RESUMO: LIVRO AVALIAÇÃO E EDUCAÇÃO INFANTIL.

CAP 3- ACOMPANHANDO O
DESENVOLVIMENTO INFANTIL.
A avaliação mediadora em Educação Infantil. Fundamentam-se em concepções de infância e
fundamentos teóricos, as práticas avaliativas só podem ser delineadas em tais fundamentos.
As questões inerentes à avaliação recrudescente em paralelo aos estudos e pesquisas sobre a
infância.
Nas últimas décadas, a função dos espaços institucionais devido à profissionalização das mulheres,
afastando-as de casa. Apontam principalmente para a importância de um trabalho.
Estudos de sociologia invalidam a idéia de uma educação infantil autoritária, sugerindo que se
considere a criança no seu tempo e suas necessidades.
As teorias construtivistas e sociointeracionistas de conhecimento provocaram nos educadores um
processo de repensar a aprendizagem de bebês e crianças.
Segundo Piaget, a criança constrói o conhecimento na sua interação com o objeto. Ao nascer
possuem processos internos que lhe possibilitam a aprendizagem, mas que necessitam do meio.
Segundo ele um estímulo não é estímulo ate que a criança aja sobre ele, conhecimento se constrói
na interação S-O.
Muitas vezes, ao propor uma brincadeira para crianças da mesma idade, o professor perceberá que
para alguns ele será muito difícil, e para outros será pouco desafiador.
Diz Franco, que a partir dessa visão, a educação deixa de ter a figura do professor como centro do
processo de aprendizagem.
Segundo Vygotsky, a criança participa ativamente da construção de sua própria cultura e de sua
história, construindo conhecimentos e constituindo sua identidade a partir de suas interações com o
meio.
Para ele, todas as crianças têm capacidades intrínsecas de progresso, sendo assim, deve-se apenas
analisar o seu potencial de aprendizagem, e não determinar do que ela deve ser capaz.

4

AÇÕES FAVORECEDORAS DO DESENVOLVIMENTO.

O desenvolvimento se dá nas crianças em ritmo evolutivo por meio de uma exploração ativa e incessante do meio. alcança um surpreendente conhecimento das coisas da vida. É impossível. Um exemplo é a conquista do caminhar por um bebê. não aguarda sua vez de falar. que decorrente de procedimentos avaliativos como esses a criança aprende apenas a “ser comportado”. Não é coerente então. transmissão social e a equilibração. experiências com os objetos. afetivas e suas conquistas na área cognitiva ampliam-se. Piaget explica o desenvolvimento da inteligência por meio de 4 fatores: Maturação Biológica. suas relações sociais. Aponta Angotti. ela passa ser julgada “capaz” ou “incapaz”. ficar sentada.. durante uma prática avaliativa. trazem prejuízos. que leve a comparações e julgamentos. irá naturalmente se desenvolver até onde for possível. esses julgamentos sobre a criança.. parir de uma visão padronizada. Um exemplo é um bebê que pela sua curiosidade. avaliar uma criança só analisando seus avanços em uma área isoladamente. . Um exemplo é uma avaliação de uma criança agitada que não participa das rodas de conversa. que só podemos nos referir a aprendizagem das crianças no contexto mais amplo do seu conhecimento e que não se pode propor desafios que as crianças não conseguem realizar no momento. Se respeitadas e desafiadas corretamente. Segundo Kamii. quieta. 5  O QUE SE VÊ E O QUE SE DEIXA DE VER NAS CRIANÇAS. Mas será que não é esperado que uma criança de dois anos não espere sua vez de falar. Conclui-se que na avaliação na Educação Infantil. fazendo apenas o que a professora mandou.

