Você está na página 1de 93

Os primórdios da

PSICOLOGIA
- é representado por um tridente, semelhante à 23ª letra do
alfabeto grego, denominada psi.

- psicologia = psiche ("alma, sopro”) + logos ("estudo“), ou seja,


o “estudo da alma”.
COMPETÊNCIAS
Formação do aluno em três dimensões

• qualidades • qualidades • qualidades


técnicas sócio- básicas
profissionais

Técnico Trabalhador Pessoa


Descobrir a Psicologia

1. Psicologia
• 1.1 Definição e objeto de estudo
• 1.2 A especificidade da Psicologia enquanto ciência:
2. Os primórdios da Psicologia: evolução como ciência
3. Psicologia – áreas de especialização
OBJETIVOS
Definir Psicologia e o seu objeto de estudo.
• Conhecer a influência da Filosofia na autonomização da Psicologia como ciência.
• Identificar a era da Psicologia experimental e o trabalho de Wundt.
• Compreender o método introspetivo e as suas limitações.
• Conhecer a experiência do reflexo condicionado de Pavlov e a sua influência na Psicologia científica.
• Compreender o trabalho de Watson e o conceito de behaviorismo.
• Conhecer a segunda tópica de Freud e o método psicanalítico.
• Reconhecer os conceitos inovadores de Freud na história do estudo do comportamento humano.
• Perceber a necessidade de utilizar diferentes metodologias para o estudo do ser humano.
• Compreender áreas de especialização da Psicologia.
• Reconhecer a necessidade de especialização para que o presente e o futuro da Psicologia apontam
OBJETO DE ESTUDO DA PSICOLOGIA

é o estudo cientifico do comportamento e dos


processos mentais.
Exemplos: falar alto, correr, corar, dormir,
chorar, abraçar, beijar, agredir, ferir
Exemplos: Pensamento, Raciocínio, Sonho e Sono,
Sensação e Perceção, Sentimentos, Atitudes
A complexidade do comportamento humano
implica que, para o
compreender, a psicologia recorra ao
contributo de várias áreas do saber
entre elas:
- a neurologia;
- a psiquiatria;
- a zoologia;
- a ecologia...
OPINIÕES

CIÊNCIAS
1879 – funda o 1º laboratório de Psicologia
WUNDT - fundação da Psicologia como Ciência (Experimental)
T - a perspetiva teórica defendida por Wundt é conhecida
como estruturalismo

• Concebe a psicologia como o estudo da mente, 1832-1920


(Alemanha) médico,
mais especificamente, o estudo da consciência e filósofo e psicólogo
alemão. É
os elementos simples que a constituem (as considerado um dos
fundadores da
sensações, sentimentos e imagens) moderna psicologia
experimental junto
com Ernst Weber e
Gustav Fechner.
• Para investigar a consciência, utilizou o método da introspeção controlada.

auto-observação que o
sujeito faz do que se passa na sua
consciência quando sujeito a
estímulos.

Esta auto-observação é realizada segundo critérios preestabelecidos e,


posteriormente, é feito o respetivo registo.
Quando temos um cacho de
uvas combinamos uma
sensação física (o que
vemos) com os sentimentos
(gostar ou não de uvas) e
imagens (recordações de
cachos de uvas)
Os estados de consciência, por
mais complexos que possam
parecer, como o raciocínio
abstrato, podem ser reduzidos
a elementos simples e resultam
da sua combinação.
- consiste na auto-observação experimentalmente
controlada dos estados psíquicos

- O sujeito descrevia verbalmente determinado estado de consciência,


com o maior rigor possível, sem descrever como os eram
constituídos os objetos
- Deve ser possível repetir a observação várias vezes
- As condições experimentais devem ser passíveis de variação
Wundt
- procurava principalmente juízos conscientes do sujeito acerca do tamanho, da
intensidade e da duração de vários estímulos físicos, ou seja, juízos quantitativos, medidas
objetivas, como por exemplos os tempos de reação

A partir destas medidas objetivas, Wundt inferia informações acerca


de elementos e processos conscientes

Nota: apenas um número reduzido de estudos envolvia avaliação de aspetos qualitativos e


subjetivos, como o carácter agradável ou não de diferentes estímulos, a intensidade das
imagens ou a qualidade de determinadas sensações.
CRÍTICAS AO MÉTODO INTROSPETIVO

