Nº 51, quarta-feira, 14 de março de 2012 202 ISSN 1677-7069

Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico http://www.in.gov.br/autenticidade.html ,
pelo código 00032012031400202
Documento assinado digitalmente conforme MP n
o
-
2.200-2 de 24/08/2001, que institui a
Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil.
3
§ 4º Os membros do CÉT não podem exercer mandato na Convenção,
na CE ou no CF de mesmo nível cabendo a exceção do Presidente do
CNÉT que tem assento na CN; § 5º Na inexistência de um CÉT, as
suas funções são assumidas pelo CÉT de nível imediatamente su-
perior. Art. 34º A CEN pode criar os órgãos de ação setorial a nível
nacional que achar conveniente, deles derivando organizações re-
gionais e municipais, a serem criadas por decisões das respectivas
CE´s, todas operando segundo normas definidas pela CEN, devem
possuir: designação, metas, prazos, estruturas, recursos, organograma,
programa, orçamento, quantitativo e outros. Capítulo VI - Do Núcleo
Administrativo (NA). Art. 35º A CEN é assessorada pelo NA, in-
cumbido de desenvolver as ações de contabilidade, tesouraria, ad-
ministração do patrimônio, cumprimento da legislação geral e es-
pecífica - partidária e eleitoral - arquivos, informatização, edição do
JIOP. Art. 36º Os recursos financeiros são oriundos de: I - Con-
tribuições estatutárias dos filiados, mandatários, assessores e ocu-
pantes de cargos de confiança, conforme definição do Inciso III do
Art. 7°; II - Doações de pessoas físicas e jurídicas; III - Rendas de
eventos promovidos pelo PPB; IV - Venda de publicações e materiais
didáticos, e inscrição em cursos de formação; V - Contribuições às
campanhas partidárias; VI - Dotações legais recebidas de fundos
públicos; VII - Qualquer outra fonte, não vedada por lei nem por
considerações de cunho ético. Art. 37º Os recursos arrecadados pelos
três níveis de administração: nacional, regional e municipal, terão a
sua destinação deliberada pela CE ou CDP correspondente. Art. 38º
Todos os organismos de direção, controle e ação setorial devem
elaborar, anualmente e contando com a orientação técnica dos NA´s
correspondentes, os seus orçamentos para o exercício seguinte e as
suas prestações de contas do exercício findo. Art. 39º Nos períodos
das campanhas eleitorais, os NA´s editam notas internas para a boa
execução das normas legais referentes às questões de tesouraria, con-
tabilidade e cumprimento das formalidades de registro dos candi-
datos, campanha, apuração dos resultados e diplomação dos eleitos.
Art. 40º Cabe ao NA, quando completo o seu quadro de consultores
contábeis, financeiros e jurídicos, informar-se quanto à legislação
geral e específica federal aplicável, estudar a sua incidência na vida
partidária e orientar todos os órgãos de direção, controle e ação
setorial no sentido da adequada observância das normas em vigor: §
Único - As diretrizes expedidas pelo NA, através da Secretaria Geral
da CEN, devem ser consideradas como instruções da própria Co-
missão, e devem ser imediatamente observadas. Art. 41º Cabe ao NA
Nacional coordenar a informatização das instâncias partidárias, com
uso de: Internet, e-mail, site, legislação em vigor, banco de dados,
lista de livros e documentos, JIOP, Boletins Regionais, quadro de
filiados, dados das regionais e municipais, calendário de atividades,
das atas e outros. Capítulo VII - Dos Mandatos. Art. 42º Os pre-
tendentes a candidatos para mandatos eletivos devem ter prévia ca-
pacitação através de cursos atualizados realizados pelo partido, co-
nhecimento e ampla identificação com o programa, com as posições
políticas do PPB, o estatuto, o programa, as exigências da função
pretendida e as questões éticas envolvidas pelo mandato. Art. 43º Os
mandatos são entendidos como conquista conjunta do PPB e do
Candidato eleito, aquele contribuindo com a sua imagem, a sua dou-
trina, o seu programa, a sua trajetória e o esforço de toda a sua
militância e dos demais candidatos. Art. 44º O quádruplo critério da
competência, da ética, da disponibilidade e da adesão aos documentos
de base do PPB, deve ser observado na escolha dos nomes dos
dirigentes do Partido e no preenchimento dos cargos de confiança e
de assessoria, embora de livre escolha dos mandatários, sendo que
sua inobservância permite o recurso ao veto do nome escolhido, por
parte da CE correspondente, que também restringirá a prática do
nepotismo aos casos técnicos e moralmente recomendáveis, e estes
quando filiados devem realizar cursos de Formação Política pro-
movidos pelo PPB. Art. 45º Os órgãos de direção, controle e ação
setorial, podem decidir e efetuar a intervenção nos órgãos de mesma
natureza que deles dependam hierárquica e diretamente, em caso de
transgressão ao disposto pelo Estatuto, Programa e diretrizes legi-
timamente adotadas, pelas leis gerais e específicas (eleitorais e par-
tidárias) e pelos princípios de ética que regem o Partido, e esta,
devidamente motivada, com registro indelével oficial, realizada por 1
Comissão Interventora de 3 membros, sendo 1 indicado presidente, e
sua ação visa o retorno à normalidade democrática interna ou, se
impossível esta, à dissolução do órgão sob intervenção. Art. 46º Cabe
às CE´s tirar o máximo partido do acesso gratuito às redes de rádio e
televisão de âmbito correspondente, observadas as diretivas gerais,
definidas pelas Convenções e pelas normas legais vigentes: § 1º - A
CEN define as normas práticas para elaboração dos programas de seu
nível, e baliza a elaboração dos programas de nível regional ou
municipal; § 2º - O acesso gratuito às redes de rádio e televisão deve
priorizar o interesse geral do PPB e o apoio à campanha do conjunto
dos nossos candidatos em curso, vedado o favorecimento a pessoas,
grupos ou tendências, em detrimento de outros candidatos do PPB; §
3º - Nos termos da Lei, as campanhas são administradas nos seus
aspectos contábeis e financeiros, por Comitês Financeiros especial-
mente designados para esse fim pelas CE´s correspondentes, que
podem também designar Comissões de Campanha para completar a
sua ação; § 4º - Os Núcleos Administrativos asseguram o respaldo
técnico e seus responsáveis integram, preferencialmente, os Comitês
Financeiros; § 5º - As diretrizes expedidas pelos Comitês Financeiros
e, quando for o caso, pelas Comissões de Campanha, são consi-
deradas respaldadas pelas CE´s correspondentes; § 6º - Os membros
dos Comitês e das Comissões Financeiras de Campanha podem ser
substituídos, a qualquer tempo, pelas CE´s que os nomearam. Ca-
pítulo IX - Das Disposições Gerais. Art. 47º O Presidente de cada CE
credencia Delegados junto à Justiça Eleitoral correspondente à sua
instância, de acordo com os dispositivos legais, podendo substituí-los
a qualquer tempo, por atuarem os Delegados como seus Represen-
tantes. Art. 48º A fusão, incorporação ou ainda a extinção do PPB são
deliberadas por votação mínima de dois terços em CN, precedido o
debate por plebiscito de âmbito nacional: § Único - Em caso de
dissolução, o seu patrimônio deverá ser destinado a entidades be-
nemerentes de inspiração pacifista e cristã. Art. 49º Os mandatos em
curso quando da entrada em vigor do presente estatuto, ainda que
contemplem cargos suprimidos ou modificados, serão normalmente
completados, devendo as adequações ao Estatuto dar-se por ocasião
das eleições imediatamente subseqüentes. Art. 50º - A CEN, ad re-
ferendum da CN, pode criar ou incorporar Fundação ou Instituto de
direito privado, destinado ao estudo e pesquisa, à doutrinação e à
educação política, tendo autonomia para contratar com instituições
públicas e privadas, prestar serviços e manter estabelecimentos de
acordo com suas finalidades, podendo, ainda, manter intercâmbio
com instituições não-nacionais (Art. 53 da lei 9096/95). Art. 51º Os
casos omissos são objetos de deliberação pela CEN, ad referendum da
CN, a qual poderá ratificar ou reformar a decisão, nesse caso sem
efeito retroativo. Art. 52 Que Deus, através de Jesus e sua equipe, em
especial a Nossa Senhora, a Bezerra de Menezes, a Martin Luther
King, a Melquisedec, a Asthar Sheran, ao Arcanjo Miguel, ao Anjo
Ismael e a Nsa. da Conceição Aparecida, nos abençoe, ilumine, pro-
teja, oriente e guie. Art. 53 - Este Estatuto entra e vigor após a sua
Publicação no Diário Oficial da União, registro do mesmo no Car-
tório de Ofício de Registro Civil de Títulos, Documentos e Pessoas
Jurídicas do Distrito Federal e apresentação ao T.S.E. - Tribunal
Superior Eleitoral. Recife, PE. 21 de Fevereiro de 2012. Raimundo
Wellington Araruna Santana - Presidente Nacional. Edvaldo José Cai-
çara - Secretário Geral Nacional. MANIFESTO. O PPB manifesta seu
ponto de vista, de que a Terra seara divina é uma grande escola que
está em plena marcha de mudanças e reformas para servir a hu-
manidade, numa nova série, uma nova escola, para os alunos aqui
aprovados, ou para os transferidos que tiverem nível para tal ensino,
será mais moderna, evoluída e adiantada, com novas tecnologias e
leis cientificas, atingindo a Religião Universal do Amor, onde religião
e ciência andarão juntas. E esta serve a DEUS para que aqui seus
filhos possam se aprimorar e evoluir, nela há processos cíclicos, onde
nos encontramos nos momentos finais do meio do quinto ciclo para
este nosso padrão de vida humana. A raça ariana pela localização
sideral se encontra ainda na zona de livre arbítrio, onde predomina as
más tendências, a existência da violência, da miséria, das desigual-
dades e da ausência de amor fraterno, e a bem vinda era de aquário
já se iniciou e conforme programação das consciências coletivas que
aqui a habitam, adentraremos na era de ouro, prevista nos livros
sagrados. Este meio ciclo teve seu ápice de exemplo de mudança,
transformação e reforma interior, como protagonista, seu grande go-
vernador galáctico, que aqui se fez presente em carne para poder
oferecer o caminho, a verdade e a vida, o PPB vem justamente no
sentido de buscar poder auxiliar a estas forças e energias que mo-
vimentam e dão vida a este mundo, não querendo ser melhor e nem
pior que ninguém ou qualquer outra instituição política, mas apenas
fruto da imaginação, da consciência, da esperança, do sonho, do
pensamento e da busca de um mundo melhor, de PAZ e da não
violência, regado pela evolução da humanidade, da harmonia e do
amor incondicional. O PPB nasce da formação plural das consciên-
cias de seres humanos livres, que se põem como voluntários para
realizarem mudanças em si mesmo, e serem protagonistas de auxilio
e apoio aos demais. Entendemos que é a hora e a vez do Brasil - País
de Futuro, que conjuntamente com a China e a Índia, todos, berços de
espiritualidade religiosa, são promessas do Cristo para este novo
mundo. E aqui temos que tratar os paises mais necessitados como co-
irmãos, sem lhes impor condições de submissão, mas sim de apoio,
ajuda e que lhe proporcione oportunidade de que com suas forças e o
apoio galgarem o seu progresso. Acreditamos que tudo já está pro-
gramado desde a fundação das constelações, onde as consciências que
aqui irão habitar em grande conclave interagem e aceitam aqui estar,
acreditamos que viram mudanças geológicas, que o nosso Sol con-
tinuará a nos fornecendo calor, enquanto que receberemos a Luz de
um segundo Sol, o qual este nosso atual, gira em torno do mesmo,
que a nossa ciência ainda engatinhando não consegue prevê, e a sua
luz é tão sublime e presente que inexistirá noites, haverá novas
formas de alimentos, prevalecendo à alimentação por vegetais e pei-
xes, o turismo rural será mais utilizado, novos meios de produção
com respeito ao meio ambiente existirão, valorizaremos mais a nossa
cultura local, nos esportes prevalecerá à técnica, a arte e a admiração
à beleza, em detrimento da concorrência, a medicina dará pulos, pois
os fótons emitidos pelo novo sol corrigiram as imperfeições celulares.
Na história recente do nosso país merece destaque os Governos de
Getúlio Vargas nas relações trabalhistas, o de Juscelino Kubitschek na
sua missão de criação e deslocamento da Capital Federal para um
local seguro no planalto central, e a do Ex-Presidente Lula que com
um humilde de nascença, DEUS fez de um operário, um grande
visionário e concretista de uma nação expansiva, pacifista e que
respeita a pluralidade das demais. Assim o PPB manifesta sua so-
lidariedade e participação na evolução pacifista da humanidade, pau-
tada nas promessas e no amor incondicional nos ofertados por Jesus.
PROGRAMA. O PPB defende o Sistema Socialista como forma de
governo, mitigando as disparidades, com a existência de um patamar
mínimo de renda, no qual o cidadão sem trabalho e renda poderá
sobreviver de forma digna, onde os meios de produção, transporte,
segurança pública, saúde, educação, habitação, saneamento, tecno-
logia e assistência social sejam oferecidas sem discriminação e a
todos. A família célula central e imediata de assistência, organismo
fundamental que alicerça a sociedade, deve receber a devida proteção.
Defendemos a descentralização e municipalização das ações políticas.
Concurso Público em todos os níveis e poderes. A supremacia do
interesse público sobre o individual. As forças armadas utilizadas no
combate ás drogas e a mecanismos alucinógenos. O combate ao
nepotismo, ao fisiologismo e as maledicências co-irmãs destas. A
garantia da participação popular na gestão pública. O apoio a edu-
cação partidária realizada através da formação política. A plena obri-
gatoriedade do principio da eficiência no serviço público. O capital
empregado no fomento a produção e a geração de emprego e renda,
contrário ao capital especulativo. Normas, transparências e respon-
sabilidade no endividamento público. A participação e colaboração do
país em organizações colegiadas e pacificas de nações. Combate a
fome e a miséria. Apoio e fomento cooperativismo, associativismo e
a agricultura familiar com crédito, apoio técnico e logístico. Mi-
tigação das disparidades entre regiões. Estado indutor de desenvol-
vimento. A busca de novos mercados e o fortalecimento das rotas
comerciais existentes. Reconhecimento de que o Professor é o maior
indutor de mudanças de consciências, priorizando-lhe de todas as
formas. Financiamento do ensino. Bolsa Estudo. Fortalecimento da
pesquisa cientifica e desenvolvimento tecnológico e das ciências só-
cias e humanas. Erradicação do analfabetismo. Profissionalização de
jovens e adultos. Emprego de novas tecnologias para transmissão do
conhecimento. Ampliação e interiorização do ensino. Implantação na
rede pública de disciplina com temas como meio ambiente, cidadania
e ética, transito, primeiros socorros, segurança pública, relações in-
terpessoais, cultura brasileira, regional e local, e religiosidade. Pre-
servação, conservação e ampliação do acervo do patrimônio cultural.
