Você está na página 1de 58

ESTADO DE MATO GROSSO

SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO
CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE CÁCERES
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS
PROFESSORES: Dilson Mário Pedraza Perez Romero
Francisco Morais dos Santos Filho
Yasmin Fernanda Nunes Viana

COORDENADORES : Prof. Dr. Luiz Carlos Chieregatto
Profª. Dra. Solange Ikeda Castrillon

Cáceres, junho de 2012

BIOFÍSICA BÁSICA

Bioeletrogênese

O transporte através da membrana consiste no estudo das
diferentes formas através das quais as substâncias
atravessam a membrana plasmática. O transporte de
substâncias pode ser dividido em três tipos:
Transporte passivo
Transporte ativo
Vesicular (endocitose e exocitose)

a movimentação dá-se a favor do gradiente de concentração.TRANSPORTE PASSIVO É quando não envolve o consumo de energia do sistema. sendo utilizada apenas a energia cinética das moléculas. Este transporte divide-se em: Difusão (simples e facilitada) .

o solvente é transportando do meio de maior concentração para o meio menos concentrado. na qual. Contra o gradiente de concentração. .TRANSPORTE PASSIVO A osmose é a modalidade de transporte passivo.

. de uma área de menor concentração para outra de maior concentração.Transporte ativo  Este processo envolve uma proteína transportadora denominada bomba. que executa o transporte carregando uma substância.  Com gasto de energia ATP. através da membrana celular.

Perfume no ar. “De onde tem mais. A difusão é um movimento de componentes de uma mistura qualquer. líquidos é mais lento e nos sólidos pode demorar até um século. . vai para onde tem menos”  Onde ocorre: meios gasosos que é rápido. Ex.

mais rápido é a difusão. o tamanho e a forma: O número de partículas e convenientemente considerado na concentração: quanto maior o gradiente de concentração. e cilindros se difundem mais rapidamente do que as esferas. . A forma tem certa importância. O tamanho da partícula tem grande importância. Partículas menores se difundem mais rápido.A difusão depende de vários fatores: número.

 Outro fator que influência na difusão é o tempo:  A distância atingida pelas moléculas difundida é aproximadamente proporcional quadrado do tempo. Tempo 1ms 4ms 9ms 16ms Distância 2nm 2nm 3nm 4nm ao inverso do .

Nesse caso considera-se apenas o número (concentração). . No estudo desses movimentos de soluto e solvente.  Os fenômenos da osmose podem ser estudados através da Pressão que as partículas exercem. se despreza o volume e a forma.

 Há duas situações fundamentais na osmose através das membranas: a) Todos os componentes são difusíveis b) Há componentes não difusíveis .

criando uma Pressão hidrostática.  O nível de água em A aumenta. . Pressão empurra a água de volta para B. O sistema tem dois compartimentos (A) e (B) separados por uma membrana permeável.

. Lado (A) a pressão de solvente é portanto. Pressão hidrostática em (A). Então passa solvente de (B) para (A) até que haja equilíbrio. menor que do lado (B). Pressão osmótica em (B). O sistema tem dois compartimentos (A) e (B) separados por uma membrana permeável a água e não permeável a macromolécula.

Células biológicas quando colocadas em diferentes soluções. Essas três situações de grande interesse. 2 .Permeabilidade da Membrana Celular. estão relacionados a dois fatores. podem permanecer do mesmo tamanho. . inchar até arrebentar (plasmólise) ou murcharem por compressão.Concentração da Solução externa. 1 .

são observados reações celulares distintas: Hipotônica . Quando hemácias são colocadas em meios com diferentes concentrações de NaCl.alta concentração .baixa concentração Isotônica .igual concentração Hipertônica .

 A difusão de gases nos alvéolos pulmonares é de extrema importância para os mamíferos. . realizando o transporte passivo de sódio para o interior da célula e potássio para o exterior. A difusão tem papel importante na geração de potencial de membrana.

.

OSMOSE Solvente [A] > [B] «― Hipert. Hipo. Hipo.DIFUSÃO Soluto [A] > [B] ―» Hipert. .

.

.

a) Potencial de Repouso. . especialmente de Na+. mais ou menos em estado de estacionário. A origem desses potenciais é uma distribuição assimétrica de íons.  O potencial existe sob duas formas principais. K+ Cl.e HPO4. e pode conduzir importantes mensagens. b) Potencial de ação. que é uma variação e propagação brusca do potencial.

. em conseqüência de potenciais de ação.Bioeletricidade  Refere-se à voltagem estática de células biológicas e às correntes elétricas que fluem em tecidos vivos.  Potenciais Iônicos e Potencias Bioelétricos. é possível a obtenção de potencial elétricos de várias naturezas: a)Potenciais não biológicos. tal como nervos e músculos. b) Potencias biológicos.  Através do desequilíbrio iônico.

Outro processo simples é o da difusão de íons. . etc. As pilhas elétricas. os geradores de corrente. o efeito fotoelétrico.

.Potencias biológicos • Por associação de mecanismos passivos e ativos. os biossistemas produzem e utilizam uma variada gama de potenciais elétricos.

.

. Esse potencial tem sua origem em um mecanismo simples. de alternância entre transporte ativo e transporte passivo de pequenos íons. Essas denominações se referem ao potencial medido no item A.

.

e volta passivamente para o lado externo da membrana. ao mesmo tempo que introduz também ativamente um íon K+. conferindolhe carga positiva.1ª Fase: Os íons Na+ entram passivamente na célula através do gradiente de concentração. . Do lado interno. 2ª Fase: A célula expulsa esses íons ativamente. 3ª Fase: Esse íons K+ tem grande mobilidade. íons fosfato e especialmente proteínas aniônicas fornecem a carga negativa.

.

.

.

 O potencial de repouso pode ser anulado pela aplicação de um potencial de mesma magnitude e polaridade inversa. aplica-se um choque elétrico de potencial igual ao da célula. com a polaridade trocada: o pólo positivo no interior. o negativo no exterior da célula. .• Potência: (W) É a capacidade de realizar Trabalho (ou produzir energia) em função do tempo.  Através de uma pilha e de um resistor variável para controlar a voltagem.

. O potencial de repouso pode ser anulado pela aplicação de um potencial de mesma magnitude e polaridade inversa.

.

Sobre o Potencial de Ação Função da Bainha de Mielina .

.

 Esse fenômeno se passa em três fases que se sucedem rapidamente: despolarização (D) polarização invertida (I) repolarização (R). após a aplicação desse choque. e se propaga a partir do local excitado. . uma série de ventos pode ocorrer envolvendo toda a célula. Em certos tecidos chamados de excitáveis.

Essas células são responsáveis pelo início dos movimentos repetitivos biológicos.  Há células especiais. como batimentos cardíacos e frequência respiratória. . auto excitáveis que geram ritmicamente o potencial de ação. Vários estímulos podem deflagrar o potencial de ação: químicos. eletromagnéticos e até mecânicos. elétricos.

Despolarização: Abertura dos canais de Na+ com penetração de uma diminuta quantidade de íons Na+. Há uma relação entre as variações elétricas do potencial de ação e os movimentos iônicos transmembrana. suficiente para anular a diferença do potencial transmembrana. 1 . .

??????????????????????? corrigir o texto abaixo 3 . e o íon K+ são da célula. e com um pouco mais desses íons.Polarização invertida: Continua a entrada de Na+. e tudo volta ao estado inicial. .2 . A bomba de sódio se encarrega de expulsar o pequeno excesso de íons Na+ que estava no interior da célula. repolarizando-a. a parte interna da célula fica positiva.Repolarização: Logo em seguida fecham-se os canais de Na+.

.

.

chamada mielina. . 2) Mielínicos ou mielinados – A membrana do axônio é envolvida pela célula de Schwan. As partes descobertas são os nódulos de Ranvier.Existem dois tipos de nervos: 1) Amielínicos ou amielinados – A membrana do axônio está em contato direto com os tecidos vizinhos. cuja membrana é rica em uma lipoproteína.

.

o impulso elétrico caminha igualmente nos dois sentidos. A que se propaga em sentido contrário é a antidrômica. A condução no sentido naturalmente programado para o nervo e chamado de ortodrômica. bloqueiam os impulsos.Condução Ortodrômica e Antidrômica Quando um nervo é estimulado. . Para impedir a condução antodrômica existem as sinapses excitatórias e as inibitórias.

.

.

.

.

Sinapses .

como por exemplo as sinapses entre neurônios motores e músculos esqueléticos.Sinapses Inibitórias e Excitatórias  As sinapses excitatórias são aquelas onde a membrana pós- sináptica é despolarizada. .

Quando esses canais são ativados por um neurotransmissor.  As células pós-sinápticas das sinapses inibitórias apresentam canais de cloro ligante dependentes. Assim há uma probabilidade menor de lançamento de um potencial de ação. Os neurotransmissores mais comuns em sinapses inibitórias de vertebrados são o ácido gama-aminobutírico (GABA) e a glicina. eles podem hiperpolarizar a membrana pós-sináptica. As sinapses inibitórias causam a hiperpolarização da membrana pós-sináptica. .

.

.

.

com/doc/68119142/BIOLOGIA-TRANSPORTEDE-SUBSTANCIAS .scribd.http://pt.