Você está na página 1de 11

O MÉTODO CIENTÍFICO

(O falsificacionismo e a crítica de K. Popper ao método indutivo)

O MÉTODO CIENTÍFICO (O falsificacionismo e a crítica de K. Popper ao método indutivo)

O MÉTODO CIENTÍFICO

• A problemática sobre o método científico advém de uma das suas características

método científico advém de uma das suas características • A Ciência é metódica; • Possui uma

• A Ciência é metódica;

• Possui uma especificidade metodológica

• Método indutivo VS. Método hipotético- dedutivo

O MÉTODO INDUTIVO

O Método indutivo parte dos seguintes pressupostos:

• Os indutivistas defendem que só o conhecimento que resulta deste método se pode considerar como científico. É o método indutivo que permite demarcar a ciência de outras formas de conhecimento.

• Segundo os indutivistas a ciência evolui a partir da acumulação de novos dados. Na prática, as novas teorias acrescentam conhecimentos sem alterar a sua estrutura.

• No método indutivo a tónica é colocada na verificação e confirmação da teoria através da experiência.

ETAPAS DO MÉTODO INDUTIVO

ETAPAS DO MÉTODO INDUTIVO O ganso 1 é branco; Relação entre o ganso e a cor

O

ganso 1 é branco;

Relação entre o ganso e a cor (Branco)

Todos os gansos são brancos.

O

ganso 2 é branco;

O

ganso 3 é branco;

   

O

ganso 1000 é branco

Compara-se e classifica- se os fenómenos tentando aproximá-los ou estabelecer relações entre eles.

A relação entre o ganso e a cor é generalizada e traduzida em lei universal.

 
 

CRÍTICAS AO MÉTODO INDUTIVO (O problema da indução)

David Hume – Séc. XVIII

(O problema da indução) David Hume – Séc. XVIII Num argumento indutivo, as premissas não fornecem

Num argumento indutivo, as premissas não fornecem supostamente uma garantia de que a conclusão é verdadeira. As premissas fornecem apenas indícios de que a conclusão é verdadeira. Não podemos garantir que o que aconteça no passado e no presente, aconteça também no futuro.

“Não é, portanto, a razão o guia da vida, mas o hábito que por si só determina em todos os casos a mente a supor o futuro conforme ao passado”

David Hume, Tratado sobre a Natureza Humana

Karl Popper – Séc. XX

Tratado sobre a Natureza Humana Karl Popper – Séc. XX A Ciência não se baseia na

A Ciência

não se baseia na indução,

progredindo em vez disso através da “falsificação”“falsificação” de teorias.

“Acredito que todos os gansos são brancos, mas numa visita à Nova Zelândia, vejo um ganso negro. A minha observação de que existe um ganso negro falsifica, torna falsa a minha teoria original de que “todos os gansos são brancos”.

Popper propõe a substituição do método indutivo pelo hipotético-dedutivohipotético-dedutivo e o falsificacionismofalsificacionismo em vez do verificacionismo.

O MÉTODO HIPOTÉTICO-DEDUTIVO

• Para Karl Popper o critério que permite distinguir o conhecimento científico (ciência) de outras formas de conhecimento (pseudociência – Ex: teoria do inconsciente de Freud ou o marxismo) é o critério de falsificacionismo.

• O problema da demarcação entre ciências e pseudociências é resolvido através deste critério.

• Para Popper, o trabalho dos cientistas não se deve centrar na verificação e confirmação da teoria. Em vez disso, o cientista deve trabalhar no sentido de falsificar a teoria.

• O trabalho do cientista deve servir para testar a resistência da hipótese à falsificação. A teoria será tanto mais válida quanto mais resistir à sua falsificação.

ETAPAS DO MÉTODO HIPOTÉTICO-DEDUTIVO

ETAPAS DO MÉTODO HIPOTÉTICO-DEDUTIVO Resulta de uma observação ativa. O problema surge em função de um

Resulta de uma observação ativa. O problema surge em função de um interesse ou crença particular.

surge em função de um interesse ou crença particular. A formulação de hipóteses é uma atividade

A formulação de hipóteses

é uma atividade criativa

(resulta de um raciocínio

abdutivo). As hipóteses são explicações provisórias (são conjeturas).

são explicações provisórias (são conjeturas). Depois da formulação das hipóteses, deduz- se as

Depois da formulação das hipóteses, deduz- se as consequências a partir delas.

das hipóteses, deduz- se as consequências a partir delas . As hipóteses são testadas, experimentadas e

As hipóteses são testadas, experimentadas e confrontadas com a realidade. Os resultados podem confirmar ou invalidar as hipóteses.

O MÉTODO HIPOTÉTICO-DEDUTIVO e a aplicação do MODUS TOLLENS

• Uma das regras do método hipotético-dedutivo é a aplicação do Modus Tollens:

Se P, então Q: P Q Não Q: ~ Q Logo, não P: ~ P
Se P, então Q:
P
Q
Não Q:
~ Q
Logo, não P:
~ P

Se P implica Q,

Q é falso,

Podemos concluir que P é falso

Todos os gansos são brancos;

O ganso da minha tia devia ser branco, mas é vermelho;

Logo, a teoria de que todos os gansos são brancos é falsa.

O método hipotético-dedutivo preconizado por Popper considera dois

pressupostos que permitem distinguir o conhecimento científico dos demais

conhecimentos:

1 – Nenhuma teoria científica pode ser confirmada como sendo verdadeira; 2 – Uma teoria científica só pode ser provada que é falsa.

CRITÉRIO VERIFICACIONISTA VS CRITÉRIO FALSIFICACIONISTA

Critério Verificacionista

• Para o verificacionismo, a experiência científica deverá servir para verificar e confirmar a hipótese. A tónica é colocada na verificação e confirmação.

• Segundo o critério verificacionista, basta um número de casos particulares para validar a hipótese. Um conjunto de casos particulares leva à generalização. A hipótese “transforma-se” em lei científica.

Critério Falsificacionista

• Para o falsificacionismo a experiência científica deverá servir para falsificar / tornar falsas as hipóteses.

• Um enunciado será científico se for passível de ser empiricamente falsificável.

• Segundo o critério falsificacionista, uma teoria será tanto mais válida quanto mais resistir à falsificação.

Falsificacionismo de K. Popper

Falsificacionismo de K. Popper “O método da ciência é o método de conjeturas audazes e engenhosas
“O método da ciência é o método de conjeturas audazes e engenhosas seguidas de tentativas
“O método da ciência é o
método de conjeturas
audazes e engenhosas
seguidas de tentativas
rigorosas de falseá-las. Só
sobrevivem as teorias mais
aptas. Nunca se pode dizer
licitamente que uma teoria é
verdadeira, pode-se dizer
com otimismo que é a
melhor disponível, que é
melhor do que qualquer das
que existiam antes.”
K. Popper, Conhecimento
Objetivo (1975)

Falsificacionismo de K. Popper

ParaPara concluir:concluir:

(…)(…) «só«só umum caminhocaminho parapara aa ciência:ciência:

encontrarencontrar umum problema,problema, verver aa suasua belezabeleza ee apaixonar-seapaixonar-se porpor ele;ele; casarcasar ee viverviver felizfeliz comcom eleele atéaté queque aa mortemorte nosnos separesepare aa nãonão serser queque obtenhamosobtenhamos umauma solução.solução. Mas,Mas, mesmomesmo queque obtenhamosobtenhamos umauma solução,solução, poderemospoderemos entãoentão descobrir,descobrir, parapara nossonosso deleite,deleite, aa existênciaexistência dede todatoda umauma famíliafamília dede problemas-problemas- filhos,filhos, encantadoresencantadores aindaainda queque talveztalvez difíceis,difíceis, parapara cujocujo bem-estarbem-estar poderemospoderemos trabalhar,trabalhar, comcom umum sentido,sentido, atéaté aoao fimfim dosdos nossosnossos dias».dias».

Karl Popper, “O Futuro está Aberto” (p.3)