- ção de motos em crimes. O as- salto ao cirurgião Paulo Athayde Salaverry Lopes, de 54 anos, que foi abordado por dois homens que estavam numa moto quan- do chegava em casa em Ipane- ma, chamou a atenção para um tipo de crime que tem se tor- nando comum. O Alto índice de do uso de motocicletas por ban- didos que praticam roubos e furtos e assassinatos. Segundo o Detran, só no ano passado, a polícia tirou de circu- lação cerca de 12 mil motos ir- regulares - uma média de 33 por

dia. A Polícia Civil acredita que um terço delas - ou 4 mil motos ao longo de um ano - tenha sido utilizada em assaltos, roubos de carros, atentados, homicídios e latrocínios. As estatísticas da polícia e a per- cepção de quem combate o crime no dia-a-dia do Rio ali- mentam a discussão que levou o

governador Sérgio Cabral a ad- mitir, como medida extrema, proibir o transporte de caronas nas garupas de motocicletas. O Departamento Nacional de Trân- sito (Denatran) e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) se manifestaram contra a restrição, alegando que a medida seria in- constitucional. Entretanto medida mais enérgi- ca e de resultado comprovada- mente satisfatório vem sendo proposta desde de 2006 pelo Presidente do Clube de Cabos e Soldados da PM Jorge Lobão . Trata-se do projeto que obriga todos que dirigem motos no es- tado a usar um colete com o número da placa nas costas. Caso a proposta vire lei, o mo- tociclista que estiver sem colete estará cometendo uma falta grave e terá o veículo apreendi- do. Segundo Lobão, a medida foi adotada com sucesso em Bogo- tá, capital da Colômbia Lobão defende a medida ale- gando um aumento dos crimes praticados com o uso de motoci- cleta na cidade. O colete é feito sob medida para motociclistas, podendo ser usado por cima de ternos, mochilas ou capas de chuva. Para o autor do projeto a novidade daria maior tranqüili-

dade aos motoristas da cidade que, segundo ele, já se assustam ao perceber a aproximação de uma moto com dois homens.

Neste caso, o colete seria usado pelo carona.

- Pretendemos, com essa nova

lei, que os casos de assaltos di- minuam. Inclusive podemos ga- rantir que, com os motoqueiros identificados, o número de im- prudências no trânsito também irá cair, pois eles não vão poder esconder mais suas placas, co- mo fazem hoje de forma acinto- sa e criminosa - afirmou Lobão. ` É evidente que a grande maio-

ria dos motociclistas são pessoas de bem, que fazem uso de seu veículo para deslocamentos a trabalho ou

a lazer. Há que se estabelecer,

no entanto, medidas que difi- cultem a ação criminosa de uma minoria, en- tre eles os integrantes de facções do crime organizado. O uso de coletes identificados com a placa do

veículo, bem como a gravação dos mesmos carac- teres nos capacetes dos condu- tores e passageiros das motocicletas, é uma medida simples e de inquestionáveis re- sultados para tal fim.

Deputada Federal defende proposta de Lobão em Brasília

A proposta de Lobão já mo- biliza o Brasil , e seu projeto inicialmente enviado

A proposta de Lobão já mo-

biliza o Brasil , e seu projeto inicialmente enviado a As- sembléia Legislativa do Rio de Janeiro , já se encontra em discursao no Congresso Nacional onde tramita pro- jeto de lei de número PL-

7455/2006 da depu- tada Rose de Freitas - PMDB /ES, que propõe o colete e o capacete numerado e reflexivo. Em sua justificativa a parlamentar Capixaba, usa os mesmos argu- mentos defendidos por Lobão ` O princi- pal objetivo deste pro- jeto de lei é o de inibir as ações criminosas praticadas com o uso de motoci- cletas, ocorrência ca-

da vez mais

comum nas vias urba- nas das grandes cidades e regiões metropolitanas brasileiras. Desde assaltos a mão armada até crimes de mando, a motocicleta tem sido eficiente parceira dos meliantes para o cometi-

mento dos mais variados delitos. A insegurança da população é agravada nas situações de parada em semáforos e nas ocasiões de lentidão no tráfego, quando os margin- ais atuam tendo a seu lado o fa- tor surpresa, e depois con- seguem evadir-se com facilidade, devido à grande agilidade de seu veículo` re- lata a nobre parlamentar que cita o exemplo o assassinato do juiz da Vara de Execuções Penais, Alexandre Martins de Castro Filho, crime que foi cometido na cidade de Vila Velha e chocou todo o Brasil, foi praticado por ban- didos que utilizaram uma motocicleta para abordar a vítima, como também para empreender a fuga.

Deu certo na Colombia ,e hora de aplicar aqui Rogerio Sant’anna rsantanadasilva@gmail.com E m Bogotá,

Deu certo na Colombia ,e hora de aplicar aqui

Rogerio Sant’anna rsantanadasilva@gmail.com

E m Bogotá, na Colômbia, devido à onda de assaltos e atentados perpetrados por criminosos que se

deslocavam de moto, foi instituí- do, desde Agosto de 1997, que os motociclistas são obrigados a usar um colete refletor amarelado/ alaranjado com barras fosfores- centes e com uma inscrição tam- bém refletora da placa da moto, por forma a permitir a identifica- ção Esta medida começou por ser de

periódico, pois a sua obrigatorie- dade de utilização estava restringi- da ao período compreendido en- tre as seis da tarde e as seis da manhã, sendo a multa, para quem não cumprisse a regra, de valor ig- ual ao de cinco salários mínimos diários, correspondente nessa época. Gradualmente esta medida foi sendo adotada pelas principais ci- dades do país. Até que em 2000, em Bogotá, foi decidido que o uso do colete refletor com o número da matrícula passasse a ser de uso obrigatório durante as 24 horas do dia. Esta medida foi novamente adota-

da também por outras cidades do

país e hoje em dia, além da utiliza-

por outras cidades do país e hoje em dia, além da utiliza- ção obrigatória permanente do

ção obrigatória permanente do colete para o condutor e para o eventual passageiro, é também necessário ter a placa da moto im- pressa no capacete, também em letras refletoras. Aplicação desta medida no Brasil defendida desde 2006 pelo Presi- dente do Clube de Cabos e Solda- dos da PM Jorge Lobão com certe- za reduziria o índice de crimes praticados na cidade O uso de motos em ações crimino- sas e explicado por especialistas em segurança como uma forma de os bandidos contarem tanto

com a agilidade que o veiculo lhes da, como a dificuldade de identifi- cação . Não se pode deixar de reconhecer que a policia tem se esforçado , parando motos em blitzes e recu- perando, com operações , muitas delas que haviam sido roubadas . Mas o aumento de crime mostra que ainda e pouco

E Isso não será conseguido com

ações eventuais , como blitzes e operações em favelas. Medidas permanentes devem ser adota-

das. O uso do colete numerado com certeza e uma delas

das. O uso do colete numerado com certeza e uma delas Agilidade nas fugas faz da

Agilidade nas fugas faz da moto veiculo oficial do crime

A facilidade de "desaparecer"

após assaltos ou atentados fez das motos uma espécie de "veículo oficial" do crime no Rio. E, justamente por isso, visada pelos bandidos. Levan- tamento da Delegacia de Rou- bos e Furtos de Automóveis (DRFA) mostra que motos es- tão em quarto lugar entre os 51 mil veículos roubados no estado em 2007, atrás apenas de Uno, Palio e Gol. "As de 125 cilindradas são as preferidas pelos ladrões e grupos de extermínio. São leves, ágeis nas fugas e em vielas onde as viaturas não chegam", afirma o delegado Ronaldo Oliveira, da DRFA. De acordo com o delegado

F á b i o B a r u c ke , c r i m e s cometidos em motos dificul- tam as investigações. "O ca- pacete impede reconheci-

tam as investigações. "O ca- pacete impede reconheci- mentos", explica. Segundo ele, dos cerca de 125

mentos", explica. Segundo ele, dos cerca de 125 homicí- dios cometidos com armas

de fogo ano passado, 80% têm participação de mo- toqueiros.

Policia Militar : Profissão perigo

Em dez anos mais de 1500 polici-

ais militares foram mortos no Rio de Janeiro, o que representa uma media de 150 Pms por ano

e cerca de 13 a cada mês. De

acordo com a Polícia Militar, 1.247 policiais do Estado morre- ram fora de serviço entre 1999 e abril deste ano, enquanto 311 morreram no trabalho no mes- mo período. Os números revelam o risco do exercício da profissão de Policia Militar no Rio de Janeiro. Segun- do o Presidente do Clube de Ca- bos e Soldados da PM, alem baixos salários e das péssimas condições de trabalho da cate- goria, os agentes da lei sofrem com as constantes baixas, a

maioria delas ocorridas no período de folga, e na frente de familiares.

O alto índice também fez O

Clube de cabos e Soldados da Polícia Militar intensificar a cam- panha contra os assassinos de

policiais militares, que é realiza- da desde de setembro de 2006 R$ 2.000,00 È o valor da recompensa ofereci- da pelo clube

Após o assassinato de três polici- ais militares em dois dias no Rio de Janeiro, o Clube de Cabos e Soldados colocou mais uma vez em funcionamento o Disque Recompensa. Uma destas víti-

vez em funcionamento o Disque Recompensa. Uma destas víti- mas foi Alexandre Pires, lotado no Batalhão

mas foi Alexandre Pires, lotado no Batalhão de Bangu, ex-

resultados levaram à prisão de cinco criminosos.

ecutado por quatro homens ar- mados, em Irajá, zona norte.

A

Presidência do Clube de Cabos

e

Soldados já chegou a propor a

OClubeestáoferecendo R$ 2.000 para quem der informações que levem à prisão dos assassinos dos PMs.

criação de uma delegacia espe- cializada para apurar crimes

cometidos contra policiais, mas

proposta não foi acatada pelo governo.

a

A

campanha está sendo feita pe-

O Disque Recompensa pode ser

la

terceira vez, e visa a mobilizar

acionado através do telefone

a

opinião pública para agir em

(21) 8181-7307. O número é do próprio Presidente da entidade, Jorge Lobão

virtude da morosidade das auto- ridades. Nos anos anteriores os

destaque Carismático Edson Camejo de Aguiar diretor financeiro do Clube de Cabos e Soldados da
destaque
Carismático Edson Camejo de Aguiar diretor financeiro do
Clube de Cabos e Soldados da Polícia Militar, tem se
destacado bastante em sua função. Sua atuação na
instituição tem recebido diversos os elogios dos associados.
Especial Cidade
01 de oUtUbro a 01 de novembro - Página 05
Especial Cidade 01 de oUtUbro a 01 de novembro - Página 05 Soldado da PM vai

Soldado da PM vai receber R$ 2,20 a maispordia

Este aumento éuma vergonha e uma afronta ao PM e sua familia

Jorge Lobão

Uma vergonha, uma afronta ao policial militar e sua família e a clara demostração de falta de compromisso com a Segurança Pública e com agentes da lei é o que representa esta proposta indecorosa enviada pelo gover- nador Sérgio Cabral a Assembléia concedendo 5% de aumento sal- arial aos servidores do estado in- cluindo os Pms” . Esta foi a reação do Presidente do Clube de Cabos e Soldados da PM Jorge Lobão ao ser informado do anuncio feito pelo governador. Lobão classi- ficou a proposta como “Brinca- deira de mau gosto” e disse que Cabral deveria se envergonhar do que esta fazendo. “ Estamos desde o inicio deste governo dis- cutindo a reposição das perdas salariais, que era de 54% e hoje já calculamos que chega aos 70%.” Disse indignado De acordo com a proposta d gov-

ernador Sérgio Cabral será conce- dido aumento salarial de 5% para

os 114 mil servidores ativos, inati- vos e pensionistas dos Bombeiros

e das polícias Civil e Militar. O

reajuste será incluído a partir do contracheque de outubro, com salário pago em novembro. Para um soldado da Polícia Mili- tar, por exemplo, o reajuste sal- arial representará um aumento de R$ 2,20 por dia, o equivalente

a uma passagem de ônibus na

cidade do Rio. O Presidente do Clube de Cabos e Soldados voltou a falar de greve da Corporação. “

Não descartamos um movimento de paralisação das atividades do policial militar afim de chamar a atenção das autoridades para as condições de trabalho e salarial da corporação. Como pode um

soldado ter como reajuste salarial

o valor de R$ 2,20 por dia em seu

contracheque , temos que acabar

de R$ 2,20 por dia em seu contracheque , temos que acabar com esta brincadeira “

com esta brincadeira “ diz Lobão Apesar de já ter batido o martelo o governo teme a reação dos policiais militares, que já estão se mobilizando para conseguir obter

no mimino 10%. O medo é que o movimento da PM ganhe força,

motivado pela reação em massa dos professores, que fizeram pressão no grito. A mobilização fez o governo recuar e manter em 12% os reajustes concedidos a cada cinco anos para professores participantes do Plano de Carreira

do Magistério. A proposta inicial era diminuir o índice a 7,5%. A categoria não admitiu mudança. Os 12% foram uma das principais conquistas dos profissionais de Educação, ainda em 1990. O Comandante Geral da PM que

também esperava que o au- mento fosse de 10% chegou a pensar em renunciar o posto.

Mas tarde em um gesto concili- ador anunciou sua permanên- cia em reunião com os coman- dantes de batalhões.

A cúpula da PM está propondo

alteração no teto dos soldos,

já que os níveis mais altos não

conseguem incorporar comple- tamente o aumento. Se o gov- erno pagar os 10%, algumas carreiras perderiam pelo menos R$ 200, por exemplo. Mas, para alterar o teto, seria necessário modificar o salário do governa- dor. Essa proposta não deve ser levada adiante pelo estado, para evitar desgaste ainda maior com os demais servidores. No ano passado, os policiais militares receberam 8% de aumento. Em 2007, o índice foi de 4%.”

gratificação: Novamente, a velha fórmula

Também serão criadas, por meio de três decretos gratifi-

ros servidores terão que faz- er atualizações profissionais

rem aumento salarial. Lem- bro dos Governos recentes

celo Alencar, veio o Governo Garotinho, com a mesma ne-

aos policiais que estivessem nos Batalhões, e não fora

do BOPE.No Governo Sérgio Cabral não está sendo difer-

cações de R$ 350,00 para os

de 40 horas a cada seis me-

e

parece que mandato

cessidade de ter uma polícia

da políciaA GEAT, dividida

ente. Existem gratificações

ativos das três corporações. O valor será repassado me- diante a realização de cursos de qualificação a partir do

ses. No caso da PM, as aulas serão de 16 horas, mas só fará jus ao bônus quem já não tiver outra gratificação.

após mandato a história se repete.No Governo Mar- celo Alencar, as gratifica- ções vieram em forma de

que apresentasse ocorrên- cias para a imprensa, para lhe dar sustentação política e eleitoral.Novamente era

por graduações e postos, durou pouco tempo. Nova- mente foram criadas out- ras formas de gratificação:

para o GAM, para o BOPE, para os “Pacificadores”, para quem está na “Lei Seca”, etc, etc, etc.Na Polícia Civil tam-

pagamento de dezembro, e

Nos Bombeiros, motoristas

Promoções e/ou “aumen-

necessário que policiais se

a

premiação por redução

bém existe uma, dentre mui-

também estará no 13º sa-

de veículos operacionais,

tos

salariais” (denominados

“motivassem” com salários

de

índices de criminalidade

tas gratificações, que é por

lário, com data prevista para sair em 18 de dezembro. Na Polícia Civil, as bonifica-

guarda-vidas e trabalha- dores em remoção de cadáveres em vias públicas

pecúnia). Eram gratificações que visavam a “operaciona- lidade policial”. O policial as

baixos que, como sempre, não podiam ser aumenta- dos . Novamente a solução

(que seria paga aos efetivos completos dos Batalhões e Delegacias), a de apreensão

trabalhar em uma Delegacia Legal. Se não me engano, ela é de 500 reais. Porém, essa

ções serão pagas a todos

poderão ganhar o adicional

ganharia se apresentasse

encontrada foi a gratifica-

de

armas (que era paga ao

gratificação imediatamente

que fizerem os cursos, mas os delegados vão recebê-la automaticamente. Os out-

As gratificações parecem que são máximas eternas dos governos para não da-

“produtividade”, ou seja, se conseguisse boas ocorrên- cias.Findo o Governo Mar-

ção.Foi criada a denominada GEAT - Gratificação Especial por Atividade, que seria paga

policial ou grupo de policiais por unidade e tipo de arma apreendida) e, finalmente, a

cessa caso o policial deixe de exercer sua função, seja de licença ou doença.

O Presidente do Clube Cabos e Soldados da PM lembra o Governador Sérgio Cabral Filho, quando da campanha eleitoral afirmou diversas vezes que era mentiroso o político que dizia que o estado não tem dinheiro para dar aumento salarial aos seus servidores e tão logo assumiu seu mandato, passou a a fazer estas afirmações