Você está na página 1de 6

O mito pode ser A preocupação do mito não Para apresentar estas da luta entre estes deuses

compreendido como a está na veracidade, no origens, do mundo e das que afeta o mundo humano
primeira forma de explicação provar a realidade, mas coisas, os mitos narram- (o ciúme das deusas na
que o homem tem para os apenas e tão somente em nas de três maneiras: origem da Guerra de Tróia,
fenômenos que contempla e explicá-la. Sem respostas relatam o nascimento de tudo por exemplo) e das alianças
para as realidades em que se para os sentimentos, fatos e a partir da relação sexual destes com os homens (o
encontra e, cujas respostas, fenômenos que contempla, o entre os seres divinos que mito de Prometeu, que
ele desconhece. A Filosofia homem recorre a mitos e governam o mundo e os protegia os homens e lhes dá
nasce na Grécia, e que encontra respostas que lhe homens (mitos sobre o a "luz divina" como presente).
somente lá houve uma dão segurança. Saber o que nascimento dos titãs, dos
sistematização do é o amor, por que o universo heróis, dos humanos, dos
pensamento de tal forma a está estruturado como está, animais, dos materiais da
propiciar a passagem deste por que a colheita foi boa ou natureza e das qualidades,
pensamento mítico para o não, são algumas das como bem e mal, justo e
que os gregos chamaram de indagações que tomam conta injusto, o nascimento do
logos, ou seja, a razão, a do homem antigo. amor através do mito de
palavra, o discurso racional. Eros...),

Os dois grandes Homero representa o ápice e A originalidade de Homero O ser divino não representa
representantes da tradição a vitalidade de todo um consiste no fato de ter legado explicação, interrupção ou
mítica foram Homero e impulso cultural dos gregos. à posteridade uma visão suspensão do curso natural
Hesíodo. Ao primeiro É considerado o "pai" da clara do espírito grego, em do mundo: é o próprio mundo
atribuem-se duas grandes cultura helênica, pois dele que a existência humana é natural (PAIM; PROTA &
obras clássicas: a Ilíada e a deriva a ideia marcante da profundamente permeada da RODRIGUEZ, 1999, p. 45).
Odisséia. A Ilíada trata da mitologia grega: o destino, presença do divino: cada Durante os séculos
Guerra de Tróia (Ílion é o que comanda a vida dos momento da vida, nenhum homéricos, a narração se
original grego de Tróia) e a homens e dos deuses. E esta detalhe da vida parece ter organiza em torno dos
Odisséia refere-se ao retorno força, atrelada ao mito é a sentido sem referência à personagens divinos, sendo
de Ulisses (cujo nome em pergunta básica na formação divindade os humanos reduzidos a
grego é Odisseu) para casa, do pensamento ocidental: o essências com o estatuto da
após a guerra. que é essa força do destino quase-dependência. Por isso,
que domina tudo? tudo se explica pelas
cosmogonias e teogonias,
conforme já foi relatado.

Filha dos gregos, a Filosofia A filosofia não nasce na A outra considerava o A tese aceita atualmente
tem data e local de Grécia propriamente dita, nascimento da Filosofia defende o nascimento da
nascimento específicos e, mas na Jônia e na Magna como sendo devida a Filosofia devido a uma série
também, um "pai", Grécia, colônias desta no "ensinamentos esotéricos de fatores sócio-político-
considerado o primeiro Oriente e no Ocidente. que os gregos adquiriram em econômico-culturais que
filósofo datado Durante algum tempo, duas suas viagens pelo Oriente, aconteceram somente na
historicamente: Tales. Mileto, teses foram defendidas para ou seja, a Filosofia nasceu Grécia. Por isso, neste
a cidade de Tales, ficava na o fato de a Filosofia ter tido por influência dos povos entendimento, não foi
Jônia, atual Turquia, uma das seu início na Grécia. Uma orientais, sem mérito algum possível o mesmo acontecer
colônias micênicas considerava o fato um dos gregos e não, em outras culturas, não da
desenvolvidas após a "milagre", ou seja, algo "a- novamente, por um contexto forma como se dá no
invasão dos dóricos. É histórico", desconsiderando sócio-cultural próprio que Ocidente.
exatamente aí, portanto, na as condições sócio- existia na Grécia.
Jônia, no século VI a. C., que econômico-culturais e
surge a primeira proposta políticas que faziam parte da
filosófica. cultura grega.
Com isto, esclarecemos que, Nas demais culturas Religiões com dogmas e uma Com o fim do domínio dórico,
no entendimento acadêmico, geralmente existia uma casta certa teologia elaborada nós vemos a reconstrução da
estamos falando da Filosofia sacerdotal dominante, eram outros fatores que sociedade grega. Há um
Ocidental e não das responsável pela impediam o livre renascimento do comércio
"filosofias orientais", que interpretação dos livros desenvolvimento do em torno do século VIII a.C. e
apresentam sua sabedoria e sagrados e de verdades pensamento, tornando a a tendência à formação de
importância. Num olhar mais reveladas, o que determinava religião um instrumento de centros maiores ao redor da
depurado, não o comportamento moral, poder. Aliado a isto ainda ágora, - a praça pública -
desenvolveram uma político e econômico do estava a cultura do poder local das transações
sistematização do povo. A escrita era restrita vitalício do Rei e a figura do comerciais e das discussões
pensamento, de tal forma aos escribas - tratada como súdito, o que impedia sobre a vida da cidade. É o
que permitisse o nascimento segredo e, portanto, qualquer manifestação nascimento da política.
do que viria a ser conhecido acessível apenas a iniciados política ou reflexão sobre a Esclarece-nos Paim, Prota &
posteriormente como -, proibida aos homens questão do poder Rodriguez
ciência. comuns, o que impedia a
ampla difusão e discussão de
ideias.

Vencendo o princípio de que Assim que, enquanto antes Na estruturação política, Num segundo momento, a
todos são iguais diante da lei, os fenômenos divinos, cada comunidade grega era democracia se instaura em
a discussão torna-se a forma naturais e humanos uma cidade-Estado - a Atenas. Apresenta-se a ideia
normal de tratar-se não só a confundiam-se e eram chamada polis -, autônoma, de governo do povo ou
política mas os vivenciados sem com a dimensão de pequeno governo no "meio" do povo, e
acontecimentos em geral; necessidades de explicação, município. Na Pólis é que se não governo do "povinho". O
prevalece a opinião de quem com a pólis, esses efetua a conquista política do grego tem consciência de
expõe suas idéias fenômenos tornam-se estatuto cívico, da ordem da sua cidadania porque
corretamente e com problemas, à procura de cidadania, na qual o destino participa da vida pública da
argumentos válidos, quer explicação (PAIM, PROTA e de cada um é definido não cidade. Os destinos da pólis
dizer há a supremacia do RODRIGUEZ, 1999, p. 47). pela obrigação de lealdade à são de responsabilidade
logos (que significa "palavra", um chefe, mas pela relação comum de todos os
"razão"). ao princípio abstrato que é a cidadãos, acima dos quais
lei - primeira etapa não há nada a não ser as leis
que eles mesmos elaboraram

O modelo de governo da Outras condições Chegando às ilhas e regiões Questionamentos surgem


