Você está na página 1de 35

Universidade Tecnológica

Federal do Paraná - Campus


Campo Mourão

Tratamento do
Caldo -
Clarificação

Profª Camila O. Martinez

2016
Tratamento do caldo

 Peneiramento
 Sulfitação (Bicarbonatação, ozonização)
 Calagem

 Aquecimento e flashamento
 Dosagem de polímeros
 Dosagem de fosfatos
 Decantação
 Peneiramento
 Filtração
3 September 6, 2016

Aquecimento

OBJETIVOS

 Eliminar os microrganismos por esterilização


 Completar as reações químicas
 Provocar a floculação
 Remover os gases
 Temperatura 103 a 110ºC (3h)
 Temp elevadas
4 September 6, 2016

Aquecedores
5 September 6, 2016

Aquecimento

 Aquecedores: passagem de caldo no interior dos tubos e a


circulação do vapor pelo casco (calandra)
 Cede calor

 Cilindros fechados por chapas (espelhos), com cabeçotes nas


exterminadas
 Circulação em vai e vem do caldo
 Tubos com conjunto de feixes: fluxo no sentido ascendente ou
descendente

Velocidade: 1,5 – 2,0 m/s (< = inscrustação, ou >)


Limpezas periódicas: eficiência máxima
6 September 6, 2016

Aquecimento

 Vapor sangrado do pré–evaporador (vapor vegetal): + usado


 Pressão = 0,7 Kgf/cm2 e 115 oC

 Vapor proveniente das turbinas (vapor de escape)


 Pressão = 1,5 Kgf/cm 2 127 oC

 Manômetros e termômetros
7 September 6, 2016
8 September 6, 2016

Gases incondensáveis e Flasheamento

 GASES INCONDENSÁVEIS:
 Transferência de calor
 Válvulas de escape (superior e inferior): controle

 FLASHEAMENTO:
 Balão flash

 A temp. do caldo > 103 ºC

 Falhas significa

 Consiste na expansão brusca do caldo, de sua pressão na


tubulação para a pressão atmosférica ebulição explosiva
e violenta elimina o ar e os gases dissolvidos contidos no caldo
9 September 6, 2016
Balão de Flash
11 September 6, 2016
Aquecimento

No caso de baixa temp.:


- Formação de flocos deficientes devido (falta de reações químicas)
- Coagulação incompleta = impurezas
- Incompleta eliminação dos gases

No caso de temp. altas:


 Perda do açúcar
 Formação de cor no caldo devido à decomposição de subs.
 Caramelização de açúcar causando aumento na coloração
 Consumo excessivo e desnecessário de vapor

Inspeções, controle automático


13 September 6, 2016

DECANTAÇÃO

Remover as impurezas presentes e obter uma decantação


completa e rápida, deixando o caldo livre de impurezas

 Formação de uma “borra”


 A velocidade de sedimentação depende do tamanho e forma das
partículas, densidade e viscosidade do caldo
 Tempo
 Resultado das reações = aglomerados (peso) = açucares redutores,
sais, bagacilhos, areia e argila coagulação

 Caldo limpo, transparente (processos)

Decantação Caldo

Lodo Filtração
14 September 6, 2016
Decantador
15 September 6, 2016
16 September 6, 2016

DECANTAÇÃO

O trabalho eficiente dos decantadores dependerá:

 PH de caldo após calagem (6,8 a 7,0)


 Temperatura do caldo clarificado (> 95oC ao sair do decantador:
microor.). Excesso de caldo = < temp
 Remoção de gases incondensáveis (balão de flash)
 Vazão do caldo
 Quantidade de fosfato no caldo (0,3%)
 Adição de polímeros (1 a 3 ppm)
17 September 6, 2016

Decantação – queda de pH

 A queda não deve ser maior que 0,5 , ou seja


 Caldo que entra = 6,8 – 7,0
 Caldo clarificado = 6,3 e 6,6

 As razões para grandes quedas de pH podem ser:


 Aquecimento do caldo insuficiente
 Tempo de retenção muito longo
 Decomposição do lodo

 Queda excessiva de pH = problemas e perdas e destruição de


açúcares
 Controle pH

SE HOUVER TURBIDEZ??? Análise


18 September 6, 2016

Decantação – Nível do lodo

 Níveis altos: prejudicial = microorganismo gases que prejudicam


a decantação

 Retirada do lodo deve ser contínua x de tempo em tempo

 Lodo fino:
 pH
 Temperatura
 Remoção de gases
 Aplicação de fosfato e SO2
 Aplicação de floculantes
19 September 6, 2016

Decantação: Entrada do caldo

 Altas velocidades = turbulência que danifica os flocos já formados =


decantação deficiente

 A instalação de câmaras amortecedoras na entrada (polímeros)


 Marca, preparo e dosagem (amostra):
 Baixa: fraca precipitação
 Recomendada: melhor eficiência/ precipitação
 Excesso : Repulsão e não floculação

 Vazão do caldo clarificado na saída dos decantadores deve ser controlada


(2 saídas)

 Peneira estática: tela de aço inoxidável ou poliéster com abertura de 200


mesh
 A limpeza freqüente evita redução de capacidade e contam.
POLÍMERO -DOSAGEM CORRETA

Sólidos em Suspensão Floculação


Polímero
Filtração
 Recuperação do açúcar do lodo
 Filtro a vácuo de tambor rotativo
 pressão negativa abaixo do meio filtrante ( tela metálica ) + água (150 –
200% do peso de torta e se for < ou > ...)
 Controle do vácuo = porosidade da torta (bagacilho = meio filtrante),
impurezas
 Tambor fica submerso
 Líquido recuperado retorna para filtração sob menor pressão
22 September 6, 2016
23 September 6, 2016

Funcionamento do filtro a vácuo

 Ao iniciar o movimento giratório, uma seção de tambor entra em comunicação


com a tubulação de baixo vácuo (10cmHg). O líquido é então aspirado, formando
na superfície do tambor uma fina camada proveniente dos materiais em
suspensão. O líquido que atravessa esta seção é turvo, pois arrasta parte do
lodo.

 Em seguida, a seção passa pela tubulação de alto vácuo (20cmHg), aumentando a


espessura da torta, até sair do líquido em que estava parcialmente submersa,
obtendo-se, consequentemente, um líquido filtrado mais claro.

 Jateia-se água quente sobre a torta, deixando-se secar em seguida. Antes da


mesma seção entrar novamente em contato com o líquido a ser filtrado, um
raspador horizontal convenientemente regulado, retira a torta que ficou
impregnada na superfície do tambor, sendo a mesma conduzida até o sistema de
armazenamento.
24 September 6, 2016

22 cmHg
40-70%

Adubo
30-60%

10 cmHg
Filtração

 Durante cada rotação do tambor, os processos sucessivos de


pega, filtragem, lavagem, secagem e descarga dos sólidos estão
ocorrendo simultaneamente

 Torta
 7 e 10 mm (vácuo)
 Pol na torta aceitável = 1%
 bagacilho = 2,5 -3% (quanto >, > pol)
 Lodo = pH de 7,5 (cal) + polímeros de baixo peso (2,5-3,0 ppm)

 Função do vácuo = meio filtrante, lavagem e secagem


 Controle: vacuômetro
 Baixo: fina, > pol na torta
 Alto: formação de “sulcos” na torta , má lavagem, pol na torta
26 September 6, 2016

Filtração

 Água:
 limpa, quente, pressão cte (sulcos)
 Pulverização: manter torta molhada, sem escorrer
 80 OC (lodo tb: < viscosidade)
 filtrada (100 mesh): bicos; manutenção (filtro e bico)
 A pressão > 1 Kgf/cm2

Raspagem da torta (danos a tela, desgaste na borracha), contrapeso

Adição de bagacilho:
- Desejável que  90 % do bagacilho passe por peneira de 14
mesh
- 3 a 5 Kg por tonelada de cana moída ( se < = turbidez,
entupimento da tela e má formaçao da torta. Se >...)
- Mistura homogênea com o lodo
27 September 6, 2016

Filtração

 Espessura da torta no filtro: 7 a 10 mm

 Velocidade de rotação: 10-15 rotações por hora


 Determina a espessura da torta

 Velocidades excessivas = torta fina:


 redução na capacidade do filtro
 riscos de entupimento
 caldo filtrado com elevada turbidez

 Se a camada for grossa: elevada pol e umidade na torta


28 September 6, 2016

Filtração

 Ineficiência da operação de filtração:


- Lodo pouco consistente;
- pH do lodo inadequado;
- Excesso de terra no lodo;
- Quantidade inadequada de bagacilho;
- Vácuo deficiente;
- Velocidade excessiva de rotação do filtro;
- Vácuo deficiente devido a vazamento;
- Falta de limpeza da superfície filtrante
29 September 6, 2016

Caldo clarificado – pronto para entrar nos evaporadores


Teminologia

 Caldo sulfitado: Caldo misto após passar pela coluna de sulfitação,


etapa na qual adsorve certa quantidade de anidrido sulfuroso.

 Caldo clarificado: Caldo obtido após as operações de tratamento


químico, aquecimento e decantação.

 Caldo filtrado: Caldo resultante da filtração do lodo.


31 September 6, 2016

Caldo x Bagaço da cana

 Composição + 50% umidade

 220 a 260 Kg por tonelada de cana

 Caldeiras: Vapor (vapor de escape) que impulsiona os geradores


energia elétrica

 Vapor vegetal (pré-evaporadores)


32 September 6, 2016
6,30
33 September 6, 2016
34 September 6, 2016
35 September 6, 2016