Você está na página 1de 39

Bibliotecas Escolares:

Modelo de Auto - Avaliação


DA
AUTO- AVALIAÇÃO DA
BIBLIOTECA ESCOLAR
ENQUADRAMENTO

 Estudos internacionais mostram que as


Bibliotecas Escolares (BE) contribuem
positivamente para o ensino e a
aprendizagem, podendo estabelecer-
se uma relação entre a qualidade do
trabalho da e com a BE e os resultados
escolares dos alunos.
O sucesso da BE é, com efeito, condicionado
por vários factores:

Sociedade

BE ME-RBE

(…)
… a saber:

 o currículo e a forma como está organizado;

 os valores, modelos e as práticas de


transmissão/apropriação do conhecimento;
 a atitude e o reconhecimento do órgão
directivo;
 a cultura da escola;

 os estilos implicados no processo de


ensino/aprendizagem.
ASSIM SENDO…

…as relações que se


estabelecem entre a escola
e a biblioteca escolar podem
assumir-se como
determinantes ou inibidoras
do sucesso de ambas.
CONTRIBUTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR

A BIBLIOTECA
ESCOLAR É
ESSENCIAL
PARA…

…as
aprendizagens
dos alunos
É NESTE CONTEXTO QUE SURGE A PROPOSTA PARA A
AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES
INTEGRADAS NA RBE

“TORNA-SE DE FACTO RELEVANTE

OBJECTIVAR A FORMA COMO SE ESTÁ A CONCRETIZAR O

TRABALHO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES, TENDO COMO PANO

DE FUNDO ESSENCIAL O SEU CONTRIBUTO PARA AS

APRENDIZAGENS, PARA O SUCESSO EDUCATIVO E PARA A

PROMOÇÃO DA APRENDIZAGEM AO LONGO DA VIDA. ”

(MODELO DE AUTO- AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES )


AVALIAR PARA QUÊ?

 Conhecer o que estamos a fazer para


Perspectivar o que vamos fazer a seguir

 Planear para o desenvolvimento – transformar boas ideias em


boas práticas; estabelecer metas (realistas)

 Melhorar o perfil de desempenho

 Contribuir para a afirmação e reconhecimento da BE (interno e


externo)

 Promover o benchmarking /esforço maior para onde há pior


desempenho

 Usar estrategicamente a informação: melhoria das políticas


dirigidas à BE
AVALIAR COMO?

 Estabelecer prioridades – não se pode “medir”


tudo

 Identificar as evidências mais significativas

 Articular elementos quantitativos e qualitativos


(valor)
ENVOLVIMENTO DA ESCOLA
O PROCESSO DE AUTO –AVALIAÇÃO E O ENVOLVIMENTO DA ESCOLA
Domínios a avaliar

Apoio ao Desenvolvimento Curricular

Leitura e Literacias

Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de


Abertura à Comunidade Educativa

Gestão da BE
2009/2010

 O domínio escolhido, este ano lectivo, para ser


feita a auto-avaliação foi:

“A Gestão da Biblioteca Escolar”


MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO BE
Domínios/Subdomínios

Domínios Subdomínios
A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular A.1 Articulação curricular da BE com as
estruturas pedagógicas e os docentes
A.2. Desenvolvimento da literacia da
informação
B. Leitura e Literacias

C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e C.1. Apoio a actividades livres, extra-


de Abertura à Comunidade curriculares e de enriquecimento curricular
C.2. Projectos e parcerias
D. Gestão da Biblioteca Escolar D.1. Articulação da BE com a Escola/
Agrupamento. Acesso e serviços prestados
pela BE
D.2. Condições humanas e materiais para a
prestação dos serviços
D.3. Gestão da colecção/da informação
A aplicação do Modelo

• A aproximação à realidade será feita por etapas,


tendo em conta o contexto interno e externo da
BE, devendo levar a seleccionar o domínio a ser
objecto de aplicação dos instrumentos.

• O ciclo completa-se ao fim de quatro anos e


deve fornecer uma visão holística e global da BE.

• Cada etapa compreende um ciclo.


Identificação do
Selecção do domínio
problema

Recolha de EVIDÊNCIAS

Análise da informação recolhida

Realização das mudanças necessárias

Recolha de novas evidências acerca do


ETAPAS DO PROCESSO

CICLO
impacto dessas mudanças

Divulgação dos resultados ao Director e


Conselho Pedagógico

Realização das mudanças necessárias

Elaboração do Relatório de Auto-avaliação e


Plano de Melhoria/ Integração na avaliação
da Escola
Os perfis de desempenho caracterizam o que se espera
da BE, face à área analisada
4 níveis
4
NÍVEL DESCRIÇÃO descritores
A BE é bastante forte neste domínio. O trabalho
4 desenvolvido é de grande qualidade e com impacto
bastante positivo.