pólis como esforço coletivo e histórico-sociais também que constituem o pano de sobre a veracidade do mito e
exclusivo dos cidadãos, até fundo das epopéias e dos a possibilidade ou não de
foram proporcionando o
então desconhecida em relatos poéticos, o grego não encontrar novas explicações
outras civilizações, tem por questionamento do mito. encontra as "divindades" e as para os fatos e fenômenos
fundamento a ideia de que os O renascimento "criaturas" citadas pela antes entendidos apenas de
deuses abandonaram os comercial exigiu do tradição. Singrando os forma mítica. Concomitante a
homens. E a ideia do homem grego o "lançar- mares, não encontra as isto, há a invenção da moeda
Destino, como força superior se ao mar" para sereias e nem tampouco é e um desenvolvimento da
aos próprios deuses, sugere encontrar novos confrontado com Posseidon. escrita e do calendário.
a visão democrática de que a Em Creta não depara-se com Criada pelos sumérios, a
lei está acima dos indivíduos. mercados. Com o o Minotauro, mas sim, com escrita ganha novo sentido
É nesse quadro que surge a desenvolvimento das um povo que está disposto a com os gregos que se
reflexão filosófica, que busca viagens marítimas, os comercializar também, como descobrem capazes de
uma lei universal, acima de gregos começam a nas demais regiões expressar seu pensamento
todas as coisas, que possa confrontar os fatos reais não mais de forma verbal
explicar o homem e o mundo com as tradições míticas apenas, mas a partir da
sem recorrer a forças divinas. concepção do alfabeto e da
construção fonética, de forma
mais elaborada, por escrito
Estes fatos exigem uma É o desenvolvimento da Por fim, o surgimento da vida As mudanças começam a
abstração do pensamento, capacidade de elaboração do urbana, que impulsiona este acontecer. Em torno do
um maior rigor na formulação pensamento de forma renascimento comercial e século V a.C., o homem,
das ideias e, diferente. O calendário diminui o prestígio da classe como cidadão-guerreiro, que
consequentemente, uma produz condições aristocrática, proprietária de fala e que combate, aparece
mudança cultural. O grego semelhantes ao permitir uma terras, faz nascer a política, como assumindo o seu
descobre que não precisa observação sobre os dias e que exige a construção de destino. Nesta época, os
trocar as mercadorias as estações do ano e, desta uma nova relação social, gêneros culturais mudam de
através de coisas concretas forma, a percepção da como já foi explicado sentido e de estilo. A
(um cavalo por um boi, por natureza em seu curso, anteriormente. Por todos tragédia, antes
exemplo), mas sim, que é desmistificando a ação divina estes fatores, portanto, e não fundamentalmente religiosa,
possível uma troca abstrata sobre os fenômenos da por um "milagre" ou por torna-se cerimônia política. A
(um cavalo por 20 moedas, natureza (como no caso de a "influência do oriente" como história-geografia se afirma.
por exemplo). colheita ter sido boa ou ruim já esclarecemos, é que, no
devido ao "deus" e não às século VI a.C. Tales inicia a
condições climáticas ou jornada que se tornará a
época do ano). grande aventura na História
do Ocidente: o pensamento
filosófico.

As descrições lendárias e as Na física, o grego passa Entre os séculos VIII e V REALIDADE: Sua pretensão
genealogias míticas dão pouco a pouco das a.C.desenvolve-se o é compreender
lugar a paisagens e especulações mágicas para racionalmente o mundo. É
esforço para a
costumes analisados e o estudo das relações responder às grandes
descritos com precisão. No fenomenais. A "arte da construção de uma indagações presentes na
campo da medicina, surge palavra", por sua vez, deixa sociedade justa, humanidade.
um apelo pela investigação de ser privilégio das famílias propiciada pelas CARACTERISTICAS:
das causas das nobres para ser o meio pelo condições históricas Reflexivo,sistemático,
enfermidades e não mais aos qual todo cidadão dispõe, próprias do mundo radical,conjunto.
recursos ambíguos da pelo menos em direito, para grego. É neste contexto QUESTIONAMENTOS:
adivinhação. fazer valer suas opiniões e Quem somos? Por que
interesses. que nasce a filosofia e estamos no mundo? Qual a
aparecem os primeiros finalidade da vida
filósofos, os chamados
pré-socráticos.

FILOFIA: Etimologicamente PROCESSO FILOSÓFICO: PLATÃO: Um idealista. Para LÓGICA: Estudo das
a palavra filosofia significa Processo que estuda, explicar a realidade elaborou condições em que podemos
amigo, amizade ao saberes através da lógica, os a teoria das idéias dividindo o afirmar que um dado
sabedoria. É formado por princípios e os métodos de mundo em: mundo ideal e raciocínio é correto ou não.
duas palavras gregas filo- inferência, tendo por objetivo mundo sensível. Filosofia em
amigo e sofia- sabedoria. principal determinar em que ARISTÓTELES: sistematizou Administração:A nossa
Realidade: Sua pretensão é condições certas coisas se e definiu a lógica como a conduta no mundo
compreender racionalmente seguem (são conseqüência) conhecemos, constituindo-a dependerá sempre, da nossa
o mundo. È responder as ou não de outras. como uma ciência autônoma. visão de ser humano, de
grandes indagações mundo, de natureza, de
presentes na humanidade. trabalho.
Platão um idealista. Para
explicar a realidade elaborou
a teoria das idéias dividindo o
mundo em mundo ideal e
mundo sensível.
A Ética é o estudo geral do A ARISTÓTELES DEVEMO A idéia deve ser clara e Definição de Filosofia.A
que é bom ou mau, correto 1. A separação da validade distinta;Pois aquele que Filosofia é um ramo do
ou incorreto, justo ou injusto, formal do pensamento e do abarcar num golpe de vista conhecimento que pode ser
adequado ou inadequado. discurso da sua verdade muitos objetos ao mesmo caracterizado de três modos:
Um dos objetivos da Ética é material. 2. a identificação tempo não vê nenhum seja pelos conteúdos ou
a busca de justificativas para dos conceitos básicos da distintamente( regras para a temas tratados, seja pela
as regras propostas pela lógica.3. a introdução de direção do espírito) Método função que exerce na cultura,
Moral e pelo Direito. Ela é letras mudas para denotar os Cartesiano;Dividir para seja pela forma como trata
diferente de ambos - Moral e termos 4. a criação de conhecer podemos conhecer tais temas. Com relação aos
Direito - pois não estabelece termos fundamentais para as partes. Iluminismo;O conteúdos,
regras. Esta reflexão sobre a analisar a lógica do discurso: pensamento racionalista contemporaneamente, a
ação humana é que “Válido, Não Válido, pautou as condutas Filosofia trata de conceitos
caracteriza a Ética. Contraditório, Universal, administrativas do século tais como bem, beleza,
Característica.;reflexivo, Particular XVII. justiça, verdade.
Sistemático, Radical e
Conjunto

IDADE MÉDIA: A IGREJA E FINAL DA IDADE MÉDIA: PARADIGMA DE CONHEC Filosofia antiga: Séc VI a.C.
A METAFÍSICA - - GRANDES NAVEGAÇÕES DA REALIDADE ao séc VI d.C. Filosofia
SOCIEDADES COESAS - A - TELESCÓPIO - SEPARAÇÃO ENTRE patrística: Séc I ao séc VII
VONTADE ESTAVA - REFORMA IGREJA E ESTADO d.C. Filosofia medieval: Séc
SUBMETIDA AO COLETIVO PROTESTANTE - SUJEITO E OBJETO VIII ao séc XIV. Filosofia da
(NÃO HAVIA O INDIVÍDUO) - HOMEM E NATUREZA renascença: Séc XIV ao séc
XVI. Filosofia MODERNA:
Séc XVII ao séc XVIII.
Filosofia da ilustração ou
iluminismo: meados do Séc
XVIII até o começo do séc
XIX. Filosofia conteporanea
Começo do Séc XIX até os
nossos dias

Observação e experiência: 4 PRECEITOS DO MÉTODO 2. repartir cada uma das 4. efetuar em toda parte
meio para se alcançar o CARTESIANO: 1. Evidencia dificuldades que eu relações metódicas tão
verdadeiro conhecimento. 2. Análise 3. Síntese 4. analisasse em tantas completas e revisões tão
Verdades quantitativas. Enumeração parcelas quantas fossem gerais nas quais eu tivesse a
Racionalismo 1: Não aceitar coisa alguma possíveis e necessárias a fim certeza de nada omitir.
René Descartes (1596- como verdadeira, a não ser de melhor soluciona-las. 3. EVITAR A PRECIPITAÇÃO:
1650) que eu a conhecesse conduzir por ordem meus evitar a pressa; refletir sobre
A razão como fundamento evidentemente como tal: isto pensamentos, iniciando pelos as possibilidades. EVITAR A
O discurso do método é, evitar a precipitação e a objetos mais simples e mais PREVENÇÃO: os
prevenção; e somente fáceis de conhecer, para preconceitos. Vamos pensar
abarcar em meus juízos o elevar-me, pouco a pouco, um pouco nos preconceitos
que se apresentasse tão como galgando degraus, até que nos impedem o
distintamente a meu espírito o conhecimento dos mais verdadeiro conhecimento. A
que eu não tivesse motivo compostos, e presumindo até IDEIA DEVE SER CLARA E
algum para duvidar. mesmo uma ordem entre os DISTINTA “pois aquele que
que não se precedem abarcar num golpe de vista
naturalmente uns aos outros. muitos objetos ao mesmo
tempo não vê nenhum
distintamente (regras para
direção do espírito)
ÉTICA E MORAL: Ética.
vem do grego ethos e
significa costume, modo de
agir, Moral vem do latim
mores e significa costume,
modo de agir. NOSSA
ESCOLHAS: Nossas
escolhas são pautadas por
decisões cujo centro estão
nossos valores. Aqui está
uma tênue linha que separa
os dois conceitos: Moral e
ética

