Você está na página 1de 28

CO – 005

01/28

OPERACIONAL
CONTROLE OPERACIONAL
LIGAÇÃO DO RAMAL PREDIAL DE ÁGUA

1.0 - OBJETIVO

Esta Norma Interna estabelece procedimentos e orienta as diversas Unidades Orgânicas


quanto ao processo de instalação de ramais prediais de água em imóveis de clientes da
Compesa.

2.0 - APLICAÇÃO

Aplica-se a todos os sistemas de abastecimento de água do Estado de Pernambuco.

3.0 - CONCEITUAÇÃO

3.1- Ramal predial de água

É a canalização que parte da rede distribuidora de água até o ponto de encontro


com a instalação do hidrômetro e/ou registro de passagem.

3.2- Ligação de ramal predial de água

É o serviço realizado pela Compesa de ligação do ramal predial de água no imóvel,


denominando-se:

3.2.1 - Ligação Definitiva - é aquela em que o abastecimento de água para o imóvel


será realizada pela Compesa, por tempo indeterminado.

3.2.2 - Ligação Temporária - é aquela cujo abastecimento de água para o imóvel


será concedida pela Compesa por um período determinado.

3.2.3 - Ligação Individualizada - é aquela realizada de forma individualizada em


imóveis que possuem mais de uma economia.

4.0 - CONDIÇÕES TÉCNICAS

4.1- O ramal predial será ligado ao distribuidor de água localizado em frente à fachada
principal do imóvel, devendo ser posicionado paralelamente a um dos muros
laterais (limite do terreno) da edificação, não podendo, contudo, exceder à distância
máxima de 30 metros (Anexo I - Desenhos Ilustrativos de Posicionamentos de
Distribuidores e Ramais Prediais de Água).

NI SOP-105 DE 16/05/06

FRE - 003
CO – 005

02/28

OPERACIONAL
CONTROLE OPERACIONAL
LIGAÇÃO DO RAMAL PREDIAL DE ÁGUA

4.2- O ramal predial poderá ser instalado com um comprimento de até 50m (cinqüenta
metros) quando não houver justificativa econômica e técnica para o
prolongamento do distribuidor, contudo é necessário que seja analisado e
aprovado pelo Gerente da Unidade de Negócio. Acima deste limite, o processo
deverá ser analisado e aprovado pelo Superintendente da Unidade de Negócio
pertinente.

4.3- Não será permitida a derivação dos ramais prediais para abastecer outra
economia em terrenos distintos, ainda que pertencentes ao mesmo proprietário.

4.4- Não será permitida a instalação de mais de uma ligação para um mesmo imóvel,
a não ser em edificações ou conjunto de edificações constituído em condomínio,
desde que haja conveniência técnica, a critério da Compesa.

4.5- Só será permitida a execução de novas ligações em adutoras e subadutoras de


água bruta ou tratada com aprovação da Diretoria de Serviços Operacionais -
DSO ou da Diretoria de Controle Operacional - DCO após o atendimento das
seguintes condições:

4.5.1- Com apoio das Unidades de Negócio, as Gerências de Manutenção e


Operação - GMOs, e a Gerência de Quantidade e Automação - GQA
deverão executar os estudos de simulação de vazão, pressão e
viabilidade técnica/econômica, visando atender a demanda máxima
requerida pelo cliente.

4.5.2- Com os dados e informações técnicas operacionais, as GMOs deverão


dimensionar, especificar e fornecer às Unidades de Negócio o orçamento
das válvulas redutoras de pressão e/ou dispositivos similares capazes de
garantir uma pressão dinâmica mínima de 6 mca e máxima de 10 mca
na entrada da ligação predial.

4.5.3 - As GMOs deverão fornecer à Gerência de Estudos e Projetos - GEP,


todas as informações técnicas e operacionais do sistema para
dimensionar o diâmetro, especificar os materiais e elaborar o orçamento
das ligações prediais com consumo igual ou superior a 10.000m3 por mês
e demais ligações com características técnicas e operacionais não
previstas nesta norma.

4.5.4- As GMOs ou a Gerência de Controle de Qualidade-GQL deverão


fornecer as características da água distribuída no local a fim do cliente
adequá-la à sua necessidade de uso

NI SOP-105 DE 16/05/06

FRE - 003
CO – 005

03/28

OPERACIONAL
CONTROLE OPERACIONAL
LIGAÇÃO DO RAMAL PREDIAL DE ÁGUA

4.5.5- As GMOs ou a GQA deverão elaborar estudos de medições das vazões


e pressões a fim de definir o tipo de medidor, sua especificação e
orçamento do medidor a ser instalado em ligação predial com diâmetro
igual ou superior a 50 mm.

4.5.6- A Gerência de Relacionamentos com Usuários - GRC deverá


disponibilizar no sistema comercial, via on-line, um contrato específico de
fornecimento de água bruta e tratada, alimentadas por adutoras, bem
como as instruções normativas para comercialização e condições de
preços e pagamentos das referidas ligações pelos clientes.

4.5.7- A Gerência de Cadastro - GCD deverá disponibilizar no Sistema


Integrado de Gestão de Serviços de Saneamento - GSAN, via on-line,
um sistema de cadastro específico para identificação, localização e
gestão comercial das ligações prediais alimentadas por adutoras.

4.5.8- As Unidades de Negócio, durante o processo de negociação com o


cliente, após o cumprimento das etapas anteriores, devem informar aos
mesmos o regime de abastecimento de água do local a fim orientá-los
quanto à necessidade de dispor de um sistema de reservação domiciliar,
capaz de atender a sua demanda às normas da ABNT referente a
fornecimento de água a sistemas prediais e ao regime de abastecimento
de água previsto para o local.

4.5.9- As ligações prediais com contrato de demanda, serão normatizadas e


padronizadas através de instrumentos legais específicos.

