Você está na página 1de 15

5

6
Dedicatória

Agradeço ao Senhor Jesus Cristo pelo privilégio de poder falar de Sua


Palavra, aos meus familiares, Tânia Regina pelo carinho, Fredson grande
irmão em Jesus, aos irmãos da Igreja Universal do Deus Vivo pelo tratamento
na minha conversão, aos irmãos da Igreja Metodista do Distrito do Rio de
Janeiro, aos pastores Celso, Edmilson, Mônica e esposo e Vantuil; aos
professores do CETERJ, todos os músicos que querem ser verdadeiros
adoradores do Senhor e a todos os irmãos que oram por esse ministério. Que
Deus abençoe todos vocês.

Antonio José Tolissano


São Gonçalo, 13 de fevereiro de 2007.

7
Introdução

Nessa pequena introdução gostaria de esclarecer algumas coisas. A


primeira coisa que quero deixar claro é o porque não gosto de chamar o
ministério de música de ministério de louvor.
A palavra louvor quer dizer, no seu uso comum, “elogio”. Refere-se à
expressão individual ou coletiva de reconhecimento das qualidades de uma
pessoa¹. Sendo assim, dizer que apenas um grupo é o “ministério de louvor”,
implica em afirmar que apenas aquele grupo louva, apenas aquele grupo
reconhece e elogia o Senhor. E o restante da igreja que está no culto, não está
louvando ao Senhor?
Por essa razão prefiro chamar o grupo que lida com a música no culto
de ministério de música.
Englobando a coreografia, teatro e outras manifestações corporais e
culturais, me refiro como ministério de arte.

Outro ponto a ser esclarecido é a adoração. Muitos confundem música


lenta ou a música que é cantada “gemendo” como adoração. Mais adoração é
muito mais que isso. “Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros
adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a
tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e é necessário que os que o adoram
o adorem em espírito e em verdade.” João 4.23-24. Adoração é algo intimo,
que vem de dentro para expressar o amor (ágape) ao Senhor.
A adoração é algo que tem que ser vivido no dia-dia. Todas as nossas
atitudes têm que ser um ato de adoração ao Senhor. Por tanto, quando
cantamos, isso nada mais é do que expressar o que já vivemos.
A verdadeira adoração acontece no coração, se nós não estivermos de
bem com Deus no nosso interior o que vamos expressar? Pense nisso.
Se não vivemos uma vida intima e de adoração profunda e pessoal com
Deus, o que iremos expressar são falsas emoções e hipocrisias. “Deixai-os;
são guias cegos; ora, se um cego guiar outro cego, ambos cairão no
barranco.” Mateus 15.14.

8
Espero ter sido bastante claro quanto o que é louvor e adoração. Parece
relevante, mais muitas pessoas, inclusive que fazem parte de ministérios de
músicas não tem a compreensão devida dessas questões.
¹Louvor, adoração e liturgia – Rubem Amorese – Editora Ultimato

Adoração Pessoal

Existe uma grande carência no meio do povo de Deus que gera a


confusão que tentamos esclarecer na introdução dessa apostila. Essa carência
gera uma adoração superficial e deficiente. O corre-corre do dia-a-dia, a busca
do status e independência financeira está acarretando num total
distanciamento de Deus, a vida devocional tem ficado cada vez mais rara na
vida das pessoas que confessam ser de Jesus.
Queremos Deus de vez em quanto. Dizemos ser amigos de Deus, mais
não queremos intimidade, não buscamos conhecer mais de Deus. Não existe
verdadeira adoração sem vida devocional. “Conheçamos, e prossigamos em
conhecer ao Senhor; a sua saída, como a alva, é certa; e ele a nós virá como
a chuva, como a chuva serôdia que rega a terra.” Oséias 6.3.
Vida devocional com Deus é à busca do aprofundamento do
relacionamento com Ele. É por aí que nos aproximamos Dele, por aí que
conhecemos Ele melhor, por aí que conversamos com Ele como amigos e
filhos amados.

