Você está na página 1de 5

AS TECNOLOGIAS NO ENSINO DAS GEOCIÊNCIAS

Paulo Legoinha [1] & Hugo Domingos [2]

1 – Departamento de Ciências da Terra da FCTUNL; pal@fct.unl.pt

2 – Laboratório de e-Learning da FCTUNL; hmbd@fct.unl.pt

Resumo

Actualmente as tecnologias de informação e comunicação (TIC) permitem aos


professores a utilização de novas ferramentas para apresentação e partilha de informação e a
criação de ambientes virtuais de aprendizagem (complementares aos presenciais). Este
workshop desdobra-se numa sessão presencial e num curso breve, online, com tutoria. A sessão
presencial é constituída por 3 momentos: a) apresentação de conceitos fundamentais teóricos e
práticos da educação online (e-Learning); b) novas fontes de informação geológica na Internet;
c) criação de vídeos educativos, procurando desenvolver competências de comunicação online
através de apresentações multimédia (com captura de ecrã, áudio e legendagem). No curso
breve online, pretende-se desenvolver competências em actividades de ensino a distância, b-
learning (apoio a aulas presenciais) e na dinamização de comunidades virtuais de
aprendizagem, através da utilização do Moodle e das funcionalidades de diálogo, fórum,
referendo, glossário, wiki, entrega de trabalho e teste.

1. Sessão presencial (5 de Setembro de 2009)

1.1. Teoria e prática da educação online (e-Learning)

O ensino online deve estimular a curiosidade, a colaboração, a resolução de


problemas, a pesquisa e a contextualização de informação. Nem a disponibilização de
informação na Internet nem a ligação para conteúdos digitais na Web constitui ensino
online (Anderson et al., 2008). Alguns estudos indicam que a maioria dos professores
portugueses ainda não usa uma plataforma electrónica de apoio ao ensino/aprendizagem
(por ex., Moodle) e os que o fazem não a utilizam como suporte de actividades
colaborativas e interactivas (Lisbôa et al. 2009).
Nesta secção são abordados aspectos teórico-práticos da educação online, os
contributos e implicações das escolas behaviorista, cognitivista e construtivista e
caracterizados os diversos níveis de interacção online. Apresentam-se componentes-
chave que devem ser tidos em consideração num modelo de e-Learning. Referem-se
itens e parâmetros para uma avaliação específica da aprendizagem online (Barreiro-
Pinto e Silva, 2009) e analisam-se alguns exemplos (através de fórum, blogue, entrega
de trabalho e teste).
1.2. Novas fontes de informação geológica na Internet

Com o desenvolvimento da Web 2.0, surgem novas fontes de informação e de


conteúdos úteis para o ensino das geociências (não só em sítios institucionais, mas
também em blogues, no YouTube, no Slideshare, etc). Há também cada vez mais
informação em formato vídeo, disponibilizada pelos média. Recorrendo a um
leitor/agregador de notícias e à subscrição de RSS feeds, os professores podem obter
diariamente um manancial de informação multimédia que poderão seleccionar e
partilhar com os seus alunos, no âmbito das suas actividades lectivas. Exemplificam-se
algumas possibilidades recorrendo aos sítios GEOPOR (http://metododirecto.pt/geopor)
e CIÊNCIA NA ESCOLA (http://cne.fct.unl.pt/ ).

Fig. 1 – Página principal do Geopor.

1.3. Produção de tutoriais multimédia (screencasts)

Através da utilização de duas aplicações informáticas de edição vídeo


(CamStudio e MovieMaker) pretende-se motivar os professores a transmitir ideias e
conceitos de uma forma simples e inovadora, desenvolvendo competências na
comunicação online, através de multimédia.

Figura 2 – Interface do CamStudio.

O CamStudio é um freeware bastante conhecido para a criação de vídeos de


captura de ecrã. O Windows MovieMaker é um editor de ficheiros vídeo. Ambas as
aplicações são de fácil aprendizagem e livres (freeware) o que facilita a sua utilização
durante a sessão de formação.

Figura 3 – Interface do MovieMaker.


Após a apresentação e introdução ao software, os professores serão convidados a
criar um tutorial vídeo, capturando ecrãs dos seus computadores com o CamStudio.
Nesta fase são dadas algumas recomendações sobre captura de ecrã, formatação de
vídeo e boas práticas. Depois da captura de ecrãs, os participantes irão editar os seus
vídeos no MovieMaker onde também poderão adicionar texto, introduzir faixas áudio e
exportar a versão final do seu tutorial vídeo. Por fim, os participantes irão aprender
como integrar os vídeos no Moodle.

2. Curso breve online sobre Moodle (5 a 19 de Setembro de 2009)

O workshop possibilita a frequência de um curso online de formação na


utilização do Moodle (Legoinha & Fernandes, 2008) que pretende introduzir este
sistema de gestão do ensino/aprendizagem aos interessados em usá-lo como plataforma
de apoio às aulas presenciais, em actividades de ensino a distância (e-Learning), e/ou de
portfolio.
A formação decorre durante 2 semanas, podendo os formandos gerir o seu tempo
de aprendizagem e de realização das tarefas, através do acesso à plataforma de
aprendizagem e do apoio dos tutores em modo síncrono e/ou assíncrono.
A aprendizagem baseia-se em estudo e realização de tarefas online (com apoio e
supervisão dos tutores). São abordados aspectos da gestão de páginas Moodle, como a
inscrição de participantes e docentes, a cópia de segurança e restauro de página, ou a
consulta de relatórios de actividade da página. No que diz respeito às funcionalidades, o
essencial da formação será em torno da utilização do fórum, referendo, glossário, wiki,
entrega de trabalho, teste, e base de dados. É disponibilizada uma área de trabalho
individual onde cada formando pode explorar as diversas ferramentas e funcionalidades
e criar o seu próprio ambiente pessoal de ensino/aprendizagem.
Os sistemas online de gestão da aprendizagem e de trabalho colaborativo são
hoje reconhecidos como indispensáveis para a melhoria do processo de
ensino/aprendizagem. Possibilitam maior interacção entre professores e alunos,
reforçando a capacidade de intervenção dos professores e aumentando os recursos
educativos postos à disposição dos alunos.
3. Referências Bibliográficas

Anderson, T. (2008). The Theory and Practice of Online Learning, second edition. AU
press, Athabasca University: http://www.aupress.ca/index.php/books/120146

Barreiro-Pinto, I. A. & Silva, M. (2008). Avaliação da aprendizagem na educação


online: relato de pesquisa. In Educação, Formação & Tecnologias; vol.1 (2); pp. 32-39,
Novembro de 2008, disponível no URL: http://eft.educom.pt.

Legoinha, P. & Fernandes, J. (2008). Moodle sobre Moodle: caso de estudo sobre um
curso breve com tutoria online. CaldasMoodle'08: Comunidades de Aprendizagem
Moodle (Associação Portuguesa de Telemática Educativa). Actas, p. 163-173.
http://dspace.fct.unl.pt/bitstream/10362/1644/1/moodle_sobre_moodle.pdf

Lisbôa, E. S.; Jesus, A. G.; Varela, A. M.; Teixeira, G. H. & Coutinho, C. P. (2009).
LMS em Contexto Escolar: estudo sobre o uso da Moodle pelos docentes de duas
escolas do Norte de Portugal. In Educação, Formação & Tecnologias; vol.2 (1); pp. 44-
57, Maio de 2009, disponível no URL: http://eft.educom.pt.