Bebida é água!

Comida é pasto!
Você tem sede de que?
Você tem fome de que?...

A gente não quer só comida
A gente quer comida
Diversão e arte
A gente não quer só comida
A gente quer saída
Para qualquer parte...

A gente não quer só comida
A gente quer bebida
Diversão, balé
A gente não quer só comida
A gente quer a vida
Como a vida quer...
Bebida é água!
Comida é pasto!
Você tem sede de que?
Você tem fome de que?...

A gente não quer só comer
A gente quer comer
E quer fazer amor
A gente não quer só comer
A gente quer prazer
Prá aliviar a dor...

A gente não quer
Só dinheiro
A gente quer dinheiro
E felicidade
A gente não quer
Só dinheiro
A gente quer inteiro
E não pela metade...


Bebida é água!
Comida é pasto!
Você tem sede de que?
Você tem fome de que?...

A gente não quer só comida
A gente quer comida
Diversão e arte
A gente não quer só comida
A gente quer saída
Para qualquer parte...

A gente não quer só comida
A gente quer bebida
Diversão, balé
A gente não quer só comida
A gente quer a vida
Como a vida quer...


A gente não quer só comer
A gente quer comer
E quer fazer amor
A gente não quer só comer
A gente quer prazer
Prá aliviar a dor...

A gente não quer
Só dinheiro
A gente quer dinheiro
E felicidade
A gente não quer
Só dinheiro
A gente quer inteiro
E não pela metade...

Diversão e arte
Para qualquer parte
Diversão, balé
Como a vida quer
Desejo, necessidade, vontade
Necessidade, desejo, eh!
Necessidade, vontade, eh!
Necessidade...

CULTURA

LINGUAGEM

ARTE
(FORMA DE EXPRESSÃO)


O que é cultura?

Todo ser humano tem cultura?

O que se quer exprimir quando se diz que uma
pessoa não tem cultura?

Cultura e conhecimento são a mesma coisa?
FILOSOFANDO
CULTURA
O que difere o ser humano dos outros
animais, além da proporção dos membros e
do volume do cérebro, são as características
culturais como indústria (ferramentas,
artefatos, ornamentos), valores (místico-
espirituais), instituições, costumes e
capacidade de transmissão de cultura
(linguagem).
CULTURA
Raramente alguém diz que o prazer da cultura, de criar familiaridade
com livros, discos (CDs) e filmes, de adquirir repertório e emitir opinião, de
descobrir que a humanidade não começou no ano em que nascemos, de viajar
por outras formas de ser e de pensar, é um prazer, além de múltiplo,
estruturador.
A quantidade de besteiras que deixei de fazer e a quantidade de tempo que
deixei de perder, graças à cultura, são incalculáveis. Com ela você aprende a
não por nada em primeiro plano exclusivo, a equilibrar sua psique entre vários
interesses, a se livrar de dependências de todo tipo, inclusive a amorosa. Não é
a frustração em um aspecto da vida que poderá ruí-la toda.

Daniel Piza, O Estado de São Paulo, 2002
REFLEXÃO SOBRE CULTURA
LINGUAGEM
LINGUAGEM
LINGUAGEM
Forma de comunicação que
se manifesta através de uma
linguagem própria e que
está inserida no âmbito da
cultura em geral.
ARTE


As artes plásticas ou belas-artes são as formações expressivas realizadas
utilizando-se de técnicas de produção que manipulam materiais para construir
formas e imagens que revelem uma concepção estética e poética em um dado
momento histórico.

O artista plástico lida com papel, tinta, gesso, argila, madeira e metais,
programas de computador e outras ferramentas tecnológicas para produzir suas
peças.

O surgimento das artes plásticas está diretamente relacionado com a evolução
da espécie humana. Elas surgiram na pré-história. Existem diversos exemplos
da pintura rupestre em cavernas. Até os dias atuais há sempre uma necessidade
de expressão artística utilizando novos meios.
ARTE
A arquitetura do grego αρχή [arkhé] significando "primeiro" ou
"principal" e τέχνη [tékhton] significando "construção") refere-se
à arte ou a técnica de projetar e edificar o ambiente habitado pelo
ser humano.

Trata destacadamente da organização do espaço e de seus
elementos: em última instância, a arquitetura lidaria com
qualquer problema de agenciamento, organização, estética e
ordenamento de componentes em qualquer situação de arranjo
espacial.
ARTE
O cinema é chamado de “sétima arte”. As outras artes são
arquitetura, pintura, escultura, música, literatura e teatro
(incluindo a dança). São as chamadas Belas Artes, conceito que
surgiu na Europa no final do século XVIII, junto com a
proliferação das Academias de Arte, e que designa atividades
preocupadas com a criação do belo, independente da sua utilidade
prática. Quando, um século depois, as academias se
transformaram em Escolas de Belas Artes, a expressão já estava
consolidada - então com apenas seis artes. O cinema, inventado
pelos irmãos Auguste e Louis Lumière no final do século XIX, é
o lanterninha da lista. Foram os críticos e teóricos franceses, no
começo do século XX, os primeiros a chamar o cinema de "sétima
arte".
Nosso estudo se
restringirá aos estudo das
Artes Plásticas e
Arquitetura.
ARTE
A arte pode ser percebida em nosso
cotidiano em afazeres e situações
simples como dispor os móveis de casa
ou escolher uma cor de roupa. O ser
humano se destaca na natureza por ser
o único a buscar razões estéticas para
viver.
ARTE
Parte da filosofia voltada
para a reflexão a respeito da
beleza sensível e do
fenômeno artístico.
ESTÉTICA
Etimologicamente, isto é, em sua origem, a
palavra estética é um adjetivo significando
“que tem a faculdade de sentir ou
compreender; que pode ser
compreendido pelos sentidos.”
ESTÉTICA
Termo criado pelo filósofo alemão
Alexander Baumgarten (1714-1762) que se
define como a ciência das faculdades
sensitivas humanas, investigadas em sua
função cognitiva particular, cuja perfeição
consiste na captação da beleza e das formas
artísticas.
ESTÉTICA
Segundo o filosofo Emannuel Kant,
estética é o estudo dos juízos por meio
dos quais os seres humanos afirmam
que determinado objeto artístico ou
natural desperta universalmente um
sentimento de beleza ou sublimidade.
ESTÉTICA
 O que é a beleza?
 O belo e a beleza são a mesma coisa?
 Beleza e um conceito objetivo ou
subjetivo?
 O beleza é a mesma em todas as épocas?
 A beleza é uma necessidade humana?
Originário do Grego kalós; pelo Latim bellum, beleza é
um termo contraditório e defini-lo é uma tarefa árdua,
já tentada sem sucesso muitas vezes.

As representações do belo não podem ser definidas a não
ser mediante critérios subjetivistas e as teorias da beleza
desembocam necessariamente em especulações
metafísicas.
CONCEITO DE BELEZA
É possível afirmar que a a consciência estética é
de caráter inato ao ser humano e a beleza é uma
necessidade que observamos por exemplo nas
crianças, em cujos desenhos, além de
representações da natureza contém já
desenvolvimentos de uma consciência estética, o
que também se pode observar nas obras dos povos
primitivos.
CONCEITO DE BELEZA
O belo é uma percepção subjetiva que
nos causa uma emoção e nos leva a um
estado de alma diferente. Estado em
que intimamente sentimos como mais
elevado, mais íntimo, mais totalizador.
CONCEITO DE BELEZA
O Belo é útil aos seres humanos, já
que os torna seres especiais e
acrescenta significados poéticos à
vida. Promove o estado de espírito a
que se denomina felicidade.
CONCEITO DE BELEZA
Há tempos o ser humano busca isolar a
raiz oculta das coisas belas na tentativa
de vasculhar sua origem e explicar se
há uma matriz comum em objetos
considerados belos. (porque alguns
objetos nos parecem belos e outros
não?)
CONCEITO DE BELEZA
A maioria das civilizações buscam a
beleza, substrato do belo e a associam a
seu desejo de transcendência
relacionando-a a perfeição, eternidade,
imortalidade e divindade.
CONCEITO DE BELEZA
A beleza é identificada como um
princípio invisível, que atrai emoções,
tida como essência do divino que os
seres humanos só esporadicamente
entreveem. Por isso considerada
aspiração sagrada que pertence ao
campo do mágico e do religioso.
CONCEITO DE BELEZA
"O mais alto objetivo da Arte é o
que é comum à Religião e à
Filosofia. Tal como estas, é um
modo de expressão do divino,
das necessidades e exigências
mais elevadas do espírito."
Hegel
Teorias materialistas, no entanto,
negam que haja causas originais ou
formulações universais para o belo. Ele
seria um mero produto das sensações.
Especulações sobre sua essência
escapam a nossa capacidade sensitiva.
CONCEITO DE BELEZA
A noção de beleza deve ser
compreendida como algo variável
de tempo para tempo, sociedade
para sociedade (
), cultura para cultura.
CONCEITO DE BELEZA
Valores sobre gosto, considerados
importantes numa época deixam
de sê-lo no período seguinte para
reaparecer, adaptados, em um
período subsequente.
CONCEITO DE BELEZA
Tendo como legado a cultura grega,
nosso gosto ocidental (transmitido
pelos europeus colonizadores) tende
a fazer juízo de beleza a partir do
legado da cultura greco-romana
(anatomia esbelta, relação entre belo
e bem etc.)
CONCEITO DE BELEZA
Ao apreciar a obra de arte (plástica,
literária etc.) é importante o
conhecimento e a aproximação com o
universo que engendrou a obra e
compreensão dos princípios que a
nortearam e os desejos que a
conceberam.
CONCEITO DE BELEZA
Principiantes
querem admirar a
perícia do artista em
representar as coisas
tal como eles as
veem. Talvez fosse
mais excitante se nos
livrássemos das
idéias pré-
concebidas e
estivéssemos abertos
às novidades.
A nossa tendência é
preferir expressões
artísticas óbvias,
mas, à medida que
vamos nos
familiarizando e
adquirindo o
entendimento das
diferentes
linguagens
artísticas
poderemos preferir
obra com expressão
menos óbvia.
... talvez
fosse mais
excitante se nos
livrássemos das
idéias
preconcebidas e
estivéssemos
abertos às
novidades.
Não existe uma única e
definitiva História da arte, mas sim várias
versões dessa História concebidas a partir
de conceitos de beleza e de importância que
seu contexto estabeleceu como tal. Assim
sendo pode se falar em uma história da
história da arte.
Histórias da Arte
Algo fundamental para o estudo da
história da Arte é contextualizar
autor e obra observando os valores a
que estão ligados em seu tempo
através de dados biográficos e
bibliográficos.
Histórias da Arte
Ao estudar a História da Arte segue-
se o princípio da linearidade
cronológica, sob uma ótica ocidental,
abordando outras culturas (médio-
oriental, oriental) na medida em que
tenham influenciado o “olhar”
(concepção, gosto) ocidental.
Histórias da Arte
A iconografia é um procedimento
de para análise da
obra de arte que trata de como os
objetos são construídos, sua
materialidade e elementos
reconhecíveis.
Iconografia
A iconografia considera como a
obra foi executada, pensando
em seu suporte e nas
implicações decorrentes da
materialidade.
Iconografia
Material: mármore.

Medidas: 4,10m (em um só bloco de mármore).

Tempo de execução: 1501 a 1504.

Problemas de acondicionamento: transportado
em trilhos de trem para a Academia.

Iconografia
Procedimento de
para análise da obra de arte que
trata da compreensão da imagem
pelo viés ideológico
(correspondente aos fundamentos
conceituais da ação artística).
Iconologia
Contexto renascentista: antropocentrismo,
busca da perfeição, rigor técnico.

Simbologia: o conhecimento que vence o
obscurantismo.

Implicação política: Florença (Firenzi)
destaca-se como polo irradiador de ilustração,
conhecimento e arte.
Iconologia
São dois procedimentos
complementares que, utilizados em
cooperação, permitem uma leitura
conjunta da corporeidade da obra de
arte e sua relação com a ideia que a
motivou. (corpo e alma, matéria e
espírito da obra.
Iconologia

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful