Você está na página 1de 17

AUTO-AVALIAÇÃO DA

BIBLIOTECA ESCOLAR
BIBLIOTECA
BIBLIOTECA ESCOLAR
ESCOLAR

As bibliotecas escolares no contexto da mudança

 A biblioteca escolar tem passado por transformações


assinaláveis resultantes da evolução do paradigma
tecnológico e das implicações profundas no acesso, uso e
comunicação da Informação. Neste contexto, passaram de
espaços organizados com recursos destinados ao acesso
da informação e ao lazer a espaços de trabalho e de
construção do conhecimento.

 Há evidência irrefutável atestada por


diferentes estudos internacionais, de que a
biblioteca escolar contribui para o sucesso
educativo dos estudantes e para o desenvolvimento
das literacias imprescindíveis na nossa
sociedade.
BIBLIOTECA ESCOLAR

Papel das bibliotecas escolares


BIBLIOTECA ESCOLAR
BIBLIOTECA ESCOLAR
BIBLIOTECA ESCOLAR
BIBLIOTECA ESCOLAR
-
-

BIBLIOTECA ESCOLAR
BIBLIOTECA ESCOLAR

Qualidade e Inovação. O necessário envolvimento de todos.

metodologia de sensibilização

•A mobilização da equipa para a necessidade de fazer diagnósticos/


avaliar o impacto e o valor da BE na escola que serve;
•A comunicação constante com o órgão directivo
•A apresentação e discussão do processo no Conselho Pedagógico.
•Aproximação/ diálogo com departamentos e professores.
•Criação e difusão de informação/ calendarização sobre o processo e
sobre o contributo de cada um no processo.
BIBLIOTECA ESCOLAR

Como demonstrar o contributo e o impacto da BE nas


aprendizagens e a eficiência dos seus serviços?

- Identificação de um problema ou de um desafio;


- Recolha de evidências;
- Interpretação da informação recolhida;
- Realização das mudanças necessárias;
- Recolha de novas evidências acerca do impacto
dessas mudanças.

Implementação do processo de Auto-


avaliação
BIBLIOTECA ESCOLAR

Estrutura do Modelo
de Auto-avaliação
Organização por 4 domínios que sintetizam a área de
acção da BE:

A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular


A.1. Articulação curricular da BE com as estruturas pedagógicas e os
docentes
A.2. Desenvolvimento da literacia da informação

B. Leitura e Literacias
C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de
Abertura à Comunidade
C.1. Apoio a actividades livres, extracurriculares e de enriquecimento
curricular
C.2. Projectos e Parcerias

D. Gestão da Biblioteca Escolar


BIBLIOTECA ESCOLAR

Estrutura do Modelo

Cada domínio inclui:


Indicadores – apontam as zonas nucleares de
intervenção em cada
domínio; permitem a aplicação de elementos de
medição.

Factores críticos de sucesso – exemplos de


situações,
ocorrências, acções que operacionalizam o indicador;
guia orientador
para a recolha de evidências.

Recolha de evidências – exemplos de


BIBLIOTECA ESCOLAR

Estrutura do Modelo

Perfis de desempenho: 4
níveis
Nível Descrição
4 (Excelente) A BE é bastante forte neste domínio. O trabalho
desenvolvido é de grande qualidade e com um impacto
bastante positivo.
3 (Bom) A BE desenvolve um trabalho de qualidade neste domínio
mas ainda é possível melhorar alguns aspectos.
2 (Satisfatório)A BE começou a desenvolver trabalho neste domínio,
sendo necessário melhorar o desempenho para que o seu
impacto seja mais efectivo.
1 (Fraco) A BE desenvolve pouco ou nenhum trabalho neste
domínio, o seu impacto é bastante reduzido, sendo
necessário intervir com urgência.
BIBLIOTECA ESCOLAR

Toda a comunidade escolar é


chamada a participar no processo

Professor Conselho
- Pedagóg
bibliotec ico
ário e
equipa
Professo Direcção
res
e alunos
IMPACTO ESPERADO
BIBLIOTECA ESCOLAR NA BE

A avaliação não constitui um fim em si


mesmo!
Responsabilização perante a escola!
É um processo de melhoria que deve facultar
informação de qualidade capaz de apoiar a tomada
de decisão.

Os resultados devem ser partilhados com o


director, ser divulgados e discutidos nos órgãos de
gestão pedagógica.

Os resultados devem estar ligados à avaliação


interna e externa da escola.
BIBLIOTECA ESCOLAR
impacto esperado no processo de planificação e na gestão, obrigando a que:

 a. Se defina a ambição, decidindo as melhorias, apostando


na mobilização e no esforço de todos;
 b. Se estabeleçam e coordenem políticas, isto é, linhas
orientadoras dos planos de acção, de modo a que estejam
concertadas com a estratégia da escola e também com os
factores críticos de sucesso;
 c. Se analisem rumos estratégicos possíveis, no sentido de
ser escolhida a direcção mais viável e enriquecedora;

 d. Se identifiquem oportunidades e constrangimentos e


definam fins e objectivos, operacionalizando-os em planos
que realizam as estratégias;
 e. Se diagnostiquem possíveis áreas em que a BE pode
adquirir vantagens competitivas face a outras bibliotecas;
 f. Se proceda à recolha sistemática de informação e a
metodologias de controlo.
BIBLIOTECA ESCOLAR

Fontes consultadas:

Documentos fornecidos no âmbito da acção de Formação.

|Biblioteca escolar |Maria da Saúde|