4.6- O ramal predial será dimensionado de forma que atenda a demanda de consumo
necessária ao imóvel, utilizando os parâmetros do Anexo II - Tabela de
Determinação dos Diâmetros dos Ramais de Água das Ligações Prediais.

4.7- Todo ramal predial de DN 20 mm (1/2”) e de DN 32 mm (1”), será executado com


tubo de polietileno de alta densidade PE 80, na cor azul. Para o diâmetro de 25 mm
será permitida o de cor preta. Acima deste diâmetro poderá ser em PVC, com junta
elástica (ponta, bolsa e anel de borracha) com classe de pressão 12 (60 mca). A
parte da ligação de responsabilidade do cliente deverá obedecer ao desenho
ilustrativo fornecido pela Compesa, conforme Anexos III-A, IV-A e V-A para
hidrômetros de diâmetros até ¾”. Para os hidrômetros de 2” e 3” serão conforme a
Anexo VIII-A, VIII-B e VIII-C.

NI SOP-105 DE 16/05/06

FRE - 003
CO – 005

04/28

OPERACIONAL
CONTROLE OPERACIONAL
LIGAÇÃO DO RAMAL PREDIAL DE ÁGUA

4.8- A instalação de ramal predial com diâmetro igual ou superior a 50 mm, ou cuja
demanda possa influenciar significativamente no abastecimento de água da área,
deverá ser realizada mediante apresentação por parte do interessado, da planta de
situação, localização, projeto hidráulico e demanda requerida. Após estudo de
simulação e vazão, o respectivo orçamento será elaborado pelas Unidades de
Negócio para apresentação ao cliente.

4.9- O ramal predial de água, será sempre instalado em caráter definitivo. É permitida a
instalação temporária para atividades provisórias quando o uso da água for por
período determinado, limitando-se o máximo de 06 (seis) meses, podendo ser
prorrogado a critério das Unidades de Negócio e de acordo com o Regulamento
Geral do Fornecimento de Água e Coleta de Esgotos (DECRETO Nº 18.251/94).

4.10- Não existindo as condições exigidas no subitem 4.1 desta Norma, recomenda-se à
instalação ou prolongamento do distribuidor de água. Nesta oportunidade deverá
ser elaborado um estudo sócio-econômico e técnico da área objetivando viabilizar
a solução mais adequada, ficando esta a cargo do responsável da Unidade
competente. As tubulações utilizadas para distribuição de água com diâmetros
inferiores a 50 mm serão em tubo de polietileno de alta densidade, sendo
cadastrados como distribuidor de água.

4.11- O lançamento do tubo, em polietileno de alta densidade, da ligação no interior da


vala deverá ser feito de forma a não distendê-lo, evitando-se tração nos encaixes
dos adaptadores e aproveitando sua plasticidade relativa. Não será permitida a
dobragem do tubo, que compõe o ramal, formando curvaturas com raio inferior a
25 vezes ao diâmetro nominal do tubo. O processo de dobragem, dentro da
limitação descrita, deverá ser feito à temperatura ambiente.

4.12- A instalação do colar de tomada em distribuidor de água com diâmetro inferior a


50 mm deverá ser executada com a saída posicionada para cima (furo na geratriz
superior).

4.13- A profundidade da vala do ramal predial não deverá ser inferior a 50 cm em vias
trafegáveis e 30 cm na calçada quando não for passagem de veículo.

4.14- O aterro da vala deverá ser executado por etapas, em camadas apiloadas de 20
cm, com aproveitamento do material escavado, desde que seja de 1ª categoria
(arenoso ou areno-argiloso). Atenção especial deve ser adotada nos trechos do
colar de tomada e passagem sob o meio fio.

NI SOP-105 DE 16/05/06

FRE - 003
CO – 005

05/28

OPERACIONAL
CONTROLE OPERACIONAL
LIGAÇÃO DO RAMAL PREDIAL DE ÁGUA

4.15- Todas as ligações serão efetuadas pela Compesa ou por outras empresas por ela
designadas, do distribuidor de água até a calçada, distante 50 cm do muro ou do
alinhamento predial, conforme padrões de ligações de ramais prediais constantes
dos Anexos III-A, IV-A e V-A, complementados com as especificações contidas nos
Anexos I, II, IV-B, IV-C, V-B, V-C, VI-A, VI-B e VII.

4.15.1- O ramal predial será executado no modelo do Anexo III-A - ligação de


ramal predial de água com hidrômetro na fachada ou muro.

4.15.2- Quando a pressão na rede for desfavorável (inferior a 1mca - metro


coluna d’água) ou nos imóveis sociais onde este tipo de instalação for
impraticável (ex.: prédios históricos) poderá ser adotado o modelo
constante no Anexo IV-A - ligação de ramal predial de água com
hidrômetro na Calçada.

4.15.3- No caso de clientes da tarifa social ou assentamentos precários a ligação


de ramal predial de água com hidrômetro, será adotado o modelo
constante no Anexo V-A.

4.16- Nos edifícios com ligações individualizadas de Água os hidrômetros deverão ser
instalados em locais de fácil acesso, identificados, padronizados e protegidos
adequadamente, conforme desenhos ilustrativos dos Anexos VI - A, VI - B, e VII.

4.17- No ato da execução dos serviços de instalação do ramal predial deverá ser
instalado o hidrômetro, seguindo rigorosamente os padrões desta Norma.

4.18- Quando da instalação do ramal predial deverão ser evitados locais:

a) onde exista a possibilidade de acúmulo de água do terreno ou deposição de


lixo e esgotos;
b) de tráfego intenso, principalmente de veículos pesados;
c) de entrada do prédio;
d) onde existam lombadas, árvores, postes, caixas coletoras de esgoto, caixas
coletoras de águas pluviais e outras interferências.

4.19- Os ramais prediais de água que cruzarem galerias, canais, canaletas, deverão ser
encamisados.

NI SOP-105 DE 16/05/06

FRE - 003
CO – 005

06/28

OPERACIONAL
CONTROLE OPERACIONAL
LIGAÇÃO DO RAMAL PREDIAL DE ÁGUA

4.20- Toda ligação predial a ser instalada ou substituída deverá obedecer aos padrões e
critérios técnicos desta Norma, devendo os modelos e os materiais que compõem
as caixas e tampas de proteção, tubulações, registros e conexões, atenderem às
normas vigentes e serem previamente aprovadas pela Compesa.

5.0– DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA

Apresentação da documentação original e a respectiva cópia do Cadastro de Pessoa


Física - CPF e Carteira de Identidade do proprietário do imóvel e/ou Cadastro Nacional
de Pessoa Jurídica – CNPJ, conforme o caso.

5.1 - Para imóveis edificados:

. Escritura ou Imposto Predial e Territorial Urbano - IPTU ou Recibo/Promessa de


Compra e Venda ou, ainda, outro documento igualmente comprobatório de
propriedade, desde que registrado em cartório.

5.2 - Para imóveis em construção:

. Planta de Locação e Situação aprovada pela Prefeitura, com descrição da


categoria do imóvel e estimativa do número de economias a serem abastecidas.
Caso a planta não esteja aprovada, deverá ser apresentado juntamente com a
mesma o talão de emolumentos pagos na Prefeitura comprovando a sua entrada
para aprovação.

No caso de imóveis em assentamentos precários a Planta de Locação e Situação


deverá ser dispensada.

5.3 - Para obras em logradouros públicos, parques de diversões, circos, exposições e


atividades correlatas é necessária autorização da Prefeitura para a realização do
evento.

6.0- PROCEDIMENTOS

6.1 - O cliente ao solicitar a ligação do ramal predial de água para o imóvel, deverá
fornecer todos os dados necessários à localização do imóvel.

NI SOP-105 DE 16/05/06

FRE - 003
CO – 005

07/28

OPERACIONAL
CONTROLE OPERACIONAL
LIGAÇÃO DO RAMAL PREDIAL DE ÁGUA

6.2 - A solicitação de serviço para ligação de ramal predial de água deverá ser efetuada
através do atendimento personalizado, por meio de Registro de Atendimento - RA,
ao qual será anexada cópia da documentação exigida no item 5.0, cujo
arquivamento deverá ser efetuado nas unidades orgânicas onde foi solicitada a
ligação.

6.3 - As cópias da documentação deverão ser conferidas com os respectivos originais,


após o que, não existindo dúvidas, deverão ser atestadas pelo atendente, com
aposição de carimbo, matrícula e assinatura, procedendo-se, no ato, a devolução
dos originais.

6.4 - Após recebimento da solicitação de nova ligação, a unidade responsável


encaminhará ao imóvel indicado, um técnico para definição do local, diâmetro da
tubulação e tipo de instalação do ramal predial de água.

6.5 - Definido o local, diâmetro da tubulação e tipo de instalação do ramal, será fornecido
ao Cliente o modelo do ramal predial de água que deverá ser executado, conforme
os Anexos III-A, IV-A e V-A.

6.6 – O cliente ficará responsável pelo fornecimento e instalação do cavalete e


acessórios, de acordo com projeto fornecido pela Compesa.

6.7 - Após a conclusão, o cliente deverá comunicar a Compesa, para efetivar a ligação
do ramal predial.

6.8 - Caso os serviços executados pelo cliente estejam de acordo com as especificações
técnicas exigidas, a Compesa concluirá a ligação do ramal predial de água.

7.0 – DISPOSIÇÕES GERAIS

7.1 - O serviço de ligação definitiva, temporária ou individualizada de água só poderá ser


solicitado pelo proprietário do imóvel. Em caso de impossibilidade de
comparecimento do mesmo ao local de atendimento, a solicitação poderá ser feita
pelo seu representante legal, instituído em Procuração específica para este fim.

7.2 - O preço para ligação do ramal de água será cobrado de acordo com a “Tabela de
Serviços Comerciais” vigente.

NI SOP-105 DE 16/05/06

FRE - 003
CO – 005

08/28

OPERACIONAL
CONTROLE OPERACIONAL
LIGAÇÃO DO RAMAL PREDIAL DE ÁGUA

8.0 – VIGÊNCIA

Esta Norma entra em vigor a partir da data de sua assinatura, revogando-se as


disposições em contrário.

9.0 – DIVULGAÇÃO

Disponibilizar no site: www.compesa.com.br/scd.

10 – ANEXOS

. Anexo I: Desenhos Ilustrativos de Posicionamentos de Distribuidores e Ramais


Prediais de Água;

. Anexo II: Tabela de Determinação dos Diâmetros de Água das Ligações Prediais;

. Anexo III-A: Ligação de Ramal Predial de Água com Hidrômetro na Fachada ou Muro;

. Anexo III-B: Caixa de Proteção para Ligação na Fachada ou Muro;

. Anexo IV-A: Ligação de Ramal Predial de Água com Hidrômetro na Calçada;

. Anexo IV-B: Caixa de Proteção para Ligação na Calçada;

. Anexo IV-C: Especificação Técnica para Caixa de Proteção para Ligação na Calçada;

. Anexo V-A: Ligação de Ramal Predial de Água com Hidrômetro no Jardim;

. Anexo V-B: Caixa de Proteção para Ligação no Jardim;

. Anexo V-C: Especificação Técnica para Caixa de Proteção para Ligação no Jardim;

. Anexo VI-A: Caixas para Hidrômetro em Ligações Individuais de Prédios com Fluxo
de Direção Horizontal;

. Anexo VI -B: Caixas para Hidrômetro em Ligações Individuais de Prédios com Fluxo
de Direção Horizontal;

. Anexo VII: Caixas para Hidrômetros em Ligações Individuais de Prédios com Fluxo
Ascendente ou Descendente.

NI SOP-105 DE 16/05/06

FRE - 003
CO – 005

09/28

OPERACIONAL
CONTROLE OPERACIONAL
LIGAÇÃO DO RAMAL PREDIAL DE ÁGUA

Anexo VIII-A: Ligação de Ramal Predial de Água com Hidrômetro de Imóveis de Grandes
Consumidores de 7 a 20m³/h;

Anexo VIII-B: Ligação de Ramal Predial de Água com Hidrômetro de Imóveis de Grandes
Consumidores de 30m³/h;

Anexo VIII-C: Caixas para Hidrômetros em Ligações de Imóveis de Grandes


Consumidores de 30m³/h;

NI SOP-105 DE 16/05/06

FRE - 003
CO – 005

10/28

OPERACIONAL
CONTROLE OPERACIONAL
LIGAÇÃO DO RAMAL PREDIAL DE ÁGUA

ANEXO I

DESENHOS ILUSTRATIVOS DE POSICIONAMENTO DE DISTRIBUIDORES

E RAMAIS PREDIAIS DE ÁGUA

com pesa
ANEXO I

D E S E N H O S IL U S T R A T I V O D E P O S IC IO N A M E N T O D E D IS T R IB U ID O R E S
E R A M A IS P R E D IA S D E Á G U A
RUA

Distr. não convencional

M e io - F io
D I S T R I B U ID O R
RUA

RUA

D IS T R IB U ID O R

m u ro
c a lç a d a

RUA
D I S T R I B U ID O R

D I S T R I B U ID O R
RUA

D I S T R IB U I D O R
RUA
c a lç a d a
CO NVENÇÕ ES
D i s t r ib u id o r d e Á g u a
R a m a l P r e d ia l d e Á g u a

NI SOP-105 DE 16/05/06

FRE – 003
CO – 005

11/28

OPERACIONAL
CONTROLE OPERACIONAL
LIGAÇÃO DO RAMAL PREDIAL DE ÁGUA

ANEXO II

DETERMINAÇÃO DOS DIÁMETROS DOS RAMAIS DE ÁGUA DAS LIGAÇÕES PREDIAIS

Pressão Disponível na Rede de distribuição ( mca - metro coluna d'água )


Diâmetros
2 4 6 8 10 12 14 16 18 20

Milímetro
Polegada Consumo Mensal ( m3 / ligação por mês )
(mm)

½ 20 49,25 72,58 93,31 108,86 124,42 137,38 150,34 160,70 173,66 184,03
¾ 25 137,38 204,77 259,20 303,26 344,74 383,62 417,31 451,01 482,11 513,22
1 32 290,30 430,27 541,73 640,22 725,76 806,11 878,69 948,67 1.013,47 1.078,27
1¼ 40 518,40 769,82 972,00 1.143,07 1.298,59 1.441,15 1.573,34 1.697,76 1.816,99 1.928,45
1½ 50 902,02 1.337,47 1.684,80 1.985,47 2.255,04 2.501,28 2.731,97 2.947,10 3.151,87 3.348,86
2 60 1.894,75 2.812,32 3.543,26 4.175,71 4.740,77 5.259,17 5.743,87 6.197,47 6.627,74 7.037,28
2½ 75 3.102,62 4.605,98 5.803,49 6.837,70 7.765,63 8.615,81 9.408,96 10.152,86 10.857,89 11.529,22
3 80 5.679,07 8.429,18 10.622,02 12.514,18 14.209,34 15.767,14 17.216,06 18.576,86 19.865,09 21.096,29
4 110 12.371,62 18.366,91 23.143,97 27.267,84 30.966,62 34.356,96 37.511,42 40.479,26 43.288,99 45.969,12

1.0 - Considerações:

Fórmula utilizada: Flamant


Extensão máxima do ramal: 30m

2.0 - Procedimento para definição do Diâmetro do Ramal Predial.

2.1 - Enquadrar a economia a ser ligada em uma das categorias de


consumo listadas abaixo:
a) 13m3/economia mês (Áreas especiais);
b) 18m3/economia mês;
c) 20m3/economia mês;
d) 26m3/economia mês;
e) Quando o consumo não se enquadrar em uma das categorias
acima existentes com características semelhantes.

2.2 - Multiplicar o número de economias da ligação pelo consumo mensal de uma


economia determinada no subitem “2.1”, enquadrando o valor encontrado na
coluna da Tabela acima, correspondente a pressão manométrica do
distribuidor de água local.
- Exemplo:
Determinar o diâmetro do ramal que alimentará um prédio com 10 economias,
e que será ligado a uma rede de distribuição com pressão média de 8 mca.
Supomos que pela localização e características do imóvel, o consumo mensal
estimado esteja na casa dos 200m³/mês. Verificando a tabela com os dados
de pressão igual a 8mca e vazão de 200m³ ligação / mês encontra-se o
diâmetro do ramal igual a 3/4”.

NI SOP-105 DE 16/05/06
FRE – 003
CO – 005

12/28

OPERACIONAL
CONTROLE OPERACIONAL
LIGAÇÃO DO RAMAL PREDIAL DE ÁGUA

ANEXO III-A

LIGAÇÃO DE RAMAL PREDIAL DE ÁGUA COM HIDRÔMETRO NA FACHADA OU MURO

com pesa A N E X O III

L IG A Ç Ã O D E R A M A L P R E D IA L D E Á G U A C O M H I D R Ô M E T R O
NA FACHADA OU M URO

V IS T A F R O N T A L
2cm

26cm
30cm
O C om pesa
RI

S A US
PE 2cm
M
CO 2cm
39cm
2cm
43cm
cm
30
1cm
2cm

D E T A L H E "A " 1

30cm

24cm
K
m
D 7c
2

3 2cm
Ø 4m m
9cm
1 da 3cm
20 cm ça
al
C
V IS T A L A T E R A L

D E T A L H E "A "
R
C O
ID
I BU
TR H
IS F I
D
B

E G J

COMPESA COM PESA

R E L A Ç Ã O D E M A T E R IA L P R E V IS T O R E L A Ç Ã O D E M A T E R I A L P R E V IS T O
IT E M D E S C R IÇ Ã O Q UANT.
IT E M D E S C R IÇ Ã O QUANT.
A CO LAR D E TO M ADA J LU VA SO LD ÁV E L C O M R O S C A 01
01
B ADAPTADO R DE COMPRESSÃO K C A IX A D E P R O T E Ç Ã O 01
P A R A P O L IE T I L E N O C / R O S C A M A C H O 01
C TU B O P EA D P E 80 N A C O R AZU L _
U S U Á R IO
D JO E LH O 90° + A D APTAD O R D E
COMPRESSÃO C / ROSCA MACHO 01 R E L A Ç Ã O D E M A T E R I A L P R E V IS T O
E N IP E L 01 IT E M D E S C R IÇ Ã O Q UANT.

F R G D E E SFER A C / BO R B O LETA SO LD ÁVEL 01 01 JO E LH O 90° P V C S O LD Á V E L 02

G L A C R E T IP O C A R T O L A 01 _
02 TU B O D E PV C S O LD ÁV EL C LASSE 17
H H ID R Ô M E T R O 01 01
03 R G D E ES FE R A C / B O R BO LETA S O LD ÁVEL
I T U B E T E L O N G O C O M R O S C A S E X T A V A D A D N 3 /4 " 01

Observação: Os itens A, B, C, D, E, F, G, H, I e item J (caixa de proteção para ligação na


fachada ou muro), serão fornecidos pela Compesa; enquanto que os itens 01, 02, e 03
serão fornecidos pelo Cliente. Todas as conexões com rosca deverão ser de metal
internamente.

NI SOP-105 DE 16/05/06

FRE – 003
CO – 005

13/28

OPERACIONAL
CONTROLE OPERACIONAL
LIGAÇÃO DO RAMAL PREDIAL DE ÁGUA

ANEXO III-B

CAIXA DE PROTEÇÃO PARA LIGAÇÃO NA FACHADA OU MURO

Caixa em Policarbonato (completa) para proteção de hidrômetro com capacidade de


até 3m³/h a ser colocada na parede.

DETALHES TÉCNICOS:

- O Policarbonato (tampa) e o polipropileno (cuba/moldura) deverão ser de resina


100% virgem com aditivo anti U.V. e não será permitido o uso de material
reciclado;

- O Policarbonato deverá ser desumidificado antes da injeção da tampa e do


lacre, além dos estabilizantes incorporados na resina de polipropileno será
necessário a adição de estabilizante térmico para evitar a degradação no
processo de transformação;

- Cuba com absorvedor e moldura sem absorvedor de U.V., ambos na cor cinza;

- Tampa de Policarbonato incolor com aditivo anti - embaçante OMS - ZERRO


FOGG ou AFF - PC03 (não embaça sob vapor direto);

NI SOP-105 DE 16/05/06

FRE – 003
CO – 005

14/28

OPERACIONAL
CONTROLE OPERACIONAL
LIGAÇÃO DO RAMAL PREDIAL DE ÁGUA

CARACTERÍSTICAS FÍSICAS:

- Cuba da Caixa

- Material: Polipropileno cor cinza;


- Comprimento: 419,0 a 425,0 mm;
- Largura: 284,0 a 288,0 mm;
- Profundidade: 118,0 a 122,0 mm;
- Espessura: 1,8 a 2,2 mm;

- Moldura da Caixa

- Material: Polipropileno cor cinza;


- Comprimento: 438,0 a 442,0 mm;
- Largura: 303,0 a 306,0 mm;
- Espessura: 1,8 a 2,2 mm;

- Tampa da Caixa

- Material: Polipropileno cor cinza;


- Comprimento: 438,0 a 390,0 mm;
- Largura: 252,0 a 256,0 mm;
- Espessura: 1,8 a 2,2 mm;

- Chave especial para abertura da caixa;

- Logotipo da Compesa em alto relevo;

- As caixas de proteção para instalação no muro lateral ou fachada, padrão


Compesa, deverão ter gravado em seus corpos num local de fácil visualização
a identificação do fabricante.

NI SOP-105 DE 16/05/06

FRE – 003
CO – 005

15/28

OPERACIONAL
CONTROLE OPERACIONAL
LIGAÇÃO DO RAMAL PREDIAL DE ÁGUA

compesa

NI SOP-105 DE 16/05/06
FRE – 003
CO – 005

16/28

OPERACIONAL
CONTROLE OPERACIONAL
LIGAÇÃO DO RAMAL PREDIAL DE ÁGUA

ANEXO IV-B

CAIXA DE PROTEÇÃO PARA LIGAÇÃO NA CALÇADA

DETALHE DO FECHO:Sistema de
travamento por lingüeta e mola
acionado por chave especial
Chave especial

DETALHE DO PINO:
Articulação entre a tampa
Nervuras laterais e caixa com pino em
externas e internas polipropileno
para maior rigidez

NI SOP-105 DE 16/05/06

FRE – 003
CO – 005

17/28

OPERACIONAL
CONTROLE OPERACIONAL
LIGAÇÃO DO RAMAL PREDIAL DE ÁGUA

ANEXO IV-C

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DA CAIXA DE PROTEÇÃO NA CALÇADA

CONDIÇÕES DE SERVIÇO

As caixas serão aplicadas na calçada, enterradas e apoiadas sobre um colchão de areia


e resistir a uma carga mínima de 100 Kgf.

DETALHES TÉCNICOS

A caixa deverá ser fabricada em resina termoplástico de Polipropileno (PP), com


proteção UV (ultravioleta). O acabamento da superfície deverá ser liso, com nervuras
internas e externas para garantir a rigidez e robustez. Deverá ter o diâmetro de 50 mm
para passagem do tubete ou tubo (cano).

A tampa deverá ser estrutural com fecho para abertura e fechamento na superfície
superior com desenho antiderrapante, logotipo da Compesa e data de fabricação. Na
parte interna deverá possuir nervuras dimensionadas para atender o esforço de
compressão superior a 2.000 kg.

A articulação da tampa deverá ser com pino em PP, em uma das extremidades, o
sistema de fechamento por lingüeta que proporcione maior segurança do sistema de
medição e conexões e uma chave de manobra da tampa. A base da caixa deverá possuir
dreno para escoamento das águas das chuvas. As caixas de proteção para instalação na
calçada ou passeio, padrão Compesa, deverão ter gravado em seus corpos num local de
fácil visualização a identificação do fabricante.

RECEBIMENTO

Serão retiradas de cada lote uma amostra de 1% (um por cento) das caixas para análise
e aprovação.

ACEITAÇÃO E REJEIÇÃO

A Compesa poderá condenar o lote em fabricação desde que constate desobediência a


esta especificação, e rejeitará o lote inteiro, se na análise, a porcentagem de reprovação
ultrapassar a 20% (vinte por cento) do total analisado.

NI SOP-105 DE 16/05/06

FRE – 003
CO – 005

18/28

OPERACIONAL
CONTROLE OPERACIONAL
LIGAÇÃO DO RAMAL PREDIAL DE ÁGUA

com pesa A N E X O V -A

L IG A Ç Ã O D E R A M A L P R E D IA L D E Á G U A C O M H ID R Ô M E T R O
N O J A R D IM

7cm 02 04

B
A

COM PESA U S U Á R IO

COM PESA U S U Á R IO

R E L A Ç Ã O D E M A T E R IA L P R E V IS T O R E L A Ç Ã O D E M A T E R IA L P R E V IS T O
IT E M D E S C R IÇ Ã O Q UAN T.
IT E M D E S C R IÇ Ã O QUANT.
_
01 TU B O D E P V C S O LD ÁV EL CLA SS E 17
A C OLAR DE TO M ADA 01

B ADAPTAD OR D E C OM PR ESSÃO 01 02 R G D E E S FE R A C / B O R BO LETA SO LDÁ VE L 01


P A R A P O L IE T IL E N O C / R O S C A M A C H O
_
C TUB O P E AD P E 80 N A C O R A ZUL

D ADAPTAD OR D E C OM PR ESSÃO C / R OSC A M AC HO 01


E R G D E E S FE R A C / BO RB O LE TA S O LD ÁV EL 01

F H ID R Ô M E T R O 01

G T U B E T E L O N G O C O M R O S C A S E X T A V A D A D N 3 /4 " 01

H L A C R E T IP O C A R T O L A 01
I C A IX A D E C O N C R E T O P R É M O L D A D A 01
COM TAM PA E FUNDO
J 01
LU V A S O LD Á V E L C O M RO SC A

E S Q U E M A D E L IG A Ç Ã O A P O S IN S T A L A Ç Ã O D O H ID R Ô M E T R O

D F
E G

01 02

H I J
C

B
A

NI SOP-105 DE 16/05/06

FRE – 003
CO – 005

19/28

OPERACIONAL
CONTROLE OPERACIONAL
LIGAÇÃO DO RAMAL PREDIAL DE ÁGUA

ANEXO V-B

CAIXA DE PROTEÇÃO PARA LIGAÇÃO NO JARDIM

NI SOP-105 DE 16/05/06

FRE – 003
CO – 005

20/28

OPERACIONAL
CONTROLE OPERACIONAL
LIGAÇÃO DO RAMAL PREDIAL DE ÁGUA

ANEXO V-C

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CAIXA DE PROTEÇÃO PARA LIGAÇÃO NO JARDIM

CONDIÇÕES DE SERVIÇO:

As caixas com tampa serão localizadas no jardim e deverão ser enterradas ou superficiais e
ficarão apoiadas sobre as lajes de fundo. O conjunto (laje de fundo, caixa e tampa)
montado em posição de trabalho, com a laje de fundo apoiada sobre um colchão de areia,
deverão resistir a uma carga mínima de 100 Kgf, aplicada no centro de madeira com
secção de 10,0 X 10,0 cm.

CARACTERÍSTICAS:

As caixas, com tampas e lajes de fundo deverão obedecer às dimensões do desenho


anexo, serem bem acabadas, desempenadas, sonoras e isentas de fissuras ou trincas.

As caixas, tampas e lajes de fundo deverão ter gravado em seus corpos num local de fácil
visualização a data de fabricação. As formas utilizadas na fabricação deverão permitir a
desmontagem sem prejuízo das peças.

O concreto utilizado deverá ter o traço adequado à resistência especificada em 2.10, com o
cimento medido em peso, os agregados em volume e a menor quantidade de água
necessária para uma consistência compatível com o processo de fabricação.

O diâmetro máximo da brita utilizada não deverá ultrapassar 1/3 da espessura das paredes
da caixa.

O amassamento do concreto deverá ser efetuado com betoneira. O fabricante deverá


preparar o concreto em quantidade tal que garanta a sua utilização antes que seja iniciado
o tempo de pega do cimento (2 a 2 h 30 min.). Deverá ser utilizada a mesa vibratória. A
cura das caixas e tampas deverá ser efetuada à sombra, umedecendo-se diariamente por
0 0
duas vezes nos 7 primeiros dias e a sombra do 8 ao 14 dias.

A Compesa só receberá caixas e tampas com idade superior a 28 dias e lajes de


fundo com idade mínima de 21 dias.

NI SOP-105 DE 16/05/06
FRE – 003
CO – 005

21/28

OPERACIONAL
CONTROLE OPERACIONAL
LIGAÇÃO DO RAMAL PREDIAL DE ÁGUA

O concreto deverá ter uma resistência mínima de 180 Kgf./cm2 aos 28 dias de fabricação.
Os materiais utilizados deverão obedecer às condições seguintes:

A areia deverá ser quartzo, isenta de substância nociva em proporções prejudicial, tais
como: gravetos, mica, impurezas orgânicas, cloreto de sódio e outros sais debilitadores.

O ensaio de qualidade de impureza obedecerá a MB - 95 e MB - 10 respectivamente.

A areia deverá ter granulometria média. A brita poderá ser apenas de pedra granítica,
granulométrica média e satisfazendo a EB - 4. Todo cimento deverá ser de fabricação
recente, só podendo ser utilizado na fabricação, quando chegar em acondicionamento
original, isto é, com embalagem e rotulagem de fábrica intacta, devendo obedecer
rigorosamente a EB - 1.

A água utilizada deverá obedecer ao disposto na NB - 1 e na PB - 19. O aço utilizado na


armação deverá obedecer a EB - 3.

RECEBIMENTO E ENSAIO:

No decorrer do fornecimento, a Compesa formará com as peças, lotes iguais a 500


unidades, os quais deverão ser formados pelo fabricante, quando o recebimento for
efetuado em suas instalações. De cada lote, serão retirados 10% (dez por cento) das
caixas e tampas, as quais serão analisadas.

ACEITAÇÃO E REJEIÇÃO:
Em qualquer estágio da fabricação, a Compesa poderá condenar o lote em fabricação,
desde que constate desobediência a estas especificações. Reserva-se a Compesa o
direito de rejeitar o lote inteiro, se na análise a porcentagem de caixas reprovadas
ultrapassar a 20% (vinte por cento) do total analisado. No caso de reprovação das caixas e
tampas em quantidades iguais ou inferiores a 20% (vinte por cento), as caixas reprovadas
serão substituídas pelo fornecedor, não se constituindo este fato motivo de dilatação nos
prazos de entrega.
As caixas e tampas substituídas de acordo com o item anterior serão rejeitadas totalmente,
se a percentagem de reprovação ultrapassar a 5% (cinco por cento) do total. Em caso
contrário serão aceitas, responsabilizando-se o fornecedor pela reposição das rejeitadas,
as quais serão submetidas a novas análises.

NI SOP-105 DE 16/05/06

FRE – 003
CO – 005

22/28

OPERACIONAL
CONTROLE OPERACIONAL
LIGAÇÃO DO RAMAL PREDIAL DE ÁGUA

ANEXO VI-A

CAIXAS PARA HIDRÔMETROS EM LIGAÇÕES INDIVIDUAIS


DE PRÉDIOS COM FLUXO EM DIREÇÃO HORIZONTAL

com pesa ANEXO VI - A

C A IX A S P A R A H ID R Ô M E T R O S E M L IG A Ç Õ E S IN D IV ID U A IS
D E P R E D IO S C O M F L U X O E M D IR E Ç Ã O H O R IZ O N T A L

15 cm

Coluna de Distribuição
37cm

15 cm
R a m a l d e L ig a ç ã o
7 cm

>3 0 cm
Coluna de Distribuição

40cm 15 cm
15 cm

>30 cm
Coluna de Distribuição
52 cm

15 cm
7 cm

>3 0 cm
40 cm
cm

Coluna de Distribuição
12
22cm

15 cm
7 cm

> 30 cm
40cm
15 cm

Coluna de Distribuição
67 cm

15 cm
15 cm
7 cm

>3 0 cm
40 cm

NI SOP-105 DE 16/05/06

FRE – 003
CO – 005

23/28

OPERACIONAL
CONTROLE OPERACIONAL
LIGAÇÃO DO RAMAL PREDIAL DE ÁGUA

ANEXO VI-B

CAIXAS PARA HIDRÔMETROS EM LIGAÇÕES INDIVIDUAIS


DE PRÉDIOS COM FLUXO EM DIREÇÃO HORIZONTAL

com pesa A N E X O V I-B

C A IX A S P A R A H ID R Ô M E T R O S E M L IG A Ç Õ E S IN D IV ID U A IS
D E P R É D IO S C O M F L U X O E M D IR E Ç Ã O H O R IZ O N T A L

7.5 cm

Coluna de Distribuição
15 cm
30cm

7.5 cm

>30 cm
40cm
Coluna de Distribuição

7.5 cm
15 cm

>30 cm
Coluna de Distribuição
45 cm

15 cm
7.5 cm

>30 cm
40 cm
Coluna de Distribuição
cm
12

7.5 cm 7.5 cm
15cm

7.5 cm

>30 cm
40cm
15 cm

Coluna de Distribuição
60 cm

15 cm
15 cm
7.5 cm

>30 cm
40 cm

NI SOP-105 DE 16/05/06

FRE – 003
CO – 005

24/28

OPERACIONAL
CONTROLE OPERACIONAL
LIGAÇÃO DO RAMAL PREDIAL DE ÁGUA

ANEXO VII

CAIXAS PARA HIDRÔMETROS EM LIGAÇÕES INDIVIDUAIS


DE PRÉDIOS COM FLUXO ASCENDENTE OU DESCENDENTE

com pesa A N E X O V II

C A IX A S P A R A H ID R Ô M E T R O S E M L IG A Ç Õ E S IN D IV ID U A IS
D E P R E D IO C O M F L U X O A S C E N D E N T E O U D E S C E N D E N T E

R a m a l d e L ig a ç ã o
R a m a l d e L ig a ç ã o
Coluna de Distribuição
>30 cm

>30 cm
7 .5 c m 7 .5 c m
15 cm
40cm

Coluna de Distribuição
30 cm

R a m a l d e L ig a ç ã o
R a m a l d e L ig a ç ã o
>30 cm

7 .5 c m 7 .5 c m
>30 cm

15 cm 15 cm
7 .5 c m
40cm

Coluna de Distribuição
Coluna de Distribuição

4 5 cm
15 cm

V IS T A F R O N T A L

R a m a l d e L ig a ç ã o
R a m a l d e L ig a ç ã o

4cm
>30 cm

7 .5 c m 7 .5 c m
15 cm 15 cm 15 cm
>30 cm

40cm

Coluna de Distribuição
40.00

60 cm

1 1 .2 c m

V IS T A L A T E R A L

NI SOP-105 DE 16/05/06

FRE – 003
CO – 005

25/28

OPERACIONAL
CONTROLE OPERACIONAL
LIGAÇÃO DO RAMAL PREDIAL DE ÁGUA

ANEXO VIII-A

LIGAÇÃO DE RAMAL PREDIAL DE ÁGUA COM HIDRÔMETRO DE IMÓVEIS DE


GRANDES CONSUMIDORES DE 7 e 20m³/h;

RELAÇÃO DE MATERIAL PREVISTO PARA INSTALAÇÃO DO HIDRÔMETRO DE 7 m3/h


ITEM MATERIAL QUANTIDADE
A REGISTRO DE ESFERA 1” PVC ROSCA INTERNA 1
B PORCA/TUBETE 1” 2
C ADAPTADOR PVC L/R 1” X 32 mm 1
D TUBO DE PVC 32 mm Classe-12 30cm
E HIDRÔMETRO 1
F LUVA DE REDUÇÃO L/R 1” X 32 1

RELAÇÃO DE MATERIAL PREVISTO PARA INSTALAÇÃO DO HIDRÔMETRO DE 20 m3/h


ITEM MATERIAL QUANTIDADE
A REGISTRO DE ESFERA 1.1/2” PVC ROSCA INTERNA 1
B PORCA/TUBETE 1.1/2” 2
C ADAPTADOR PVC L/R 1.1/2” X 52 mm 1
D TUBO DE PVC 50 mm Classe-12 30cm
E HIDRÔMETRO 1
F LUVA DE REDUÇÃO L/R 50 X 1.1/2” 1

NI SOP-105 DE 16/05/06

FRE – 003
CO – 005

26/28

OPERACIONAL
CONTROLE OPERACIONAL
LIGAÇÃO DO RAMAL PREDIAL DE ÁGUA

ANEXO VIII-B

LIGAÇÃO DE RAMAL PREDIAL DE ÁGUA COM HIDRÔMETRO DE IMÓVEIS DE


GRANDES CONSUMIDORES DE 30m³/h;

RELAÇÃO DE MATERIAL PREVISTO PARA INSTALAÇÃO DO HIDRÔMETRO DE 30 m3/h


ITEM MATERIAL QUANTIDADE
A REGISTRO DE ESFERA 2” PVC ROSCA INTERNA 1
B FLANGE 2” 2
C ADAPTADOR PVC 60mm X 2” 2
D TUBO DE PVC 60 mm Classe 12 30cm
E HIDRÔMETRO 1
F NIPLE 2” F.Gº 1
G PARAFUSOS COM PORCA PARA FLANGE 2” 8

NI SOP-105 DE 16/05/06

FRE – 003
CO – 005

27/28

OPERACIONAL
CONTROLE OPERACIONAL
LIGAÇÃO DO RAMAL PREDIAL DE ÁGUA

ANEXO VIII-C

CAIXAS PARA HIDRÔMETROS EM LIGAÇÕES DE IMÓVEIS DE GRANDES


CONSUMIDORES DE 7 a 30m³/h

As caixas serão executadas com fundo e tampa em concreto armado (15 mpa), paredes
em alvenaria de 1 (uma) vez, revestida com argamassa internamente. Tampa (abrir /
fechar) de inspeção com visor para leitura do hidrômetro em ferro fundido fixado sob a
tampa, com feche para abertura de 1”.

NI SOP-105 DE 16/05/06

FRE – 003
CO – 005

28/28

OPERACIONAL
CONTROLE OPERACIONAL
LIGAÇÃO DO RAMAL PREDIAL DE ÁGUA

NORMAS TÉCNICAS PARA TUBOS, REGISTROS E CONEXÕES A SEREM


UTILIZADOS NAS LIGAÇÕES DE RAMAL PREDIAL DE ÁGUA COM HIDRÔMETRO
NA FACHADA OU MURO, NA CALÇADA E NO JARDIM

Esta especificação Técnica tem por objetivo fixar os requisitos necessários de aceitação
dos materiais utilizados pela Compesa.

TUBOS

Tubo de PVC Soldável classe 17 norma ABNT NBR 5648;

Tubo em PEAD PE - 80 cor azul – ISO 4427

CONEXÕES

Todas as conexões soldáveis e roscáveis nas bitolas de ½’’ a 2 “deverão suportar uma
pressão máxima de serviço de 7,5 Kgf/cm2, e devem obedecer rigorosamente o que
disciplina a Norma NBR – 8218 e NBR - 5648.

REGISTROS

Os registros de esfera devem atender rigorosamente o que especifica a norma ABNT


NBR -11306.

Todas as conexões com rosca integrantes desta norma deverão ser de metal
internamente.

NI SOP-105 DE 16/05/06

FRE – 003