EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA 90ª VARA DO TRABALHO

DE CAMPINAS - SP

Autos nº 1598-73.2013.5.15.0090
REFRIGERAÇÃO NACIONAL, pessoa jurídica de direito
privado, inscrita no CNPJ, com endereço na rua..., número..., cidade...,
estado...., CEP ..., vem com o devido respeito e acatamento perante
Vossa Excelência, por seu procurador signatário, procuração em
anexo,

com

escritório

profissional

estabelecido

à

Rua...,

nº...,

cidade ..., estado ..., CEP: ..., onde recebe notificações e intimações,
com fundamento no artigo 847 da CLT e artigo 300, CPC, oferecer
CONTESTAÇÃO
Com fulcro no art. 847 da CLT c/c com art. 336 do CPC, aos termos da
Reclamatória Trabalhista movida por SÉRGIO FERES, já qualificado nos
autos, pelos fatos e fundamentos a seguir.
DO DANO MORAL – REVISTAS
Não procede o pedido do autor porque a revista em bolsa
não é considerada íntima, mas pessoal, estando ausentes os
requisitos dos arts. 186 e 927 do CCB ou art. 5°, X da CF/88, uma vez
que não há contato físico nem exposição visual de parte do corpo,
além de ter sido realizada em lugar e forma adequados. Logo, não
houve excesso no poder diretivo/fiscalizatório, pois a revista observou
a ponderação de interesses.
Apesar de ser indevido o pleito do Reclamante, por
cautela, argumenta-se que o valor postulado é exagerado, pois não
considera a capacidade econômica da Reclamada (empresa de

Apesar de ser indevido o pleito do Reclamante. CLT. portanto. o empregado é considerado em licença não remunerada. 476. a exemplo do ticket refeição e vale transporte. 60 e 63 da Lei 8. ou seja. não sendo considerada ilegal e. devendo ser reduzido para atender aos princípios da razoabilidade e proporcionalidade. não viola o art.213/91. estando dentro dos limites do poder de direção do empregador. o empregado não faz jus aos benefícios que se relacionam com a prestação dos serviços. posto que a conduta descrita na peça vestibular foi única. Requer a improcedência do pedido. DO TICKET REFEIÇÃO E VALE TRANSPORTE Não procede o pedido do autor porque em caso de auxíliodoença previdenciário. argumenta-se que o valor postulado é exagerado. Isto significa que o contrato de trabalho está suspenso. Corroboram a exposição os artigos 59. 2º. por cautela. tendo em vista o disposto art. pois não considera a capacidade econômica da Reclamada (empresa de pequeno porte). bem como o requisito de reiteração de atos. Requer a improcedência do pedido. dentro do limite de tolerância legal. CLT. A desavença esporádica não pode ser considerada assédio moral. estando ausentes os requisitos dos artigos 186 e 927 do CCB. DA DATA DO PAGAMENTO Não procede o pedido do autor porque a mudança da data de pagamento. DO ASSÉDIO MORAL – ADVERTÊNCIA Não procede o pedido do autor porque a mera advertência na presença de colegas não enseja ofensa à honra do autor.pequeno porte). . Requer a improcedência do pedido. devendo ser reduzido para atender aos princípios da razoabilidade e proporcionalidade. conforme art. durante o prazo desse benefício. é alteração possível. por não constituir situação vexatória.

468 da CLT. requer seja julgada totalmente improcedente a presente demanda. § 1° da CLT é até o quinto dia útil do mês subsequente ao vencido. Nestes termos. 459. prazo este que foi atendido pela Reclamada. tais como depoimento pessoal do reclamante. ADVOGADO OAB/número . No mesmo sentido. Requer a improcedência do pedido. SDI-1 do TST. requer acolhimento do mérito. REQUERIMENTOS FINAIS Assim sendo. oitiva de testemunhas. juntada de documentos e perícia. Pede deferimento. dispõe a OJ 159. Requer a produção de todos os meios de prova em direito admitidos. Local e data. O limite legal estabelecido pelo art.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful