Você está na página 1de 3

OSCIP – Passo a passo

Este artigo visa orientar as pessoas que queiram abrir uma OSCIP e desmitificar
processo de regularização, mostrando os caminhos a serem seguidos, passo a passo.
Esse processo foi experienciado por mim, sendo leigo no assunto na época.
Depois de muitas idas e vindas, pude perceber que as dificuldades embora
existissem, poderiam ser resolvidas a contento. A alternativa encontrada foi buscar a
assessoria e o apoio de profissionais para auxiliar na resolução dos principais problemas,
quais sejam: A formatação do estatuto e o demonstrativo de resultados da organização
que, mesmo na sua fase inicial, necessita ser enviado para Brasília, junto com os demais
documentos. Nestes dois casos, recorri a um advogado e a um contador que prestaram
serviços voluntário a Consultoria e Empreendimentos Sociais Brasil Cidadão.- CESBRAC.
Quando resolvi oficializar o projeto e passar a ser uma organização de fato e de
direito, optei pela OSCIP na medida em queria estar alicerçado em uma lei específica que
atendesse as necessidades do meu projeto. Uma vez feita a opção, o caminho foi centrar
as energias no estudo da lei 9.790/99, considerando que esse aprofundamento me
permitiria iniciar o processo legal para a constituição da organização. Esse tempo de
estudo e aprofundamento, sem dúvida facilitou o estabelecimento das bases do projeto
que queria para a organização que represento. Importante registrar que durante esse
período também tive a assessoria de um corpo técnico altamente gabaritado que engajou-
se de tal forma ao projeto que hoje é o grupo que compõe a diretora da organização.
Basicamente esse grupo foi composto de psicólogo, pedagogos, médico, advogado,
contador e web designer.
Ao terminar o processo de legalização do Brasil Cidadão como OSCIP percebi que
esta experiência poderia ser compartilhada com uma gama de pessoas que, como eu,
estaria enfrentando as dificuldades inerentes a esse desafio. Em razão dessa minha
disponibilidade, resolvi registrar os passos a serem seguidos para a criação de uma
OSCIP.
A seguir apresento de forma sucinta o roteiro estabelecido, a saber:
1) solicitar o exemplar do livro de OSCIP no endereço - Conselho da Comunidade
Solidária, Esplanada dos Ministérios Bloco A 4º andar Brasília – DF, CEP 70054-
900 , Fax (61) 411-4636, e-mail: interloc@comunidadesolidaria.org.br ou fazer o
Download do mesmo no sítio www.comunidadesolidaria.org.br e
www.mj.gov.br/snj/oscip.htm .
2) Elaboração do Estatuto, de preferência, com a supervisão de um advogado, segundo
modelo disponível no livro de OSCIP. Alerto para o fato de ser apenas um modelo, não
sendo necessário ficar preso a todos itens. Os Cargos, por exemplo, podem ser
modificados segundo os interesses da organização.
3) Conferência do Estatuto pelo o Check list do livro de OSCIP(p.80).
Após verificar que o documento atende as exigências legais, reunir o grupo de
trabalho para debater se de fato o estatuto atende aos objetivos que atendem a
especificidade da organização.
4) Aprovação do estatuto e fundação da OSCIP. Nesse ato, deve ser eleita a diretoria,
obedecendo rigorosamente o que foi estabelecido no estatuto. O documento que
comprova a criação da organização é a ata de fundação que deve seguir o modelo de
estatuto apresentado no livro de OSCIP. As demais pessoas que irão participar da
organização serão reconhecidas como sócios fundadores ou outra denominação
escolhida.
5) Fazer a Busca prévia do nome escolhido no Registro Civil de Pessoas Jurídicas
(média 5 dias).
6) Requerer o registro e arquivamento de sua ata e estatuto no Registro Civil de Pessoas
Jurídicas - Solicitar 2 ou mais cópias. (média 7 dias úteis). É preciso que se envie um
pedido ao oficial do registro no seguintes termos:
Ilmo.Sr. Dr. Oficial do Registro Civil de Pessoa Jurídica
A (nome da Organização) com sede na (endereço completo – Estado) vem por
meio de seu presidente, abaixo assinado, requerer o registro e o arquivamento de
sua ata de fundação e estatuto, em (___) vias de igual teor.
Nestes termos pede Deferimento.
Data
Assinatura do presidente
7) Estatuto e ata devidamente registrados, providenciar o CNPJ, imediatamente, na
página da Receita Federal (www.receita.gov.br). Caso seja necessário, solicitar ao
contador um auxílio para preencher o formulário. O protocolo estará disponível na
página da receita em média de 3 dias úteis e o cartão do CNPJ será enviado via
correio.
8) Após o recebimento do CNPJ encaminhar-se a Inspetoria de Fiscalização do
Município para que possa ser concedido o alvará. Alguns documentos necessários:
ficha de consulta aprovada, Rucca, Estatuto, CNPJ e procuração no caso de
representante.
9) Encaminhar para o Ministério da Justiça o requerimento para qualificação como
OSCIP. (Ver livro OSCIP p. 66)
a) estatuto registrado em Cartório;
b) ata de eleição de sua atual diretoria;
c) balanço patrimonial – Ver livro OSCIP;
d) demonstração do resultado do exercício;
e) declaração de isenção do imposto de renda (declaração de informações econômico-
fiscais da pessoa jurídica - DIPJ), acompanhada do recibo de entrega, referente ao
ano calendário anterior;
f) inscrição no Cadastro Geral de Contribuintes/Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica
(CGC/CNPJ).
O itens c, d, e refere-se a organizações que já estão constituídas há mais de 1 ano,
portanto podem cumprir essas exigências. No caso de organizações que estão sendo
fundadas, é preciso que se envie para o Ministério da Justiça uma declaração no
seguintes termos, segundo consulta via telefone a divisão de OSCIP do MJ:

Para os fins que se fizerem necessários, declaro que a OSCIP denominada


_________, que vem apresentar os documentos necessários para requerer sua
inscrição no cadastro de organizações deste Ministério, se compromete a enviar,
na próxima prestação de contas, a Declaração de Informações Econômico-Fiscais
da Pessoa Jurídica – DIPJ, referente ao seu primeiro ano de atividade fiscal.
Toda a regularização junto as representações governamentais necessita de assinatura
reconhecida do presidente, ou no caso de representante, da procuração com firma
reconhecida do presidente. Esta documentação deverá estar a mão para comprovar o
fato. Qualquer documento assinado pelo procurador, também, deve ter a firma
reconhecida.
Com este artigo espero estar contribuindo com os colegas do terceiro setor uma vez que
terão um roteiro que poderá nortear os passos de quem sonha em fundar sua OSCIP.
Para maiores esclarecimentos, coloco-me à disposição nos seguintes endereços:
Home page: www.brasilcidadao.rog
e-mail : marcosmendes@brasilcidadao.org
Marcos Mendes Pinheiro – Psicólogo formado pela Universidade Estácio de Sá – RJ
Sócio Fundador e Secretário Executivo da Consultoria e Empreendimentos Sociais Brasil
Cidadão - CESBRAC
Rio de janeiro, 8 de janeiro de 2003

Interesses relacionados