A BE desenvolve um trabalho de qualidade neste


3 domínio mas ainda é possível melhorar alguns aspectos.

A BE começou a desenvolver trabalho neste domínio,


2 sendo necessário melhorar o desempenho para que o
seu impacto seja mais efectivo.

A BE desenvolve pouco ou nenhum trabalho neste


1 domínio, o seu impacto é bastante reduzido, sendo
necessário intervir com urgência.
O MODELO: A AVALIAÇÃO E OS CONCEITOS ESSENCIAIS

 A auto-avaliação é encarada como um


instrumento pedagógico de regulação e melhoria
contínua .
 A auto-avaliação permite avaliar o trabalho da
Biblioteca Escolar e o impacto desse trabalho no
funcionamento global da Escola e nas
aprendizagens dos alunos.
 A auto-avaliação identifica áreas de sucesso e
áreas mais fracas, permitindo a identificação das
necessidades com vista à sua melhoria.
(…)
O MODELO: A AVALIAÇÃO E OS CONCEITOS ESSENCIAIS

 A avaliação não é um fim em si mesma. É


encarada como processo e não algo de
ocasional que co-responsabiliza a BE e a ESCOLA.
 A auto-avaliação fornece indicadores de
performance:
- identifica impactos nos utilizadores;
- permite ver o que foi feito e o que falta fazer;
- assinala o que é necessário melhorar;
- afere a eficácia dos serviços prestados.
 Aponta para uma reflexão orientada para a
mudança – envolvimento colectivo.
Recolha sistemática ao longo do ano lectivo

ÍNDICES DE UTILIZAÇÃO DA BE

Os instrumentos criados para auto-avaliação da


BE podem ser adaptados à realidade de cada
BE. De acordo com a RBE os questionários
deverão ser aplicados a 20% de professores e a
10% de alunos.
Auto-Avaliar a BE
O que é
que vamos
fazer
agora?
Etapas do Processo
1. Escolher o domínio a avaliar

Iniciativa do Professor
Bibliotecário/
Equipa

Contexto da Escola

Debater com Conselho Apresentar ao


Executivo Conselho Pedagógico
Etapas do Processo
2. Identificar o problema de
partida/Estabelecer prioridades

Como não é possível “medir tudo”, ter em


conta...

...a selecção dos indicadores a avaliar


...a vontade expressa pelos professores
...as necessidades dos alunos
Etapas do Processo
3. Aplicar os instrumentos de
medida

 Questionários, grelhas de observação a

alunos, professores e pais/Encarregados


de Educação
Etapas do Processo
4. Gerir as evidências (ao longo do
ano de forma regular)

 Seleccionar as evidências significativas


 Verificar se a fiabilidade das fontes
 Articular elementos quantitativos e
qualitativos
Etapas do Processo
5. Comunicar os Resultados

• Comunicação à:

Escola – Apresentação e discussão do Relatório de


Auto-Avaliação no Conselho Pedagógico

Síntese a integrar no Relatório de Auto-Avaliação da Escola

Orientará o Coordenador aquando da Avaliação Externa pela IGE

RBE – Envio do Relatório de Auto-Avaliação


O PROCESSO e o Envolvimento da
Comunidade Educativa
O professor bibliotecário/equipa devem interagir com:
• Director – deve ser líder colaborador no processo,
aglutinando vontades e acções, de acordo com o
poder que a sua posição lhe confere.

• Conselho Pedagógico – o seu envolvimento


confere credibilidade ao processo, pelo que a sua
acção deve ser activa e responsável.

• Alunos, pais e professores – disponibilizando


informação sobre o processo de auto-avaliação
da BE, a fim de possibilitar contributo de cada um,
individualmente ou enquanto inserido em diversas
estruturas
Etapas do Processo
4. Gerir as evidências (ao longo do
ano de forma regular)

Tratamento da Informação

Analisar Verificar
Interpretar Redefinir
Retirar ilações

Situar a avaliação
Elaborar Identificar pontos
utilizada num Nível
Planos de fracos e pontos
de Desempenho
Melhoria fortes
A AVALIAÇÃO DA BE IMPLICA UM TRABALHO
COLABORATIVO…

QUESTIONÁRIOS/ENTREVISTAS E
GRELHAS DE OBSERVAÇÃO…
ALUNOS

VIABILIZAÇÃO DO PROCESSO/
ÓRGÃO DE PLANOS DE
GESTÃO ACÇÃO/QUESTIONÁRIOS,
CONSELHO ENTREVISTAS, PLANIFICAÇÕES
PEDAGÓGICO EM ARTICULAÇÃO
DEPARTAMENTOS RELATÓRIOS/ACTAS GRELHAS/
PROFESSORES DIVULGAÇÃO DE
ACTIVIDADES…

PARTICIPAM NAS ACTIVIDADES


ENCORAJAM OS FILHOS A
ENC. EDUCAÇÃO
PARTICIPAR NAS ACTIVIDADES…
Avaliação da BE necessidade de envolvimento
de todos os intervenientes no processo educativo

Prof. Bib./ Professores, Conselho


Director
Equipa da BE Alunos, EE Pedagógico

Capacidade de Acompanhamen- Colaboração nas Discussão e


liderança, to e coadjuvação respostas a parecer sobre:
organização e do processo inquéritos e (PEE, PCE, RI
análise de Apoia o Professor grelhas de Planos de Acção)
evidências Bibliotecário observação
Trabalho de cola- Analise de relató- Planificação e di- - Relatório de
boração /identi- rios/ namização conjun- Auto-Avaliação
ficação de recur- Elaboraçãode tamente com a - Plano de
sos e desenvolvi- recomen- BE Melhoria
mento de activida- dações Objectividade e - Comunica
des conjuntas seriedade nas acções e
respostas resultados

Todos adopção de uma Cultura de Avaliação


AUTO-AVALIAÇÃO DA BE
IMPACTO NA BIBLIOTECA ESCOLAR

VALORIZAÇÃO DA BE PELA
COMUNIDADE EDUCATIVA

AUTO
RECONHECIMENTO DO
RESPONSABILIZAÇÃO DA
TRABALHO DA BE
BE
IMPACTOS

 Proporciona uma nova visão da BE – de um espaço organizado com


recursos destinado ao acesso da informação e ao lazer a um espaço
de trabalho e de construção do conhecimento

 Planifica estrategicamente o trabalho, tendo em conta o Projecto


Educativo da Escola

 Perspectiva um trabalho colaborativo entre a BE e os professores no


sentido de:
– favorecer a utilização e a integração dos recursos nas estratégias
de ensino-aprendizagem
– contribuir para a dinamização de actividades no âmbito da
promoção da leitura e de literacia da informação
– possibilitar elaborar planos de intervenção feitos de acordo com
as necessidades individuais dos alunos
(…)
IMPACTOS

 Redefine práticas e processos pedagógicos centrados no aluno

 Elabora planos de desenvolvimento orientados para as literacias e


para o apoio ao currículo com impacto na aprendizagem dos
alunos

 A BE torna-se um centro de conhecimento -


- valorização da BE

 Leva à partilha de estratégias pedagógicas e actividades bem


sucedidas com alunos.

 Permite integrar a auto-avaliação da BE na avaliação interna e


externa da Escola
IMPACTO NAS APRENDIZAGENS

AUTO-AVALIAÇÃO DA BE
OPERA MUDANÇAS NAS
PRÁTICAS DOS PROFESSORES
OPERA MUDANÇAS
NAS PRÁTICAS DOS
ALUNOS
MELHORA A QUALIDADE DAS
APRENDIZAGENS
CONTRIBUIU PARA A MELHORIA
DO SUCESSO EDUCATIVO
INTEGRAÇÃO DOS
RESULTADOS NA AUTO-
AVALIAÇÃO DA ESCOLA
COMUNICAÇÃO E INTEGRAÇÃO DOS RESULTADOS NO RELATÓRIO
DE AVALIAÇÃO DA ESCOLA

 Apresentação do relatório síntese de auto-avaliação deverá


contemplar medidas para a melhoria - o CP emitirá o seu
parecer.
 Divulgação junto das outras estruturas da Escola.
 Integração da síntese no relatório anual da Escola.
 Os resultados servirão de base de trabalho para a Avaliação
Externa da escola pela IGE, cujo relatório final deverá avaliar o
impacto da BE na Escola
Bibliografia

 Johnson, Doug (2005) Getting the Most from Your School Library Media Program,
Principal. Jan/Feb 2005
 McNicol, Sarah (2004) Incorporating library provision in school self-evaluation.
Educational Review, 56 (3), 287-296

 Scott, Elspeth (2002) How good is your school library resource centre? An
introduction to performance measurement. 68th IFLA Council and General
Conference August.

Lucília Mendonça/Nov/2009
 Todd, Ross (2002) School librarian as teachers: learning outcomes and evidence-
based practice. 68th IFLA Council and General Conference August.

 Todd, Ross, School Libraries and Evidence-Based Practice: Dynamic Strategies and
Outcomes (2003)

 Bibliotecas escolares: Modelo de Auto-Avaliação(2007), RBE

 Texto da sessão