Por mais que os . No caso de uma criança de dois anos. a medida que se admira cada criança em suas manifestações singulares do dia a dia. “Ver a criança como ela é”. Realiza com coerência sua auto-avaliação. significa buscar entender seu pensamento e suas ações. mas que revelam falta de conhecimento sobre o desenvolvimento infantil. e R (raramente).) A escala de avaliação que a ficha apresenta é S (sempre). Dá-se pela abertura dos professores ao entendimento das crianças. internalizando valores morais e condutas sociais construídas gradativamente. desvinculando-a do cotidiano da ação educativa e da dinâmica da construção do conhecimento A avaliação mediadora é um processo espontâneo. 6 O processo avaliativo é reflexivo e alicerce do fazer pedagógico. uma vez que eles passam a treinar ou exigir das crianças atitudes listadas nestas fichas. QS (quase sempre). com certeza ela teria. Decorrem destes instrumentos avaliativos. as crianças evoluem da Heterônoma à autonomia pela mediação dos adultos com quem vivem. diante disso. como acompanhamento e mediação. corre está se desenvolvendo. Piaget aponta que não se deve seguir um roteiro com perguntas prontas. Não há como se falar em ação avaliativa. AV (algumas vezes).A seguir. Usa as regras de cortesia (. mas ajustar os desafios as hipóteses. ações perigosas. Aceita reclamações e críticas. alguns itens de uma lista classificatória para alertar para processos avaliativos que supostamente seriam bem intencionados. a opção R assinalada. E os pais. falariam mal e ficariam preocupados com a criança.. Espera sua vez para falar. Não há como se observar o desenvolvimento das crianças a partir de uma lista de comportamentos e habilidades a serem analisados e julgados em uma escala classificatória..      Participa de todas as tarefas. Segundo Kamii. Essas fichas classificatórias podem fazer confusões. em todos os itens.

3. como a criança constrói o conhecimento? Constrói na sua interação com o objeto. entendido com o seu próprio corpo. Qual a contribuição de Vygotsky em termos da avaliação da aprendizagem? Para ele todas as crianças têm possibilidades intrínsecas de progresso intelectual. como na prática tradicional de avaliação. 5. Fund. Segundo Piaget. a natureza. A avaliação mediadora. a cada situação vivida por elas. 2. diferentes reações das crianças. e os fenômenos do mundo físico em geral. fundamenta-se em que? Fundamenta-se em concepções de infância e em fundamentos teóricos sobre o desenvolvimento infantil. em um rol padronizado de expectativas. Não se pode avaliar um aluno em quesitos como “esperar sua vez para falar”. as pessoas. os animais. Normal E Profissional . QUESTÕES 1. 4.professores tentem “encaixar” as crianças. encontrarão pela frente o inesperado. Médio. “aceita reclamações e críticas”. em Educação Infantil. não cabe estes quesitos de avaliação para uma criança. para simplesmente apontá-las. “usa as regras de cortesia”. a transmissão social. 7 Colégio Estadual Barão Do Rio Branco Ens. e não determinar suas capacidades. Quais os quatro fatores para o desenvolvimento da inteligência explicado por Piaget? A maturação biológica. deve se procurar analisar o seu potencial.. a equilibração (processo regulador de diferenciação e coordenação). As fichas de avaliação classificatórias são elaboradas corretamente? Não. as experiências com os objetos (ambos de natureza física e lógica matemática).

“ACOMPANHANDO O DESENVOLVIMENTO INFANTIL” FOZ DO IGUAÇU 2014 Letícia Fróiz Ribeiro nº20 Nicolly Siepmann nº24 Thielen Alves Maciel nº29 .

................................................. FOZ DO IGUACU 2014 SUMÁRIO 1 RESUMO: LIVRO AVALIAÇÃO E EDUCAÇÃO INFANTIL......................................................6 1...4 1.... CAP 3.............5 1............ como forma parcial de avaliação 3º bimestre...........1 AÇÕES FAVORECEDORAS DO DESENVOLVIMENTO... do Curso de Formação de Docentes..................3 QUESTÕES.........................................Trabalho apresentado na disciplina de Organização do Trabalho Pedagógico........................7 ...... turma 2º C .......................... solicitado pelo professor (a): Roseli Candida Leite................2 O QUE SE VÊ E O QUE SE DEIXA DE VER NAS CRIANÇAS.ACOMPANHANDO O DESENVOLVIMENTO INFANTIL.................

................ Capítulo 3 Acompanhando o Desenvolvimento Infantil . .....2012......... Porto Alegre: Mediação......... Avaliação e Educação Infantil:num olhar sensível e reflexivo sobre a criança ............................................ Jussara...............8 REFERÊNCIAS HOFFMANN................2 REFERÊNCIAS ....

8 .