Em todo a história Deus nos chama a ser voluntário. Ele não nos
obriga. A questão é pra que Deus quer a nossa adoração?
Deus não quer ser adorado por ser egocêntrico ou coisa parecida, mais
Ele quer ser adorado para fazer de nós filho, amigos, ministros e confidentes.
Fazer de nós homens e mulheres capazes de suportar disciplina para nosso
crescimento no Reino. “Filho meu, não rejeites a disciplina do Senhor, nem
te enojes da sua repreensão; porque o Senhor repreende aquele a quem ama,
assim como o pai ao filho a quem quer bem.” Provérbios 3.11-12.

Quando entendermos que o Reino de Deus é pautado na devoção, numa


disposição voluntária de submeter-se ao Senhorio de Deus. “Tomai sobre vós
o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e
achareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave, e o meu
fardo e leve”. Mateus 11.29-30. Entendemos que essa comunhão em amor vai
gerar também uma comunhão de amor entre os irmãos.

9
É a intimidade do Senhor, sua amizade, que nos mantém dispostos a suportar
as dores do crescimento. E o objetivo da adoração é fazer-nos crescer na
imagem e semelhança do filho.¹
¹ Louvor, adoração e liturgia – Rubem Amorese – Editora Ultimato
Precisamos entender a dimensão de separarmos um tempo do nosso dia
para o período devocional com o Senhor. O músico que não adora no seu
“quarto” não vai adorar no ambiente de congregação. Um ministro precisa
“gritar” no “quarto” nossos conflitos e pecados. É no quarto que buscamos a
reconciliação com Deus, só na adoração pessoal (quarto), esses pontos são
trabalhados.
Pergunto-te, se esses pontos não forem trabalhados antes de você e eu
ministrarmos a congregação, o que vamos ministrar, se é que vamos
ministrar?
Jesus venceu a luta da cruz no Getsêmani. O Getsêmani foi seu
“quarto”. Toda a agonia foi vencida no secreto. “Então foi Jesus com eles a
um lugar chamado Getsêmani, e disse aos discípulos: Sentai-vos aqui,
enquanto eu vou ali orar. E levando consigo Pedro e os dois filhos de
Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se. Então lhes disse: A
minha alma está triste até a morte; ficai aqui e vigiai comigo. E adiantando-
se um pouco, prostrou-se com o rosto em terra e orou, dizendo: Meu Pai, se é
possível, passa de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas
como tu queres. Voltando para os discípulos, achou-os dormindo; e disse a
Pedro: Assim nem uma hora pudestes vigiar comigo?Vigiai e orai, para que
não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é
fraca. Retirando-se mais uma vez, orou, dizendo: Pai meu, se este cálice não
pode passar sem que eu o beba, faça-se a tua vontade. E, voltando outra vez,
achou-os dormindo, porque seus olhos estavam carregados. Deixando-os
novamente, foi orar terceira vez, repetindo as mesmas palavras. Então voltou
para os discípulos e disse-lhes: Dormi agora e descansai. Eis que é chegada
a hora, e o Filho do homem está sendo entregue nas mãos dos pecadores.
Levantai-vos, vamo-nos; eis que é chegado aquele que me trai”. Mateus
26.36-46.
O devocional é a nascente do santuário de Deus. Ministrar através da
música sem ter uma vida devocional com Deus é ser artista da música. Não ter
vida devocional com Deus significa pobreza na ministração, tristeza na
adoração familiar.

Na devocional com Deus que nasce os ministérios, é na devocional que


recebemos dons para fazer Sua vontade, para servir ainda que isso custe

10
sacrifícios. É na devocional com Deus que experimentamos o profundo da
presença de Deus, ali Ele nos dará a dimensão de nossas posturas pessoais e
prioridades de vida.
Estamos tendo prioridades de vida sem comunhão com Deus, e
seguramente essas prioridades não são as prioridades do Senhor para nós.
Você quer ministrar verdadeiramente as pessoas na presença do
Senhor? Então priorize a busca do Senhor na intimidade e se coloque no
transbordar do poder de Deus. “Mas o que para mim era lucro passei a
considerá-lo como perda por amor de Cristo; sim, na verdade, tenho também
como perda todas as coisas pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus,
meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero
como refugo, para que possa ganhar a Cristo, e seja achado nele, não tendo
como minha justiça a que vem da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a
saber, a justiça que vem de Deus pela fé; para conhecê-lo, e o poder da sua
ressurreição e a participação dos seus sofrimentos, conformando-me a ele na
sua morte”. Filipenses 3.7-10.

11
Arte e Adoração

Tocaremos no outro lado da moeda agora. No capítulo passado falamos


da necessidade da busca pessoal para ser cheio de Deus, falamos da
necessidade de ter algo a ministrar as pessoas. Mais também existe um ponto
complexo e de certo polêmico. A qualidade do meio que usamos para
ministrar. A qualidade da dança, da música e da exegese que fazemos para
ministrar as pessoas.
O ministério da música é um dos mais procurados pela comunidade.
Todo mundo quer tocar, todo mundo quer cantar. Mais será o porque poucas e
às vezes nenhuma dessas pessoas se oferecem para orar na sala de intercessão,
ajudar na faxina?
Imagine você chegando frente a frente com o presidente da Petrobrás e
falando pra ele assim: _Eu vim aqui porque eu quero trabalhar na Petrobrás!
No mínimo ele perguntaria: _Você tem alguma experiência no ramo, tem um
currículo? E você responderia:_ Nada disso, eu nem sei o que se faz aqui, mais
eu gosto tanto dessa empresa, acho tão legal que eu quero trabalhar aqui!
Creio que ele chamaria os seguranças para te levarem até a porta!
Parece brincadeira, mais muitas pessoas fazem a mesma coisa quando
querem fazer parte do ministério de música sem nenhuma qualificação para
tal. Que bom se Deus chamasse seus seguranças também!

“Cantai-lhe um cântico novo; tocai bem e com júbilo”. Salmos 33.3.


“E Quenanias, chefe dos levitas, estava encarregado dos cânticos e os
dirigia, porque era entendido” 1Crônicas 15.22.

Note que essa história que o Senhor aceita o coração, que pode cantar
desafinado, está em choque com o que diz a Palavra de Deus. Quenanias foi
encarregado pelo rei de estar responsável pelo louvor no templo porque era
entendido naquele oficio. Em Salmos a Palavra nos exorta a tocar bem.

Nesses dias vemos extremos de ambas as partes. Grandes músicos não


querem ter compromisso devocional com Deus, estão ali para serem artistas

12
ou ganhar seu dinheiro e ir embora. Por outro lado tem aqueles que defendem
o amadorismo total, e pobre de nossos ouvidos.
Graças a Deus que Ele mesmo tem levantado músicos de qualidade e
com temor da sua Palavra.
Precisamos entender que qualidade não é sinônimo de falta de unção e
vice-versa.

Não se pode colocar pra tocar ou cantar uma pessoa que acha legal o
ministério da música. Ela precisa de aperfeiçoamento musical. Quem quer
fazer parte do ministério da música tem que ter pelo menos a disposição de
estudar música. Colocar no ministério da música alguém que não estuda ou
não sabe nada de música é o mesmo que colocar um cego pra pilotar um
foguete.

“Ora, vós sois corpo de Cristo, e individualmente seus membros. E a uns pôs
Deus na igreja, primeiramente apóstolos, em segundo lugar profetas, em
terceiro mestres, depois operadores de milagres, depois dons de curar,
socorros, governos, variedades de línguas. Porventura são todos apóstolos?
são todos profetas? são todos mestres? são todos operadores de milagres?
Todos têm dons de curar? falam todos em línguas? interpretam todos? Mas
procurai com zelo os maiores dons. Ademais, eu vos mostrarei um caminho
sobremodo excelente”.1 Coríntios 12.27-31.

Algumas características precisam fazer parte da vida do ministro da


música.

Ele precisa ser profeta – “Também Davi juntamente com os capitães do


exército, separou para o serviço alguns dos filhos de Asafe, e de Hemã, e de
Jedútum para profetizarem com harpas, com alaúdes, e com
címbalos. Este foi o número dos homens que fizeram a obra: segundo o seu
serviço:dos filhos de Asafe: Zacur, José, Netanias e Asarela, filhos de Asafe,
a cargo de Asafe, que profetizava sob as ordens do rei. De
Jedútum os filhos de Jedútum: Gedalias, e Zeri, Jesaías, Hasabias e Matitias,
seis, a cargo de seu pai, Jedútum que profetizava com a harpa,
louvando ao Senhor e dando-lhe graças. De Hemã, os filhos de
Hemã: Buquias, Matanias, Uziel, Sebuel, Jerimote, Hananias, Hanâni, Eliatá,
Gidálti, e Românti-Ezer, Josbecasa, Malóti, Hotir e Maaziote. Todos estes
foram filhos de Hemã, o vidente do rei, segundo a promessa de Deus de

13
exaltá-lo. Deus dera a Hemã catorze filhos e três filhas. Todos estes estavam
sob a direção de seu pai para a música na casa do Senhor, com címbalos,
alaúdes e harpas para o serviço da casa de Deus. E Asafe, Jedútun e Hemã
estavam sob as ordens do rei”. 1 Crônica 25.1-6.

Note que eles profetizavam com seus instrumentos. Todo músico deve ser
um profeta de Deus. Ele precisa profetizar e ministrar libertação, cura e a
presença de Deus.

“quando os trombeteiros e os cantores estavam acordes em fazerem ouvir


uma só voz, louvando ao Senhor e dando-lhe graças, e quando levantavam
a voz com trombetas, e címbalos, e outros instrumentos de música, e
louvavam ao Senhor, dizendo: Porque ele é bom, porque a sua
benignidade dura para sempre; então se encheu duma nuvem a casa, a
saber, a casa do Senhor, de modo que os sacerdotes não podiam ter-se em
pé, para ministrar, por causa da nuvem; porque a glória do Senhor encheu
a casa de Deus”. 2 Crônicas 5.13-14.

“Pela meia-noite Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus,


enquanto os presos os escutavam. De repente houve um tão grande
terremoto que foi abalado o alicerce do cárcere, e logo se abriram todas
as portas e foram soltos os grilhões de todos”. Atos 16.25-26.

Precisamos entender esse poder que vem de Deus gerado pela


verdadeira adoração. Busquemos ser ministros profetas como esses
sacerdotes do templo de Salomão, sua adoração encheu o templo da
presença de Deus. Busquemos ser ministros profetas como Silas e Paulo,
que mesmo presos e machucados não cessaram de adorar o Senhor. Qual a
conseqüência disso? Libertação de vidas! Sejamos nós também
instrumentos do Senhor para libertar vidas através da música!

Ele precisa ser servo – Outra característica importantíssima do ministro é


ser servo. Temos visto pessoas que tocam e cantam chegarem atrasados.
Não levarem Bíblia pro culto. Não ajudar nos mutirões da comunidade.
O verdadeiro ministro tem prazer em servir. Ele é o primeiro a
chegar nas reuniões. Está voluntariamente em todos os serviços da
comunidade.

“E os homens trabalhavam fielmente na obra; e os superintendentes sobre


eles eram Jaate e Obadias, levitas, dos filhos de Merári, como também

14
Zacarias e Mesulão, dos filhos dos coatitas, para adiantarem a obra; e
todos os levitas que eram entendidos em instrumentos de música”. 2
Crônicas 34.12.

“E por tesoureiros pus sobre os celeiros Selemias, o sacerdote, e Zadoque,


o escrivão, e Pedaías, dentre os levitas, e como ajudante deles Hanã, filho
de Zacur, filho de Matanias, porque foram achados fiéis; e se lhes
encarregou de fazerem a distribuição entre seus irmãos”. Neemias 13.13.

Ministros do Senhor, entendam! Vocês precisam ser servos!


Precisam ser profetas!

15
Arte e Música na Comunidade

Quando temos uma vida devocional constante, iremos trazer alguma


coisa para a congregação. Quando vamos para a reunião da congregação,
carregamos uma espécie de bolsa conosco. O que você tem levado na sua
bolsa para a sua congregação?
Volto a insistir, se tivermos uma vida devocional com Deus, iremos
levar presença de Deus para a congregação. Mas se nossa vida for oca e
mentirosa, bem, você já sabe o que vai levar!
Você escolhe, levar coisas úteis ou inúteis.

O que é útil?
• Anúncio do evangelho;
• Aperfeiçoamento dos santos;
• Promoção da maturidade dos santos;
• Edificação da igreja.

Muito cuidado com o que você leva para sua comunidade. Queria parar um
pouco aqui, para você analisar o texto que segue e o quanto disso você tem
levado sem perceber para sua comunidade? Leia com atenção.

1.Por que palavras como "paixão", "fogo", "glória", "poder" e "unção"


vendem muito mais CDs do que "graça", "misericórdia" e "perdão"?

2. Por que aqueles que mais falam sobre "prosperidade" evitam


sistematicamente textos como Tiago 2:5, I Timóteo 6:8 e Habacuque 3:17-18?

3. Por que 90% ou mais dos cânticos congregacionais modernos são na


primeira pessoa do singular, quando a proporção nos salmos é muito menor?

16
4. Por que, na maioria dos grupos de louvor no Brasil, não há espaço pra quem
toca instrumentos brasileiros como o cavaquinho e o berimbau?

5. Por que se canta tanto sobre coisas tão etéreas como "rios de unção" e
"chuvas de avivamento", ao passo que Jesus usava sempre figuras do
cotidiano para ensinar, como sementes, pássaros e lírios?

6. Por que se cantam todos os dias "Hoje o meu milagre vai chegar"? Afinal,
ele não chega nunca? Que dia está sendo chamado de "hoje"?

7. Por que Jó não cantou "restitui, eu quero de volta o que é meu", nem
declarou ou amarrou nada, muito menos participou de "campanha de
libertação" quando perdeu tudo?

8. Por que as rádios evangélicas tocam tanta coisa produzida por gravadoras
ricas e nada produzido por artistas independentes?

Autor:
Renato Fontes - renfontes@hotmail.com

Pense bem no que você leu acima, o irmão Renato Fontes, foi usado
poderosamente por Deus em suas observações.

Eu te pergunto, porque engolimos essas bobagens todas que foram citadas? Já


te respondo, porque não dedicamos nossa vida a Deus como deveríamos.
Paulo deixa bem claro quem governa esse mundo e domina quem gosta de
estar apegado ao mundo; “Ele vos vivificou, estando vós mortos nos vossos
delitos e pecados, nos quais outrora andastes, segundo o curso deste mundo,
segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos
filhos de desobediência, entre os quais todos nós também antes andávamos
nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e
éramos por natureza filhos da ira, como também os demais”. Efésios 2.1-3.
Entenda amado, se você não dedica parte do seu tempo em devocional com o
Senhor, esse tempo está indo onde? Se você não está de baixo do senhorio de
Deus, conseqüentemente vai estar de baixo do senhorio do príncipe desse
século, e aí você já sabe né?

“Não sabeis que daquele a quem vos apresentais como servos para lhe
obedecer, sois servos desse mesmo a quem obedeceis, seja do pecado para a
morte, ou da obediência para a justiça?” Romanos 6.16.

17
Enquanto você ficar preocupado com o final da novela, sua mente vai
continuar vulnerável a aceitar cantar “restitui eu quero de volta o que é meu”
ou “ele vem saltando pelos montes”. Enquanto você ficar preocupado quem
vai ser eliminado no Big Brother, vai continuar cantando esses louvores
egoístas sempre na primeira pessoa e nunca se importando com os feridos e
perdidos.

Vamos acordar ministros de música do Senhor, o Pai quer nos usar para gerar
cura, libertação e renovo para as pessoas. Vamos nos trancar em nosso quarto
e não abrir a porta enquanto não ver a Glória do Senhor! Chega de ser
ministros medíocres na casa de Deus! Busquemos a face de Deus antes de
qualquer coisa amados. O que levamos de fato e de verdade para a
congregação é nossa vida. E não a vida que aparentamos com nossos irmãos,
mais a vida que vivemos.

18
Sugestões de leitura sobre os assuntos aqui abordados:

Louvor, Adoração e Liturgia – Rubem Amorese – Editora Ultimato

O Que Fazemos com Esses Músicos? – Marcos Witt – Endonet

Entendes o que lê? – Gordon D. Fee & Douglas Stuart – Vida Nova

Os textos bíblicos foram tirados da versão Revista e Corrigida 1995 de


João Ferreira de Almeida através da auto ajuda através da Bíblia da
versão 2G.

A sugestão do autor é a Nova Versão Internacional como fonte Bíblica.

19

Interesses relacionados