Você está na página 1de 22

Uma Experiência

Fundada na História

Uma Rota fundada nas


memórias do Românico,
que convida a uma via-
gem inspiradora a luga-
res com história, junto
de singulares conjuntos
monásticos, igrejas, me-
moriais, pontes e torres
senhoriais, amadurecida
em terra forjada de ver-
de, repleta de saberes
e sabores – a região do
Vale do Sousa.
3
fascinante Genuinamente Fascinante

4 Desperte os sentidos para novas conquistas e deixe-se fascinar pelo segredo mais bem guardado do
Norte de Portugal: a Rota do Românico do Vale do Sousa.
Uma profusão de verde, banhada por rios de águas cristalinas, envolve os seis concelhos do Vale do
Sousa – Castelo de Paiva, Felgueiras, Lousada, Paços de Ferreira, Paredes e Penafiel.
Percorrendo estes locais plenos de tradições, vai descobrir um património românico singular…
uma Rota de 21 monumentos revela-lhe o encanto de mosteiros, igrejas, torres, memoriais e pontes
erguidos em pedra dura num estilo rural.
Este legado excepcional transporta-o para a fundação da Nacionalidade e ilustra a importância da
região, na história da nobreza e das ordens religiosas em Portugal.
Aqui mesmo ao lado, vai encontrar outras maravilhas como o Porto, Guimarães e o Alto Douro
Vinhateiro reconhecidos pela UNESCO como Património da Humanidade.

O Vale do Sousa reserva-lhe ainda outras experiências surpreendentes.


Venha vivê-las.

02 03

04 05
5
segredos Segredos Apaixonantes

6 Por entre as terras e a tranquilidade dos rios que envolvem o Vale do Sousa, começa a história de
um país.

07 08

Aqui vai sentir a magia de andar por lugares onde, no século XI, dominaram duas das cinco primeiras
famílias nobres portuguesas, os Riba Douro e os Sousa. Perca-se por caminhos que o surpreendem a
cada instante, com testemunhos históricos e lendas de encantar…

09
7

Sinta o cheiro da terra, ouça o reboliço das gentes e siga os cânticos que vêm do Mosteiro Beneditino
de Paço de Sousa. Aqui, por entre paredes de pedra que guardam segredos de gerações, vai desco-
brir aquela que é considerada uma das obras-primas da arte tumular românica em Portugal, o túmulo
de Egas Moniz, o famoso aio do primeiro rei português.

11 12

13
Vivia-se o século XII e tempos conturbados entre o rei de Portugal, D. Afonso Henriques, e D. Afonso
VII de Castela. Egas Moniz, descendente dos Riba Douro, era o fiel mestre de D. Afonso Henriques que
com a sua bravura e astúcia, ditou as linhas que levariam à futura independência do reino português.
Negociou a paz com D. Afonso VII, oferecendo a vassalagem de D. Afonso Henriques, que acabou
por quebrar o prometido. Para salvar a sua honra e a do seu rei, diz a lenda, Egas Moniz deslocou-se
a Toledo com a sua família apresentando-se, descalço e com cordas ao pescoço, ao rei castelhano.
Este acto de heroísmo e de lealdade valeu-lhe o perdão de D. Afonso VII e uma crescente admiração
de D. Afonso Henriques.

14

Continuando na descoberta de trilhos seculares, vai encantar-se com a harmonia perfeita entre a
Natureza e os legados históricos… Num vale de verde exuberante, onde o tempo parece parar,
surge altivo um dos mais importantes mosteiros Beneditinos da época, o Mosteiro de Pombeiro.
Contemplando-o, assim mergulhado no silêncio, quase que consegue ouvir o chamar dos sinos e
imaginar os Sousa, nobres senhores destas terras, em traje de passeio a caminho do culto.

15
Mas se quiser sentir-se como um verdadeiro senhor feudal, suba à imponente Torre de Vilar, uma
domus fortis, símbolo do poder senhorial nesta região. No alto dos seus 14 metros, a vista deslumbrante
sobre o vale tem mais magia…

16

Já no Mosteiro de Cête, a atmosfera bucólica vai invadi-lo de uma tranquilidade única, oferecendo-lhe,
simultaneamente, o privilégio de testemunhar a organização do território da época, assim como a
importância das ordens religiosas na formação do reino.

17
10

18
19 20
11

Viva a lenda… siga o percurso dos memoriais erguidos em honra de D. Mafalda, filha de D. Sancho I,
que marcam os pontos de paragem no traslado do seu corpo para o Mosteiro de Arouca. Detenha-se
num em especial, o Marmoiral de Sobrado, que se distingue dos restantes pela sua originalidade
arquitectónica.

