Você está na página 1de 8

1

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM 2017 - ENSINO TÉCNICO

I - IDENTIFICAÇÃO

CURSO: Técnico em Agropecuária I ntegrado ao Ensino Médio

DISCIPLINA: História

TURMA(s): 3 o AGRO1 / 3 o AGRO2

PERÍODO/TURNO: Integral / Matutino / Vespertino

PERÍODO LETIVO: Anual 201 7

CARGA HORÁRIA: 60 h/a

PROFESSOR: Dr. Marcelo Henrique Nogueira Diana

EIXO TECNOLÓGICO: Recursos Naturais

II - JUSTIFICATIVA

Compreende-se que a História é produzida por versões de narrativas e que um mesmo acontecimento ou período histórico pode ser interpretado sob perspectivas diferentes . Neste sentido, torna-se fundamental analisar e discutir as várias fontes que permitem a compreensão da história. As fontes, também elas, são produzidas historicamente, portanto, também devem ser colocadas em perspectiva de análise. Assim, um sujeito ou um objeto da história é resultado de seu tempo, das relações sociais em que está inserido, mas, igualmente, apresenta-se como um elemento ou ser singular que atua no mundo a partir do modo como ele é percebido, compreendido e do que é possível interpretar sobre ele. A condição de ensino com a história torna- se um lugar de contrapor as verdades hegemônicas e absolutas colocadas no tempo, deslocando-as para uma interpretação crítica que singularize o conhecimento e os modos de entendimento dos alunos.

2

III EMENTA

Na disciplina de História do 3 o Ano do Ensino Médio estuda-se a formação da sociedade brasileira contemporânea, no final do século XIX até os dias atuais, marcada por conflitos e a influência hegemônica da cultura ocidental europeia e norte-americana. Nesta disciplina busca-se levar o aluno a compreender o processo histórico brasileiro, bem como a importância de sua participação nas decisões políticas da cidade.

IV - OBJETIVO GERAL

Despertar no aluno a compreensão da história, marcada por contradições, que permearam a época moderna e influenciaram a cultura ocidental e a brasileira en tre a descoberta do Novo Mundo e a Revolução Industrial (1500-1900). Oferecer o desenvolvimento da autonomia intelectual e do pensamento crítico do educando a partir do contato com as diferentes culturas históricas.

V - OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Aprimorar o educando como pessoa humana, incluindo a sua formação ética e política.

Estimular a autonomia intelectual e o pensamento crítico mediante domínio dos principais personagens e problemas da tradição histórica ocidental.

Compreender o percurso histórico que embasa os fundamentos científico-tecnológicos dos processos produtivos apresentados no curso.

Entender textos de História e científico-tecnológicos de modo analítico, investigativo, questionador e reflexivo

VI CRONOGRAMA, CONTEÚDO PROGRAMÁTICO, OBJETIVOS ESPECÍFICOS, METODOLOGIAS DE ENSINO E INSTRUMENTOS AVALIATIVOS

3

     

Metodo

 

Encontro

logia de

Instru

ou

Ensino

mentos

Avaliati

Período ou

Conteúdo Programático

Objetivos Específicos

/

Data ou

Recurs

 

Carga

   

os

vos e

Horária

Didátic

Valores

os

   

Entender o processo de ensino da discipl ina

   

1º e 2 Encontro

Apresentação do plano de ensino e apresentação da disciplina

Compreender a construção do conhecimento histórico a partir de diversas fontes e conceitos

AED

ATI.

   

Contextualizar a queda da monarquia no Brasil

   

3º ao 7º Encontro

UNIDADE I

Ciência e Tecnologia: o mundo em transformação, Brasil

C ontextualizar o surgimento das classes militares ao poder

Compreender os conceitos históricos de República e nação

Fomentar o debate a respeito da visão de trabalho pós- abolição

AED

LIPT

ALI

ADS

ATI

AEI

PS

Contextualizas os diversos conflitos e movimentos sociais do início da República

 

UNIDADE I

 

TE

 

ADS

TDE

8º ao 12º Encontro

Ciência e tecnologia: o mundo em transformação, As guerras mundiais

Ampliar o escopo de interpretação do significado do conflito na Europa e no Brasil

Relacionar a guerra com as ideologias políticas presentes no período

Compreender a relação entre a ciência, a técnica e os conflitos mundiais

AED

SC

ATI

DPL

   

Contextualizar a crise da primeira república e ascensão de Getúlio Vargas

AED

 

13º ao 17º Encontro

UNIDADE I

Oferecer elementos para interpretar o significado das políticas trabalhistas de Vargas

Interpretar as diferentes concepções de trabalho e de trabalhador do período

TE

PS

Meios de comunicação de massa: A crise republicana no Brasil

PES

AP

TDE.

