Você está na página 1de 8

Conformação mecânica

Conformação mecânica

Trabalho apresentado a Faculdade de Engenharia Mecânica


valendo como parte para na obtenção da nota para a G1

1ª Lista de Conformação Mecânica

1) Defina Conformação mecânica. Descreva as características dos processos mecânicos e dos processos
metalúrgicos de conformação.

Entende-se como conformação mecânica a modificação de um corpo metálico para outra forma
definida.
Processos mecânicos: são constituídos pelo processos de conformação plástica, para os quais as
tensões aplicadas são geralmente inferiores ao limite de resistência à ruptura do material e pelos processos de
conformação por usinagem.
Processos metalúrgicos: subdividem-se em conformação por solidificação, para os quais a temperatura
adotada é superior ao ponto de fusão do metal e a forma final é obtida pela transformação liquido-solido

2) Em quais critérios podem ser classificados os processos de conformação plástica?

Quanto ao tipo de esforço;


Quanto a temperatura de trabalho;
Quanto à forma do material trabalhado ou do produto final;
Quanto ao tamanho da região de deformação (localizada ou geral);
Quanto ao tipo de produto obtido (semiacabado ou acabado)

3) Como podem ser classificados os processos de conformação quanto ao tipo de esforço predominante?

Processo de conformação por compressão direta;


Processo de conformação por compressão indireta;
Processo de conformação por tração;
Processo de conformação por cisalhamento;
Processo de conformação por flexão;

4) O que é e quais as principais características dos trabalhos mecânicos a frio, a morno e a quente?

O trabalho mecânico a frio provoca o aparecimento no metal do chamado efeito de encruamento, ou


seja, o aumento da resistência mecânica com a deformação plástica. O trabalho a frio permite aumentar a
resistência mecânica de certos metais não-ferrosos que não são endureciveis por tratamento térmico.
No tratamento a morno ocorre uma recuperação parcial da superfície do material e a tensão de
conformação situa-se numa faixa intermediaria entre o trabalho a frio e a quente.
No trabalho a quente devido a intensa vibração térmica que se facilita muito a difusão de átomos e a a
mobilidade e aniquilamento das discordâncias. O encruamento e a estrutura distorcia dos grãos produzidos
pele deformação, são rapidamente eliminados pela formação de novos grãos.
5) Quais os mecanismos de geração de calor nos processos de conformação?

Nos processos de conformação, tanto a deformação plástica quanto o atrito contribuem para uma
geração de calor

6) Descreva o mecanismo de encruamento.

O encruamento e um fenômeno modificativo da estrutura dos metais, em que a deformação plástica


realizada a baixo da temperatura de recristalização causará o endurecimento e aumento de resistência no
metal.

7) Descreva o mecanismo de recuperação elástica.


O fenômeno de recuperação elástica ou efeito de mola acontece sempre que a solicitação exterior que
originou a flexão é retirada. Assim, tanto o ângulo de dobragen como o raio de curvatura aumentam,
modificando-se a geometria da peça.

8) Descreva o mecanismo de recristalização. Quais os principais fatores que afetam a recristalização?

A recristalização é um processo de crescimento de novos cristais a partir de cristais


previamente determinados. Os cristais deformados plasticamente têm mais energia do que os não
deformados, pois estão carregados com discordâncias e imperfeições pontuais. Quando os cristais
são submetidos a temperaturas elevadas (processo denominado recozimento), os átomos se
deslocarão visando um arranjo mais perfeito e indeformado. As elevadas vibrações térmicas do
reticulado em altas temperaturas permitem um arranjo dos átomos em grãos menos distorcidos. O
processo de recristalização requer movimentos e rearranjos de átomos. Estes rearranjos para a
recristalização ocorrem mais facilmente a altas temperaturas

9) Quais as vantagens e desvantagens do trabalho a quente?

VANTAGENS; menor energia requerida para deformar o metal, já que a tensão de


escoamento decresce com o aumento da temperatura; aumento da capacidade do material para
escoar sem se romper (ductilidade); homogeneização química das estruturas brutas de fusão (e.g.,
eliminação de segregações) em virtude da rápida difusão atômica interna; eliminação de bolhas e
poros por caldeamento; eliminação e refino da granulação grosseira e colunar do material fundido,
proporcionado grãos menores, recristalizados e equiaxiais; aumento da tenacidade e ductilidade do
material trabalhado em relação ao bruto de fusão.
DESVANTAGENS: necessidade de equipamentos especiais (fornos, manipuladores, etc.) e
gasto de energia para aquecimento das peças; reações do metal com a atmosfera do forno, levando
as perdas de material por oxidação e outros problemas relacionados (p.ex., no caso dos aços, ocorre
também descarbonetação superficial; metais reativos como o titânio ficam severamente fragilizados
pelo oxigênio e tem de ser trabalhados em atmosfera inerte ou protegidos do ar por uma barreira
adequada); formação de óxidos, prejudiciais para o acabamento superficial; desgaste das
ferramentas é maior e a lubrificação é difícil; necessidade de grandes tolerâncias dimensionais por
causa de expansão e contração térmicas, estrutura e propriedades do produto resultam menos
uniformes do que em caso de TF seguido de recozimento, pois a deformação sempre maior nas
camadas superficiais produz na mesma uma granulação recristalizada mais fina, enquanto que as
camadas centrais, menos deformadas e sujeitas a um resfriamento mais lento, apresentam
crescimento de grãos.

10) Quais as principais propriedades dos materiais obtidas o por ensaio?

Tornar a qualidade do produto mais uniforme; reduzir os tipos similares de materiais; orientar
o projetista na escolha do material adequado; permitir a comparação de resultados obtidos em
diferentes laboratórios; reduzir desentendimento entre produtor e consumidor.

11) Quais as finalidades mais importantes da execução dos ensaios?

Permitir a obtenção de informações rotineiras do produto – ensaios de controle de qualidade


no recebimento de materiais de fornecedores e no controle final do produto acabado; Desenvolver
novas informações sobre os materiais – no desenvolvimento de novos materiais, de novos produtos,
de novos processos de fabricação e de novos tratamentos.

12) Quais as principais vantagens de se normalizar os materiais e os métodos de ensaios mecânicos?

Tornar a qualidade do produto mais uniforme; Reduzir os tipos similares de materiais;


Orientar o projetista na escolha do material adequado; Permitir a comparação de resultados obtidos
em diferentes laboratórios; Reduzir desentendimentos entre produtor e consumidor.

13) Como podem ser classificados os ensaios dos materiais?

Os ensaios de materiais podem ser classificados de várias maneiras, como as exemplificadas a


seguir:
A – Quanto à integridade geométrica e dimensional da peça ou componente: Destrutivos –
provocam inutilização parcial ou total da peça. Não destrutivos – não comprometem a integridade
da peça.
B – Quanto à velocidade de aplicação de carga: Estáticos – carga aplicada de maneira
suficientemente lenta, induzindo a uma sucessão de estados de equilíbrio. Dinâmicos – carga
aplicada rapidamente ou ciclicamente. Carga constante – carga aplicada durante um longo período.
C – Quanto à temperatura de realização: Altas temperaturas, Baixas temperaturas e Temperatura
ambiente
D – Quanto ao ambiente: Quimicamente agressivo e Neutro

14) O que é laminação? Quando se faz a laminação a quente e quando se faz a laminação a frio?

É um dos processos de conformação mecânica pelo qual um lingote de metal é forçado a


passar por entre dois cilindros que giram em sentido opostos, com a mesma velocidade. Se faz a
quente quando o material a ser conformado é difícil de ser laminado a frio ou quando se necessita
de grande redução de espessura. A laminação a frio se aplica a metais de fácil conformação em
temperatura ambiente, oque é mais econômico. É o caso do alumínio, cobre, latão.

15) Quais as partes compões um sistema de laminação?

Laminador
Cadeira
Gaiola
Cilindros

16) Como são classificados os cilindros para laminação? Dê as características de cada tipo.

Duo: composto por dois cilindros de mesmo diâmetro que giram em sentido opostos na mesma
velocidade
Trio: conjunto composto por três cilindros sobrepostos um sobre o outro. Na primeira passada o
material passa entre o cilindro inferior e central, já na segunda passada o material passa entre o cilindro
central e o superior.
Quadruo: composto por quatro cilindros, dois internos de trabalho e dois externos de apoio.
Universal: composto por quatro cilindros combinados sendo dois horizontais e dois verticais.
Sindzimer: onde dois são de trabalhos e quatro são de apoio

17) Descreva as etapas para o processo de laminação de produtos planos.


A placa é reaquecida e passa então por um laminador que quebra a camada de óxido que se formou no
aquecimento. Nessa operação usa-se também jato de água de alta pressão.

18) Quais as principais características dos produtos laminados?

As características dos materiais laminados são bem perceptíveis, e são barras, perfis, chapas. Seu
comprimento é sempre muito maior que sua largura e, na maioria dos casos, as espessuras também são
reduzidas.

19) Quais os defeitos mais comuns dos produtos laminados?

Vazios: podem ter origem nos rechupes ou nos gases retidos durante a solidificação do lingote. Eles
causam tanto defeitos de superfície quanto enfraquecimento da resistência mecânica do produto
Gotas frias: são respingos de metal que se solidificam nas paredes da lingoteira durante o vazamento.
Posteriormente, eles se agregam ao lingote e permanecem no material até o produto acabado na forma de
defeitos na superfície.
Trincas: aparecem no próprio lingote ou durante as operações de redução que acontecem em
temperaturas inadequadas.
Dobras: são oriundas de reduções excessivas em que um excesso de massa metálica ultrapassa os
limites do canal e sobre recalque no passe seguinte;
Inclusões: são partículas resultantes da combinação de elementos presentes na composição química
do lingote, ou do desgaste de refratários e cuja presença pode tanto fragilizar o material durante a laminação,
quanto causar defeitos na superfície;
Segregações: acontecem pela concentração de alguns elementos nas partes mais quentes do lingote, as
últimas a se solidificarem. Elas podem acarretar heterogeneidades nas propriedades como também
fragilização e enfraquecimento de seções dos produtos laminados.
20) Utilize os parâmetros de mudança de forma num paralelepípedo nas condições abaixo e determine as
deformações absoluta, relativa e logarítmica.

- Dimensões inicias: h0 = 50 mm; b0 = 40 mm e l0 = 100mm


- Dimensões após deformação: h1 = 42 mm; b1 = 45 mm e l1 = 105,80 mm

21) Nas condições abaixo, calcular:


a) A resistência a mudança de forma (Kf);
b) Força de deformação (FC);
c) Trabalho de deformação (W).

1) Seção aa: 2) Seção aa: 3) Seção aa: