Você está na página 1de 8

Faculdade de Tecnologia de Sorocaba

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SAÚDE

MODALIDADE:
Projetos, Manutenção e Operação de Equipamentos Médico-Hospitalares.

“DESFIBRILADOR”

Disciplina: Construção de Aparelhos I


Prof. M.Sc. Marco Ferrari

Andreza Gomes SD071208


Claudio Kimio Arahata SD081208
Evandro Drigo da Silva SD081213

Sorocaba, 17 de fevereiro de 2009.


2

Sumário
1. Introdução......................................................................................................1
2. Objetivos........................................................................................................1
3. Materiais e Métodos......................................................................................1
4. Resultados......................................................................................................1
5. Conclusão......................................................................................................5
6. Referências.....................................................................................................6

2
3

1. Introdução
O desfibrilador é utilizado na parada cardíaca com objetivo de restabelecer ou
reorganizar o rítmo cardíaco. O primeiro equipamento foi elaborado através de Claude Beck
em 1947 utilizado em intra-operatório ( desfibrilação interna ). Em 1956 o médico Paul Zoll
elabora a teoria e a máquina de desfibrilação externa. O DEA, Desfibrilador Automático
Externo, é uma máquina capaz de efetuar desfibrilação com leitura automática, independente
do conhecimento prévio do operador.
A desfibrilação é a aplicação de uma corrente elétrica em um paciente, através de um
desfibrilador, um equipamento eletrônico cuja função é reverter um quadro de fibrilação
auricular ou ventricular. A reversão ou cardioversão se dá mediante a aplicação de
descargas elétricas no paciente, graduadas de acordo com a necessidade. Os choques
elétricos em geral são aplicados diretamente ou por meio de eletrodos (Placas metálicas, ou
apliques condutivos que variam de tamanho e área conforme a necessidade) colocados na
parede torácica. Hoje, estas máquinas são utilizadas principalmente em Unidades de
Emergencia e UTI, com cargas monofásicas que variam de 0 a 360 Joules ou Bifásicas de 0 a
200J.

2. Objetivos
Entrar em contato com o desfibrilador e todos seus componentes internos, desmontá-
lo, analisar seu mecanismo de funcionamento, verificar possíveis defeitos, remontá-lo e
comparar esse a outros equipamentos médicos.

3. Materiais e Métodos
Engenharia Reversa e análise funcional

Dados do Aparelho
a -) O desfibrilador é uma máquina pois em seu sistema técnico predomina
fluxo de transformação de energia.
b -) Marca: Ecafix- Funbec
c -) Modelo: DF-200
d -) Alimentação: Energia Elétrica AC: 120 V 50/60Hz ou 220V 50/60Hz

4. Resultados

3
4

A) Finalidade da máquina

Podemos dizer que o desfibrilador é uma máquina eletrônica que permite aplicar
choques no coração da vítima. Sabemos que o objetivo desse choque é o de restabelecer o
ritmo cardíaco normal. Tais máquinas possuem pás que quando conectadas ao tórax da
vítima, transmite um choque elétrico. No desfibrilador analisado o médico socorrista
determina a intensidade do choque a ser aplicado no paciente.

B) Interface Homem Máquina

DESL (Sincronização) CARGA DESL (rede)

LIGA (sincornização) DISPARO LIGA (rede)

Botões de Descarga das


Pás

Galvanômetro

4
5

C) Função total

Energia AC 110/ 220V Energia (0 a 350J)


50/60Hz

Carga (botão) DESFIBRILADOR Carga (Galvanômetro)


Rede (on/off – botão) Rede (on /off – LED)
Sinc. (on/off – botão) Sinc. (on/off – LED)

D) Faixa de Operação
A Faixa de operação do Desfibrilador é de 0 a 350J.

E) Diagrama de blocos

Fonte

Controle Sist. De Pá Energia


Alta tensão
Rede (on/off)

Carga
I.H.M. Rede (on/off – LED)
Disparo
Sinc. (on/off – LED)
Sinc (on/off) Carga (Galvanômetro)
Galvanômetro

F) Blocos parciais da máquina


Fonte (transformador, capacitor e diodos): distribuição da energia para os demais
subsistemas.
I.H.M (LEDs , botões, pás, galvonômetro): Receber as informações do usuário e
enviar para o sistema de controle.
Sistema de Controle (resistor, circuito integrado, transistor): receber, processar e
executar os comandos e diretrizes fornecidas pelo usuário.
Sistema de alta tensão (transformador, capacitor de alta tensão, circuitos
multiplicadores de tensão): converter a energia recebida da rede elétrica em energia de alta
tensão.

G) Tecnologia empregada
5
6

Tecnologia Through Hole analógico e digital.

H) Princípios
A desfibrilação despolariza todas as células cardíacas, permitindo o reinício do ciclo
cardíaco normal, de forma organizada em todo o miocárdio. A energia necessária para isso
é armazenada em um capacitor de grande capacidade que é carregado em alguns segundos
pela rede elétrica, capaz de transformar energia elétrica em choque monofásico (máximo de
360J) de grande amplitude e curta duração, aplicado no tórax ou diretamente sobre o
miocárdio ou bifásico (máximo de 200J).

I) Melhorias

Possuir alças de transporte, indicação de energia de descarga selecionada, descarga


interna automática, bateria interna recarregável com indicação de bateria fraca, bateria em
carga e alimentação (rede elétrica ou bateria), entrada para alimentação 12V, permitir
funcionamento durante a recarga da bateria, analisar o ritmo cardíaco e, se for necessário,
determinar automaticamente o choque a ser aplicado. Também seria interessante a adição de
outros parâmetros, tais como: monitoração de ECG, oximetria de pulso, monitoração de
pressão não invasiva, capnografia, marcapasso externo.

J) Estado geral

A máquina aparentava ter mais de 15 anos, mesmo assim parte interna conservada,
as pás estavam quebradas, faltavam alguns parafusos e o suporte da placa do circuito
impresso estava solto.

K) Falhas funcionais esperadas

As pás do desfibrilador estavam com seus fios cortados na região de conexão com a
máquina, mesmo que o desfibrilador estivesse funcionando impossibilitaria o seu uso. O pino
de conexão das pás havia sido intencionalmente rompido com uma força muito grande ou
então desmontado, o conjunto aparentemente foi projetado para suportar todas as condições
de uso normal, assim sendo não seria necessária qualquer modificação em seu projeto.

6
7

L) Acessórios

Gel condutor para aplicação nas pás de desfibrilação; pás de desfibrilação


adulto/pediátrico com cabo de alimentação padrão ABNT, com no mínimo 1,5 m.

M) Esboço descritivo

Circuito Capacitor
Fonte Multiplicador (Armazenagem) Pás Energia
de tensão

N) Manutenção
A manutenção é simples, a máquina possui várias formas de acesso e todo o sistema
de funcionamento dividido por blocos parciais bem definidos.

O) Instalação elétrica
Não é necessário uma instalação especial, apenas uma tomada tipo 2P + T

P) Treinamento
Apesar de a máquina ser de fácil manuseio o mesmo não permite que qualquer
pessoa o manuseie, por serem necessários conhecimentos médicos para aplicação da
dose certa de energia.

5. Conclusão
Apesar de a máquina analisada ser antiga ainda é encontrada com facilidade no
mercado de usados. Tem como principal vantagem o baixo custo, entretanto já no seu
aspecto externo observamos como pesa negativamente a idade de seu projeto. Seu desing é
ultrapassado. Hoje em dia existem no mercado máquinas menores e já projetadas em seu
chassi uma alça de transporte. O desfibrilador também não funciona conectada a uma
bateria recarregável e nem tem como opção a fonte de alimentação de 12V, o que seria muito
útil, possibilitando ser adaptada com facilidade a um veículo de resgate. Além disso, a falta
de recursos como monitoração de ECG, oximetria de pulso, monitoração de pressão não
invasiva, capnografia, marcapasso externo limitam muito o desempenho da máquina. E é

7
8

importantante citar os DEAs que permitem que qualquer pessoa, mesmo leiga, possa fazer
uso da máquina.

6. Referências
Berne, R.M. et al. Fisiologia. 5. Ed. Rio de Janeiro: Mosby Elsevier, 2004
Frumento, A.S. Biofísica. 2. Ed. Buenos Aires: Inter-Médica Editorial, 1974
Trindade, R. , disponível em:
<http://www.pdic.com.br/pdic2005/biblioteca/DAE.asp> Acesso em:01.mar.2009
Portal Medtronic, disponível em:
<http://www.medtronicbrasil.com.br/BR/about/lifepac12.pdf> Acesso em 02.mar.2009.
Silverthorn, D.U. et al. Fisiologia Humana: uma abordagem integrada. 2. Ed. São
Paulo: Editora Manole, 2003