Fomento e apoio logístico ao turismo local, rural, aos parques na-
cionais, ao eco-turismo e criação de um calendário nacional para a
área. Preservação do meio ambiente. Apoio ao uso de energias re-
nováveis e não poluentes, reprovação a energia nuclear. Apoio ao
transporte individual e de passeio ao novo transporte aéreo, oriundo
de mecanismo ante gravidade. Saneamento básico, água portável,
habitação, energia residencial fornecida a todos. Defesa dos Sistemas
Únicos de Previdência Social, de Saúde, de Assistência Social. Pro-
grama Brasil Auxilio Alimento ao Planeta. Extinção da Corrupção,
Impunidade e dos Desmantelos com o erário público. Cuidados es-
peciais no pré-parto, parto, gestação, e disponibilidade de saúde e
educação pública, gratuita e de qualidade para todos, formação pro-
fissional. Fomento as empresas a ampliarem seus acervos de mão-de-
obra e de mercados. O PPB não rotulasse como melhor e nem pior
que ninguém ou que outras instituições políticas, mas sim defende a
universalização do amor incondicional, da realização do bem de for-
ma indiscriminada, e da busca permanente da prosperidade para to-
dos, produzindo sociedades justas e fraternas, onde os meios de pro-
dução, sejam instrumentos para auxiliar a evolução harmônica da
humanidade respeitando o meio ambiente, em sentido contrario ao
acumulo de riquezas sem responsabilidades sócias e de produção.
Em 13 de março de 2012.
RAIMUNDO WELLINGTON ARARUNA
S A N TA N A
Presidente Fundador
REDE DE TECNOLOGIA DO RIO DE JANEIRO
RESULTADO DE JULGAMENTO
PREGÃO ELETRÔNICO N
o
-
4/2012
Objeto: Aquisição de Desktop para o projeto INT EOD conforme
convênio FINEP nº 01.10.0437.00. Comprador: Rede de Tecnologia
& Inovação do Rio de Janeiro: CNPJ 39.092.812/0001-40, Vendedor:
Bergamo e Cavalcante Informática Ltda. CNPJ 11.195.926/0001-04,
Arrematante do lote 01. Valor: R$ 6.500,00
PAULA RIBEIRO BASTOS GONZAGA
Ordenadora de Despesas
SEGURADORA LÍDER DOS CONSÓRCIOS
DO SEGURO - DPVAT S.A
CNPJ/MF nº 09.248.608/0001-04 - NIRE nº 33.3.0028479-6
EDITAL DE CONVOCAÇÃO
ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA
O Conselho de Administração da Seguradora Líder dos Con-
sórcios do Seguro DPVAT S.A. ("Companhia") convoca os acionistas
a se reunirem em Assembleia Geral Ordinária, a se realizar no dia 28
de março de 2012, às 11:00 horas, na sede social da Companhia, na
Rua Senador Dantas nº 74, 5º andar (auditório), Centro, Cidade e
Estado do Rio de Janeiro, CEP 20031-205, a fim de discutirem e
deliberarem sobre a seguinte ordem do dia: 1) Tomar as contas dos
administradores, examinar, discutir e votar o Relatório da Admi-
nistração e as Demonstrações Financeiras referentes ao exercício so-
cial encerrado em 31 de dezembro de 2011, acompanhadas dos pa-
receres dos auditores independentes, do Conselho Fiscal e do Comitê
de Auditoria; 2) Deliberar acerca da destinação do lucro líquido,
inclusive a distribuição de Dividendos, do exercício social encerrado
em 31 de dezembro de 2011; 3) Eleger os membros do Conselho de
Administração e deliberar sobre a Remuneração Global da Admi-
nistração para o ano de 2012; 4) Eleger os membros do Conselho
Fiscal; e 5) Ratificar as designações de diretores responsáveis perante
à Superintendência de Seguros Privados - SUSEP, conforme deter-
minação da Carta-Circular SUSEP/DECON/GAB/nº 05/06. INFOR-
MAÇÕES GERAIS - A documentação relativa às matérias constantes
da ordem do dia encontra-se desde o dia 28 de fevereiro à disposição
dos acionistas na sede da Companhia. Nos termos do Artigo 8º, §3º,
do Estatuto Social da Companhia, os representantes legais e pro-
curadores dos acionistas que desejarem comparecer na AGO devem
depositar na sede da Companhia os respectivos instrumentos de re-
presentação até 48 horas antes da data da realização das Assembleias,
observando as disposições legais aplicáveis.
Rio de Janeiro, 13 de março de 2012.
LUIZ TAVARES PEREIRA FILHO
Presidente do Conselho

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful