Você está na página 1de 16
Jel ergsan fe; SENAI-SP sire serscn conan 15 Mecanico Geral | Grampo fixo |2.C+D Sumario pagina Introdugao 2 FIT 056 Serra de fita para metais 3 FIT 057 Serra alternativa . 5 FIT 058 Laminas de serra para m&quinas 7 FO 22-A Serrar com serra de fita 10 FT 15-A Grampo fixo 12 Plano de trabalho 15 Questiondrio ”7 Registro de tempo 19 senai-sp CBS FIT 056 1/2 Informaggo Tecnolégica Serra de Fita para Metais E uma méquina-ferramenta cuja fita de serra se movimenta continuamente, pela rotago de volantes e polias acionadas por um motor elétrico, Serra vertical de fita E @ mais apropriada e de melhor rendimento para trabalhos de contorno, isto é, cortar contornos internos e externos em chapas, barras ou pecas. E de grande uso nas oficinas mecdnicas Componentes: 1+ Chave de partida 4 Rebolo 5 - Controle de pressfo na soldagem da fite 6 - Tesoura 7 - Soldador elétrico da fita 8 - Caixa do volante conduzido 9 - Volante de tensio da fita 10 - Guia de fita de serra 11 - Mesa inelindvel 12 - Caixa do motor e transmisséo 13 - Gaveta de ferramentas 14 - Caixa do volante condutor Fig. 1 Funcionamento Movimento da fita E conseguido de dois volantes que contém na peri- feria uma cinta de borracha, cuje finalidade ¢ evitar © deslizamento da fita. A regulagem da tensio da fita é conseguida com 0 deslocamento do volante conduzido na direcdo da posigao da fita, por meio de um mecanismo apro- Priado (fig. 2). Mowmerto para requiar @ erste da fit Fig. 2 2/2 FIT 056 CBS senai-sp Informagao Tecnologica Serra de Fita para Metais Movimentagao da mesa As serras de fita possuem uma mesa que é articula- Mevimento oro regular da por um mecanismo localizado na sua parte infe- . rior, permitindo a inclinaggo da mesa em dois senti- guia suoerior (mével) dos: a direita e & esquerda do operador. Guias da fita ‘tra livre ‘So 0s orgs responsdveis pela posicdo correta da fita durante o corte. As quias da fita so duas: su- perior e inferior (fig. 3). CZTTTLA 4 ‘A guia superior, por ser mével, permite o ajuste da altura livre da fita acima da mesa, além de dar esta: bilidade 4 fita quo interior (x0) Fig. 3 Mudanga da velocidade de corte Para cada material das pecas por cortar, precisamos de velocidades de corte diferentes para a serra de fita. Para se variar a velocidade ou mudé-la, so usados dois mecanismos para esse fim: um com polies em V, escalonadas, e 0 outro com polias de diémetro varidvel. Entre os dois mecenismos, o de polia varidvel é mais vantajoso, pois permite, dentro da mudance da velo- cidade mais baixa até a velocidade mais alta, a sua regulagem. O outro nao permite tal regulagem, pois seus valores sdo fixos. Avango do material 0 avanco da pega é manual. Existem méquinas que possuem avanco automético. Dispositivos para soldar a fita. ‘As mdquinas deste tipo contém dispositivo elétrico para soldar as fitas. Possuem, também, uma tesoura cortadora da fita de serra e um rebolo para desbastar a parte soldada, Construcio ‘Sua estrutura & constituida de chapas soldadas; a mesa e os volantes, de ferro fundido, e, as demais par- tes, de ago-carbono. senai-sp ces FIT 057 1/2 Informago Tecnolégica Serra Alternativa E uma maquina-ferramenta que, por meio de um movimento retilineo alternativo da serra, secciona ma- teriais metdlicos. Tipos de Serra Alternativa Existem dois tipos de serra alternativa, que so denominados pelo sistema de avango; isto é: 0 tipo me- nico € 0 tipo hidréulico.. Serra alternativa tipo mecénico (fig. 1) Componentes: 1+ Manipulo da morsa 2- Arco da serra 3- Corredica 4 - Suporte guia de corredi¢a 5 - Contrapeso 6 - Parafuso 7 - Morsa 8- Lamina de serra 9- Suporte do contrapeso 10 - Engrenagem de transmisséo 11- Volante 12 - Protegio da engrenagem 13 -Polia conduzida 14 - Engrenagem de transmiss¥0 16 - Base da morsa 16 -Peca 17 -Desligamento automatioo da chave elécrica 18 -Biele 19 -Barramento 20 - Motor elétrico e polia condutora 21-Pés Fig. 1 Serra alternativa tipo hidrdulico (fig. 2) Componentes: 1 - Arco 2- Tubo do fluido de corte 3- Corredica 4-Peca 5 -Biela 6 - Engrenagem maior 7 - Haste de manobra da morsa 8 - Articulagdo 9 Lamina de serra 10 - Engrenagem menor 11 - Morsa 12 -Bacla 13 - Motor elétrico 14- Caixa 18 - Bomba de leo 16 - Base 17 Limitador do material (peca) Fig, 2 2/2 FIT 057 CBS senai-sp Informagao Tecnolégica Serra Alternativa Uso industrial da serra alternativa © uso industrial se restringe a preparagdo de materiais que se destinam a trabalhos posteriores, pois essas méquinas nao fornecem produtos acabados, Caracteristicas da serra alternativa Material de construgao ‘A maioria das partes componentes dessas méquinas so construidas de ferro fundido, com excegdo dos eixos e de algumas engrenagens que so construfdas de aco-carbono, nas quais 0s esforgos 30 acentuados. Poténcia do Motor ‘A poténcia do motor deve ser suficiente pare movimenté-la, quando o corte exige maiores esforgos. Mecanismo de avango Mecénico: O principio usado para o seu funciona- mento ¢ 0 brago de alavanca: usa-se 0 proprio peso : do arco para se conseguir a pressdo de avango cons- eso do oo Contrapeso, tente, e pode-se regular a presso por contrapeso (fig. 3). Detathe da serra horizontal alternativa Hidréulico: Usamos uma bomba hidréulica_ com uma vélvula que permite a regulagem da pressio de avango, dentro das seguintes caracteristicas: -avango progressivo e uniforme da lémina, no qual Pasa se consegue 0 afastamento da lamina no retorno do golpe; a0 terminar 0 corte, a serra ¢ desligada autom: . camente. Fig. 3 artcvioedo Capacidade de corte E limitada pela altura do arco e pelo comprimento da lamina. Velocidade de corte 0 numero de golpes por minuto durante o corte ¢ a velocidade de corte; portanto, quanto maior for 0 numero de golpes, maior seré o rendimento obtido. Transmissdio de movimento Um conjunto de polias ou engrenagens é usado para se fazer transmisséo e reducdo da rotagéo do motor elétrico aos Srgdos rotativos da serra. Conversiio de movimento © movimento alternado pelo qual a serra executa o seu trabalho é conseguido por meio de um dispositive denominado biela. Com esse dispositivo, fazemos a conversio do movimento rotativo do motor em movi- mento alternativo retilineo do arco de serra da maquina: senai-sp CBS FIT 058 1/3 Informagao Tecnolégica Laminas de Serra para Mdquinas Sio ferramentas denteadas (figs. 1 ¢ 2) para corte, cujos dentes s80 inclinados lateralmente (travamen: to). As laminas so construidas de aco-carbono ou | (° , ° ago répido. So ferramentas destinadas a produzir “ rasjos, possibilitando 0 corte do material metdlico. | Fig. 1 A lamina de serra da fig. 1 6 utilizada em serras de movimento altemnativo. Essa lamina é constru(da de aco répido e temperado, Na _maioria das serras horizontais alternativas, 0 corte se dé no retorno da limina; por essa razdo, ela € colocada com os dentes voltados para trés. Fig. 2 A lamina de serra da fig. 2 caracterizase pelo comprimento e flexibilidade, sendo construida de aco-car- bono e temperada apenas nos dentes. E usada em serra de fita vertical, de movimento continuo e sua co- locagéo ¢ feita com os dentes voltados para o sentido do movimento de corte da maquina, como indica a seta na fig. 3, ‘Travamento E a inclinagdo lateral dos dentes, cuja finalidade é produzir um rasgo maior do que a espessura da mina, a fim de se evitar o atrito lateral da lamina de serra com a pega (fig. 4). r0sqo Lemme dante do tBmina Fig. 3 Fig. 4 As figs. 5, 6 e 7 mostram vérios tipos de travamento. Escolha da lamina de serra © bom rendimento de uma lamina de serra depen- de da extolha adequada 20 trabatho 2 exeouter. | [OYJ J J As tabelas e quadros que se seguem do uma boa | orientago quanto 3 escolha e as condigdes de uso i Fig. 5 das laminas de serra, ooo |) SEE Fig. 6 Fig.7 2/3 FIT 058 CBS senai-sp Informagao Tecnolégica Laminas de Serra para M4q Observaraio As tabelas e os quadros foram retirados do Cardlogo 8 100 de “Starret Tools”. Escolha de fitas Espessura do material De De Aci De Acima até = cima | até | 13mm ; 6mm | 13mm de de Material 6mm 13mm | a 38mm yg {243mm | 226mm | 25mm | TP | AT 38mm 1/49 1/2" | 172" a4 1 at a| 112 Numero de dentes por polegada Velocidade (m/min) Agoscomuns | 24-18] 14 wo-8 | 6-4 60 50 40 ‘Ago-eromo- niquel; agos 24- 4 1 -6 40 35 30 fundidos e ferro ey) ° 8 fundido Ago ray Ago inoxidével | 24-18 | 14 10 8 30 25 20 #@ agos tipo RCC Perfilados e Tubos (parede | 24-18 | 14 10 8-6 60 55 50 grossa) tT ubos(Parede | a4 4 14 14 75 7 75 fina) Metais nfo ferrosos. Aluminio 10 8 6 4 500 400 300 Antiménio Lato e Magnésio Cobre e zinco 14 8 6 4 300 250 200 Tubos de cobre. Aluminioou lag a4 | ag-14 | 18-14 | 18-14 | 600 500 400 Latdo com parede fina senai-sp CBS FIT 058 3/3 Informagdo Tecnolégica Laminas de Serra para M4quinas Escotha da kimina de serra Espessura do Material ; : Golpes Materia)» | At 20mm | De 20mm a 40mm | De 40mm a 90mm | Acima de 90mm |” ror (3A) | (De 3/4" 11/2") | (De 11/2" a31/2")| (Acima de 3 1/2”)| minuto Numero de dentes por 1” Agos/niquel 14 10 6 4 70.485 ‘Acos comuns Agos inoxidaveis et exiod 4 10 6 4 75.490 Agos tipo RCC Perfilados Tubos 14 = - - 75290 Ferro fundido 14 10 6 4 90a 115 Bronze Cobre 14 10 6 4 954135 Aluminio/Latao 14 10 6 4 100 a 140 Recomendagées gerais para o uso das léminas de serras Verifique se a lamina esté afastada do material, ao ligar a maquina. Aperte moderadamente a lamina e verifique sua tensio apés alguns cortes.Reaperte a ldmina,se necessirio. Use avanco adequado para a espessura do material que seré cortado. Para material fino, reduza considera- velmente o avango. O material a cortar deve estar rigidamente seguro na morsa, principalmente quando se trata de material empilhado. Use sempre velocidade de corte adequada. Mantenha a méquina e a lémina de serra em bom estado de conserva CBS FO 22-A 1/2 Serrar com Serra de Fita € a operagéo mecénica por meio da qual se corta um material com uma lamina de serra (fita) subme- tida a um movimento continuo circular (fig. 1). Os cortes podem ser retos, curvos ou mistos, com ou sem saida. Esta operagio, por ser répida e de facil execugao, ¢ aplicada na preparacéo de pegas a usinar. Processo de execucéo 19 Passo Trace e marque o material. 22 Passo Selecione a lamina de serra. Observagses 1A largura da lamina de serra varia segundo 0 corte. 2 O numero de dentes deve ser de acordo com a espessura e dureza do material. 3 O comprimento, em geral, é especificado na méquina e pode, também, ser calculado de acordo com os didmetros dos volantes € a dis- téncia entre centros. 4 Selecionam-se ou regulam-se as guias em funcdo da largura da lamina de serra. 30 Passo Monte a serra. a Troque ou regule as guias, se necessirio. b Afrouxe o tensor (fig. 2). © Coloque a serra. Observagdes 1 Os dentes da serra devem ficar para fora e vol- tados para o sentido de movimento da mesma. 2 Quando 0 corte for sem safda (fig. 3), corte a lamina de serra, introduza no furo previamente feito e solde-a em seguida. d_ Ajuste a serra, girando o tensor. Observagéo A tensio da serra no deve ser demasiada. @ Feche as protegdes da serra. Fig. 3 10 2/2_FO 22-A CBS senai-sp Operacéo Serrar com Serra de Fita 49 Passo Prepare a maquina. a Regule a rotagdo Observagdo Consulte tabela, b Reaule, se necessdrio, a posi¢ao da mesa, segun- Peco. do a inclinagao do corte (fig. 4). Meso Fig. 4 59 Passo Serre. a Ligue a maquina, b Aproxime o material a lamina de serra e inicie 0 corte, exercendo uma pequena pressio (fig. 6). © Termine o corte, respeitando o tracado. Precaugao Ao se aproximar o final do corte, empurre 0 material com urn pedaco de madeira, a fim de evitar aci dente (fig. 6). Fig. 5 18 Mana Ge 8 15204 33to2 | 15t Visto de B ee 63. - 4, Se a y 4 | Peca NO Ordem de Execucéo Ferramentas Brocas helicoidais. Martelo. 1 1 | Trace, fure, sere e lime nas medidas. Machos. Desandador para Veja FO 22-A e FIT 056,057 e 058. machos. Limas chatas e re- dondas, bastardas e murgas. Escala, Riscador.Graminho. 2 Fure, faca a rosca e as estrias. Esquadro. Pungo de bico. 2 3 | Trace, fure e lime. Compasso de pontas. Arco de serra. Régua de controle. Paquimetro. Transferidor. 4 Estampe. Régua de tracar. 2 1 Encosto mével Chapa preta. Aco ABNT 1010 - 1020 df 16 - 25x25 1 1 Corpo Ago ABNT 1010 - 1020 (Da FT 13 - A) No [Quant. oe DenominagSes e observagdes Material e dimensées Pega i. j FT 15 - tha 1 senai-sp |Miustador Grampo Fixo i= | Eoike Ug Mecanico Escala 1:1 1982 Ow agi Li «| coreas = A i 2 Pea | NO Ordem de Execugio Ferramentas Broca helicoida!. Cossinete, 3 1 Faga a rosca e o furo. Desandador de cossinetes. & | 2 | Cabeca (recebe torneada). Ago ABNT 1006 - 1010 tref. 4 | 1 | Man‘pulo (recebe torneado). Ago ABNT 1010 - 1020 wef. © 1/4”x80 3 | 1 _|Parafuso (recebe torneado). ‘Ago ABNT 1010 - 1020 tref. © 5/8”x70 NO_| Quant, P DenominagSes e observacdes Material e dimensdes ga . ji FT 15 - A | Folha 2/3 senai-sp Austador Grampo Fixo Mecanico Escala 1:1 71982 No Ordem de Exacuefo Ferramentas 1 | Dé acabamento e faca a montagem. Rebite o man{pulo eo encosto. Escareador. Martelo. Lima chata mura. 1 Montagem NQ |Quant. ; Denominagées e obsorvagées Material e dimensdes ega 5 Ajustador FT 15 - A | Folha 3/3 i-' Grampo Fix: senalsp _ Escala 1:1 | 1082- Mec§anico SENAI 38 Paulo PLANO DE TRABALHO _N® Motrfeuls, FTHI5- 4 Forno |orau de 172 _|aeadamento ‘ORDEM DE _EXECUGAO INFORMAGOES TECNOLGGICAS MS Vista dea Visto de B [avon Pave Material @ Dimensde cre Loca SENAI Co PLANO DE TRABALHO ‘| N® Matricub, oowooro. Fone [orau rr-15-4] “aye pcan ORDEM OE EXE CUGAO INFORMAGOES TECNOLGSICAS ; + rE | 5 7 beer] Denominagbee reve | Waterial + Dimensdes