1. A introspeção é um método que limita em demasia o campo de investigação


psicológica.
Domínios importantes da investigação psicológica, como o comportamento animal, o desenvolvimento
infantil, as perturbações e distúrbios comportamentais, não podem ser estudados utilizando o método
introspetivo.
2. A introspeção é uma retrospeção
Há uma diferença evidente entre viver uma determinada experiência consciente e transmitir
verbalmente a informação sobre o estado de consciência vivido, pois a vivência e a descrição da
vivência não acontecem simultaneamente: o que se descreve é algo que já passou ou foi vivido. Por isso,
há o risco da descrição ser incompleta, imprecisa e também é inverificável os dados que ela fornece.
CRÍTICAS AO MÉTODO INTROSPETIVO

3. A introspeção modifica a experiência psíquica


Tomar consciência de um estado psíquico é uma atividade psíquica que modifica necessariamente o
fenómeno que se observa. Uma coisa é a vivência a descrever, outra coisa a auto-observação e
análise de tal vivência.

4. Na sua forma clássica, a introspeção não permite o acesso a zonas do


psiquismo, reconhecidamente importantes, que escapam à consciência.
Os processos psíquicos inconscientes, desde Freud, reconhecidos como importantes na nossa vida
mental, não são alcançáveis mediante a metodologia proposta por Wundt.
CRÍTICAS AO MÉTODO INTROSPETIVO

5. Para existir observação de tipo científico é necessário que o sujeito que


observa e o objeto a ser observado se distingam.
Segundo Comte, é impossível que o sujeito que observa os seus estados de consciência se possa
dividir em dois: em sujeito que vive a experiência e em sujeito que se veria a viver essa experiência.
Daí que os estados de consciência não possam ser estudados objetivamente, não são factos
científicos.
6. Os conhecimentos ou dados que a introspeção visa alcançar só podem ser
comunicados pela linguagem e há experiências que são muito difíceis de
exprimir verbalmente através de palavras.
IVAN PAVLOV

• Este investigador centrou os seus estudos nos reflexos, abrindo um


novo caminho para o objeto da psicologia: o comportamento. 1849-1936
(Rússia) fisiólogo
russo. Foi
premiado com o
• As várias experiências realizadas com animais (cães) permitiram-lhe Nobel de Fisiologia
desenvolver a teoria do condicionamento clássico. ou Medicina de
1904, por suas
descobertas sobre
os processos
digestivos de
animais.
O CONDICIONAMENTO CLÁSSICO

• Antes do condicionamento
ENC (alimento) → RNC (salivação)
EN (som da campainha) → Nenhuma resposta relevante

• Durante o condicionamento (treino)


EN (som da campainha) + ENC (alimento) → RNC (salivação)

• Após o condicionamento
EC (som da campainha) → RC (salivação)
O CONDICIONAMENTO CLÁSSICO

• Quando associamos
repetidas vezes um
EN a um ENC, o EN
torna-se num EC,
provocando um RC.
WATSON
•Este investigador foi determinante para a definição da psicologia como a
ciência dos comportamentos.
1878-1958 (EUA)
psicólogo
•Considera o comportamento observável o objeto de estudo da americano,
fundador do
psicologia. behaviorismo, ou,
comportamentalis
• Para Watson, o comportamento é o mero resultado de estímulos, não mo.
reconhecendo qualquer dimensão inata do comportamento.

• nós somos um mero produto do meio.


Para Watson, estudar o comportamento
observável implica compreender a
relação estabelecida entre estímulo (E) e
a resposta (R).

O comportamento humano é assim o resultado da relação


direta de associação entre estímulos e respostas.
E–R
“Dêem-me uma dúzia de crianças saudáveis, bem constituídas e a espécie de mundo que
me é necessário para as educar, e eu comprometo-me, tomando-as ao acaso, a formá-las
de tal maneira que se tornem um especialista da minha escola, médico, comerciante,
jurista e mesmo mendigo ou ladrão, independentemente dos seus talentos, inclinações,
tendências, aptidões, assim como da profissão e da raça dos seus antepassados.”

J.Watson in Behavorism
Watson desvaloriza as influências genéticas ou hereditárias ou mesmo
caraterísticas da personalidade, face à influência determinante do meio.

Os comportamentalistas concebem a relação entre estímulos e respostas


de forma mecânica, i.e., acreditam que determinados estímulos
produzem invariavelmente determinadas respostas.
Jacques Lacan, Melanie Klein, Sigmund Freud e
Carl Gustav.
SIGMUND FREUD

• Segundo Freud, a construção da nossa personalidade e os nossos


comportamentos estão determinados, em grande medida, pelo 1856-1939
(República Checa –
inconsciente. Reino Unido)
Sigmund Schlomo
• Freud valoriza a dimensão inconsciente da mente e da Freud, mais
conhecido como
irracionalidade que motiva os comportamentos. Para além disso, Sigmund Freud,
defende que a sexualidade tem uma importância central no foi um médico
neurologista e
desenvolvimento do ser humano. criador da
Psicanálise.
FREUD – MODELO TOPOGRÁFICO

• Consciente (os sentimentos, os


afetos e os pensamentos)

Pré-consciente (nele residem


memórias que não estão acessíveis
diretamente ao consciente)

Inconsciente (os desejos, desejos sexuais


inaceitáveis e agressivas, os traumas de
infância e os recalcamentos (recordações
penosas))
ID
• O Id é a zona inconsciente, primitiva, instintiva, a partir da qual se
formam o ego e superego.
• Existe desde o nascimento
• É constituído por pulsões sexuais (libido) instintos e desejos
completamente desconhecidos.
• Não se orienta por normas, regras ou princípios morais, sociais ou
lógicos.

• Rege-se pelo princípio do prazer


EGO

• O Ego é a zona fundamentalmente consciente, que se forma a partir do Id.

Rege-se pelo princípio da realidade, orientando-se por princípios


lógicos e decidindo quais os desejos e impulsos do Id que podem ser realizados.
• Tem de gerir as pressões que recebe do Id e as que recebe do superego;
• É lógico e racional;
• Forma-se durante o 1ºano de vida.
SUPEREGO

• O Super Ego é a zona do psiquismo que corresponde à interiorização das normas,


dos valores sociais e morais
• Resulta do processo de socialização (interiorização de modelos como os pais,
professores e outros adultos)
• Pressiona o Ego para controlar o Id; Funciona como censura face às pulsões do Id
• É a componente ética e moral do psiquismo.
• Forma-se entre os 3 e os 5 anos.
MÉTODO PSICANALÍTICO
(“Cura pela palavra”)

• Este método criado por Freud consiste na aplicação de vários procedimentos


através dos quais o paciente tem acesso aos conteúdos do inconsciente, como
recalcamentos e traumas, que estavam na origem dos seus distúrbios.

• Procedimentos:
• Associação livre;
• Interpretação de sonhos;
• Análise de atos falhados;
• Processo de transferência inerente à relação psicanalista/paciente.
Exemplos de Atos Falhados:
1) O Presidente da Câmara dos Representantes
Austríaca teria uma vez dado inicio à reunião dizendo:“Senhores, verifico a presença de
tantos deputados que, por isso, declaro a sessão encerrada” Para Freud, este lapso traduz
o desejo inconsciente de se ir embora;

2) Um homem que declarou “Está um belo sono, em vez de “”Está um belo sol”
manifesta inconscientemente o desejo de dormir;

3)Uma mulher, querendo saber notícias de uma amiga de longa data, telefona- lhe e, por
erro, chama-lhe o nome de solteira, sabendo que ela tinha adotado o apelido do marido.
Na realidade, não só não concordava com isso, como detestava o marido da sua amiga.
O que é a transferência
psicanalista/paciente?

• O paciente pode, a certa altura, começar a relacionar-se com o terapeuta como se ele
fosse um pai excessivamente protetor, uma mãe intolerante e demasiado crítica, um irmão
detestável.

• Acontece também com frequência que o analista seja objeto de amor e de afeto. Freud
considerou sempre que o psicanalista não é o real alvo destes sentimentos. É um alvo
substituto.