AEI

 

Debater o papel da propaganda política e comercial na política e na sociedade do período

SEM

 

UNIDADE II

Compreender as transformações culturais dos loucos anos 1920

AED

 

Contextualizar a emergência dos regimes totalitários na déacada de 1930

LIPT

18º ao 22º Encontro

Meios de comunicação de massa: o período entre- guerras e os regimes totalitários

Nazismo, Fascismo, Capitalismo, Socialismo e Comunismo

As teorias biológicas e o movimento eugenista, em suas propagandas e publicações

ATD

ALI

TDE

AEI.

AFM

4

   

O contexto da guerra e os dilemas humanitários do pós- guerra

TE

 

23º ao 27º Encontro

UNIDADE III

Revolução Comunista: China e Cuba

PES

Movimentos de emancipação e apartheid racial

AFM

DPL

 

Violência

Os EUA e a URSS na produção de uma guerra fria

ALI

SC

28º ao 33º Encontro

UNIDADE III

Ditaduras latino- americanas

AED

 

Violência

Brasil: anos de democracia e invenção da classes média

Os 3 J’s: Juscelino, Jânio e Jango

LIPT

ADS

AEI

PS

 

O golpe militar no Brasil: aspectos políticos, sociais e culturais

     

AED

 

34º ao 38º Encontro

UNIDADE IV

Ética

As crises capitalistas do século XX e os movimentos sociais

Declínio do regime socialista e o canto neoliberal

Novos conflitos de um mundo globalizado: Oriente Médio e América Latina

ADS

ATD

ATI

AEI

TDE

Recontar a história do Brasil: projetos de memórias

ALI

39º ss

       

Encontro

-

REVISÃO

Discutir e avaliar a disciplina e conteúdos estudados

AED

ATI.

* Legenda das Estratégias Didáticas: (AE) Aula Expositiva; (AED) Aula Expositiva e Dialogada; (ATD) Atividades/exercícios em dupla; (ATI) Atividades/exercícios

individual; (LIPT) Leitura, interpretação e/ou produção de textos; (DIS) Discussão em equipes; (TE) Trabalho em equipe; (PES) Pesquisa; (SEM) Seminário;

Aula com data show (ADS); (AFM) Aula com a apresentação de filmes/músicas; (ALI) Aula laboratório de informática; (SC) Saída de campo ou estudo.

5

VII PRÁTICAS DE ENSINO- APRENDIZAGEM

No confronto entre as diversas interpretações historiográficas na história do Brasil será utilizado como livro de apoio o respectivo Brasil: uma biografia, dos C apítulos 12 ao 18, I ntrodução e Conclusão. Buscar- se -á fomentar no aluno a capacidade de interpretar em duas ou ma is fontes de leitura a diversidade do conhecimento histórico, de modo a produzir sínteses mais nuançadas e sempre em perspectivas contextuais. Será utilizado o acervo bibliográfico da Biblioteca do Instituto federal Catarinense, câmpus Araquari, bem como de outras instituições (bibliotecas públicas), onde será esperado que o aluno opere com a busca, leitura, comparação e síntese entre diversas fontes históricas e suas interpretações historiográficas. Além disso, será debatido em sala de aula os projetos de integração curricular dos estudantes.

VIII AVALIAÇÃO

Avaliar, segundo Cipriano Carlos Luchesi (1999), é um processo que precisa articular-se ao processo educativo como um todo, pois , a avaliação não tem nenhuma função focada em si mesma. Neste sentido, avaliar não pode ser punitiva, deve ser emancipadora.

a) Procedimentos para avaliação

- Interesse e responsabilidade diante dos conteúdos trabalhados.

- Atenção e participação nas aulas.

- Demonstração, na avaliação e nos trabalhos escritos, de:

(i.) domínio e articulação do conteúdo trabalhado; (ii.) objetividade, clareza, argumentação e coerência.

- Demonstração, na apresentação oral de trabalhos e dos seminários, de:

(i.) domínio e articulação dos conteúdos apresentados; (ii.) objetividade, clareza, postura e coerência.

- Capacidade de solucionar exercícios teóricos.

6

- Capacidade de aplicação dos conteúdos em novos problemas.

Instrumentos de avaliação: A avaliação da aprendizagem do estudante será realizada nas seguintes modalidades:

- avaliação escrita individual,

- trabalho/atividade em dupla/equipe, (TDE)

- pesquisa e apresentação de seminários, (PS)

- debates, em torno de pesquisas e leituras realizadas (DPL)

O resultado da avaliação dos estudantes será registrado por valores inteiros de 0 (ZERO) a 10 (DEZ). O resultado mínimo para aprovação em um

componente curricular é 7,0 Para atribuição da nota final serão considerados também os seguintes indicadores:

( AEI)

i. O estudante apresenta os valores/atitudes propostos e cumpre com os deveres elencados no regimento da instituição.

ii. O estudante apresenta respeito para com o professor e os colegas.

iii. O estudante participa das atividades e dos debates em sala de aula.

iv. O estudante apresenta assiduidade nas aulas e responsabilidade quanto aos prazos estipulados para entrega dos trabalhos. O estudante demonstra responsabilidade e cuidado com os materiais e equipamentos utilizados durante as aulas.

b) Formas de Recuperação da Aprendizagem

A recuperação da aprendizagem ocorre em modalidade paralela, após as avaliações que compreendem o conteúdo e a construção de raciocino histórico por parte do aluno em cada unidade e ser á dedicado, no m í nimo, 10% do total de horas letivas para atividades com este fim. Por meio d a recuperação, ser á oferecida ao estudante a oportunidade de apropriação de conteúdos ainda não assimilados e do aprimoramento em relação a notas insuficientes nas avaliações de cada unidade. Ser ã o reservados horários pré-estabelecidos para o atendimento aos alunos. No que se refere à reavaliação de pontos, será oferecida ao estudante um exame a o final do período com caráter substitutivo, no caso de maior nota em relação à média obtida ao longo do trimestre.

7

IX - BIBLIOGRAFIA (Básica e Complementar)

Bibliografia Básica

AZEVEDO, Gislane & SERIACOPI, Reinaldo. História em Movimento – O mundo moderno e a sociedade contemporânea. São Paulo: Ática,

2010.

ALENCAR, Francisco; CARI, Lucia; RIBEIRO, Marcus V. História da Sociedade Bra- sileira. Rio de Janeiro: Ed. ao Livro Técnico, 1996.

ARRUDA, José Jobson de A

Toda História: História Geral e do Brasil. SP: Ática, 2008.

Bibliografia Complementar

BRAICK, Patrícia Ramos & MOTA, Myriam Becho. História das Cavernas ao Terceiro Milênio. Da Proclamação da República no Brasil aos dias atuais. Vol. 3. São Paulo: Moderna, 2005.

BURNS, Edward. História da Civilização Ocidental. Vol.I Porto Alegre: Globo, 1985;

Coleção “O cotidiano da História”. São Paulo: Ática. Coleção “Tudo é História”. São Paulo: Brasiliense.

CORDELLIER, dir. Serge, Nações e nacionalismos. Lisboa, Publicação Dom Quixote. 1998;

COTRIN, Gilberto. História do Brasil – II Grau. SP: Saraiva, 1994;

CRISTOFOLINI, Nilton José. Nacionalização do Ensino: estratégia para a construção da nacionalidade e sua contextualização em Joinville. Dissertação de Mestrado em História Cultural. Florianópolis: UFSC, 2002.

DONGHI, Tulio Halperin. História da América Latina. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. 2 a ed. – Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1975;

FAUSTO, Boris. História Geral da Civilização Brasileira. 3 a ed. São Paulo: Mo- derna. 1998, v. 1, 2, 3;

HOBSBAWM, Eric J. A era das revoluções: Europa 1789-1848; trad. De Maria Tereza Lopes Teixeira e Marcos Penchel. RJ: Paz e Terra, 1977;

8

HOBSBAWM, Eric. A questão do nacionalismo, nações e nacionalismos desde 1780, programa, mito, realidade. (Edição original em 1990, tradução de Carlos Lains). Lisboa: Terramar, 1998;

HOLANDA, Sérgio Buarque de. História Geral da Civilização Brasileira. SP. Difel, 1975.

KARNAL, Leandro. Estados Unidos - Da Colônia a Independência. Col. Repen- sando a História. Ed. Contexto. HUBERMANN, Leo. História da Riqueza do Homem. São Paulo: Editora Atual, 1980.

KONDER, Leandro. Introdução ao Fascismo. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1977;

KOSHIBA, Luiz. História: Origens, Estruturas e Processos. São Paulo: Atual, 2000.

MEC – PCN. Orientações Curriculares para o Ensino Médio – Ciências Humanas e suas Tecnologias. Vol. III. 2008.

ORDOÑEZ, Marlene & QUEVEDO, Júlio. História. Coleção Horizontes. Instituto Brasileiro de Edições Pedagógicas. 1997;

RUSSELL, Bertrand. História do Pensamento Ocidental: a aventura dos Pré- Socráticos e Wittgenstein. Rio de Janeiro: Ediouro, 2001;

TEIXEIRA, Francisco M. P. História da América. São Paulo: Ática, 1988.

VICENTINO, Cláudio. História para o Ensino Médio: História Geral e do Brasil. São Paulo: Scipione, 2005.

WILLS, John E. 1688: o início da era Moderna. Rio de Janeiro: Campus, 2001.

Sugestão de pesquisa e leitura

SCHWARCZ, Lilia Moritz; STARLING, Heloisa Murgel. Brasil: uma biografia. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.