MORAL: norma de ÉTICA: Examinadora da Filosofia Empresarial,Toda PRINCIPAIS DOUTRINAS


moral, a moral direciona a empresa tem uma filosofia no ÉTICAS
conduta, refere-se as prática normalizando a sentido amplo da SÓCRATES: Considerado o
situações particulares conduta, a ética reflete sobre palavra.Missão, objetivos, precursor da Filosofia moral,
e quotidianas. São essa conduta. A ética estuda forma de gestão Papeis a dedicou-se a busca da
aquelas decisões as concepções que dão serem seguidos norma e verdade que deveria ser uma
suporte a moral. regras, comportamentos forma de juízo universal e
práticas do dia a dia. Valores Morais e admitidos ou não. imutável capaz de dirigir a
(atravessar ou não na culturais;A moral ou valores As idéias e os valores que vida das pessoas.
faixa de pedestres, morais variam com a história um gestor ou um PLATÃO:
esperar ou não o sinal e com as diferentes regiões. empresário coloca em ARISTÓTELES: Eudaimonia-
prática em sua ação são felicidade como finalidade da
verde, jogar ou não o construtos histórico- vida. Só pode ser feliz aquele
lixo na rua ) sociais. que alcança a virtude. A
virtude se encontra na justa
medida das coisas e pode
ser atingida pelos homens
que alcançam a prudência
em suas decisões e ações.

São várias as teorias Karl Marx,O ser humano é IDADE MÉDIA; O ANTROPOCENTRISMO:
éticas nesse ao mesmo tempo social e cristianismo pautou a Com a separação entre fé e
período.Immaniuel Kant histórico objetivo e prática moral. A ética cristã razão emerge o ser humano
( 1717- 1804) o único bem subjetivo,capaz de criar e estabelece a relação entre com os valores centrados
em si mesmo é a boa de interferir na realidade e Deus e o homem. As em si. O sujeito como
vontade. O agir não deve transforma-la. O ser virtudes: Fé, esperança e centro de conhecimento.
ser interesse. Deve se humano pode construir o caridade.IDADE
cumprir o dever pelo dever. seu mundo e dar MODERNA (séc XVI – XIX)
Pelo imperativo categórico fundamentação valorativa. Mudança de paradigma de
Kant recomenda; “Age de ciência –Mudança de
tal maneira que o teu agir valores. As condutas são
se torne lei universal” A boa pautadas em: relações
vontade é universal. econômicas capitalistas;
desenvolvimento cintífico.
TEORIAS ÉTICAS DESSE KARL MARX (1818-1883) O “Os séculos XVIII e XIX – FILOSOFIA EMPRESARIAL
PERÍODO: Immanuel Kant ser humano é ao mesmo Iluminismo – são marcados toda empresa tem uma
(1717-1804) o único bem em tempo social e histórico, pela confiança absoluta na filosofia no sentido amplo da
si mesmo é a boa vontade. O objetivo e subjetivo; Capaz razão, considerada o único palavra: Missão – objetivos-
agir não deve ser por de criar e de interferir na critério de verdade, forma de gestão- papeis a
interesse. Deve se cumprir o realidade e transforma-la. O responsável pela serem seguidos- normas e
dever pelo dever. Pelo ser humano pode construir o emancipação do ser regras – comportamentos
imperativo categórico Kant seu mundo e dar humano”. Este pensamento admitidos ou não.
recomenda: “Age de tal fundamentação valorativa. constituiu e constitui o pano AS IDEIAS E OS VALORES
maneira que eu teu agir se de fundo de nossos valores. QUE UM GESTOR OU UM
torne lei universal”. A boa EMPRESARIO COLOCA EM
vontade é universal. PRATICA EM SUA AÇÃO
SÃO CONSTRUTOS
HISTÓRICO-SOCIAIS.

MÉTODO CARTESIANO: O iluminismo foi um .


esse método consiste em movimento global, ou seja,
aceitar apenas aquilo que é filosófico, político, social,
certo e irrefutável e econômico e cultural, que
conseqüentemente eliminar defendia o uso da razão
todo o conhecimento inseguro como o melhor caminho para
ou sujeito a controvérsias. O se alcançar a liberdade, a
objetivo de Descartes era de autonomia e a emancipação.
abranger numa perspectiva de O centro das idéias e
conjunto unitário e claro, todos
pensadores Iluministas foi a
os problemas propostos a
cidade de Paris.
investigação cientifica.