• Os pacientes transferem para o analista sentimentos característicos da relação com


pessoas significativamente importantes.
DICOTOMIAS
O construtivismo
JEAN PIAGET
(1896-1980)

• psicólogo suíço

• desenvolveu investigação para


conhecer o comportamento
intelectual, o desenvolvimento
cognitivo
Para Piaget, a psicologia tem como:

• a inteligência, o desenvolvimento
1. Objeto de estudo
intelectual

2. Método • observação naturalista

• investigar o modo como as estruturas


do conhecimento e da inteligência se
3. Finalidade formam e desenvolvem
• desenvolver uma teoria sobre
o desenvolvimento cognitivo

Problemas e conceitos teóricos estruturadores da Psicologia


Desenvolvimento cognitivo como construção

Piaget supera duas conceções antagónicas:

• inatismo – o sujeito é determinado pelas potencialidades


transmitidas por hereditariedade

• behaviorismo – o comportamento humano e o desenvolvimento


dependem apenas do meio ambiente em que o sujeito está inserido

• Piaget rejeita o carácter passivo do sujeito afirmando que na


construção das estruturas mentais do conhecimento há uma
interação entre hereditariedade e meio – perspetiva construtivista

Problemas e conceitos teóricos estruturadores da Psicologia


Desenvolvimento cognitivo como construção

Desenvolvimento
cognitivo

Adaptação Construtivismo

Assimilação Sujeito

Acomodação Meio

Estádios de
desenvolvimento

Problemas e conceitos teóricos estruturadores da Psicologia


Desenvolvimento cognitivo como construção

O Conhecimento é um processo de adaptação


ao meio.

Não somos simples produtos do meio. Temos um


papel ativo:
•Na construção dos esquemas ou estruturas que nos
permitem conhecer e interpretar a realidade

O indivíduo, através das suas ações sobre o meio, tem


um papel na construção do conhecimento e da sua
personalidade.
Desenvolvimento cognitivo como construção

O Comportamento (R) é uma resposta que varia em função da


interação entre a personalidade do sujeito (P) e a situação (S).
Para compreendermos o comportamento de um individuo, em
determinado caso, temos de
considerar dois fatores:
R = f (S P)
1. A influência da personalidade
na situação;
2. A influência das situações
anteriormente vividas por
alguém na formação da sua
personalidade
Desenvolvimento cognitivo como construção

Construção
Ativa do
Sujeito

Processo Mudanças
Descontínuo Qualitativas
Desenvolvimento cognitivo como construção

Hereditariedade e
Maturação Física

Piaget refere‐ sea mudanças biologicamente


determinadas no desenvolvimento Psico e
neurológico que ocorrem de forma relativamente
independente em relação às experiências
Desenvolvimento cognitivo como construção

Fatores do Desenvolvimento

Experiência

Experiência para Piaget significa a atividade


(física e mental) do sujeito sobre os objetos
que permite distingui-los e organizá‐ os. Através
dessa atividade, formam‐ se as estruturas ou
esquemas que possibilitam a ação e a
compreensão da realidade.
Desenvolvimento cognitivo como construção

Transmissão Social

Piaget refere-seao processo através do qual


somos influenciados, não pela nossa
atividade própria, mas pelo contexto social,
pela observação dos outros e pela
educação.
Desenvolvimento cognitivo como construção

Equilibração

Cada novo estádio define‐ se pelo surgimento


de novos esquemas e estruturas mais
complexos. A equilibração (verdadeiro
motor do desenvolvimento) assegura
formas de equilíbrio instável, cada vez mais
estáveis, na adaptação ao meio.
Desenvolvimento cognitivo como construção

Desenvolvimento
Cognitivo
Para Piaget, o desenvolvimento cognitivo implica que a atividade
do sujeito na interação com o meio responda aos desequilíbrios
cognitivos, procurando atingir um estado de equilíbrio entre a
assimilação e a acomodação.

Para Piaget, a
necessidade de conhecer
é um impulso inato, uma
manifestação particular
da necessidade de
sobrevivência.
Esquemas

A construção de esquemas com categorias de objetos que


podem ser chupados e agarrados é a forma de as crianças
“marcarem mentalmente os objetos com os quais se
relacionaram”.

O Bebé pode ter um esquema


de sucção, na maior parte dos
casos aplicado a mamilos.
O Esquema “agarrar e abanar”
é aplicado à manipulação de
coisas. O Esquema “sorriso” é
aplicável a rostos humanos.
Desenvolvimento cognitivo como construção

Esquema
s
A partir de um certo momento, os esquemas constituem-se
baseando-se mais em relações funcionais e conceptuais do
que em ações.
As crianças em idade pré-
­‐ escolar aprendem que garfos,
facas e colheres formam um
esquema ou categoria
funcional denominado “coisas
que uso para comer”.
Aprendem também que cães e
gatos constituem uma
categoria mental ou esquema
denominado “animais
domésticos”.
Mecanismos de Adaptação ao Meio

Processo adaptativo que consiste em


incorporar novas informações nos
esquemas já existentes.

A assimilação verifica‐ se quando usamos


esquemas existentes para dar sentido aos Por exemplo, os bebés
novos acontecimentos ou experiências. usam o esquema de
Através da assimilação, respondemos a sucção não só para se
uma nova situação de modo semelhante ao
alimentarem, mas
que adotámos numa situação familiar, sem
também para chuchar
necessidade de modificar os esquemas
no dedo
existentes.
Mecanismos de Adaptação ao Meio

Processo adaptativo que consiste em ajustar os esquemas


existentes a novas informações e experiências, ajustando-os.

Se os dados não podem ser


incorporados nos esquemas
existentes, é necessário o
desenvolvimento de esquemas ou Os pais sabem que as primeiras vezes que se dá de
estruturas mais apropriados. comer a uma criança com uma colher são uma
experiência desconcertante para ela:
Por exemplo, a criança que 1. Primeiro começa por usar o esquema de sucção
aprendeu a agarrar objetos (que não funciona bem)
pequenos com uma mão, apercebe- 2. Mais tarde a criança aprende a adaptar a boca e
­‐ se que outros objetos só podem a língua ao novo meio de alimentação
ser levantados com duas mãos.
Mecanismos de Adaptação ao Meio

Processo adaptativo que consiste em procurar


estabelecer um equilíbrio entre assimilação e
acomodação.

A equilibração é o verdadeiro motor


do desenvolvimento.
Promove a alternância entre
assimilação e acomodação e o
equilíbrio entre as duas.

É a equilibração que nos conduz a


patamares superiores de equilíbrio.
Nunca existe um total equilíbrio entre
assimilação e acomodação.
Desenvolvimento cognitivo
Segundo Piaget, a inteligência constrói-se em quatro estádios,
correspondendo a cada um estruturas mentais que se constroem através de
dois mecanismos – assimilação e acomodação – dos quais resulta a
adaptação
Sujeito Meio Sujeito Meio

Assimilação Acomodação
Incorporação dos dados do meio Transformação dos esquemas
aos esquemas mentais do mentais do sujeito por influência
sujeito da incorporação dos dados do
meio

Acomodaçã
Assimilação
o

Equilibração
Processo de regulação entre assimilação e acomodação

Adaptação
Estádios de desenvolvimento cada vez mais estáveis

Problemas e conceitos teóricos estruturadores da Psicologia


A Psicologia na Atualidade

A Psicologia na
Atualidade

O O humanismo António
movimento de Carl Rogers Damásio
cognitivista
- Bruner
Carl Rogers
- crítico do
behaviorismo
e da
Psicanálise

CARL ROGERS (1902-1987)


PSICÓLOGO E PSICOTERAPEUTA NORTE- AMERICANO. OS SEUS TRABALHOS
ENFATIZAM A PESSOA E BASEIAM-SE, SOBRETUDO, NA SUA EXPERIÊNCIA CLÍNICA.
CRIOU A TERAPIA CENTRADA NO CLIENTE.
DESTACA-SE COMO PIONEIRO NO DESENVOLVIMENTO DA PSICOLOGIA HUMANISTA.
CARL
ROGERS
O objetivo teórico foi
a humanização da
psicologia e a criação
de Processos
Objeto de
uma alternativa ao mentais
estudo
Psicologia behaviorismo e à conscientes
psicanálise
humanista
Método Clínico
EDUCAÇÃO
PRINCIPAIS IDEIAS
PRINCIPAIS IDEIAS

- As condições básicas são:


congruência
CONSIDERAÇÃO POSITIVA INCONDICIONAL
- A segunda condição é que “o terapeuta
demonstre respeito incondicional em relação ao
paciente”.
empatia
CARL
ROGERS

Inovei a conceção de
intervenção psicológica e
contrariei a visão pouco
humanizante da psicologia.
Defendi a importância do livre-
arbítrio.
A APRENDIZAGEM CENTRADA NA PESSOA
A APRENDIZAGEM CENTRADA NA PESSOA
A APRENDIZAGEM CENTRADA NA PESSOA
A APRENDIZAGEM CENTRADA NA PESSOA
António Damásio

• neurologista português,
investigador nos EUA

• com Hanna Damásio, investiga os


efeitos das lesões na área pré-
frontal do cérebro no
comportamento

• as suas conceções sobre a relação


da emoção com o pensamento
alteraram as perspetivas vigentes
(marcador somático)
António Damásio

1. Objeto de • a mente e a sua relação com


estudo o cérebro
• observação, testemunhos,
novas tecnologias
2. Método
(imagiologia cerebral), prática
clínica
• demonstrar a relação entre a
3. Finalidade dimensão cognitiva e a
emocional

Problemas e conceitos teóricos estruturadores da


Psicologia
PSICOLOGIA – ÁREAS DE ESPECIALIZAÇÃO

Prática Ensino Investigação


Psicológica
Investigação
• Ansiedade
• Depressão
• Plasticidade cerebral
Exemplos de temas de investigação: • Autoestima
• Resolução de problemas
• Desenvolvimento humano: infância, adolescência, adultez e velhice
• A influência dos fatores sociais no comportamento humano (atitudes,
preconceitos
• A influência de fatores genéticos no comportamento
• O papel do cérebro, do sistema nervoso e endócrino no comportamento
• Avaliação do comportamento e competências através de testes psicológicos
Áreas tradicionais:

- Psicologia Educacional
- Psicologia Clínica
- Psicologia das Organizações
Questões com que o psicólogo se Locais de trabalho
Área Objetivos
depara no seu dia-a-dia prováveis

• Promover o desenvolvimento • Escolas,


• Que fatores (pessoais, familiares
integral do individuo Universidades
e sociais) influenciam os
processos de ensino e
• Intervir em problemas de • Instituições de
Psicologia Educacional

aprendizagem?
natureza emocional que Ed. Especial
perturbem o processo educativo
• Como podem ser superados
• Prevenir dificuldades de • Unidades de
problemas de aprendizagem ou
ajustamento ao contexto escolar Inserção na Vida
de comportamento para que os
Ativa
alunos tenham melhor
• Prestar apoio psicopedagógico
desempenho na escola?
aos intervenientes no processo • Centros para a
educativo qualificação e
• Que escolhas vocacionais serão
ensino
mais ajustadas ao potencial, aos
• Aconselhamento quanto a profissional
interesses e ao projeto de vida
opções vocacionais e • Centros de
de um aluno?
profissionais estudo
Locais de
Questões com que o psicólogo se
Área Objetivos trabalho
depara no seu dia-a-dia
prováveis
• Que mudanças contribuem para melhorar
o ajustamento emocional e social das • Centros de
pessoas? Saúde

• Diagnosticar e tratar, • Como tomar decisões perante dificuldades • Hospitais


Psicologia Clínica

essencialmente, na vida pessoal, familiar ou profissional?


mediante • Clínicas privadas
psicoterapia, • Que fatores estão na origem dos
problemas problemas psicológicos avaliados e como • Consultórios
emocionais e podem ser superados através da consulta privados
comportamentais psicológica?

• Que intervenções podem prevenir


comportamentos nocivos para a saúde e
reforçar comportamentos saudáveis?
Locais de
Questões com que o psicólogo se
Área Objetivos trabalho
depara no seu dia-a-dia
prováveis
. Promover a eficácia e
satisfação no trabalho
mediante o estudo das
condições ambientais
• Que fatores podem conduzir a maior • Empresas
em que se efetua, das satisfação com o trabalho e aumentar • Associações
estruturas e do a produtividade? empresariais e
funcionamento das profissionais
Psicologia das
Organizações

organizações ligadas ao • Como apoiar nos processos de • Sindicatos


mundo do trabalho, das
recrutamento e seleção de trabalhadores? • Outras
relações interpessoais e
Instituições
das suas potenciais
fontes de conflito, das
formas de adaptação à
mudança na forma
como se trabalha
. Gerir recursos humanos
CONTEXTO ATUAL E TENDÊNCIAS FUTURAS DA

PSICOLOGIA COMO ÁREA CIENTÍFICA E COMO ÁREA

PROFISSIONAL
Normal
Psicologia experimental
Psicologia cognitiva
Psicologia da Educação
Psicologia diferencial
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do trabalho Psicologia da Criança
Ergonomia Psicologia do Desporto
Social Biológico
Psicofisiologia
Psicologia Social
Neuropsicologia
Psicologia da Saúde
Psicofarmacologia
Psicologia Criminal Psiquiatria
Psicopatologia
Psicologia clínica
Psicanálise
Patológica