21
22
12

No singular Mosteiro de Ferreira deleite-se entre capitéis, colunas, arquivoltas e motivos ornamentais
de várias regiões e oficinas que, em perfeita harmonia, representam o românico de excelência em
Portugal.

23 24

25 26

No Vale do Sousa vive-se o sentido de eternidade…


percurso norte

Mosteiro de Santa Maria de Pombeiro


13 Igreja de São Vicente de Sousa
Igreja do Salvador de Unhão
Igreja de Santa Maria de Airães
Igreja de São Mamede de Vila Verde
Torre de Vilar
Igreja do Salvador de Aveleda
Ponte de Vilela
Igreja de Santa Maria de Meinedo
Ponte de Espindo
Mosteiro de São Pedro de Ferreira

Percurso Norte
Eixo de Ligação dos Percursos Norte e Sul
Eixo de Ligação Suplementar dos Percursos
Estação Ferroviária
14

Mosteiro de São Pedro de Cête


Ermida da Nossa Senhora do Vale
Mosteiro do Salvador de Paço de Sousa
Memorial da Ermida
Igreja de São Pedro de Abragão
Igreja de São Gens de Boelhe
Igreja do Salvador de Cabeça Santa
Marmoiral de Sobrado
Igreja de São Miguel de Entre-os-Rios
Torre do Castelo de Aguiar de Sousa
Percurso Sul
Eixo de Ligação dos Percursos Norte e Sul
Eixo de Ligação Suplementar dos Percursos
Eixo de Ligação do Percurso Sul
Estação Ferroviária

percurso sul
15

27
natureza Em Harmonia com a Natureza

16 Deixe para trás a azáfama da cidade e renda-se aos cenários bucólicos do Vale do Sousa. As
montanhas escondem vales verdejantes que se espelham nos rios de águas cristalinas. Um irrecusável
convite a momentos de descontracção, ao lado de quem mais gosta. Siga os trilhos da natureza e
desfrute de longas caminhadas por bosques e aldeias perdidas no tempo. Do alto de um miradouro,
deixe-se embalar pela poesia de um entardecer mágico e contemple a beleza serena da paisagem.

28

Mas se o que o faz vibrar são emoções fortes, então parta à aventura. No Vale do Sousa, a sua
adrenalina vai subir à velocidade dos rápidos dos rios, aliciantes para a prática de rafting, hidrospeed
ou canoagem. Em terra, acelere nas pistas de rally, motocross, karting ou todo-o-terreno.

29 30

Para uma experiência plena, passe a noite numa das casas de turismo rural. Deixe-se envolver pelo
espírito ancestral e usufrua de ambientes, simultaneamente, tradicionais e sofisticados.

Descontraia-se. Vibre. Emocione-se.


17

31
tradição O Culto da Tradição

18 Gentes hospitaleiras e de personalidade vincada, espelham a herança de tradições seculares.


Regresse às raízes e viva os costumes ancestrais… Nas festas e romarias da região, deixe-se
contagiar pela alegria dos cantos e danças, pelo colorido dos trajes típicos ou pela agitação nos
mercados. Entre na festa! Nas mãos habilidosas dos artesãos, desvende a alma deste povo. Aprecie
os minuciosos trabalhos de restauro em madeira e talha ou a beleza dos artísticos bordados e peças
de linho, cujo engenho passa de geração em geração.

32

Entregue-se aos pequenos prazeres da vida e saboreie os tentadores paladares regionais, dos peixes
do rio às carnes suculentas ou à doçaria conventual de fazer crescer água na boca. Não se esqueça
de acompanhar sempre com o divinal Vinho Verde da região. Percorra as quintas e adegas que
revelam os mistérios das vinhas que germinam nestas terras e deguste verdadeiros néctares.

33 34

Leve consigo um pouco do Vale do Sousa. Eternize as suas experiências.


19

35
Como Chegar

DO NORTE DE PORTUGAL OU DA GALIZA

A28 (Caminha/Porto), A3 (Valença/Porto) ou A7 (Vila Pouca de Aguiar/Póvoa de Varzim).

Entre no Vale do Sousa pela A41/A42 (Matosinhos/Lousada) ou pela A11 (Esposende/Marco

de Canaveses).

DO CENTRO OU SUL DE PORTUGAL

A1 (Lisboa/Porto) ou A29 (Estarreja/V.N. Gaia).

Entre no Porto pela ponte do Freixo. Saia para a A3 (Braga/Valença) e, em seguida, para a

20 A4 (Valongo/Vila Real).

PAREDES

A4/IP4; A41/A42.

PENAFIEL

A4/IP4; A11.

FELGUEIRAS

A7; A11.

LOUSADA

A11; A41/A42.

PAÇOS DE FERREIRA

A41/A42.

CASTELO DE PAIVA

Entre na A4 e saia em Penafiel Sul. Vire à esquerda seguindo depois pelas estradas N15 e

N106 até à rotunda de Entre-os-Rios. Aqui, vire à direita, percorrendo as variantes às estra-

das N108 e N224 (IC35) até às imediações da vila de Castelo de Paiva.

Linha do Douro: Porto S. Bento – Pocinho (Vila Nova de Foz Côa).

Estações/Apeadeiros de Recarei-Sobreira, Cête, Paredes, Penafiel e Meinedo.

Suba o rio Douro e saia no cais de Entre-os-Rios, concelho de Penafiel, ou no cais do


Castelo, em Castelo de Paiva.

Aeroporto Sá Carneiro, Porto (20 min.)

Aeroporto de Vigo, Espanha (1h30 min.)

Aeroporto da Portela, Lisboa (3 horas)

Descubra a melhor forma de chegar ao Vale do Sousa e boa viagem!


Marque a Sua Visita
A marcação de visitas aos monumentos que integram a Rota do Românico do Vale do Sousa deverá
ser efectuada, com uma antecedência mínima de três dias, através dos seguintes contactos:

TELEFONE +351 255 810 706


OCEANO
TELEMÓVEL +351 918 116 488 ATLÂNTICO

De Segunda a Sexta-feira,
Porto Vale do
das 9h30 às 12h30 e das 14h30 às 17h30. Sousa

FAX +351 255 810 709


PORTUGAL
E-MAIL rrvs@valsousa.pt
ESPANHA
21 WEBSITE www.rotadoromanico.com
Lisboa

Fotos

01. Portal Ocidental. Mosteiro de São Pedro de Ferreira.


02. Castro de Monte Mozinho.
03. Capitéis do Portal Sul. Igreja do Salvador de Cabeça Santa.
04. Friso Exterior da Cabeceira. Igreja de São Pedro de Abragão.
05. Citânia de Sanfins.
06. Portal Ocidental. Mosteiro do Salvador de Paço de Sousa.
07. Igreja de São Mamede de Vila Verde.
08. Arco. Ponte de Vilela.
09. Claustro. Mosteiro do Salvador de Paço de Sousa.
10. Túmulo de Egas Moniz. Mosteiro do Salvador de Paço de Sousa.
11. Moldura da Rosácea. Mosteiro do Salvador de Paço de Sousa.
12. Suporte do Túmulo de Egas Moniz. Mosteiro do Salvador de Paço de Sousa.
13. Mosteiro do Salvador de Paço de Sousa.
14. Paisagem Envolvente. Mosteiro de Santa Maria de Pombeiro.
15. Mosteiro de Santa Maria de Pombeiro.
16. Torre de Vilar.
17. Mosteiro de São Pedro de Cête.
18. Claustro. Mosteiro de São Pedro de Cête.
19. Peça incluída num dos degraus que separam a nave da cabeceira. Igreja do Salvador de Aveleda.
20. Arco. Memorial da Ermida.
21. Marmoiral de Sobrado.
22. Pintura Mural da Cabeceira. Ermida da Nossa Senhora do Vale.
23. Mosteiro de São Pedro de Ferreira.
24. Portal da Fachada Sul. Igreja de São Miguel de Entre-os-Rios.
25. Cachorro. Cabeça de Bovídeo. Igreja de São Gens de Boelhe.
26. Portal Ocidental. Igreja de São Vicente de Sousa.
27. Parque.
28. Casa de Turismo no Espaço Rural.
29. Rafting.
30. Percursos Pedestres.
31. Bordados em Linho. Bainha Aberta.
32. Teatro de Rua em Aldeia Preservada.
33. Pão-de-Ló.
34. Cultura da Vinha. Vinho Verde.
35. Moinho de Água.

Ficha Técnica
PRODUÇÃO Valsousa – Rota do Românico do Vale do Sousa COORDENAÇÃO GERAL Rosário Correia
Machado TEXTOS Service 4 You – Marketing & Tourism Solutions FOTOGRAFIA R. Sousa Santos e Câmaras
Municipais do Vale do Sousa MAPAS Edições Livro Branco DESIGN E PAGINAÇÃO Furtacores – Design e
Comunicação IMPRESSÃO Maiadouro TIRAGEM 10 000

Interesses relacionados